Economia

Ford anuncia fim da produção no Brasil e fechamento de três fábricas

Foto: (Amanda Perobelli/Reuters)

A montadora Ford anunciou nesta segunda-feira (11) que vai encerrar a produção de carros no Brasil neste ano, fechando as fábricas em Taubaté (SP), Camaçari (BA) e em Horizonte (CE), segundo comunicado aos investidores publicado em seu site internacional. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da empresa no Brasil.

Cerca de 5.000 funcionários devem ser afetados na América do Sul, estima a companhia. De acordo com o comunicado, “a pandemia de Covid-19 amplificou a persistente capacidade industrial ociosa e a queda nas vendas, que resultaram em anos de perdas significativas”.

A empresa norte-americana já havia anunciado, em 2019, o fim da produção na fábrica de São Bernardo do Campo (SP).

Segundo a companhia, os consumidores da América do Sul serão atendidos pela produção vinda da Argentina, Uruguai e outros mercados. A empresa informou que irá manter seu centro de desenvolvimento na Bahia, a prova de testes em Tatuí (SP) e a sede em São Paulo.

“Com mais de um século na América do Sul e no Brasil, sabemos que essas são ações difíceis, mas necessárias para criar um negócio saudável e sustentável”, disse Jim Farley, CEO e presidente da Ford.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Os jagunços do PT desesperados tentam colocar a culpa no PR.
    Não vi aqui ninguém comentar que o mercado automobilístico está bombando mesmo com a pandemia.
    Isso a globo não mostra.
    Em quanto a ford sai, entra as outras.
    Mercado é mercado.
    A GM está trazendo de volta a SILVERADO de volta ao mercado brasileiro.
    Preocupação pra Toyota, a Hilux que se cuide.
    A Toro da Fiat, vai ganhar uma concorrente, está chegando a Torok da VW.
    O Jeep compass também vai ganhar concorrentes.
    Chupa petralhas distorcedor dos fatos.
    Quando eu era menino, isso lá atrás, meus pais me encinaram, que esse tipo de atitude, pessoas desse tipo tem nome.
    Se chama Mau Caráter.
    Chupa!!!!
    Mito 2022.

  2. A FORD tá deixando o Brasil por conta das LEIS TRABALHISTAS. A fábrica brasileira tem mais ações trabalhistas do que todas as outras 150 fábricas que a FORD tem pelo mundo a fora. Esse anúncio de saída da fábrica foi feito em fevereiro de 2019. De lá pra cá nada mudou.

    1. Exatamente. E será a 1a de muitas. E pode colocar qualquer governo, seja de esquerda ou direita…

    2. Ué? Nao acabaram com quase todas as leis trabalhistas?
      Ela foi embora pois nao vende mais nada. O poder de compra do Brasileiro se acabou depois do golpe.

    1. Comunistas são os manipulados por ele. Monopolista, ou aspirantes a, adoram um Estado regulando a vida das pessoas, para manter esse monopólio. Pesquisem sobre as pautas bancadas pela Fundação Ford.

    1. Comprei um Ford Fiesta 0 km (meu primeiro carro novo) e gostei muito. Depois de voltar para a VW, voltei a comprar um outro Fiesta em 2016 e percebi o quanto o carro não evoluiu nada e, menos de 2 anos depois, o vendi para comprar um modelo da Jeep. A sensação que tive é que nunca mais voltaria a ter um modelo da Ford, pois o único modelo que me interessava era o Focus, que também estava saindo de linha. Enfim, concordo com você: quem você conhece que estivesse interessado em comprar um modelo da Ford?

    2. Acredito que o que deve ser levado em conta não é quem compra um carro Ford ou se decepcionou com um Ford e sim as famílias que perderão os empregos. Vocês não gostarem de Ford não é justificativa para querer que famílias fiquem desempregadas.

    3. A Ford é comunista. Está conspirando contra nosso magnífico líder. Os carros da Ford são péssimos. Eu não compro. E os empregos, quem está preocupado com isso? Vamos fazer arminha e instalar mais umas fábricas de armas. Isso é que é o verdadeiro progresso.

    1. Como assim "fique em casa"? se a FORD vai pra Argentina que fez o maior Lockdowm da AL?

    1. Homi …se mude para o paraíso Venezuela ou Cuba, chora , PTralha vá aprender a trabalhar e pare de encher o saco VAGABUNDO

    1. Ouvi até dizer por ai que a vacinação já começou por lá—
      Mas a gente faz arminha com a mão, lacra, e tamos reados….
      Mas tá bom.
      Ouvi dizer por ai que a merda aqui não vai dar pra todo mundo…
      Mas tá bom.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Fábricas e depósitos de gelo já descobriram as vantagens imbatíveis da energia solar

Foto: Divulgação

Uma recente operação da Cosern e da Polícia Civil desativou diversas ligações clandestinas em fábricas e depósitos de gelo, em várias regiões do RN. Além do fato destas ligações clandestinas constituírem fraude e crime, existe um fato paralelo, que salta desta notícia, que é o alto impacto que o custo da energia elétrica exerce sobre uma planilha financeira deste tipo de empresa, uma fábrica de gelo. Pegando o gancho negativo desta notícia e transformando numa informação positiva, existe uma empresa de energia solar que já é hoje a maior parceira de fábricas de gelo no estado e até fora do RN, que é a Megga Solar.

Fábricas de gelo como Gelo Cidade do Sol, Gelo Sul e Agreste Gelo já investiram em usinas de energia fotovoltaica montadas pela Megga Solar e hoje colhem os frutos de ter o seu principal custo de produção reduzido praticamente a zero.

O diretor comercial da Megga Solar, Eduardo Oliveira, acrescenta que “além de não valer a pena para nenhuma empresa descumprir a lei, o que é óbvio, no caso de uma fábrica de gelo vale mais a pena manter a idoneidade da empresa e fazer a coisa certa, cortando este custo da forma correta; temos estes três exemplos de empresas citados acima e toda semana recebemos a visita de uma nova empresa deste segmento, em busca da nossa parceria, que transforma custos em lucro, dentro da lei”.

A Megga Solar é conhecida hoje pela sua credibilidade e pelo compromisso com o pós-venda, e é a empresa que mais instala sistemas fotovoltaicos em empresas produtoras de gelo. A Megga Solar tem um site com todas as informações em meggasolar.com.br. O telefone da Megga Solar é o 3217-7155.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Anvisa vai inspecionar fábricas de vacinas contra covid-19 na China

Foto: Wu Hong/EFE/EPA

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) enviará uma missão nesta sexta-feira (13) para inspecionar fábricas na China para verificar o cumprimento das boas práticas de fabricação nas instalações das empresas Sinovac, fabricante dos insumos utilizados pelo Instituto Butantan na produção da vacina CoronaVac, e Wuxi Biologics Co, produtora dos insumos utilizados pela Fiocruz Bio-Manguinhos/vacina da AstraZeneca.

“As visitas às fábricas ocorrerão de 30 de novembro a 4 de dezembro, no caso da Sinovac (localizada em Pequim), e 7 a 11 de dezembro no caso da Wuxi Biologics (localizada em Wuxi)”, informou a Anvisa em comunicado.

Segundo a agência, a certificação das boas práticas de fabricação é requisito indispensável para eventual registro das vacinas contra covid-19 que utilizam insumos produzidos nessas instalações.

A Anvisa afirmou que, em razão da exigência de cumprimento de quarentena para todos os viajantes que chegam à China, os inspetores da Anvisa partirão do Brasil na sexta-feira com chegada prevista na China em 15 de novembro.

A CoronaVac chegou a ter a sua fase de testes interrompida temporariamente em razão de um evento adverso grave, mas foi retomada nesta quarta-feira (11). O evento em questão foi a morte de um dos voluntários, um farmacênutoco de 32 anos, participantes dos testes com a vacina, suspeita de ter sido provocada por suicídio.

Reuters

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Fábricas deixam a Argentina e migram para o Brasil

Alberto Fernandez, presidente da Argentina: debandada – Matias Baglietto/Reuters

Ao menos três empresas do setor automotivo anunciaram, nas últimas duas semanas, o fechamento de fábricas na Argentina e a migração das operações para o Brasil. Primeiramente foram a Basf e a Axalta, companhias que produziam tintas e resinas para automóveis, a anunciar a migração na semana passada. Agora, a Saint-Gobain Sekurit, de origem francesa, fechou um acordo de demissão para seus 150 funcionários. A planta, especializada na produção de vidros para para-brisa, será incorporada pela subsidiária brasileira.

As decisões colocam em xeque a política industrial do atual presidente do país, Alberto Fernandez. A Saint-Gobain montou a fábrica em 2016 ao custo de 200 milhões de dólares, num acordo com o ex-ocupante da Casa Rosada, Mauricio Macri.

A Argentina não vive o momento de crise que sofreu entre os anos 1990 e 2010. No entanto, a deterioração dos fundamentos econômicos locais permanece. Ao início desta década, era possível comprar 1 dólar com menos de 4 pesos. Dez anos depois, são necessários 71 pesos para adquirir um mísero dólar, perfazendo uma desvalorização de 1.675% no período.

Com  informações da Veja

Opinião dos leitores

  1. Presidente socialista dá nisso mesmo. É miséria por onde passa. Nossos hermanos votaram mal e agora vão colher os frutos. Daqui a pouco podem estar em nossas ruas, como os venezuelanos. Haja acolhida.

  2. Elegeram um de direita (Macri) q destruiu a Argentina.
    Felizmente agora temos um de esquerda que provavelmente ajudará na recuperação da Argentina.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *