Governo do RN decreta situação de emergência por incêndios em Portalegre e Viçosa

Foto: Arquivo/registro no fim de semana

Em decorrência do aumento do número de incêndios florestais, o Governo do RN decretou situação de emergência nos municípios de Portalegre e Viçosa por 90 dias, podendo ser prorrogado por igual período. O texto será publicado em edição extraordinária do Diário Oficial nesta quarta-feira (9). Além do aumento do número de incêndios, a medida considera os graves danos provocados à fauna e à flora, a dificuldade na recuperação natural das áreas devastadas pelo fogo, agravamento da situação hídrica do Estado e o impacto socioeconômico no setor agropecuário.

O decreto permite ao Corpo de Bombeiros contratar, mediante dispensa de licitação, as obras e os serviços necessários a mitigar as consequências provocadas pelos incêndios, além da aquisição de materiais e equipamentos necessários ao combate às queimadas. Será possível também adotar medidas preventivas junto aos municípios, dentre elas a formação e treinamento de brigadas de incêndio e ações educativas para a população.

Já são mais de 40 horas de combate ao fogo na serra do município de Portalegre. Segundo o Corpo de Bombeiros, 20 militares estão trabalhando no local com a ajuda de voluntários, carros-pipa e máquinas cedidos pela Prefeitura. Nesta quarta-feira, mais 20 bombeiros foram enviados à cidade para reforçar o combate ao incêndio. Equipe da Defesa Civil que está no município trabalha junto às coordenadorias de Defesa Civil de Portalegre e de Viçosa. Foi elaborado plano de ação que inclui o uso de drone para levantamento da área atingida e mapeamento dos locais de mais fácil acesso aos focos de incêndio.

Neste mês de outubro, até esta terça-feira (8), o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) registrou 60 focos de incêndios no Rio Grande do Norte. Em agosto e setembro foram 52 e 81, respectivamente, contra um foco em junho e quatro em julho. Isso porque o último trimestre do ano é o período mais quente, com baixa umidade relativa do ar, aumento da intensidade dos ventos e, consequentemente, mais propício ao surgimento de focos de incêndio.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    A grande "obra" de governo da bravateira Fatão GD é essa: decretar estado de emergência. Desde a posse até agora, essa é a sua "cantiga da perua". Na malfadada (biodi)gestão petralha sobra problemática e falta solucionática. Na pisada em que vai o RN tende a se tornar mendigo da Paraíba.

  2. Pedro disse:

    É o nosso estado virando a Amazônia de Bolsonaro. Tantas críticas pelas queimadas na região norte e nem um segundo de preocupação com o que já é bastante sofrido. E nisso que dá ter governo não comprometido com o já sofrido semi árido. Acorda Governadora Bokus o estado que a senhoro governa, está abrindo uma cratera na camada de ozônio e vc nem-nem, haja incompetência.

Governo decreta situação de emergência pela seca no RN; são 135 municípios sob impacto

Foto: Mykola Mazuryk / Shutterstock.com/Ilustrativa

O Governo do Rio Grande do Norte vai decretar, por 180 dias, situação de emergência pela seca em 135 municípios, o que representa quase 81% das cidades potiguares. O decreto será publicado na edição do Diário Oficial da próxima terça-feira (10).

Para definir os municípios atingidos pelo decreto, o Comitê Estadual para Ações Emergenciais de Combate aos Efeitos da Seca se baseia em análises técnicas dos diversos órgãos que integram o comitê, incluindo relatórios de índice pluviométrico, de reserva hídrica no Estado, fornecimento de água potável para a população e perdas na agricultura e pecuária, além dos dados do Monitor das Secas, da Agência Nacional de Águas (Ana).

A situação de emergência pela seca facilita o trâmite dos processos que envolvem obras e serviços que minimizem os impactos causados pela escassez de chuvas. Os relatórios da Caern, que também embasam a decisão, mostram que dois municípios potiguares estão em colapso no abastecimento de água: Paraná e São Miguel. Já as cidades quem ficam de fora do decreto estão localizadas na faixa litorânea leste.

Todos os municípios inseridos no Decreto Estadual deverão realizar o Preenchimento do Formulário de Informações de Desastres (FIDE), na Plataforma do Sistema Integrado de Informações de Desastres (S2ID) da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (SEDEC) do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) – Site: www.s2id.mi.gov.br para que a Defesa Civil envie o processo de pedido de reconhecimento federal.

O Comitê Estadual para Ações Emergenciais de Combate aos Efeitos da Seca é formado pelo Gabinete Civil, Defesa Civil, Secretaria de Agricultura, Secretaria de Recursos Hídricos, Instituto de Gestão de Águas (Igarn), Caern e Emparn.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gilvanir disse:

    Indústria da seca!

Governo renova decreto de Situação de Emergência pela Seca em 148 municípios do RN

Foto: TV Globo

O Governo do Rio Grande do Norte vai decretar, por mais 180 dias, a situação de emergência pela seca em 148 municípios, o que representa 88% dos municípios potiguares. O novo Decreto de Situação de Emergência será publicado nesta terça-feira (12) no Diário Oficial do Estado (DOE). A renovação do decreto que trará um Regime Jurídico Especial foi definida pelo Comitê Estadual para Ações Emergenciais de Combate aos Efeitos da Seca, entidade coordenada pelo Secretário-Chefe do Gabinete Civil, Raimundo Alves.

Segundo o Coordenador Estadual de Proteção e Defesa Civil, Tenente Coronel Marcos Carvalho, o decreto leva em consideração análises técnicas dos diversos órgãos que integram o Comitê e que monitoram a segurança hídrica do Estado nos últimos seis meses (Setembro/2018 a Março/2019). O decreto mantém os mesmos municípios que estavam em situação de emergência e acrescenta Pedro Velho.

A renovação do decreto foi determinada durante reunião do Comitê Estadual para Ações Emergenciais de Combate aos Efeitos da Seca realizada em 6 de fevereiro, mas a publicação no Diário Oficial do Estado precisava aguardar o final do prazo do documento anterior.

A situação de emergência pela seca facilita o trâmite dos processos que envolvem obras e serviços que minimizem os impactos causados pela escassez de chuvas, que apesar das últimas chuvas em todo Estado relatórios da CAERN apresentados nos últimos dias mostram que 151 municípios são abastecidos pela companhia, dos quais 92 estão em rodízio e cinco em situação de colapso. De acordo com o secretário-chefe do Gabinete Civil, a situação mais preocupante é dos municípios do Alto Oeste onde os reservatórios ainda estão com baixo volume hídrico.

Todos os municípios inseridos no Decreto Estadual deverão realizar o Preenchimento do Formulário de Informações de Desastres (FIDE), na Plataforma do Sistema Integrado de Informações de Desastres (S2ID) da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (SEDEC) do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) – Site: www.s2id.mi.gov.br, até o dia 20/03/2019, para que a Defesa Civil envie o processo de pedido de reconhecimento federal.

“A solicitação se faz necessária pois as informações inseridas pelo município no FIDE, subsidiarão o Decreto Estadual de Situação de Emergência de Seca – COBRADE:14120 na solicitação do Reconhecimento Federal e posteriormente, no pedido de recursos de ações de respostas para o desastre”, afirma Marcos Carvalho.

Municípios em situação de emergência:

Acari, Açu, Afonso Bezerra, Água Nova, Alexandria, Almino Afonso, Alto do Rodrigues, Angicos, Antônio Martins, Apodi, Areia Branca, Baraúna, Barcelona, Bento Fernandes, Boa Saúde, Bodó, Bom Jesus, Brejinho, Caiçara do Norte, Caiçara do Rio do Vento, Caicó, Campo Grande, Campo Redondo, Caraúbas, Carnaúba dos Dantas, Carnaubais, Cerro Corá, Coronel Ezequiel, Coronel João Pessoa, Cruzeta, Currais Novos, Doutor Severiano, Encanto, Equador, Espírito Santo, Felipe Guerra, Fernando Pedroza, Florânia, Francisco Dantas, Frutuoso Gomes, Galinhos, Governador Dix-Sept Rosado, Grossos, Guamaré, Ielmo Marinho, Ipanguaçu, Ipueira, Itajá, Itaú, Jaçana, Jandaíra, Janduís, Japi, Jardim de Angicos, Jardim de Piranhas, Jardim do Seridó, João Câmara, João Dias, José da Penha, Jucurutu, Jundiá, Lagoa D´Anta, Lagoa de Pedras, Lagoa de Velhos, Lagoa Nova, Lagoa Salgada, Lajes, Lajes Pintadas, Lucrécia, Luís Gomes, Macaíba, Macau, Major Sales, Marcelino Vieira, Martins, Messias Targino, Montanhas, Monte Alegre, Monte das Gameleiras, Mossoró, Nova Cruz, Olho D´Água dos Borges, Ouro Branco, Paraná, Paraú, Parazinho, Parelhas, Passa e Fica, Passagem, Patu, Pau dos Ferros, Pedra Grande, Pedra Preta, Pedro Avelino, Pedro Velho, Pendências, Pilões, Poço Branco, Portalegre, Porto do Mangue, Rafael Fernandes, Rafael Godeiro, Riacho da Cruz, Riacho de Santana, Riachuelo, Rodolfo Fernandes, Ruy Barbosa, Santa Cruz, Santa Maria, Santana do Matos, Santana do Seridó, Santo Antônio, São Bento do Norte, São Bento do Trairi, São Fernando, São Francisco do Oeste, São João do Sabugi, São José de Campestre, São José do Seridó, São Miguel, São Paulo do Potengi, São Pedro, São Rafael, São Tomé, São Vicente, Senador Eloi de Souza, Serra Caiada, Serra de São Bento, Serra do Mel, Serra Negra do Norte, Serrinha, Serrinha dos Pintos, Severiano Melo, Sítio Novo, Taboeleiro Grande, Taipu, Tangará, Tenente Ananias, Tenente Laurentino Cruz, Tibau, Timbaúba dos Batistas, Triunfo Potiguar, Umarizal, Upanema, Várzea, Venha-Ver, Vera Cruz e Viçosa.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. paulo martins disse:

    Contas públicas destroçadas, salários do funcionalismo atrasados, desequilíbrio fiscal jamais visto, calamidade financeira decretada… e agora essa: situação de emergência.
    O RN é mesmo um poço sem fundo, e pior, nas mãos de uma (biodi)gestora sem rumo nem prumo.

  2. Waldemir disse:

    Não está chovendo nesses municípios???????

Departamento Nacional de Infraestrutura de Trânsito (Dnit) declara situação de emergência na Ponte de Igapó

Está no Diário Oficial da União desta sexta-feira(08) o ato em que o Departamento Nacional de Infraestrutura de Trânsito (Dnit) declara situação de emergência na Ponte Presidente Costa e Silva, mais conhecida como Ponte de Igapó, que passa sobre o Rio Potengi ligando as zonas Norte e Oeste de Natal.

No documento, o superintendente regional substituto do Dnit no Rio Grande do Norte, Danyel Flávio Lopes de Paiva ratificou uma declaração da situação de emergência feita pela coordenação de engenharia do órgão.

Os técnicos constataram comprometimento estrutural de pilares e vigas da estrutura. Do lado direito da ponte, foram notificados problemas em pelo menos 11 pilares pilares, além de trechos de 1 metro das vigas entre os pilares P3 e P4, entre os pilares P4 e P5 e entre o pilar P16 e o encontro E2.

Do lado esquerdo da ponte, chamaram atenção dos técnicos trechos de 2 metros das vigas longitudinais de extremidade do tabuleiro ferroviário, “nos pontos próximos aos apoios entre os pilares P9 e P10, entre os pilares P10 e P11, entre os pilares P11 e P12, entre os pilares P12 e P13 e entre os pilares P13 e P14”.

No mês passado, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes – DNIT, informou que a situação da Ponte de Igapó, localizada na BR-101/RN, estava sendo tratada com a mais alta prioridade. Desde então, o órgão realizou um estudo de adequação do projeto e orçamentação necessários para a realização da licitação, cujo certame poderá lançado neste mês.

Com 606 metros de extensão e 12 metros e meio de largura, a Ponte de Igapó recebe, diariamente, cerca de 80 mil veículos, 37 linhas de ônibus e 13 viagens de VLT.

A última manutenção na Ponte de Igapó foi realizada em 1990. De lá pra cá, os moradores não têm conhecimento de nenhum reparo feito na estrutura.

Mesmo com a declaração, a ponte continua com tráfego aberto aos veículos.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. nasto disse:

    Iniciar o mais rápido possível a manutenção, não esperem cair uma parte para poder fazer. Há dez anos se fala nesta manutenção. Façam uma manutenção de VERGONHA para durar pelo menos alguns anos. O que temos visto aqui no RN com nossas BRs da nojo. Exemplo a BR 304 entre Parnamirim e Macaíba. Fazer um tapa buraco naquela BR é de se duvidar . A sacanagem é grande , assim como esse serviço de saneamento. Só quem não conhece o mínimo acredita que isso vai funcionar. É uma sacanagem com o dinheiro investido , com o povo. Tenho observado algumas emendas de canos de esgoto que na hora que forem feitas as ligações vai ser |M_ _ _ _ para todo lado. É vergonhoso, mais é verdade,

  2. Medeiros disse:

    Deve sair mais barato fazer uma nova ponte

Governo renova situação de emergência por causa da seca em 152 municípios do RN

O Governo do Rio Grande do Norte renovou, por mais 180 dias, o decreto de situação de emergência por causa da seca em 152 dos 167 municípios do estado – o que representa 91% dos municípios potiguares.

Essa é a 11ª vez seguida que isso acontece. A publicação foi feita na edição desta quinta-feira (13) do Diário Oficial do Estado. Confira íntegra aqui

Decreto publicado nesta quinta-feira (13), no Diário Oficial do Estado, reconheceu 152 municípios em situação de emergência pela estiagem prolongada que afeta o Rio Grande do Norte. O documento foi produzido através de análises técnicas dos órgãos do Governo que monitoram a segurança hídrica no Estado.

O Rio Grande do Norte vivencia um regime de escassez hídrica desde 2012, com isso, esta foi a 11ª vez consecutiva em que a situação de emergência é decretada. Com validade de 180 dias, o decreto tem como objetivo facilitar o trâmite de processos para prestação de serviços e ações para minimizar os efeitos da seca.

Segundo estimativa da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca (SAPE), O Estado tem prejuízo de R$ 4,5 bilhões anuais, apenas no setor agropecuário. Esse número é cerca de 50% menor que a produção em anos sem a estiagem. Apenas em 2018, estima-se perca de R$ 2,4 bilhões nos setores de lavouras e pecuária.

Já o Instituto de Gestão das Águas do Rio Grande do Norte (IGARN) indica que dos 47 reservatórios no Estado, três estão secos e oito em volume morto. Enquanto a Caern estima que apenas no primeiro semestre de 2018, mais de R$ 9 milhões deixaram de ser arrecadados pela companhia durante a paralisação do abastecimento nos municípios afetados pelo colapso hídrico.

Segurança hídrica no Rio Grande do Norte

A equipe de Segurança Hídrica é coordenada pelo Gabinete Civil e conta com integrantes da Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil, Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMARH), Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca (SAPE), Companhia de Águas e Esgotos do RN (CAERN), Instituto de Gestão das Águas do Estado do Rio Grande do Norte (IGARN), e Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN).

Governo do RN mantem Situação de Emergência nos 153 municípios em colapso de água

aguaO Governo do Estado decidiu em reunião, na manhã desta quarta-feira (16), pela manutenção, por mais 180 dias, da Situação de Emergência nas áreas atingidas pela falta de água, através da publicação de um novo Decreto. Participaram da definição, instituições ligadas ao Plano Emergencial de Segurança Hídrica, que é coordenado pelo Gabinete Civil. Na ocasião, foram apresentados relatórios sobre a real situação das regiões afetadas pela seca no Rio Grande do Norte.

De acordo com o Secretário Estadual de Recursos Hídricos, Mairton França, não houve melhora no cenário dos 153 municípios que estão em emergência devido à escassez de chuvas e 21 cidades continuam em colapso total. Ainda segundo o estudo apresentado, até fevereiro de 2017 serão 80 municípios nessa condição.

O mesmo posicionamento foi defendido pela Coordenadoria de Proteção e Defesa Civil, pelo Instituto de Gestão de Águas do Estado (Igarn), Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Pesca (Sape) e pela Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN (Emparn).

Medidas de combate à seca, como a Operação Vertente, que vai distribuir água potável nas áreas urbanas de cidades em colapso, estão sendo aceleradas. Já está em andamento, inclusive, a licitação para a contratação dos carros-pipa, bem como da empresa que fará a fiscalização dessa distribuição. Para a execução dessa Operação, o Ministério da Integração destinou R$ 4 milhões.

E na próxima terça-feira (22), o Ministro da Integração Nacional, Gilberto Magalhães Occhi, virá ao RN para assinar o convênio que vai liberar R$ 44 milhões para a obra da adutora de engate rápido de Caicó, que irá beneficiar milhares de pessoas.

Governo decreta ‘situação de emergência’ na Via Costeira

O governador Robinson Faria assinou, na tarde desta sexta-feira (3), decreto que declara ‘situação de emergência’ na avenida Senador Dinarte Mariz (RN-301), Via Costeira. As últimas chuvas abriram uma cratera de 30 metros de extensão e 10 metros de profundidade no KM-19, trecho entre os hotéis Pestana e Serhs. O decreto nº 25.319, que será publicado no Diário Oficial do Estado deste sábado (4), tem validade por 180 dias.

Em razão da cratera aberta e das fortes chuvas previstas para a cidade do Natal, há preocupação com a integridade do calçadão e da Galeria de Esgoto, cujo rompimento poderá provocar um desastre ambiental na área. O decreto baseia-se no Relatório de Situação e Diagnóstico n.º 001/2015, emitido pela Defesa Civil do Estado.

O diretor geral do Departamento de Estradas e Rodagens (DER), general Ernesto Fraxe, explicou que uma empresa já foi mobilizada para refazer a drenagem e recompor o corpo de aterro de proteção para a pista de rolamento. Todas as medidas que se mostrem idôneas serão tomadas para prevenir novos danos ao meio ambiente e promover a reconstrução dos bens de valor turístico e paisagístico existentes na Via Costeira.

Situação de emergência em 159 municípios potiguares; Emparn espera “janela de chuvas”

O Blog Vicente Neto, na Tribuna do Norte, destaca que diante da baixa média de chuvas em todas as regiões, os meteorologistas da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn) esperam para a segunda quinzena de abril uma nova “janela de chuvas” que seria trazida por um fenômeno chamado Oscilação 30-60 dias, que é a propagação de uma onda atmosférica ao longo da globo terrestre e em torno do Equador, formando nuvens que chegam até o Nordeste brasileiro. De acordo com o levantamento pluviométrico com dados entre 1° de janeiro e 10 de abril deste ano, apesar de já ter chovido mais de 400 milímetros em 25 municípios, o quadro é ainda é desolador. Em 128 cidades choveu tão pouco que ainda estão na classificação “muito seco”, em 12 a situação e de “seco” normal somente e um, Portalegre, no Alto Oeste, com 686,7 milímetros.

Diante da situação de emergência, o Diário Oficial da União publicou uma portaria da Defesa Civil nacional reconhecendo situação de emergência em 159 municípios potiguares, que enfrentam problemas graves de abastecimento. Ficaram de fora apenas municípios da Grande Natal, faixa litorânea e Macau, na região salineira. Diário Oficial da União publica portaria da Defesa Civil nacional reconhecendo situação de emergência em 159 municípios potiguares, que enfrentam problemas graves de abastecimento. Ficaram de fora apenas Natal, Parnamirim, São Gonçalo, Extremoz, Goianinha, Maxaranguape, Rio do Fogo e Macau.

 

Governo do Estado publica novo Decreto de Situação de Emergência por Seca; 159 municípios afetados

O novo Decreto de Estiagem Nº 24.209, de 24 de março de 2014, foi publicado nesta terça-feira (25), no Diário Oficial do Estado. O documento declara situação de emergência nas áreas dos Municípios do Rio Grande do Norte, afetados por desastre natural climatológico por estiagem prolongada que provoca a redução sustentada das reservas hídricas existentes – COBRADE/1.4.1.2.0 – Seca, e dá outras providências.

Considerando que a condição hídrica dos Municípios ainda apresenta um quadro de gravidade no abastecimento de água, pois os principais reservatórios localizados no Estado do Rio Grande do Norte se encontram com percentual de armazenamento em torno de 25% a 30% de sua capacidade máxima, nos termos da manifestação expedida pela Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN).

A Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (CEDEC), órgão vinculado à estrutura desconcentrada da Secretaria de Estado da Justiça e da Cidadania (SEJUC), por meio do Parecer Técnico n.º 001/2014, de 11 de março de 2014, atestou a continuidade do quadro característico de Situação de Emergência.
 
Municípios do Rio Grande do Norte afetados pela seca

1) Acari, 2) Arez, 3) Assu, 4) Afonso Bezerra, 5) Água Nova, 6) Alexandria, 7) Almino Afonso, 8) Alto dos Rodrigues, 9) Angicos, 10) Antônio Martins, 11) Apodi, 12) Areia Branca, 13) Baraúnas, 14) Baia Formosa, 15) Barcelona, 16) Bento Fernandes, 17) Bodó, 18) Brejinho, 19) Boa Saúde, 20) Bom Jesus, 21) Caiçara do Norte, 22) Canguaretama, 23) Caiçara do Rio do Vento, 24) Caicó, 25) Campo Redondo , 26) Caraúbas, 27) Carnaúba  dos Dantas, 28) Carnaubais, 29) Cerro-Corá, 30) Ceará Mirim, 31) Coronel Ezequiel, 32) Campo Grande, 33) Coronel João Pessoa, 34) Cruzeta, 35) Currais Novos, 36) Doutor Severiano, 37) Encanto, 38) Equador, 39) Espírito Santo, 40) Felipe Guerra, 41) Fernando Pedroza, 42) Florânia, 43) Francisco Dantas, 44) Frutuoso Gomes, 45) Galinhos, 46) Governador Dix-Sept Rosado, 47) Grossos, 48) Guamaré, 49) Ielmo Marinho, 50) Ipanguaçu, 51) Ipueira, 52) Itajá, 53) Itaú, 54) Jaçanã, 55) Jandaíra, 56) Janduís, 57) Japi, 58) Jardim de Angicos, 59) Jardim de Piranhas, 60) Jardim do Seridó, 61) João Câmara, 62) João Dias, 63) José da Penha, 64) Jucurutu, 65) Jundiá, 66) Lagoa Nova, 67) Lagoa Salgada, 68) Lagoa d’Anta, 69) Lagoa de Pedras, 70) Lagoa de Velhos, 71) Lajes Pintadas, 72) Lajes, 73) Lucrécia, 74) Luís Gomes, 75) Macaíba, 76) Major Sales, 77) Marcelino Vieira, 78) Martins, 79) Messias Targino, 80) Monte das Gameleiras, 81)  Monte Alegre, 82) Montanhas, 83) Mossoró, 84) Nova Cruz, 85) Nísia Floresta, 86) Olho d’Água dos Borges, 87) Ouro Branco, 88) Passagem, 89) Paraná, 90) Paraú, 91) Parazinho, 92) Parelhas, 93) Passa e Fica, 94) Patu, 95) Pau dos Ferros, 96) Pedra Grande, 97) Pedra Preta, 98) Pedro Avelino, 99) Pedro Velho, 100) Pendências, 101) Pilões, 102) Poço Branco, 103) Portalegre, 104) Porto do Mangue, 105) Pureza, 106) Serra Caiada, 107) Rafael Fernandes, 108) Rafael Godeiro, 109) Riacho da Cruz, 110) Riacho de Santana, 111) Riachuelo, 112) Rodolfo Fernandes, 113) Ruy Barbosa, 114) Santa Cruz, 115) Santa Maria, 116) Santana do Matos, 117) Santana do Seridó, 118) Santo Antônio, 119) São Bento do Norte, 120) São Bento do Trairi, 121) São Fernando, 122) São Francisco do Oeste, 123) São João do Sabugi, 124) São José do Campestre, 125) São José do Seridó, 126) São M. do Gostoso, 127) São Miguel, 128) São Paulo do Potengi, 129)São José do Mipibu, 130) São Pedro, 131) São Rafael, 132) São Tomé, 133) São Vicente, 134) Senador  Elói de Souza, 135) Senador Georgino Avelino, 136) Serra Negra do Norte, 137) Serra de São Bento, 138) Serra do Mel, 139) Serrinha dos Pintos, 140) Serrinha, 141) Severiano Melo, 142) Sítio Novo, 143) Taboleiro Grande, 144) Taipu, 145) Tangará, 146) Tenente Ananias, 147) Tenente Laurentino Cruz, 148) Tibau, 149) Timbaúba dos Batistas, 150) Tibau do Sul, 151)  Touros, 152) Triunfo Potiguar, 153) Umarizal, 154) Upanema, 155) Várzea, 156) Venha-Ver, 157) Vila Flor, 158) Viçosa, 159) Vera Cruz.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carvalho disse:

    Os efeitos da seca sempre foram devastadores em nosso estado e sempre será, enquanto a incompetência dos gestores públicos imperar.
    Alguns dizem até que os políticos adoram quando há seca para poder dar algumas esmolas para a população sofrida e, assim, arrebatar alguns votos.
    Nunca existiu um planejamento sério para minimizar os efeitos da estiagem e muitas obras, como a transposição do rio São Francisco, demoram absurdamente para serem finalizadas.
    Não vemos nenhum político apresentando um projetos que utilizem dessalinizadores ou projetos para tratar a água servida a fim de ser utilizada na agricultura.
    Agora, falou em formas de se apropriar de dinheiro público…. tem muito entendido por aí.

  2. Rosaldo disse:

    Espertinha…… É uma pelezinha….