Estudo em Bangladesh destaca eficácia da ivermectina no tratamento da COVID-19 de leve a moderado

Foto: Ilustrativa

Após Egito e Brasil, mais um estudo destaca a eficácia da Medicina contra a covid. Conforme destaque, Colégio de Médicos e Cirurgiões do Jornal de Bangladesh aceitou a primeira série de estudos de caso de autoria do Dr. Tarek Alam trabalhando com o Colégio Médico de Bangladesh.

O TrialSite apresentou esses resultados após uma entrevista com o Dr. Alam. Intitulada ” Uma série de casos de 100 pacientes positivos para COVID-19 tratados com combinação de ivermectina e doxiciclina “, a conclusão revisada por pares sugere que a combinação de ivermectina e doxiciclina é muito eficaz na eliminação viral de pacientes com COVID-19 leve a moderadamente doentes. Veja abaixo íntegra de matéria local, traduzida via Google.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jeam disse:

    Os Autralianos desde fevereiro que estudam a IVERMECTINA infelizmente qui na possilca Brasil fizeram a maior bagunça e não estudaram em comprovaram nada..só média para aparecerem..

  2. joao disse:

    Sindrome de país subalterno.. precisamos de pesquisas de fora sobre a ivermectina para comprovar o que ja se fazia aqui sob muitas criticas…. Essas pesquisas apenas demonstram que o tratamento precoce nos primeiros sintomas salvam vidas… e que o fique em casa sem tratamento pode ter difundido a doenca e matado muita gente nos primeiros meses. Nao é a toa que desde maio os indices estabilizaram e depois caíram graças os protocolos de algumas prefeituras.. Medicina de observacao pode ser melhor que a medicina de papel e de nomes.

    • Raimundo disse:

      Mandetta falava p procurar o médico só se estivesse com falta de ar

Mulher é encontrada viva em escombros 17 dias após desabamento em Bangladesh

Quando parecia não haver mais esperança, uma mulher foi encontrada viva 17 dias após o desabamento de um edifício em Bangladesh, que deixou mais de mil mortos. Ela foi resgatada nesta sexta-feira e levada às pressas para o hospital, sob os aplausos da multidão. Identificada como Reshma, a sobrevivente foi encontrada no porão do prédio.

As equipes de resgate ordenaram que guindastes e escavadeiras parassem imediatamente o trabalho. Eles usaram serras manuais para tirá-la dos escombros. Abdur Razzak, do departamento de engenharia das Forças Armadas, disse que ela estava bem e conseguia andar.

Mais de duas semanas após o acidente, os corpos ainda estão sendo retirados dos escombros do complexo Plaza Rana. Nesta sexta-feira um porta-voz da sala de controle de coordenação da operação informou que o número de pessoas mortas subiu para 1.038.

Cerca de 2.500 pessoas foram resgatadas do prédio, no subúrbio industrial de Savar, a cerca de 30 quilômetros a nordeste de Daca, incluindo muitos feridos, mas não há um número oficial estimado dos desaparecidos no desastre.

A queda do prédio no dia 26 de abril foi o pior acidente industrial do mundo desde o desastre de Bhopal, na Índia, em 1984, e mais corpos podem estar entre os escombros.

 

Número de mortos no desabamento em Bangladesh ultrapassa 500

O número de mortos em decorrência do desabamento de um prédio comercial em Dacca, capital de Bangladesh, ultrapassa 500 pessoas. Segundo o Exército, mais 20 corpos foram retirados dos escombros durante a madrugada, elevando o total de vítimas para 501. O edifício Rana Plaza abrigava cinco fábricas de roupas, um banco e um supermercado e desabou no dia 25, registrando o maior acidente trabalhista no país.

Ontem (2), a polícia de Bangladesh prendeu um engenheiro supostamente envolvido na tragédia. Abdur Razzak Khan trabalhou como consultor para o proprietário do Rana Plaza, Mohammed Sohel Rana, e é suspeito de ter acrescentado novos andares ao prédio de forma ilegal. Segundo a imprensa do país, Khan foi chamado para inspecionar o prédio quando a estrutura apresentou rachaduras no dia 24 de abril, um dia antes de desabar.

Pelas informações oficiais, aproximadamente 2,4 mil (mais…)