Ceará-Mirim se sobressai na segunda reunião entre as prefeituras e o Governo

INFORMATIVO PREFEITURA DE CEARÁ-MIRIM

Durante a reunião de ontem com o Governo do Estado (2), prefeitos e representantes de Nísia Floresta, São José de Mipibu, Monte Alegre, Barra de Maxaranguape, Ceará-Mirim, Goianinha e Bom Jesus apresentaram as dificuldades que vêm enfrentando para combater o avanço do vírus em suas cidades, como também para adotar medidas mais eficazes.

A maiores dificuldades em comum entre todos os que estavam na videoconferência são as pessoas e o comércio, que não colaboram para o isolamento social, e também a falta de atualização nos boletins epidemiológicos por parte da Secretaria Estadual de Saúde.

Ficou claro que Ceará-Mirim está à frente de vários municípios, no que diz respeito a medidas eficazes de enfrentamento ao Coronavírus. O blog lista algumas.

* Decreto sobre a obrigatoriedade da máscara há quase 1 mês

* Aquisição e distribuição de EPIs

* Equipes de fiscalização e conscientização com apoio das forças de segurança

* Pagamento de todos os servidores de forma antecipada, principalmente aos profissionais da saúde

* Redução de 20% dos salários do prefeito e comissionados, menos para os profissionais da saúde e para quem ganha o mínimo

* Distribuição de máscaras e aplicação de álcool para a higienização da população

* Barreira sanitária e blitzen educativas

* Desinfecção e higienização de lugares públicos

* Campanhas educativas nas mídias

* Distribuição de cestas básicas para feirantes e ambulantes cadastrados no município

* Suspensão do corte de água para famílias de baixa renda

* Prorrogação no prazo de validade das parcelas do IPTU

* Adiantamento de 40% do décimo terceiro de aposentados

* Azitromicina e Ivermectina disponível no Hospital Municipal

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bosco disse:

    Parabéns!

Com aumento de casos por covid-19 no RN, Fátima convoca prefeitos da Grande Natal para discutir medidas de isolamento social

A coletiva no fim da manhã desta segunda-feira(01), da Secretaria de Estado e Saúde Pública-Sesap, atualizou os números da covid-19 no Rio Grande do Norte, e alertou a situação delicada do baixo isolamento social, com o consequente aumento de casos.

Diante do cenário, o médico Petrônio Spinelli, secretário adjunto, confirmou que a governadora Fátima Bezerra enviou ofício aos prefeitos da Grande Natal para uma reunião no fim desta tarde. Na pauta, medidas de isolamento social.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. nasto disse:

    Em toda entrevista a GONVERNADORA , os SERETARIOS ( titular e adjunto) prometem a instalação de respiradores em Natal e nos hospitais regionais. Desde o começo da Pandemia que só se escuta promessas. Já morreu muita gente, os hospitais continuam na mesma situação e quando é que vai se resolver essa situação POFª FATIMA? Já paasou da hora de falar a VERDADE. Esse momento é de agilizar e não POLITICAR com VOCS estão fazendo. VERGONHAAAAAAAAAAAAAAAA

  2. Antenado disse:

    Governadora, kd os respiradores e o hospital de campanha? O que foi feito com o dinheiro. Responda ao isso ao povo e depois tome as medidas necessárias.

  3. Getro disse:

    Ela tá pensando que é prefeita de natal é……e o resto do Estado?

  4. Bita disse:

    Isolamento não é a solução. A solução é instaurar medicação eficiente de forma precoce. Não estão chegando as medicações nos postos de saúde. Nem ivermectina, nem Hidroxicloroquina.

  5. Márcia Guedes disse:

    LOCKDOWN URGENTE…ESTÃO COM MEDO DE QUÊ, PARA FECHAR TUDO???
    OU FECHA OU NÃO TERA ESPAÇO PARA ENTERRAR OS MORTOS.

  6. Juailson disse:

    Só sabe fazer isolamento .
    Hospital de campanha zero, respeitador zero, Eli zero!!!
    Arremaria como o povo do RN foi escolher essa senhora pra governadora!!!!

  7. Francisco disse:

    Governadora, desembale os respiradores e instale nas unidades de saúdes, já começam a aumentar as mortes das pessoas por falta desses importante equipamentos.

  8. Iza disse:

    Lockdown urgente gente, vocês que são contra dá um pulo em qualquer Upa, ou no Giselda.

  9. De Assis disse:

    Fico impresionado como o Prefeito de Natal, o Sr. Álvaro Dias, permite que os mercados públicos e as feiras livres funcionem. É de uma irresponsabilidade sem tamanho. Acredito que as feiras livres, seja um dos maiores focos de transmissão desse vírus. Quantos pessoas infectadas trabalham ou circulam pelas feiras? Um número imaginável, né mesmo prefeito? O que o Sr. está esperando para fechar os mercados e as feiras livres por um certo período?

    • Diogo disse:

      Concordo, moro no Parque dos Coqueiros, a Feira livre daqui está um caos. Até vi algumas vezes uma turma da semsur com a guarda municipal. Só que não tem jeito, quando eles saem a bagunça volta pior.

  10. Direita-honesta disse:

    A governadora teve 75 dias para preparar a rede estadual de saúde para atender ao coronavírus e não fez quase nada. Muitas entrevistas coletivas, aterrorizou o povo potiguar com aquele previsão catastrófica e mentirosa e apelou unicamente para essa falácia do “fique em casa”. E agora? Vai querer aprofundar o tal isolamento? E acabar o que ainda resta da economia do estado?

    • Kerubino disse:

      Muito bem colocado. Incompetência total. Essa governadora deve ser responsabilizada pelas mortes que vem ocorrendo por ausência de respiradores e /UTIs

    • Socorro disse:

      Essa governadora quer o povo do Rio Grande do Norte , Louco e morrendo de fome. Desde o dia17 de março que estamos em casa, idosos precisando de ajuda para o serviço diário e essa destemperada com sua equipe. ,depois de 75 dias ainda fala em total isolamento. Meu Deus!!!! Coitado de nós. Ainda bem que o Governo Federal É de direita.

Fátima destaca “clima respeitoso” em reunião de governadores com Bolsonaro “em defesa da saúde do povo brasileiro”

Foto: Reprodução/Twitter

A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), classificou a a reunião dos governadores dos estados do Brasil com o presidente da República Jair Bolsonaro “respeitosa”.

“A reunião entre nós, governadores do Brasil, e o presidente da República acabou há pouco, num clima institucional respeitoso. As divergências foram deixadas de lado para que pudéssemos focar na união de todos em defesa da saúde do povo brasileiro e na superação da crise”, disse.

Fátima ainda destacou que o “presidente anunciou que vai sancionar o projeto de ajuda financeira aos estados e municípios. Fizemos um apelo: que essa sanção se dê com a urgência que o momento requer e que esse aporte seja repassado com brevidade”.

O encontro virtual aconteceu nesta quinta-feira (21) e também contou com a presença do presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP), do presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e de ministros.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tulii disse:

    Secretarios fracos, governo e Prefeitura, nada fazem de bom

  2. Carlos disse:

    E as Cestas BASICAS DOS ALUNOS DA REDE ESTADUAL?

  3. Helder disse:

    Eita tá no DNA, viu dinheiro o discurso muda.

  4. Santos disse:

    A melhor governadora do RN de todos os tempos!
    Estamos com a senhora, se continuar agindo com responsabilidade. O melhor voto de 2018.

    • Dulce disse:

      É, uma crise dessa, ela não construiu um hospital de campanha, com UTIs equipados de respiradores. Agora já recebeu quase um bilhão.

    • Santos disse:

      Eu acho que vc não mora aqui no RN. Só pode.

  5. Pedro disse:

    Eita Chico 100, tu não sabe metade da missa, dizer que Fátima tem sido uma boa gestora é uma piada de péssimo gosto, e, com certeza, vc não sabe o que é inveja, pois não se pode ter inveja, de quem não tem nada para dar. Finalmente ela hoje foi feliz, essa não é a hora de picuinhas políticas, ela tem que arregaçar as mangas e fazer seu secretário fazer o mesmo, nós estamos precisando e a SESAP está praticamente inerte.

  6. Zé povinho disse:

    deu dinheiro… a conversa mudou! Bando de oportunistas!

  7. Carlos André disse:

    Não voto e jamais votarei nessa governadora.

  8. Bolsonaro junior disse:

    Apareceu?
    Quem é ela?
    De onde ela saiu?
    O que ela faz?

  9. Silva e silva. disse:

    Votei em Fátima e me arrependo, tá gastantando as máscaras do pro sertao e dizendo que é do governo.
    700. Milhões do governo Bolsonaro injetado no RN e ninguém vê a cor.
    Agora, Bolsonaro botou todos no bolso, eu sabia, A ONDE DINHEIRO NÃO TESOLVER, É PORQUE FOI POUCO. O ruim é que quem paga essa conta, é o povo.
    Mas, tá tudo DOMINADO.
    Acabou com o restinho da canhota.

    • Chico 100 disse:

      Mentiroso(a) tu não votou em Fátima e vem falar asneira. Fátima tem feito tudo pra melhorar esse Eatado. O resto é inveja do sucesso dos outros

    • Anti-Político de Estimação disse:

      Pois eu gostei e torço que daqui para a frente o clima seja esse : de normalidade institucional. O mais importante é que saiamos dessa crise ( pelo menos é o que espero ) porque não sou dessa turma que torce por políticos ou por partidos; eu torço é pelo País e pelo meu Estado.

    • J. Soares disse:

      Tá fazendo o quê chico 100 prumo??
      Espalhando o pânico??
      Cadê os 11.300 defuntos??
      Cadê o dinheiro que o governo federal mandou??
      Fátima tá fazendo muito, mais muito mesmo, é raiva.
      Pode perguntar aos prefeitos, até aqui zero de ajuda pros municípios.
      Zero!!
      Eu também votei, e estou arrependido também, governo desde o primeiro dia, sem projetos, sem ação.
      Pelo jeito, Fátima, ainda não tomou posse.

VÍDEO: Êxito da reunião de Bolsonaro com governadores reduz termômetro de eventual impeachment, destaca analista da CNN

Além dos chefes estaduais, participaram do encontro virtual, os ministros: Paulo Guedes (Economia), Fernando Azevedo (Defesa), Braga Netto (Casa Civil), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Jorge Oliveira (Secretaria-Geral).

Os presidentes da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) também discursaram na reunião.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), disse que a reunião foi um “momento histórico na reconstrução do país”. Alcolumbre também disse repetidamente que, “diferente do que muitos pensam ou falam”, não há uma divisão entre os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.

“Além dos R$ 60 bilhões (em repasses diretos), a gente também conseguiu, com apoio do governo federal, inserir cláusulas importantes”, apontou, referindo-se à suspensão do pagamento das parcelas da dívida dos entes federados com a União, que ele estimou em R$ 49 bilhões. “A gente conseguiu, nessa conciliação dentro do projeto, inserir segurança jurídica.”

O presidente do Senado disse que a “fotografia” do encontro desta quinta-feira mostrará a união entre os Poderes. “A fotografia e a sanção desse projeto servirão para todos que insistem em nos dividir. Eles perderão porque estamos unidos com o povo brasileiros, todos os Poderes, para enfrentar a maior crise sanitária da história do Brasil.”

Rodrigo Maia elogia reunião com Bolsonaro e fala em ‘união de todos’

Rodrigo Maia foi ao Twitter dizer que a reunião de hoje com Jair Bolsonaro e governadores foi “muito importante”.

O presidente da Câmara falou em “união de todos” no enfrentamento à pandemia.

“Muito importante a reunião hoje com o Presidente da República para a sanção do projeto de socorro a Estados e municípios nesta pandemia. A união de todos para o enfrentamento ao coronavírus é a sinalização mais importante.”

Com CNN,  Estadão e O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Santos disse:

    O bafo no cangote do presidente está fzdo efeito. As 800 mortes que o senhor disse que seraim no máximo no Brasil em todo ano, acontece todo dia e sua conta está sendo calculada.

  2. Webrevenger disse:

    A calmaria antes da tempestade

  3. Carlos André disse:

    Nada que a CNN notícia devemos levar em conta.

  4. Nraulio Pinto disse:

    Esse Bolsonaro paz e amor é só estratégia para evitar o impeachment. Se abrir a boca volta tudo. Nas próximas declarações de Bolsonaro na reunião do cercadinho do palácio, a temperatura sobe de novo.

CLIMA DE PAZ E CONSENSO: Em reunião com governadores, Bolsonaro diz que deve sancionar nesta quinta ajuda aos estados

Foto: Reprodução/GloboNews

O presidente Jair Bolsonaro, acompanhado de ministros, realizou nesta quinta-feira (21) uma videoconferência com governadores para discutir ações relacionadas ao enfrentamento da crise de saúde e econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus.

Os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), participaram da videoconferência. Antes, tiveram uma audiência com Bolsonaro.

Na abertura do encontro, Bolsonaro disse que o governo defende congelamento de salários de servidores até o ano que vem.

“Bem como nesse momento difícil que o trabalhador enfrenta, alguns perderam seus empregos, outros tendo salário reduzido, os informais que foram duramente atingidos nesse momento, buscar maneiras de, ao restringirmos alguma coisa até 31 de dezembro do ano que vem, isso tem a ver com servidor público da União, Estados e municípios, nós possamos vencer essa crise”, afirmou o presidente.

Bolsonaro também afirmou que gostaria que a reunião concluísse, por consenso, que os vetos dele ao projeto de auxílio financeiro aos estados sejam mantidos.

“O mais importante: se possível sair uma proposta aqui por unanimidade de nós, ao vetarmos quatro dispositivos, um que é de extrema importância, que esse veto venha a ser mantido por parte do parlamento. Porque é assim que vamos construir nossa política, nos entendendo cada vez mais”, disse Bolsonaro.

Maia

Em seu discurso, Maia defendeu o projeto de socorro aos estados e pregou a união entre estados, municípios e governo federal para o enfrentamento da crise.

“Esse projeto vem nessa linha, projeto construído no Congresso Nacional junto com governo federal, que hoje vem à sua sanção em um momento muito importante no enfrentamento à crise. A união de todos no enfrentamento à crise vai criar com certeza as condições para que nos segundo momento possamos tratar do pós-pandemia da recuperação econômica, da recuperação dos empregos”, disse o presidente da Câmara.

Alcolumbre

O presidente do Senado, em sua fala na abertura do encontro, alertou que os políticos e governantes têm responsabilidade de conduzir o país durante a crise da pandemia e também depois, quando, segundo ele, as desigualdades na sociedade devem aumentar.

“A gente tem que ter a consciência de que essa crise é sem precedente na nossa vida, mas seremos cobrados por qual atitude tomamos para enfrentar a dificuldade de saúde pública que já tirou a vida de 20 mil brasileiros, milhares perdendo a chance de um futuro promissor. Nós temos responsabilidade com 210 milhões de brasileiros. Após essa pandemia o nosso país terá muito mais desigualdade. Essa diferença nas classes sociais se ampliará. A gente precisa ter responsabilidade e compromisso público”, disse o presidente do Senado.

Covid-19

Segundo levantamento exclusivo do G1 junto às secretarias estaduais de saúde, foram registradas no país 19.038 mortes provocadas pela Covid-19 e 294.152 casos da doença. O balanço de quarta-feira (20) do Ministério da Saúde informou 18.859 mortos e 291.579 casos.

Atualmente, o Brasil é o terceiro país no mundo com o maior número de casos confirmados da doença, atrás de Estados Unidos e Rússia.

Bolsonaro teve em março uma rodada de conversas por vídeo com governadores em encontros divididos por regiões. Na oportunidade, trocou farpas com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). As críticas feitas por ambos se mantiveram em abril e maio.

A nova conversa com governadores é uma tentativa de ajustar medidas de combate à Covid-19, em um contexto no qual o Brasil trocou duas vezes de ministro da Saúde (Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich) e tem a pasta no momento comandada de forma interina pelo general Eduardo Pazuello, um militar sem experiência em saúde pública.

Estados enfrentam dificuldade com equipamentos em unidades de saúde e presidente e governadores divergem na estratégia para conter a doença em temas como isolamento social e uso da cloroquina pelas pessoas infectados.

Bolsonaro é crítico das medidas de isolamento social e defende isolar somente idosos e pessoas com doenças crônicas. O presidente já se manifestou pela retomada do comércio e a volta das aulas, enquanto muitos governadores, como Doria, mantêm as medidas de restrição ao comércio a fim de tentar frear a velocidade do contágio da população.

Socorro aos estados

Em entrevista ao blog da jornalista Ana Flor, colunista do G1 e da GloboNews, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que a videoconferência é uma oportunidade de pacificar as relações entre os governos federal e estaduais.

Um dos temas que Guedes espera definir a partir da videoconferência é o conjunto de possíveis vetos ao projeto de socorro aos estados e municípios, aprovado em 6 de maio pelo Congresso, e que ainda não foi sancionado por Bolsonaro.

Guedes e Bolsonaro querem que os governadores se comprometam a garantir que irão ajudar a manter os vetos que barram reajustes salariais a categorias do funcionalismo público nas três esferas.

O Planalto propôs o congelamento dos salários de servidores como contrapartida à ajuda de R$ 60 bilhões, contudo, na tramitação no Congresso os parlamentares aprovaram a liberação ao reajuste para determinadas categorias.

No dia seguinte à aprovação do texto pelo Senado, Bolsonaro afirmou que, por sugestão de Guedes, iria vetar a permissão de reajustes salariais ao funcionalismo.

Agora, Guedes e Bolsonaro querem que os governadores se comprometam a garantir que irão ajudar a manter os vetos que barram reajustes salariais a categorias do funcionalismo público nas três esferas. Guedes tem alertado para o risco dos estados usarem o dinheiro destinado à saúde para conceder reajustes ao funcionalismo em ano eleitoral.

G1

BANDEIRA BRANCA: “Vamos em paz, presidente. Vamos pelo Brasil e vamos juntos”, diz Doria, durante reunião com governadores

João Doria estendeu a bandeira branca a Jair Bolsonaro na reunião dos governadores com o presidente.

“Quero cumprimentar a forma com que essa reunião está sendo conduzida, para a união de todos. O Brasil precisa estar unido para vencer a crise e proteger a saúde dos brasileiros”, disse o governador de São Paulo.

“Fico feliz, presidente Jair Bolsonaro, por perceber em todas as intervenções, a começar da sua, que este é o sentimento. […] Vamos em paz, presidente. Vamos pelo Brasil e vamos juntos.”

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Só de olho disse:

    Cadê a valentia de outrora??? Capitulou, arrochado???

  2. Azevedo disse:

    Esse Doria é um dos maiores bandidos da política brasileira, pois está fabricando Mirtes por Covid 19 para derrubar o presidente da Repubica e pegar dinheiro da união.

  3. Tony disse:

    É Claro , se os governadores não agirem como doidos, o Brasil entra no colapso total…ja ouviram falar que o psiquiatra trabalha o doente como se ele fosse também….o cara estava cpm o gás da euforia mental, quantos iriam morrer dessa pandemia esquizofrênica

  4. Paulo Roberto disse:

    Esse Dória tem jeito, conversa e atitude de traíra. Com se fala no interior "caba de peia"!

  5. Paulo disse:

    BG
    Esse dória tem o sorriso nos lábios e o coração de lobo devorador. Todo cuidado é pouco. O show na televisão que ele tem feito diariamente não merece a menor credibilidade, está fazendo campanha politica antecipada.

  6. LEO disse:

    Cuidado com a RASTEIRA,Presidente!!!

  7. J.Dantas disse:

    Onde dinheiro e cacete for e não resolver, aumente gradativamente…em algum momento, resolve…kkkkkk

  8. Fernando Bastos disse:

    Cuidado Presidente, poderá está surgindo aí um novo ADÉLIO DÓRIA, reforça o colete porque poucos acreditam em milagres de santos de pau oco.

  9. Ivan disse:

    O nome disso é PRESIDENCIALISMO DE COALIZÃO…Deus nos ajude…

  10. Zé Povinho disse:

    Morde-assopra oportunista!

    • Neco disse:

      Bolsonaro briga com governadores: "bruto, inábil, ditador (ou sem moral), só quer saber de proteger os filhos, cadê o Queiroz, que impor suas pautas".
      Bolsonaro dialoga com governadores: "morde-e-assopra", tá se aproximando do centrão, já entregou ministérios por mdb/pp de porteira fechada, banana, frouxo, com medo do impitiman.
      Situações opostas, mesmo ódio dos perdedores. Vai ter mais em 26, abiguinhos.

VÍDEO: Confira íntegra de reunião de Bolsonaro, com Maia, Alcolumbre e governadores, por socorro aos estados

Trechos repercutidos:

 

“O motivo da reunião é unir a força de todos para enfrentar os problemas da crise. Ainda não sabemos o tamanho da sua dimensão. Sabemos que a pandemia em muito prejudicou não só o Brasil, mas o mundo todo”, afirmou o Presidente  Jair Bolsonaro
no início da reunião.

“Temos que trabalhar em conjunto. A pauta de hoje é a sanção de um projeto, que trata de uma continuidade de outras leis aprovadas de uma auxílio aos governadores de aproximadamente R$ 60 bilhões”, disse.

“Quando se fala que os trabalhadores informais e formais perderam muito, temos que falar da cota de sacrifício dos servidores. De não ter reajuste até dezembro ano que vem”, lembrou Bolsonaro.

“Deixo claro nesse projeto que as progressões e as promoções dos servidores públicos vão continuar ocorrendo normalmente. Essas não serão atingidas”, ressaltou o Presidente da República.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia(DEM-RJ), também se posicionou: “O projeto foi construído no Congresso Nacional junto com o Governo Federal. Esse é um momento muito importante no enfrentamento a crise. A união de todos vai criar, com certeza, as melhores condições para que possamos tratar da nossa recuperação econômica”.

“A sanção desse projeto une a todos e isso é o mais importante. Tenho certeza, Presidente Bolsonaro, que sua decisão em sancionar o projeto vai garantir as condições mínimas para que prefeitos e governadores possam proteger a sociedade desse vírus”, ressaltou Maia.

O presidente do Senado,  Davi Alcolumbre (DEM-AP), em sua fala na abertura do encontro, celebrou o consenso: “Fico muito feliz de participar desse momento histórico onde os atores envolvidos em um processo de reconstrução de um país estão sentados em uma mesa dialogando. Diferente do que muitos pensam, não há uma divisão entre o Executivo, Legislativo e Judiciário”.

SOCORRO FINANCEIRO A ESTADOS: Maia e Alcolumbre celebram reunião com Bolsonaro e governadores

Ao lado de Jair Bolsonaro, de máscara, Rodrigo Maia falou sobre a importância da ajuda aos estados e municípios em meio à pandemia da Covid-19.

“Reunião para mim muito importante. Uma união que simboliza a importância da nossa federação, dos nossos prefeitos, dos nossos governadores no enfrentamento da pandemia. Uma crise que tira arrecadação de todos os entes federados, da União ao menor município”, disse o presidente da Câmara.

“Esse projeto vem nessa linha, construído no Congresso, junto com o governo federal. A união de todos vai criar as melhores condições para que no segundo momento nós possamos tratar da nossa recuperação econômica.”

Alcolumbre: “Esta fotografia vai servir para aqueles que insistem em nos dividir”

Davi Alcolumbre se mostrou animadíssimo com o encontro entre Jair Bolsonaro e governadores.

Em tom de discurso de campanha, o presidente do Senado disse que a fotografia do encontro virtual servirá para “aqueles que insistem em nos dividir”.

“Esta fotografia vai servir para todos aqueles que insistem em nos dividir. Eles perderão, porque nós estamos unidos com o povo brasileiro, todos os Poderes.”

Depois, Alcolumbre falou em “construir pontes”.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tarcísio Eimar disse:

    Dinheiro, a alma do negócio

  2. Jailson disse:

    Já sei q a propina e caixa 2 vão rolar soltos

Bolsonaro organiza reunião com Maia, Alcolumbre, Toffoli e governadores

Foto: Marcos Corrêa/ Presidência da República

Em mais um gesto para sair do isolamento político, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tenta organizar uma reunião dos três poderes com os governadores do país. A ideia é que participem o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli.

“Provavelmente esta reunião será amanhã”, disse à CNN o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho, do MDB de Pernambuco.

“A ideia é uma reunião ampliada de todos os poderes”, declarou à CNN o líder do governo no Congresso, senador Eduardo Gomes, do MDB de Tocantins.

O principal assunto da reunião será os vetos que o Planalto pretende adotar no projeto de auxílio financeiro aos estados. O Congresso aprovou o pacote incrementando medidas em dissonância com o governo. O ministro da Economia, Paulo Guedes, então, pediu que trechos fossem vetados. Maia, que incluiu grande parte das mudanças, e Alcolumbre, relator da proposta, manifestaram incômodo com a possibilidade de veto. Ambos deixaram claro ao presidente a chance de o Congresso derrubá-los.Os chefes de poderes, porém, ainda não foram informados acerca de uma data.

A motivação do encontro são os vetos, mas evidentemente insere-se em um contexto maior. Trata-se de mais uma tentativa do presidente de tentar distensionar o ambiente político e sair do isolamento político no combate à pandemia do novo coronavírus.

O clima entre o presidente e os chefes dos estados piorou na pandemia. Bolsonaro passou a culpá-los pela piora na economia, uma vez que a ampla maioria deles adotou medidas restritivas de circulação de pessoas. O cerco se ampliou contra ele depois que o STF determinou que os governadores têm legitimidade para tomar as medidas que acharem melhor. Um dos piores momentos do tensionamento foi no final de março, quando o presidente se reuniu separadamente com governadores por região do país. Na ocasião, ele bateu boca com João Dória.

Bolsonaro ajudou a acirrar o clima, com críticas frequentes aos governadores. Mas no meio do caminho apareceram as acusações de Sergio Moro contra o presidente e a abertura de uma investigação no STF para apurar se ele interferiu politicamente na Polícia Federal. A partir daí, Bolsonaro passou ampliar seus apoios. Começou com a abertura de espaço no governo para o centrão. Na semana passada, reuniu-se com Rodrigo Maia, até então seu maior antagonista em Brasília.

Neste domingo (17) em Brasília, chegou até a mandar emissários para pedir a manifestantes em frente ao Palácio do Planalto retirassem faixas agressivas contra o Legislativo e o Judiciário. Nesse sentido, o encontro previsto para amanhã é mais um passo do Planalto na tentativa de desanuviar o ambiente político, desta vez com os governadores.

CNN Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    Todo pé podre põe a culpa no sapato.

  2. Ronald disse:

    O Bozo já até usando máscara. Pense!

  3. Cidadão pagador de impostos disse:

    Pode vir Mourão! A continuidade de Bolsonaro é só derrota p o país.

  4. Val Lima disse:

    O que o medo de um impeachment não faz…. Até semana passada o presidente metia o pau em todos e agora chama para conversar… É o primeiro sinal que os caminhos estão se fechando,e ele precisa abrir estradas (com o Congresso e o STF) para escapar da degola… O capitão tá feito bicho acuado…. Caso contrário estaria "atirando" como sempre fez… Situação muito difícil a dele….Agora é correr atrás do prejuízo antes que o pior aconteça (impeachment).

  5. Lobinho disse:

    Menino será que Fafá vai para essa reunião ??

  6. Santos disse:

    Tá podre, não tem jeito.
    Vai cair!

Bolsonaro admite que falou ‘PF’ na reunião e que ‘interferência’ visou a segurança familiar: “é bem claro”, diz

O presidente Jair Bolsonaro admitiu nesta sexta-feira (15) que falou a palavra “PF” na reunião ministerial do dia 22 de abril. Ele ressaltou, no entanto, que se posicionou para interferir em assuntos de segurança física de sua família, e não em temas de inteligência e investigações dentro da corporação.

No início da semana, Bolsonaro havia dito que não mencionou o termo “Polícia Federal” durante a reunião. O encontro ministerial é alvo de inquérito aberto no Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar denúncias do ex-ministro Sergio Moro de que Bolsonaro tenta interferir politicamente na PF.

O relator do caso, ministro Celso de Mello, vai decidir se torna público o inteiro teor do vídeo.Nesta quinta (14), a Advocacia-Geral da União divulgou a transcrição parcial da reunião, em que aparece o presidente falando “PF”. Bolsonaro reconheceu que o texto divulgado pela AGU corresponde à realidade.

“Eu espero que a fita se torne pública, para que a análise correta venha a ser feita. A interferência não é nesse contexto da inteligência, não. É na segurança familiar. É bem claro”, afirmou o presidente.

Apesar de Bolsonaro afirmar falou sobre questão de segurança familiar, a manifestação da AGU entregue ao STF mostra que o presidente reclamou da falta de informações da PF e declarou que iria “interferir”. A declaração transcrita parcialmente pelo governo, no entanto, não deixa claro como ele faria isso.

“E me desculpe o serviço de informação nosso, todos, é uma vergonha, uma vergonha, que eu não sou informado, e não dá para trabalhar assim, fica difícil. Por isso, vou interferir. Ponto final. Não é ameaça, não é extrapolação da minha parte. É uma verdade”, diz trecho da transcrição entregue pela AGU.

Negativas anteriores

No início da semana, Bolsonaro disse na rampa do Palácio do Planalto que ele não falava as palavras “Polícia Federal” na reunião.

“Esse vazador está prestando desserviço. Não existe no vídeo a palavra ‘Polícia Federal’ nem ‘superintendência’. Não existem as palavras ‘superintendente’ nem ‘Polícia Federal'”, afirmou o presidente na ocasião.

Depois, em depoimentos no inquérito, os ministros Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) disseram que Bolsonaro havia se referido à PF na reunião. Comentando especificamente o depoimento de Ramos, Bolsonaro afirmou que o ministro se “equivocou”.

Com G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carlos Henrique Chal disse:

    PF, para esse louco é prato feito.kkkkkkkkkkk

  2. Lurdes disse:

    MORO PRESIDENTE!!!!

  3. Ojuara disse:

    Mijou pra trás. Kkkkkkk
    Igual a Luladrao, pego na mentira.

  4. Leo disse:

    Estão dizendo q o PF q ele cita é Prato Feito, já q a reunião era antes do almoço.
    Sugestão pro gado defender seu mentiroso predidelo.

    • Anti-Político de Estimação disse:

      Também estão dizendo por aí que a sigla PF agora significa POLÍCIA DA FAMÍLIA, rsrsrsrsrsrsrsrs….

  5. IRANILSON disse:

    Bolsonaristas são irmãos siameses dos Lulistas.

  6. Manoel disse:

    Kkkkk
    Cadê o gado confuso pra passar o pano no miliciano?
    Presidente mais mentiroso q já existiu.

  7. Minha Opinião disse:

    Só não estou entendendo esse processo contra o Presidente pois tá na constituição que é prerrogativa do mesmo nomear os ministros e nesse caso específico o Diretor Geral da PF ,se tá na Lei pra que questionar ou será perseguição mesmo a nível Judiciário (PGR e STF) ou será que a lei foi feita e não serve de nada ,pois é o que percebo pelo ao menos é a minha opinião?

    • IRANILSON disse:

      A lei tb fala que não pode usar as instituições federais para beneficio próprio.

  8. Luiz disse:

    Disse, negou, desdisse e agora admite: no meu tempo isso se chamava mentiroso…
    Detalhe: quem faz a segurança do Presidente e sua família não é a PF, e sim o GSI (Gabinete de Segurança Institucional).
    Então, afinal de contas o que ele quis dizer com a PF “ajudar” a família dele???

  9. FRANCISCO disse:

    Todos os políticos ,sem exceção, são iguais nos objetivos conveniência pessoal e familiar. Uns com conhecimentos, outros desprovidos, analfabetos, grossos,… entretanto, á única preocupação é enriquecimento de vossa clã.

  10. Observador disse:

    é nesse vai e vem, nesse vai e vem, que a gente se da bem, que a gente se atrapalha

  11. Zanoni disse:

    Até dois dias, afirmava BOLSONARO pelos quatro cantos que não havia falado PF ou Polícia Federal. Isso é um louco e escroto. Suas palavras não se sustentam!!! VOTEI NESSE CARA PARA O PT NÃO CHEGAR AO PODER, MAS ESTOU VENDO QUE MERDA E MAU CHEIRO DE MERDA SÃO A MESMA COISA.

  12. Lobinha disse:

    Presidente volta atrás né? Feito couro p***, pra tentar se livrar de aros de improbidade administrativa, querendo inocentar ilegalmente sua família

“Zero preocupação. Nós fornecemos o vídeo na íntegra”, diz Bolsonaro, ao entregar material de reunião pela “verdade acima de tudo”

Foto: Reuters / BBC News Brasil

O presidente Jair Bolsonaro disse nessa segunda-feira (11) que tem “zero” preocupação com o vídeo da reunião citada pelo ex-ministro da Justiça Sérgio Moro em depoimento e que comprovaria que ele foi pressionado a trocar o comando da Polícia Federal. A gravação será exibida nesta terça-feira, 12, no Supremo Tribunal Federal (STF). O chefe do Executivo disse que decidiu entregar o vídeo pela “verdade acima de tudo.”

“Zero, zero (preocupação). Nós fornecemos o vídeo na íntegra. E não precisamos fornecer, no meu entender, porque não é um vídeo oficial. Até para provar que nada devemos no tocante ao inquérito.”

O chefe do Executivo disse que poderia ter alegado que o vídeo não existia mais. “Filmou-se, como sempre, para aproveitar algumas imagens. Eu podia falar que não tem mais o vídeo. Não tenho obrigação de ter o vídeo. Não é o vídeo da entrada da portaria da presidência. É um vídeo reservado, mas eu resolvi assumir. A verdade acima de tudo.”

Até entregar a integra ao ministro Celso de Mello, a Advocacia-Geral da União alegou que se tratava de “assuntos potencialmente sensíveis de Estados” e pediu para remeter apenas trechos. Por fim, pediu que a divulgação se restringisse aos trechos do inquérito.

Bolsonaro justificou que pediu para divulgar apenas trechos de interesse do inquérito da PF, porque estava em uma reunião reservado em que tratou de temas política internacional e segurança nacional. Ele ainda reconheceu que usou termos poucos polidos.

“Claro que se fosse uma conferência ou um evento não seria tratado daquela forma bruta, seria uma forma mais polida. Agora é justo expor o que falamos de política externa, assunto de segurança nacional? Aí não dá. Complica a situação. Eu espero que não aconteça. Esperamos que os demais poderes atuem de forma responsável”, disse.

Terra, com Estadão

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. TÁ OK disse:

    O dinheiro do cartão deve estar pagando a casa de Queiroz no Morumbi. Mais forte do que Moro é esse Queiroz.

  2. Rai S SILVA disse:

    Lucas, já foi confirmado que o gasto do cartão foi com aviões pra mandar buscar seus manos braseiros fora do país, e o exame já foi comprovado negativo, peça mais um pra ir ter direito a música no fantástico, aguenta Lucas é até 2027.

    • WellingtonB disse:

      Nada disso foi confirmado, foi apenas dito por Bolsonaro e, se foi ele quem disse, a chance de não ser verdade é imensa. A palavra do Bozo não tem valor nenhum. Se quer mais uma, falta também ele comprovar a alegada fraude nas eleições. Duvido que prove qualquer uma dessas MENTIRAS.

  3. Cidadão pagador de impostos disse:

    100% do q o governo Bolsonaro fala é mentira

  4. Lucas disse:

    Presidente, aproveita o ensejo e libera também pra gente o resultado do exame e o extrato do cartão corporativo. Assim você demonstra que não usa esse lema de campanha só quando lhe é conveniente, taokey?

    • Fernando disse:

      Ô Lucas, não meça JB pela régie do seu presidiário de estimação…

AGU pede para entregar somente parte do vídeo de reunião com Bolsonaro citada por Moro: “para que restrinja apenas e tão-somente a eventuais elementos que sejam objeto do presente inquérito”

Foto: Sérgio Moraes/AscomAGU

A Advocacia-Geral da União (AGU) pediu ao ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF) autorização para entregar à Corte somente parte das gravações da reunião no Palácio do Planalto no dia 22 de abril.

O encontro foi citado no depoimento do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, no inquérito que investiga a suposta interferência do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal.

No segundo pedido sobre o tema ao STF, a AGU pediu ao relator do inquérito que reconsidere “a ordem de entrega de cópia de eventuais registros audiovisuais de reunião presidencial ocorrida no dia 22 de abril de 2020, para que se restrinja apenas e tão-somente a eventuais elementos que sejam objeto do presente inquérito”.

A reunião foi realizada no dia 22 de abril, e teve a presença do presidente Jair Bolsonaro, o vice, Hamilton Mourão, de Moro e outros ministros.

No primeiro recurso ao STF, apresentado na noite desta quarta-feira (6), a AGU tinha pedido ao ministro Celso de Mello para reconsiderar a ordem de entrega dos dados relativos ao encontro. Argumentou que na reunião “foram tratados assuntos potencialmente sensíveis e reservados de Estado, inclusive de Relações Exteriores, entre outros”.

A decisão do relator é da última terça-feira (5). A gravação solicitada pelo ministro refere-se ao trecho do depoimento em que Moro afirma que, durante o encontro, o presidente cobrou a substituição do superintendente da PF do Rio de Janeiro e de Valeixo, além relatórios de inteligência e informação da PF.

Na mesma reunião, o presidente disse que, se não pudesse trocar o superintendente da PF do Rio de Janeiro, poderia então trocar o diretor-geral e o próprio ministro da Justiça. Essas reuniões eram gravadas e tinham participação de todos os ministros e servidores da assessoria do Planalto.

Na determinação, Mello afirmou: “As autoridades destinatárias de tais ofícios deverão preservar a integridade do conteúdo de referida gravação ambiental (com sinais de áudio e de vídeo), em ordem a impedir que os elementos nela contidos possam ser alterados, modificados ou, até mesmo, suprimidos, eis que mencionada gravação constitui material probatório destinado a instruir, a pedido do Senhor Procurador-Geral da República, procedimento de natureza criminal”.

Investigações

Moro prestou depoimento de mais de oito horas no sábado (2) na Superintendência da Polícia Federal (PF), em Curitiba. Ele foi questionado sobre as acusações de que Bolsonaro tentou interferir no trabalho da Polícia Federal (PF) e em inquéritos relacionados a familiares. As acusações foram feitas pelo ex-ministro quando ele anunciou sua saída do governo, em 24 de abril.

O depoimento de Moro foi motivado por inquérito aberto pelo ministro Celso de Mello, a pedido da Procuradoria Geral da República (PGR), a fim de apurar se Bolsonaro tentou interferir politicamente na PF.

Essa suposta interferência foi a razão apontada por Moro em pronunciamento para ter deixado governo. O ex-ministro fez esse anúncio quando o “Diário Oficial da União” publicou a exoneração do diretor-geral da PF, delegado Mauricio Valeixo. Segundo o ex-ministro, ele não tomou conhecimento prévio da demissão do diretor.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Santos disse:

    Negativo…. entreguem tudo.
    Num é arrochado? Então que se segure.

  2. WellingtonB disse:

    Argumento pra quem pensa que todo mundo é menino bobinho. Celso de Melo, como relator do processo, deve ter acesso a todo o vídeo e restringir a utilização e eventual divulgação aos trechos que constituem a prova em questão. Edição desse material seria outro crime passível de punição. Quem escolheria os trechos importantes, o Bozo e seu batalhão?

  3. Manoel disse:

    Tá com medo de que, capitão fajuto?

  4. Anti-Político de Estimação disse:

    Quem não deve, não teme. Quanto mais os assessores do Presidente ficarem escondendo os fatos, mais alimentarão rumores e suposições.

  5. IRANILSON disse:

    Estão querendo editar o vídeo, ai eu pergunto, quem é que ta mentindo, quem falou do vídeo ou quem quer esconder o vídeo?

Reunião com Bolsonaro sela permanência de Regina Duarte

Foto: Isac Nóbrega / PR

Uma reunião com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) selou a permanência da atriz Regina Duarte no cargo de secretária-especial da Cultura nesta quarta-feira (6). Ela se reuniu, às 11h, com o residente do Palácio da Alvorada e com Marcelo Álvaro Antônio, ministro do Turismo.

No encontro, segundo fontes, o presidente conseguiu reverter o desgaste que vinha tendo com a secretária. A conversa entre presidente, secretária e ministro foi classificada por auxiliares como “ótima”. A atriz continua no cargo e aproveitou o encontro para apresentar projetos.

Bolsonaro afastou a possibilidade de volta de Dante Mantovani para a presidência da Funarte. A nomeação dele de volta ao cargo foi publicada e depois tornada sem efeito nesta terça-feira. O ato desagradava Duarte, que tirou Mantovani do cargo ao assumir a secreataria especial de Cultura.

Duarte estava numa situação delicada por não ter muito diálogo com Bolsonaro e por não apresentar ações práticas em sua área. Críticos argumentam que não há, até o momento, um projeto de grande porte feito pela atriz, que comanda a secretaria há quase dois meses.

Antes de assumir o posto, Duarte tratava do pedido feito pelo presidente como um “casamento”. A atriz foi convidada para assumir a pasta ao menos duas vezes.

O “sim” dito pela atriz ocorreu em 29 de fevereiro e a posse, 4 de março. A expectativa inicial era de que Duarte apaziguasse a relação entre governo federal e a categoria.

Regina Duarte assumiu o posto antes comandado por Roberto Alvim, demitido em 17 de janeiro após publicar um vídeo em que copiava trechos de um discurso nazista e utilizava diversos elementos em referência ao regime totalitário, como o música de Richard Wagner, artista antissemita associado ao nazismo.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. André Nascimento disse:

    Por enquanto… Daqui a pouco entrará no rol dos Comunistas

  2. Manoel disse:

    Já tirei ela da minha lista de novos comunistas, talkei! 😂😂

    • Maria disse:

      Eu avisei que ele não gosta de trabalhar com mulher, aguenta Tereza Cristina por causa do partido, fui criiitiiicaaaasda. Vamods pra frente.

FUTEBOL: Em reunião, CBF confirma retorno dos treinos depois do dia 30

Foto: Lance! Galerias

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) divulgou na madrugada desta quarta-feira (29) que aprovou o retorno das atividades dos clubes para depois de 30 de abril, quando terminam as férias dos jogadores. Em nota, a confederação disse ainda que a volta dos Estaduais está nas mãos das federações locais. A tendência é que as disputas comecem em 16 e 17 de maio.

A decisão saiu depois de uma reunião por vídeochamada entre a CBF, as 27 federações e a Comissão Nacional de Clubes. A confederação, as federações e o órgão com atuação independente entenderam que cabe a cada clube avaliar o cenário para retomar os treinamentos com o plantel.

“O compromisso das entidades é construir um calendário e protocolos para a retomada gradual das competições, a começar pelos campeonatos estaduais, ainda sem data definida. Ficou assegurada a autonomia das Federações Estaduais na condução dessas medidas junto às autoridades de saúde, respeitando as características e o momento vivido por cada Estado em relação à pandemia”, diz a nota.

Na última segunda, a equipe econômica do governo federal afirmou que os campeonatos de futebol serão retomados “em breve”, desde que os jogos não tenham impacto sobre a saúde.

“Será em breve, porque o povo brasileiro está em casa e quer assistir a seu jogo de futebol. Os campeonatos têm que continuar e, assim que as condições forem propícias, eles irão continuar”, disse o secretário especial de produtividade e competitividade, Carlos da Costa.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rafael disse:

    Acabou o Big Brother, a GLOBOLIXO precisa faturar.

  2. Cidadão Indignado disse:

    Pense numa decisão IRRACIONAL!

    • pelé disse:

      Pense numa decisão acertada. Vá trabalhar!

    • Carlão disse:

      Pense numa decisão polêmica. Se os treinos e jogos forem sem torcida com o mínimo de pessoas, talvez dê certo.

    • François Cevert disse:

      Não vai rolar a bola pela tendência de aumento da pandemia infelizmente esse plano vai ficar pra depois.

FNF marca reunião com clubes para definir volta aos treinos

Foto: Divulgação

O presidente da Federação Norte-rio-grandense de Futebol, José Vanildo da Silva, participou de vídeo reunião com a cúpula da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a maior parte dos presidentes das outras federações do Brasil.

Na CBF, estavam o presidente da entidade, Rogério Caboclo e o secretário-geral, Walter Feldmann, que orientaram que os treinos visando a volta dos Estaduais sejam retomados, respeitando as autoridades sanitárias  de cada estado.

José Vanildo fez um balanço da vídeo reunião. “A orientação e o entendimento comum é que deve-se entrar em contato com os Governos Estaduais e expor a necessidade da retomada das partidas de futebol, dentro das devidas recomendações sanitárias, como jogos de portões fechados e seguindo aquelas recomendações que foram expostas no Plano de Ação que enviamos para os cubes”, informou o dirigente.

O presidente lembrou ainda que existe o Decreto do Governo do Rio Grande do Norte que mantém restrições até o próximo dia 5 de maio. “Logicamente que o decreto será respeitado, deve ser respeitado. Mas vamos marcar uma reunião para a próxima quinta-feira (30) com os oito clubes da Série A1, com um representante de cada clube guardando os cuidados necessários. Será uma reunião fechada apenas com um representante de cada clube”.

A CBF entende que é necessário que os Estaduais sejam retomados para garantir participações em competições de âmbito nacional.

Ainda não existe data para a retomada dos jogos oficiais, o primeiro passo será definir a volta dos treinos e as atividades dos clubes de futebol.

Com FNF

Nelson Teich convida secretários de Saúde dos estados para reunião

FOTO: IGO ESTRELA/METRÓPOLE

Nelson Teich convidou todos os secretários de Saúde dos estados para uma reunião por videoconferência nesta quinta-feira (30), informa a Folha.

A agenda foi marcada após o novo ministro da Saúde sofrer críticas dos secretários. Teich não havia conversado com a maioria dos gestores desde sua posse, em 17 de abril.

Antes, na quarta-feira (29), Teich encontrará Alberto Beltrame, secretário de Saúde do Pará e presidente do Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde), e Wilames Freire, presidente do Conasems (Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde).

Os secretários aprovaram a entrevista coletiva dada por Teich nessa segunda-feira (27). Eles disseram que, pela primeira vez, a nova gestão falou em priorizar vidas, em SUS, em estados e munícipios, em vez de falar de planilhas de custos administrativos e planos de retorno à normalidade.

O Antagonista, com Folha de SP

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    Pode não ser, mas esse novo ministro da Saúde tem cara de coveiro.

  2. RICARDO LÚCIDO disse:

    Rapaz ! Uma foto desse ministro com o nosso secretário pode ser a solução para essa pandemia . Esse vírus vai tomar um
    Susto grande ! Pode acreditar .

  3. José disse:

    Esse atraso na saúde, pagaremos com vida!