Novo decreto estadual recomenda fechamento de praias no fim de semana

Foto: Reprodução/Trecho de decreto/DOE

O Governo do Rio Grande prorrogou as medidas restritivas de isolamento social por mais 15 dias, como forma de evitar a proliferação da pandemia do novo coronavírus. O novo texto apresenta uma novidade:a recomendação para o fechamento das orlas urbanas durante os fins de semana, nos municípios potiguares – cabendo ser seguida ou não pelas cidades litorâneas.

O novo decreto estadual publicado no Diário Oficial (DOE) entrou em vigor nesta quarta-feira (20) e vale até o dia 4 de junho

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Alceu disse:

    Vai proibir já já o movimento das marés. Lembrei-me de Chico “ Como vai se explicar, Vendo o céu clarear
    De repente, impunemente”

  2. Velho da praia disse:

    Não vou poder ver os boy na praia de Muriu

  3. Flávia Lemos disse:

    Não precisa de praia para se expor ao sol. Além disto o índice de radiação aqui no RN é bem alto. Conversando com qualquer dermatologista, é possível saber que bastam 10 minutos sob este sol escaldante para ter benefícios para a saúde. Se não houver fechamento dos espaços públicos, a população do RN, continua com sua habitual ignorância e não contribui em nada para a diminuição dos casos de coronavirus.

  4. natalsofrida disse:

    O Brasil virou uma china, os poderes estão aliados contra o presidente. Mas esquecem de um pequeno detalhe: O povo. Se fizermos igual nos EUA, onde o governadorcomunista, de um estado decretou lockdown. Fizeram uma carreata na praia, não teve policia que parasse. Povo instruído é outra coisa.

  5. Fabio disse:

    Qual é a competência do Estado do RN sobre terrenos pertencentes a União? NENHUMA! Os "terrenos de marinha" são imóveis de propriedade da União. Alô, MPF! Alô AGU! Vai ficar por isso mesmo?

    • Medrosos disse:

      Aqui a Governadora passa por cima de tudo e de todos. O Ministério Público e o Poder Judiciário ficam bem quietinhos com medo da Chefona. Uma vergonha, deveriam devolver as togas.

  6. Antonio Turci disse:

    Alguém me responda, por favor. Qual a autoridade que tem poder sobre as águas do mar, a partir das áreas de marinha: 1) o Estado (ente federado), a o Município (Prefeitura) ou a Secretaria do Patrimônio da União?

  7. Pedro disse:

    Absurdo isso. Se propõe a fechar a orla marítima e se permite uma feira livre funcionar. Sem fiscalização nenhuma. Todos juntos. Tenha santa paciência. Aí também já estão extrapolando.

  8. Ricardo disse:

    Puta que Pariu!! não falta mais nada! Fechar a praia? até aonde vai essa estupidez? Praia é vitamina D! Essencial ao combate do corona virus. Fiquem em casa, passando alcool gel, sem pegar sol, e fiquem com a imunidade la embaixo!!

Litoral potiguar tem nove praias impróprias para banho

Foto: Divulgação

De acordo com o Boletim de Balneabilidade das praias do RN emitido nesta sexta-feira (6), nove delas estão impróprias para banho. O resultado das amostras baseado na quantidade de coliformes fecais encontrados nas águas demonstra que as seguintes praias não são recomendadas para banhistas.

Foz do Rio Pirangi (Nísia Floresta), Rio Pium (Ponte Nova) e Rio Pium (Balneário Pium) em Parnamirim, Ponta Negra (final do calçadão), Via Costeira (Cacimba do Boi), Areia Preta (Praça da Jangada), Praia do Meio (Iemanjá), Praia do Forte e Redinha (Rio Potengi), em Natal.

O estudo é uma parceria entre o Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (IDEMA), o Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) e a Fundação de Apoio à Educação e ao Desenvolvimento Tecnológico do RN (FUNCERN), fazendo parte do Programa Água Azul.

Foram coletadas, analisadas e classificadas amostras de água em 33 pontos nas praias potiguares, distribuídas na faixa costeira situada entre os municípios de Nísia Floresta e Extremoz, a fim de classificar e informar aos banhistas quais as condições das praias monitoradas para o banho.

A classificação leva em conta a quantidade de coliformes termotolerantes encontrados nas águas, como estabelecido na resolução nº 274/2000 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama).

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    Vamos nos filiar à Funai: a taba de Poti está imprópria para se viver.

  2. joão carlos disse:

    ponta negra está podre, só sendo doido pra tomar banho nessa praia, faz vergonha

  3. Zuza disse:

    Administração bosta.

  4. Emmanoel do Nascimento Costa disse:

    E o Prefeito só se rebolando em cima dos palanques oh RN sem sorte.

  5. Manoel disse:

    O negócio piora a cada dia! Nunca vi tantas praias improprias pra banho !

    • `Neco disse:

      Via Costeira escura e com os guard rails detonados.
      Ponta Negra de fazer vergonha. Meio-fios e canteiros cheios de mato por toda a parte.
      Calçadas de pedra portuguesa esburacadas.
      E corroboro. No máximo eram duas ou três priais impróprias.
      Parnamirm também tá muito detonada na orla.

FOTOS: Detran instala placas de proibição ao tráfego de veículos em praias no RN

Fotos: Divulgação

O Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran) instalou placas que chamam atenção para o tráfego ilegal de veículos na faixa de areia das praias do Estado. Nessa fase, foram sinalizadas a Via Costeira e mais dez praias do litoral Norte e Sul: Redinha, Santa Rita, Genipabu, Barra do Rio, Pitangui, Muriú, Jacumã, Barreta, Camurupim e Malembá.

O subcoordenador de Operações do Detran, Francisco Domingos, alerta que a circulação de veículos de passeio nas praias é proibida em todos os trechos. Apenas os credenciados podem circular em locais e dias estabelecidos pela legislação, seguindo a Portaria 711/2007 do Detran/RN. A fiscalização é feita numa parceria entre o Detran e o Comando de Policiamento Rodoviário Estadual (CPRE).

O motorista infrator que for pego será autuado no artigo 187 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), como uma infração de natureza média, com perda de quatro pontos na CNH e multa no valor de R$ 130,16. Podendo ainda o veículo ser apreendido, caso o condutor não respeite a determinação do agente de retirada do automóvel da área proibida de circulação.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jb disse:

    É para fiscalizar em conjunto com a lei seca pq essa turma que vem para as dunas querem ser os donos da lei, dirigindo sobe o efeito de álcool, além de várias inresponsabilidades que comentem em via pública.

  2. Sincero disse:

    Na praia tudo bem que proíbam, agora nas dunas também?
    Infelizmente pagamos pelos irresponsáveis.

  3. Gabriel disse:

    Ok, Mas esse da duna de jacumã é foda proibir… Tem o espetinho la em cima que gera bastante emprego para os nativos e pra economia local. Permitindo só credenciados deve cair as vendas em 70% kkkk

    • CRISTIANE PALHARIM disse:

      Pelo que entendi, estão restringindo o tráfego nas praias, não nas dunas.

Sesap disponibiliza formulário para pessoas expostas ao óleo nas praias do RN

Foto: Google Imagens

Diante da ocorrência do desastre ambiental provocado pelo derramamento de óleo nas praias do Litoral Nordestino e em razão da possibilidade de contaminação por hidrocarbonetos poliaromáticos (HPAs), a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), por meio da Coordenadoria de Promoção da Saúde (CPS), disponibilizou um formulário online que pode ser preenchido por pessoas expostas ao óleo e também pelas equipes de Atenção Primária à Saúde.

Como forma de obter mais informações sobre os indivíduos que foram expostos, que apresentem sintomas ou exibam uma condição assintomática, a Sesap elaborou o formulário, a partir do qual será possível a construção de um banco de dados para subsidiar posteriores ações específicas, como por exemplo, investigação de possíveis casos de intoxicação exógena relacionados ao contato com o óleo.

Para preencher o formulário os profissionais de saúde e população em geral, podem acessar o link: http://formsus.datasus.gov.br/site/formulario.php?id_aplicacao=53249

O Protocolo de Notificação-Investigação de Exposição ao Óleo na Costa Nordestina orienta para a realização da notificação e investigação de casos novos, através da busca ativa no território e alimentação de casos identificados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) do Ministério da Saúde.

A Sesap já divulgou a recomendação junto às Regionais de Saúde e reforça também a necessidade da participação efetiva, principalmente dos profissionais Agentes Comunitários de Saúde (ACS), na realização desta atividade, uma vez que esses dados possibilitarão o monitoramento das pessoas expostas ao óleo nas praias.

Idema diz que suspensão do Programa de Balneabilidade das praias em Natal e região segue recomendação da Controladoria Geral do Estado

Foto: ASCOM/IDEMA

No que concerne ao encerramento do convênio com o IFRN, através da Funcern, para a análise da balneabilidade das praias da Grande Natal, o Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do Rio Grande do Norte – Idema segue recomendação da Controladoria Geral do Estado para a não renovação do convênio, encerrado em dezembro de 2019.

Em paralelo à recomendação da Controladoria, o Idema entende que os parâmetros de análise vigentes, estabelecidos pela resolução 274/2000 do Conselho Nacional de Meio Ambiente, não são suficientes, diante do desastre ambiental ocorrido em 2019 de derramamento de óleo nas praias do Nordeste.

O episódio trouxe a necessidade de inclusão de novos parâmetros de análises químicas ao boletim. Assim, dando mais segurança aos frequentadores das praias potiguares. Os parâmetros de análise anteriormente utilizados no convênio levavam em conta, exclusivamente, a presença de coliformes fecais, quando precisa-se também que óleos e graxas sejam incluídos na análise. Vale ressaltar que o último boletim, emitido há 14 dias, no dia 28 de dezembro, apontou que todas as praias do RN estavam próprias para banho.

O Idema já entrou com processo administrativo para fazer a retomada dos estudos de balneabilidade e aguarda os trâmites legais para o retorno da divulgação dos boletins. O novo convênio incluirá todo o Litoral Oriental.

Boletim de balneabilidade no RN apresenta todas as praias próprias para o banho

O Boletim da Balneabilidade das praias do RN (nº 51/2019), baseado na quantidade de coliformes fecais encontrados nas águas (Resolução nº 274/2000 do Conselho Nacional do Meio Ambiente – CONAMA) e emitido nesta sexta-feira (20/12), informa que todas as praias potiguares atualmente monitoradas se apresentam próprias para o banho.

O estudo é uma parceria entre o Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (IDEMA), o Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) e a Fundação de Apoio à Educação e ao Desenvolvimento Tecnológico do RN (FUNCERN), fazendo parte do Programa Água Azul.

Foram coletadas, analisadas e classificadas amostras de água em 33 pontos nas praias potiguares, distribuídas na faixa costeira situada entre os municípios de Nísia Floresta e Extremoz, a fim de classificar e informar aos banhistas quais as condições das praias monitoradas para o banho.

Foto: Reprodução

Boletim da Balneabilidade informa uma praia no RN imprópria para banho neste fim de semana

O Boletim da Balneabilidade das praias do RN (nº 48/2019), baseado na quantidade de coliformes fecais encontrados nas águas (Resolução nº 274/2000 do Conselho Nacional do Meio Ambiente – CONAMA) e emitido nesta sexta-feira (29), informa que apenas uma das praias potiguares atualmente monitoradas se apresenta imprópria para o banho. Recomendamos evitar o banho na praia quando se constatar a incidência de óleo na areia ou na água desta.

O estudo é uma parceria entre o Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (IDEMA), o Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) e a Fundação de Apoio à Educação e ao Desenvolvimento Tecnológico do RN (FUNCERN), fazendo parte do Programa Água Azul.

Foram coletadas, analisadas e classificadas amostras de água em 33 pontos nas praias potiguares, distribuídas na faixa costeira situada entre os municípios de Nísia Floresta e Extremoz, a fim de classificar e informar aos banhistas quais as condições das praias monitoradas para o banho.

Foto: Reprodução

Boletim de balneabilidade volta a apresentar todas as praias monitoradas no RN próprias para o banho

O Boletim da Balneabilidade das praias do RN (nº 47/2019), baseado na quantidade de coliformes fecais encontrados nas águas (Resolução nº 274/2000 do Conselho Nacional do Meio Ambiente – CONAMA) e emitido nesta sexta-feira (22/11), informa que todas as praias potiguares atualmente monitoradas continuam próprias para o banho. Recomendamos evitar o banho na praia quando se constatar a incidência de óleo na areia ou na água desta.

O estudo é uma parceria entre o Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (IDEMA), o Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) e a Fundação de Apoio à Educação e ao Desenvolvimento Tecnológico do RN (FUNCERN), fazendo parte do Programa Água Azul.

Foram coletadas, analisadas e classificadas amostras de água em 33 pontos nas praias potiguares, distribuídas na faixa costeira situada entre os municípios de Nísia Floresta e Extremoz, a fim de classificar e informar aos banhistas quais as condições das praias monitoradas para o banho.

 

Boletim da Balneabilidade informa que todas as praias monitoradas no RN estão próprias para banho

Foto: Reprodução

O Boletim da Balneabilidade das praias do RN (nº 45/2019), baseado na quantidade de coliformes fecais encontrados nas águas (Resolução nº 274/2000 do Conselho Nacional do Meio Ambiente – CONAMA) e emitido nesta sexta-feira (08/11), informa que todas as praias potiguares atualmente monitoradas continuam próprias para o banho.

Considerando o recente derramamento de petróleo em alto mar e a chegada deste em muitas praias da costa do Rio Grande do Norte, continuamos recomendando evitar o banho quando se constatar a incidência deste na areia ou na água das praias.

O estudo é uma parceria entre o Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (IDEMA), o Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) e a Fundação de Apoio à Educação e ao Desenvolvimento Tecnológico do RN (FUNCERN), fazendo parte do Programa Água Azul.

Foram coletadas, analisadas e classificadas amostras de água em 33 pontos nas praias potiguares, distribuídas na faixa costeira situada entre os municípios de Nísia Floresta e Extremoz, a fim de classificar e informar aos banhistas quais as condições das praias monitoradas para o banho.

Sesap orienta municípios para notificarem casos de pessoas em contato com manchas de óleo nas praias

Foto: Divulgação

A Sesap se reuniu na manhã desta sexta-feira (8) com representantes da área da saúde dos municípios atingidos pelas manchas de óleo no litoral potiguar para discutir as ações que vêm sendo desenvolvidas, reforçar os cuidados que devem ser adotados, sensibilizar quanto a importância da notificação por intoxicação e apresentar o protocolo de atendimento para pessoas que entraram em contato com o material.

Ao todo, 13 municípios foram mobilizados, são eles: Natal, Ceará-Mirim, Parnamirim, Extremoz, Baía Formosa, Canguaretama, Nísia Floresta, Senador Georgino Avelino, Tibau do Sul, Tibau, Maxaranguape, Rio do Fogo e Touros.

“A proposta desse espaço é, principalmente, sensibilizar quanto a notificação. É a partir delas que conseguirmos ampliar as ações que já vêm sendo desenvolvidas e criar novas estratégias para orientar à população quanto aos riscos do contato direto com a substância”, explicou a subcoordenadora de Vigilância Ambiental da Sesap, Aline Rocha.

Entre as atividades já desempenhadas pela secretaria de saúde, desde que os primeiros vestígios de óleo nas praias começaram a surgir estão a integração no Gabinete de Gestão Integrada (GGI), a participação nas capacitações dos voluntários com agentes da Defesa Civil e Idema, o estabelecimento do fluxo de notificação por intoxicação exógena e a construção do protocolo de atendimento, o monitoramento da população afetada e o atendimento à população através do Centro de Assistência Toxicológica do RN.

Orientações

A Sesap ressalta a importância de a população evitar contato direto com a água e o solo nas regiões atingidas pelo óleo, sobretudo os grupos que possuem maior vulnerabilidade, como crianças e gestantes. Quando houver contato com o óleo, mesmo que não haja o surgimento de sintomas, a população deve buscar atendimento médico na unidade de saúde mais próxima.

A pasta também reforça que o Centro de Assistência Toxicológica do RN (Ceatox) está à disposição da população para tirar dúvidas em casos de exposição ou aparecimento de sintomas por meio dos telefones 0800 281 7005 (das 7h às 18h) e pelos Whatsapps 24h (84) 98125-1247 ou (84) 98803-4140.

Outra recomendação é avaliar os pescados oriundos das áreas atingidas. É necessário observar se possuem manchas, furos ou cortes nas superfícies. O ideal é que as brânquias (guelras) do peixe estejam com a cor rosada ou vermelha intensa, brilhantes e sem viscosidade. Caso haja dúvidas sobre a qualidade do pescado ele não deve ser consumido.

FOTO: Sindipostos RN entrega itens coletados para ajudar no esforço de limpeza das praias potiguares eventualmente atingidas por óleo

Foto: Divulgação

Após pouco mais de uma semana de campanha com os seus associados, o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado (Sindipostos RN), entregou no final da manhã desta quinta-feira, 7, os itens coletados para ajudar no esforço de limpeza das praias potiguares eventualmente atingidas por óleo.

Foram entregues 200 kits contendo, cada um, luva, máscara, botas plásticas e dois sacos reforçados para acondicionamento do material. Também foram doados um total de 4.800 copos de água mineral, com 200ml cada.

Defesa Civil de Natal recebe equipamento para limpeza de óleo nas praias

Foto: Divulgação

A Defesa Civil Municipal recebeu nessa quarta-feira (30/10), equipamento de proteção individual para ser utilizado pelos agentes nas situações de limpeza das praias da capital aonde for detectado óleo bruto. O material doado pela Cosern e pelo Governo Federal foi entregue numa ação do Governo do Estado.

Os equipamentos de ação protetiva pessoal compreendem luvas, máscaras, botas e protetores solares. Também foi distribuído com a Defesa Civil Municipal o material disponibilizado pelo Grupo de Avaliação e Acompanhamento (GAA), do Governo Federal, que enviou pás, carros de mão, peneiras, ancinho, baldes, big bags e bombonas plásticas.

A Defesa Civil de Natal vem monitorando diariamente as praias da capital desde o último dia 22 deste mês. Os agentes estão divididos em equipes e percorrem regulamente a faixa de areia das praias de Ponta Negra, Via Costeira, Areia Preta, Praia do Meio, Praia do Forte e Redinha. Durante o trabalho de vistoria, os agentes chegaram a encontrar pequenos vestígios de óleo bruto, sendo a constatação imediatamente informada aos órgãos de controle Estadual e Federal, como orienta o protocolo de procedimentos.

A secretária da Semdes, Sheila Freitas, informou que todo o efetivo da Defesa Civil de Natal está sob alerta e deve continuar o monitoramento do litoral da capital pronto para agir em caso de presença de óleo na orla. “A Defesa Civil de Natal vem se somando aos demais órgãos com o objetivo de evitar dano ambiental nas praias”, comentou a secretária.

Os agentes da Defesa Civil de Natal passaram por uma qualificação para atuar nas situações onde forem encontradas manchas de óleo.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. florencio disse:

    E de criticos kkkkkk

  2. Alexandre disse:

    Enxugando gelo …tem que fazer a contenção no mar…

FOTOS: Ministro do Turismo sobrevoa área de litoral, molha os pés em local atingido por óleo e diz que “praias do Nordeste estão aptas para receber banhistas”

Ministro do Turismo [de azul escuro] molha os pés em Muro Alto, em Ipojuca, uma das localidades atingidas por óleo em Pernambuco — Foto: Reprodução/TV Globo

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, esteve na praia de Muro Alto, em Ipojuca, no Litoral Sul de Pernambuco, onde chegou a entrar na água e a molhar os pés, na manhã desta sexta-feira (25). Usando uma camisa com o nome “Porto de Galinhas”, ele afirmou que “as praias do Nordeste estão aptas aos banhos dos turistas”.

Ao todo, dez cidades pernambucanas tiveram praias manchadas pelo óleo no período entre 17 de outubro e esta sexta-feira (25): São José da Coroa Grande, Barreiros, Tamandaré, Sirinhaém, Rio Formoso, Ipojuca, Cabo de Santo Agostinho, Jaboatão dos Guararapes, Paulista e Itamaracá. Até quinta (24), 1.358 toneladas de resíduos foram recolhidas do litoral do estado, segundo balanço do governo.

Antes de falar com jornalistas, Marcelo Álvaro sobrevoou o litoral pernambucano e contou não ter visto manchas de óleo no mar ou nas praias.

“A região aqui está completamente apta à frequentação de turistas, por isso é importante o Brasil saber disso. Não só Pernambuco, mas os estados do Nordeste que foram atingidos tiveram uma ação por parte do Plano Nacional de Contingência, onde o ministro do Meio Ambiente liderou esse processo de forma muito eficiente”, disse.

Na quinta-feira (24), amostras de água de praias pernambucanas atingidas pelo óleo, inclusive Muro Alto, foram coletadas pelo governo estadual para verificar se existem hidrocarbonetos, compostos orgânicos presentes no petróleo e que, em grandes concentrações, podem causar danos à saúde.

A previsão é que os resultados sejam divulgados em novembro. Enquanto isso, a recomendação de pesquisadores é que, nos locais onde a praia já foi limpa, o banho de mar está liberado, mas, nos locais onde ainda existe óleo, as pessoas devem evitar o banho do mar.

Foto da quinta-feira (24) mostra técnicos da Agência Estadual de Meio Ambiente coletando para análise água na Praia do Paiva, no Cabo de Santo Agostinho, atingida por óleo — Foto: Mônica Silveira/TV Globo

O ministro também mencionou que há R$ 200 milhões, através do Fundo Geral do Turismo (Fungetur), disponíveis para pequenos e médios empreendedores do setor de turismo, de cidades ou estados afetados pelo óleo.

“São linhas de crédito muito atrativas no ponto de vista de prazos e também do custo do crédito, carências. Se algum pequeno ou médio empreendedor aqui vier [a ter] a necessidade de capital de giro, de reformas, de investimentos, então o Ministério do Turismo disponibiliza para os estados e também as cidades impactadas pelo óleo vindo do mar”, afirmou.

Segundo o titular do ministério do Turismo, estão sendo preparadas peças publicitárias para promover os destinos turísticos no litoral. “É preciso separar aquilo que é mito daquilo que é realidade. E a realidade são praias limpas, são banhistas frequentando naturalmente o mar, é isso que a gente tem visto aqui. Praias cheias. É isso que a gente precisa mostrar para o Brasil e para o mundo”, declarou.

Questionado sobre as críticas de comerciantes e voluntários sobre a demora nas ações do governo federal para recolher o óleo das praias do Nordeste, Marcelo Álvaro Antônio disse que as ações têm sido feitas desde o início de setembro.

“Acredito que o governo agiu, sim, dentro do prazo correto, com uma agilidade muito grande. Tanto que, dos nove estados atingidos, a grande maioria já estão aptos (sic) a receber os turistas e também os banhistas nas praias”, disse.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carlos disse:

    Esse ministro é um lunático, o que ele diz não tem credibilidade nenhuma , é igual ao chefe Bolsonaro, um doido !!!

  2. Alfo Laranjeiras disse:

    Esse não é o gerente do laranjal? Né ?

  3. Jk disse:

    Deixa esse "pomba lesa" passar um dia de molho numa praia dessa pra ele virar um CHURROS DE PICHE.

    • Delano disse:

      Mais fácil ser roubado pelos filhotes de pt e do STF, que se proliferarão aos bilhões.

Mais de 1.800 voluntários se cadastram para limpeza do óleo nas praias do RN

Foto: Adema/Governo de Sergipe

Desde a segunda-feira (21) até as 14h desta quarta-feira (23), 1.841 pessoas se cadastraram como voluntárias para participar dos mutirões de limpeza do óleos nas praias do Estado, dentro da campanha #SeChegaraGenteLimpa. A Coordenadoria Estadual da Defesa Civil, Idema e Secretaria Estadual de Saúde irão realizar nos dias 24 e 25 a capacitação dos voluntários para atuarem na limpeza das praias.

O coordenador da Defesa Civil, Marcos de Carvalho, destaca a importante participação da população nas ações. A expectativa era de que fossem cadastrados cerca de 800 voluntários, mas o número final de quase 2 mil pessoas demonstra o interesse em ajudar a mitigar o problema que atinge o litoral nordestino.

“Além dos voluntários, fomos procurados pelos Escoteiros, pela Cosern, que quer fazer doação de material, pelo Sindipostos (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do RN) que vai disponibilizar os postos de combustíveis como pontos de coleta de produtos, como água e protetor solar, para os voluntários. E mais empresas estão aderindo à campanha”, ressaltou.

A capacitação será realizada de acordo com o seguinte cronograma:

Dia 24 – das 8h às 10h

Touros – auditório do Centro de Turismo
Ceara-Mirim – Câmara Municipal
Extremoz – Ecoposto de Jenipabu

Dia 24 – das 14h às 16h

Natal – Secretaria Municipal de Administração
Rio do Fogo – Câmara Municipal
Maxaranguape – Câmara Municipal

Dia 25 – das 8h às 10h

Nísia Floresta – auditório da Secretaria Municipal de Educação
Baia Formosa – Câmara Municipal
Tibau do Sul – centro de treinamento da rede hoteleira

Dia 25 – das 14h às 16h

Parnamirim – auditório do Centro Administrativo Municipal
Canguaretama – Iate Clube Barra de Cunhaú
Senador Georgino Avelino – Palhoção da Barragem

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    Aproveita, Fatão: desempregado é o que não falta nesta taba de Poti. Chama os cumpanhêru da CUT, do Sindipetro, MST, MTST, os ecochatos de plantão… e ripa na chulipa.

Óleo recolhido em praias será levado para aterros e indústrias, diz ministro do Meio Ambiente

Foto: Reprodução/TV Globo

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, afirmou que o óleo recolhido nas praias de todo o Nordeste deve ser encaminhado para aterros ou para a indústria. A declaração foi dada nesta terça-feira (22), após Salles sobrevoar o litoral pernambucano e inspecionar o trabalho do Exército na cidade do Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife.

“O óleo tem a hipótese de ser levado para aterros próprios ou ser enviado para cimenteiras e fornos de siderúrgicas. Já há três semanas, o ministério estabeleceu com a indústria cimenteira uma linha de ação para destinar todo esse volume de óleo”, afirmou, durante coletiva na Capitania dos Portos, no Recife.

No sábado (21), o secretário de Meio Ambiente de Pernambuco, José Bertotti, já havia informado que o material coletado nas praias do estado seria encaminhado a empresas da indústria cimenteira. As 257 toneladas do material recolhidas em cinco dias do litoral pernambucano foram encaminhas ao Centro de Tratamento de Resíduos, em Igarassu, no Grande Recife. No local, o material vira um combustível usado pelas indústrias.

Durante a visita a Pernambuco, Salles constatou durante o voo que há um único ponto em todo o estado com incidência de óleo nesta terça (22), que é o trecho de Itapuama, no Cabo.

Origem das manchas

O ministro também apontou que não há certeza sobre como o petróleo, que começou a aparecer no fim de agosto nas praias do Nordeste, chegou à costa brasileira. “Nós dissemos que esse óleo é venezuelano, [mas] como ele chegou ao litoral brasileiro é o que estamos investigando”, afirmou.

“A Petrobras e outros laboratórios fizeram comparações com amostras de outros incidentes e outros episódios, que estavam arquivadas. Foi detectada a coincidência desse óleo com um específico da Venezuela, inclusive de três poços, que são as potenciais origem. Não quer dizer que esse óleo veio vazando da Venezuela até aqui”, disse.

Salles afirmou, ainda, que “o governo tem feito tudo estruturado” e que “não é hora de politizar”, em resposta à declaração do governador Paulo Câmara (PSB) na segunda (21), que disse que o governo federal tem trabalhado de forma “improvisada”.

“O governo tem feito tudo estruturado. Todas as equipes que estão produzindo, trabalhando, tem feito um trabalho bastante dedicado e intenso desde o começo. Não estamos perdendo tempo com discussões que não efetivamente para concluir o problema, para resolver, para recolher, destinar e continuar monitorando e investigando as causas”, declarou o ministro.

O montante do governo federal destinado ao trabalho em Pernambuco não foi informado.

Óleo no Nordeste

Pelo menos 900 toneladas de resíduos já foram recolhidas das praias afetadas pelas manchas de óleo no Nordeste, segundo balanço divulgado pela Marinha na segunda-feira (21). As manchas de petróleo surgiram em 30 de agosto e já afetaram 200 locais em 9 estados, segundo o relatório do Ibama.

No mesmo dia, o vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) informou que o Exército decidiu disponibilizar a 10º Brigada de Infantaria Motorizada, sediada no Recife, como “reforço” para as ações de vigilância e limpeza das praias com manchas de óleo. Os militares começaram a atuar nessa terça-feira (22) (veja vídeo acima).

A medida foi tomada após a Justiça Federal determinar o cumprimento de ações para retirada do óleo das praias de Pernambuco à União e ao Ibama. A liminar foi concedida no domingo (20), após cobranças do governo estadual. Entre as medidas estão a distribuição de boias de contenção e Equipamentos de Proteção Individual, inclusive para voluntários.

G1

 

Governo do RN orienta população sobre cuidados com manchas de óleo nas praias

Foto: Adema/Governo de Sergipe

O Governo do Rio Grande do Norte, por meio da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), orienta a população quanto aos cuidados que devem ser adotados ao serem encontrados resíduos de óleo em algumas praias do litoral potiguar.

A Sesap ressalta a importância de a população evitar contato direto com a água e o solo nas regiões atingidas pelo óleo, sobretudo os grupos que possuem maior vulnerabilidade, como crianças e gestantes. Quando houver contato com o óleo, mesmo que não haja o surgimento de sintomas, a população deve buscar atendimento médico na unidade de saúde mais próxima.

De acordo com o Ministério da Saúde, os efeitos à saúde decorrentes da exposição aos derivados de petróleo podem se dar de diversas formas, como dor de cabeça, náusea e irritações na pele, em caso de contato com o material, e dor abdominal, diarreia ou vômito, em caso de ingestão.

Para os profissionais que receberão a população que foi exposta a substância, a secretaria de Saúde orienta a necessidade de notificação dos casos suspeitos e/ou confirmados de intoxicação exógena na ficha do Sistema Nacional de Agravos de Notificação (Sinan) e, em caso de surto alimentar, realizar o contato com o Centro de Informação Estratégica em Vigilância em Saúde (Cievs).

A pasta também reforça que o Centro de Assistência Toxicológica do RN (Ceatox) está à disposição da população para tirar dúvidas em casos de exposição ou aparecimento de sintomas por meio dos telefones 0800 281 7005 (das 7h às 18h) e pelos Whatsapps 24h (84) 98125-1247 ou (84) 98803-4140.

Trabalhadores da pesca e voluntários

Os voluntários na Operação “Se chegar a gente limpa” e os trabalhadores da pesca também devem estar atentos aos cuidados necessários para se protegerem contra os efeitos que podem ser provocados pelo contato direto com a substância. É imprescindível a utilização de botas ou calçados impermeáveis, luvas PVC, óculos de proteção, chapéu ou boné, roupa com proteção UVA/UVB e máscaras descartáveis para vapores orgânicos.

A atenção também deve estar voltada para a hidratação (ingestão de água) durante os trabalhos e de não fumar próximo ao local das manchas de óleo.

Ingestão de pescados

Outra recomendação é avaliar os pescados oriundos das áreas atingidas. É necessário observar se possuem manchas, furos ou cortes nas superfícies. O ideal é que as brânquias (guelras) do peixe estejam com a cor rosada ou vermelha intensa, brilhantes e sem viscosidade. Caso haja dúvidas sobre a qualidade do pescado ele não deve ser consumido.

Ações do Governo

Desde as primeiras ocorrências no início de setembro, o Governo do Estado vem adotando medidas para colaborar nas ações mitigatórias, com o auxílio direto aos municípios atingidos, na instrução técnica de como coletar, manusear e armazenar o óleo.

Foi instalado o Gabinete de Gestão Integrada (GGI), sob a coordenação da Defesa Civil Estadual, para tratar das manchas encontradas e, como parte do Plano de Resposta e Mitigação de Desastre, o Governo recebe, até esta quarta-feira (23), o cadastro de voluntários que desejem atuar na operação “Se Chegar a Gente Limpa”. A iniciativa visa montar mutirões para atuação na limpeza das praias potiguares atingidas por manchas de óleo.

Para atender o Ministério Público Federal, foi feito, ainda em setembro, através do Idema, ações educativas em todos os 10 municípios afetados. As ações orientaram sobre os riscos e efeitos do contato dos resíduos betuminosos encontrados no litoral do RN. Durante a atividade, foram realizadas reuniões com gestores, secretários, associações, operadores turísticos, colônia de pescadores, comunidade local, além de donos de pousadas e restaurantes.