Forças de Segurança Pública intensificam fiscalização na orla de Natal

Foto: Pedro Santiago

Na manhã desta quinta-feira (23), as forças de Segurança Pública do Estado (Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros) intensificaram as ações do Pacto Pela Vida na orla marítima de Natal, atendendo à solicitação de apoio feita pelo município de Natal.

Iniciativa do Governo do Estado e pactuada com diversos municípios do Rio Grande do Norte, o Pacto Pela Vida segue realizando ações para o cumprimento dos decretos estaduais, visando o combate da pandemia do coronavírus.

“Há meses trabalhamos diariamente na fiscalização do cumprimento dos decretos estaduais. Agora, atendendo a uma solicitação do município de Natal, iremos apoiar as fiscalizações desses órgãos em toda orla marítima”, apontou o secretário estadual de Segurança Pública, Coronel Francisco Araújo.

Ao todo, mais de 8.600 denúncias foram recebidas no Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), que iniciou o sistema de videomonitoramento de todas as praias urbanas da capital. A Polícia Civil confeccionou 38 Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO), dos quais a maioria foi relacionada com estabelecimentos que descumpriram os decretos (19) e festas que promoveram aglomerações (6). No caso das festas, em dois casos foram instaurados inquéritos policiais.

Já o PROCON/RN, que atua nas ações do Pacto Pela Vida, aplicou 550 multas, que variam de R$ 5 mil a R$ 50 mil. Antes das penalidades cabíveis, o órgão primeiramente faz uma notificação e orientação. Porém, em caso de reincidência, as multas são aplicadas, podendo ainda haver a suspensão e interdição do estabelecimento.

Todos os decretos do Governo do Estado são baseados nas orientações do Comitê Científico do RN criado especialmente para lidar com a pandemia do coronavírus. Esse comitê se baseia no que existe de mais atualizado na Organização Mundial de Saúde (OMS). Quem quiser denunciar o descumprimento dessas medidas, basta ligar para o 190. Após a verificação das chamadas, as ocorrências são atendidas pelo efetivo da Polícia Militar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sergio disse:

    Tem que fiscalizar as barracas das praias do litoral ( Camurupim, Pirangi do sul, Cotovelo) nos finais de semana, dia de semana na via costeira e ponta negra é mole.
    no final de semana não tem mesa pra tanta gente nessas barracas e zero de medidas de precaução, só muita cerveja e caranguejo.

Videomonitoramento da Sesed amplia cobertura da orla de Natal

Foto: Divulgação

A Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) está ampliando o sistema de videomonitoramento ao longo de toda orla de Natal. O percurso contará com câmeras integradas, 24 horas por dia, ao Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp). A melhoria no monitoramento faz parte do projeto Governo Cidadão (uma parceria entre o Governo do Estado e o Banco Mundial) e foi realizada por meio de um investimento de R$ 6,9 milhões.

A ação do Governo do Estado aprimora e moderniza o sistema de segurança como enfatiza o secretário de Segurança, Coronel Francisco Araújo. “O videomonitoramento é uma ferramenta de fundamental importância ao sistema de segurança pública porque traz mais agilidade no tempo de respostas das ocorrências policiais. Pelas câmeras do Ciosp conseguimos chegar ao local da ocorrência com mais precisão, de uma maneira mais rápida”, apontou.

De acordo com o diretor do Ciosp, Tenente-Coronel Kleber Macedo, a implementação do sistema de videomonitoramento, no atual momento de pandemia do coronavírus, será fundamental para a manutenção dos decretos publicados pelo Governo do Estado. “As câmeras irão auxiliar no cumprimento ao decreto estadual, seja para evitar aglomerações, monitorar e fiscalizar o funcionamento do comércio, além da atuação direta nas ações de segurança pública”, disse.

O Secretário de Gestão de Projetos e Metas e coordenador do Projeto Governo Cidadão, Fernando Mineiro, ressalta que o investimento por meio do Banco Mundial aprimora as ações do Governo na área de segurança pública. “O foco central é potencializar e integrar as ações na área através da modernização das ferramentas de ação”.

Ao todo, o projeto prevê a instalação de 140 câmeras do tipo PTZ que realizam movimentação em 360 graus. Os equipamentos estão sendo colocados nas praias urbanas de Natal, em um percurso que tem início na praia de Ponta Negra, passando pela Via Costeira, Ponte Newton Navarro, até a praia da Redinha. Além dessas câmeras, o sistema contará com 44 câmeras em 22 portais para detecção e fiscalização de placas de veículos, totalizando 184 câmeras no trajeto. Atualmente, o percurso já conta com 64 câmeras em completo funcionamento, 30 pontos já instalados que aguardam ligação de energia, e o restante das câmeras em fase de instalação.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Morais disse:

    Quantas em funcionamento na ZN?

Empresa do grupo do Beach Park vai construir novo parque aquático na orla de Lucena, na região metropolitana de João Pessoa, com investimentos de R$ 100 milhões

O Sun Park será construído em Lucena e já conta com um investimento inicial de R$ 100 milhões (Foto: Clilson Júnior)

Em 2019 viralizou nas redes sociais um vídeo publicitário do projeto de construção de um parque aquático na Região Metropolitana de João Pessoa. Pelo projeto, a promessa era de ser o maior parque aquático da América Latina. Nessa quinta-feira (27) o canal Hapfun, no Youtube, divulgou as primeiras informações sobre a concretização deste projeto.

O Sun Park será construído em Lucena e já conta com um investimento inicial de R$ 100 milhões. O terreno total do parque é de 2 milhões de m², sendo uma área de 300 mil m² dedicada para instalação do parque aquático, rede hoteleira, projetos imobiliários e estacionamento.

Atualmente a empresa responsável pelo novo parque aquático está na fase de projeto. A expectativa é de que as obras sejam iniciadas no prazo de 24 meses.

Os youtubers Fagner Marques e Alisson Traldi, responsáveis pelo canal Hapfun, foram convidados pela empresa executora do Sun Park para conhecer o projeto. O canal tem mais de 54 mil inscritos e é especializado em novidades sobre parques no Brasil.

Click PB

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Francisco Xavier das Chagas disse:

    O governador Camilo Santana do Ceará é do PT e esta dando certo

  2. Tarcísio Eimar disse:

    E o RN só ficando pra trás

  3. Sérgio paulo disse:

    E o Rn levando corro da Paraíba. Eita verdade. Isto é bom acontecer pra ver se a população acorda e não vota neste bando de safado.

  4. Claudia Leite disse:

    O pior dos piores essa desgovernadora isso aí nunca foi professora e diploma comprado a única coisa que essa criatura faz e comer pipoca e comer caraca e beber cachaça imissão aí ela é competente obreiro e lixo coitado do RN e o que da voto comprado e ainda comprou a bancada esse deputados estatuais que não estão nem aí para esse estado só querem encher os bolsos o estado ferrado e só o que esse partido dasbtrevas faz por onde passa e pior que tem ainda gente Sega eu são idiotas mesmo estamos pág um oreço alto por ter sido comprados esses voto só Deus

  5. Paleo disse:

    Inseguranca juridica, o RN é bom nisso.

  6. Ceará-Mundão disse:

    E as ações da desgovernadora do PT em prol do RN? E o passeio turístico que ela fez por Europa e Ásia, com direito a contrabando de queijo para a França? Nenhum resultado? Como foi que o povo potiguar foi cometer a loucura de eleger essa senhora, depois de TUDO que vimos o PT fazer com o Brasil? A única coisa que essa senhora já fez na vida foi políticar. A que se diz professora mas que ninguém dá notícia de um aluno seu sequer. É ainda deixou outra nulidade no seu lugar no Senado, um franco carioca sem qualquer aptidão para o cargo. Pobre RN, sem senador, com 2 ou 3 deputados e sem governo. Haja oração!

  7. Raimundo disse:

    MP do meio ambiente e o MP do trabalho não deixam esse tipo de empreendimento ser aqui

  8. Laura disse:

    Se viesse para o Rn,não iriam conseguir os alvarás, ministério do trabalho ia perseguir,por isso foi para a PB é nosso RN cada vez lá para trás.

  9. Gerardo disse:

    E aquela viagem a China, Europa, Afeganistão, Iraque, baixa da égua ?? Gerou alguma coisa ou só turismo ???

  10. Pedro disse:

    E o velho RN de guerra, com essa governadora dando passadas largas na incompetência, a Paraíba, outrora estado sem muito brilho, vai deslanchando em competência. Parabéns paraibanos, nós temos o que vcs não querem aí.

  11. Mendonça Jr disse:

    E aí Natalenses ecologicamente incorretos!? Tá vendo o que ter muito mimimi ambiental? João Pessoa engolirá Natal em breve.

  12. Morani disse:

    Enquanto isso no Reino do faz de conta, continuamos comendo bokus. Fafá arrudiada de desenvolvimentista e teóricos, alguns oportunistas outros até bem intencionados, porém sem vez e voz. Abre do olho Fafá!!!

  13. Gervásio Mila disse:

    Mais uma vez o RN fica prá trás.Cadê nossos governantes?

  14. Luciana Morais Gama disse:

    E o nosso RN capengando, resultado de 60 anos de ALVES e MAIA, e agora pra terminar de quebrar o PT.

Especialistas defendem que Prefeitura reveja a técnica de enrocamento que utiliza na orla de Natal e adote o sistema de “colmeias”

Foto: Divulgação

Ao contrário do enrocamento de pedras que vem sendo realizado na orla de Ponta Negra com o objetivo de conter o avanço do mar, especialistas defendem que o poder público passe a investir em um sistema inovador, trazido da Holanda e que tem se mostrado mais eficiente e menos onerosa do que a adotada atualmente pela Prefeitura do Natal, desde a gestão do ex-prefeito Carlos Eduardo Alves (PDT). Esse assunto foi debatido recentemente, durante audiência pública realizada na Associação dos Moradores dos Parques Residenciais de Ponta Negra e Alagamar, no final de Janeiro, com as presenças do diretor geral do IDEMA, Leon Aguiar, do Ministério Público do RN, através da promotora Gilka da Mata, do secretário municipal de Obras de Natal, Tomaz Neto, do consultor e especialista em planejamento e gerenciamento em engenharia, o pernambucano Leonides Alves Neto e também com a participação da sociedade civil.

No encontro, foi evidenciado que o modelo de enrocamento que vem sendo utilizado em Natal, além de ser expressivamente mais caro, não oferece os mesmos resultados positivos que os da tecnologia “Modulo Bloc”. Essa técnica, assemelha-se a uma ‘colmeia’, em um dos modelos.

Em outro, no formato retangular, operam de duas maneiras distintas: a primeira, permitindo que as ondas, que contem grande quantidade de areia e sedimentos de praia, passe pelos elementos vazados desse formato, filtrando e devolvendo a àgua ao mar e retendo o material fino (areia), auxiliado por uma membrana Geotêxtil instalada sobre um colchão de brita. A segunda, através do blocos retangulares, promove a quebra da força das ondas e dissipa sua energia, reduzindo drasticamente a erosão na praia.

Esse método, utilizado há mais de 200 anos na Europa, já tem a sua eficiência e relação custo-benefício comprovados por empreendimentos públicos e privados em Natal e região metropolitana, como o muro de contenção na praia de Areia Preta, obra do DER/RN; escadaria da Praia de Cotovelo, obra da Prefeitura de Parnamirim; Hotel Vila do Mar, na Via Costeira, residência do Jornalista Cassiano Arruda, em Jacumã e mais recentemente no condomínio Ekoara Residence Resort, na Praia de Muro Alto em Porto de Galinhas/PE.

Recentemente, o jornalista Vicente Serejo, em sua coluna no jornal Tribuna do Norte, questionou o fato de a Prefeitura do Natal investir na atual técnica de enrocamento, considerada um “gigantesco ninho de rato”.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cara de besta disse:

    Sinto cheiro de venda de produto no ar. Esse vendedor é forte.

  2. Eduardo Peixoto disse:

    Isso aí está mais para uma porca de parafuso do que para uma colméia. A colméia é sextavada por dentro. Não sou nenhum especialista.

  3. Tito disse:

    É mais caro, é bom, e depois se precisar retirar o preço da mão de obra diminui bastante, é muito bom para quem faz. Péssimo para o contribuinte.

  4. Idiota completo disse:

    Excelente.
    Pagaram para fazer o viveiro de ratos.
    Agora vamos pagar para retirar o viveiro de ratos.
    Pagar para colocar as colmeias e rezar para funcionar.
    Nada de responsabilidade para ninguém.
    Pelo contrário, vão ganhar propina em.outras 2 obras.
    Que beleza!!!!

  5. Rodrigo disse:

    Show!

    Natal precisa evoluir !

    Este é o caminho !

  6. Rodrigo disse:

    Show!

    Natal precisa evoluir !

Sindicato de Hotéis destaca derrubada do Reis Magos e necessidade de melhorias na orla

O presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes Bares e Similares do Rio Grande do Norte, Habib Chalita, comentou a respeito da demolição do Hotel Reis Magos, que ocorreu na quarta-feira, 8. “Este fato mostra apenas um dos problemas que nossa orla e o turismo vem enfrentando nos últimos anos”, disse.

A expectativa dele é que, com a demolição do hotel e a discussão do Plano Diretor de Natal, a orla urbana da capital possa ser recuperada e melhorada ao longo dos próximos anos.

Habib Chalita declarou que “nossa orla precisa melhorar muito”. “Mas todo esforço para se deixa-la turística é válido”. Ele lembra que “não podemos esquecer também de Ponta Negra, nosso principal cartão postal”.

Na visão do presidente do Sindicato, é preciso um trabalho unificado e orientado do poder público e da iniciativa privada com foco em recuperar e fortalecer o turismo da capital do RN. “Com melhoramento desses fatores, a geração de empregos, impostos e segurança, vem a cargo da revitalização do corredor turístico de Natal, que é de Ponta Negra à Redinha, inclusive com a reforma do Mercado que será mais um atrativo para o turista”, argumentou.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Papa Jerry Moon disse:

    Para melhorar para o turismo é necessário melhorar p dia a dia do cidadão natalense, que vive aqui e aqui paga seus impostos. É preciso disponibilizar as praias da via costeira aos natalenses, criando acessos com infraestrutura entre os hotéis. É preciso também um acesso para as praias do litoral sul que não passe por Ponta Negra, o bairro não aguenta o fluxo de carros no verão.

  2. Almir Dionisio disse:

    Agora que perceberam isto, quando o caos tá instalado e Natal sendo conhecida e criticada pelos turistas como a pior orla urbana do Nordeste e quem sabe do país.

  3. Tá Tenso disse:

    Exatamente, concordo com o comentário. O problema turístico de Natal está acentuado, a derrubada daquele escombro é o inicio. Que os corneteiros daqui de plantão vejam como está Ponta Negra, Redinha e Praia do Meio. Horrível. Acorda Prefeito!!!

  4. Paulo disse:

    realmente a Orla de Natal merece melhor atenção pelo os orgãos Publicos da Cidade do Natal, más quando se trata do Turismo so quem lucra são os donos de hoteis e pousasdas, porque o trabalhador do setor de turismo é mal remunerado e muito exigido, tem hoteis que não tem um lugar adequado para os seus trabalhadores descansarem em horarios de almoço, muitos desses trabalhadores ficam vagando pela a orla de Ponta Negra até chegar o horario de retornar ao trabalho

  5. Lula na cadeia sempre disse:

    Só quem defendia essa bosta era os sujos ( eles não tomam banho )PTralhas, aqueles que amam o ditador MADURO e tudo oque não presta no mundo

Semurb orienta quiosqueiros notificados na orla de Ponta Negra

Foto: Divulgação/Semurb

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb) realizou, na manhã desta quarta-feira (11) uma reunião com os comerciantes e quiosqueiros que foram notificados na última fiscalização na Praia de Ponta Negra, na sexta-feira (06). Na reunião, as pessoas que foram notificadas e intimadas assinaram um termo de comparecimento e receberam orientações acerca das regras de funcionamento das atividades comerciais na faixa de areia da orla.

De acordo com o supervisor geral de Fiscalização Ambiental da Semurb, Leonardo Almeida, o objetivo das fiscalizações é manter o ordenamento garantido, já que nesse período a quantidade de turistas e frequentadores da praia aumenta consideravelmente. Dessa maneira é necessário que a praia esteja disciplinada, limpa e organizada. A gente intensifica essas ações na praia, durante a alta estação, porque é um período que tem uma maior movimentação de pessoas e fluxo de turistas, mas a fiscalização na praia é contínua”, disse.

Um dos assuntos que estiveram em pauta foi o limite máximo de jogos de mesas, cadeiras e guarda-sóis e a manutenção de mesas e cadeiras quebradas, como também, guarda-sóis rasgados na praia a utilização de carcaças de geladeiras para acondicionar bebidas; falta de organização e limpeza na área dos quiosques e locadores, e ausência de lixeiras adequadas revestidas com sacos plásticos. Utilização de mesas, cadeiras e guarda-sóis na faixa de areia lindeira ao calçadão, entre outros pontos.

Ficou determinada uma série de medidas a serem adotadas como: cada quiosqueiro/comerciante manter seus respectivos locais limpos, a disponibilização de uma lixeira com capacidade de 50 litros, com tampa e revestido com sacos de lixo, além de manter o quantitativo máximo de 15 jogos de mesas, cadeiras e guarda-sóis. Outros pontos foram a utilização de apenas duas caixas térmicas, manter no quiosque no máximo quatro engradados de cerveja e ao término do expediente acondicionar as mesas, cadeiras e esteiras, guarda-sóis, conforme determinado no Plano de Ordenamento e também manter o entorno dos quiosques isento de qualquer material ou utensílio.

“O descumprimento às determinações constitui infração de natureza grave, sujeita à aplicação de multa, apreensão de materiais, produtos e equipamentos, além da interdição total de atividades com respectiva cassação da autorização para trabalhar na Praia de Ponta Negra”, destaca o supervisor.

Plano de ordenamento

(mais…)

Revitalização da orla da Redinha vai contar com R$ 18,3 milhões para obras

Foto: Alex Régis

O prefeito de Natal, Álvaro Dias, se reuniu, na manhã desta sexta-feira (18) com o superintendente regional da Caixa Econômica Federal no Rio Grande do Norte, Marcus Vinicius Nascimento, para tratar sobre demandas administrativas entre a gestão municipal e a instituição financeira. O chefe do executivo municipal aproveitou o encontro para pedir agilidade nos trâmites burocráticos para a liberação dos recursos que serão utilizados na obra de reurbanização da orla da praia da Redinha.

Os recursos, na ordem de R$ 18,3 milhões, são oriundos das emendas impositivas do Orçamento Geral da União indicadas pelos parlamentares federais do Estado. Já haviam sido garantidos para a obra pouco mais de R$ 8,5 milhões, e, após um apelo do prefeito Álvaro Dias durante esta semana, a bancada potiguar consegui o descontingenciamento de mais R$ 9,8 milhões, complementando o valor.

Álvaro Dias destacou a importância dos serviços que preveem a reforma do Mercado da Redinha, com a adição de mais um pavimento ao prédio, instalação de praça de alimentação, varanda mirante, píer, deck e espaço para acomodar restaurantes de categoria internacional. Ainda será construído um centro de comercialização de artesanatos, a revitalização do muro da Igreja de Nossa Senhora dos Navegantes e a recuperação do mirante sobre o quebra-mar.

“Essa é uma obra emblemática para a região e para toda a cidade, potencializando a nossa vocação turística e gerando oportunidade para os moradores do querido bairro. Acredito na sensibilidade do superintendente da Caixa no Rio Grande do Norte para que os entraves burocráticos sejam vencidos de maneira célere para que possamos formalizar o convênio, iniciar o processo licitatório e tocar a revitalização da orla da praia da Redinha”, ressaltou o prefeito.

Também participaram da reunião o secretário municipal de Governo, Paulo César Medeiros, a secretária municipal de Administração, Adamires França, e o gerente geral da agência da Ribeira da Caixa Econômica Federal, Welter Melo.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    Este projeto será o cavalo de batalha do prefeito, na zona norte, rumo à reeleição no próximo ano.
    Sabe-se lá se será concluído um dia, ou se apenas ficará ao relento como mais obra inacabada.
    Mas isto aqui é Natal, ninguém se dá muito mal… nem mesmo em período eleitoral.

  2. paulo disse:

    BG
    Com uma eleição muito próxima é uma"boa".

Plano Diretor: Comissão debate na Câmara Municipal de Natal impactos da verticalização na orla

Fotos: Marcelo Barroso

Os vereadores da Comissão dos Direitos Humanos, Proteção das Mulheres, dos Idosos, Trabalho e Minorias receberam na manhã desta sexta-feira (13) moradores, representantes de ONGs, conselhos comunitários e pesquisadores, que debateram sobre os impactos da verticalização da orla para as comunidaddes e para a atividade da pesca, dentro da revisão do Plano Diretor de Natal.

Durante a reunião, os vereadores Eleika Bezerra (PSL), Ana Paula (PL), Maurício Gurgel (PSOL) e Divaneide Basílio (PT), que preside a comissão, tiveram conhecimento sobre pesquisas destas áreas e a visão das comunidades residentes próximas à orla. “Há uma diferença entre o que o povo está discutindo e o que o prefeito está anunciando e, por isso, estamos ouvindo o lado da população para que possamos nos posicionar e propor um plano mais inclusivo e que respeite os direitos humanos e as pessoas que moram nessas áreas”, disse a vereadora Divaneide.

A professora de arquitetura da UFRN, Amiria Brasil, que coordena o Fórum Direito à Cidade, explicou que um dos principais problemas que poderão surgir é pela falta de saneamento que comporte o adensamento a partir da construção de prédios mais altos. “É possível verticalizar com o que já está posto, porque liberar a verticalização impacta diretamente nas comunidades locais e paisagens que são protegidas por se tratar de Zonas Especiais de Interesse Turístico. O que está em jogo na verticalização também é a exclusão das pessoas que moram na área, além do impacto na infraestrutura. Há uma necessidade de adensar, mas planejando a infraestrutura porque pode até prejudicar o lençol freático”, explicou a professora.

Na reunião foram apresentadas imagens comparando como é atualmente e como ficaria a orla com as mudanças, inclusive citando exemplos de outras capitais. Algumas dessas áreas também coincidem com Áreas Especiais de Interesse Social (AEIS), destinadas à produção, manutenção e recuperação de habitações de interesse social, como no bairro de Mãe Luíza. “As AEIS impedem a verticalização sem sustentabilidade por não permitir o remembramento que é necessário para construções maiores. Isso garante a moradia das pessoas que são de lá e que, dificilmente, continuariam morando nos imóveis que chegariam com a verticalização”, prevê Rafael Uchoa, do Projeto Motyrum, da UFRN.

Natal tem cerca de 50 AEIS, mas apenas 10% estão legalizadas como tal. Há ainda a preocupação com a atividade pesqueira. A presidente da Colônia de Pescadores de Natal, Rosângela Silva, relatou que a categoria está apreensiva. “A gente teme a retirada dos pescadores do local onde nasceu, onde trabalha e tira o sustento. Isso já tem acontecido ao longo dos anos com as mudanças na cidade, mas esperamos que esta Casa defenda a população”, declarou.

A Câmara já está debatendo, por temas, a revisão do Plano Diretor em preparação para a votação do projeto que deverá chegar à Casa até dezembro. Nesta semana já foi realizada uma audiência pública que tratou da acessibilidade para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida na revisão da lei.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Amon Carlos de Oliveira disse:

    Conheço muito bem a orla maritima urbana das capitais, Maceió, Recife, Aracajú, João Pessoa e Fortaleza, a orla de Natal também conheço, pois, moro aqui, a da minha cidade em comparação as citadas acima se caracteriza como verdaderas favelas, pergunta-se por qual razão não se urbaniza nossa orla para atrair o turismo, gerando emprego e renda

  2. Raphael disse:

    Enquanto isso a cidade fica parada no tempo por conta de "pseudo intelectuais"

  3. Ultraprogressista disse:

    Inclusão social se dar com emprego ,simples assim,Professora

  4. Luciana Morais Gama disse:

    Natal, a única cidade litorânea do Brasil que DEU AS COSTAS PRO MAR.

Secretaria Municipal de Saúde inicia desratização na orla de Ponta Negra

A Secretaria Municipal de Saúde realiza desratização na orla de Ponta Negra, zona sul de Natal, nesta quinta-feira (10) e sexta-feira (11), das 8h às 14h. A ação conta com a parceria do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) e Distrito Sanitário Sul e Unidade de Saúde da Família de Ponta Negra e da Urbana.

De acordo com a chefe da Vigilância Epidemiológica do Distrito Sul, Alessandra Pierre, “a ação tem o propósito de combater e controlar a população de ratos, adotando medidas que eliminam os fatores ambientais determinantes de riscos para a transmissão de doenças, como a leptospirose peste, tifo, hantaviroses, entre outras”.

Uma equipe com cerca de 30 pessoas, entre agentes de controle de endemias, supervisores e profissionais de saúde, estarão em campo próximo ao Hotel Praiamar até o Morro do Careca realizando a iscagem (colocação de raticida), em pontos estratégicos e atividade educativa com orientações para a população de trabalhadores da área.

Após uma semana os técnicos retornam para a reiscagem e após mais uma semana é realiza a limpeza área pela Urbana. O total de área trabalhada será de 2.239 imóveis de Ponta Negra.

“Estaremos conscientizando os moradores, banhistas, rede hoteleira, trabalhadores e população para manter a praia sempre limpa, evitando juntar lixo na orla. Solicitamos a população evitar deixar Água, Alimento, Acesso e Abrigo, que são os quatro “As”, responsáveis por atrair ratos. O animal aparece na praia porque algo o atrai, pois há comida e abrigo no local, que favorecem o aumento dos animais, como o lixo descartado de forma irregular nas praias”, destacou o supervisor de área, José Humberto do Nascimento.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ana Clara Davi disse:

    Quais medidas de contenção, para não contaminar o meio ambiente, uma vez que a maré cheia atinge as pedras onde os raticidas vão ser colocados e retirados apesar, uma semana depois.

  2. euzim disse:

    Vão retirar os petistas da praia?

  3. Anti-Comunista disse:

    E o calote do PT de R$ 1 bilhão de reais no funcionalismo.

Postes da orla de Natal começam a ser substituídos

18018O projeto de urbanização da Orla de Natal entra em uma nova fase e, a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur), em parceria com a Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semopi), iniciou a remoção da rede de iluminação pública da Avenida Praia do Forte, em Santos Reis. A retirada dos postes será feita por etapas. O primeiro trecho começa no Forte dos Reis Magos e vai até as proximidades da estátua de Iemanjá.

Segundo informações do Diretor do Departamento de Iluminação Pública da Semsur, Antônio Fernandes, durante essa ação ele não descarta apagões ocasionais, mas sem grandes transtornos à população. ”Começamos este trabalho e fazemos um alerta à população para evitar trafegar nas áreas da obra, pois com a substituição dos equipamentos será inevitável que as vias fiquem escuras. Ele alerta também para a dificuldade provocada com a instalação do canteiro de obras, que diminuirá o passeio público”.

A Semsur pede a compreensão por parte dos moradores e frequentadores das praias urbanas, pois os transtornos causados são em prol do melhoramento da orla e que beneficiarão todos os que frequentam o local.

A fim de minimizar o impacto comercial e ambiental que as obras trarão aos comerciantes e banhistas, devido à baixa luminosidade, a Prefeitura colocou uma engenheira para explicar o projeto, tirar dúvidas e ouvir sugestões. A obra tem um prazo de seis meses para conclusão. A Semsur instalará também projetores na área afetada.

Com prefeitura sem dinheiro, orla de Ponta Negra depende de ajuda federal

 

 

Não há nenhuma previsão otimista para a praia de Ponta Negra. A prefeitura já afirmou que não tem como fazer os reparos sozinha e os recursos tão aguardados do Governo Federal podem demorar a chegar. A prefeita Micarla de Souza esteve em Brasília para participar de uma reunião com o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, para tentar captar recursos. A meta era agilizar a liberação de  R$ 3,5 milhões para as obras da orla.

Segundo o secretário de Serviços Urbanos, Luís Antônio Lopes, há ainda cerca de R$ 13 milhões em verbais federais para chegarem a Natal até o fim do ano. Contudo, é necessário que os projetos para reconstrução do calçadão, que estão sendo geridos pela secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), sejam finalizados.

O fato é que,  por enquanto, não há sequer uma previsão de quanto vai custar fazer os reparos no calçadão. Mas a prefeitura garante estar agilizando os trâmites burocráticos, que foram minimizados com o decreto de calamidade, mas ainda existem. É preciso, por exemplo, o reconhecimento do estado de calamidade pelo governo federal para que qualquer centavo da União seja investido ali.

Caso a prefeitura não consiga a verba com o Ministério do Turismo, Micarla de Sousa tentará outra forma de conseguir o dinheiro, afirmou Luis Antônio. E a situação do calçadão deve ser pensada mesmo com urgência. Em agosto estão previstas as maiores marés do ano. Se nada for feito até lá, é bem arriscado que Natal chegue ao final do ano e ao veraneio sem a mínima estrutura na orla.

Defesa Civil solicita à prefeita decretação de Estado de Calamidade na orla de Ponta Negra

O Secretário Municipal de Segurança Pública e Defesa Social, Carlos Paiva encaminhou a prefeita Micarla de Sousa o pedido para que decreto oficialmente o estado de calamidade pública em toda a orla de Ponta Negra e em todos os trechos destruídos pelo avanço do mar, provocado pelas altas marés acima da normalidade. A decretação do estado de calamidade terá um prazo inicial de 90 dias, podendo ser prorrogado por igual período, para que seja executada a recuperação, reconstrução e reparação dos danos acusados nos pontos atingidos.

De acordo com Carlos Paiva, a medida é de suma importância para a Segurança Pública do Município, vez que com o avanço das marés, “além da normalidade sobre todo o calçadão da praia, é imperativa a necessidade de proteger incolumidade física dos banhistas, turistas, moradores, comerciantes, hoteleiros, vendedores ambulantes e todos os freqüentadores do local, além da necessidade urgente de adotar medidas para a recuperação imediata da área”.

Carlos Paiva acrescentou que embora a decretação do estado de calamidade seja fundamental para acelerar a o processo de liberação dos recursos, a situação não será resolvida de imediato. Após a publicação do decreto no Diário Oficial do Município, o que deve ocorrer neste sábado (14), será necessária a elaboração de um relatório de danos, notificação preliminar e plano de trabalho para ser encaminhado ao Ministério das Cidades.

Para recuperar toda a área destruída, em torno de 300 metros, a previsão de gastos é de R$ 1,8 milhão. O primeiro trecho do calçadão destruído, que compreende cerca de 180 metros, já está sendo recuperado pela Prefeitura do Natal. Nesta obra, a cargo da Vecon, estão sendo investidos R$ 480 mil.

Em Brasília desde a última quinta-feira, a prefeita Micarla de Sousa tenta junto ao Gabinete da Presidência da República e o Ministério do Turismo agilizar a liberação de recursos para as obras de recuperação da orla de Ponta Negra.

Fonte: Assecom/PMN

Operações inibem crimes no trânsito e promovem a segurança na orla marítima

A Operação Rodovida, deflagrada pela Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) no dia 23 de dezembro passado, até a tarde desta segunda-feira (9), submeteu 1.320 motoristas ao teste do etilômetro, popularmente conhecido como bafômetro; recolheu 168 Carteiras Nacionais de Habilitação e detectou 37 pessoas dirigindo alcoolizadas, o que resultou na condução à Delegacia de Polícia Civil, para que fosse lavrado o Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO). Também foram feitos 103 Autos de Constatação, documento registrado quando o motorista, em visível estado de embriaguez, se recusa a fazer o teste do bafômetro.

Sob o comando da Polícia Militar, o trabalho ainda resultou, no mesmo período, somente em barreiras montadas na Ponte de Todos Newton Navarro, na abordagem a 600 motocicletas, sendo que 75 foram multadas e 28 terminaram apreendidas.

 

Poluição sonora

No final de semana passado, houve a “Operação Paredão de Som”, destinada ao combate à poluição sonora e à embriaguez ao volante, nas Praias do Meio, do Forte, Ponta Negra e Redinha, com participação, na sexta-feira (6), do secretário de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social, Aldair da Rocha, e do secretário da Defesa Social de Natal, Carlos Paiva, que coordenou equipes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb) e da Guarda Municipal, quando foram abordados veículos e seus condutores foram alertados sobre a proibição dos “Paredões de Som” nas praças, praias e demais logradouros públicos da capital.

Somente entre sexta-feira e domingos passados, foram recolhidas 84 CNHs (67 por medidas administrativas por Auto de Constatação e por medição em etilômetros e 17 por autuação em crimes de trânsito constatados por medição do equipamento).

Para o secretário Aldair da Rocha, o Governo do Estado está cumprindo seu papel de fiscalizador, evitando que motoristas embriagados provoquem acidentes e evitando que a poluição sonora seja a motivadora de discussões que podem terminar em agressões físicas e até assassinatos. “Este trabalho de fiscalização é muito importante, a partir do momento que ele é inibidor. As barreiras policiais fiscalizam os motoristas, abordam motociclistas, tirando de circulação pessoas embriagadas que poderiam causar acidentes e até mesmo criminosos que estavam em deslocamento para a prática de algum crime ou, até mesmo, tentando escapar da polícia. E o combate à poluição sonora é importante para disciplinar o cidadão, que precisa entender que o direito dele termina quando começa o do outro. Sabemos que muitas confusões que até terminam em mortes começam com o som alto em um carro, que perturba o sossego alheio e aí gera a polêmica. As polícias estão nas ruas, os órgãos fiscalizadores da prefeitura também, sem o intuito de meter medo em ninguém, apenas para fazer cumprir a lei, nada mais”, disse Aldair.

 

Rigor

O comandante geral da PM, coronel Francisco Canindé de Araújo Silva, disse que empresários, políticos, jornalistas, autoridades do poder judiciário, artistas e populares em geral, quando parados nas barreiras, foram submetidos ao ‘teste do bafômetro’. “Nosso trabalho é para atingir o maior número de pessoas e esperamos ser compreendidos. Nossos policiais estão orientados a parar o maior número de veículos, independente de quem esteja dirigindo ou sendo transportado. Espero que haja tolerância por parte da sociedade, para que entenda o objetivo dessas operações, que levam segurança a todo mundo, no momento que flagra motoristas embriagados ao volante, pessoas dirigindo sem habilitação, veículos irregulares circulando por aí”.

O coronel Araújo lembrou, ainda, que o Governo do Estado entregou à Secretaria da Segurança Pública e da Defesa Social dez caminhonetes tipo Ranger, com tração 4×4, que estão sendo utilizadas na orla marítima do Estado, na fiscalização dos “paredões de som”, inibindo os motoristas alcoolizados e transportando policiais que evitam, ainda, a presença de veículos, como quadriciclos, motocicletas e picapes, em locais destinados aos banhistas.

 

“No final de semana que passou, não foi registrado nenhum caso de acidente envolvendo motorista alcoolizado, que tenha chegado ao nosso conhecimento, o que é resultado desse trabalho preventivo que estamos realizando”, comemorou o comandante.

Natal perdeu recursos milionários que serviriam para revitalizar toda a orla urbana da cidade

O deputado federal Rogério Marinho revelou nesta quinta-feira (22) que a Prefeitura de Natal perdeu recursos milionários que serviriam para revitalizar toda a orla urbana da cidade. Há cerca de dois meses, o Ministério do Planejamento retirou o projeto de pauta até que o município consiga comprovar capacidade de pagamento do empréstimo, que seria feito a uma agência de financiamento internacional.

“Esse projeto incluía a contenção do mar, reconstrução e ampliação dos calçadões, instalação de equipamentos de lazer, entre outras medidas, que mudariam para melhor a situação de abandono das nossas praias”, disse Rogério Marinho durante o programa “Pensar Natal”, que foi veiculado nesta quinta pela rádio 96 FM.

“Isso é um prejuízo irreparável para nossa cidade. As praias se encontram em péssimas condições, há poluição evidente, com a descarga de esgotos urbanos diretamente no mar e, agora, estamos impossibilitados de receber recursos para melhorar esta situação”, finalizou Rogério.