Alunos da Maple Bear Natal aprendem via comunidade digital que reúne mais de 41 mil estudantes no mundo

Imagem: divulgação

Garantir em pouco tempo o funcionamento de uma estrutura digital que permite a aplicação de uma metodologia diferenciada, com interações entre grupos de alunos e conteúdo pedagógico até para os pequeninos da educação infantil. A escola Maple Bear Natal conseguiu esse feito com o uso da plataforma virtual de aprendizagem – a Maple Bear Digital Learning Community – graças ao esforço e trabalho contínuo de professores e pedagogos de 447 escolas da rede ao redor do mundo, que estão enfrentando, nos diversos lugares do planeta, a mesma situação de suspensão das aulas e isolamento social forçado pela pandemia do coronavírus.

Em diversos países, são mais de 41 mil alunos da rede Maple Bear estudando via plataforma digital, usando a mesma ferramenta disponível para os alunos aqui de Natal – o que garante o alto nível da metodologia canandense, reconhecida pelo Pisa como uma das mais eficientes experiências em aprendizado.

“Há um grande diferencial, neste momento, em fazermos parte de uma rede em que pedagogos do mundo todo estão unidos para garantir a melhor maneira de repassar o conteúdo aos alunos Maple Bear, com metodologia totalmente unificada”, explica Eduardo Bezerra, sócio-diretor da escola. Somente no Brasil, são mais de 20 mil estudantes em mais de 100 escolas, vivenciando a mesma realidade do alunos de Natal.

No interior do RN, bandidos arrombam escola, roubam equipamentos, botijões de gás e carne da merenda dos estudantes

Foto: Ilustrativa

O portal G1-RN destaca nesta segunda-feira(16) que bandidos arrombaram no fim de semana uma escola pública na zona rural de Caicó, e roubaram equipamentos e até a carne que seria usada para o lanche dos estudantes. De acordo com a reportagem, o caso foi registrado por volta das 16h30 desse domingo (15), pela Polícia Civil, e aconteceu na Escola Estadual Francisco Pergentino de Araújo, no distrito de Laginhas.

Segundo a reportagem, os bandidos arrombaram as portas e invadiram a escola, levando duas caixas de som, dois botijões de gás de cozinha, um forno microondas, um notebook, um retroprojetor e a carne da merenda dos alunos.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rafael Pinheiro disse:

    Insisto em dizer que a violência no RN atingiu níveis alarmantes , e o (des)governo nada faz. A população está refém da própria sorte…
    Fora Fátima!!

Educação: equipe Maple Bear recebe formação continuada com especialista vinda do Canadá

Durante as próximas cinco semanas a equipe de professores da Maple Bear Natal vai passar por um processo de formação continuada com uma treinadora que veio especialmente do Canadá para alinhar as práticas de ensino da metodologia canadense.

Shelley Wilson tem 35 anos de experiência em escolas de ensino fundamental I e II no Canadá e há três anos faz o treinamento em escolas Maple Bear espalhadas pelo mundo. Ao todo, ela já visitou 15 unidades. “O objetivo dessa visita é ver como está sendo aplicada a metodologia de ensino canadense, alinhando as práticas em sala de aula, ajustando as especificidades do programa. É uma maneira de modelar essa aprendizagem ao que pede o método canadense de ensino, que é muito diferente do brasileiro”, explicou a treinadora.

O trabalho é feito em cada uma das salas de aula de todos os níveis de ensino. “São crianças distintas, que aprendem de formas diferentes. Umas aprendem mais observando, outras ouvindo, outras colocando a mão na massa, e os professores precisam estar atentos a essas diferenças”, completou. O treinamento acontece agora e também no próximo semestre.

O modelo de educação canadense estimula os alunos a exercerem a criatividade, a curiosidade e a estarem abertos à experimentação. Os estudantes são preparados para tomar decisões com responsabilidade, para serem protagonistas de suas próprias trajetórias e para buscar soluções. Tudo isso com um ensino verdadeiramente bilíngue, desde os primeiros anos do ensino infantil.

Metodologia bem avaliada

O modelo canadense foi avaliado como o 6º melhor do mundo pelo PISA, o Programa de Avaliação Internacional de Estudantes da OCDE, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico. O PISA examina o que os alunos sabem em leitura, matemática e ciências e o que podem fazer com o que sabem. Ele fornece a avaliação internacional mais abrangente e rigorosa dos resultados da aprendizagem dos alunos até o momento. O Brasil ocupa a 57º posição nesse ranking.

“Ser um aluno da Maple Bear possibilita estudar em qualquer outro país com fluência,  desenvolvendo habilidades e competências, como trabalhar em grupo,  desenvolver autonomia, saber se expressar, ter pensamento mais crítico, resolver problemas. É uma educação aplicada à prática do cotidiano com produz resultados muito satisfatórios”, finalizou Shelley.

A Maple Bear Natal é uma escola canadense de referência há 11 anos, sendo seu único endereço no bairro do Tirol.

VÍDEO: Mãe desenha coração para filha beijar ao sentir sua falta na escola

 

Ver essa foto no Instagram

 

❤️💙💜💛🧡💚 Quando percebeu que a filha Maria Liz, de 3 anos, estava sofrendo ao chegar à escola no período de adaptação, Marry Scarabello teve uma idea: desenhar o “coração da saudade”. Cada uma tem um desenho de coração na mão representando o coração da outra. “Assim, toda vez que sentirmos saudade uma da outra, basta dar um beijo no coração e a saudade passa!”, contou em postagem em uma rede social. Ao deixar a pequena na escola, Marry se escondeu para observar a reação da filha e registrou um momento de muita fofura. No vídeo, a menina aparece olhando para os lados e, em seguida, beijando a mão exatamente no lugar onde o coração estava desenhado. #PortalR7 #r7 (📸: Reprodução Facebook Marry Scarabello)

Uma publicação compartilhada por Portal R7 (@portalr7) em

Quando percebeu que a filha Maria Liz, de 3 anos, estava sofrendo ao chegar à escola no período de adaptação, Marry Scarabello teve uma idea: desenhar o “coração da saudade”.

Cada uma tem um desenho de coração na mão representando o coração da outra. “Assim, toda vez que sentirmos saudade uma da outra, basta dar um beijo no coração e a saudade passa!”, contou em postagem em uma rede social.

Ao deixar a pequena na escola, Marry se escondeu para observar a reação da filha e registrou um momento de muita fofura. No vídeo, a menina aparece olhando para os lados e, em seguida, beijando a mão exatamente no lugar onde o coração estava desenhado.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Agamenon disse:

    Greve! Governadora sentindo do próprio veneno.

Escola de Música da UFRN oferece cursos de extensão gratuitos; 39 vagas

Foto: Ilustrativa

A Escola de Música da UFRN (EMUFRN) vai ofertar, no semestre letivo 2020.1, quatro cursos de extensão gratuitos para ensino de instrumentos. Serão oferecidas vagas para Clarinete, Saxofone, Fagote, Trompete e Flauta Doce. As inscrições estarão abertas entre os dias 17 e 28 de fevereiro. Os cursos têm vagas limitadas e são destinados a crianças, jovens e adultos.

As inscrições serão realizadas pelo portal do Sigaa. Os interessados devem acessar o site e seguir pelos links Extensão > Acesso à área de inscritos em cursos e eventos. Em seguida, é necessário fazer o login no sistema ou se cadastrar (caso seja o primeiro acesso no portal). Depois, na opção Cursos e eventos abertos é possível fazer a inscrição, a partir do dia 17.

Os cursos são ofertados para faixas etárias específicas e possuem pré-requisitos. Ao todo, são oferecidas 39 vagas. Para conferir detalhes sobre cada um dos cursos, basta acessar este link.

Com informações da UFRN

Bolsonaro lança pedra fundamental de Colégio Militar em SP e critica governadores do Nordeste que não quiseram escola

Presidente Jair Bolsonaro ao lado do ministro da Educação e Regina Duarte em lançamento de pedra fundamental de Colégio Militar em SP — Foto: Reprodução TV Globo

O presidente da República, Jair Bolsonaro, lançou na manhã desta segunda-feira (3) a pedra fundamental no local onde será construído o futuro Colégio Militar em São Paulo, no antigo Centro Logístico da Aeronáutica, no Campo de Marte, na Zona Norte. A unidade da capital paulista será a 14ª do país.

Durante seu discurso, Bolsonaro aproveitou para criticar os governadores do Nordeste que recusaram a criação de colégios cívicos-militares em seus estados.

“Não existe momento mais gratificante do que este, do que lançarmos uma pedra fundamental para a feitura de uma escola comprovadamente de qualidade. Seria ironia, mas é uma grande verdade, conversando com o ministro Weintraub há pouco sobre as notas do Brasil na prova do Pisa [Programa Internacional de Avaliação de Estudantes]. O Brasil chegou a uma situação na Educação que não pode ser ultrapassada por mais ninguém, porque já estamos no último lugar. E essa prova do Pisa foi realizada em 2018, antes do nosso governo. Apesar do tempo relativamente curto, com toda certeza, melhoraremos sim muitas posições para a próxima prova que será realizada em 2021. E deixo bem claro também, se deixarmos nessa prova do Pisa apenas alunos de Colégios Militares, de escolar militarizadas, por exemplo, de Goiás do governador Caiado, o Brasil estaria entre os dez do mundo”, afirmou o presidente.

No entanto, o que o presidente falou não retrata a realidade. O Brasil não foi o último colocado no ranking do Pisa. O resultado aponta ligeiro aumento da nota média, mas os estudantes brasileiros seguem entre os últimos 10 colocados na prova de matemática. Na prova de leitura, o Brasil ficou na 57ª posição de 77 países participantes. Na avaliação de matemática, o país ficou na 58º posição e na 53º posição em ciências. Esses valores são usados como referência de educação de qualidade pelo Brasil e demais países. Entre os países da América do Sul, a Argentina ocupa a última posição.

“Por isso, oito dos nove governadores do Nordeste não aceitaram a escola cívico-militar. Para eles, a escola vai muito bem, formando militantes e desinformando lamentavelmente. Aqui no Sudeste tivemos dois governadores que não aceitaram, a questão político-partidária não pode estar à frente da necessidade de um país. Um jovem bem formado será útil para si, para sua família e para seu país no futuro, é isso que nós queremos”, afirmou.

Após a inauguração da pedra inaugural, foi feita uma oração para abençoar a lugar. O ministro da Educação, Abraham Weintraub, e a secretária de Cultura, Regina Duarte, estavam presentes no evento, que contou ainda com a presença de autoridades militares das Forças Armadas de São Paulo e de pessoas ligadas à Educação.

O colégio deve ser entregue até o final de 2022. Enquanto isso, temporariamente, os alunos iniciam o ano letivo nesta manhã no Centro de Preparação de Oficiais da Reserva de São Paulo (CPOR) na Rua Alfredo Pujol, em Santana, próximo do local onde ficará a unidade definitiva.

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) vai doar os projetos básico e executivo da obra do colégio. O valor estimado dos projetos não foi informado.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. GEORGE VIANA disse:

    As Escolas Militares são caras, dificilmente replicáveis em grande escala, mas de altíssima qualidade e de alto retorno para a sociedade! Por que o RN tirou dos pais a possibilidade de ter um filho seu nesse tipo de Escola? Não é possível que no Brasil coexistam diversas opções de Educação?

  2. Luiz Antônio disse:

    Bolsonaro foi formado numa escola militar… deve ter sido na cavalaria.

  3. Ivan disse:

    Todas as instituições de ensino militares precisam ser referência em suas localidades…Só assim teremos uma mudança no patamar de nossa pífia educação. Parabéns ao presidente e aos governadores q acreditaram nessa idéia…Aos atrasados, não só os governadores, mas demais políticos que não brigaram junto ao executivo estadual (infelizmente nosso nordeste nisso é campeão, vide nossa situação perante o resto do país), desejo q seus eleitores lembrem do desserviço prestado no momento da escolha de seu voto…

  4. Torres disse:

    Verdade verdadeira Antônio!!

  5. Vergonha nacional disse:

    Ensinar a pensar …faz o povo culto se libertar

  6. Antonio Turci disse:

    Os governadores que não aceitaram a oferta de uma escola de qualidade, as Escolas Militares, certamente, algum dia, serão cobrados.

  7. Antônio Marques disse:

    Ensino no nordeste não é para ter qualidade e sim formar massa de manobra ideológica para voto em eleição. É a função mais antiga do ensino público brasileiro, ter um enorme quantitativo de professores, doutrinar o ensino e implantar a ideologia. Qual sindicado de ensino não é dominado a mais de 16 anos pela esquerda? Então ter colégio militar seria dar espaço para diversidade e mudança de foco na educação, coisa que não interessa. Não é questão de lado político e sim a mais pura realidade.

    • Bento disse:

      Parabéns Antônio
      Disse tudo

    • Marcos disse:

      Fala muito e não entende nada do que é o básico da educação. Só consegue olhar um caminho a seguir, podendo observar vários a serem escolhidos e que alcançam um melhor resultado.

FOTOS: Diretores do Colégio Porto recepcionam alunos e destacam diferenciais na inauguração da escola

 Fotos: Canindé Soares

INFORME PUBLICITÁRIO

O Colégio Porto deu a largada nesta segunda-feira (27) em uma nova proposta educacional para o RN, que une a melhor equipe de professores e uma metodologia focada no desenvolvimento estudantil e do potencial para a superação de desafios.

A recepção das cinco turmas do Ensino Médio que inauguram a escola contou com a presença dos quatro sócios-diretores: Paulo de Paula, André Cury, Eduardo Bezerra e Marcelo Freitas.

“Estamos muito felizes com a alegria dos pais e alunos. É uma jornada nova que começa para todos nós. Para mim, além de tudo, é um momento especial que vivi em 35 anos como educador e volto a viver com o Colégio Porto. Esse contato com os alunos nos traz uma energia muito boa”, descreveu Paulo de Paula, ao cumprimentar pais e estudantes.

Na chegada para o primeiro dia de aula, os alunos foram recebidos com música e encontraram instalações novas e modernas, salas de aula confortáveis, uma equipe de professores altamente qualificada e material didático diferenciado.

CONFIANÇA

O aluno Fernando Pinheiro está na 3ª série e pretende tentar uma vaga em Medicina. Para ele, o Colégio Porto oferece uma metodologia totalmente nova. “A tecnologia e a equipe me chamaram muito a atenção. Me senti muito acolhido e espero um ótimo ano! Estou apostando e confio no Colégio Porto”, declarou.

Aluno Fernando Pinheiro com diretor André Cury. Foto: Canindé Soares

A aluna Ester Maria, da 2ª série, escolheu o Porto “pela equipe reconhecida e a proposta de uma educação diferenciada”. Seu colega de turma, Igor Câmara, apostou na abordagem e didática novas que o Porto oferece. “Isso vai nos proporcionar oportunidades de tentar outras novas universidades”, avalia.

Foto: Canindé Soares

Na visita às cinco turmas de Ensino Médio que dão a largada no Colégio Porto – duas de 1ª e 2ª séries e uma de 3ª série – o professor André Cury, diretor acadêmico, disse que a equipe vai trabalhar em conjunto para fazer dos próximos anos “os melhores anos escolares” deles.

“Vocês escolheram o Porto mas nós também escolhemos vocês. Queríamos alunos focados, determinados, com objetivos. Acreditamos demais no potencial de cada um”, destacou o professor, acrescentando que os alunos contarão com um suporte diferenciado, inclusive para a definição de rotinas de estudos.

Juntos dos sócios-diretores, a diretora pedagógica Ana Cristina também visitou as salas de aula com sua mensagem de boas-vindas.

Mãe questiona expulsão de estudante e negativa de imagens de ato infracional por escola em Mossoró

Um caso envolvendo a expulsão de um aluno na escola Mater Christi em Mossoró tem gerado repercussão. Segundo informações obtidas pelo blog, um aluno de 11 anos teria sido identificado queimando papéis na Coordenação da escola e acabou sendo expulso. Porém, a mãe do estudante afirmou que em nenhum momento foram exibidas imagens que a escola afirmou ter do ato e o estudante está impedido de frequentar a escola nos últimos dois meses de ano letivo.

A família ainda tentou de forma incisiva que o aluno pelo menos concluísse o ano letivo, mas o pedido não foi aceito e a família informou que irá buscar os meios legais junto a Justiça e ao Conselho Tutelar.

A mãe do estudante, Sandra Maria, relatou que o aluno foi chamado pela equipe da coordenação sozinho e teria sido induzido a confessar o ato de queima de papéis. O caso foi levado ao Conselho escolar que definiu a expulsão do estudante e comunicou a família.

A mãe então pediu para ver as imagens do suposto ato, mas foram negadas e o pedido de reconsideração para o estudante concluir o ano também foi negado. Segundo ela, o adolescente nunca teve histórico de problema disciplinar.

O blog tentou contato com a direção da escola desde a última segunda-feira, 30, mas até o momento da publicação da matéria não obteve resposta.

Bandidos atiram contra carro da Unidade de Polícia Pacificadora e crianças se escondem em corredor de escola durante tiroteio na Rocinha (RJ)

Foto: Reprodução

Um tiroteio na manhã desta quarta-feira (25) fez com que crianças fossem para o corredor de uma escola municipal, na Rocinha, zona sul do Rio de Janeiro, para se esconderem dos tiros. O confronto aconteceu no início da manhã, logo após a entrada dos estudantes na escola.

De acordo com a Polícia Militar, por volta das 8h30 marginais atiraram contra um carro da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) Rocinha que fazia patrulha pela localidade conhecida como Rua 2, o que iniciou o tiroteio.

Em nota, a Polícia Militar informou que após o término do confronto, um fuzil, duas granadas e drogas foram encontradas na região. A corporação afirmou que ainda não há relatos de feridos durante a ação.

Na última segunda-feira (23), o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), pediu que as operações começassem antes da entrada das escolas, para evitar cenas com a desta quarta na Rocinha.

“Acho que chegou o momento de se ponderar essas ações na comunidade. O Rio de Janeiro não suporta mais ver as balas perdidas atingirem os inocentes”, afirmou Crivella.

A troca de tiros será investigada pela 11ª DP (Rocinha).

R7

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. joaozinho disse:

    Mando o Freixo resolver.. desarmado e sem segurança ou policia.

  2. Pedro disse:

    Quem manda é o crime organizado , hoje e sempre.
    Bolsonaro , Governador Juiz Fulano ou qualquer um..ninguém fez nem tem cunhão pra fazer nada.
    #nareal

  3. Ivan disse:

    Kd os esquerdalhas p/subirem no morro e pedir paz aos traficantes??? Pra gritar contra o governo e polícia são uns leões…na frente dos traficantes ficam caladinhos…Hipócritas…#nojo…

  4. Só Comento disse:

    E agora? Vai haver manifestações contra os bandidos também ou só protestam em cima dos agentes de segurança pública?

    • Bolsonimion disse:

      Inteligência, bandido é bandido. São foras da lei eles vivem de roubar, matar e fazer desgraça com os outros. Os agentes de segurança trabalham para prender esse bando de fdp. Sei que você sabe, mas quer aparecer.

  5. Manoel disse:

    A culpa do tiroteio é da polícia que tenta combater os crimes de tráfico de drogas e porte de armas proibidas (simples fuzis de grande alcance, metralhadoras, lança granadas…)! O certo seria a polícia entrar com livros, flores e panfletos para educar os traficantes vítimas da sociedade… (IRONIA)

TRAGÉDIA: Incêndio mata pelo menos 28 crianças em escola na Libéria

Foto: Arte R7

Pelo menos 28 crianças morreram em um incêndio ocorrido nesta madrugada em um colégio interno muçulmano nos arredores da capital da Libéria, Monróvia, informaram a presidência do país e a Cruz Vermelha, nesta quarta-feira (18).

“As minhas orações estão com as famílias das crianças que morreram na noite passada em Paynesville City como resultado de um incêndio letal no edifício de sua escola”, escreveu o presidente George Weah no Twitter.


As equipes de emergência conseguiram recuperar 28 corpos nesta manhã, segundo confirmou o porta-voz da Cruz vermelha da Libéria, Oniel Bestman, à agência EFE.

Os corpos, que pertencem a alunos de 5 a 17 anos ainda não identificados, foram levados ao necrotério. As causas do incêndio ainda estão sendo investigadas.

Além disso, os socorristas conseguiram resgatar um número ainda não divulgado de sobreviventes da escola muçulmana, que tem alunos de ensino fundamental e médio.

“As minhas mais sinceras condolências para as famílias afligidas e toda a comunidade islâmica. Este é um momento difícil para as famílias das vítimas e para toda a Libéria”, acrescentou o presidente liberiano.

R7, com EFE

Over aciona polícia e Ministério Público para resolver mistério de possível atentado na escola

Após uma suposta ameaça de ato de terrorismo no Over Colégio Curso por um hipotético aluno e denunciado por um conjecturado pai em pleno desespero tentando proteger sua filha, possível amiga do agora aluno que passará a ser investigado por conta de anotações prevendo a tragédia, a direção do colégio emitiu nota tranquilizando estudantes, pais, professores e funcionários da escola.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Vivemos em tempos nos quais as pessoas não têm preocupação em averiguar informações, não procuram os caminhos corretos para tentar resolver as demandas do dia a dia. Um “like” parece valer mais do que uma vida. Supondo que um pai, um responsável, estivesse preocupado com a segurança do seu filho, deveria procurar os órgãos competentes, por exemplo, a Polícia. Como educadores, e também na condição de pais, tendemos a duvidar de que um responsável iria procurar um blog, na tentativa de solucionar um problema relacionado à segurança. Polícia e Ministério Público seriam os caminhos corretos. É difícil acreditar que um responsável seria tão irresponsável a esse ponto.

Propagar boatos, criar pânico e submeter crianças e adolescentes à execração pública nunca é o caminho correto. Que tipo de exemplo esses pais dariam para seus próprios filhos? É preciso ter cuidado com as fakes news e averiguar as informações, buscando sempre veículos com credibilidade. Passamos por momentos delicados ontem em decorrência da falta de cautela de um pai e de um blogueiro que se viram no direito de colocar em xeque a integridade moral e emocional de uma criança e, consequentemente, da nossa escola. Nem mesmo o nome da escola estava correto na tal publicação. Nenhum veículo oficial replicou a notícia. Todos esses indícios devem ser levados em consideração pelos pais antes de tomarem atitudes precipitadas e contribuírem com a divulgação de notícias que ainda não têm confirmação.

Na condição de gestores educacionais, comunicamos o fato aos entes da sociedade organizada que têm o poder de investigar e apurar e aguardamos as orientações e posicionamentos para tomarmos as medidas cabíveis.

Não devemos ser irresponsáveis em afirmar ou negar, afinal, ainda não há conclusões sobre o caso, se há algum fundamento ou se são apenas obras de má fé dos que divulgaram. Todos são inocentes até que se prove o contrário. Aproveitamos a situação para propor uma reflexão, um exercício de empatia: quão grande é a pressão que sente agora o adolescente envolvido nessa história? Que traumas a repercussão disso tudo pode causar? Coloquem a mão na consciência! Mesmo que houvesse algum fundamento, o linchamento público não seria o caminho correto. Se os “postadores” de plantão resolver em fazer justiça digitando por meio de seus celulares, voltaremos à barbárie. Hoje, você é o agressor virtual. Amanhã, você pode ser a vítima. Vale a pena agir de modo inconsequente e acabar destruindo uma vida? E se fosse com você? E se fosse com seu filho?

A escola já acionou todos os órgãos competentes e está contando com a colaboração da Polícia, do Ministério Público e da Promotoria da Criança e do Adolescente para encontrar o melhor desfecho para o caso. Esperamos que o Conselho Tutelar tome as devidas providências para investigar e punir também os que espalharam a notícia, que, sem dúvida, erou danos irreversíveis a um adolescente, a uma família e a toda comunidade escolar.

Pedimos que os responsáveis evitem comportamentos irresponsáveis. Cobramos ainda mais responsabilidade daqueles que se dispõem a propagar notícias.

Por fim, aproveitamos para agradecer a todos que, ao longo do processo, nos ajudaram a encontrar o melhor caminho para lidar com o fato, assim como aos veículos que evitaram a divulgação precipitada de informações.

Atenciosamente,

a direção.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gabriela sousa disse:

    E tem mais eles bloquearam todos os pais na rede social (Instagram)que reclamaram sobre a atitude da escola em relação a varios problemas que estão ocorrendo .

  2. Maria disse:

    Minha filha estuda no over de lagoa nova … nem porteiro tem !!! Qualquer pessoa entra e sai da escola em qualquer horário!!!! Estamos desesperados com q falta de segurança nessa escola. Todos os funcionários incluindo a secretaria e coordenadora são omissos!!! Vem acontecendo bullying e roubos dentro da escola e não fazem nada !!!!

  3. Reinaldo G. Azevedo disse:

    A omissão da direção da escola infelizmente é constante, não se fez apenas nessa situação, o que se vê é que a cada dia são situações que se tornam cada vez mais graves, na última semana na unidade Abel Cabral teve uma ocorrência com bebida alcóolica dentro da sala de aula, mesmo assim a figura de Carlos André não aparece, só está presente apenas em eventos que favoreçam sua imagem. A melhor escola não é apenas aquela que aprova mais no Enem, mas aquela que acolhe filhos e pais tornando-se uma extensão do lar.

  4. Napoleandro disse:

    Gosto muito do Over…Uma ótima escola a um preço justo…Imagino que isso incomoda a muita gente…

  5. Anderson Pereira disse:

    essa escola sempre foi omissa diante de problemas graves envolvendo bullyng. Ano passado minha filha passou por problema semelhante no Over Kids da Lima e Silva. Acionamos todos os órgãos da escola e não resolveram.

    Tivemos que mudar ela de horário para ela poder ficar em paz e concluir o ano.

    Espero que agora o careca tome as providências, ou vai deixar ocorrer uma tragédia.

  6. Sérgio Nogueira disse:

    A inércia da escola, a incompetência da Diretora em enfrentar o problema e resolvê-lo, e a soberba de seu proprietário, impressionam.
    A escola desde o primeiro momento que soube da situação deveria ter agido enérgica e eficientemente para entender o que estava acontecendo, buscar soluções e trazer a paz aos "ameaçados".
    A Diretora claramente não sabia o que fazer e ficou querendo empurrar a questão para debaixo do tapete.
    Seu proprietário, com uma nota que claramente culpa a potencial vítima pela situação, deveria entender que sua empresa não se sustenta sem alunos, e alunos não ficam em escolas onde não contam com proteção.
    Se meu filho estudasse lá, seria só o tempo de pegar a transferência dele para outro local.
    Mas antes eu deixaria a pergunta: e se acontecesse mesmo o que foi divulgado?

  7. Robson disse:

    Gostaria de esclarecer, como pai de aluno, que o Colégio já sabia desde sexta-feira desta história, e não esclareceu quais medidas iriam tomar. Somente depois de tamanha confusão, apareceu querendo culpar o pai. Quem provocou tudo isto, foi a inércia do Colégio. A coordenadora demorou muito tomar uma atitude. Não vamos mudar o culpado. E se for ou fosse verdade? Quem iria trazer de volta os possíveis prejuízos?

Bolsonaro lamenta massacre em escola: “monstruosidade e covardia sem tamanho”

Presidente, através do microblog Twitter, prestou condolências aos familiares das vítimas do massacra em escola de Suzano, em São Paulo. Em resumo, Bolsonaro classificou crime cometido por dupla como “monstruosidade e covardia sem tamanho”.

MPF quer suspensão de leis sobre abordagem de gênero e escola sem partido

A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), do Ministério Público Federal (MPF), quer que o Supremo Tribunal Federal (STF) suspenda e julgue a inconstitucionalidade de duas leis municipais que tratam do ensino de questões de gênero e da escola sem partido. Para a procuradoria, as regras violam garantias fundamentais do direito à educação.

Uma das leis foi aprovada pelo município de Criciúma, em Santa Catarina, e cria o chamado Programa Escola Sem Partido. A norma n° 7.159/2018 diz que “o poder público não se imiscuirá no processo de amadurecimento sexual dos alunos nem permitirá qualquer forma de dogmatismo ou proselitismo na abordagem de gênero”. Também estabelece que o s professores não podem manifestar opinião política ou estimular a participação dos estudantes em protestos, entre outras regras.

A outra norma que o órgão do MPF pede que seja sustada é a do município de Ocauçu (SP). Nesta cidade, a Lei 1.725/2017 proibiu a distribuição, apresentação ou indicação de qualquer material, como livros e filmes, “contendo manifestação subliminar da igualdade (ideologia) de gênero nos locais Públicos, Privados de Acesso ao Público e Entidades de Ensino”. Entre os temas vetados, a norma cita explicitamente “igualdade ou desigualdade de gênero”.

Direito à educação

A Procuradoria afirma que as leis violam o direito à educação, a liberdade de ensino e o direito da criança, do adolescente e do jovem a ser colocado a salvo de toda forma de discriminação e violência. Afirma também que as normas ferem o direito de o estudante receber uma educação que o prepare para o exercício da cidadania, o respeito à diversidade e para o convívio em uma sociedade plural – princípios tratados como básicos pela Constituição Federal brasileira. Além disso, aponta que elas violam o pacto federativo por incidirem em uma área, a fixação de diretrizes e bases da educação, que é de competência federal.

Por outro lado, pondera que o Brasil é signatário de pactos que tratam da questão de gênero, como a Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra Mulher, de 1994, que prevê a educação como instrumento imprescindível para o combate à violência contra a mulher.

Após exposição sobre os conceitos e a doutrina jurídica, a procuradoria conclui que “o propósito da lei impugnada de cercear a discussão, no ambiente escolar, de certos assuntos, contraria os princípios conformadores da educação brasileira, dentre os quais, as liberdades constitucionais de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar a cultura, o pensamento, a arte e o saber; o pluralismo de ideias e de concepções religiosas e de concepções pedagógicas; e a gestão democrática do ensino público”.

As representações sobre as duas leis municipais foram entregues à procuradora-geral da República, Raquel Dodge, a quem cabe ingressar com ações perante o Supremo Tribunal Federal (STF). Não há data fixada para que Dodge manifeste-se sobre o pedido.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ems disse:

    O que a medicina diz sobre a ideologia de gênero ? O MPF está fazendo ativismo agora ???

Três homens armados invadem escola e fazem arrastão em Mossoró

Mais uma escola foi alvo de arrastão, na tarde desta sexta-feira, 18, em Mossoró. De acordo com informações da Polícia Militar, os criminosos invadiram as instalações da da Escola Estadual Moreira Dias e levaram vários pertences dos alunos. No início da semana outra escola, também havia sido alvo.

Pelo menos três homens praticaram o arrastão,segundo a polícia. Segundo telatos dos próprios alunos, os três homens estava, armados.

Após pegar os pertences de alunos e funcionários, os suspeitos fugiram e ainda não há pistas sobre eles.

Nota de esclarecimento Cei Mirassol

A Escola Cei Mirassol divulgou uma nota para esclarecer um suposto caso de ‘bullying’ sofrido por um aluno em sala de aula. De acordo com a instituição de ensino, o Cei não irá se manifestar sobre o teor da sentença judicial, ‘cabendo-lhe tão somente a manifestação oportuna nos autos’.

Nota de esclarecimento

Com relação à matéria noticiada pelo blog eletrônico Novo Jornal, envolvendo a ocorrência de uma indenização judicial ante a um suposto “caso de bullying” sofrido por um ex-aluno da Escola, cumpre ao Centro de Educação Integrada Mais Ltda. (Cei Mirassol) vir a público esclarecer e refutar a publicização de atos processuais envolvendo interesses de menores.

O Cei Mirassol não irá se manifestar publicamente sobre o teor da sentença judicial, cabendo-lhe tão somente a manifestação oportuna nos próprios autos, com a cautela e a prudência necessária ao caso em comento, respeitando principalmente a intimidade dos litigantes.

O Cei Mirassol discorda da interpretação dada pelo Juízo prolator da sentença ao caso mencionado, cuja irresignação o que fará em sede de recurso pertinente ao Juízo superior.

É dever do Cei Mirassol externar a sociedade norte-rio-grandense que jamais compactuou com a prática de qualquer tipo ou modalidade ou assédio entre seus alunos, principalmente em relação aos casos de “bullying”, primando pelo respeito às regras de urbanidade e ao respeito mútuo entre os educandos.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rosa Maria disse:

    Não irá se manifestar?
    E essa nota não já é um manifesto? Se a situação chegou a esse ponto a escola não tem a essa altura vir a se manifestar.
    É estranho um grupo de alunos se envolve em um problema é apenas um é punido pela escola? E logo aquele aluno com aparência diferenciada. É escola, a hora de se manifestar não é essa.

  2. Heineken disse:

    No meu tempo isso ai (bullying) nem existia.
    Era zoação mesmo, e ninguem fivaca de mimimi… Era quando o cara tinha q aprender a se defender de certos tipos de brincadeira.

  3. Lucineide Medeiros disse:

    Acredite se quiserem.

Homens armados fazem arrastão em escola e roubam alunos e professores em Mossoró

Uma escola foi alvo de um arrastão na tarde dessa terça-feira (15) em Mossoró, na Zona Oeste do Rio Grande do Norte. Os criminosos levaram pertences de funcionários e estudantes, e fugiram em uma motocicleta.

De acordo com a polícia, dois homens participaram da ação. Eles chegaram à Escola Estadual José Martins de Vasconcelos na motocicleta, invadiram o prédio e anunciaram o assalto. A dupla recolheu celulares e outros objetos das vítimas e em seguida fugiram. A escola foi fechada e os alunos dispensados depois do ocorrido.

G1RN