Bugueiros do RN denunciam falta de fiscalização e perseguição e podem paralisar

litoral-norte-buggy-09O passeio de buggy, um dos principais atrativos turísticos do Rio Grande do Norte, pode estar ameaçado para a alta estação. Os bugueiros profissionais estão organizando uma paralisação das atividades na próxima quinta-feira (5) em protesto contra a falta de fiscalização dos passeios clandestinos e contra a perseguição de fiscais.

De acordo com Luiz Thiago Manoel, presidente do Sindicato dos Bugueiros Profissionais do RN (Sindbuggy), vários veículos estão conseguindo placas vermelhas através de favores políticos nos municípios e realizando passeios clandestinamente sem a autorização da Secretaria de Estado do Turismo (Setur).

“Nós, bugueiros profissionais, temos que passar por cursos de qualificação, temos que ter uma autorização para rodar, um registro na Setur para realizar os passeios e o que estamos vendo é que, cada vez mais, clandestinos estão realizando passeios só porque tem a placa vermelha. Tem até carro com falso adesivo de permissionário. Falta fiscalização”, denunciou lembrando que a atividade é disciplinada pela lei estadual 8.817 de 2006.

Além da falta de fiscalização contra os passeios clandestinos, o Sindbuggy também denuncia que policiais militares do Comando de Policiamento Rodoviário Estadual (CPRE) e fiscais do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) estão descumprindo a Portaria 711/07 que regulamenta o acesso dos buggys às praias.

“Tem bugueiro sendo multado por estar trafegando em praias permitidas pela portaria do Detran. Será que o turista que vê uma coisa dessas volta? E como fica a situação do bugueiro? Nós estamos errados ao ajudar o turismo do Estado dentro da lei? O que queremos é que o poder público resolva esses problemas”, concluiu.

Nesta terça-feira (3), as 10h, na sede do Comando de Policiamento Rodoviário Estadual (CPRE), haverá uma reunião da categoria com representantes da Setur e do Detran para encontrar uma solução definitiva para o problema, já que está começando o período da alta estação. Se não houver solução, os bugueiros farão uma paralisação de advertência na próxima quinta-feira (5) e não descartam medidas mais sérias para cobrar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Wilton Barbosa disse:

    Acho que também tem que ter uma vistoria mai severa nos bugres em relação a manutenção, muitos vejo que não tem condições de fazer passeios, e em relação as multas na beira mar eu presenciei a CPRE abordando os bugueiros em pitangui um estava sem habilitação e outro tinha consumido bebida alcoólica.

  2. Jean disse:

    O problema esta neste tal de Luiz Thiago, cara sem noção….vai procurar o que fazer !

  3. Eduardo disse:

    Os bugueiros querem ser donos das Dunas, não querem dividir o espaço com ninguém, inclusive já presenciei agirem com certa violência com outros veículos. Me digam onde compraram a posse dessa dádiva da natureza? E alegam que fizeram cursos, ora o que mais têm é bugueiro irresponsável e embriagado levando mais turistas que o permitido e sem cinto de segurança.

  4. Carlos disse:

    Thiago vc como presidente é um excelente buggueiro kkkkk

Nomeado secretário adjunto da Setur

João Helder Santos é o novo secretário adjunto da pasta estadual de Turismo. O cargo estava vago desde a saída de Renato Fernandes, quando o então adjunto, George Lima, assumiu interinamente a secretaria. João Helder é graduado em administração, com pós-graduação em Gestão de Negócios. O novo adjunto da Setur chefiava o departamento de cartografia e cadastro da Secretaria de Assuntos Fundiários e de Apoio à Reforma Agrária (Seara). Sua nomeação foi publicada no Diário Oficial do Estado semana passada.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. HAILTON disse:

    VAI SER SEMPRE ASSIM SAPATEIRO COM EMPREGO DE ENFERMEIRO.E BRASIL

Orçamento da Setur aumenta em mais de R$ 10 milhões para 2014

O orçamento da Secretaria de Estado do Turismo para 2014 aumentou em mais de R$ 10 milhões se comparado aos recursos disponíveis para 2013. A notícia é considerada uma conquista à pasta e ao turismo potiguar diante das dificuldades financeiras do Governo do Estado.

A secretaria terá R$ 62.627.000,00 para trabalhar em 2014 – mais de R$ 10 milhões a mais do que os R$ 51.947.000,00 de 2013. Afora o aumento do recurso, há também assegurada mais verba conquistada pelo trabalho de equipe da Setur, mas depositada na conta de outras pastas do Governo.

Apenas para reforma e ampliação do Centro de Convenções de Natal há R$ 30 milhões assegurados na conta da Secretaria de Estado da Infraestrutura. Esse recurso foi conseguido após visita do titular da Setur, Renato Fernandes, junto ao Ministério do Turismo, ainda no primeiro semestre deste ano. Com isso, o orçamento da secretaria seria de R$ 92,6 milhões.

Também sob a responsabilidade da pasta estadual de turismo estão os programas RN Sustentável e Prodetur. O primeiro tem concretizado R$ 29 milhões para os próximos cinco anos, enquanto o Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur) tem assegurado R$ 50 milhões para os próximos quatro anos.

“Esses recursos são fruto de muito trabalho e planejamento junto ao Ministério do Turismo e ao Iphan, de onde conseguimos boa parte dessa verba. Ainda não é o aumento desejado. Mas continuamos o trabalho na busca de mais recursos para a Setur e Emprotur”, ressaltou Renato Fernandes.

Este orçamento previsto para 2014 ainda será aprovado pela Secretaria de Estado do Planejamento e das Finanças (Seplan-RN), onde já se encontra. Após análise será encaminhado à Assembleia Legislativa para que, após o aval dos parlamentares, passe a constar no Orçamento Geral do Estado para o próximo ano.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcos Aurélio disse:

    Pra divulgar o quê?
    Seria a SEGURANÇA que o Turista vai encontrar aqui no RN?
    Será as excelências em EDUCAÇÃO E EM SAÚDE?
    Ou seriam as Greves, conflitos entre poderes e grave crise de Estado?

  2. Roberto disse:

    Não adianta em nda melhorar a pasta do turismo se em relação a segurança o caos continua…, vcs acham que com essas notícias de violência sobre o estado saindo direto na mídia a nível nacional, quem é o turista que virá pra cá…?

Setur encaminha R$ 78 milhões em projetos ao PAC Cidades Históricas

Natal é uma das 44 cidades cotadas a receber parte do R$ 1 bilhão destinado ao PAC Cidades Históricas. Para isso precisa elaborar projetos voltados à reabilitação urbana do patrimônio arquitetônico e cultural de seu Centro Histórico. Depois é defender a implantação desses projetos junto ao Ministério da Cultura para angariar os recursos.

O Rio Grande do Norte já possui 16 projetos executivos em andamento, totalizando aproximados R$ 100 milhões. Desses projetos, a Secretaria de Estado do Turismo (Setur) é responsável por cinco, que somam o maior montante: quase R$ 78 milhões. Os outros 11, na ordem de R$ 21 milhões, são da competência municipal. Os recursos serão disponibilizados até 2015.

O processo de inscrição do Estado já foi realizado pelo IPHAN, sendo a segunda etapa a realização de entrevista técnica com os proponentes para verificação dos projetos e esclarecimentos das propostas. No caso do Rio Grande do Norte, a reunião será realizada no dia 13 de março de 2013, no Ministério da Cultura, em Brasília.

Entre os cinco projetos elaborados pela Setur, estão: 1) Restauração e ampliação da Capitania das Artes (R$ 26,5 milhões); 2) Restauração e ampliação da Escola de Danças do Teatro Alberto Maranhão (R$ 4 milhões); 3) Restauração, reabilitação e requalificação de praças (R$ 8,7 milhões); 4) Restauração e reabilitação de vias e passeios públicos com embutimento de rede elétrica, telefonia e lógica (R$ 25 milhões); 5) Restauração do Teatro Alberto Maranhão (R$ 13,5 milhões).

“Reputamos esse projeto macro das Cidades Históricas como o mais importante da secretaria estadual de Turismo. Por isso temos trabalhado ao máximo para ver concretizado esse sonho”, comenta o titular da pasta, Renato Fernandes. Os projetos estão sendo elaborados pela empresa Cunha Lanfermann – contratada via licitação pelo preço de R$ 2,28 milhões. Os estudos de concepção serão entregues dia 1º de março.

A área de abrangência do projeto de Reabilitação Urbana corresponde às poligonais de tombamento e de entorno que compõem o processo de tombamento em análise pelo IPHAN e que abrangem trechos dos bairros da Cidade Alta, da Ribeira e das Rocas. O sítio a ser trabalhado possui área total de 91,1 hectares, que corresponde à somatória da área da poligonal de tombamento (28,43 hectares) e da poligonal de entorno (62,67 hectares).

 

Justificativa do projeto

O Centro Histórico de Natal abarca os bairros de Cidade Alta e Ribeira. Possui aspectos que remontam aos primeiros séculos da história do Brasil. Destes, talvez o mais relevante seja o traçado urbano irregular, típico das cidades coloniais portuguesas, em oposição aos padrões geométricos espanhóis.

Contudo, Natal vivencia, já há alguns anos um notório processo de crescimento da especulação imobiliária. A destruição tanto de exemplares arquitetônicos quanto de estruturas urbanas inteiras tornou-se uma realidade, gerando polêmicas e debates acerca do tema.

A implantação do projeto de Reabilitação do Centro Histórico de Natal tem como objetivo dinamizar o sítio histórico de fundação da cidade a fim de tornar a área um importante centro aglutinador da cultura local, ampliando os serviços prestados, o uso dos espaços públicos e motivando uma nova dinâmica na área.

De um modo geral, a inexistência de áreas de embarque e desembarque de ônibus turísticos, bem como, a ausência de uma estrutura informativa no próprio perímetro do Centro Histórico dificultam, sobremaneira, a consolidação do turismo na área.

Todavia, há um grande potencial a explorar, pois predomina nessa área os principais equipamentos culturais da cidade, bem como as edificações tombadas e os monumentos de relevante valor arquitetônico e histórico.

Crise no turismo: Secretário adjunto e vice-presidente da Emprotur também pedem pra sair

A crise está cada vez pior para o turismo estadual. Depois da saída Ramzi Elali da função de titular Secretaria de Turismo (Setur), cargo que se encontra vago há mais de um mês, veio hoje a notícia de perda de dois nomes do segundo escalão.

Luís Eduardo Bulhões, secretário adjunto da pasta, e Francisco Barbosa, vice-presidente da Empresa Potiguar de Turismo (Emprotur), também pediram pra sair. Os dois entregaram o pedido de exoneração hoje e devem ter as saídas anunciadas oficialmente no Diário Oficial muito em breve.

O secretário adjunto e o vice-presidente da Emprotur continuarão exercendo suas funções somente até a governadora Rosalba Ciarlini indicar um novo secretário para a Setur. A permanência foi um pedido foi feito pela própria chefe do Executivo e aceito por eles. Após sair a nomeação do novo secretário, os dois devem ter as exonerações publicadas.

A Setur fazia parte da fatia governista do PMDB, mais especificamente do deputado estadual Walter Alves. Mas, desde a saída de Ramzi, que o parlamentar já avisou que não pretende fazer uma nova indicação.

Pelo visto, essa crise só tende a aumentar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Annaclau5 disse:

    Acreditem se quiser, os telefones da Emprotur ( empresa responsável pela promoção do turismo do nosso Estado) estão cortados por falta de pagamento a mais de um ano, sem falar na pilha de contas a pagar de Feiras e eventos realizados pela Emprotur para divulgação do estado e que este governo não tem o menor compromisso em sanar. É devido ao descaso dessa gestão que o Turismo do Rn está na UTI.