Anderson Silva afirma que não quer mais disputar o cinturão do UFC: 'Quem viu, viu. Quem não viu, não vê mais'

73d1f710-377c-11e4-9762-ff0a99361037_459660043A madrugada do dia 29 de dezembro de 2013 ficou marcada na história do UFC. Anderson Silva, um dos maiores nomes do MMA da atualidade, fraturou a perna durante a revanche contra Chris Weidman. Após se recuperar com uma velocidade impressionante, o ex-campeão dos médios irá retornar aos octógonos da organização em janeiro de 2015, onde enfrentará Nick Diaz. “The Spider”, como é mais conhecido, em entrevista ao programa “Fantástico”, falou sobre o futuro, cinturão e a recuperação da lesão sofrida em combate.

Ao ser perguntado sobre uma possível luta pelo cinturão, Anderson afirmou que não tem mais paciência para “ser campeão”.

“Eu já passei por aquela coisa de ser o campeão, de ter o cinturão… A verdade é que Ayrton Senna só vai ter um, Pelé só vai ter um e Anderson Silva só vai ter um… Então, quem viu, viu. Quem não viu, não vê mais. De certa forma vai ver, mas não lutando pelo cinturão, aquela coisa de cinturão de novo. Eu não tenho mais paciência para isso. Cada dia que passa fico mais perto de me aposentar”, disse o ex-campeão dos médios do UFC.

Após uma recuperação rápida, Anderson confirmou que a autoconfiança para chutar ainda é um problema. O lutador está sendo acompanhado por uma psicóloga.

“A força está vindo, eu voltei aos treinos. O que está mais difícil mesmo é a autoconfiança, voltar a chutar da forma que eu chutava antes. Estou tendo um acompanhamento de uma psicóloga para que eu tire os fantasmas daqueles momentos horríveis que foram da luta, quando eu tive o acidente. Na hora dos treinos, fico meio apreensivo. Sei que eu posso executar o movimento, mas eu acabo não fazendo por medo”, finalizou.

Esporte Interativo

Vitor Belfort desdenha luta entre Anderson Silva e Chris Weidman e faz dá declaração forte

f997ae41-7bdd-4434-b5e5-9e9fd7b5cc99_Vitor-Belfort-5Enquanto os fãs de MMA estão na expectativa da luta mais aguardada do ano, entre Anderson Silva e Chris Weidman, Vitor Belfort já está pensando na chance de ser o próximo desafiante ao cinturão dos médios. Em entrevista para o jornal norte-americano “USA Today”, o Fenômeno disse que vai ser o próximo dono do cinturão.

“Não importa quem vencerá sábado, porque quem quer que vença já estará se preparando para perder. Aquele cinturão pertence a mim. Eu conquistei o meu espaço, eu quis a oportunidade de lutar pelo cinturão e aqui estou eu. A única coisa que os fãs querem ver sou eu conquistando o título. Agora estou mais do que pronto para ser campeão do mundo em outra categoria”, afirmou Belfort.

Esporte Interativo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. eduardo disse:

    so gostaria de ver o belfort sem os dentes apos uma luta!
    ei belfort! seu filho da puta!

  2. gabriel disse:

    só acho que ele tá se achando demais

Campeão do UFC, Renan Barão é recebido com festa e carreata pelas ruas de Natal

O lutador potiguar Renan Barão já está em sua terra Natal. Ele foi recebido com festa no Aeroporto Internacional Augusto Severo pelo título de campeão mundial do UFC, maior evento de MMA do mundo. Ele está seguindo em carreata que está tomando as ruas de Natal.

A carreata segue até o Sancho Music Bar, onde fãs, amigos, familiares e amantes do esporte vão se reunir para comemorar o grande título do natalense nascido nas quintas.

Foto: Canindé Soares
Foto: Edivan Martins
Foto: Via Certa Natal
Foto: Via Certa Natal

Com cinturão do UFC, Renan Barão desembarga em Natal na próxima segunda

Uma semana depois do título interino no UFC, o lutador Renan Barão se prepara para voltar a sua cidade Natal. E, para fazer uma recepção digna ao primeiro campeão potiguar do maior evento de MMA do mundo, fãs, amigos e familiares dele preparam uma grande recepção no aeroporto Augusto Severo, onde Barão desembarca às 13h da segunda-feira (30).

“Já falamos com o pessoal da Kimura Nova União e familiares e amigos de Barão, mas nossa intenção é levar o maior número de pessoas possível ao aeroporto para recepcionar o nosso campeão”, afirma Jair Lourenço, técnico do potiguar e líder da academia Kimura, onde ele treina em Natal. Após a chegada, inclusive, a comitiva do campeão do UFC segue em carreata até a academia Kimura, localizada na Cidade Alta, próximo a Catedral Nova.

A vontade de voltar a Natal, por sinal, já foi revelada algumas vezes pelo campeão, que nesta semana ficou no Rio de Janeiro para cumprir compromissos do UFC, e da patrocinadora, a Pretorian Hard, além de dar várias entrevistas. “É muito bom esse reconhecimento todo que tenho recebido, mas confesso que não vejo a hora de voltar a Natal e reencontrar meus amigos, familiares”, revela o campeão.

Vitórias

Com um cartel de 33 lutas, sendo 31 vitórias, uma derrota e uma luta sem resultado, o potiguar Renan Barão nasceu, cresceu e mora até hoje no bairro das Quintas, um dos mais humildes de Natal. “É das Quintas para o mundo”, costuma dizer o lutador da categoria galo, até 61,8 quilos, que na madrugada de domingo (22), se consagrou como campeão interino, após vencer o americano Urijah Faber na cidade de Calgary, no Canadá, na luta principal do UFC 149.

Potiguar Renan Barão viaja para o Canadá, onde disputa do cinturão do UFC

O lutador Renan Barão embarcou na noite desta segunda-feira (16) para o Canadá, onde faz a luta mais importante de sua carreira, contra o americano Urijah Faber, pelo cinturão interino da categoria galo do UFC. Porém, se engana quem pensa que o brasileiro demonstrou algum nervosismo antes de subir no avião. Se dizendo “bem treinado”, Barão afirmou que agora é só “fazer o dever de casa” para fazer o país ter mais um campeão no principal evento de MMA do mundo.

“Estou tranquilo. A preparação foi muito boa. Deu para estudar bastante o jogo do Faber. Agora, vai ser só chegar lá e fazer o dever de casa”, afirmou Renan Barão antes de entrar no avião, ao lado dos técnicos Dedé Pederneiras e Jair Lourenço, além do preparador físico Thiago Macedo.

Faltando apenas alguns dias para a luta, Renan Barão também entra na reta final da perda de peso. Na casa dos 60 quilos já, o brasileiro precisa bater os 61,4 quilos, pelo fato de ser uma luta pelo cinturão (interino). “Vai dar um trabalho um pouco maior essas últimas 400 gramas. Perder os primeiros quilos é fácil, mas quando vai se aproximando do peso da categoria, fica mais complicado. Mas estou na paz, vai dar tudo certo”, garantiu Barão.

Com um cartel com 30 lutas, uma derrota e um empate, segundo os números apresentados pelo UFC, Renan Barão já conhece o Canadá. Foi lá onde fez a estreia no WEC (ainda em 2010), evento que abriu as portas para que ele se tornasse lutador do UFC. “Só tenho boas lembranças de lá. Os canadenses também são muito receptivos e amam MMA”, acrescentou.

O UFC 149, que vai ter Barão VS Faber como evento principal da noite, está marcado para o dia 21 de julho, na cidade de Calgary, Alberta, Canadá. Barão, por sinal, é o único brasileiro no evento, que terá também a disputa entre os pesos médios Hector Lombard e Tim Boetsch (o vencedor pode enfrentar Anderson Silva) e os pesados Cheick Kongo e Shawn Jordan.

Técnico de Barão garante: “No sábado, Brasil terá novo campeão do UFC”

Faltam poucos dias para o Brasil ter um novo campeão no UFC. Pelo menos, é o que garante Jair Lourenço, um dos técnicos do lutador Renan Barão, que no sábado decide o cinturão interino dos pesos galos (até 61,8 quilos) do maior evento de MMA do mundo, contra o americano Urijah Faber. A luta será a principal do UFC 149, realizado no Canadá.

“Barão está muito confiante e muito bem preparado. Está no melhor momento da vida dele. Pela confiança que demonstra, no sábado o Brasil terá seu novo campeão do UFC”, afirma Jair Lourenço, que é o líder em Natal da Kimura, academia filiada a Nova União (Rio de Janeiro), onde Renan Barão treina desde o maio, exclusivamente, para essa luta. “Barão está totalmente focado. A condição dele nem de longe lembra como foi a da última luta”, acrescenta.

A última luta de Barão no UFC, vale lembrar, foi em fevereiro, contra o americano Scott Jorgensen e, apesar da vitória incontestável por pontos, o brasileiro sofreu na parte física, consequência de uma virose que o atacou duas semanas antes de subir no octógono. “Daquela vez ele teve esse problema de saúde e pensamos até em cancelar a luta, mas desta vez não. Ele está bem preparado e fez um trabalho especial de condicionamento físico e força muscular”, explica Jair Lourenço.

Apesar de não ter participado de toda a preparação de Renan Barão, visto que boa parte dela foi feita na Nova União, Jair Lourenço gostou do que viu ao chegar no Rio de Janeiro para fazer os “ajustes finais”. “Assisti a avaliação física dele e pude ver que está muito bem. Além disso, tive o prazer de encontrar uma academia inteiramente mobilizada para essa luta. Todo mundo passando muita energia positiva para Barão”, revela Jair Lourenço.

Nessa “união” da qual o técnico de Barão faz referência, estão presentes os potiguares Ronny Markes e Jussier Formiga, os dois colegas de Barão no UFC, e ainda o campeão dos pesos pena, José Aldo, que passou dicas importantes para Barão chegar a vitória – Aldo já lutou e venceu Faber. “Conversei com ele e também fiquei feliz com o que me disse: que Barão tem tudo para sair com uma vitória importante do UFC 149”, acrescenta Lourenço.

“Faber lutará fora da zona de conforto”

Aos 33 anos, Urijah Faber, é um dos mais experientes e conhecidos lutadores do UFC. Para Jair Lourenço, porém, de nada vai adiantar essa fama se o americano não demonstrar, dentro do octógono, o que anda dizendo antes do UFC 149. E mais: com a mudança do local da luta, que seria nos Estados Unidos, mas agora vai ser no Canadá, Faber terá que sair de sua “zona de conforto”.

“A mudança da luta foi muito importante para Renan Barão. Se antes iria lutar em Las Vegas, no dia 7 de julho, agora ele fará a luta principal do UFC 149, no Canadá, sem toda aquela torcida que seria possível ver nos Estados Unidos para Faber. Não que a torcida contrária influencie Renan Barão, mas vai fazer Faber lutar fora de sua zona de confortor”, avalia Jair Lourenço.

Para quem não tem acompanhado, apesar de ter respeitado Renan Barão mais que os adversários anteriores no UFC, Urijah Faber já chegou a dizer que seria o adversário mais duro da carreira do brasileiro, mas que Barão não seria o oponente mais difícil dentre aqueles que já enfrentou. “Isso aí vamos deixar para mostrar no octógono. Barão está confiante, mas quer deixar para mostrar lá dentro quem é o melhor”, revela Jair Lourenço.

O fato da luta ter sido transferida para o Canadá também ajudou pelo retrospecto positivo que Barão tem, também, no território canadense, onde fez sua estreia no WEC, evento que integrou antes de ir para o UFC. “Barão tem boas lembranças do Canadá. Foi lá onde ele deu o primeiro passo na carreira internacional e vai ser lá onde, se Deus quiser, ele vai dar mais um passo importante rumo ao cinturão do UFC”, torce Jair Lourenço.

Com 29 lutas de invencibilidade, Renan Barão não sabe o que é perder desde 2005 e, conseguindo uma vitória contra Faber, no sábado, se torna o campeão interino dos pesos galo. Isso, porque dono oficial do cinturão da categoria, Dominick Cruz, está afastado do octógono por um tempo indeterminado, devido a uma lesão no joelho. Quando estiver apto para voltar a lutar, o campeão enfrentará o interino e o vencedor fica com o título da categoria.

Luta do potiguar Renan Barão pelo cinturão será a principal do UFC 149

O UFC deu duas notícias, uma boa e outra má, para o potiguar Renan Barão neste final de semana. A má foi a contusão do amigo dele, José Aldo, companheiro de treino na academia Nova União, e que não vai mais poder enfrentar o americano Erik Koch no UFC 149. A boa é que a luta principal do evento, agora, será o confronto entre Barão e Faber. O vencedor, vale lembrar, fica com o cinturão interino da categoria galo.

“Fiquei muito feliz pelo fato do UFC dar esse voto de confiança para a minha luta, para que ela seja a principal de um evento. A responsabilidade aumenta, porque Faber e eu seremos os protagonistas do UFC 149, mas estou tranquilo. Vou seguir fazendo meu trabalho para fazer um grande show para os que torcem por mim e gostam de MMA”, afirmou Barão.

O UFC 149 acontece no dia 21 de julho, duas semanas depois do UFC 148, que teria a luta entre Barão e Faber como co-evento da aguardada revanche entre Anderson Silva e Chael Sonnen. Além da data, mudou também o local da luta. Ao invés de Las Vegas, o potiguar vai lutar em Calgary, no Canadá, país onde ele já esteve quando ainda era do WEC. “Tenho boas lembranças lá. Consegui uma vitória importante que me levou ao UFC e lembro que o povo canadense gosta muito de MMA”, afirmou.

Claro que apesar da boa notícia, a contusão do amigo José Aldo foi sentida pelo lutador potiguar, que treina com ele quando está no Rio de Janeiro. “Ele é um exemplo de profissional dedicado e que gosta do que faz. É sempre chato quando um amigo se machuca, porque a gente pensa e ‘se fosse comigo?’ Mas pelo menos nesse caso a gente sabe que ele vai melhorar e, em breve, vai estar de volta ao octógono representando o Brasil”, afirmou Barão.

É importante lembrar que foi justamente devido a contusão do campeão dos pesos-galo, Dominck Cruz, que o sonho de Barão disputar o cinturão foi antecipado. Cruz deve passar, segundo previsões, nove meses parado e, nesse período, a categoria terá um campeão interino, que será justamente o vencedor da disputa entre Barão e Faber.

No caso de José Aldo a situação é diferente porque a contusão dele ocorreu muito próxima ao UFC 149. Segundo o UFC, não haveria tempo suficiente para substituir o adversário e, também, não seria o caso da instauração de um cinturão interino, porque Aldo não deve passar muito tempo fora do octógono.

UFC 149 – 21 de julho de 2012, em Calgary (CAN)

CARD PRINCIPAL
Renan Barão x Urijah Faber
Rodrigo Minotauro x Cheick Kongo
Hector Lombard x Tim Boetsch
Siyar Bahadurzada x Chris Clements

CARD PRELIMINAR
Court McGee x Nick Ring
George Roop x Antonio Carvalho
Bryan Caraway x Mitch Gagnon
Mitch Clarke x Anton Kuivanen
Ryan Jimmo x Anthony Perosh
Claude Patrick x James Head
Bibiano Fernandes x Roland Delorme

É hoje: Júnior Cigano defende cinturão do UFC contra Frank Mir

Na última vez que entrou num octógono do UFC, no dia 12 de novembro do ano passado, Júnior “Cigano” dos Santos era apenas um desafiante, diante do temido campeão dos pesos pesados Cain Velásquez. Um nocaute e meio ano depois, o americano de ascendência mexicana é hoje coadjuvante na categoria peso pesado e faz a luta preliminar de Cigano. Dono do cinturão, o brasileiro pela primeira vez o colocará em disputa, neste sábado à noite, no combate principal do UFC 146, que acontece na arena do Hotel MGM, em Las Vegas, contra outro americano: Frank Mir. A Rede Globo transmite a luta, a partir da 1h25m da madrugada (horário de Brasília).

Não é à toa que Cigano domina a categoria. Ele está invicto no UFC, com oito vitórias, desde outubro de 2008. Catarinense radicado na Bahia, Cigano tem 27 anos e começou a lutar em 2006, por acaso. Conciliava o trabalho como garçom em churrascarias em Salvador com treinos em academias de boxe, porque estava acima do peso. Hoje, é considerado um dos maiores nocauteadores do UFC. Cinco de suas oito vitórias foram por nocaute.

Mais um algoz do mestre

Cigano é um dos três brasileiros que hoje detêm o cinturão do UFC. Além dele, na categoria peso pesado, também são campeões Anderson Silva, nos médios, e José Aldo, no peso pena. Além de Cigano, outro brasileiro está no card principal, todo com lutas de pesados. Velásquez vai enfrentar Antônio Pezão.

Curiosamente, Cigano terá novamente hoje a oportunidade de derrubar um algoz de seu grande ídolo e mestre, Antonio Rodrigo Minotauro Nogueira. As três derrotas no evento do mito do MMA e ex-campeão dos pesados do UFC Minotauro, de 37 anos, foram uma para Velasquez, em fevereiro de 2010, e outras duas para Mir. A primeira delas aconteceu em dezembro de 2008, no UFC 98, e Mir tornou-se o primeiro lutador a nocautear Minotauro. Na revanche, em dezembro passado, no UFC 140, o brasileiro dominou amplamente a luta mas teve o braço quebrado pelo americano no fim. Hoje, Minotauro vai comentar a luta do pupilo, que representa o Team Nogueira.

O card principal do UFC 146 terá os seguintes combates: Junior Cigano x Frank Mir, Cain Velásquez x Antônio Pezão, Roy Nelson x Dave Herman, Shane del Rosario x Stipe Miocic e Stefan Struve x Lavar Johnson. No card preliminar, lutam Diego Brandão x Darren Elkins, Jamie Varner x Edson Barboza, Jason “Mayhem” Miller x C.B. Dollaway, Jacob Volkmann x Paul Sass, Dan Hardy x Duane Ludwig, Kyle Kingsbury x Glover Teixeira e Mike Brown x Daniel Pineda.

Fonte: O Globo

Confirmado: Potiguar Renan Barão disputa cinturão do UFC em julho

Depois de muito mistério, a organização do UFC confirmou: o potiguar Renan Barão vai lutar contra o americano Urijah Faber no UFC 148, realizado em Las Vegas, no dia 7 de julho. Desde que o campeão da categoria galo, Dominick Cruz, se machucou durante as gravações do reality show TUF, nos Estados Unidos, havia um suspense sobre que iria substituí-lo, até porque o vencedor fica com o cinturão interino dos lutadores até 61 quilos.

Suspense esse só encerrado na noite desta sexta-feira (18), ao vivo, no TUF dos Estados Unidos. Ao final do programa, o chefão do UFC, Dana White, confirmou a impossibilidade de Dominick Cruz fazer a final do programa, devido a ruptora nos ligamentos do joelho, e anunciou o substituto dele: Renan Barão, que entrou no ar ao vivo para fazer uma participação no programa. Inicialmente, Cruz e Faber fariam o co-evento (penúltima luta) do UFC-148 porque o confronto marcaria o encerramento do TUF dos Estados Unidos, o mesmo que vai ocorrer no reality show brasileiro, que será “finalizado” com uma luta entre Vitor Belfort e Wanderlei Silva.

Vale lembrar que Renan Barão e Urijah Faber fazem a penúltima luta da noite e, logo em seguida, entram no octógono o campeão brasileiro Anderson Silva e o americano Chael Sonnen, que muitos consideram a luta mais aguardada do ano. Por outro lado, apesar a responsabilidade de fazer uma boa apresentação nesse que pode ser o principal UFC da temporada, Renan Barão tem se mantido tranquilo.

“Claro que na hora que recebi a notícia, a adrenalina subiu, mas depois procurei ficar calmo e seguir minha rotina de treinos. Mudou o adversário, mas o meu objetivo é o mesmo: tenho que chegar julho totalmente preparado”, afirmou o potiguar, de apenas 25 anos.

Sobre Urijah Faber, Renan Barão preferiu não fazer longos comentários, mas agradeceu a lembrança do americano, que o apontou, logo após ser confirmada a lesão de Dominick Cruz, como potencial desafiante. “Faber é muito experiente e rápido. Como é um lutador de destaque, já conheço um pouco mais do seu perfil no octógono e, por isso, não começo do ‘zero’ a montagem da estratégia para a luta. Fiquei feliz por ter sido apontado por ele porque isso mostra que meu trabalho também está repercutindo lá fora”, afirmou Barão.

Segundo Urijah Faber, pelo Twitter, “Renan Barão parece ser a melhor substituto” para Dominick Cruz. O lutador inglês Brad Pickett, que já foi derrotado por Barão, também já havia se manifestado indicado o nome do potiguar para a disputa. “Se eu pudesse, claro, eu adoraria lutar Faber mas para ser honesto o homem que merece é Renan. Dar à criança uma chance”, afirmou o inglês.

Cinturão interino

Dinâmico, o UFC não pode esperar o período de recuperação de Dominick Cruz – que deve ser de nove meses – sem uma luta pelo cinturão da categoria. Dessa forma, ocorreu o mesmo que ocorre quando um campeão passa muito tempo fora: a organização do evento aponta os lutadores de destaque da categoria para disputar o cinturão interino. O vencedor fica com o título provisório e defende ele até que o real campeão tenha condições de voltar ao octógono. Quando isto ocorrer, o dono do cinturão e o dono do interino se enfrentam para definir quem segue como principal vencedor do peso.

Vale ressaltar que não foi por acaso que Renan Barão recebeu a chance de lutar pelo cinturão da categoria galo. Dono do retrospecto de 29 lutas sem derrota, um recorde no UFC, o potiguar vem de três vitórias contra adversários expressivos: os americanos Cole Escovedo e Scott Jorgensen e o inglês Brad Pickett (que rendeu a Barão o prêmio de melhor luta da noite). Por isso, Renan já havia sido escalado para enfrentar Ivan Menjivar no mesmo dia 7 de julho. Se vencesse, ganharia a chance de lutar pelo título contra o vencedor do confronto entre Cruz vs Faber.

Essa é a primeira vez que um potiguar luta pelo cinturão do maior evento do MMA do mundo e essa confirmação acontece, justamente, um dia depois que Renan Barão foi eleito o Atleta do Ano pelo Prêmio Dez, uma espécie de “Oscar do Esporte Norte-riograndense”. “Fiquei muito feliz em saber que fui escolhido o Atleta do Ano em Natal. É o reconhecimento do trabalho e da popularização do MMA no Brasil e no nosso Estado (Rio Grande do Norte). Obrigado a todos que me ajudam a melhorar a cada dia, a imprensa pela divulgação e aos lutadores que contribuem para melhorar a imagem do esporte”, afirmou Renan Barão, pelo Twitter, visto que não pode estar presente no evento devido a uma viagem a serviço do UFC.

UFC 148

7 de julho de 2012, em Las Vegas (EUA)

Card principal

Anderson Silva x Chael Sonnen
Urijah Faber x Renan Barão
Tito Ortiz x Forrest Griffin
Rich Franklin x Cung Le
Demian Maia x Dong Hyun Kim

Card preliminar

Chad Mendes x Cody McKenzie
Gleison Tibau x Khabib Nurmagomedov
Riki Fukuda x Costa Philippou
Melvin Guillard x Fabrício “Morango” Camões
John Alessio x Shane Roller

Dana White confirma luta de Anderson Silva com Chael Sonnen em Las Vegas

Nem Rio de Janeiro, Nem São Paulo, pra falar a verdade nem no Brasil será. Em uma coletiva de imprensa curta e marcada pela ironia do americano Chael Sonnen, o presidente do UFC, Dana White, confirmou nesta terça-feira, que a segunda luta entre Anderson Silva e Chael Sonnen acontecerá do UFC 148, dia 7 de julho, em Las Vegas.

A mudança da sede do UFC 147 também aconteceu, mas o evento ainda não tem um destino definido. Com a impossibilidade de realizar o torneio num estádio de futebol que pudesse quebrar o recorde de público da franquia, a luta principal da noite, passa a ser o duelo entre os treinadores do “The Ultimate Fighter Brasil – Em busca de campeões”, Vitor Belfort eWanderlei Silva, ou uma eventual participação de José Aldo no torneio, que mantém a data de 23 de junho.

A coletiva começou com Dana White explicando que tinha uma boa e uma má notícias.

“A boa é que a luta entre Anderson Silva e Chael Sonnen acontecerá, e a má é que não será no Brasil. Ainda não temos um local para o restante do evento, que terá as finais do TUF Brasil e a luta dos treinadores Vitor Belfort e Wanderlei Silva, mas certamente acontecerá no Brasil. Ainda estamos trabalhando para que José Aldo também esteja no torneio. Anderson ficou muito chateado por não lutar aqui. Conversamos muito e eu o convenci a lutar em Las Vegas, onde haverá hotel para todos que estiverem lá”, alfinetou o dirigente.

Perguntado sobre o que achou da mudança do local da luta, o campeão brasileiro não escondeu a decepção.

“Eu sou brasileiro, grato a tudo o que os meus fãs brasileiros me proporcionaram até agora. Não estou feliz por a luta não ser realizada no Brasil, mas não tenho fãs somente no Brasil. Vou fazer meu trabalho onde quer que seja. Houve uma aliança que o UFC fez com uma companhia que não foi suficientemente profissional para entender o tamanho do evento. Para mim é indiferente. Sou lutador. Meu primeiro título mundial foi no Japão, contra o Sakurai e havia dois mil japoness torcendo contra. Mas quando se está lá em cima, é tudo diferente. Eu sei exatamente como é. Quem luta no UFC é bom, tem qualidade, porque é o maior evento de MMA do planeta. Mas não acho nada sobre o Sonnen. Lá em casa tem um pé de acho, mas nunca dá nada”, disse.

Chael Sonnen também não fez questão de ser simpático, e destilou toda sua ironia sobre a fama de Anderson Silva como o melhor lutador do mundo.

Não tenho nada contra os brasileiros, e sim contra alguém sentado a poucos metros de mim. As suas mulheres são ótimas comigo. Fiquem à vontade para me ligarem e me fazerem uma visita. Minha impressão sobre o Brasil é muito parecida com as que eu tenho dos EUA. Quando eu era criança, me lembro de conversar com meus amigos. Nós falávamos sobre as últimas novidades da tecnologia, medicina, jogos e da ingenuidade americana. Eu olhava para fora e via Anderson e as crianças brasileiras brincando na lama. Anderson Silva fica tão perto das árvores que não consegue enxergar a floresta. Acho embaraçoso que ele sente ali, na frente da TV, com um cinturão falso fingindo que é campeão. Ele fala do seu legado. Conquistou o cinturão contra o “grande” Chris Leben, defendeu seu cinturão contra o “fenomenal” Patrick Coté e deu show diante do “fortíssimo” Thales Leites. Que legado! Ele diz que eu desrespeitei sua família. Sim, eu fiz isso. E o que você vai fazer a respeito? Use a escola Ed Soares de desculpas para dizer o que terá dado errado quando eu o surrar para todo o mundo assistir. É isso o que acontecerá no dia 7 de julho.

Questionado sobre o fato de as suas lutas sempre serem apontadas como as melhores lutas do mundo muito mais por sua habilidade do que as dos seus oponentes, Anderson desabafou.

“Até que enfim uma pergunta inteligente! Quando comecei a treinar artes marciais, eu aprendi o que era respeito. Sonnen não sabe o que é arte marcial. Ele é wrestler, não sabe o que é respeito às pessoas. Tem gente que diz que ele está promovendo a luta, mas ele desrespeitou meu país, minha família e o público. Alguns não tem conhecimento de causa, e acham isso o máximo. Ele fez de tudo nos cinco rounds, mas não fez o principal, que é vencer – disse Anderson Silva, enquanto Sonnen fingia roncar de tédio”, declarou.

*Com informações do SporTV

UFC muda adversário de Renan Barão e confirma que vencedor disputará o cinturão

O lutador potiguar Renan Barão foi pego de surpresa na tarde desta sexta-feira (23), com a notícia de que seu adversário no UFC 148 será agora Ivan Menjivar, de El Salvador, e não mais o americano Jeff Hougland, conforme havia antecipado anteriormente o UFC. Pelo menos, apesar da surpresa, a organização do evento confirmou também que o vencedor desse duelo enfrentará o detentor do cinturão da categoria galo, que será definido no mesmo dia 7 de julho, na luta entre Dominick Cruz e Urijah Faber.

“Fui pego de surpresa, mas antes de anunciarem Jeff Hougland como adversário, já até desconfiava que pudesse ser Ivan Menjivar, porque ele também tem três vitórias e estava ali cotado para a disputa pelo cinturão”, afirmou Renan Barão, ao saber pela imprensa que o UFC mudou seu adversário. “Na verdade, eu sou sempre o último a saber”, brincou o lutador, que tem 29 vitórias consecutivas e uma única derrota na carreira, ainda em 2005.

Sobre a chance de disputar o cinturão, Barão se sentiu honrado, mas afirmou que isso só vai dar mais gás para se preparar ainda melhor para o próximo confronto. “Sem dúvida, é um ânimo extra, mas não vou pensar no título agora e sim me preparar da melhor forma possível para enfrentar Menjivar”, garantiu Barão, que teve apenas duas semanas de “férias” depois da sua última luta (no dia 5 de fevereiro) e desde lá treina diariamente.

Menjivar tem 32 lutas, 24 vitórias e oito derrotas em seu cartel. Sua última luta foi no dia 15 de fevereiro, quando finalizou John Albert, no UFC Fuel on TV, mesmo evento, inclusive, em que lutou o companheiro de Kimura Nova União de Renan Barão, Ronny Markes. “Assisti a luta de Menjivar e achei um cara forte, resistente. Vai ser um adversário bom e vou fazer de tudo para estar bem preparado para enfrentá-lo”, afirmou Barão.

Segundo o UFC, o motivo da mudança na luta de Renan Barão, que continua sendo no dia 7 de julho, foi a lesão de Mike Easton, que lutaria contra Yves Jabouin, no UFC on Fuel TV 3, em maio. Jeff Hougland será o substituto de Easton e Menjivar, que ainda não tinha luta marcada, luta contra o potiguar. Para o UFC 148 está marcada também a luta entre: Tito Ortiz e Forrest Griffin; Rich Franklin e Cung Le; Demian Maia e Dong Hyun Kim; e Michael Bisping vs.  Tim Boetsch.

Dana White confirma UFC-147 no Rio; Engenhão é o provável palco

Engenhão é o provável palco do UFC-147 com capacidade de até 80 mil espectadores (Divulgação)

 

Fim da novela. Na coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira, no Canadá, para o anúncio do primeiro evento do UFC em Calgary, o de número 149, o presidente da entidade, Dana White, deixou escapar que a esperada luta entre o campeão dos pesos-médios Anderson Silva e seu maior desafeto, Chael Sonnen, será no Rio de Janeiro, em um estádio de futebol com capacidade de público para 80 mil pessoas.

Durante várias semanas chegou a se especular que o UFC-147, que promete ser um dos mais lucrativos dos últimos meses, seria realizado nos Estados Unidos, no Canadá ou mesmo no Brasil, porém em São Paulo. Chegou a ser especulado, inclusive, nomes de batismo como UFC São Paulo e UFC Brasil. Mas não deu outra. Essa será a terceira edição do UFC em terras brasileiras sediado no Rio.

Tudo indica que o palco em questão é mesmo o Engenhão, que tem capacidade original para 45 mil pessoas, mas que chega a 80 mil com o gramado. O Ultimate já tem um pré-acordo com o Botafogo, locatário do Engenhão, e na coletiva, o poderoso chefão do UFC soltou: “Anderson Silva e Chael Sonnen é uma luta que vai acontecer em um estádio de futebol no Rio”. Pra bom entendedor…

Entre as grandes atrações do UFC-147 está a nova defesa de cinturão de Anderson Silva aceitando a revanche de Chael Sonnen. Outra luta que pretende movimentar o card principal é o confronto entre Victor Belfort e Wanderley Silva, os dois treinadores do reality show The Ultimate Fighter Brasil (TUF Brasil).

Expectativa de novo show de brasileiros.

Dono do cinturão do UFC reconhece que potiguar Renan Barão está no seu caminho

Atual detentor do cinturão peso-galo do UFC, Dominick Cruz está atento ao que acontece em sua categoria. Técnico de uma das equipes do “The Ultimate Fighter Live”, a 15ª temporada do reality show, o americano está enfrentando um ritmo forte de gravações em Las Vegas ao mesmo tempo em que se prepara para a luta com Urijah Faber, o outro treinador do programa. Mesmo concentrado no seu desafeto e próximo adversário, contra quem tem uma vitória e uma derrota, Cruz não se esquece de Renan Barão. Segundo ele, o potiguar chegará à disputa de título em breve.

“Eu não sei muito sobre ele, mas eu o vi lutando algumas vezes, e sempre mostra qualidades, entra para ganhar. É um excelente competidor e está trabalhando para chegar ao topo da categoria. Para mim parece que nossos caminhos podem se cruzar em breve, embora agora eu esteja focado no Faber”, disse ao site da revista “Tatame”.

Barão, que tem 25 anos, é o atleta do UFC com a maior série invicta na atualidade: são 28 vitórias e um “no contest” (luta sem resultado). Desde que entrou na organização, venceu Cole Escovedo, Brad Pickett e Scott Jorgensen. Já Cruz, de 26 anos, conquistou o cinturão ainda no WEC, contra Brian Bowles, e o defendeu contra Joseph Benavidez, o mesmo Scott Jorgensen e, após unificação com o UFC, contra Faber e Demetrious Johnson.

Fonte: Globoesporte.com