Esporte

(VÍDEO) – A “DELICADA” CHAMADA ENTRE PARCEIROS NUNCA FALHA : Alison, do vôlei, viraliza em recado para Álvaro Filho: “Respira, calma, bucet#”

Na vitória do Brasil diante da Holanda por 2 a 0 no vôlei de praia masculino, nesta quinta-feira(29), Alison viralizou após um recado no mínimo cômico para Álvaro Filho.

Enquanto a transmissão focava nos brasileiros, com vídeo e som, Alison, em momento de tensão da partida, disparou para a sua dupla: “Respira, calma, bucet#”.

A mensagem, apesar de engraçada, surtiu efeito, e a dupla brasileira conseguiu bater os holandeses Brouwer e Meeuwsen na fase preliminar, com parciais de 21-14 e 24-22. Acabaram a primeira fase em primeiro lugar.

Com acréscimo de IG

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

VÍDEO: Através da irmã no RN, fã da Xuxa especial recebe mensagem da apresentadora, e simples gesto o emociona

A leitora do Olá Blog do BG, Helen Rainara, entrou em contato com este canal de comunicação para relatar a história do seu irmão Rafael, que possui uma deficiência, e passou por momentos delicados durante a pandemia por conta do isolamento. Como consolo, teve na apresentadora Xuxa o suporte para passar por esse período.

Helen Rainara, fisioterapeuta no RN,  conta que conseguiu entrar em contato com Xuxa através do seu companheiro Junno com o intuito de receber um recado para o seu irmão. “Desde quando ele ganhou o celular há uns anos, resume sua rotina no YouTube a assistir vídeos da Xuxa, como nessa pandemia, a qual o ajudou muito ao manter mais em casa, principalmente pelo fato dele não ter se adaptado a uso da máscara.

Em destaque, o vídeo da reação de “Fael”, como carinhosamente é chamado. Um simples gesto e muito amor em 1 minuto e 25 segundos. “Seu gesto é de valor sem tamanho, obrigada”, agradece a irmã.

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Em recado à China, Biden manda navio de guerra a Estreito de Taiwan

Foto: Marinha dos EUA – 18.abr.2020 / Reuters

A Marinha dos Estados Unidos enviou um destróier de mísseis guiados pelo Estreito de Taiwan nesta quinta-feira (4). Esta é a primeira vez que um navio de guerra norte-americano navega pelas águas que separam a China e o Taiwan durante a gestão do presidente dos EUA, Joe Biden.

O USS John S. McCain, baseado no Japão, fez o caminho de rotina conforme a lei internacional, disse o tenente Joe Keiley, porta-voz da 7ª Frota da Marinha dos EUA, em um comunicado.

“A rota do navio pelo Estreito de Taiwan demonstra o compromisso dos EUA com um Indo-Pacífico livre e aberto. As Forças Armadas dos EUA continuarão a voar, navegar e operar em qualquer lugar que a lei internacional permita”, afirmou Keiley.

Desafio para Biden

A questão do autogovernado Taiwan tem sido um dos primeiros grandes desafios de política externa para o democrata Joe Biden.

Pequim reivindica total soberania sobre Taiwan, uma democracia de quase 24 milhões de pessoas localizada na costa sudeste da China, apesar do fato de que os dois lados têm sido governados separadamente por mais de sete décadas.

No primeiro final de semana de Biden na presidência, a China despachou duas grandes formações de aviões de guerra para a ilha. O movimento levou Taiwan a tomar medidas de defesa, como o envio de jatos de combate para monitorar os voos chineses.

Provocações

Navios de guerra norte-americanos transitando pelo Estreito de Taiwan são vistos por Pequim como provocações que ameaçam a estabilidade na região ao encorajar apoiadores da independência do território.

A última rota registrada ocorreu na madrugada de Ano-Novo, quando o McCain e um segundo destróier, o USS Curtis Wilbur, passaram pelo estreito, de acordo com comunicados da Marinha dos EUA.

Os navios de guerra norte-americanos transitaram pela área 13 vezes em 2020, informou a 7ª Frota. Em 2016, último ano da gestão Barack Obama, foram 12 vezes.

Compromisso com a defesa de Taiwan

Os EUA mostraram um forte compromisso com a defesa de Taiwan durante o governo do ex-presidente Donald Trump, ao aprovarem a venda de equipamentos militares sofisticados a Taipei, incluindo caças F-16, mísseis avançados e tanques de batalha, ao mesmo tempo em que enviavam emissários de alto nível à ilha.

Comunicados recentes do governo Biden sugerem que essas ações não serão revertidas. “Há um compromisso bipartidário forte e longo com Taiwan”, disse o novo secretário de estado dos EUA, Antony Blinken, na semana passada.

“Parte desse compromisso é garantir que Taiwan tenha a habilidade de se defender contra agressões. E este é um compromisso que permanecerá na gestão Biden”, disse Blinken.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. É mais uma estratégia dos EUA para venda de armamentos a Taiwan, nada mais do que isso.
    Fiquem tranquilos que nada vai acontecer.

  2. Americano sendo Americano só isso, quem acha que a troca Trump x Biden ia mudar alguma coisa estava muito enganado ou sofre das faculdades mentais.
    Americano só pensa e age para favorecer a sua pátria, e estão certíssimos, lá é EUA na 1ª opção, EUA na 2ª opção, EUA na 3ª opção, na 4ª opção eles podem pensar em alguém se for muito bom para o EUA.
    Ainda teve gente pensando que Trump ia salvar o Brasil e Biden destruí-lo, lêdo engano, eles são até capazes de fazer qualquer uma das coisas, mais se for conveniente para os EUA.
    Lá não tem esquerda nem direita, republicano ou democrata, situação ou oposição, lá só tem Americano que fazem tudo pelo seu País e para manter a hegemonia mundial.

    1. Tem americano, que por dinheiro, sabota o própio país.
      Patriotismo mesmo é coisa de redneck.

  3. E nao era o trump que era maluco. Kkkkk
    Estados Unidos apenas sendo Estados Unidos, americano é tão "bonzinho".

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

AMAZÔNIA: Bolsonaro rebate candidato à presidência dos EUA, Joe Biden, diz que não aceita infundadas ameaças e que soberania do Brasil é inegociável

 

Ver essa foto no Instagram

 

– O candidato à presidência dos EUA, Joe Biden, disse ontem que poderia nos pagar U$ 20 bilhões para pararmos de “destruir” a Amazônia ou nos imporia sérias restrições econômicas. – O que alguns ainda não entenderam é que o Brasil mudou. Hoje, seu Presidente, diferentemente da esquerda, não mais aceita subornos, criminosas demarcações ou infundadas ameaças. NOSSA SOBERANIA É INEGOCIÁVEL. – Meu governo está realizando ações sem precedentes para proteger a Amazônia. Cooperação dos EUA é bem-vinda, inclusive para projetos de investimento sustentável que criem emprego digno para a população amazônica, tal como tenho conversado com o Presidente Trump. – A cobiça de alguns países sobre a Amazônia é uma realidade. Contudo, a externação por alguém que disputa o comando de seu país sinaliza claramente abrir mão de uma convivência cordial e profícua. – Custo entender, como chefe de Estado que reabriu plenamente a sua diplomacia com os Estados Unidos, depois de décadas de governos hostis, tão desastrosa e gratuita declaração. – Lamentável, Sr. Joe Biden, sob todos os aspectos, lamentável. XXXXXXXXXXXXXXXXXXX Texto em inglês no snapgram:

Uma publicação compartilhada por Jair M. Bolsonaro (@jairmessiasbolsonaro) em

O presidente Jair Bolsonaro rebateu nesta quarta-feira(30) o candidato à presidência dos EUA, Joe Biden, que disse nessa terça-feira(30), sobre oferta de U$ 20 bilhões para Brasil parar de “destruir” a Amazônia, sob ameaça de impor sérias restrições econômicas.

Veja trecho do presidente:

“O que alguns ainda não entenderam é que o Brasil mudou. Hoje, seu Presidente, diferentemente da esquerda, não mais aceita subornos, criminosas demarcações ou infundadas ameaças. NOSSA SOBERANIA É INEGOCIÁVEL.

– Meu governo está realizando ações sem precedentes para proteger a Amazônia. Cooperação dos EUA é bem-vinda, inclusive para projetos de investimento sustentável que criem emprego digno para a população amazônica, tal como tenho conversado com o Presidente Trump.

– A cobiça de alguns países sobre a Amazônia é uma realidade. Contudo, a externação por alguém que disputa o comando de seu país sinaliza claramente abrir mão de uma convivência cordial e profícua.

– Custo entender, como chefe de Estado que reabriu plenamente a sua diplomacia com os Estados Unidos, depois de décadas de governos hostis, tão desastrosa e gratuita declaração.

– Lamentável, Sr. Joe Biden, sob todos os aspectos, lamentável”.

Opinião dos leitores

  1. A eleição nos states não será mais a mesma depois da fala de Bolsonaro. Periga Biden desistir de concorrer depois de tão contundente declaração.

  2. Interessante é que ele abriu as pernas para os Estados Unidos idolatrando a bandeira e batendo continência. Até secretário gringo chegou escondido poucos dias atrás. Olho grande na Amazônia todos têm, principalmente os EUA, mas agora a questão é econômica. Ou aprendemos a lidar com o ambiente do qual fazemos parte ou vamos sentir no próprio bolso. Vale lembrar que a Amazônia não é somente brasileira e é preciso um plano de ação de todos os países amazônicos. O Brasil deve fazer a sua parte protegendo a floresta e os povos que dela sobrevivem de modo sustentável e não querer passar a boiada por cima de tudo, como quer o ministro bandido Ricardo Sales. O boicote a produtos brasileiros começou desde o ano passado com a falta de ação do governo e este ano já estamos colhendo os maus frutos.

  3. Cara Almira, o que vc têm a dizer ou comentar, do governo mais corrupto da história Repúblicana do Brasil? O governo do PT? Lembrando: Bolsonaro, não têm nenhum processo de cunho pessoal. João Macena.

  4. Se fosse tão bom homem assim, já teria dado fim a muita conspiração (Gabinete do Ódio) e também a certas corrupções dentros dos átrios do governo. E por que não cortar os penduricalhos dos políticos? Verbas de
    gabinete nas alturas… Não transparência com os gastos parlamentares….

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Médica viraliza ao postar sobre o coronavírus: ‘Continue dando festa que te vejo no meu plantão’

Médica Thamine Mesquita desabafa em rede social sobre a gravidade da Covi-19, Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Em três horas de atendimento no Centro de Atenção Integral em Saúde (Cais) de Campinas, em Goiânia, a médica de urgência e emergência Thamine Mesquita do Vale assinava o terceiro pedido de internação para paciente com coronavírus. Ela decidiu desabafar sobre a gravidade da doença e postou uma foto em sua rede social com um alerta: “Continue fazendo festa que eu te vejo aqui no plantão”.

Cerca de 60 a 70 pessoas com sintomas de Covid-19 procuram diariamente atendimento médico no Cais de Campinas, como explica a médica. Destes casos suspeitos, aproximadamente 10 acabam sendo internados.

Na manhã desta quarta-feira (17), todos os leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) para tratar casos suspeitos e confirmados de Covid-19 em hospitais públicos da capital estavam lotados.

“A coisa está bem feia. Só no Cais Campinas tem cerca de 60 a 70 atendimentos só de Covid-19 e pedimos internação para cerca de 10 pessoas e, às vezes, é preciso de internação para outras especialidades, porque tem acontecido casos de Covi-19 junto com outras doenças. Não é momento para fazer festa e esquecer que está acontecendo uma pandemia que está tirando tantas vidas”, desabafa a médica.

Repercussão na internet

A foto mostrando que três internações já haviam sido solicitadas ainda de manhã foi postada na terça-feira (16) e, logo depois, viralizou. A médica diz que não esperava tanto impacto na internet.

“Fiquei impressionada com a repercussão”, comenta Thamine Mesquita.

A médica disse se sentir frustrada ao sair nas ruas e ver as pessoas sem máscara de proteção facial e com poucos hábitos de higiene pessoal.

“Nós, como profissionais de saúde, após observar o que acontece com os doentes, ficamos frustrados de não ter apoio da população que fica dizendo que somos heróis. É muito ruim sair de casa e ver pessoas sem máscaras, como se estivesse tudo normal. Estão morrendo mais de 1 mil pessoas por dia por conta de uma doença”, pondera.

G1

Opinião dos leitores

  1. Verdade tem muita gente, que só acredita quando ver alguma próximo a você ,deixa de dizer q é frescura e os prefeitos e governadores estão querendo, mais dinheiro o próprio presidente mandando invadir hospitais, se chefe faz isso os inbecis acredita, eu estou a 95 dias em quarentena social em casa não saio nem pra caminhar, espero q passe tudo isso .parabéns a está médica

  2. Credibilidade não tem preço, mas esta médica merecia receber todas as verbas destinadas a publicidade pelos governos federal, estaduais e municipais.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Políticos do RN mandam seus recados durante “Motores do Desenvolvimento”

DSC00354Realizado em comemoração aos 60 anos da Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (FIERN), o seminário motores do desenvolvimento reuniu lideranças políticas locais e nacionais. Durante a abertura, as palavras mesclavam o investimento nas indústrias com as pretensões políticas dos participantes.

Representante da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Gustavo Fernandes (PMDB) defendeu a união do público com o privado em prol do desenvolvimento.  “A Fiern tem fundamental importância para o desenvolvimento do nosso estado. São 60 anos de muitas conquistas. A indústria é a principal atividade de geração de emprego e renda para nosso povo. É preciso haver união do setor público com o privado, em prol do desenvolvimento”, destacou o deputado.

O deputado federal Henrique Eduardo (PMDB) ressaltou que o radicalismo político deve ser deixado de lado em prol dos interesses do Estado. “Eu já fui radical. Não sou mais. Radicalismo não leva a nada. Temos que unir forças para explorar o potencial que o Rio Grande do Norte tem de se desenvolver. É preciso deixar mágoas passadas nas campanhas. Passou a campanha, todo mundo vestir a bandeira do Estado”, discursou.

O ministro Garibaldi Filho (PMDB) reforçou a importância da FIERN para o desenvolvimento do Estado. Ele também exaltou a participação do ex-senador Fernando Bezerra (PMDB), presente ao evento, nesse processo. “Não lembro de todos. Mas, nos últimos 20 anos, tivemos presidentes da FIERN comprometidos com o desenvolvimento econômico do nosso estado, como Fernando Bezerra”, frisou.

A governadora Rosalba Ciarlini (DEM) se mostrou magoada com as críticas que vem recebendo. Segundo ela, muitas informações do governo estão sendo deturpadas para prejudicar sua imagem. Ela atribuiu a campanha negativa contra sua gestão às “forças ocultas”. “Diziam que a Arena das Dunas não terminava e está aí sendo um dos estádios a terminar mais cedo as obras. Agora dizem que não vou fazer os acessos ao aeroportod e São Gonçalo. Mas irei entregar”, discursou.

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel (PMDB) fez uma palestra sobre as perspectivas do Brasil para 2014. Ele fez uma avaliação positiva do quadro da indústria no País. Participaram do evento também a deputada federal Fátima Bezerra (PT) e o secretário de Desenvolvimento Econômico, Rogério Marinho (PSDB), além de empresários e outras autoridades.

Opinião dos leitores

  1. Enquanto isto, o Distrito Industrial de Macaíba entregue as baratas!!! Sem segurança, ruas carroçáveis, falta iluminação e etc… Estes políticos só querem holofotes!!! Cadê que Henrique com toda sua influência não viabiliza algo de concreto para o setor mais importante do estado???

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Religião

RECADO: 'Não existe um Deus católico, há um Deus de todos', diz papa

efe_maurizio_brambatti_292No dia em que o papa Francisco dá início à maior reforma da Santa Sé em décadas, o pontífice deixa claro seu ataque contra a estrutura do Vaticano, contra as disputas de poder nos bastidores da Igreja e defende uma reforma radical. “A corte é a lepra do papado”, atacou o argentino.

Em entrevista ao fundador do jornal La Repubblica, Eugenio Scalfari, chegou até a alertar que não acredita em um “Deus católico”, mas em um Deus de todos. Para ele, Deus tem um conceito que vai além do catolicismo. “Não existe um Deus católico. Há um Deus.” Ele, porém, alerta: “Religião sem misticismo é apenas filosofia”.

Nessa terça-feira, 1, o grupo de oito cardeais convocados por Francisco começou a apresentar os detalhes de todas as ideias que nos últimos meses recolheram pelo mundo sobre a reforma da Igreja. O processo será longo.

Essa será sua principal obra e ele quer deixar a mudança como seu principal legado, atacando o egoísmo dentro dos muros da Igreja, o fato de a Santa Sé apenas defender seus interesses e um comportamento de bispos que não condiz com o cristianismo. “Esse é o início de uma Igreja com uma organização não tão vertical, mas também horizontal”, apontou o papa, apostando em uma Igreja menos centralizada.

Ao retornar de sua viagem ao Brasil, o papa já havia indicado que não seria ele quem julgaria os gays. Ontem, reforçou a ideia de que não será ele nem o Vaticano que julgarão o bem e o mal. Na entrevista publicada nessa terça, uma vez mais Francisco dá sinais concretos de que quer uma Igreja aberta. “Estar aberto à modernidade é um dever”, insistiu, revelando o que vai querer de sua reforma.

Ao falar sobre o narcisismo, o papa foi contundente. “Não gosto da palavra narcisismo”, disse. “Indica um amor fora de lugar por si mesmo. O verdadeiro problema é que os mais afetados por isso, que na realidade é uma espécie de desordem mental, são pessoas que têm muito poder”, atacou. “Muitas vezes, os chefes são narcisistas.”

O papa chegou a elogiar alguns membros da Teologia da Libertação, tendência atacada pelo Vaticano, e aponta que foi justamente a perseguição contra esses padres que o politizou. “Isso lhes deu um plus político à sua ideologia, mas muitos deles eram crentes com um alto conceito de humanidade.”

Igreja feminina. Ele não deixou de atacar o “liberalismo selvagem que converte os fortes em mais fortes e os fracos em mais fracos e os excluídos em mais excluídos”. Para ele, o Estado precisa corrigir “as desigualdades mais intoleráveis”.

Jorge Bergoglio voltou a insistir que uma “Igreja missionária e pobre é mais válida do que nunca”. “Essa é a Igreja que Jesus pregava.” O papa deu sinais de que a participação da mulher na Igreja também será alvo da reforma. “Não se esqueça de que a Igreja é feminina.”

Estadão

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *