Especialistas defendem que Prefeitura reveja a técnica de enrocamento que utiliza na orla de Natal e adote o sistema de “colmeias”

Foto: Divulgação

Ao contrário do enrocamento de pedras que vem sendo realizado na orla de Ponta Negra com o objetivo de conter o avanço do mar, especialistas defendem que o poder público passe a investir em um sistema inovador, trazido da Holanda e que tem se mostrado mais eficiente e menos onerosa do que a adotada atualmente pela Prefeitura do Natal, desde a gestão do ex-prefeito Carlos Eduardo Alves (PDT). Esse assunto foi debatido recentemente, durante audiência pública realizada na Associação dos Moradores dos Parques Residenciais de Ponta Negra e Alagamar, no final de Janeiro, com as presenças do diretor geral do IDEMA, Leon Aguiar, do Ministério Público do RN, através da promotora Gilka da Mata, do secretário municipal de Obras de Natal, Tomaz Neto, do consultor e especialista em planejamento e gerenciamento em engenharia, o pernambucano Leonides Alves Neto e também com a participação da sociedade civil.

No encontro, foi evidenciado que o modelo de enrocamento que vem sendo utilizado em Natal, além de ser expressivamente mais caro, não oferece os mesmos resultados positivos que os da tecnologia “Modulo Bloc”. Essa técnica, assemelha-se a uma ‘colmeia’, em um dos modelos.

Em outro, no formato retangular, operam de duas maneiras distintas: a primeira, permitindo que as ondas, que contem grande quantidade de areia e sedimentos de praia, passe pelos elementos vazados desse formato, filtrando e devolvendo a àgua ao mar e retendo o material fino (areia), auxiliado por uma membrana Geotêxtil instalada sobre um colchão de brita. A segunda, através do blocos retangulares, promove a quebra da força das ondas e dissipa sua energia, reduzindo drasticamente a erosão na praia.

Esse método, utilizado há mais de 200 anos na Europa, já tem a sua eficiência e relação custo-benefício comprovados por empreendimentos públicos e privados em Natal e região metropolitana, como o muro de contenção na praia de Areia Preta, obra do DER/RN; escadaria da Praia de Cotovelo, obra da Prefeitura de Parnamirim; Hotel Vila do Mar, na Via Costeira, residência do Jornalista Cassiano Arruda, em Jacumã e mais recentemente no condomínio Ekoara Residence Resort, na Praia de Muro Alto em Porto de Galinhas/PE.

Recentemente, o jornalista Vicente Serejo, em sua coluna no jornal Tribuna do Norte, questionou o fato de a Prefeitura do Natal investir na atual técnica de enrocamento, considerada um “gigantesco ninho de rato”.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cara de besta disse:

    Sinto cheiro de venda de produto no ar. Esse vendedor é forte.

  2. Eduardo Peixoto disse:

    Isso aí está mais para uma porca de parafuso do que para uma colméia. A colméia é sextavada por dentro. Não sou nenhum especialista.

  3. Tito disse:

    É mais caro, é bom, e depois se precisar retirar o preço da mão de obra diminui bastante, é muito bom para quem faz. Péssimo para o contribuinte.

  4. Idiota completo disse:

    Excelente.
    Pagaram para fazer o viveiro de ratos.
    Agora vamos pagar para retirar o viveiro de ratos.
    Pagar para colocar as colmeias e rezar para funcionar.
    Nada de responsabilidade para ninguém.
    Pelo contrário, vão ganhar propina em.outras 2 obras.
    Que beleza!!!!

  5. Rodrigo disse:

    Show!

    Natal precisa evoluir !

    Este é o caminho !

  6. Rodrigo disse:

    Show!

    Natal precisa evoluir !

Idema e Prefeitura do Natal discutem enrocamento em Ponta Negra


Foto: via TripAdvisor

Representantes do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema) e da Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura de Natal (Semov), se reuniram na manhã desta terça-feira (06), para discutir as etapas das obras de contenção de erosão na orla de Ponta Negra, que contemplam o prolongamento do enrocamento, a drenagem e o aterro hidráulico da praia. Na ocasião, os técnicos das instituições discutiram sobre quais medidas devem ser adotadas para viabilizar tais projetos.

Segundo o diretor geral do Idema, Leon Aguiar, o encontro com a Prefeitura contribuiu para o entendimento a respeito do processo. “O impasse que existia foi dirimido, e os recursos continuam assegurados para a execução da obra. Estamos buscando uma solução adequada para a cidade do Natal, pois o mais importante é a recuperação da praia”, disse.

De acordo com o secretário de obras, Tomaz Neto, os entendimentos entre a Prefeitura e o Idema tem avançado consideravelmente. “Precisávamos desse encontro para fortalecer o diálogo. Tínhamos colocações que compreendemos que não eram pertinentes, bem como o Instituto Ambiental recebeu recomendações nossas que foram acatadas”, afirmou.

O Idema solicitou à equipe técnica da Prefeitura a apresentação do Estudo e Relatório de Impacto Ambiental (EIA-RIMA), que agora será viabilizado pelo município através da contratação da empresa Tetra Tech. A contratada esteve presente na reunião, na qual foram esclarecidas dúvidas a respeito do Termo de Referência elaborado pelo órgão ambiental.

Participaram do encontro, representantes do setor de Obras Públicas do Idema, Assessoria Técnica, Subcoordenadoria de Gerenciamento Costeiro, técnicos da Semov, Semurb, além de engenheiros e técnicos da Tetra Tech.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carlos disse:

    A prefeitura vai fazer uma obra com milhões e de forma ineficaz, podendo fazer algo moderno sem tirar a beleza de ponta negra, que povo imundo esses nossos políticos.

  2. Ana Helena disse:

    Esse enrocamento só deixa Ponta Negra cheia de lixo e rato. Ainda vão conseguir a façanha de piorar a situação que já é deplorável…

Ministério do Turismo libera recursos na ordem de R$ 1,7 milhão para obras de enrocamento das praias da Zona Leste de Natal

O prefeito de Natal, Álvaro Dias, conseguiu a liberação de recursos junto ao Ministério do Turismo, na ordem de R$ 1,7 milhão, para as obras de enrocamento das praias da Zona Leste da capital potiguar. A garantia para o repasse foi dada pelo secretário-executivo da Presidência da República, Carlos Henrique Menezes, em reunião realizada nesta quarta-feira (12), em Brasília, e que contou com as participações do senador Garibaldi Filho e do secretário municipal de Obras, Tomaz Neto. Os serviços de obras de contenção costeira e contra o avanço do mar nas praias dos Artistas e do Meio já atingiram 72% de execução.

Ainda na capital federal, o chefe do Executivo natalense garantiu o aporte de recursos para a execução do projeto de engorda da Praia de Ponta Negra. “Mostramos a necessidade da obra e a importância dos serviços para melhorar a realidade da nossa praia mais famosa e principal cartão postal. O governo federal reconheceu a necessidade do nosso pleito e garantiu a destinação de recursos no orçamento de 2019 para iniciarmos a intervenção”, celebrou o prefeito Álvaro Dias.

Enrocamento chega à fase final na Praia de Ponta Negra

17935Foto: Alex Régis

Até o final deste mês, a Prefeitura do Natal deve concluir os serviços de enrocamento que antecederam a recuperação propriamente dita do calçadão da Praia de Ponta Negra. O investimento é da ordem de 4,8 milhões e conta com recursos provenientes do Ministério da Integração Nacional. As obras já estão com 90% dos serviços concluídos, informou nesta terça-feira, 05, o secretário de obras da Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura, Caio Múcio.

Segundo ele, a ação é uma obra linear que alcança de forma idêntica toda a extensão da praia tendo sido iniciada no dia 24 de abril último no final da avenida Erivan França. “É uma proteção do calçadão feito com pedras soltas de vários tamanhos e de peso variando entre 2.400 a 40 quilos. A arrumação das pedras, que vai sendo feita junto com a fundação em valas e com talude de 1.00 pra 1.50, alcança um largura média de 5 metros”.

Esse paredão de proteção contra as marés, que é formado pela aderência de pedras (enrocamento), está sendo implantado entre a Rua Pastor Rodolfo Beuttemuller e o Morro do Careca abraçando uma extensão de cerca de 2 quilômetros de extensão e a uma altura de 2,5 a 3,75 metros. As obras são realizadas de 20 em 20 metros e de acordo com a tábua de marés. A empresa responsável é a Camillo Collier que dispõe de uma equipe de 40 operários.

Caio Múcio afirma que o acesso da população ao mar será feita por meio de 10 escadas, sendo que até o momento foram executadas cinco delas. De acordo com ele, a recuperação do calçadão está dentro do projeto de reestruturação da orla marítima de Natal que compreende as praias de Ponta Negra, Areia Preta, do Meio e Forte. O referido projeto inclui a troca de piso do calçadão, novo guarda-corpo, quiosques, banheiros, iluminação, playground, ajardinamento e paisagismo, entre outros equipamentos.

Com relação à obra definitiva, o adjunto de obras da Semopi revela que estudos nesse sentido estão sendo feitos e devem demorar em torno de 12 meses. A idéia é dotar a praia de uma faixa de areia de 30 metros de largura quando ela estiver cheia. “Esse é o objetivo. No entanto, só o projeto vai definir a maneira como isso vai ser feito, que pode ser por meio de espigão, engorda ou os dois juntos”, conclui Caio Múcio.