Polícia

Compositor pede prisão preventiva de Wesley Safadão por plágio

Foto: Divulgação

Após processar Wesley Safadão pelo suposto plágio da faixa Vaqueirinha Maltrata e ser apontado como alguém que deseja enriquecer ilicitamente pelo cantor, o compositor Jonas Alves decidiu prestar uma queixa-crime contra Safadão. “Já aconteceu uma audiência de conciliação, mas o Wesley não colocou nenhuma proposta de acordo. Em seguida, ele fez uma contestação e uma defesa fajuta com mentiras”, disse Alves à coluna.

A defesa de Jonas informou à Coluna Leo Dias que pediu a prisão preventiva de Wesley porque essa não seria a primeira vez que ele é acusado pelo mesmo crime. Ainda segundo os advogados, existe um terceiro caso de plágio contra Safadão sendo analisado. Procurada pela coluna, a assessoria de imprensa disse que o cantor Wesley Safadão não iria se manifestar sobre o processo.

Sobre as acusações de ter agido num momento de sandice e oportunismo, Jonas responde dizendo que Wesley quer inverter os papéis da história .”O mocinho aqui sou eu, não ele. Quem está ganhando ilicitamente é ele. Safadão gravou uma música sem nenhuma autorização, eu acho que ele devia ter vergonha na cara”, afirmou à coluna.

A música Vaqueirinha Maltrata, segundo o ex-colega de trabalho de Safadão, fez parte do álbum Diferente não, Estranho, lançado em março de 2018. Com a ausência de propostas de conciliação por parte de Wesley Safadão nas audiência marcadas, o compositor Jonas Alves, que processa o cantor por danos materiais e morais, decidiu ir à polícia registrar um boletim de ocorrência por crime contra a propriedade imaterial.

A defesa de Alves afirma que fez a notícia-crime no dia 24 de fevereiro e aguarda, agora, a instauração dessa nova ação. “Em 2020, abri um processo contra o Wesley por crime de violação de direito autoral, que está previsto no art. 184 do Código Penal. Agora, fiz esta ocorrência na delegacia para seguir com o processo criminal. Eu fiz isso pra ele aprender a respeitar daqui pra frente os direitos de nós compositores”, pontuou Alves.

“Esperei por um acordo dele no dia da audiência de conciliação. Ainda estou disposto a um acordo amigável, apesar de que amizade não existirá mais. O valor total do processo é R$ 4,7 milhões”, concluiu.

Coluna Léo Dias – Metrópoles

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Religião

Escritora é condenada a indenizar padre Marcelo Rossi após acusação de plágio

Padre Marcelo Rossi e Izaura Garcia, presa por acusá-lo falsamente de plágio no livro “Ágape”. Foto: Reprodução

A escritora Izaura Garcia de Carvalho Mendes foi condenada a indenizar o padre Marcelo Rossi, colunista do EXTRA, e a Editora Globo em R$ 50 mil cada um. Izaura acusava o religioso de plágio no livro “Ágape” e chegou a entrar na Justiça pedindo uma indenização de mais de R$ 50 milhões. Mas o documento que a escritora apresentou para embasar a ação era falso. Izaura foi presa em maio por estelionato. A decisão foi divulgada nesta segunda-feira pela coluna do jornalista Ancelmo Gois, no GLOBO.

Na decisão que condenou Izaura, o juiz Alexandre de Carvalho Mesquita, da 1ª Vara Empresarial do Rio, revogou a liminar que suspendeu a publicação, distribuição e venda de “Ágape”. O magistrado condenou a escritora a pagar um valor ainda a ser calculado, correspondente ao montante que a Editora Globo deixou de lucrar pela suspensão da venda do livro. Izaura também foi condenada a devolver R$ 154.614,04, valor correspondente à soma dos valores recebidos pela escritora, no acordo extrajudicial firmado com a editora em 2013, para utilização do texto “Perguntas e Respostas – Felicidade! Qual é?” no livro “Ágape” e também para a publicação do livro “Diabetes.com.saude”, escrito por ela.

“Ocorre que o negócio foi celebrado com base em erro, pois a autora não conseguiu provar ser a titular do direito autoral. Nos termos do art. 171 do CC são anuláveis os negócios jurídicos resultantes de erro ou dolo”, escreveu o magistrado. “Em relação ao dano moral, também resta incontroverso que a presente lide causou danos à imagem dos réus, que sofreram com a exposição negativa do caso, além dos transtornos e aborrecimentos inerentes à uma causa que se atribui um valor indenizatório da ordem de R$ 50.000.000,00 (cinquenta milhões de reais)”.

Extra – O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Mulher que acusou Padre Marcelo Rossi de plágio é presa após polícia comprovar golpe

Padre Marcelo Rossi e Izaura Garcia, presa por acusá-lo falsamente de plágio no livro “Ágape” Foto: Reprodução

Na última quinta-feira, Izaura Garcia de Carvalho Mendes, de 65 anos, foi à delegacia com duas advogadas e um suposto registro de sua obra na Biblioteca Nacional. Ela acusava o padre Marcelo Rossi de plágio e dizia que ele teria reproduzido um poema seu sem os devidos créditos no livro “Ágape”. O documento, porém, era falso, e, no lugar de indenização pretendida, as três tiveram a prisão decretada por esta e outras três infrações: formação de quadrilha, denunciação caluniosa e estelionato. As informações são do “Fantástico”.

“O livro que ela afirma ter sido plagiado pelo padre não existe. É uma fraude”, resume o delegado Maurício Demétrio, titular da Delegacia de Combate à Pirataria no Rio.

Foi com esse falso registro na Biblioteca Nacional que Izaura convenceu a editora de que era a autora do trecho e conseguiu o acordo de R$ 25 mil. Na Biblioteca, porém, não há nenhuma certidão do texto. As três respondem ao processo em liberdade.

“Eu fui à Biblioteca Nacional, estou com o laudo da BN. Ela não reconhece isso, ela não reconhece esse cabeçalho, essa formatação, e muito menos esse manuscrito. O que a senhora tem a dizer sobre isso?”, pergunta o delegado.

“Eu não tenho nada a dizer, porque foi o que me entregaram lá na época”, defende-se Izaura.
O coordenador do Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional, órgão que teria emitido o registro, confirmou ao “Fantástico” que a cópia apresentada por Izaura é uma “falsificação grosseira” e que “foge muito ao padrão adotado” pela instituição. O delegado acrescentou que o registro de Izaura teria sido impresso em computador quando, à época, a Biblioteca emitia os documentos por meio de máquina de escrever.

Izaura responde a pelo menos cinco acusações de estelionato e teria registrado outras obras na Biblioteca. De acordo com a polícia, ela utilizava as mesmas informações de um dos registros para tentar falsificar outro, mudando o cabeçalho com corretivo.

No livro, o padre atribui o poema à Madre Teresa. O site oficial do Centro Madre Teresa de Calcutá, no entanto, afirma que este é um dos mais famosos textos falsamente atribuídos à religiosa. A suspeita dos investigadores é que Izaura registre textos como esse, de autoria desconhecida, para exigir direitos autorais. Em sua casa, o delegado encontrou até manuscritos falsificados.

Lançado em 2010, o livro é um fenômeno editorial e atingiu a marca de dez milhões de exemplares vendidos no mês passado. Depois disso, porém, o número de vendas estagnou. Isso porque Izaura conseguiu uma liminar que retirou a obra de circulação, após ter dado entrada, em 2018, a uma ação na justiça e uma queixa-crime contra o padre e a editora. Antes disso, ela já havia conseguido R$ 25 mil em um acordo extrajudicial. Após a liminar, porém, ela passou a exigir cerca de R$ 52 milhões de indenização.

O padre Marcelo Rossi disse ao “Fantástico” que não comentaria o caso, mas que já perdoou Izaura.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. O padre não tem o poder de prevêr, daí uma desgraça dessas se aproxima só prá rapinar.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Folha repercute matéria do BlogdoBG sobre plágio em plano de Fátima, que substitui programa de governo

Trecho da seção Painel, da Folha de S.Paulo desta terça.

A revelação feita pelo BlogdoBG nessa segunda-feira de que a senadora Fátima Bezerra plagiou o programa de governo de Wellington Dias (PI-PT) terminou em uma das mais importantes colunas do pais, o Painel, da Folha de S.Paulo

As três notas da seção editada por Daniela Lima destaca entre outras coisas: “Blogueiros do estado foram analisar o programa registrado por Fátima na Justiça e encontraram trechos inteiros copiados do plano apresentado pelo governador Wellington Dias (PT-PI) em 2014”.

O material foi revelado em primeira mão pelo BlogdoBG e repercutido no resto do Estado.

A repercussão levou a senadora a trocar o programa de governo. No início dessa terça-feira, sua assessoria divulgou novo conteúdo em que as menções ao Piauí foram corrigidas.

Ao mesmo tempo, a seção que havia sido inteiramente transcrita do programa de Wellington Dias sobre saneamento foi retirada.

A assessoria destaca que “foram promovidos ainda seminários regionais com a presença de mais de 2.000 pessoas em todo o RN e aberto o site www.rnqueopovoquer.org, por meio do qual foram recebidas mais de 900 sugestões”.

Opinião dos leitores

  1. Ok, que vcs não gostam de Fátima acho q isso já foi entendido, porém não vi nenhum aqui dizer qual seria a melhor opção para o Estado…, Que tal deixar Robinson para ele acabar de vez com o RN? Pensando bem… vamos colocar Boneco de Olinda, que esta a frente do Municipio… e não fez nada por Natal a não ser mantar muito mal as coisas… Ahhh podemos colocar Dário Barbosa o que será que ele faria???? Os outros eu não vou nem citar.. pq não tem vida pública nenhuma…. Vejam que não temos opções… o Estado esta entre a cruz e a espada.

  2. ACHO bom mudar, chega de Fátima Garibaldi Alves e muito outros que já mostraram que NÃO vão fazer nada por nos do RN

  3. Fátima não tem condição de governar o RN. O melhor candidato é o professor Carlos Alberto 50 do PSOL

  4. Despreparo, incompetência, inaptidão para o trabalho (perdoem o eufemismo), aparelhamento da máquina pública, fuga de empresas (as que ainda não foram) para outros estados, é isso o que aguarda o RN caso a senadora do "gópi" venha a ganhar essa eleição. Que Deus se apiede do RN e que o povo potiguar crie juízo. Um estado que já enfrenta situação tão difícil não pode cometer esse erro.

    1. O nível da candidata parece mesmo bastante compatível com o dos seus eleitores. Eles se merecem.

  5. O PT está se reinventando e a senadora que nunca dirigiu uma pipoqueira pediu ajuda aos universitários. Coisa simples e gesto de humildade. O plágio será café pequeno diante de uma possível gestão petista por aqui. Se os norte riograndenses tiverem juízo, depois do desastre RoRo*, deixam nossa parlamentar em Brasília e evitam uma catástrofe maior.
    PS. RoRo foram os dois últimos governos do RN.

    1. Claro !!! Ela estava ocupada demais para desenvolver um plano de governo para o nosso estado. Nem assumiu já está assim kkkkkkk

  6. Essa Senhora do é GÓPI, vai acabar com o que sobrou do RN, e olhe que não é muita coisa. Estamos FDS.

  7. Isso é o PT, uma farsa em todos os sentidos
    Fátima Bezerra é uma PIADA de muito mal gosto e o RN não merece ser relegado ao bolivarianismo do PT.
    Quantas vezes Fátima Bezerra retirou emendas que pediam recursos para o RN? Façam uma pesquisa, muitas delas foi publicada nos jornais. Imagine as que não foram publicadas.
    Fátima sempre foi esteira e sombra para as ordens do ex presidente, José Dirceu e demais chefes condenados do PT, o RN merece isso?
    Fátima governadora seremos a Venezuela dos estados brasileiros

  8. Esse estado não tem sorte com politicos..acredito que o povo é que não sabe votar…varias empresas estão saindo desse estado indo gerar emprego e imposto em outros ..graças a nossos representantes que só pensam neles… quando vejo um carro adesivado de um politico imagino logo.. é de eleitor que num minimo tem um cargo comissionado do candidato.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

"Babou": Anitta é processada por plágio

4136Anitta está sendo processada por plágio em Show das Poderosas, um dos principais sucessos da cantora. A artista e sua gravadora, Warner, receberam uma notificação extrajudicial de Jane Lopes de Andrade, mãe da MC Bruninha, alegando que a primeira parte da música é idêntica à faixa Corpo de Mola, de sua autoria e interpretada pela filha. A informação é do jornal Extra. MC Bruninha é conhecida por músicas como Vou Sair, Vou Curtir e Ninguém Segura.

O advogado de Jane, Sydney Sanches, esclareceu que a letra não é igual, mas o arranjo é o mesmo. Diante disso, ele afirmou que tomará medidas judiciais para suspender o uso e a comercialização da música por parte da Anitta.

Rádio Transamérica

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *