Grupo de Valorização da Advocacia emite nota sobre prisão de advogado em operação da PF

Foto: Divulgação

O Grupo de Apoio a Valorização da Advocacia Criminal encaminhou nota de esclarecimento sobre a prisão do advogado Maxsuel Deizon de Freitas na operação “Extração” deflagrada pela Polícia Federal para desaticular facção criminosa com atuação no estado.

Confira nota na íntegra

NOTA DE ESCLARECIMENTO

No dia 03 de setembro de 2019, alguns veículos de comunicação do Estado do Rio Grande do Norte divulgaram, de maneira equivocada, a informação de que um advogado teria sido preso preventivamente como chefe de uma facção criminosa no Estado.

Nesse sentido, e em atenção à opinião pública potiguar, o Grupo de Apoio a Valorização da Advocacia Criminal vem a público manifestar o seu REPÚDIO às ações daqueles que se prestam ao papel de DESINFORMAR a sociedade com inverdades e especulações, bem como para esclarecer que:

Nas primeiras horas do dia 03 de setembro de 2019, a Polícia Federal deflagrou a operação denominada de “Extração”, e nesse contexto, foi cumprido um mandado de prisão temporária de um advogado. Em nenhum momento o referido advogado se opôs ao cumprimento do mandado, e, portanto, foi normalmente conduzido para a Superintendência da Polícia Federal, local em que prestou todos os esclarecimentos que se fizeram necessários.

A prisão é temporária, e, portanto, tem o prazo de 5 (cinco) dias para a sua conclusão, sendo falsa a informação de que o advogado foi preso acusado de ser chefe de uma facção criminosa no Estado – até porque até a presente data, não foi formalizada nenhuma acusação contra o advogado.

Um dos preceitos basilares que a Constituição Federal assegura é a garantia do estado de inocência, princípio pelo qual uma pessoa jamais poderá ser considerada culpada de algo sem que antes tenha a possibilidade de exercer regularmente o seu direito de defesa.

É notório que o País está passando por um momento de grande turbulência, e no cenário nacional, há um clima de verdadeiro inconformismo com a corrupção, com a violência e com a impunidade. A sociedade clama por medidas urgentes e severas de combate ao crime e à corrupção. Entretanto, não se pode, com base nesse sentimento de inconformismo, promover à execração pública de um indivíduo, utilizando os meios de comunicação como instrumento, sobretudo com base em informações que já no início da operação revelaram-se como equivocadas (ou mesmo falsas).

Deste modo, o Grupo de Apoio e Valorização da Advocacia Criminal REPUDIA a publicação de manchetes inverídicas e descompromissadas com o jornalismo sério e informativo, e segue vigilante na defesa das prerrogativas dos advogados que exercem a sua função Constitucional, acompanhando a investigação noticiada até que haja a sua final conclusão.

Natal/RN, 04 de setembro de 2019.

Grupo de Apoio a Valorização da Advocacia Criminal

Justiça revoga decisão de Bolsonaro que exonerou integrantes de grupo de combate à tortura

Foto: Adriano Machado/Reuters

A Justiça Federal do Rio de Janeiro suspendeu parte do decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) em junho que exonerou 11 integrantes do Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura (MNPCT) e mandou reintegrar os funcionários exonerados. O mecanismo é responsável por vistoriar as condições de tratamento concedidas em presídios e outros tipos de unidade de internação mantidas pelo Estado. A decisão foi dada em caráter liminar (provisória) em resposta a uma ação movida pela Defensoria Pública da União (DPU). O governo ainda pode recorrer.

A decisão do juiz federal Osair Victor de Oliveira Júnior, da 6ª Vara Federal do Rio de Janeiro, foi proferida na sexta-feira (9), mas só foi divulgada nesta segunda-feira.

Na ação, a DPU sustentou que o a extinção dos cargos representaria uma violação de compromissos firmados pelo Brasil em relação ao combate à tortura e à promoção dos direitos humanos.

Em sua sentença, o juiz disse ainda que a exoneração dos peritos, da forma como aconteceu, foi irregular. “A destituição dos peritos só poderia se dar nos casos de condenação penal transitada em julgado, ou de processo disciplinar”, diz um trecho da sentença.

No dia 11 de junho, o Diário Oficial da União publicou um decreto assinado por Bolsonaro exonerando os 11 peritos que faziam parte do grupo e extinguindo os cargos comissionados que garantiam a sua remuneração. À época, entidades em defesa dos direitos humanos argumentaram que a extinção dos cargos comprometeria o trabalho do grupo.

O mecanismo foi criado por lei em 2013 e, desde então, seus integrantes têm feito visitas a presídios e outras unidades de internação para avaliar a situação de detentos. O grupo vinha elaborando relatórios sobre a situação do sistema prisional e fazendo alertas sobre violações de direitos humanos nessas localidades.

O governo, por outro lado, defendeu que a extinção dos cargos representaria uma economia de recursos e argumentou que o grupo continuaria a funcionar. A diferença é que em vez de usar mão-de-obra remunerada, o mecanismo seria tocado por voluntários.

PGR moveu ação

Para o magistrado que proferiu a decisão, o decreto assinado por Bolsonaro poderia acarretar no esvaziamento do órgão e afetar cidadãos em situação de vulnerabilidade.

“O perigo na demora, no caso, decorre do possível esvaziamento de órgão criado não só para cumprir com obrigações internacionais mas também como meio para resguardar o direito fundamental de que ninguém será submetido a tortura nem a tratamento desumano ou degradante”, afirmou.

A decisão é o primeiro revés judicial em relação ao decreto que exonerou os integrantes do mecanismo. Nas últimas semanas, a medida havia sido alvo de críticas por organismos internacionais e também foi questionada judicialmente pela Procuradoria Geral da República (PGR) .

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Eu disse:

    O povo esquece que houve um grande acordo, onde os torturados e perseguidos são indenizados e os torturadores anistiados. Se for para quebrar o acordo que se condene os torturadores.

  2. Arnaldo Franco disse:

    O interessante é que os petistas só lembram dos torturadores. Esquecem dos que praticaram sequestros e atos de terrorismo, alegando que estavam lutando pela democracia. Não cola mais. O proprio Fernando Gabeira já admitiu que a intenção era implantar no pais uma ditadura comunista. Antigamente essa mentira era tida como verdade. A internet ampliou os meios de informação e de comunicação e tirou a máscara dos comunistas "democratas".

  3. Sérgio disse:

    O que não falta aqui é "cristão" e "cidadão de bem" a favor da tortura. Ainda existe Justiça nesse país e em breve o presidente de vcs vai ganhar uma camisa-de-força.
    Ficar entre 4 paredes, igual ao Lula!

  4. Adelino disse:

    Esse presidente precisa tomar vergonha nesse focinho que ele chama de cara e passar a trabalhar em favor do povo pelo qual ele foi eleito, e não ficar disseminando ódio, preconceito e ficar bancando o manda-chuva com esse tipo de conduta. E só revirar esse assunto de "tortura na ditadura" que esse indivíduo se borra todo; e isso é notório com esse tipo de atitude. Afinal de contas "quem não deve, não teme" né?? #SóAcho

    • Cabral disse:

      O presidente está correto, muitos desses indenizados por bilhões são ladrões descarados como dilmanta, luladrão, José Dirceu, Palocci, Genoino, akamoto, Vacari… Todos os integrantes da quadrilha esquerdalha, e que saquearam os cofres públicos. tem que corrigir essa farra, com o dinheiro dos trabalhadores brasileiros, que pagaram a esses CANALHAS através do seu sangue e suor.

    • Chato disse:

      mimimimmimimimimimimimimimimi…..

    • José Soares disse:

      Adelino em que mundo você vive? Está no país errado, vá para Cuba, Venezuela, Irã, Coréia do Norte, por lá o mundo gira em função das versões vendidas e publicadas pelos governos, longe dos fatos, longe da legalidade, distante do respeito a vida.

Procuradoria Geral de Justiça esclarece pagamento de R$ 4,7 milhões pagas a um grupo de 22 promotores e procuradores

O Procurador-Geral de Justiça, Eudo Rodrigues Leite, por meio de nota oficial, esclareceu nesta terça-feira, 6, que o valor de R$ 4,7 milhões pagos, no mês de julho, a um grupo de 22 procuradores e promotores de 3ª entrância, é decorrente da quitação da Parcela Autônoma de Equivalência (PAE).

Em nota, o Procurador-Geral de Justiça confirmou que o pagamento foi feito na folha de julho e esclareceu que põe fim a uma dívida da Procuradoria Geral de Justiça (PGJ) com um grupo de membros do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN). Confira aqui no Justiça Potiguar nota na íntegra.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Dr. Veneno disse:

    Deveriam ter ido pra infinita lista de precatórios do Estado, passar 15 anos pra receber, e vê como é ruim esperar pela burocracia e deficiência estatais.

  2. Valéria Fragoso disse:

    No mínimo, imoral!!!! Enquanto isso os servidores públicos que ganham menos estão todos com os salários atrasados e sem reajuste faz tempo. Mas, os promotores de justiça, além de receberem o salário em dia, recebem vantagens atrasadas, aumento e por aí vai … Por que não há um tratamento igualitário?

  3. Ivan disse:

    Roubo institucionalizado…Pra mim é pior que os desvios da corrupção, pois, esses já estão "lavados" pela lei que o proteje…Mas é roubo!!! Independênia financeira e orçamentária sóh dá nisso!!!!

  4. Manoel disse:

    Na verdade pra pagar os amigos do poder não falta dinheiro mas pra pagar a ralé o governo nunca tem dinheiro.

    • Eliane Patrício disse:

      Explicou mas não me convenceu isso é uma vergonha infelizmente no Brasil tudo pode..

  5. escritor disse:

    Muito bom quando um poder é rico, e nao precisa pagar por precatorio. Paga por PAE, tambem conhecida por mae.

  6. Az disse:

    Pessoas passam anos pra receber os seus direitos e esses deuses na terra recebem em meses aí é que está o erro,direitos eles tem agora porque só pra eles saem tão rápido?

  7. Flavio disse:

    Legislando em causa própria. Desse jeito é muito bom, atirar com pólvora alheia. É roubo, é corrupção, é malandragem, é falcatrua……não, nada disso, apenas legislar em causa própria, ou seja, tudo junto. Kkkkkk

  8. TALES disse:

    Não era melhor ter ficado calado, cada vez mais que se toca nessa PAE vergonhosa, a população fica descrente que algum dia nosso País possa ser sério, vergonha.

    • Eliane Patrício disse:

      Eu acho que nunca isso vai mudar .pode até ser legal mais é imoral

  9. Luladrão Encantador de Asnos disse:

    Só minino besta.

  10. André pinto disse:

    Duvido que a defesa fosse a mesma se os pagamentos fossem feitos pelas prefeituras, camaras de vereadores.

    Ja tinham entrado com as ações na justiça para impedir os pagamentos.

    Um absurdo isso. Fere a moralidade administrativa.

  11. marcopolo disse:

    Justo.
    Tá vendo nada de irregular.

Grupo rouba carga milionária de ouro no aeroporto de Guarulhos

Veículo usado pelos assaltantes foi abandonado em uma comunidade. Foto: Reprodução

 

Um grupo de homens fortemente armados invadiu o terminal de cargas do Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, por volta das 14h30 desta quinta-feira (25), e roubou cerca de 750 quilos de ouro, avaliada em US$ 30 milhões (cerca R$ 113 milhões).

Eles entraram no aeroporto com duas viaturas clonadas da Polícia Federal, sem placas, uma modelo Triton e a outra, uma Pajero Dakar. No terminal, roubaram um carro-forte da Brink’s com ouro. Os quatro homens estavam com roupas de policiais federais, distintivos, encapuzados, com pistolas, fuzil e carabinas.

Segundo informações iniciais da polícia, um carro ficou na portaria e o outro entrou no terminal de cargas. O grupo rendeu o chefe da logística, colocou a carga no carro e levou o refém.

De acordo com informações iniciais da Polícia Rodoviária Federal, os bandidos mantiveram a família do supervisor da logística refém na noite anterior e tiveram acesso a informações privilegiadas.

Depois, as viaturas clonadas foram abandonadas no Jardim Pantanal, na Zona Leste de São Paulo, os ladrões entraram em uma camionete S-10 e em uma ambulância com a carga roubada. O helicóptero da polícia não pode sobrevoar a região do aeroporto, o que dificulta as buscas.

A carga estava indo para Zurique, na Suíça, e Nova York, nos Estados Unidos. O Departamento de Investigações Criminais (Deic) deve assumir a ocorrência.

A GRU Airport, concessionária responsável pelo Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, afirmou que o roubo não prejudica o embarque e desembarque de passageiros. Não houve tiroteio e nem feridos.

A Brink’s informa que está colaborando com as autoridades competentes para apuração do ocorrido na tarde desta quinta-feira, 25/7, no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Walsul disse:

    Enquanto a polícia vai prender os perigosos hackers russos de Araraquara, vestidos de policiais, bandidos levam 120 milhões em ouro.

Governo do Estado sugere criação de grupo para reestruturar carreira na PM

O Governo do Estado apresentou a proposta de criação de um Grupo de Trabalho para reestruturação de carreiras da Polícia Militar visando, em um processo gradual, corrigir distorções com relação a outras carreiras da área da Segurança Pública. A medida foi debatida em reunião na manhã desta sexta-feira (14) entre a equipe do Governo e os representantes das associações de praças e oficiais da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte.

A exposição sobre a proposta de criação foi feita pelo secretário de Estado do Planejamento e das Finanças, Aldemir Freire, e pela secretária de Estado da Administração, Virgínia Ferreira. Atualmente, já existe equiparação de carreira entre policiais e bombeiros militares, mas há diferenças com relação à Polícia Civil. “Realmente precisamos acabar com as distorções. O Governo tem o compromisso técnico e político para trabalhar essa questão”, destacou a secretária Virgínia Ferreira.

O secretário Aldemir Freire pontuou que o Governo do Estado, mesmo em estado de calamidade financeira, prioriza o pagamento da Polícia Militar e de todos os agentes de segurança pública do Rio Grande do Norte, quitando os salários integrais dentro do mês trabalhado e sempre na primeira data marcada pela equipe econômica.

“Estamos pagando a todos da segurança pública, ativos e inativos, em meados do mês. É um esforço grande para honrar o acordo, assim como para manter a Polícia na rua com o pagamento das diárias operacionais. São R$ 3 milhões por mês somente com diárias”, destacou o titular da Secretaria de Estado do Planejamento e das Finanças (Seplan).

Freire ainda destacou o compromisso do Governo com a contratação de mil policiais militares, recentemente aprovados em concurso, e a montagem de um calendário para promoções de carreira. “O impacto dessa contratação será de R$ 40 milhões por ano. O Governo está priorizando áreas vitais e sabemos que é necessário também trabalhar com a recomposição salarial, dentro daquilo que temos condição e capacidade de fazer, e montar um calendário que encaminhe as promoções dos policiais e bombeiros”, completou o secretário.

O plano de equiparação discutido nesta sexta-feira contempla uma demanda apresentada ao Governo do Estado pelas entidades representativas da tropa militar: Associação de Cabos e Soldados da PM-RN (ACS), Associação dos Subtententes e Sargentos Policiais Militares e Bombeiros Militares do RN (ASSPMBM-RN), a Associação dos Oficiais Militares Estaduais do Rio Grande do Norte (ASSOFME) e a Associação de Bombeiros Militares do RN (ABM-RN).

A reunião realizada no Gabinete Civil ainda contou com a presença do deputado estadual Coronel Azevedo. As associações militares foram representadas pelo major Antoniel Moreira (ASSOFME), o subtenente Eliabe Marques (ASSPMBM-RN), o cabo Roberto Campos (ACS) e o soldado Rodrigo Marimbondo (ABM-RN).

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sanderson disse:

    Amigo, não se trata de aumento de salário, e sim reposição salarial que por sinal não é pouco…. Cerca de cinco anos de defasagem!! Só quem sabe, é quem passa.

  2. Gil disse:

    Aumento de salário???? vcs estão loucos? o RN está falido, deve e não quer pagar mais de 2 bilhões a fornecedores, outros 2 bilhões aos próprios funcionários e ainda falam em onerar a folha. Loucos, loucos loucos. Tem que passar uns 15 anos sem aumento, para que a inflação faça uma poda nos aumentos irresponsáveis concedidos por sucessivos governos, sempre deixando a conta para o outro pagar.

    • Marcos disse:

      Com 15 anos sem aumento, os policiais irão ganhar um salário mínimo. Será que o senhor sobreviveria com isso? Temos que cortar regalias, principalmente do judiciario e legislativo. Não vejo nenhum movimento contra esses poderes.

VÍDEO: Grupo realiza protesto nas ruas de Natal em dia de “Greve Geral”

Registro na tarde desta sexta-feira(14) de protesto intitulado “Greve Geral”, contra a reforma da Previdência e o governo Bolsonaro. Nas imediações do Midway, manifestantes com bandeiras de sindicatos realizam caminhada, que se encerra na Árvore de Mirassol.

Assista abaixo.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bento disse:

    Desocupados, esse povo não tem o que fazer não? Qual é a causa nobre deles? Defendem o que e a quem? Não produzem nada e ainda cruzam os braços em dia de expediente atrapalhando aqueles e as empresas dos que trabalham e sustentam este País.

  2. Manoel disse:

    Eh o mundo todo!!! Kkk. E olhe que queimaram até pneus pra nenhum ônibus sair das garagens hoje cedo….

  3. Totonho Pires disse:

    Eita povo ocupado esses do MST para fazer baderna acorda de madrugada.
    Agora para trabalhar nem pensar

  4. Ricardo disse:

    Rômulo. kKKKKKKK , com só existisse previdência do INSS.

  5. Ricardo disse:

    Jogando encima deles apenas uma única CARTEIRA DE TRABALHO, todos iram correr, igual ao satanás fugindo da cruz.

    • Rômulo disse:

      Acho que o único aqui que não deve trabalhar é você, por não estar preocupado com sua aposentadoria!

    • Fernando disse:

      kkkk. Romulo, va trabalhar.

    • Fernando disse:

      São os que defendem o Brasil virar Venezuela, pra receber o bolsa famílias e um barraco do minha casa minha vida, igualzinho aos apoiadores de maduro, e que arrasaram um dos países mais rico em petróleo do mundo.

Brasil estreia contra Croácia e pode pegar Espanha ou Holanda nas oitavas

 O Brasil conheceu nesta sexta-feira seus primeiros adversários na busca pelo sexto título mundial. Em sorteio realizado na Costa do Sauipe, Croácia, Camarões e México foram selecionados para enfrentar a seleção brasileira na fase de grupos da Copa do Mundo de 2014. Livre de um ‘grupo da morte’ no início da competição, os anfitriões podem encarar Espanha ou Holanda, integrantes do grupo B, logo nas oitavas de final.

Por ser país-sede do Mundial, o time comandado por Luiz Felipe Scolari era o único cabeça de chave que já tinha lugar definido antes do sorteio, integrando o grupo A, e fará o jogo de abertura da Copa contra os croatas no dia 12 de junho, às 17h (horário de Brasília), no Itaquerão, em São Paulo. Os demais confrontos da primeira fase serão em Fortaleza (17/06, às 16h), diante dos mexicanos, e em Brasília (23/06, às 17h), contra os camaroneses.

Os dois primeiros colocados deste grupo enfrentarão nas oitavas de final as equipes classificadas do grupo B, que conta com a Espanha como cabeça de chave, além de Holanda, Chile e Austrália. A estreia dos espanhóis será contra os holandeses, em reedição da última final da Copa do Mundo.

O tão temido ‘grupo da morte’ acabou formado na chave D. Cabeça de chave, o Uruguai ganhou a companhia de Itália e Inglaterra, além da Costa Rica. Em contrapartida, o grupo H, integrado por Bélgica, Rússia, Argélia e Coreia do Sul, foi considerado o mais fraco.

As 32 seleções que participaram do sorteio desta sexta-feira foram divididas em quatro potes. O recipiente 1 contava com os cabeças de chave Espanha, Alemanha, Argentina, Colômbia, Bélgica, Suíça e Uruguai, definidos pelo ranking da Fifa, além do país-sede Brasil.

No pote 2 estavam os cinco representantes africanos e dois representantes da Américas do Sul. O terceiro era integrado por quatro asiáticos e quatro países da América Central e do Norte. Por fim, o quarto pote era formado por nove representantes da Europa.

A cerimônia de sorteio dos grupos da Copa do Mundo foi comandada pelo casal de atores Fernanda Lima e Rodrigo Hilbert e contou com a participação de ex-jogadores como o francês Zidane, o uruguaio Ghiggia, o italiano Cannavaro, o inglês Hurst, o alemão Matthaus, o argentino Kempes e o espanhol Hierro.

O evento ainda teve as apresentações dos artistas brasileiros Alcione, Emicida, Vanessa da Matta, Alexandre Pires e Olodum como atrações musicais e realizou homenagens ao falecido líder sul-africano Nelson Mandela, que morreu na última quinta-feira aos 95 anos.

UOL

México e Camarões abrem Copa no estádio Arena das Dunas e campeãs Itália e Uruguai fecham; veja jogos

Ba0ZfkMCYAE-yBR.jpg-large

Sexta-feira (13/06) — 13 horas

(A3) México   X   A4(Camarões)

Segunda-feira (16/06) — 19 horas

G3(Gana)   X   G4(Estados Unidos)

Quinta-feira (19/06) — 19 horas

C4(Japão)   X   C2(Grécia)

Terça-feira (24/06) — 13horas

D4(Itália)   X   D1 (Uruguai)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. beatriz porpino disse:

    dale México <3

  2. Jefferson disse:

    Exceto Itália x Uruguai, o resto e jogo mamão.

Grupo Hotéis Pernambuco apresenta novo projeto para reforma do antigo Hotel Reis Magos

17732O Secretário municipal de Turismo e Desenvolvimento Econômico de Natal, Fernando Bezerril, recebeu na manhã desta segunda-feira (7), em seu gabinete, o empresário José Pedroza, representante do grupo Hotéis Pernambuco que detém a propriedade do Hotel Reis Magos, localizado na Praia do Meio. Na reunião, o empresário falou sobre o interesse de manter a propriedade do terreno e do projeto de um espaço dinâmico e flexível que irá apresentar hoje à Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb) para reutilização do espaço.

O empresário expôs o projeto de reutilização do espaço que hoje compõe o Hotel Reis Magos e afirmou que a ideia do projeto é criar um espaço puramente comercial que possa agregar diferentes tipos de clientes. “Nós fizemos as avaliações necessárias e não é possível reaproveitar a estrutura que existe atualmente, então, o nosso projeto é criar uma plataforma multiuso, com fins comerciais, com mais de 300 vagas de estacionamento e um visual moderno”, explicou Pedroza.

O empresário ressaltou ainda que já existem dois grupos interessados em investir, juntamente com o grupo Hotéis Pernambuco: um ligado a saúde e outro a educação. Se o projeto for aprovado pela Semurb, o grupo deve protocolar imediatamente o pedido de demolição da estrutura atual e iniciar em seguida a construção do subsolo e do térreo que deverá incluir também uma plataforma de uso para os pedestres. “A ideia é construir inicialmente apenas o subsolo e o térreo que poderão ter diversas funções e se o projeto de ampliação vertical, por meio do plano diretor, for aprovado, expandir”, afirmou Pedroza.

Fernando Bezerril afirma que o novo projeto apresentado para análise da Semurb, terá que atender todas as exigências do Plano Diretor. Sobre o interesse do empresário José Pedroza em buscar novas opções para o hotel é uma ótima notícia. “Esperamos que tudo corra dentro da legalidade e que toda estrutura do hotel seja recuperada, gerando emprego e renda para o município.”

Estiveram presentes na reunião: o secretário, Fernando Bezerril; o chefe de gabinete, engenheiro ambiental, Marcelo Alvim e o consultor, Carlos Sodré.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Paulo Cesar disse:

    Fernando Bezerril tem sido incansável nessa luta mas me parece inglória. Esse grupo vem dando uma canseira no governo a muito tempo. O melhor era Carlos Eduardo desapropriar logo e criar um hotel albergue para a juventude, talvez parceria publico privada, embora eu não entenda dessas coisas.
    Mas reitero o que escrevi acima: Bezerril é um batalhador, mas essa batalha está bichada pelos olhos grandes demais desse grupo pernambucano.

Felipão diz que grupo está aberto e pretende fechar lista em dezembro; cinco ainda concorrem

thumbEm entrevista coletiva realizada na manhã desta sexta-feira, o técnico Luiz Felipe Scolari deixou claro que há espaços no grupo que será convocado para o Mundial de 2014. A ideia do pentacampeão é ter o elenco totalmente definido em dezembro.

Scolari disse que atualmente trabalha com 18 jogadores que considera praticamente certos na lista final e abriu espaço para cinco peças que ainda não tem suas vagas cativas na Seleção.

– Se tiver um grande jogador na Série C e na D, não tenho problema nenhum em convocar. Olho 30 jogos por semana, em qualquer campeonato. Se achar que pode preencher uma lacuna na minha seleção, tudo bem – disse o treinador.

Durante toda a conferência, ele insistiu na ideia de que todos devem aproveitar as oportunidades recebidas:

– Minha função é escolher 23 pro Brasil, eles sabem que tem de se dedicar no treino e no jogo.

Sobre o confronto contra a Austrália, Felipão disse que é possível tirar proveito da partida diante do rival, que classificou como um time forte e alto. Com a lesão de Oscar e seu provável veto, a tendência é que Ramires seja titular.

A provável escalação da Seleção é a seguinte: Julio Cesar, Maicon, David Luiz, Thiago Silva e Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho, Ramires e Bernard; Neymar e Jô.

Lance

CBF monta grupo para estudar formas de melhorar as finanças dos clubes

thumbA CBF publicou uma portaria através da qual cria um grupo de trabalho que vai chefiar medidas para a melhoria financeira dos clubes brasileiros. A criação da comissão foi definida durante uma reunião entre dirigentes dos principais clubes do país, que aconteceu na terça-feira, na sede da entidade, no Rio.

Segundo o documento, deverá ser produzido um plano de recuperação financeira e tributária. Com esse cenário, outra atribuição da comissão é acompanhar o andamento do projeto do governo federal que visa sanar as dívidas dos clubes com a União: o Programa de Fortalecimento do Desporto Nacional – apelidado de Proforte.

Foram escolhidos sete nomes, sendo seis dos clubes e um que vai representar as Federações estaduais. O grupo é formado por Alexandre Kalil, presidente do Atlético-MG, Alexi Portela, presidente do Vitória, Eduardo Bandeira de Mello, presidente do Flamengo, Giovanni Luigi, presidente do Internacional, Raul Correa, diretor de finanças do Corinthians, além de Vilson Ribeiro de Andrade, presidente do Coritiba e Ednaldo Rodrigues, presidente da Federação Baiana.

A primeira reunião do grupo, cujos membros foram indicados na reunião, será nesta sexta-feira, na sede da Federação Paulista, em São Paulo.

– A intenção e conseguir todo o detalhamento do projeto do governo, consolidar os débitos e então definir quais clubes se enquadram na necessidade de participar dessa política de contrapartidas – explicou Ednaldo Rodrigues, rechaçando o termo anistia:

– Não é anistia. Não queremos isso.

O Proforte prevê que os clubes devedores invistam na formação de atletas olímpicos em troca de abatimento de parte da dívida pública.

Lance

Policial militar acusado de envolvimento em grupo de extermínio se apresenta em Natal

O soldado Rosivaldo Azevedo Maciel Fernandes, reformado da Polícia Militar, apontado como um dos líderes do grupo de extermínio investigado pela operação Hecatombe, da Polícia Federal, apresentou-se nesta terça-feira (13), acompanhado do seu advogado, Marcos Alânio. Ele era considerado foragido desde o último dia seis, quando foi deflagrada a operação da Polícia Federal.

Rosilvaldo negou as acusações e disse estar sendo vítima de uma perseguição. Ele já havia sido preso em abril, também acusado de homicídio cometido na cidade de Afonso Bezerra.

Segundo a Polícia Federal, o grupo é suspeito de cometer pelo menos 22 homicídios em Natal e na Grande Natal. Três pessoas ainda estão sendo procuradas, dentre elas dois policiais civis e um militar.

Brasil e EUA formam grupo para analisar fim dos vistos

Brasil e Estados Unidos assinaram ontem uma declaração para instalar um grupo de trabalho visando a isenção da exigência de visto para viajar de um país ao outro.

O grupo deverá se reunir até novembro em Washington.

Não há prazos especificados para que a exigência caia. O texto diz seguir a diretriz dada no encontro entre os presidentes Barack Obama e Dilma Rousseff, ocorrido em abril em Washington.

A declaração foi assinada pelo chanceler Antonio Patriota e a secretária de Segurança Interna dos EUA, Janet Napolitano, em Brasília. Ela deixa claro que não há nenhuma obrigação em atingir a dispensa, mas que a ideia é buscar adequar as leis brasileiras e americanas sobre o tema.

MUDANÇAS

Anunciado no final de abril, o novo sistema de vistos para os EUA criou dois postos para entrega de documentação em São Paulo: um na Saúde (zona sul) e outro em Pinheiros (zona oeste).

Antes, o candidato tinha que ir direto ao consulado. Agora, o processo foi dividido em duas etapas: primeiro, ele agenda via internet a ida a um dos postos, onde tira impressões digitais, foto e entrega a documentação. A segunda fase consiste na entrevista no consulado, no dia seguinte à ida a um dos postos.

A divisão foi criticada por candidatos ao visto, especialmente os de fora da cidade, que agora precisam ir duas vezes a uma representação dos EUA, o que pode significar mais um dia de hospedagem em São Paulo.

Na avaliação do consulado, o novo sistema traz mais vantagens do que transtornos.

O plano dos Estados Unidos é dar conta da demanda de visitantes brasileiros. O pedido de vistos aumentou 56% em março em relação ao mesmo período de 2011.

ATRASOS

Após as mudanças no esquema de pedidos de vistos, alguns atrasos ocorreram na entrega de passaportes, cujo prazo normal é de dez dias.

O novo sistema prometia ser mais ágil e moderno, principalmente na parte de envio do passaporte, já que forneceria um número de rastreamento pelo qual o solicitante poderia acompanhar o processo.

O tempo de espera para agendamento caiu, mas houve casos de atrasos de até 40 dias na entrega, e pessoas que precisaram viajar no período recorreram à PF e pediram passaportes de emergência –que custam mais e duram menos que os tradicionais.

No dia 28 de junho, o Consulado dos Estados Unidos em São Paulo anunciou já ter entregue todos os passaportes brasileiros que estavam retidos por conta dos atrasos.

Grupo de Eike Batista perde R$ 7,2 bi de valor de mercado em um dia

Considerado o homem mais rico do Brasil, o empresário Eike Batista viu três de suas empresas perderem R$ 7,2 bilhões em valor de mercado nesta quarta-feira (27), com a queda no preço das ações da OGX (petróleo e gás), da MMX (mineração) e da LLX (logística).

O resultado foi gerado pelo anúncio feito na terça (26), após o fechamento do mercado, da redução da vazão para 5.000 barris de óleo por dia do Campo de Tubarão Azul (antigo Waimea). A estimativa era de 18 mil barris/dia.

A informação gerou desconfiança do mercado e refletiu-se sobre o preço das ações de outras empresas do grupo, como a CCX (produção de carvão), a OSX (estaleiros e fretamento de plataformas), a MPX (setor elétrico) e a PortX (exploração portuária).

O índice da Bovespa também foi afetado pelo resultado ruim e fechou em queda de 1,35%, com 53.108 pontos. O volume negociado foi de R$ 5,9 bilhões (sendo cerca de 20% referentes à OGX) em 849.925 operações.

Para conter os ânimos, Batista convocou uma conferência com investidores e afirmou que a redução é pontual para ajuste na bomba de um dos poços do campo.

O empresário afirmou ainda que tem US$ 9 bilhões em caixa para investimentos.

As ações da OGX registraram a maior queda, 25,33%, e fecharam o pregão cotadas a R$ 6,25. O valor de mercado da empresa caiu de R$ 27 bilhões para R$ 20,2 bilhões, segundo analistas de mercado consultados pela Folha de São Paulo.

A MMX, que era cotada a R$ 4 bilhões, teve seu valor reduzido para R$ 3,7 bilhões. As ações da empresa fecharam ontem em queda de 6,94%, cotadas a R$ 6,03.

A LLX perdeu R$ 120 milhões, com as ações cotadas a R$ 2,23 (queda de 7,47%).

“A redução na produção de óleo pegou todo o mercado de surpresa. Isso pode aumentar a desconfiança dos investidores”, disse Nataniel Cezimbra, analista de investimento do Banco do Brasil.

Grupo de Cachoeira tem R$ 30 milhões, segundo Polícia Federal e Receita

Relatório produzido pela Receita Federal durante as investigações da Operação Monte Carlo revela que, além dos indícios de sonegação fiscal e lavagem de dinheiro, a organização criminosa de Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, acumulou um patrimônio de cerca de R$ 30 milhões. Cachoeira é um dos alvos da CPI criada pelo Congresso, cuja instalação está prevista para quarta-feira.

Para a Receita, os valores são incompatíveis com a renda dos integrantes do esquema que, segundo a Polícia Federal, explorava caça-níqueis e contratos públicos em parceria com a Delta Construções. O relatório apresenta a quebra de sigilo bancário, incluindo a análise das contas bancárias e das declarações de imposto de renda.

Os auditores identificaram movimentações atípicas e ações fiscais anteriores às investigações da PF. Segundo a Receita, Carlinhos deixava todos os seus bens em nome da ex-mulher Andréia Aprigio de Sousa ou do ex-cunhado Adriano Aprigio. “Observa-se que os valores que circulam pelas contas bancárias de Andréia não dão indícios de omissão de rendimentos” , dizem os auditores. “Pelo contrário, como em determinados anos eles ficam aquém do total declarado, a única justificativa plausível seria de que parte dos rendimentos seriam recebidos em espécie ou por outro meio que evitasse a circulação nas próprias contas bancarias.”

A ex-mulher de Cachoeira declarou um patrimônio de R$ 9,8 milhões. Entre os bens há uma casa em Miami, uma fazenda de 165 hectares, um avião Cessna, salas comerciais e apartamentos em Goiânia e no Rio. Andréia tem registro de assalariada no laboratório Vitapan, que a PF diz pertencer, de fato, a Cachoeira. O salário em 2010 era de R$ 12 mil.

Casas em Miami eram um dos investimentos preferidos de Cachoeira. Escutas telefônicas mostram o contraventor negociando a compra de imóveis na Florida. Ele negociava em dólares e em euros.

Cofre. A análise da Receita mostra que Carlinhos declara ser dirigente, presidente e diretor de uma empresa industrial. Seus rendimentos variavam entre R$ 60 mil e R$ 70 mil. Já seu patrimônio chegava a R$ 4,3 milhões. O contraventor informou ainda ter R$ 1,2 milhão em espécie no cofre de sua casa.

“Não há indicação da origem de tais recursos. O contribuinte possui baixa movimentação financeira, mas gastos relevantes com cartão de crédito. Se houver pagamento das faturas é possível que seja com conta no exterior”, destaca a Receita. Segundo o relatório, uma das faturas de Andréia chegou a R$ 51 mil.

Já o contador de Cachoeira, Geovani Pereira da Silva – que está foragido -, apresentou movimentação financeira incompatível com o patrimônio. Em 2010, foram mais de R$ 4,3 milhões. Seus rendimentos, porém, não passaram de R$ 21,3 mil.

O irmão de Cachoeira, Sebastião Ramos, também recebeu dinheiro que não circulou nas suas contas bancárias. Em 2009, por exemplo, foram declarados rendimentos de R$ 1,3 milhão, mas sua movimentação financeira naquele ano foi de R$ 170 mil.

Bens. Até pouco tempo, o engenheiro Cláudio Dias Abreu era apenas o diretor regional de uma grande construtora – a Delta. A Operação Monte Carlo, no entanto, trouxe à tona um operador dos mais diversos negócios.

Abreu mantinha um patrimônio incompatível com seus rendimentos. Em 2008, ele declarou ter recebido R$ 320,9 mil. Naquele mesmo ano, o ex-diretor regional da Delta começou a construção de uma casa no condomínio Alphaville, em Goiânia, e pediu um empréstimo para Rossine Aires Guimarães, outro citado nas investigações, para finalizar a obra. O valor foi de R$ 950 mil. “O patrimônio de Cláudio cresce acima dos rendimentos e passa de R$1,3 milhão para R$ 2,1 milhões”, destacou a Receita.

Dentre os itens que determinaram o patrimônio descoberto estão a aquisição de três salas comerciais em Palmas (TO), um apartamento em Caldas Novas (GO), um veículo Mercedes ao custo de R$ 188 mil e outros sete imóveis residenciais e comerciais, indicam os auditores. Abreu teria ainda quitado o empréstimo com Rossine e obtido um novo crédito, de R$ 1,1 milhão. Os rendimentos tributáveis recebidos por Abreu são todos da Delta.

Construções. No auto de prisão, ele afirmou receber R$ 100 mil por mês, sendo R$ 35 mil da construtora.

A PF pediu o sequestro dos bens e o bloqueio das contas dos envolvidos.

Advogado de Cachoeira, o ex-ministro Márcio Thomaz Bastos não quis se pronunciar sobre o relatório da Receita. “Não estamos falando sobre questões pontuais. A investigação é sigilosa, as menções são descontextualizadas e não tivemos acesso à integralidade dos autos.”

Fonte: Estadão

Grupo de Cachoeira agiu em esquemas ilegais que movimentaram R$ 400 milhões nos últimos 6 anos

Investigações da Polícia Federal (PF) e do Ministério Público Federal (MPF) mostram que o grupo de Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, participou de esquemas ilegais que, juntos, movimentaram pelo menos R$ 400 milhões nos últimos seis anos. Entre os supostos crimes praticados estão contrabando, exploração de jogos de azar, corrupção e lavagem de dinheiro.

A organização criminosa atuava num raio de até 200 quilômetros do Palácio do Planalto, tendo como área de maior influência o chamado Entorno do DF. Era nesse território, com quase dois milhões de habitantes e baixo índice de desenvolvimento humano, que Cachoeira cooptava servidores públicos e policiais para atuarem como “soldados” da máfia dos caça-níqueis.

Planilhas de contabilidade apreendidas pela PF na operação Monte Carlo, a mais recente envolvendo a organização criminosa, apontam que as casas de bingo do Entorno rendiam ao grupo até R$ 346 mil por mês, chegando a R$ 2 milhões em oito meses. Os cassinos de Valparaíso (GO), segundo as investigações, eram os mais rentáveis. Na cidade, o grupo contava inclusive com o apoio de um funcionário no Fórum. Em Águas Lindas de Goiás, o sistema via web do bando registrou lucro bruto de R$ 86,6 mil no mês de fevereiro. A PF teve acesso aos dados depois de grampear integrantes do grupo e conseguir a senha do site.

Ao melhor estilo da máfia italiana, os integrantes do grupo destinavam parte de seus lucros para a “assistência social”, como era chamado o pagamento da propina. Os valores eram lançados na contabilidade, juntamente com o serviço técnico de reparos das máquinas, aluguéis e telefones. Em Águas Lindas, por exemplo, foram reservados no mês de julho R$ 12,6 mil para a rubrica. Em Santo Antônio do Descoberto, os valores variavam entre R$ 1 mil e R$ 2 mil mensais, taxa semelhante à que era paga em Cristalina. Os pagamentos variavam segundo a hierarquia do “soldado” .

“Apenas a título de exemplo, policiais militares de baixa patente recebem em média R$ 200,00 por dia trabalhado na segurança/ronda de cassino, ou trabalham dentro das casas, à paisana ou realizando ronda velada ou usando a própria viatura da policial militar. Os oficiais PMs recebem propinas rotineiras, cujo valor varia de acordo com sua posição hierárquica dentro da instituição e a função desempenhada, seja política, junto ao comando geral em Goiânia, seja nos comandos regionais”, destaca o inquérito.

O negócio de Cachoeira era mantido às custas do vício de jogadores e de adulterações nas máquinas para que elas gerassem mais lucro.

Concorrência. Todas essas operações eram controladas de perto por integrantes do grupo, que atuavam para acabar com qualquer concorrência no mercado ilegal.

No início deste ano, homens de Cachoeira tentaram subornar policiais em troca de informações sobre concorrentes e equipamentos apreendidos.

Otoni Olímpio Júnior e Raimundo Washington de Sousa queriam pagar R$ 25 mil aos agentes e ainda garantir um “mensalzinho” pelas facilidades. Os denunciados fazem parte da família Queiroga, parceira de Cachoeira nos negócios do Entorno.

‘Parceiro’. Empresário de Brasília, José Olímpio Queiroga Neto atua, segundo as investigações, no comércio ilegal de jogos de azar e na lavagem de dinheiro. Há 17 anos o Entorno pertenceria a Carlinhos Cachoeira e Olímpio atuaria em parceria com ele e Lenine Araújo de Souza, segundo homem na escala hierárquica do grupo criminoso.

Os grampos mostram que o empresário poderia operar com exclusividade na área e escolher demais parceiros.

“Não sou dono da área. Dono da área aí chama-se Carlinhos Cachoeira e Lenine e outro garoto. Respeito isso e falo de boca cheia, pra todo mundo, que sou parceiro. A área é de vocês, por isso que eu pago e pago com prazer. Os bicheiros são vocês. Eu pago porque é direito de vocês”, diz Olímpio em uma interceptação telefônica.

Apuração da Monte Carlo mostra que os irmãos Queiroga eram responsáveis por empresas que ajudavam a lavar o dinheiro de Cachoeira. A quebra de sigilo bancário mostrou que pelo menos R$ 14 milhões passaram pela rede montada pelo empresário. Segundo a PF, somente a Let Laminados Extrudados teve movimentação financeira de aproximadamente R$ 13 milhões entre 2006 e 2009.

De acordo com relatório de análise, a empresa tem entre os sócios dois laranjas: Adriele Silvia e Thiago Rodrigues, servidor lotado no Ministério do Desenvolvimento Agrário com salário de R$ 2,1 mil. A PF identificou ainda transferências bancárias entre Adriele e Geovani Pereira, o contador de Cachoeira. A moradora de Luziânia também é sócia da empresa Micro Usina de Álcool Alto Longa, em Alto Longa (PI), aberta em julho do ano passado.

Faturamento. Nas escutas, Queiroga e seus comparsas movimentavam o dinheiro arrecadado com os jogos de azar nas contas das empresas de fachada. As casas de bingo da família rendiam cerca de R$ 200 mil por dia, como revelam documentos das investigações.

Os valores são semelhantes aos identificados pela PF nas operações que fecharam as primeiras casas da organização criminosa, ainda em 2006.

“Pelo que levantamos, as máquinas de rua e de bingo de todo o Estado de Goiás e Entorno do Distrito Federal faturam uma média de R$ 250 mil diariamente”, afirma o relatório da PF.

Imposto de Renda. O grupo de Cachoeira também é formado por políticos suspeitos de corrupção, especialmente no Estado de Goiás. A ligação com prefeitos e vereadores ficou demonstrada, por exemplo, na articulação para livrar o prefeito de Águas Lindas, Geraldo Messias (PP), do indiciamento na operação Apate, realizada em 2010.

Em tramitação no Tribunal Regional Federal (TRF) da 1º Região, a fraude consistia na retificação das Declarações do Imposto de Renda Retido na Fonte (DIRFs) dos últimos cinco anos, de órgãos municipais – como a Prefeitura e a Câmara daquele município.

As investigações mostraram que eram incluídos falsos prestadores de serviços, com rendimentos fictícios, o que gerava retenções enganosas. O dinheiro então era liberado para os gestores.

Segundo a Receita, o rombo estimado no caso é de R$ 200 milhões. A operação se estendeu para outras 10 prefeituras de Goiás, duas do Mato Grosso e uma do Pará. Nos áudios, um delegado da PF que fazia parte da quadrilha aponta detalhes da operação, dimensiona quais prefeituras seriam atingidas e, em seguida, orienta como deveria ser o depoimento de Messias.

O Estado não localizou o prefeito de Águas Lindas.

Carlinhos Cachoeira também teve informações privilegiadas sobre a Operação Conexão Ásia, que apreendeu mais de R$ 4 milhões em produtos supostamente contrabandeados no camelódromo de Campinas, em Goiânia e em Anápolis, áreas de atuação do grupo comandado pelo contraventor.

Fonte: Estadão