Agora é pra valer: Alunos do curso de Medicina da UnP entram com ação na Justiça contra a perda de mais de duas mil horas-aulas na grade curricular

Foto: Divulgação

O advogado Francisco Marcos de Araújo ingressou na Justiça com uma ação, em nome dos estudantes do curso de Medicina da Universidade Potiguar (UnP), para a reposição de mais de uma duas mil horas-aulas que foram suprimidas pela instituição este ano. De acordo com Araújo, a UnP cancelou convênios de estágios, demitiu professores experientes e diminuiu as aulas de laboratório, comprometendo a parte prática do curso. Confira todos os detalhes no Justiça Potiguar clicando aqui.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Erllon disse:

    Mecheram para lá, mecheram para cá, tiraram os melhores, ficaram as borréias. Pessoas que pensão primeiro em sí, segundo na instituição e por último no aluno. A principal peça defeituosa dessa instituição não foi trocada, Aquela que sempre buscou agir pelo lado da politicagem.

  2. Angelo disse:

    UnP sendo UnP. Ela fez e faz isso com todos os cursos. Só que dessa vez achou um perfil de aluno que gosta de cumprir programas.
    Ja vi essas reduções de carga horária em diversos cursos. Agora pergunta se houve redução de valor de mensalidade.

  3. TALES disse:

    Imaginem os médicos formados por essa "Universidade", menos 2.000 horas de aulas? será que terminam o curso sabendo fazer uma massagem cardíaca?

  4. Ivan disse:

    O q estão esperando p/suspender o curso é buscar colocação em outra universidade?

  5. Getro disse:

    É a conta do PT chegando……

  6. Getro disse:

    O pior é que começou a chegar a amortização, ou seja, a prestação em si que gira em torno de R $ 2.000,00( mensal), o pessoal não conseguia pagar nem os 51 reais de juros trimestral.

  7. EMJ disse:

    Impressionante como uma péssima gestão poderá destruir o único curso da UNP que ainda era muito lucrativo. Estão visando lucros e se auto-destruindo…

  8. Cidadão Atento disse:

    PRIVATIZA QUE É BOM!
    TUDO QUE É PRIVATIZADO NÃO É MELHOR?

    • Ceará-Mundão disse:

      O fato de ser uma instituição privada é que permitiu aos alunos reivindicarem seus direitos por via judicial. Há incontáveis problemas nas instituições públicas, sempre acobertardos pelo próprio corporativismo dos seus servidores. Nem mesmo o recurso à justiça é eficaz para a solução desses problemas. Quando afeta o nosso bolso, quando estamos pagando a coisa é bem diferente.

  9. Flavio disse:

    A qualidade do ensinou piorou muito nesses últimos dois anos. Inúmeros professores com excelentes qualificações foram demitidos e substituídos por professores mais novos com pouca experiência e quase sempre sem qualificação, assim fica difícil.

  10. Cabo Silva disse:

    Passem na SECRETARIA e CANCELEM a matrícula, ora pois!

    • Danilo disse:

      isso não é academia e nem curso de inglês pra trancar assim não amigo.

    • Everton disse:

      Rapaz, diante do tutu investido e da ausência de ofertas privadas, não dá certo fazer isso.

  11. José disse:

    Quando a Laureate e seus boçais gestores locais sairem de cena o quadro muda!
    Povo que só vê dinheiro e apadrinhamento. Existem umas histórias cabeludas de promoções via favores não muito ortodoxos.

    • Erllon disse:

      Que a vara dos momos que o diga. Taí o fumo entrando agora. Pior que teve gente que para atender esses requisitos até mudou de religião.

  12. clara disse:

    Mas a saída é fechar as federais….

  13. Bernardo disse:

    A UnP depois que foi vendida, entrou em decadência

Mais de 100 alunos de Medicina da UnP vão entrar na Justiça contra a redução de mais de duas mil horas-aulas na grade curricular, destaca portal

Mais de 100 alunos do curso de Medicina da Universidade Potiguar (UnP) se uniram com a finalidade de ingressar com uma ação, na Justiça, contra o corte de mais de um terço grade curricular. Os alunos, que pagam uma mensalidade no valor de R$ 7.463,73, também vêm sendo penalizados por outras duas decisões da UnP: a substituição de professores mais experientes por mais jovens, e principalmente pelo cancelamento de convênios para estágio, com destaque para o Hospital Infantil Varela Santiago. Todos os detalhes você confere no Justiça Potiguar clicando aqui

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. eduardo disse:

    Vocês perdem muito o foco do problema, tirem o PT da boca, seu líder tá preso, o real motivo da redução da carga horaria é outro.

  2. Alan disse:

    Não só o curso de medicina , mais em todos os cursos a unp não passa o horário certo , nem de aulas , nem de estágio , pois sou aluno de radiologia e não temos a grade de horários certas .

  3. Carlos Bayer disse:

    É muito mimimi sem futuro.
    Ô meu fi, a Universidade é privada. Num ta gostando não? Ora, cai fora!!!
    E tem mais, se estivesse indo de encontro às normas emanadas pelo MEC perderia a licença de instituição de ensino.

  4. Cigano Lulu disse:

    Pelo visto a maioria aqui tem alma de sindicalista pelego: adoram um emprego, se possível "equipado" com estabilidade para garantir um robusto calendário de greves.
    Já trabalhar e produzir, que gera crescimento econômico e aumento da renda per capita, nem todos estão dispostos.
    Nem ousarei falar de cultura empreendedora, algum mais afoito pode sacar um revólver.

  5. Cabo Silva disse:

    1. O caminho para os insatisfeitos não é a JUSTIÇA! Cancelem a matrícula!
    2. Estude pro ENEM e tenta UFRN!
    3. Bons estudos!

  6. Antonio Turci disse:

    A UbP, até onde sei, è uma instituição de ensino privada. Não sei o que o Dr. Rogério Marinho tem a ver com isto. O erro é a ganância da instituição.

    • Rômulo© disse:

      Como o Rogério Marinho não tem nada a ver!? Os professores estão sendo demitidos em função da lógica da reforma trabalhista: a precarização dos vínculos trabalhistas! É mais barato pagar trabalhador intermitente! E se preparem que muitas outras empresas farão o mesmo! Quem sabe seu emprego está na reta?!

  7. Amo os Minions disse:

    A culpa disso é do PT!!!!

    • Severino disse:

      Em certa medida, sim. É mais um estouro de bolha de crédito que serviu para dar grana às mantenedoras e massificar o ensino em detrimento da qualidade..

  8. Paulo disse:

    SEM CONTAR OS ALUNOS QUE SÃO REPROVADOS EM DISCIPLINAS OPTATIVAS. SENDO FORÇADOS A GASTAREM MAIS DINHEIRO PARA FINALIZAREM O CURSO.

    UMA VERGONHA!!!!

  9. willian disse:

    Viva Temer que, juntamente com Rogério Marinho, precarizou o emprego com a reforma trabalhista que "geraria" 6 milhões de emprego. Não gerou um emprego sequer (pegaram os professores em cheio – paga-se agora R$ 15,00 por hora-aula) e Bolsonaro com o mesmo Rogério Marinho que vão acabar de fuder tudo com a reforma da previdência. Viva a direita !!!!!
    Mas tiraram o PT. Faz-me rir !!!!

    • Rodrigo disse:

      Pare de choro. Se a universidade é ruim, estude e passe em outra melhor. Se deixarem de ir para UNP, quero ver não melhorarem a qualidade.
      Ficam lá pq querem.

    • Manoel disse:

      Deve ser um petista… um comentario desses. Nada haver com Temer (vice de Dilma/PT) ou Rogerio Marinho, este um excelente politico. A questao é a crise de anos mal administrada pelo PT, que deixou muitas empresas endividadas e muita inadimplência devido ao Fies. Basta comparar a taxa Selic do PT de 14,75% com a atual de 6%. A propria laurent teve problema em outros locais e esta se preparando pra vender a universidade, devido ao baixo retorno de investimento e dividas. Gostaria muito que funcionarios publicos e petistas doassem suas economias pra gerarem empregos pra saber como funciona o sistema privado brasileiro; em vez de colocar a culpa na reforma trabalhista, que ajudou a deixar o país mais seguro pra quem investe.

Cientistas criam primeiro ‘líquido magnético’, que pode revolucionar a medicina

A nova descoberta permite atacar as células doentes de forma mais eficaz. (Getty Images)

A ciência nunca tinha criado um material que fosse ao mesmo tempo líquido e com propriedades magnéticas.

Agora, um grupo de cientistas do Laboratório Nacional Lawrence Berkeley (mais conhecido como Berkeley Lab), nos EUA, conseguiu combinar as duas coisas em um material – e as possíveis aplicações são inúmeras.

A equipe, liderada pelos cientistas Tom Russell e Xubo Liu, usou uma impressora 3D modificada para criar a substância.

A pesquisa “abre a porta para uma nova área na ciência da matéria branda magnética”, disse Russell, que é professor de ciência de polímeros e engenheiro da Universidade de Amherst, em Massachussets, nos EUA.

Em termos concretos, a substância pode provocar uma verdadeira revolução em campos como a medicina e a robótica.

As gotas líquidas magnéticas podem ser guiadas por meio de ímãs externos – o que permitiria “guiar”, do lado de fora, medicamentos dentro do corpo humano. Este procedimento permitiria combater melhor doenças específicas – como o câncer, por exemplo.

No campo da robótica, o novo material permitiria a criação de máquinas mais ágeis.

“Esperamos que a partir desta descoberta as pessoas encontrem ainda mais aplicações. Já que, dentro da ciência, nunca se pensou que isto fosse possível”, disse Russell.

Precedentes

Na década de 1960, a agência espacial dos EUA, a Nasa, começou a empregar substâncias chamadas de “ferrofluidos” – líquidos que reagiam ao estímulo de forças magnéticas.

Hoje, os ferrofluidos são usados para amortecer impactos em alguns tipos de autofalantes e os discos rígidos de computadores.

O problema é que eles são incapazes de manter o seu magnetismo quando os imãs que os estimulam são removidos.

E esta é a principal vantagem da nova criação dos americanos do Berkeley Lab, ligado ao Departamento de Energia do governo dos EUA.

Como a nova substância foi obtida?

Para criar o magnetismo, os cientistas do Berkeley Lab primeiro produziram algumas gotas de uma solução de ferrofluido que também continha nanopartículas de óxido de ferro.

Depois, usaram técnicas atômicas avançadas e uma bobina magnética, fizeram com que as nanopartículas de óxido de ferro assumissem o formato de “pequenas conchas maciças”. Uma vez que o estímulo magnético era retirado, estas “conchinhas” continuavam gravitando umas em torno das outras de forma uníssona. Ou seja, as gotículas de ferrofluido tinham se tornado magnéticas de forma permanente.

Os cientistas também comprovaram que estas “gotas” mantinham suas propriedades atrativas mesmo depois de serem divididas até o tamanho de um “pelo humano”.

Outras propriedades dessas gotas incluem a mutação de suas formas para se adaptar a qualquer ambiente e a possibilidade de “ativar e desativar o modo magnético”.

Uma vez que as fundações foram lançadas, a pesquisa continuará com a impressão 3D de fluidos magnéticos mais complexos, como células ou robôs em miniatura que podem se mover com fluidez para transportar medicamentos para células doentes dentro do corpo humano.

BBC Brasil

 

UFRN forma centésima turma de Medicina na noite desta segunda

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) realiza a Colação de Grau da centésima turma do curso de Medicina da instituição de ensino, com um total de 48 formandos, nesta segunda-feira, 23, às 20h, no Boulevard Recepções e Eventos, localizado em Nova Parnamirim.

A turma denominada de “Dr. Emerson Arcoverde Nunes” terá como patrono Robinson Dias de Medeiros e como paraninfo Alexandre Henrique Bezerra Gomes, além de prestar homenagem a cerca de 20 professores.

Atualmente, a UFRN oferta o curso de Medicina em Natal e na Escola Multicampi de Ciências Médicas (EMCM), que ocorre de forma presencial, com um total de 737 alunos ativos e 326 docentes vinculados ao curso.

60 anos

Completando 60 anos de criação, a UFRN tem o curso de Medicina como um dos pioneiros, juntamente com outras faculdades e escolas de nível superior, como a de Farmácia, Odontologia, Direito, Filosofia e Serviço Social, que integraram os primeiros cursos oferecidos pela universidade.

Com informações da UFRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Aldair Paiva disse:

    Parabéns a UFRN, formandos , e em especial ao Prof. Dr. Emerson Arcoverde, pela sua dedicação constante de transmissão de boas práticas pelo exemplo.

Aluno corta redes sociais e passa em nove universidades de medicina

Ângelo Thomaz Duarte Cavalcante, de 20 anos ficou ‘desaparecido’ do ambiente digital no último ano. Desativou suas contas nas redes sociais e restringiu as saídas de fim de semana com os amigos. Cortou até o celular. Tudo isso por um objetivo: ser aprovado em medicina na Universidade de São Paulo (USP). E o esforço valeu a pena. Além da USP, Angelo foi aprovado em outras oito universidades de medicina, sendo quatro públicas e gabaritou nas disciplinas de biologia e química na Fuvest. O morador de Suzano é o primeiro da família a estudar numa universidade pública e a cursar medicina.

O segredo, segundo ele foi tomar uma atitude dolorida, mas bem simples: sair das redes sociais e cortar o celular. “Eu resolvi ficar bem focado nos estudos. Não foi fácil, porque eu só estudava. Cortei celular, desativei minhas contas nas redes sociais e quase parei de sair de casa. A rotina era de 14 horas de estudo ou mais, mas valeu à pena”, contou.

O morador de Suzano fez o ensino médio na Etec Presidente Vargas, em Mogi das Cruzes, que apesar de pública, seleciona seus alunos por meio de um exame. Quando terminou, há dois anos,s já engatou no cursinho. “Eu já sabia que queria fazer medicina desde os 16. Eu tinha outras opções, mas conforme fui crescendo, fui tendo certeza de que não me vejo fazendo outra coisa. Meus pais me deram condições para que eu só estudasse, em casa tem um ambiente legal pro estudo, então tudo favorecei”, detalhou.

A rotina era pesada: cursinho a partir das 7h20 até as 13h30, pausa para voltar pra casa, almoçar e descansar, e cara nos livros a partir das 15h30 até 23h30 em alguns dias. “Peguei um ritmo legal de estudos, então fazia essa rotina de segunda à sábado e descansava aos domingos. Nos domingos que eu precisava estudar, fazia isso em um horário reduzido”, disse. A lista de aprovação contempla nove universidades, sendo: USP, Unifesp, Unicamp, Federal de Goiânia, Unicid, PUC Sorocaba, PUC Campinas, Anhembi Morumbi e Santa Casa.

Na PUC Sorocaba, foi aprovado em 1° lugar e ganhou uma bolsa de 50%. Na unidade, o aluno também gabaritou em matemática. Na Fuvest, prova que lhe deu acesso à USP, Ângelo gabaritou em Biologia e Química na 2° fase. Na Unicamp, gabaritou em Física. “Estudei com mais afinco essas matérias porque são as três disciplinas obrigatórias e mais exigidas no currículo pra medicina: biologia, química e física. Dei atenção para as demais matérias também, mas foi bom acertar todas as questões nessas com mais peso pra carreira” disse. Na Unicid, além de ter ficado em 3° lugar, tirou 9,2 em redação.

Angelo ainda aguarda detalhes sobre alguns vestibulares, mas já escolheu onde vai estudar e, por enquanto, qual carreira dentro da medicina seguir. “Vou pra USP que é o meu sonho. O resultado saiu dia 2 (de fevereiro), mas a ficha nem caiu ainda. Penso em ser cirurgião, mas pode ser que a convivência na área me faça mudar de ideia”, disse.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Douglas Duarte disse:

    Parabéns Angelo !
    Meu sonho estudar na graduação Faculdade de medicina Albert Einstein SP uma das melhores faculdades do Brasil , prioriza o mérito, tem profissionais magníficos além da estrutura fantástica, ainda possuem mestrado e doutorado stritu sensu !
    A dificuldade é a alta concorrência entre 150 a 200 cand/vaga , porém esforçando-se é possível !

  2. silveira disse:

    parabéns !

  3. luiz disse:

    Será que ele vai ainda conseguir vaga nos Mais Médico????? Kkkkk

Zika pode ter relação com outras complicações congênitas, dizem pesquisadores

aedesO vírus Zika pode estar associado a outras alterações congênitas, além da microcelafalia. É o que aponta mais um estudo feito por pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e do Instituto de Pesquisa Professor Joaquim Amorim Neto, Ipesq, na Paraíba.

Em coletiva de imprensa no campus do Fundão da UFRJ, na zona norte, os pesquisadores da instituição, Amilcar Tanuri e Rodrigo Brindeiro, explicaram que ao analisar o líquido amniótico e tecidos cerebrais de bebês, foi encontrada uma série de outros problemas no cérebro e em outros órgãos do bebê, incluindo lesões oculares.

Os bebês foram acompanhados em Campina Grande (PA). As amostras analisadas em laboratórios da UFRJ e da Fiocruz.

Dos oito fetos acompanhados durante a gestação, dois tinham o vírus no tecido cerebral e acabaram morrendo 48h depois do parto. Um deles não tinha microcefalia, mas o tecido cerebral estava severamente comprometido. Todos os bebês que sobreviveram tinham microcefalia e em dois deles foram encontrados Zika. O sangue dos outros quatro ainda serão analisados.

“A novidade da análise é que a infecção do vírus Zika no cérebro pode ter uma gama de alterações, desde implicações simples a alterações graves, como as lesões destrutivas que causaram a morte dos dois bebês”, disse Tanuri, que é especialista em genética de vírus. “Estamos tentando sistematizar uma síndrome congênita do Zika e tentar ajudar os colegas a identificá-la em outros casos”, afirmou.

Eles ressaltaram que os números de casos são muito pequenos e que há muito ainda a ser estudado, para que seja possível garantir causa e efeito entre Zika e microcefalia.

“Na história da medicina, todas essas doenças congênitas demoraram um longo tempo para serem desvendadas”, comentou Tanuri. Ele disse que, até o momento, a estimativa é que haja de dois a cinco bebês com microcelafalia a cada 100 grávidas infectadas com Zika.

Para os pesquisadores, o estudo é importante para lançar luz sobre o problema para pesquisadores no Brasil e pelo mundo. “Precisamos formar um padrão. O próximo passo será estudar como o Zika agride o tecido cerebral.”

Outra descoberta foi que todos os vírus que circulam na América Latina são idênticos, com base no sequenciamento do genoma do Zika a partir do líquido amniótico de um feto.

“É mais uma pecinha que se encaixa nesse quebra-cabeça, para indentificarmos ou não a causalidade do vírus no cérebro”, disse Brindeiro.

Um fato que surpreendeu os pesquisadores foi a constatação da permanência do vírus durante toda a gestação nos dois bebês que acabaram morrendo após o parto.

“O vírus permaneceu no bebê, agredindo o sistema nervoso da criança. Isso foi bem impressionante”, relatou Tanuri.

Os pesquisadores lamentaram a falta de recursos para tocar os estudos.”Estamos fazendo um sacrifício sobre-humano, as verbas estão cada vez mais curtas e essa epidemia bateu no Brasil em uma hora muito ruim”, destacou o virologista.

Fonte: Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carvalho disse:

    Tem cientista que diz que não se pode descartar nenhuma hipótese sobre microcefalia
    Quero só ver o que os incompetentes PTistas irão dizer se no final ficar comprovado que o PesTicida pyriproxifen causou a microcefalia.
    Aliás, esse produto é fabricado pela Monsanto (aquela empresa demonizada pelos selvagens do MST).
    Em falar em coisa ruim, por que será que o Movimento não foi protestar na frente do Palácio do Planalto?

  2. Aldo disse:

    Campina Grande – PA?????? No pará tem uma campina grande tb? Putz!!!

Confira os aprovados no Vestibular de Medicina 2014.1 UnP

Veja abaixo a lista dos candidatos aprovados e suplentes do Vestibular de Medicina UnP 2014.1. As matrículas já podem ser realizadas a partir de hoje (05/12/2013) na Unidade Roberto Freire* e seguem até o dia 12/12/2013, conforme edital. O funcionamento da Central do Candidato é de segunda a sexta-feira, das 9h às 21h e aos sábados, das 8h às 12h. Os candidatos podem consultar seu resultado individualmente com o seu CPF ou número de inscrição [aqui]. Mais informações pelo (84) 3215-1234.

VESTIBULAR MEDICINA 2014.1

LISTA DOS APROVADOS – ORDEM ALFABÉTICA

Ordem Candidato

1 ADRIANO ALVES DE SOUSA

2 ALEXANDRE AUGUSTO MEDEIROS TONEL

3 ALÉXIA BEZERRA DE MENDONÇA

4 ALINE DE ALMEIDA ANDRADE

5 ANA CARLA CARNEIRO LEITÃO

6 ANA FLÁVIA DE OLIVEIRA GALVÃO

7 ANA JULIA SILVA TEIXEIRA

8 ANDYARA VASCONCELOS COSTA

9 BÁRBARA DA CÂMARA SANTOS MARINHO

10 CARLA CRISTINA MAIA DE LIMA LOBO

11 DANDARA MARIA MARINHO

12 DANIELA MOLITOR DE SOUZA

13 DANILO HUDSON FÉLIX DOS SANTOS

14 DAVI WELEY LOPES DE OLIVEIRA

15 DÉBORA CRISTIAN ARAGÃO DA ROCHA

16 DJANA RODRIGUES BARROS

17 EDER LEANDRO DA SILVA DANTAS

18 EDUARDO AMORIM MARTINS DE SOUZA JUNIOR

19 FERNANDA LOUISE GOMES BEZERRA ALENCAR

20 FRANCISCA CLEMENTINO DE SOUZA

21 FRANCISCO VITOR PEREIRA DE SOUSA

22 FRANCYJANE EMANUELA FERREIRA DE MESQUITA SILVA

23 GABRIEL ÂNGELO DE CASTRO NETO

24 GIOVANNA DIOGO DIÓGENES QUEZADO

25 GIRLANNE DE OLIVEIRA DANTAS

26 GLAUBER ESAU GONCALVES SOUSA

27 GRASIELLY ALVES AZEVEDO

28 ISA MARYANA ARAÚJO BEZERRA DE MACEDO

29 ISADORA VELÚCIA DIAS DE ARAÚJO

30 JAILSON REGIS NOGUEIRA FILHO

31 JESSICA ASSUNCAO JATAI

32 JOAO GILBERTO MENDONCA BEZERRA JALES

33 JOÃO VITOR CÂNDIDO PIMENTEL

34 KALINE KARLA GARCIA DE ARAUJO

35 LUCAS COSTA FEITOSA ALVES

36 LYVIA VYVIANNE DE ARAUJO

37 MABEL JALES BELARMINO DE AMORIM

38 MAETHE ROMERO FROTA QUINDERE

39 MARA JULIANE SILVA JOVINO

40 MARCELO AUGUSTO FIRMINO DE QUEIROZ

41 MARCILIO LOPES DE OLIVEIRA

42 MARIA LAURA FONTOURA CHAGAS ROCHA

43 MATEUS DE OLIVEIRA ARAUJO

44 MIRELLA FERNANDES DE SOUSA

45 OMARA JACOME TORRES MEDEIROS DE MESQUITA

46 RAFAELA DE SOUSA MANIÇOBA

47 RAISSA ARAGÃO GOMES DA CUNHA

48 RAPHAEL MACHADO BEZERRA

49 RAPHAEL TAVARES DANTAS

50 RAYANNE TOJAL DE CARVALHO

51 RENATA PATRÍCIA DANIEL AMORIM DE SOUSA

52 RODRIGO DANTAS ROCHA

53 SAMIRA BENTTENMÜLLER DE FREITAS

54 SERGIO TADEU DE SOUZA COSTA FILHO

55 THAYANE MARIA ROCHA CIDADE

56 THIAGO AUGUSTO DANTAS VILA NOVA

57 THIAGO MEDEIROS GERMANO

58 VITÓRIA MORAIS ESTEVAM

59 VIVIAN DE MORAIS NUNES TEIXEIRA

60 YASMIN DE MEDEIROS CARVALHO

SUPLENTES – POR ORDEM DE SUPLÊNCIA

Serão convocados à matrícula, caso haja desclassificação.

Aguardar divulgação de portaria na página da UnP.

1 DANIEL COSTA DE ARAUJO

2 ANA ESTER FERNANDES DIOGENES

3 ALESSA QUEIROGA DE ARAUJO

4 ANDRÉ SILVA DE MORAIS

5 LUIS WLLYSSES TORRES CIDRAO

6 LETÍCIA ALMEIDA PONTES

7 GERSON GOMES DA NÓBREGA FILHO

8 LÍDIA MARIA OLIVEIRA BARISIC

9 RENARA PEREIRA ARAGÃO

10 CAMILA FERNANDES DA CUNHA

11 AFONSO FERRO GOMES NETO

12 FILLIPE GABRIEL MACENO

13 RAQUEL NUNES DE LIMA

14 BRUNO PESSOA CHACON

15 PRECI KELLY MOURA SANTIAGO

16 THAIS CAVALCANTE CHAVES SANTOS

17 RENATA ALVES MARINS

18 MAYANE ABRANTES VERAS DE FREITAS

19 GABRIELLI GUEDES DE OLIVEIRA GURGEL

20 VICTORIA COUTINHO DE QUEIROZ MONTEIRO

DOCUMENTAÇÃO

Somente será aceita a matrícula do candidato aprovado que apresentar toda documentação prevista. Documentação necessária e obrigatória no ato da matrícula:

a) Apresentação do documento original de:

– CPF do candidato;

– CPF do responsável financeiro, se o candidato tiver menos de 18 anos;

b) Entrega da cópia autenticada ou cópia com apresentação de documento original:

– Cédula de Identidade;

– Certificado de Conclusão do Nível Médio ou Diploma de curso superior;

-Histórico Escolar do Nível Médio ou comprovante de conclusão de EJA – Educação de Jovens e Adultos;

c) Entrega de uma foto 3×4 recente e colorida.

d) Assinatura do Contrato de Prestação de Serviços Educacionais e devolução da cópia da UnP/ APEC: no ato da matrícula, o candidato ou o seu responsável financeiro (caso o candidato seja menor de 18 anos) deverá assinar o Contrato de Prestação de Serviços Educacionais, em duas vias de igual teor, das quais uma ficará anexada à documentação entregue na matrícula; a outra via, após assinada pelo representante da APEC, será imediatamente devolvida ao candidato.

e) Matrícula por procuração: A matrícula poderá ser feita por procurador devidamente credenciado por procuração específica, pública ou particular, com firma reconhecida, original ou cópia autenticada, e cédula de identidade do procurador, com poderes específicos para a efetivação da matrícula. Ver novamente o que diz o item 2.4.

Do site da UNP

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jilva disse:

    Vai chamar algum suplente??

Conselho aprova Campus de Assú vocacionado à Saúde; funcionamento inicia com curso de medicina

DSC_9167A criação do Campus da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) na cidade de Assú foi aprovada na manhã dessa segunda-feira, dia 18 de novembro, na 24ª Reunião Extraordinária do Conselho Universitário (Consuni), presidido pelo reitor José de Arimatea de Matos. Esta será a quinta Unidade da Ufersa, que já funciona na cidade de Angicos, Caraúbas, Pau dos Ferros e o Campus Central em Mossoró.

O novo campus construído em Assú terá sua atividade vocacionada a cursos na Área de Ciências da Saúde, iniciando seu funcionamento com 60 vagas para o curso de Medicina, já aprovado pelo Ministério da Educação através do Plano de Expansão do Ensino Médico – o Programa Mais Médicos.

As obras de construção da nova unidade começam em 2014, visto que o Governo Federal já assegurou recursos na ordem de 28 milhões de reais. De acordo com o cronograma do projeto, a primeira turma de graduandos em Medicina na Ufersa Assú deverá ingressar em 2016 com 30 alunos; no ano seguinte serão ofertadas mais 30 novas vagas.

O prefeito da cidade do Assú, Ivan Júnior, comemorou a aprovação e ainda destacou que a chegada da Universidade será um divisor para a Região. “O Vale do Assú viverá dois momentos na sua história: um antes e outro após a chegada da Ufersa. Isso porque o novo campus será um transformador social, econômico e educacional, sobretudo na área da saúde”, reforçou o prefeito.

Já o professor José de Arimatea de Matos detalha que a nova Unidade faz parte do processo de interiorização do Ensino:

“A conquista da Ufersa reflete a política de interiorização das ofertas de vagas do Ensino Superior por parte do Governo Federal, sobretudo na área da Saúde, que é um setor prioritário nas reivindicações da sociedade. Ganha o Rio Grande do Norte e principalmente o interior”, defende o reitor.

O cronograma de execução do projeto para a implantação do Câmpus da Ufersa em Assú, bem como a chegada do curso de Medicina naquela cidade irão acontecer simultaneamente ao processo de implantação de outras 60 vagas (também em Medicina) no Câmpus Central da Ufersa, em Mossoró. No total, serão 120 vagas na Universidade, sendo 60 vagas para 2016, escalonadas em 30 para Mossoró e 30 para Assú. A mesma distribuição se repete em 2017.

O processo para criação do Campus Universitário em Assú e a chegada do curso de Medicina é uma luta antiga que começou a ganhar força no final de 2012, quando os reitores das Instituições de Ensino Superior do Rio Grande do Norte (UFRN, UFERSA, UERN e IFRN) se reuniram em um seminário para elaboração do Plano de Expansão do Ensino Tecnológico e Superior no RN.

O documento previa a inserção de mais uma unidade de IES no Vale do Assú, destacando a importância do Curso de Medicina para a região. O assunto foi discutido na cidade através de Audiência Pública, que intermediou contato com a UFRN, e, em seguida, a causa foi abraçada pela Ufersa, tendo em vista as condições estratégicas traçadas no Seminário.

O Plano foi entregue ao secretário-executivo do Ministério da Educação (MEC), José Henrique Paim Fernandes, em uma audiência intermediada pela Deputada Federal Fátima Bezerra, também interlocutora do Fórum dos reitores. De pronto, o Ministério aprovou, extraoficialmente, a implantação do curso em Assú. A presidente Dilma Russeff também recebeu o documento quando em visita ao Rio Grande do Norte, no começo de junho.

Já a confirmação oficial chegou para a Ufersa no dia seis de novembro, em ofício encaminhado pela Secretaria de Educação Superior (SESu) do Mec.

ESTRUTURA

UFCSPAnoite_1Paralela a toda tramitação até a aprovação do curso, os esforços para viabilizar a Unidade se intensificavam. O Campus da Ufersa em Assú será construído em uma área de 20 hectares doada pela iniciativa privada. A prefeitura de Assú já garantiu reserva orçamentária para mobilidade urbana.

A nova Unidade será dotada de estrutura com biotérios, sala de aula, sala para professores, laboratórios, auditórios, acervo bibliotecário e recursos humanos com 60 Docentes e 30 Técnicos-Administrativos.

Já em setembro, o reitor visitou acompanhado de técnicos da Ufersa as instalações da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre. “Estamos trabalhando no projeto de infraestrutura para instalação do centro de ciências da saúde da Ufersa e fomos observar “in loco” as instalações da UFCSPA que tem estrutura bem parecida com a que queremos implantar”, justifica.

Da Ufersa

PF deflagra operação em 14 estados contra esquema para revalidação de diplomas de medicina

A Polícia Federal deflagrou na manhã de hoje (18) operação contra um esquema de fraude na emissão de diplomas falsos de medicina que eram revalidados para o exercício ilegal da profissão no Brasil.

Durante a Operação Esculápio – em referência ao deus da medicina e da cura na mitologia greco-romana, foram expedidos 41 mandados de busca e apreensão pela 7ª Vara Criminal da Justiça Federal em Mato Grosso. Os mandados estão sendo cumpridos em 14 estados – Mato Grosso, Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Paraná, Paraíba, Pernambuco, Roraima, Rio Grande do Sul e São Paulo.

De acordo com a PF, as investigações tiveram início depois que a Universidade Federal de Mato Grosso entrou em contato com universidades bolivianas (Universidad Nacional Ecológica, Universidad Técnico Privada Cosmos e Universidad Mayor de San Simon), que confirmaram que entre os inscritos no programa de revalidação, 41 nunca foram alunos ou não concluíram a graduação nessas instituições.

Na análise dos documentos, a Polícia Federal constatou que desses 41 inscritos, 29 foram representados por advogados ou despachantes que fizeram a inscrição dos supostos médicos. Ainda de acordo com a PF, os acusados vão ser intimados a prestar esclarecimentos e poderão ser responsabilizados pelos crimes de uso de documento falso e falsidade ideológica.

Perguntado sobre a operação, após participar do programa Bom Dia, Ministro, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, disse não ter conhecimento da operação, mas considerou positiva qualquer atitude para coibir fraudes. “Uma ação como essa é muito bem-vinda”, frisou.

“Quando o ministério recebe a documentação do Mais Médicos, ele repassa a lista para a Polícia Federal para que ela faça algum tipo de checagem e não só da documentação, mas dos antecedentes das pessoas que procuram se inscrever. Essa checagem feita pela Polícia Federal e também uma operação como essa podem contribuir fortemente para que não exista qualquer tipo de fraude ou tentativa de inscrição no programa de profissionais que não seja médicos. Estamos sendo muito rigorosos”, acrescentou o ministro.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José de Brito disse:

    SINTO VERGONHA DE VIVER ATUALMENTE NESTE PAÍS. TODOS OS DIAS O QUE SE VÊ, É VERDADEIROS CIENTISTAS ELABORANDO PROJETOS COM O INTUÍTO DE ROUBAR. RUI BARBOSA TINHA RAZÃO.

UERN vai aumentar o número de vagas para o curso de Medicina

A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) vai aumentar as vagas para o curso de Medicina. Atualmente são 26 e a universidade vai ofertar 60. O comunicado foi feito durante uma entrevista no RPC Debate, da Rede Potiguar de Comunicação.

O futuro Reitor Pedro Fernandes já repassou para a governadora Rosalba Ciarline a decisão da ampliação tomada numa reunião com professores. Segundo o reitor, a Universidade vai precisar de novos professores e técnicos administrativos para atender o crescimento do curso de Medicina.

“Nós queremos já colocar essa nova oferta no próximo processo seletivo”, adiantou o reitor, acrescentando que o Ministério da Saúde e o governo do Estado já assumiram compromissos para essa meta.

O curso de Medicina da UERN tem conceito 5, o máximo alcançado pelas Universidades brasileiras.

Com informações do DE FATO

Conselho Regional de Medicina flagra estudante exercendo ilegalmente a profissão no interior do RN

O Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Norte – Cremern, através de uma fiscalização de rotina, flagrou na tarde dessa quarta-feira (11) uma estudante de medicina da Bahia trabalhando sem o acompanhamento de um médico profissional, no Hospital Maternidade Severina Carlos de Andrade, no município de Frutuoso Gomes, na região Oeste.

A estudante de medicina da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública foi flagrada pela equipe de fiscalização, quando atendia pacientes em uma sala do hospital. Questionada pela equipe, a estudante alegou que vinha dando plantões, sempre acompanhada de um médico, mas que ele havia saído naquele exato momento. O flagrante foi configurado como exercício ilegal da medicina.

De acordo com a equipe o departamento de fiscalização do Cremern, formada pelo 2º vice-presidente e chefe do departamento de fiscalização, Dr. Francisco de Almeida Braga, da 1ª Secretária do Cremern, Dra. Maria Cristina Monte P. de Macedo e o Dr. Roberto de Oliveira Lins, da Comissão de Divulgação de Assuntos Médicos – Codame do Conselho, o flagrante só foi possível graças a uma denúncia de que estudantes de medicina vêm atendendo pacientes na região. A estudante fica impedida de trabalhar no município e o Cremern fará a denuncia junto a Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.

Com informações do Cremern

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Francisco Dias disse:

    Tem alguma coisa sobre exercício imoral da profissão. Digo sobre os médicos que batem o ponto e saem para suas clínicas particulares. Já sei! Contra isso o CRM não faz nada para não contrariar os colegas. Esse Brasil…

Conselho Regional de Medicina do RN terá eleição na próxima segunda-feira

O Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Norte – Cremern vai realizar na próxima segunda-feira, dia 05 de agosto, das 08h às 20h, na sede da entidade no centro de Natal, a eleição para membros titulares e suplentes do Conselho. Concorre ao pleito apenas a CHAPA 01, formada por 20 nomes para conselheiro efetivo e 20 para conselheiros suplentes. Os conselheiros efetivos eleitos escolheram em setembro o nome do presidente. O atual presidente Jeancarlo Cavalcante concorre à reeleição.

O processo eleitoral se dará da forma mista: os médicos, com endereço de correspondência nas cidades de Natal, Macaíba, Parnamirim, São Gonçalo do Amarante e Extremoz, votarão na sede do Cremern, localizada na Av. Rio Branco, 398, Cidade Alta, em Natal.

Os médicos residentes nos municípios de Caicó, Mossoró e Pau dos Ferros votarão, respectivamente, na Delegacia Regional do Cremern de sua cidade. Os demais médicos com endereços nas outras cidades do RN, ou que estejam em outros estados votarão por correspondência. Só será válido o voto por correspondência cujo envelope contiver a chancela da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos.

É importante lembrar que o médico eleitor que não esteja quite com o Cremern não poderá votar antes de quitar o débito.  O voto é obrigatório, conforme preceitua a resolução nº1.993/2012, alterada pela Resolução n º 2.020/2013, ambas do Conselho Federal de Medicina – CFM. Será aplicada a multa prevista em lei para o médico que não votar, salvo causa justificada ou impedimento a ser declarado até 60 dias após o encerramento da eleição.

Mais informações clique aqui

UFRN comete erro em edital para ingresso na universidade via Sisu

Um leitor do blog alerta para um problema na forma de ingresso nos cursos da área biomédica da UFRN no próximo semestre (2013.2) pelo Sisu (Sistema de Seleção Unificada).

No Termo de Adesão divulgado pela universidade, o “peso das notas” está em desacordo com uma Resolução publicada pela própria instituição no último dia 8 de maio.

As inscrições no Sisu começara hoje e vão até a próxima sexta-feira (14).

Veja o equívoco:

Imagem: Tasso Assuero, via Twitter

BMZ7IYBCcAAMaiq

Medicina natalense é destaque na imprensa nacional

O pioneirismo da Medicina natalense foi destaque em jornal de circulação nacional. O Correio Braziliense publicou três páginas, na edição do final de semana, abordando o exame de Medicina Nuclear realizado pelo médico e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte Roberto Jales onde é feito o diagnóstico de doenças mentais. A publicação nacional destacou a cintilografia de perfusão cerebral realizada em Natal, feita pelo professor da UFRN. O exame foi criado pelo médico chileno e professor da Universidade da Califórnia, Ismael Mena.

À reportagem do jornal Correio Braziliense, o médico Roberto Jales ressaltou que o mapeamento é importante inclusive para ajudar no tratamento da doença psíquica. Os exames realizados em Natal são enviados para Ismael Mena, que emite o diagnóstico.

Na capital potiguar, a Clínica Nuclear de Natal, onde o procedimento é realizado está recebendo pacientes de diversos Estados brasileiros, que vêm em busca do diagnóstico feito a partir do exame.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ana jales disse:

    Orgulho da família jales.
    Aos q perguntaram a clínica Nuclear de Natal fica na avenida afonso pena, quase vizinha a procuradoria geral do estado. Tendo a salgado filho como referencia fica na altura da AABB. E o telefone para maiores informacoes é o 3201-5626.

  2. joana disse:

    Gostaria de saber o endereço e o telefone. um abraço

Sociedade dos Urologistas abre processo contra a Unimed no Conselho de Medicina

A Sociedade Brasileira de Urologia – Seccional Rio Grande do Norte (SBU-RN) deu entrada, nesta segunda-feira (03), em uma representação no Conselho Regional de Medicina do RN (Cremern) contra a Unimed Natal. De acordo com o processo, o plano de saúde apresenta um médico urologista que não tem título válido para exercer a profissão. A ação encaminhada pela SBU solicita a instauração de processo administrativo para apuração de falta de ética.

De acordo com a SBU, através de atuação do Procon descobriu-se que o médico  Evaristo Siqueira, que atende atualmente como urologista no plano de saúde, não tem credenciais que o habilitem a exercer a atividade. A documentação apresentada pelo médico não é válida e o Dr. Siqueira não tem o título necessário, explica o advogado Kennedy Diógenes, da SBU. “Mesmo sem ser especialista, o médico figura nas escalas de plantões em urologia em cinco dos principais hospitais de Natal, podendo causar sérios e irreparáveis danos à população assistida”, alerta o advogado.

Atualmente, desde o descredenciamento em massa dos urologistas em setembro de 2011, atendem nessa especialidade, em toda a rede da Unimed Natal, apenas três médicos, um deles sendo o Dr. Evaristo. Outro médico também é citado no processo: o Dr. Eduardo Gonçalvez, além do diretor técnico da Unimed Natal. Entre as acusações, eles são denunciados por descumprir o Código de Ética Médica, por assumir cargo para suceder médico demitido e, consequentemente, assumir condutas contrárias ao movimento médico.

Os urologistas de Natal iniciaram, em setembro de 2011, um movimento em defesa dos honorários médicos pagos pela Unimed Natal , o que resultou na demissão em massa de aproximadamente 30 urologistas. O movimento teve a legalidade reconhecida e conta com apoio dos órgãos representativos da classe médica.

Como a Unimed não reconheceu a validade do movimento dos urologistas, é citada nesse processo por se opor ao movimento legitimamente reconhecido e contratar profissionais que também se opõem à luta da categoria. Além disso, a Unimed é denunciada por divulgar falsamente informações acerca da especialidade médica do Dr. Evaristo Siqueira.  A SBU solicita ao Cremern a imediata suspensão da divulgação do médico como urologista.  Com esse, são dois os processos contra a Unimed acerca do urologista, sendo a outra ação movida pelo próprio Procon estadual.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Geraldo Ribeiro da Silva disse:

    O conselho local tem que apurar e tomar as providencias cabíveis.Aproveitando esta oportunidade queria pedir aos Srs responsáveis que ajudasse a encontrar o medicamento que o meu urologista receitou :DEPOSTERON – Aqui em Vitória-ES há
    mais ou menos 10 meses que não encontra este medicamento, só encontra o NEBIDO
    que custa a ampola R$400,00.Eu pediria a todos os urologistas do Brasil que não receitasse mais o NEBIDO até que os laboratórios pudessem abastecer as prateleiras das farmacias de Vitória-ES e de outos estados que por ventura estão em falta,Obrigado abs

A luta do pai pela cura de Vitor

Entre abril de 1999 e maio de 2000, o engenheiro mecânico Adolfo Celso Guidi, de 54 anos, abriu mão de sua vida pessoal, separou-se da mulher, abandonou o emprego e se enfurnou na biblioteca da Universidade Federal do Paraná (UFPR), onde se debruçou sobre livros de medicina.

O objetivo era nobre e urgente: Adolfo corria contra o tempo para entender o mecanismo de ação da gangliosidose do tipo 2, doença genética rara, neurodegenerativa e sem cura, que havia sido recém-diagnosticada em seu filho, Vitor, que na época tinha apenas 10 anos. Descrentes, os médicos deram mais um ano de vida ao menino.

E Guidi conseguiu. Sozinho, depois de ler mais de 30 livros de medicina – incluindo áreas sobre genética, neurologia e fisiologia -, ele não apenas entendeu como a doença agia no organismo de seu filho, mas descobriu uma fórmula que retardou sua evolução. Contrariando a literatura médica – que aponta 11 anos de vida aos portadores de gangliosidose tipo 2 -, Vitor está vivo e hoje tem 23 anos.

O começo. Vitor foi uma criança normal, saudável e ativa até os seus 4 anos. Precoce, ele deu os primeiros passos sem nem mesmo engatinhar. Aos 4 anos e meio, porém, passou a apresentar os primeiros sinais degenerativos: não conseguia mais segurar o lápis. Foi perdendo a força e a coordenação motora fina. E só piorou.

Na escola, a professora dizia que Vitor atrapalhava a aula. Suspeitaram de déficit de atenção. Os pais o mudaram de escola e o mandaram para a terapia. Aos 5 anos, Vitor foi matriculado em uma escola especial – já não era mais aceito em escolas comuns.

Os sintomas continuaram se agravando, e Vitor já não tinha mais coordenação motora. Aos 8, teve sua primeira crise grave, durante um passeio no shopping. Levado às pressas ao hospital, não respondia aos estímulos de dor nem de acuidade visual. “Ele não sentia nada. Depois, eu soube que foi a primeira grande perda neuronal que ele sofreu.”

A família foi orientada a procurar ajuda nos EUA, mas, sem dinheiro para isso, a saída foi enviar amostras de material genético ao exterior em busca de respostas que jamais vieram, pois as desconfianças dos médicos nunca eram confirmadas.

O diagnóstico. Adolfo decidiu, então, viajar com o filho à Argentina para consultar um dos maiores especialistas em genética do mundo. Ficaram lá por uma semana, fizeram uma série de exames de sangue, de urina, de imagem. Tudo com o dinheiro da rescisão – ele era gerente de uma concessionária. “Tinha um emprego bom e umas economias. Raspei tudo e gastei cerca de US$ 65 mil. Só um dos exames custou US$ 5 mil”, conta.

O resultado veio em três semanas: Vitor tinha gangliosidose tipo 2, doença que, entre outras coisas, provoca defeitos em um tipo de enzima que não degrada um lipídio que deveria ser naturalmente eliminado pelo corpo, provocando um acúmulo prejudicial.

De tão raro, o caso de Vitor foi debatido em congressos. Os exames foram refeitos. E o prognóstico era realmente desanimador. “Os médicos disseram que, pelas estatísticas, Vitor teria menos de um ano de vida. Como eu viveria dali para a frente sabendo que meu filho iria morrer?”

Inconformado com a possibilidade da perda, Adolfo decidiu estudar a fundo a doença – que até então não tinha tratamento. Foi nessa época que ele passou a frequentar a biblioteca da UFPR diariamente. E, num livro sobre fisiologia clínica, Adolfo encontrou referências à doença de Tay-Sachs – muito parecida com a gangliosidose, o que o fez entender o mal que acometia seu filho. “Entendi o mecanismo de ação. Mas e daí? O que fazer com aquilo?”

Creme de sorvete. A partir disso, Adolfo percebeu que a doença tinha relação com a enzima beta-galactosidase, que era produzida pelo corpo de Vitor de maneira deficiente.

Ele passou a ler livros sobre enzimologia. E descobriu que essa enzima foi utilizada na fabricação de cremes para sorvetes na década de 1950, mas teria caído em desuso porque surgiram os cremes sintéticos.

Ele precisava dessa matéria-prima para pensar num possível medicamento. Disparou e-mails para dezenas de laboratórios do mundo todo que chegaram a produzir essa enzima no passado. Escreveu para Japão, Canadá, EUA, México, Índia, Espanha. Expôs seu caso para vários médicos, mas não conseguia apoio de nenhum deles para a ideia, que parecia maluca. “Ninguém me dava atenção. Diziam que era loucura minha”, relembra.

Os meses passaram, e a sorte se voltou para Adolfo. A pediatra de Vitor ligou para ele, dizendo que o pai de um paciente era funcionário de um laboratório e iria ajudá-lo a conseguir a enzima. “Passei um fax com a ficha técnica. Pouco tempo depois, a matriz me enviou uma amostra de 50 ml da enzima.”

Uma gota. Com a matéria-prima em mãos, Adolfo foi a uma farmácia de homeopatia, que com uma única gota da enzima desenvolveu uma matriz e um “medicamento” para ser tomado diariamente pelo menino. “Ainda assim, os médicos eram contra. Diziam que eu ia matar meu filho.”

O medo de efeitos colaterais mais sérios fez Adolfo tomar o produto várias vezes antes de oferecer a Vitor. “Fui a cobaia.” O menino começou, então, a tomar as gotas e, quase como num milagre, a doença deixou de progredir de forma tão agressiva.

Vitor parou de andar aos 15 anos. Hoje, caminha quando é escorado pelos braços do pai. Ele não fala, mas é capaz de conversar com o pai por meio de gestos e sons. “Ele entende e leva as pessoas a entenderem o que quer.” Na escola, reaprendeu coisas básicas, como tirar e colocar os sapatos e escovar os dentes.

Nesse período, Adolfo quase perdeu a casa – ele deixou de pagar as prestações porque gastou o dinheiro no tratamento de Vitor – e ficou sem carro. Não voltou a trabalhar e vive em função do filho, com ajuda de doações. Adaptou a cadeira de rodas de Vitor à sua moto: é assim que o leva à escola, à terapia, aos médicos.

A evolução inesperada do jovem fez com que outras famílias procurassem Adolfo em busca do “medicamento” que ele tinha descoberto, mesmo sem comprovação científica. “Até hoje, ninguém conseguiu rebater minha teoria sobre a eficácia do produto. Fiz pelo Vitor o que qualquer pai faria.”

Fonte: Estadão

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Milankundera disse:

    A  história de Vitor lembra o filme "O Óleo de Lorenzo"