WhatsApp vai parar de funcionar em milhões de smartphones

Foto: (NurPhoto/Getty Images)

Donos de celulares antigos que usam o WhatsApp devem se preocupar em adquirir um novo aparelho ou podem perder acesso ao aplicativo de mensagens. Os primeiros atingidos foram os Windows Phones. Em seu site, o WhatsApp informa que o sistema operacional não é mais compatível desde 31 de dezembro de 2019.

Para aparelhos Android e iOS também há mudanças. No sistema operacional do Google, smartphones com a versão 2.3.7 ou inferior terão o WhatsApp desativado em 1º de fevereiro. Na mesma data, iPhones com a versão iOS 8 também terão o WhatsApp desativado.

Essas plataformas estão em aparelhos bem antigos, por isso poucos usuários devem ser afetados. O Android 2.3, ou Gingerbread, foi lançado em 2010, sendo que sua última atualização, o 2.3.7, foi liberada em setembro de 2011.

De acordo com o Google, apenas 0,3% dos smartphones Android usam essa versão. Mesmo assim, dado o universo imenso de 2,5 bilhões de celulares Android no mundo, a mudança deve afetar cerca de 7,5 milhões de usuários.

Já o iOS 8 foi lançado em setembro de 2014, junto com o iPhone 6. Teoricamente, o fim da compatibilidade com essa versão do sistema operacional da Apple não afetará nenhum smartphone, pois seu modelo mais antigo, o iPhone 4S, também pode ser atualizado para o iOS 9.

Segundo a Apple, entre os usuários de iPhone, 55% usam a versão mais atual, o iOS 13, e 38% usam o iOS 12. Apenas 7% do total estão em versões mais antigas.

“Para a melhor experiência, nós recomendamos que você use a última versão do iOS disponível para o seu telefone. Por favor, visite a página de suporte da Apple para aprender como atualizar o software do seu iPhone”, diz o WhatsApp, em seu site.

Com essas mudanças, o WhatsApp será compatível apenas com smartphones Android 4.0.3 ou superior; iPhones com iOS 9 ou superior; e alguns aparelhos com o KaiOS 2.5.1 ou superior, usado em aparelhos de baixo custo.

Exame, com O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Plínio disse:

    BG!
    A rádio peão, a rua, as bocas de chafurdos, tá dizendo que os primeiros celulares a parar é justamente o dos petralhas.
    Kkkkkkkkk
    Dizem que e porque eles tem de parar de idolatrar bandidos pelo Zap.
    Kkkkkkkk
    Vejam!
    Não sou eu que to dizendo, é a rua.
    Kkkkkkk

Serviço Não Perturbe dos bancos começa a funcionar nesta quinta-feira

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Os aposentados e pensionistas que não quiserem mais receber ligações com ofertas de crédito consignado podem se cadastrar no serviço “Não Perturbe” dos bancos, que passa a funcionar a partir desta quinta-feira(2).

Para isso, é preciso cadastrar no site do serviço os telefones fixos ou móveis vinculados ao número do CPF. O bloqueio passa a valer 30 dias após o procedimento, quando os bancos que aderiram ao sistema param de fazer chamadas telefônicas com as ofertas de empréstimos.

Ao todo, 23 bancos aderiram ao serviço, que integra uma iniciativa de autorregulação do setor bancário promovida pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e a Associação Brasileira de Bancos (ABBC), em parceria com a Secretaria Nacional do Consumidor.

Segundo a Febraban, as instituições financeiras que aderiram à iniciativa correspondem a cerca de 98% da carteira de crédito do país. Uma vez feito o cadastro, o bloqueio de chamadas abrange também os correspondentes bancários, ampliando o alcance da medida.

Além do Não Perturbe outras medidas de autorregulação do crédito consignado incluem a criação de uma base de dados para o monitoramento de reclamações causadas pela oferta inadequada de empréstimos, que contabilizará as queixas feitas nos canais internos dos bancos, no Banco Central ou através da plataforma consumidor.gov.

Também serão contabilizadas as ações judiciais e feito um mapeamento da governança e da gestão de dados de correspondentes bancários, com o objetivo de produção de um índice de qualidade a ser divulgado pela Febraban e a ABBC a partir de fevereiro.

“Teremos um termômetro de qualidade da atuação do correspondente, e com base no indicador de reclamações, os bancos irão adotar medidas administrativas, que vão desde advertência, suspensão, até o fim do relacionamento com o correspondente”, disse Amaury Oliveira, diretor de autorregulação da Febraban.

No caso de alguma infração por parte de algum correspondente, os bancos são obrigados a aplicar sanções, caso contrário ficam sujeitos a multas que variam de R$ 45 mil a R$ 1 milhão, segundo a Febraban.

Fraudes

O aposentado ou pensionista deve também ficar atento a fraudes. No momento do cadastro, a plataforma do serviço “Não Perturbe” ressalta que não possui aplicativos para smartphones, não envia email com arquivos executáveis ou solicita dados pessoais ou bancários diretamente aos usuários.

As instituições financeiras que aderiram ao “Não Perturbe” dos bancos são: Agibank, Alfa, Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Banrisul, Barigui, Bradesco, BMG, BRB, Caixa, Cetelem, CCB, Daycoval, Estrela Mineira, Inter, Itaú, Mercantil, Pan, Paraná Banco, Safra, Santander, Sicredi e Votorantim.

Agência Brasil

Como fazer o Gboard voltar a funcionar no Android após reclamação de usuários que teclado deixou de funcionar

Foto: Reprodução

Usuários do Gboard para Android relatam que teclado deixou de funcionar. Veja algumas soluções para resolver esse problema!

O Gboard é um dos teclados virtuais mais utilizados nos celulares com o Android e o iOS (sistema do iPhone) devido a sua praticidade e quantidade de recursos. Por sua vez, quem está no sistema do Google o aplicativo pode ter tido uma surpresa desagradável após a sua última atualização.

Com diversos relatos feitos por usuários em redes sociais, devido a um bug, o teclado virtual passou a sumir dentro de aplicativos e até fez com que algumas pessoas não conseguissem desbloquear o Android. Se você se encontra nessa situação de não conseguir usar o Gboard, confira a seguir algumas opções para poder voltar a digitar em seu celular.

Importante

Esse bug do Gboard foi detectado por usuários, sendo que os relatos de problemas estão sendo postado nas redes sociais e nas avaliações da Google Play. Assim, também é preciso ressaltar que o bug não ocorre com todos os usuários do programa.

Corrigindo o problema do Gboard

Se você quer apenas corrigir o problema do Gboard sem ter que desinstalá-lo ou usando outro aplicativo, é necessário fazer um pequeno procedimento no sistema, que não lhe oferece riscos. Para isso, siga esses passos aqui.

Olhar Digital

Site polêmico volta a funcionar após ser bloqueado no Brasil

Serviço Mega oferece espaço de 50 GB para guardar arquivos online — Foto: Reprodução/TechTudo

A disputa entre a plataforma de arquivos na nuvem Mega e os provedores de internet Claro (dona da NET), Oi, Vivo e Algar ganha um novo capítulo. A empresa neozelandesa divulgou que o Tribunal de Justiça de São Paulo ordenou o desbloqueio do acesso ao serviço. Atualmente, clientes das quatro empresas encontram dificuldades para abrir documentos armazenados pela empresa.

O processo – que corre em segredo de Justiça – tem como plano de fundo queixas de que no Mega estariam salvos arquivos que infringem direitos autorais. Por conta disso, a Associação Brasileira de TV por Assinatura (ABTA) teria solicitado o bloqueio do portal e de outros nove endereços, o que originalmente foi aceito.

Nos autos, o Mega alega que a decisão fere o Marco Civil da Internet por tirar do ar um serviço sem que os responsáveis se manifestem. Também afirma que todo o conteúdo de origem duvidosa foi apagado da plataforma. Num dos trechos, ainda diz que a legislação não estabelece bloqueio “ilimitado” do acesso a páginas online.

Em entrevista exclusiva, o diretor Stephen Hall contou que só ficou sabendo da proibição quando as pessoas começaram a reclamar que não conseguiam acessar os arquivos de trabalho e particulares. O Mega estima ter 20 milhões de usuários no país.

O TechTudo procurou as teles para que se manifestassem quando surgiu a primeira notícia sobre o caso. Na ocasião, todas optaram por não comentar e apenas disseram que seguiriam a decisão da Justiça. A exceção foi a Oi por alegar não ter banimento em curso.

A alegação da ABTA, em síntese, é de que os sites em questão “violariam direitos autorais e de propriedade industrial dos seus associados, além de praticarem concorrência desleal, na medida em que possibilitariam o acesso gratuito a toda a programação comercializada e veiculada por canais de TV por assinatura”.

Em 30 de setembro, a associação transmitiu a seguinte nota: “Os processos relacionados a sites com conteúdos irregulares tramitam em segredo de Justiça. Por esta razão, não podemos comentar a respeito”.

O relator Maurício Pessoa ressalta na peça mais recente que “a atividade lícita da agravante [Mega] está comprometida e, consequentemente, o direito de propriedade dos usuários que com ela contrataram, na medida em que os respectivos conteúdos dos quais são titulares estão inacessíveis”.

Com mais este movimento, a expectativa é de que Claro/NET, Oi, Vivo e Algar voltem a permitir que os usuários acessem o endereço mega.nz.

Site polêmico

Kim Dotcom, o lendário criador do Megaupload, chegou a ser preso — Foto: Divulgação/Kim Dotcom

Não é de hoje que a plataforma Mega se insere em polêmicas. O antecessor Megaupload foi questionado por entidades de diversos países durante anos. O fundador Kim Dotcom chegou a ser preso a pedido do FBI, a polícia federal dos Estados Unidos.

O funcionamento do serviço foi interrompido após uma decisão judicial estrangeira. O Mega foi criado como um sucessor. A plataforma aposta fortemente na criptografia de dados para que internautas enviem e baixe arquivos de maneira segura. A privacidade é tida como um dos pilares da nova empresa.

G1, com Techtudo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Alaca disse:

    Polêmico só aqui, o resto do mundo usa como backup. A culpa não é do site, são dos que pirateiam.

Atenção! WhatsApp vai parar de funcionar em smartphones antigos

Foto: Reprodução/Olhar Digital

A partir de 1º de fevereiro de 2020, app deixará de funcionar em aparelhos com Android 2.3.3 ou iOS 8, versões antigas dos sistemas móveis

Se você não larga do WhatsApp e tem um smartphone antigo, rodando o iOS 8 ou o Android 2.3, preste atenção: em breve seu aparelho não será mais capaz de rodar o app.

Segundo a página de suporte do WhatsApp, o aplicativo agora exige o iOS 9 ou superior. Quem tem aparelhos com o iOS 8 ainda consegue usar o app, mas não será capaz de criar novas contas ou verificar contas já existentes. Entretanto, em 1º de Fevereiro de 2020 o app deixará de funcionar completamente nesta versão do sistema.

Já entre os Android, quem tem um aparelho com o Android 2.3.3 a 2.3.7 está na mesma situação: já não pode criar novas contas ou verificar contas antigas, e em 1º de Fevereiro de 2020 perderá acesso ao app.

A sugestão do WhatsApp para quem tem um aparelho com estas versões do sistema é trocar para um modelo mais novo. E antes que alguém reclame que isso é “injusto”, vale notar que o Android 2.3.3 é de 2011, o iOS 8 de 2014, e ambos os sistemas já foram abandonados há muito tempo até por seus criadores. Quem fizer um upgrade, mesmo que opte pelos smartphones mais básicos atualmente no mercado, só tem a ganhar.

Olhar Digital

Anac autoriza britânica Virgin Atlantic a funcionar no Brasil

Foto: Reprodução

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorizou a companhia aérea britânica Virgin Atlantic Airways Limited a funcionar no Brasil para “operar serviço de transporte aéreo internacional regular de passageiro, carga e mala postal”. O aval está formalizado no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira, 22.

Nesta semana, a empresa informou que a partir do próximo ano terá voos diretos entre São Paulo e Londres. Segundo a companhia, será uma rota diária que ligará Heathrow, o maior aeroporto do Reino Unido, em Londres, a Guarulhos.

Além do voo, a Virgin Holidays, uma empresa do mesmo grupo especializada em lazer, também vai oferecer serviços de turismo para o Brasil.

A empresa pretende lançar pela primeira vez viagens no País, com destinos como o das Cataratas do Iguaçu e o da floresta amazônica, considerados “facilmente acessíveis” a partir de São Paulo.

“Os turistas também podem se conectar a atrações icônicas, como o Rio de Janeiro e as belas praias de Santa Catarina”, disse a empresa no comunicado.

A chegada da Virgin ao Brasil ocorre na esteira de outras empresas de baixo custo, como a Norwegian, que iniciará voos entre Londres e o Rio ainda este mês. Cada trecho sairá por cerca de R$ 1 mil.

A operação da Virgin Atlantic será feita por meio de uma aeronave Boeing 787 Dreamliner. Conforme a companhia, o objetivo é que o novo serviço aproveite a retomada da economia brasileira. As vendas de passagens começam ainda em 2019.

Estadão