Brasileirão inicia parada de um mês para Copa América; veja como está o seu time na tabela, comemore, ou brinque com seu rival

Reprodução: Globo Esporte

Após a sua nona rodada, o Campeonato Brasileiro inicia a sua parada entre os dias 14 de junho à 14 de julho, para a disputa da Copa América, que será em solo brasileiro. Neste “mês” de paralisação, resta ao torcedor acompanhar o mercado da bola e acompanhar a tabela de classificação, comemorar, ou zoar com o seu rival.

São Paulo x Botafogo é o jogo de abertura do Brasileirão, dia 27 de abril; veja a tabela detalhada

Foto: Renato Pizzutto/BP Filmes

São Paulo x Botafogo será o jogo de abertura do Campeonato Brasileiro-2019. O clássico está marcado para sábado (27 de abril), às 16h, no Morumbi, com transmissão exclusiva do canal Premiere. Juntos, os clubes têm oito títulos da divisão de elite do futebol nacional, depois da unificação dos troféus anteriores a 1971 pela CBF. Seis vezes campeão, o São Paulo ergueu a taça pela última vez em 2008, quando conquistou seu terceiro título consecutivo, dirigido por Muricy Ramalho. Duas vezes ganhador, o Botafogo levantou o troféu pela última vez em 1995, com a geração de Túlio Maravilha e Donizete Pantera.

A CBF divulgou nesta quarta-feira a tabela detalhada das nove primeiras rodadas do campeonato, com datas, horários e locais dos jogos.

No mesmo sábado de São Paulo x Botafogo (27 de abril), vão acontecer outras três partidas, com destaque para Flamengo x Cruzeiro, às 21h, no Maracanã. O clássico terá transmissão exclusiva do Premiere. Pouco antes, às 19h, na Arena Condá, a Chapecoense receberá o Internacional (Premiere). E, em Belo Horizonte, no mesmo horário, o Atlético Mineiro pegará o Avaí, jogo do Sportv.

Para o primeiro domingo do campeonato, outras seis partidas estão confirmadas. Uma das atrações é Grêmio x Santos, com a volta do horário das 11 horas da manhã, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, com transmissão exclusiva do Premiere. Athletico x Vasco, às 16h, na Arena da Baixada, será o confronto mostrado pela TV Globo para o Rio e boa parte do Brasil. Para os torcedores paulistas, Bahia x Corinthians é o jogo da TV aberta, na Fonte Nova, em Salvador, também às 16h, mesmo horário de Ceará x CSA, na Arena Castelão, em Fortaleza, pelo Premiere.

Os campeões das Séries A e B em 2018 vão se enfrentar logo na rodada de abertura. Palmeiras x Fortaleza será às 19h de domingo, na Arena Palmeiras, com transmissão do Esporte Interativo. Decacampeão brasileiro, segundo o ranking unificado da CBF, o Palmeiras terá como adversário o tricolor cearense, que volta à Série A pela primeira vez desde 2006. No mesmo horário, o Fluminense receberá o Goiás, no Maracanã, em jogo do Sportv e do Premiere.

Globo Esporte

VÍDEO: Depois de profetizar que o Vasco não cairia, cabo Daciolo crê no cruz-maltino campeão do Brasileirão em 2019

Vídeo aqui

Único vascaíno na corrida eleitoral para presidente este ano, Cabo Daciolo virou meme na torcida pelo pensamento positivo mesmo em meio a um futebol bem distante da tradição do clube. Faltou pouco para o rebaixamento, mas o empate com o Ceará na última rodada deixou a turma da Colina aliviada. Daciolo mandou para o blog Pombo sem asa um recado para os vascaínos, aproveitando para lançar um desafio. Confira no vídeo abaixo:

“A pergunta que eu mais ouvi nos últimos dias: o Vasco vai cair? E nós sempre firmamos. Não, o Vasco não vai cair. Vamos orar. Da boca pode sair bênção como pode sair maldição. E para honra e glória do senhor Jesus Cristo, o Vasco não caiu. Mas agora que eu quero lançar um desafio a você vascaíno que está vendo esse vídeo. Momento agora, futuro, não é torcer mais para ele não cair. Nós temos que orar para ele ser o campeão. 2019 eu creio que o Vasco pode ser o campeão do Brasileirão. E você? Você crê nisso, meu irmão? Vamos botar uma corrente de fé, esperança e amor. Glória a Deus! Parabéns, Vascão. Um beijo a todos, glória a Deus”.

Globo Esporte –  blog Pombo sem asa/Foto: Divulgação

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Olimpio disse:

    Misturar religião com futebol. Pensei que esse cidadão fosse um religioso fervoroso, mais vejo que é um enganador.

Premiere disponibiliza streaming gratuito na reta final do Brasileirão

Foto: Alexandre Cassiano

Acompanhar as rodadas finais do Campeonato Brasileiro ficou mais fácil. A partir desta segunda-feira (19) e por até dois meses, os serviços de streaming Premiere Play e Combate Play estarão disponíveis para todos os usuários que se cadastrarem no site assinepremiere.globo.com até sexta-feira (23).

A ação, que faz parte da Black Friday, inclui 31 partidas da principal competição nacional. Além dos jogos da 36ª, 37ª e 38ª rodadas, estará disponível o duelo entre Fluminense e Ceará, às 20h (de Brasilia) desta segunda-feira, que fecha a 35ª rodada.

Quem é fã de luta também terá prato cheio. Durante o período de um mês de degustação do Combate Play, serão transmitidos pelo menos quatro eventos do UFC com a participação de brasileiros. Também está no calendário a transmissão da final do TUF 28, em Las Vegas, no dia 30.

No dia 24, Francis Ngannou enfrenta Curtis Blaydes na principal luta do UFC Pequim. Já no dia 30, Rafael dos Anjos enfrenta o nigeriano Kamaru Usman pela categoria peso-meio-médio. Além dele, entrarão no octógono os brasileiros Pedro Munhoz e Raoni Barcelos.

No UFC Adelaide, no dia 1 de dezembro, o card principal terá Junior Cigano, Mauricio Shogun e Wilson Reis. Já no dia 8/12, o destaque é o UFC 231, em Toronto, com Max Holloway e Joanna Jedrzejczyk colocados à prova. Cinco brasileiros também estão confirmados: Renato Moicano, Alex Cowboy, Thiago Marreta, Gilbert Durinho e Cláudia Gadelha. Por fim, no dia 15/12, competem no UFC Milwaukee Kevin Lee, Al Iaquinta e os brasileiros Edson Barboza e Netto BJJ.

O Globo

Brasileirão deste ano deverá contar com vídeo para corrigir erros de arbitragem

O Campeonato Brasileiro deste ano deverá ser o primeiro da história a contar com o auxílio do vídeo para corrigir erros de arbitragem que não envolvam interpretação. A CBF espera uma autorização da International Football Association Board (IFAB), entidade que rege as regras do futebol, para implantar um sistema próprio. A ideia é ter um árbitro em uma cabine com poder de reverter marcações no campo que forem notoriamente equivocadas.

“Se possível, vamos implantar no Brasil a partir da Série A, em maio”, afirmou Sergio Corrêa, presidente da Comissão de Arbitragem da CBF. “Vamos iniciar na A, a não ser que a Fifa determine que não seja na principal divisão. Mas a nossa vontade, o nosso pleito, é na Série A.”

A definição sairá no próximo encontro da IFAB, nos dias 4 e 5 do próximo mês. “Em março haverá a reunião definitiva, e acredito que teremos a aprovação pelo menos do experimento no Brasil, Estados Unidos, Alemanha e alguns outros países que pediram para realizar”, explicou Corrêa.

Quem comanda o projeto do Árbitro de Vídeo – nome dado ao sistema que vem sendo desenvolvido na CBF – é Manoel Serapião Filho, ex-juiz de futebol e atual diretor técnico da Escola Nacional de Árbitros de Futebol (ENAF). “Há determinados erros de arbitragem que fogem da capacidade humana de percepção e isso pode subverter o resultado de um jogo”, defende.

Pelo projeto de Serapião, a ideia é que árbitros e até mesmo ex-árbitros atuem cuidando do vídeo. “Eles teriam que ser bem treinados para isso”, considera Serapião. O árbitro de vídeo ficaria em uma cabine e teria poder de alterar a decisão do juiz de campo nos erros que não tivessem a ver com a interpretação – como uma saída de bola não marcada ou um pênalti assinalado cuja falta ocorrera fora da área.

Nesta segunda-feira, Serapião apresentou o projeto do Árbitro de Vídeo na sede da CBF, durante seminário que reúne chefes das comissões de arbitragem das federações. O evento acontece desde o domingo e se estende até quarta-feira. Os encontros contam com palestras e debates e têm como objetivo realizar um planejamento para aprimoramento do quadro de árbitros do País para os próximos quatro anos. Um dos principais palestrantes é o espanhol José Maria Garcia-Aranda, ex-chefe do departamento de arbitragem da FIFA.

Joven Pan, UOL

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. JOAO MARIA disse:

    se for verdade o kurintia não vai ganhar mais nada

BRASILEIRÃO: Talento de Edmundo impediu que jogo ‘comprado’ tivesse resultado manipulado

FigueirenseVirou rotina no Campeonato Brasileiro: a cada rodada disputada, uma “chuva” de reclamações sobre o desempenho dos árbitros. E a questão não chega a ser novidade. Em 2005, após o escândalo da “Máfia do Apito”, liderada por Edilson Pereira de Carvalho, 11 jogos foram anulados e disputados novamente. Mas não foram todos que tiveram o placar definido pelo juiz. Em uma das partidas, o talento de um craque impediu o resultado manipulado.

Logo na primeira partida do Brasileiro daquele ano que agiria para mudar o resultado, Edilson encontrou o atacante Edmundo pela frente. “Fui para o jogo com a finalidade de ajudar o Juventude. Mas não teve sequer uma ajuda. Ele destruiu o jogo [três gols marcados]”, disse o árbitro em entrevista ao “Fantástico”, da TV Globo, recordando o Figueirense 4 x 1 Juventude de 24 de julho de 2005.

“Aquilo foi muito duro para o nosso time na época. Fez falta lá na frente. Ganhamos por 4 a 1 no jogo anulado e depois perdemos dois pontos no jogo remarcado [empate por 2 a 2]. No fim acabamos salvando do rebaixamento”, recordou Edmundo, então atacante do Figueirense e hoje comentarista da TV Bandeirantes.

Edmundo ainda lembrou outra perda que teve em campo. “Aquele jogo fez falta especialmente para mim. “Eu sou o terceiro maior artilheiro do campeonato brasileiro, exatamente três gols atrás do Romário. Isso não conta muito, não tem muito valor financeiro, mas historicamente isso fez diferença”.

Mesmo com o prejuízo da época, Edmundo faz uma análise fria do momento da arbitragem e defende os juízes de futebol no Brasil.

“Não sou apenas contra a arbitragem. Eles deveriam ter uma segurança maior, sou a favor do percentual eles pleiteavam de direito de Arena, sou a favor da profissionalização dos árbitros para que eles tenham uma remuneração maior e com isso uma responsabilidade maior. E a posição deles é muito injusta. As pessoas que criticam e que julgam os árbitros têm uma infinidade de recursos, vê 500 vezes para tirar a conclusão. Eles têm fração de segundos. Penso que eles deveriam contar com recursos. É dever da FIFA, da CBF, dos órgãos organizadores investir nisso para tirar um pouco a responsabilidade dos árbitros. Eles ficam muito com a bunda na janela”, analisou o ex-atleta.

Por fim, o sempre polêmico Edmundo ainda disse que a Máfia do Apito de 2005 está longe de ser o maior escândalo do futebol brasileiro. “Não foi a pior e nem a única. Se investigar bem, tem outras irregularidades. Essa foi apenas a que revelaram”, finalizou.

UOL

INSPIRAÇÃO PARA O VASCO? Em 2009, Fluminense escapou da queda após ser o lanterna na 22ª rodada

A situação do Vasco no Brasileirão é desesperadora. Os 6 a 0 sofridos contra o Inter deixaram o time carioca ainda mais longe na última colocação. A esperança ainda existe. O histórico do torneio mostra que já houve lanterna que escapou de rebaixamento.

Analisando os times que eram lanternas na rodada 22 dos Brasileirões desde 2006 (quando o formato passou a reunir 20 clubes), apenas uma equipe permaneceu na elite: o Fluminense.

No ano de 2009, o Fluminense tinha 16 pontos na 22ª rodada. O time das Laranjeiras terminou a competição um posto acima da zona de rebaixamento.

A situação atual do Vasco é ainda pior em relação ao Fluminense-2009. O time cruz-maltino tem 13 pontos, três a menos em comparação com aquele Flu.

O próximo compromisso do Vasco é contra o vice-líder Atlético-MG, sábado, no Maracanã.

“A situação é difícil, é complicada, mas se entregar jamais. Porque ainda estamos vivos, respirando”, disse o técnico Jorginho.

Nas 10 edições de Brasileirão disputadas com 20 equipes, apenas dois times tiveram desempenho inferior à do Vasco na mesma etapa (rodada 22). O América-RN tinha 10 pontos em 2007, mesma pontuação do Náutico em 2010. Os dois times foram rebaixados.

Fonte: UOL

BRASILEIRÃO: Rebaixamento ameaça mais da metade dos times do campeonato

Faltando 11 rodadas para o final do Campeonato Brasileiro, mais da metade dos times que disputam a competição deste ano corre algum risco de rebaixamento, porque estão a menos de seis pontos da zona que abriga os quatro últimos colocados do torneio.

A Chapecoense é hoje o time mais bem classificado na zona de descenso, com 28 pontos, apenas seis a menos que o Goiás, o 10º colocado. Se o time de Santa Catarina vencer o Internacional nesta quinta-feira (9), às 20h30, em Chapecó, coloca o Coritiba no seu lugar, com 29 pontos.

Com isso, 11 times ainda têm que se preocupar em lutar contra a queda para a Série B, o terceiro maior número de ameaçados à esta altura do campeonato desde 2006, quando o Brasileiro passou a ter 20 clubes.

Entre os times sob risco estão seis campeões brasileiros -Flamengo (34 pontos), Palmeiras (31), Atlético-PR (31), Bahia (30), Coritiba (29) e Botafogo (26).

A situação só é menos confusa que a do ano passado, quando na 27ª rodada havia 15 times ameaçados de rebaixamento (veja abaixo), e a de 2007, quando 12 equipes lutavam para se afastar da zona de descenso.

Na quarta-feira (8), após bater o Figueirense por 2 a 1 com um gol de Nixon aos 47 min do segundo tempo, os jogadores do Flamengo ressaltaram que o time continua brigando contra o rebaixamento.

“Trabalhamos fortemente para sair dessa situação ruim no Campeonato Brasileiro”, afirmou o atacante Muralha. O lateral direito Léo Moura, capitão do time, concordou. “A gente vai dar trabalho para os adversários”, disse.

AMEAÇADOS PELO O REBAIXAMENTO
10º – Goiás – 34 pontos
11º – Flamengo – 34 pontos
12º – Figueirense – 32 pontos
13º – Palmeiras – 31 pontos
14º – Atlético-PR – 31 pontos
15º – Bahia – 30 pontos
16º – Coritiba – 29 pontos
17º – Chapecoense – 28 pontos
18º – Vitória – 28 pontos
19º – Criciúma – 27 pontos
20º – Botafogo – 26 pontos

A LUTA CONTRA O DESCENSO NOS ÚLTIMOS ANOS
(na 27ª rodada do Brasileiro)

2014
11 times ameaçados
Chapecoense (17º) – 28 pontos
Goiás (10º) – 34 pontos

2013
15 times ameaçados
Vasco (17º) – 32 pontos
Vitória (6º) – 37 pontos

2012

6 times ameaçados
Sport (17º) – 27 pontos
Portuguesa (15º) – 33 pontos
2011
7 times ameaçados
Atlético-PR (17º) – 27 pontos
Bahia (14º) – 33 pontos

2010
8 times ameaçados
Atlético-GO (17º) – 26 pontos
Ceará (13º) – 32 pontos

2009
6 times ameaçados
Botafogo (17º) – 27 pontos
Coritiba (15º) – 33 pontos

2008
8 times ameaçados
Botafogo (17º) – 27 pontos
Náutico (13º) -30 pontos

2007
12 times ameaçados
Corinthians (17º) – 33 pontos
Flamengo (9º) – 39 pontos

2006
10 times ameaçados
Ponte Preta (17º) – 30 pontos
Flamengo (11º) – 36 pontos

Folha Press

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. BENTO disse:

    PELA MARGEM DE ERRO O MEU MENGÃO TEM DE 32 a 36, PONTOS, ENTÃO NÃO CAI DE JEITO NENHUM, A GLOBO NÃO DEIXA, NÃO EXISTE CAMPEONATO BRASILEIRO SEM FLAMENGO. SOPRA O APITO AMIGO. hehehehehehe.

FOTOS: Bandeira musa do Brasileirão está escalada para clássico no fim de semana

Untitled-2 Untitled-3A assistente Fernanda Colombo, de 23 anos, virou protagonista por alguns instantes da partida em que o São Paulo bateu o CRB, por 3 a 0, pela Copa do Brasil, na quarta-feira, quando chamou atenção pela beleza até de Muricy Ramalho. Neste domingo, ela estará no Independência, na capital mineira, quando integrará a equipe de arbitragem do clássico entre Atlético-MG e Cruzeiro.

Fernanda chamou atenção no Morumbi, não apenas pela beleza, mas também por por ter errado em alguns lances, que geraram reclamação de Muricy Ramalho ao final do jogo. Porém, em tom de bom humor, o comandante do São Paulo reconheceu que a bandeira foi aprovada pela beleza.

“A bandeira é muito bonita, tem aquelas coisas toda, mas tem que bandeirar melhor… Ela realmente errou muito. É muito bonita, e tal, mas…”, observou Muricy Ramalho na entrevista coletiva ao final da partida.

Untitled-5 Untitled-4 Untitled-6 Untitled-8A CBF escalou agora a bandeira musa para o duelo do confronto mineiro neste domingo. O juiz será Heber Roberto Lopes e o outro auxiliar será Alessandro de Rocha Mattos.

Fernanda Colombo é aspirante ao quadro da Fifa e está filiada à Federação Catarinense de Futebol. Na quarta-feira, em São Paulo, ela fez apenas seu terceiro jogo no ano, segundo pela categoria profissional.

Nas redes sociais, ao descobrirem a escalação da bandeirinha para o clássico, os torcedores do Atlético, que serão únicos presentes ao Independência se animaram e rapidamente passaram a postar fotos de Fernanda.

BOL-UOL

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Julha disse:

    Com certeza amigo Jácome, você deve entender bem menos, a julgar pelo seu inoportuno comentário. Quer dizer então, que por ela ser mulher não pode entender de Futebol?! COMO ASSIM BIAL, em que mundo você vive? Certo que a maioria das mulheres, não gosta, não entendi, e nem faz questão de entender. Mas eu disse maioria, existe a minoria, que gosta e que entendi sim. Talvez como ela né, porque se assim não fosse não estaria escalada para o jogo descrito.
    Já com relação a cozinha, e a revista mencionada, como um comparativo seria bom frisar que o lugar de muitos de vocês (Jácome) seria em uma revista do mundo animal.

  2. Jácome Carlyle disse:

    Mulher não entende nada de futebol essa dai devia é estar sendo banderinha de fogao ou juiza de cozinha mais na playboy ela fará muito sucesso

Advogado da CBF diz que Série A corre risco de ter mais de 20 clubes; regulamento precisa ser divulgado até 20/02

Com a missão de defender os interesses da CBF na batalha de liminares que ainda não deixa o Brasileirão-2013 ter fim, o advogado Carlos Miguel Aidar admite que, se o cenário atual se mantiver, a edição-2014 corre risco de sofrer mutações, tendo mais do que 20 clubes.

– Por enquanto, é cedo para falar algo. A CBF tem até 20 de fevereiro para divulgar o regulamento da competição. Mas depois de lá, realmente pode haver uma complicação nesse sentido – comentou Aidar ao LANCE!Net.

A CBF delegou o escritório de Aidar para lidar com as questões da Justiça Comum referentes ao imbróglio na Série A. Atualmente, existem três liminares em vigor que determinam a invalidação da punição imposta pelo STJD à Lusa – duas em São Paulo e uma em São José do Rio Preto. Aidar condena o “mutirão” de decisões que vão de encontro ao que definiu a Justiça Desportiva.

– Estamos trabalhando para derrubar as que restam e tentando uma decisão mais abrangente, que invalide as decisões de uma vez só. Queremos evitar essa brincadeira que estão fazendo, que gera uma insegurança muito grande. São pessoas sem compromisso com o futebol – completou Aidar.

Há outras duas liminares no Rio que obrigam a CBF a cumprir a decisão do STJD. Mas contra elas a entidade não vai brigar.

Além do conflito entre Tribunais de Justiça de São Paulo e Rio, os Ministérios Públicos dos dois estados também estão investigando o assunto. No caso do paulista, o promotor Roberto Senise já falou que desconfia de que alguém tenha recebido dinheiro para prejudicar a Lusa.

Lancenet

Conflito de liminares põe CBF em encruzilhada e repete "caso Gama"

 A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) está diante de uma encruzilhada jurídica. Nos últimos dias, tribunais de Rio de Janeiro e de São Paulo emitiram liminares contraditórias sobre punições que o STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) aplicou a Flamengo e Portuguesa em 2013. Para resolver a celeuma, a entidade que comanda o futebol nacional terá de dar um passo que lembra um episódio de 1999 e indica qual pode ser o futuro do atual processo.

Flamengo e Portuguesa foram punidos pelo STJD por terem escalado jogadores em situação irregular na última rodada do Campeonato Brasileiro. Ambos perderam quatro pontos, em decisão que rebaixou a equipe do Canindé para a segunda divisão nacional e evitou o descenso do Fluminense.

Na última semana, contudo, torcedores das duas equipes tiveram sucesso ao contestar essas decisões na Justiça comum. O juiz Marcello do Amaral Perino, da 42ª Vara Cível de São Paulo, emitiu liminares favoráveis a torcedores de Flamengo e Portuguesa e determinou que a CBF devolva os pontos retirados das duas equipes.

A sentença do magistrado paulista foi baseada em ações que apontaram infração de lei federal. Flamengo e Portuguesa foram punidos com base no artigo 133 do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva), mas o entendimento de Amaral Perino é que o dispositivo foi revogado em 2010 pelo Estatuto do Torcedor, que tem artigo contrário e hierarquia superior.

Na terça-feira, dois torcedores do Fluminense tiveram sucesso em ações que contestam essa visão. Ambos conseguiram liminares que ratificam a decisão do STJD e mantém o rebaixamento da Portuguesa.

O primeiro a ter sucesso foi Alexandre Corrêa Geoffroy, que entrou com uma ação no Juizado Especial do Torcedor e dos Grandes Eventos. “Minha ideia não teve qualquer sentido clubístico. Conversei com muitos amigos advogados, muitos deles flamenguistas, e só fiz isso para defender a legalidade. Queríamos que fosse cumprida a decisão do STJD”, explicou o jurista, que é torcedor e sócio do Fluminense.

A 2ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro também emitiu liminar favorável ao Fluminense. A decisão do juiz Mario Cunha Olinto Filho referiu-se a um processo movido por Victor Campos, que também é torcedor do Fluminense. Mais uma vez, a sentença foi ratificar o que havia sido determinado pelo STJD.

Com as decisões contraditórias, é necessária uma unificação de decisões. Para isso, a CBF precisa recorrer ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) e alegar um conflito de competência.

Se isso acontecer, caberá ao STJ a definição de um tribunal responsável por concentrar todas as ações relacionadas ao caso. E essa escolha colocará os processos nas mãos de um tribunal cujo entendimento já é conhecido.

“Há dois caminhos aí. A CBF pode alegar que há várias ações, cada uma com audiência em dia e lugar diferentes, e que ela é a parte comum. Portanto, a concentração deve ser feita em um local mais cômodo para ela. O STJ também pode dizer que as ações são sobre direito do consumidor e que o interesse do consumidor é maior do que o da CBF. Aí, mantém-se o que é mais favorável ao consumidor”, explicou Luiz Roberto Martins Castro, advogado que integra o conselho deliberativo do IBDD (Instituto Brasileiro de Direito Desportivo).

Em 1999, o São Paulo foi punido por ter escalado em situação irregular o atacante Sandro Hiroshi, que havia adulterado a idade. Por isso, o time tricolor perdeu os três pontos conquistados em goleada por 6 a 1 sobre o Botafogo, que herdou os pontos. Isso salvou a equipe alvinegra do descenso e condenou o Gama à segunda divisão.

A queda de braço sobre o rebaixamento desembocou em tribunais da Justiça comum. No dia 14 de novembro, o Sindicato dos Treinadores do Distrito Federal e a seção brasiliense do PFL (Partido da Frente Liberal) conseguiram liminar para que o Gama fosse mantido na elite nacional.

Depois, o Botafogo obteve liminar confirmando decisão dos tribunais esportivos. Estava posta uma situação similar ao imbróglio atual, com liminares contraditórias em diferentes partes do país. A CBF alegou conflito de competência e recorreu na época ao STJ. O tribunal definiu que todas as questões deveriam ser julgadas no Distrito Federal.

“A CBF pode alegar conflito de competência, expor as duas liminares e perguntar qual delas a entidade deve seguir. E aí não existe um prazo para uma decisão. A menos que a CBF mostre que há perigo na demora e que isso pode acarretar em prejuízos financeiros caso prejudique o início do próximo Campeonato Brasileiro”, disse o advogado Marcelo Góes.

Se a CBF consultar o STJ e mostrar que necessita de urgência, o tribunal pode emitir uma liminar sobre o conflito de competência. Isso concentraria as ações em uma área favorável (no Rio de Janeiro) ou hostil (em São Paulo) à entidade.

Inicialmente, a CBF agendou o início do Campeonato Brasileiro de 2014 para o dia 20 de abril. De acordo com o Estatuto do Torcedor, a tabela da competição precisa ser divulgada ao menos 60 dias antes do início.

UOL

Esculhambação: Justiça do Rio manda CBF cumprir decisão do STJD, que rebaixou Lusa

 O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro concedeu no início da tarde desta quarta-feira uma liminar determinando que a CBF cumpra a decisão do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), que no final do ano rebaixou a Portuguesa para a Série B.

No dia 27, o time do Canindé foi punido no “tapetão” pela escalação do meia-atacante Héverton no jogo contra o Grêmio, válido pela última rodada do Campeonato Brasileiro. No julgamento, a Lusa perdeu quatro pontos e ocupou o lugar do Fluminense na zona de rebaixamento.

Dois dias antes da partida, o jogador havia sido suspenso por dois jogos pela Justiça Desportiva por conta de uma expulsão ele só havia cumprido um jogo de gancho.

O clube paulista alega, no entanto, que só tomou ciência da punição no dia seguinte ao jogo, com a publicação da decisão no site da CBF.

Além da Portuguesa, o Flamengo também perdeu quatro pontos por escalar de maneira irregular o lateral André Santos contra o Cruzeiro, em jogo válido pela última rodada do campeonato.

A liminar concedida no Rio atrapalha ainda mais a definição dos participantes do Campeonato Brasileiro deste ano.

Na semana passada, a Justiça de São Paulo havia determinado a devolução dos quatro pontos ao Flamengo e à Portuguesa.

Folha

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luciana Morais Gama disse:

    Bruno, nao eh novidade, isso eh Brasil, o pais da INSEGURANÇA JURIDICA!

Por causa de possibilidade de recurso, tapetão deve definir rebaixado à Série B só depois do Natal

Oito dias depois de encerrado dentro de campo, o Campeonato Brasileiro da Série A de 2013 terá mais um embate nesta segunda-feira, desta vez no tribunal.

E provavelmente nem será o último capítulo –a discussão que definirá um dos rebaixados para a Série B em 2014 deve se estender até depois do Natal, já que há a possibilidade de recurso.

Nesta segunda, a partir das 17h, no Rio, a Primeira Comissão Disciplinar do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) julgará se a Portuguesa deve ou não perder quatro pontos por ter escalado o meia Héverton no jogo contra o Grêmio, dia 8 de dezembro, na última rodada da Série A. Ele estava suspenso.

A perda desses pontos faria com que o time paulista ocupasse o lugar do Fluminense na 17ª colocação e, desta maneira, fosse rebaixado para a Segunda Divisão em 2014 na vaga dos cariocas.

Qualquer que seja o resultado, há a possibilidade de recurso ao Pleno, que é a segunda e última instância do STJD (veja mais detalhes abaixo).
13349152
Podem recorrer a procuradoria, por meio do procurador-geral, Paulo Schmitt, a Portuguesa e até mesmo o Fluminense, que planeja participar o julgamento como terceira parte interessada.

Segundo Schmitt, o julgamento no Pleno ocorreria no dia 27 de dezembro.

A presença de representante do Fluminense –provavelmente o advogado Mario Bittencourt– é o que abre brecha para que o clube do Rio, como interessado direto no caso, entre com um recurso caso o resultado não lhe agrade –ou seja, se a Portuguesa for absolvida e não perder os quatro pontos.

Porém, para que tenha essa condição, terá que estar presente desde o primeiro momento no processo, não podendo ingressar após a primeira instância.

A SUSPENSÃO

Héverton não poderia ter jogado contra o Grêmio no dia 8 por ter sido suspenso pela segunda partida, dois dias antes, por causa da expulsão diante do Bahia, na 36ª rodada –ele já tinha ficado fora contra a Ponte Preta, na 37ª. Na 38ª e última rodada, o meia atuou por 13 minutos, entrando no segundo tempo.

A Portuguesa alega não ter sido avisada do segundo jogo de suspensão pelo advogado que a representou, Osvaldo Sestário. Ele garante que comunicou o clube.

A defesa da Portuguesa será feita por João Zanforlin, advogado que atua para o Corinthians. Ele alegará que não houve má-fé e que Héverton atuou pouco, não influenciando no resultado.

O Flamengo também será julgado hoje por ter escalado um jogador que deveria estar suspenso, o lateral-esquerdo André Santos.

Folha

Brasileirão 2013: Procurador do STJD nega incoerência em falas e diz que campeonato "não acabou"

 O procurador-geral do STJD, Paulo Schmitt, negou ter sido incoerente ao tratar de maneira diferente dois casos de jogadores que entraram em campo mesmo supostamente suspensos – Heverton, da Portuguesa, em 2013, e Leandro Chaves, do Duque de Caxias, em 2010 – e o caso de Tartá, então no Fluminense, em 2010.

Em entrevista à TV Globo, ele negou que suas opiniões sobre os casos sigam linhas diferentes. “Não vejo nenhuma incoerência. Acho que as duas falas tem a mesma linha no sentido de que o critério técnico e o resultado de campo tem que ser preservado sim. No caso do Tartá e do atleta do Duque, a procuradoria sempre foi contundente em levar para julgamento. Como no caso do Tartá, não chegou comunicado da CBF e havia esse julgamento anterior do Duque de Caxias, não houve julgamento, aplicação de pena, nem irregularidade”, disse.

Em 2010, Leandro, do Duque, atuou em partida da equipe na Série B do Campeonato Brasileiro mesmo após receber três cartões amarelos, o que significaria suspensão automática – porém, dois dos cartões foram desconsiderados, já que haviam sido recebidos antes do atleta se transferir para o time carioca.

No mesmo ano, o Fluminense não foi julgado sobre uma suposta irregularidade na escalação de Tartá, que teria atuado mesmo suspenso (o que não ocorreu), e Schmitt declarou que não havia “condição moral” para tirar pontos do time carioca na ocasião.

“Não acredito que haja condição moral, disciplinar, até (de tirar os pontos do Fluminense). Pode ter (condição) técnica. Técnica, jurídica, com base em uma jurisprudência. Mas moralidade. Rediscutir o título que foi conquistado no campo de jogo, da forma como foi, agora (ao final do campeonato), abrindo um precedente. Essa decisão poderia ser em algum momento revista, mas isso seria um caos”, disse à época ao SporTV.

No caso atual, em que Heverton atuou pela Portuguesa na última rodada do Brasileiro mesmo após receber terceiro cartão amarelo, Schmitt declarou ser “pouco crível” a justificativa do clube paulista. A Portuguesa alega que o advogado Oswaldo Sestário Filho, que defendeu o time no caso, informou que a suspensão recebida pelo atleta foi de apenas um jogo.

Além dessa situação, Schmitt também opinou que o Campeonato Brasileiro, para ele, “ainda não acabou”. “O Campeonato não acabou nem de fato e direito. Tem a violência enorme em Joinville, tem dois casos de irregularidades na Lusa e Flamengo, que para nóss está comprovada, pois são atletas que não cumpriram a pena”, disse.

“Imagina a seguinte situação: dezenas de clubes cumprem suas penas sob as mesmas regras e condições. Se esses clubes passarem a não cumprir suas penas, não tenho a menor dúvida que os resultados seriam outros. Muitos atletas de qualidade excepcional ficaram fora dos jogos porque cumpriram suas penas. Não vamos contentar o torcedor preocupado que o Fluminense não seja rebaixado. Isso para nos não interessa. Se um dia interesse clubístico prevalecer, é melhor fechar as portas”, completou o procurador.

Por fim, ele novamente citou as questões “morais e técnicas”: “Casos específicos estão sempre sendo julgados e sempre há questão moral e técnica de não mexer nos resultados campo. Mas o resultado de campo se faz com todos cumprindo a mesma regra com isonomia”, finalizou.

O julgamento do caso no STJD está marcado para a próxima segunda-feira. A Portuguesa pode ser rebaixada porque se for considerada culpada no caso ela poderá perder quatro pontos. Assim, ela terminaria o Brasileirão com 44 pontos – dois a menos que o Fluminense, que então se salvaria do rebaixamento.

2004 – São Caetano – São Caetano punido com a perda de 24 pontos no Campeonato Brasileiro pela suposta escalação irregular do zagueiro Serginho, que morreu cerca de uma hora após desmaiar durante jogo contra o São Paulo, no Morumbi.

2005 – Brasileirão – O Campeonato Brasileiro de 2005 vivenciou uma das maiores polêmicas do futebol nacional, quando foi descoberto que o árbitro Edílson Pereira de Carvalho havia manipulado 11 jogos por um esquema de apostas. A polêmica aumentou porque o STJD decidiu anular os 11 jogos e repeti-los novamente. O Corinthians tinha dois de seus jogos entre os 11. Não havia feito nenhum ponto nestes duelos, mas, com a repetição, fez quatro. Foi campeão com três pontos acima do Internacional, o vice-campeão.

2008 – Grêmio – O zagueiro Léo foi punido com 120 dias de suspensão, o também defensor Réver pegou gancho de três jogos, e o atacante Morales não poderá atuar por oito partidas. Os três jogadores foram julgados por lances ocorridos na partida contra o Botafogo, no último dia 4, em que o Grêmio venceu por 2 a 1. Léo, que foi expulso na oportunidade, foi indiciado por chutar Jorge Henrique, do time carioca, sem a bola estar em disputa. Já Rever foi punido por empurrar o meia Carlos Alberto, e Morales era acusado de fazer falta violenta no lateral Alessandro.

2009 – Coritiba – O Estádio Couto Pereira será interditado até serem atendidas melhorias de segurança a serem determinadas pela CBF. Depois de cumprida esta pena, passa a valer a cassação de 30 mandos de campo, válida para os jogos da Série B e da Copa do Brasil. Além disso, o clube terá de pagar multa de R$ 610 mil. Acabou cumprindo dez perdas de mando.

2009 – Botafogo – Pego no doping, o atacante Jobson foi punido com dois anos pelo STJD. Porém, depois teve pena abrandada para seis meses. Ele foi flagrado pelo uso de cocaína em dois exames antidoping realizados na reta final do Brasileirão- contra Palmeiras e Coritiba.

2010 – Canedense – A briga que envolveu torcedores da Canedense e jogadores do Vila Nova-GO deixou um jogador do time visitante queimado e fora dos gramados por 40 dias. Após a confusão, o STJD resolveu interditar o estádio por 30 dias.

Mamoré 2010 – Vitinho foi escalado de maneira irregular em jogos do Módulo II e o Clube Patense foi derrotado. Os auditores entenderam que houve a irregularidade e por 8 votos contrários decretaram o Mamoré culpado e decretaram a perda de 7 pontos dentro do Módulo II.

2010 – Grêmio Prudente- A equipe do interior paulista escalou o zagueiro Paulão em partida contra o Flamengo, pela 3ª rodada do Brasileirão, no final de semana. O problema é que o defensor havia sido suspenso pelo STJD na sexta-feira, e não poderia ter entrado em campo no Macaranã. A defesa do Prudente alegou que o tribunal só notificou o clube na segunda-feira, mas não houve conversa: o time teve três pontos subtraídos e ainda teve que pagar multa de R$ 1 mil. Paulão também foi julgado e corria risco de ser suspenso por um ano, mas foi absolvido.

2011 – Rio Branco, do Acre, foi desclassificado da Série C do Campeonato Brasileiro 2011. O clube foi punido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e, além da eliminação, teve que arcar com mais de R$ 13 mil em multas. O time infringiu o artigo 231 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) ao mandar um jogo na Arena da Floresta, que havia sido interditada.

2013 – Carlos Alberto – Carlos Alberto, atualmente sem clube, foi condenado a um ano de suspensão por doping.

2013 – Paysandu – Perda de seis mandos de campo e mais R$ 80 mil de multa pecuniária. O clube foi julgado na sede do órgão, no Rio de Janeiro, por conta dos incidentes que aconteceram na partida contra o Avaí, no dia 18 de outubro, no Estádio da Curuzu. Na ocasião, um grupo de torcedores bicolores arremessaram objetos ao gramado, inclusive bombas caseiras, e a partida foi encerrada pelo árbitro Grazianni Maciel Rocha aos 37 minutos do segundo tempo.

UOL

Clubes estudam regulamento para pedir punição de Criciúma, Ponte Preta e Portuguesa com perda de pontos

Enquanto o Campeonato Brasileiro segue sem definição sobre quais times vão ser rebaixados para a Série B, clubes se articulam para decidir o torneio na Justiça. Com a liderança de Coritiba, e a participação de Vasco e Fluminense, as diretorias conversaram para verificar súmulas da competição. O resultado obtido, segundo a visão desses cartolas, mostra que Ponte Preta, Portuguesa e Criciúma poderiam perder pontos.

Em contato com o ESPN.com.br, dois dirigentes explicaram que a regra que está sendo avaliada, que teria passado a valer neste ano, é uma que limita em cinco o número de jogadores transferidos de outros clubes da Série A. Os documentos de relatos dos jogos estão sob os olhares dos departamentos jurídicos dos times e também de especialistas do direito desportivo.

O Regulamento Específico da Competição, no capítulo III, artigo nono, no seu parágrafo único, diz que “cada clube poderá receber até cinco atletas transferidos de outros clubes do Campeonato da Série A; de um mesmo clube da Série A, somente poderá receber até três atletas”.

Um exemplo que, segundo os clubes reclamantes, fere o regulamento acima, seria a Portuguesa. Para a temporada de 2013, a diretoria paulista conta com pelo menos 13 atletas emprestados, sendo que desses, pelo menos dez chegaram de outras equipes da Série A.

A visão da CBF é diferente. Segundo Virgilio Elíseo, diretor do departamento técnico da entidade, o regulamento vale a partir do início do Campeonato Brasileiro e para jogadores que tenham disputado pelo menos um jogo do torneio pelo clube cedente. Assim, só haveria desrespeito ao regulamento caso um clube tenha mais de cinco jogadores que atuaram por outros clubes da Série A em 2013.

O plano dos que se queixam é terminar o estudo ainda no início desta semana. Se a conclusão dos advogados for de que o assunto procede, eles enviarão uma denúncia para a CBF e para o STJD, que deverá julgar o caso.

De acordo com o Código Brasileiro da Justiça Desportiva, a inscrição irregular de atletas na súmula implica na perda de três pontos. Com o que já foi analisado e interpretado, os dois paulistas e o catarinense deveriam perder, cada um, pelo menos seis pontos.

Assim, Portuguesa e Criciúma substituiriam Vasco e Coritiba na zona da degola.

Considerando a atual classificação, teríamos a seguinte mudança:

14 – Fluminense – 42 pontos
15 – Coritiba – 42 pontos
16 – Vasco da Gama – 41 pontos
17 – Portuguesa – 38 pontos
18 – Criciúma- 37 pontos
19 – Ponte Preta – 30 pontos
20 – Náutico – 17 pontos

Fonte: ESPN.com.br

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. fabio disse:

    o fluminense era p/ ser proibido de jogar serie A futebol brasileiro é um lixo e mafioso.