Jogadores do Flamengo vão ao Ninho do Urubu após 65 dias para exames e são informados de protocolos para volta

Última visita dos jogadores ao CT tinha acontecido no dia 14 de março — Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

Sessenta e cinco dias depois, os jogadores do Flamengo estão de volta ao Ninho do Urubu.

A partir das 9h desta segunda-feira, o elenco começou a chegar no centro de treinamento para realização de exames de Covid-19 e para serem informados dos protocolos para volta das atividades. O clube deseja voltar aos trabalhos ainda nesta semana.

Qualquer decisão só acontecerá após os resultados dos testes de atletas e comissão técnica. As 38 pessoas que testaram positivo há duas semanas também foram examinadas. O Flamengo, por sua vez, intensifica as conversas com as autoridades públicas por um aval para retomar as atividades.

Apesar dos decretos de quarentena até o fim do mês, o clube sente uma flexibilização maior no diálogo com o governo do estado, enquanto a prefeitura se mostra mais rígida. Judicialmente, no entanto, a diretoria entende que não há infração caso volte com os treinamentos.

Funcionários realizaram o segundo exame na sexta-feira. Jogadores e a comissão técnica portuguesa, encabeçada por Jorge Jesus, fazem o teste sorológico nesta segunda.

A última atividade do elenco no CT tinha acontecido no dia 14 de março, véspera da partida contra a Portuguesa, pela Taça Rio. A coleta para o primeiro exame foi realizada em casa.

Na visita ao Ninho, os jogadores tomaram conhecimento das adaptações realizadas no local para volta aos treinos e já experimentaram protocolos. O Flamengo prepara o terreno para retomada.

Globo Esporte

 

Portugal tem volta às aulas parcial nesta segunda-feira, com medidas de proteção e distanciamento

Lisboa, 14 de maio: mulher usando máscara facial caminha pelo centro da cidade — Foto: Rafael Marchante/Reuters

Cerca de 200 mil estudantes de Portugal dos últimos dois anos do ensino médio (16 e 17 anos), retornarão às aulas nesta segunda-feira (18). Eles deverão seguir uma série de medidas de proteção, como o uso obrigatório de máscaras, lavagem das mãos ao entrar e sair da escola, e a reorganização de horários e espaços para garantir a distância entre os alunos, informou a agência EFE.

Os jardins de infância também serão reabertos, mas durante as duas primeiras semanas, os pais que optarem por manter as crianças em casa seguirão recebendo auxílio financeiro do governo. Os demais estudantes seguirão com as aulas a distância, através de plataformas virtuais e televisão.

Para minimizar o contato, os alunos serão organizados em grupos que terão horários de aula, intervalos e períodos de alimentação próprios. A entrada e saída de cada grupo também será organizada para que haja o mínimo contato possível.

As medidas são uma tentativa de evitar que os grupos se cruzem e, com isso, aumentam a chance da circulação do novo coronavírus.

Nas salas de aulas, foi estabelecido uma distância de pelo menos 1,5 metro entre os alunos para que as mesas fiquem o mais afastadas possível.

Com essas medidas, Portugal espera minimizar o risco de contágio para milhares de estudantes que estudam o que o governo considera “anos decisivos” para o acesso ao ensino superior e sua entrada na vida ativa.

Máscaras e desinfetantes nas escolas

Nas últimas semanas, as escolas portuguesas estão se preparando para o retorno às aulas: as Forças Armadas distribuíram mais de 4 milhões de máscaras, 17 mil litros de desinfetantes e outros equipamentos de proteção e higiene para centros educacionais.

“Isso servirá para treinar para o próximo ano letivo, no qual teremos que conviver com o Covid-19”, disse o primeiro-ministro português, António Costa, na sexta-feira passada.

Afrouxamento de medidas em outros setores

O retorno às aulas faz parte da segunda fase de afrouxamento das medidas de restrição em Portugal, que começa nesta segunda-feira.

Elas incluem a liberação de visitas em Casas de Repouso, com restrições: uma visita semanal de no máximo 90 minutos, por uma única pessoa, com máscara e medidas de higiene.

Também serão reabertos restaurantes e cafés, com uma limitação de capacidade de 50%; terraços; e lojas de até 400 metros quadrados com acesso direto à rua (até agora apenas as de menos de 200 metros estavam abertas).

Museus e monumentos; escolas de direção; escritórios de inspeção de veículos; e acampamentos também serão reabertos.

Para a próxima fase, que será avaliada em 15 dias e começará em 1º de junho, está prevista a abertura de lojas, cinemas e salas de exibição com limitações de capacidade e a falta parcial de confinamento do teletrabalho.

G1

 

MEC prorroga por mais 30 dias a volta das aulas presenciais no ensino superior

Foto: Arquivo/Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O Ministério da Educação (MEC) prorrogou por mais 30 dias o prazo para a volta das aulas presenciais nas instituições de ensino superior, em publicação no Diário Oficial da União desta quarta-feira (13), assinada pelo ministro Abraham Weintraub. A decisão, motivada pela pandemia do novo coronavírus, passa a valer a partir desta sexta-feira (15). Diante disso, universidades federais e Ifs estão com aulas suspensas até 15 de junho.

A suspensão das aulas presenciais e autorização da substituição por aulas em meios digitais foram decretadas no dia 17 de março, inicialmente por apenas 30 dias.

Desde então, este é o segundo adiamento do prazo. No dia 15 de abril, em decorrência do agravamento da crise sanitária no Brasil, o MEC publicou uma portaria adiando o retorno do ensino presencial.

O novo prazo também é prorrogável, “a depender de orientação do Ministério da Saúde e dos órgãos de saúde estaduais, municipais e distrital”.

Jornal do Commercio

Real Madrid volta a treinar, e jornal diz que clube disputará seus jogos em CT até retorno do público

Fotos: Divulgação/Real Madrid

Três dias depois do Barcelona voltar a trabalhar, nesta segunda-feira foi a vez do Real Madrid retomar os treinamentos em meio à pandemia do novo coronavírus. Após uma rodada de testes na última semana, sem resultados positivos, os atletas merengues foram ao CT de Valdebebas pela manhã para realizar atividades de forma isolada. E, de acordo com o jornal “As”, um mini-estádio no centro de treinamento deve se tornar o palco dos jogos do clube nos próximos meses.

A publicação indica que a diretoria do Real tomou a decisão de não voltar a utilizar o Santiago Bernabéu enquanto não for liberada a presença de público nas partidas – o que pode acontecer apenas no ano que vem. Desta forma, os jogos restantes da temporada 2019/20, assim como os primeiros de 2020/21, devem ser realizados no moderno CT em Madri.

O Real Madrid aproveitaria o momento para avançar nas esperadas obras de modernização de seu estádio, o que poderia diminuir o prazo para conclusão da reforma e ainda diminuir os custos. O clube devolveria aos compradores de carnês de temporada o dinheiro relativo às seis partidas restantes como mandante no Campeonato Espanhol.

A liga já teria dado autorização para que o Real receba seus jogos no mini-estádio Di Stéfano, dentro do complexo de Valdebebas. Para isso, o clube teria investido em uma melhor iluminação, além de placas de publicidade e equipamentos exigidos para o uso do VAR. O campo já era utilizado pelo Real Madrid B, o Castilla, nas partidas da terceira divisão.

Enquanto não há data para a realização dos jogos, o CT voltou a ter os atletas circulando pelas instalações desde a semana passada, quando o elenco passou pelos testes para a Covid-19. Nesta segunda, os jogadores se apresentaram desde o início da manhã para realizar trabalhos no campo, mas de forma separada. Assim será até o fim desta semana, como manda o protocolo determinado por La Liga.

Após a fase 1 de retomada dos treinos, na próxima semana começa a fase 2, na qual os jogadores poderão realizar atividades em conjunto, divididos em pequenos grupos de seis. Após mais uma semana trabalhando desta forma, terá início a fase 3, com grupos maiores. Por mim, caso os planos não sejam atrapalhados por possíveis testes positivos, o time poderá fazer treinamentos coletivos.

Globo Esporte

Flamengo, Vasco e FERJ assinam nota pedindo o retorno das atividades; Fluminense e Botafogo ficam de fora

Da esquerda para direita: Rubens Lopes, presidente da Ferj, Alexandre Campello, do Vasco, Nelson Mufarrej, do Botafogo, Mário Bittencourt, do Fluminense, e Rodolfo Landim, do Flamengo Foto: MARCELO THEOBALD / Agência O Globo

A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ) divulgou nesta sexta-feira uma nota de esclarecimento com times da primeira e segunda divisão pedindo o retorno das atividades em meio à pandemia do coronavírus. Os presidentes de Vasco e Flamengo assinaram o documento, enquanto Fluminense e Botafogo deixaram em branco.

No texto, federação e os clubes signatários argumentam que estão prontos para reiniciar os treinamentos “de forma responsável, restrita, reduzida, sob vigilância, sem aglomerações ou presença de público e em obediência a um rigoroso protocolo médico”.

Presidente do Botafogo, Nelson Mufarrej disse que o posicionamento do clube é uma questão de coerência e o futebol pode esperar:

– Estamos próximos ao pico da pandemia, com o sistema público de saúde perto da asfixia e o que mais se fala é em lockdown. O retorno tem que ser orgânico. Respeito a atitude dos demais clubes, mas entendemos ser a hora de preservar a saúde de todos e por isso não assinamos.

O Fluminense divulgou nota oficial explicando o motivo de não ter assinado a carta:

“O clube acredita que não é o momento do futebol brasileiro dar qualquer sinalização de retorno do esporte quando o país inteiro, particularmente o Rio de Janeiro, está com extrema dificuldade de fazer a população cumprir o isolamento social necessário para reduzir o número de contaminações e mortes por conta do Covid-19, e cidades inteiras começam a anunciar medidas ainda mais severas, como o lockdown.

O Fluminense reforça que a sua posição, desde o início da pandemia, é de só retornar aos treinos presenciais quando os órgãos governamentais e de saúde derem o aval para o retorno em segurança de todos os funcionários envolvidos nestas atividades.”

A nota ressalta o desejo de retornarem o mais breve possível, e que os clubes estão “preparados para reiniciar suas atividades em poucos dias”.

Portuguesa, Cabofriense, Bangu, Boavista, Friburguense, Macaé, Madureira, Nova Iguaçu, Resende e Volta Redonda também assinaram a nota submetida aos governantes.

O Globo

FNF marca reunião com clubes para definir volta aos treinos

Foto: Divulgação

O presidente da Federação Norte-rio-grandense de Futebol, José Vanildo da Silva, participou de vídeo reunião com a cúpula da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a maior parte dos presidentes das outras federações do Brasil.

Na CBF, estavam o presidente da entidade, Rogério Caboclo e o secretário-geral, Walter Feldmann, que orientaram que os treinos visando a volta dos Estaduais sejam retomados, respeitando as autoridades sanitárias  de cada estado.

José Vanildo fez um balanço da vídeo reunião. “A orientação e o entendimento comum é que deve-se entrar em contato com os Governos Estaduais e expor a necessidade da retomada das partidas de futebol, dentro das devidas recomendações sanitárias, como jogos de portões fechados e seguindo aquelas recomendações que foram expostas no Plano de Ação que enviamos para os cubes”, informou o dirigente.

O presidente lembrou ainda que existe o Decreto do Governo do Rio Grande do Norte que mantém restrições até o próximo dia 5 de maio. “Logicamente que o decreto será respeitado, deve ser respeitado. Mas vamos marcar uma reunião para a próxima quinta-feira (30) com os oito clubes da Série A1, com um representante de cada clube guardando os cuidados necessários. Será uma reunião fechada apenas com um representante de cada clube”.

A CBF entende que é necessário que os Estaduais sejam retomados para garantir participações em competições de âmbito nacional.

Ainda não existe data para a retomada dos jogos oficiais, o primeiro passo será definir a volta dos treinos e as atividades dos clubes de futebol.

Com FNF

Casos de coronavírus mais que dobram em Blumenau-SC após volta do comércio

Foto: Reprodução

O número de casos de Covid-19 em Blumenau, no Vale do Itajaí, mais do que dobrou desde a reabertura do comércio na cidade, em 13 de abril. Naquela data, eram 68 pacientes infectados, contra 177 na terça-feira (28), segundo o governo de Santa Catarina — um crescimento de 160%.

A reabertura do comércio foi autorizada pela prefeitura, na ocasião, após um decreto estadual que permitiu a reabertura mediante algumas regras, entre elas a proibição de provas das mercadorias e a obrigação de uso de máscaras pelos funcionários.

O município não registrou mortes em decorrência da infecção. Em todo estado, eram 1.995 as pessoas com casos confirmados de coronavírus, com 44 óbitos, segundo balanço de terça-feira (28).

A Prefeitura de Blumenau atribuiu a alta à volta do comércio e à quantidade maior de testes realizados. Os testes inicialmente eram feitos em pacientes internados; depois, pessoas com sintomas de resfriado também passaram a ser submetidas à testagem. Não foi informada a quantidade de pessoas testadas desde a reabertura do comércio. A ampliação de testes começou há cerca de uma semana.

“Podemos dizer que existe uma relação entre a abertura do isolamento e o aumento de casos positivos. Além disso, [há] o fato de estarmos testando mais pessoas”, disse Winnetou Krambecko, secretário da Secretaria de Promoção da Saúde (Semus).

Também por meio de nota, o governo do Estado de Santa Catarina informou que o aumento “faz parte de um movimento esperado da doença diante da disseminação do vírus e da ampliação da testagem”.

Aglomerações

Na quarta (22), quando foi autorizado o funcionamento de shoppings e afins, um dos estabelecimentos chegou a ter aglomeração de pessoas por causa da reabertura e depois acabou notificado pela Justiça e Vigilância Sanitária. O município, porém, diz não ser possível associar o aumento à volta desses espaços em razão do curto espaço de tempo verificado desde então — menos de uma semana.

No domingo (26), moradores flagraram situação semelhante em um food park da cidade. Apesar de ficar em local aberto, havia pessoas aglomeradas e sem máscara, item que é obrigatório em Santa Catarina. A prefeitura também notificou o estabelecimento.

O prefeito de Blumenau, Mário Hildebrandt, lamentou os dois episódios e reforçou a necessidade de as pessoas saírem de casa somente em caso de extrema necessidade.

“Cada vez que as pessoas se colocam nessa situação, não colocam só sua vida em risco, mas as de outros, de levar para dentro de casa. Participamos e ajudamos no processo de fiscalização, mas cabe a cada cidadão avaliar qual o risco está trazendo para nossa vida e de nossos familiares”, disse.

Santa Catarina decretou situação de emergência e começou a quarentena em 17 de março. Os primeiros casos de coronavírus em Blumenau, sendo seis, foram contabilizados em 22 de março. Com o passar das semanas, foram ocorrendo flexibilizações, apesar da continuidade das orientações de isolamento social e ainda suspensão de alguns serviços, como o transporte coletivo e aulas.

O comércio de rua reabriu em 13 de abril, acompanhando o decreto estadual que permitiu a abertura de lojas seguindo uma série de regras, entre elas a proibição de provas das mercadorias, e o uso de máscaras pelos funcionários. Dias depois, a prefeitura, assim como em outras cidades catarinenses, tornou o uso de máscaras obrigatório por todos os moradores.

No dia da reabertura do comércio de rua, Blumenau tinha 68 casos de coronavírus. Quando os shoppings reabriram, eram 81. No sábado (25), esse número subiu para 90 casos e, no domingo, para 100. Na segunda-feira (27), crescimento de 59%, passando para 159 notificações.

Em Santa Catarina a primeira confirmação de pacientes diagnosticados com Covid-19 foi em 12 de março, segundo o Governo do Estado, com dois casos em Florianópolis. Em 22 de março o número de cidades com confirmação da doença subiu de 15 para 18 e Blumenau entrou na lista do Estado de municípios com a doença.

Desde então, o número de casos da doença sobe em Santa Catarina, chegando a 1.476 na segunda-feira (27) – como mostra o gráfico abaixo. Na noite de terça-feira (28) o Governo atualizou os números e Santa Catarina tem 1.995 casos de coronavírus em 120 cidades. Entre as confirmações estão o diagnóstico de 44 pessoas que morreram com a doença.

Sem causa exata

O professor João Gurgel, coordenador do Comitê Covid-19 da Universidade Regional de Blumenau (Furb), pesquisador na área de Saúde Coletiva e integrante de uma comissão integrada da prefeitura que acompanha a pandemia, diz que não é possível atribuir uma causa exata ao aumento dos casos.

“Mas é importante dizer que as medidas de relaxamento acabam promovendo comportamento de massa e comportamento de massa precisa ser acompanhado, monitorado e não responde muito bem exatamente com a velocidade que a gente trabalha. Junto com o relaxamento vieram normativas, é um grande desafio orientar para que o comportamento seja seguro”, disse.

Segundo ele, a comissão que integra pesquisadores da universidade, profissionais da saúde e prefeitura tem avaliado e estudado a situação, assim como o crescimento do número de casos, e considera, além das medidas de relaxamento, que o aumento de testes tem contribuído.

“O aumento no fim de semana foi exponencial, foi maior, mas a gente precisa acompanhar a curva. A gente precisa olhar isso, ver se essa curva tende à normalidade, o que vai acontecer com os dados e também investigar para saber que fatores estavam acontecendo naquele momento que influenciou a curva, vai precisar de um estudo mais aprofundado. […] Todos os fatores precisam ser avaliados, tudo vai influenciar, o próprio diagnóstico e contagem de casos é fundamental, muda totalmente o comportamento da curva”, afirmou.

Máscaras e demais precauções

Por decreto, desde o dia 20 de abril, os moradores de Blumenau devem usar máscaras faciais, seja na rua ou ao entrar e estabelecimentos (veja no vídeo acima). A Prefeitura e o especialista em Saúde alertam, no entanto, que além de usar a máscaras, as demais precauções devem ser mantidas, entre elas a higienização constante das mãos e o isolamento e distanciamento social.

“As pessoas estão usando a máscara caseira. O problema é que isso pode trazer uma falsa segurança para as pessoas. A máscara não dá segurança absoluta. ela deve ser usada, mas dentro de critérios muito restritos, tem que ser bem manuseada, pra usar, lavar, e você você não vai poder retornar à situação de aglomeração, vai precisar continua seguindo as regras de isolamento. É muito importante só sair na rua quando for necessário”, alerta Gurgel.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carlão disse:

    Blumenau rumo de se tornar Manaus.

  2. Joca disse:

    Teve uma pessoa que comentou sobre reservas cambiais, que o PT tinha roubado…, Meu caro se você não se informa adequadamente fala besteira, quando Dilma saiu do Governo, existiam 372 bilhões de dólares em reservas, vá pesquisar para não falar besteira.

  3. Cesar Bomone disse:

    Infelizmente esse país não tem recursos financeiros para manter TODOS EM CASA. As reservas que o país poderia ter acumulado para um momento como esse os governos PETISTAS preferiram gastar com Copa do Mundo e Olimpíadas.

  4. luiz disse:

    No RN, no dia 13/04 haviam 376 casos.
    Sem medidas de relaxamento nem abertura do comércio, em 28/04 são 1086 casos.
    Um aumento de 188%

    • Luciano disse:

      Viva Blumenau que abriu o comércio e o número de casos aumentou menos que o RN, onde o comércio não foi reaberto.

    • Manoel disse:

      Luciano nao mente q é eleitor do asno. Blumenau tem 1/3 da população de Natal. Muummmm!

  5. Carlão disse:

    Vai dar bom, já deu bom… canção da atitude.

  6. Sérgio Nogueira disse:

    É preciso cautela ao tentar unir as duas pontas da história.
    Como é possível dizer que os casos confirmados já não estavam contaminados qdo da abertura do shopping?
    As pessoas que foram ao shopping foram testadas e elas incrementaram esse dado e apenas elas?
    Como dizer que esse incremento não veio de algum represamento desfeito de testes?
    Não é raro jornalista ter a solução para tudo e menos ainda a explicação, mas para quem pensa, é importante não se contaminar com essas manias.

  7. Jeffrerson disse:

    E pra abrir tudo,pelo menos assim vai morrer um monte de gente ruim,ou nação sem futuro.

  8. Ojuara disse:

    Ou seja,.já sabem o que nos espera.

  9. Mito disse:

    Tem que voltar mesmo. Ao sair de casa use sua mascara. O governo estadual só quer uma coisa, extorquir dinheiro do Governo Federal. Fico impressionado com o Poder Judiciário do nosso estado é omisso e deixa essa irresponsável quebrar o estado sem tomarem nenhuma atitude. Enquanto isso o stf quer governar o Brasil.

    • Papa Jerry Moon disse:

      O Outros poderes tem mesmo que governar enquanto Mourão não assume. Bolsinho já não manda nada. Está de saída.

    • Anti-Político de Estimação disse:

      Muita contradição : quer que o Poder Judiciário do Estado governe o RN mas não quer que o STF dê um piu sobre as loucuras do nosso Presidente.
      Vamos pensar no que é melhor para nós e nossas famílias e não no que é melhor para esses políticos canalhas que estão pouco se lixando para nada !!

  10. Ricardo disse:

    Lá os bares ainda estão lotados. Galera não tá botando fé no potencial destruidor do vírus.

  11. Ricardo disse:

    Ou msis gente saiu pra ser testada? Cuidado com conclusões apressadas.

Abertura gradativa e planejada, setor por setor, é o trunfo do Governo Federal para o País iniciar volta da normalidade em maio

Foto: Agência Brasil

Setor por setor, semana por semana, em horários controlados. A abertura gradativa e planejada é o trunfo do Governo Federal para o País voltar à normalidade em maio, mesmo diante do acalorado debate popular sobre o ‘fica em casa’ ou ‘sai pra rua’, e as medidas de prevenção baseadas na ciência.

Conforme a Coluna antecipou na quarta-feira, maio é o mês que será o teste para o presidente Jair Bolsonaro colocar o país de volta no rumo, mesmo devagar. Mas o compromisso é mútuo – a população será cobrada a fazer sua parte, com foco no distanciamento pessoal, uso de máscaras e práticas de higiene, além de evitar festas e aglomerações.

Coluna Esplanada

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Santos disse:

    Trunfo? Pelo presidente estaríamos num caos total na economia e na saúde desde o dia 24/03, ao invés da crise vir em duas ondas, teria ocorrido uma Tsuname de uma vez só. Se não tivesse sido tão irresponsável, certamente os números estariam ainda melhores, e logo estariamos voltando a normalidade, mas esse camarada procura tensionar e dá no que está, governadores tendo que prorrogar as medidas pq infelizmente, esse presidente, que tem todo o aparato médico nos melhores hospitais do Brasil a sua disposição pago por tds nós,
    irresponsavemente mobiliza uma massa, incita o enfrentamento as medidas que são péssimas, porém necessarias, como o mundo está mostrando.

  2. Alvaro Pinheiro de Souza disse:

    Uma coisa é certa, seja hoje, daqui a 10 dias, com 30 dias ou dois meses a mais, quando sairmos o vírus estará no ar. Ele não vai desaparecer, sumir numa determinada data.
    O mundo todo, até Itália, Espanha e China estão voltando a abrir seus comércios.
    A solução não pode ser radicalizada em nenhum sentido. O isolamento total não é a saída, nem abrir tudo será.
    Não pode ser uma solução linear, cada região com suas medidas, dentro de suas características.
    Tem que existir moderação e cuidados, mas voltar a vida é preciso e urgente.

    As lojas devem tomar medidas preventivas, como trabalhar com máscara, ter álcool disponível e sabonete líquido nos banheiros. Revezar os funcionários, metade trabalha 04 horas a outra metade outras 04 horas.
    Procurar manter distância e evitar aglomerações.
    Se o país não voltar a movimentar a economia vai morrer mais gente por outros problemas e questões do que pelo vírus.
    Que jogos de tenham público reduzido e torcida com as pessoas separadas, uma a cada 2 metros da outra, ou, jogos sem público até final de maio.
    85% dos municípios não foram atingidos.
    A pior saída ou medida, é ficar explorando politicamente a solução, todos vão perder, principalmente o povo.
    Não pode mais manter esse isolamento horizontal é no mínimo irresponsável.

    • RICARDO LÚCIDO disse:

      Sr Álvaro entendo perfeitamente a linha de raciocínio do seu comentário , permita-me no entanto discordar de alguns pontos . Vamos lá . O Brasil é um país de dimensões continentais e principalmente um país de grandes diferenças e desigualdades , comparar com a Itália , Espanha e Estados Unidos não é pertinente tanto pela estrutura como pelo nível de conscientização da população . O exemplo da China , que até pela por condição política e logística , foi de isolar totalmente uma cidade de 4 milhões de habitantes e foi a forma de frear a disseminação . Quando vc libera para determinadas atividades a tendência é de alastramento sem controle da doença . É fácil entender , imaginemos que 1% dos idosos precisem de um leito de uti ou de enfermaria semi intensiva . Só esse número colapsará todo o sistema . Não temos estruturas para isso . Manaus tem hoje uma realidade cruel e infelizmente , essa é a tendência de muitas cidades de grande e médio porte . A situação já é dramática e tende a piorar muito se não houver um posicionamento firme , baseado nas experiências de outros países e dos órgãos de controle internacionais e nacionais . Milão tentou e o próprio prefeito pediu desculpas públicas pelo ato , de afrouxamento do isolamento . Concordo que é uma decisão difícil , mas na minha opinião necessária pelo menos pelos próximos 15 dias no mínimo . Vai ser sofrido para a economia ? Vão morrer muitos Brasileiros ? É o que se desenha . Duvido que algum ministro tenha coragem de tomar uma atitude diferente do isolamento horizontal nesse momento . O cenário é nebuloso , estamos diante do maior desafio da nossa história . Estejamos preparados para encarar uma guerra e que essa lição sirva para um Brasil melhor no futuro .

  3. Rafael disse:

    E tem gente tratando a crise economica apenas como uma "gripezinha".

  4. André Pinto disse:

    Isso é um absurdo. Pensei que com a saída do Mandetta já poderíamos ir trabalhar.

    Vai ficar do mesmo jeito?

    Sendo assim, vejo que a demissão foi só politicagem do mito…

    Quero trabalhar… meu nome é trabalho…

  5. Cidadão Indignado disse:

    Ninguém comprando nada! Vai ficar do mesmo jeito! Eu é que não vou sair para ganhar grátis uma "gripezinha" dessas. Não tem vagas suficientes de hospícios pra internar tantos loucos nesse Brasil.

    • Neco disse:

      Se torne autossuficiente em comida, medicamentos água, eletricidade e gás.
      E deixe quem não podefazer isso tocar a vida. Se tranque num bunker até que a cura apareça.

    • JR Laranjeiras disse:

      Quem danado em sã consciência vai sair por aí a comprar, passear …povo doido, nam

  6. Cabo Silva disse:

    Ãham…

FOTOS: Bayern de Munique volta aos treinos com distanciamento social entre jogadores

Foto: REUTERS/Andreas Gebert

Os clubes alemães da primeira divisão foram autorizados oficialmente pela Bundesliga a retornar aos treinamentos nesta segunda-feira, com alguns optando, entre eles o atual heptacampeão nacional Bayern de Munique, por exercitar seus jogadores separados em pequenos grupos. Tudo para seguir as medidas rigorosas para conter a disseminação do novo coronavírus, enquanto o futebol no país segue suspenso há quase um mês. A Liga Alemã de Futebol (DFL) disse que a proibição permanecerá em vigor para as principais divisões pelo menos até 30 de abril.

Os clubes receberam orientações de como retomar o treinamento, e o Bayern de Munique foi bem claro na sua estratégia para minimizar o risco de infecção entre os jogadores.

– Obviamente todas as diretrizes de saúde estão sendo seguidas, e o treinamento está fechado ao público – diz o comunicado do clube bávaro, com uma orientação especial aos torcedores:

“O Bayern está pedindo aos fãs que continuem seguindo as orientações e, por favor, não venham ao centro de treinamento da equipe”

O Paderborn também treinou em pequenos grupos. O técnico Steffen Baumgart comemorou a volta às atividades.

– É importante que os jogadores voltem a tocar na bola. É por isso que criamos as sessões de treinamento de forma que as atividades com a bola sejam o foco – disse Baumgart, afirmando que as sessões de musculação e condicionamento físico serão realizadas individualmente.

Neuer, Ulreich, Früchtl e preparador de goleiros na retomada de atividades do Bayern de Munique em seu centro de treinamento — Foto: REUTERS/Andreas Gebert

Outros clubes tinham retomado os treinamentos antes mesmo desta segunda-feira. Na quinta passada, o Schalke 04 reuniu de novo seus jogadores, respeitando o distanciamento social nas atividades. No dia seguinte, foi a vez de o Eintracht Frankfurt.

Em isolamento social, a Alemanha passou de 100 mil infectados pelo novo coronavírus no fim de semana passado. São 1.600 mortos com testes positivos para o Covid-19.

A interrupção no calendário também teve grandes efeitos financeiros nos clubes. Há duas semanas, o Borussia Dortmund, o Bayern, o RB Leipzig e o Bayer Leverkusen se uniram para criar um fundo de solidariedade de € 20 milhões (cerca de R$ 115 milhões) para ajudar os clubes com menos recursos financeiros das duas primeiras divisões. O clube aurinegro também cedeu parte do estádio Signal Iduna Park para o tratamento de casos suspeitos do coronavírus.

Globo Esporte

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rogerio disse:

    Só os bestas e otários alienados acreditam na Globosta. só não vê quem não quer que isso foi transformado para derrubar o Presidente Eleito, só não contavam que quanto mais batem nele, CRESCE sua credibilidade. SE NÃO tem como falar em CORRUPÇÃO no governo de um cabra macho, se inventa de tudo. Comunismo nunca.

  2. Abelão disse:

    Aqui no Brasil, se depender da mídia e do Mandeta, os trabalhadores, os jogadores de futebol, volta trabalhar lá pra meados de 2021.
    Da lhe Mito!!
    Cabeças sem duvidas nenhuma vão rolar.
    Aguardem!!

  3. Desapontado disse:

    Os times daqui devem voltar em 2021. Isso se a governadora ou a justiça não postergarem para 2022. País rico que pode permanecer parado é outra coisa.

Pau dos Ferros volta a ser abastecida pela barragem

Foto: Ilustrativa

A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) inicia nesta sexta-feira (3) os testes para a retomada do abastecimento de Pau dos Ferros a partir da barragem da cidade. Desde setembro do ano passado, Pau dos Ferros vinha sendo abastecida pela adutora de engate rápido, em sistema de rodízio. Como o abastecimento era feito em caráter emergencial, com vazão baixa, a oferta de água era reduzida.

A tomada de água na Barragem de Pau dos Ferros com as últimas chuvas viabilizou o reinício do abastecimento. O sistema vai trabalhar com uma vazão de 230 a 250 metros cúbicos por hora, permitindo melhor atendimento à população. De acordo com o boletim volumétrico do Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), desta quinta-feira (02), o reservatório se encontra com 24,2 % da sua capacidade (13.271.498 m³).

Segundo Odair Rêgo, Gerente da Regional Alto Oeste da Caern, a previsão é que, após os testes, seja possível retomar o abastecimento através da barragem, o que possibilitará a melhoria da distribuição de água para a população. A perspectiva é abastecer por mais tempo a cidade, que é dividida em três setores. No novo sistema, cada setor passa a receber água por cinco dias, em média, ficando com o fornecimento parado por dois períodos iguais, para que os outros setores recebam água.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ronaldo disse:

    Ótima notícia em tempo de pandemia.

  2. Firmino disse:

    Excelente notícia!!!

OMS volta a reforçar isolamento social e necessidade de testes

Foto: © Reuters/Denis Balibouse/ Direitos Reservados

O diretor-executivo da Organização Mundial de Saúde (OMS), Michael Ryan, afirmou nesta segunda-feira (30) que a transmissão do novo coronavírus em várias partes do mundo está “passando das ruas” para “dentro das famílias”. A entidade reforçou a necessidade de isolamento social nos países que têm transmissão comunitária e da realização de testes para todos os casos suspeitos.

Ryan alertou que é preciso frear a velocidade das novas infecções “isolando e testando cada suspeito, e colocando em quarentena todos os casos”. Segundo ele, também é necessário que todos aqueles que tiveram contato com os infectados fiquem em quarentena em casa.

A OMS alertou, ainda, para o crescimento de mortes evitáveis nos sistemas de saúde que foram atingidos pela pandemia do coronavírus.

A organização tem pedido, desde fevereiro, que os países afetados pela Covid-19 testem todos os suspeitos e adotem medidas de isolamento social para ganhar tempo e fortalecer seus respectivos sistemas de saúde.

Garantia de bem-estar de quem perdeu renda

O diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, ressaltou que, mesmo com as medidas de isolamento, os “governos precisam garantir o bem-estar das pessoas que perderam sua renda e precisam desesperadamente de comida, saneamento e outros serviços essenciais”.

Ghebreyesus também pediu que “os governos mantenham seu povo informado sobre a duração prevista das medidas e forneçam apoio a idosos, refugiados e outros grupos vulneráveis.”

Aumento das mortes evitáveis

O diretor-geral também alertou nesta segunda que a Covid-19 está afetando todo o sistema de saúde e os doentes que dependem dele. “Surtos anteriores demonstraram que, quando os sistemas de saúde são sobrecarregados, as mortes devido a condições evitáveis e tratáveis pela vacina aumentam drasticamente.”

Tedros pediu que os países continuem campanhas de vacinação, serviços de pré-natal e atendimentos da saúde da família.

“Mesmo estando em meio a uma crise, os serviços essenciais de saúde devem continuar. Os bebês ainda estão nascendo, as vacinas ainda precisam ser entregues e as pessoas ainda precisam de tratamento que salva vidas para uma série de outras doenças”, disse o diretor-geral.

Com G1

 

China volta a anunciar que não registrou novas infecções locais pelo coronavírus

Foto: © CHINA DAILY/Reuters/direitos reservado

A China anunciou nesta sexta-feira (20) que não registrou novas infecções locais pelo novo coronavírus, pelo segundo dia consecutivo, embora o número de casos importados continue aumentando.

A Comissão de Saúde da China disse que, até o início do dia de hoje, não foram detectados novos casos de contágio local em todo o território, mas as autoridades identificaram 39 infectados procedentes do exterior.

Três pessoas morreram por causa da doença, nas últimas 24 horas, ficando o total de mortes na China continental, que exclui Macau e Hong Kong, em 3.248.

No total, o número de infectados diagnosticados na China, desde o início da pandemia, é de 80.967, incluindo 71.150 pessoas que já receberam alta. O número de infectados ativos é 6.569, entre os quais 2.136 em estado grave.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia de Covid-19, infectou mais de 235 mil pessoas em todo o mundo – entre elas, mais de 9.800 morreram e 86.600 se recuperaram.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto já se espalhou por 177 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar situação de pandemia.O Continente Europeu tem atualmente o maior número de casos, com a Itália tornando-se, nessa quinta-feira, o país com o maior número de mortes – 3.405 em 41.035 casos.

A Espanha registra 767 mortes (17.147 casos) e a França, 264 (9.134 casos).

O Irã tem 1.284 mortes em 18.407 casos.

Vários países adotaram medidas excepcionais, incluindo o regime de quarentena e o fechamento de fronteiras.

Agência Brasil, com RTP Portugal

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bruno disse:

    A verdade é que o regime comunista que n me agrado está provando que tem capacidade de controlar uma doença enquanto os capitalista estão de debatendo. Isso é fato.

    • Acorda Brasil disse:

      Os chineses mentiram sobre a quantidade de casos, mentiram sobre a letalidade e mentiram enquanto puderam sobre a origem, mas AGORA estão falando a verdade? Ai ai ai… Eu não sei se é ingenuidade ou burrice – sem ofensa.

  2. Brasil disse:

    Quem acredita?

  3. Ceará-Mundão disse:

    Mais uma vez a China comunista prejudicando TODO o mundo. E mais uma vez, por intermédio de um vírus. Já foram quantos? Quando será o próximo?

    • Manoel disse:

      Manda teu presidente machao fechar o comércio com os comunistas, gado.

    • Ceará disse:

      Conversa uma besteira viu!!

    • Lope disse:

      Manoel se o presidente fechar o comércio com os comunistas como você quer.. sua governadora não vai ter aquém vender melões

OMS volta atrás e diz que não tem recomendação contra ibuprofeno no tratamento do coronavírus

Foto: Reprodução/TV Globo

A Organização Mundial de Saúde (OMS) voltou atrás e retirou a restrição de uso de medicamentos à base de ibuprofeno no tratamento contra a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. A restrição havia sido anunciada na última terça-feira (17).

“A OMS está ciente das preocupações sobre o uso de anti-inflamatórios não esteroidais (isto é, ibuprofeno) para o tratamento da febre em pessoas com Covid-19. Após uma rápida revisão da literatura [pesquisas científicas], a OMS não está ciente dos dados clínicos ou de base populacional publicados sobre esse tópico”, afirmou a organização, em nota.

“Não temos conhecimento de relatos de efeitos negativos do ibuprofeno, além dos efeitos colaterais conhecidos usuais que limitam seu uso em determinadas populações”, informou a OMS.

Segundo a OMS, a conclusão foi tomada após ouvir médicos que tratam pacientes com Covid-19 e após consultas a pesquisas científicas desenvolvidas até o momento sobre a doença.

A organização reforça que, com base nas informações disponíveis, não há restrições ao uso de Ibuprofeno no tratamento contra a Covid-19.

Por que havia restrição contra o ibuprofeno?

Na última terça-feira (17), a OMS informou que o mais recomendado em tratamentos contra a Covid-19 era o uso de medicamentos à base de paracetamol.

A indicação ocorreu após o ministro da Saúde francês alertar, no sábado (14), contra o uso do ibuprofeno, que é encontrado em anti-inflamatórios.

Na semana passada, uma pesquisa científica sugeriu que pacientes com diabetes e hipertensão tratados com ibuprofeno tinham mais riscos de desenvolver quadros severos da doença. Para o infectologista Celso Granato, professor da Unifesp e diretor clínico do grupo Fleury, em São Paulo, a evidência mostrada na pesquisa não era forte o suficiente. “Existem vários outros anti-inflamatórios, antitérmicos – por exemplo, paracetamol – que têm o mesmo efeito e não têm evidência de que têm esse problema”, lembrou Granato.

Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Alvaro disse:

    Isso eh pra pessoa morrer logo e não ser diagnosticado com covid-19 ninguém eh otário não ….paracetamol e dipirona somente.

Ibovespa volta a desabar e aciona circuit breaker pela 5ª vez em março

Foto: © Reuters/Paulo Whitaker/Direitos Reservados

A bolsa paulista começou a semana com fortes perdas e precisou acionar o mecanismo de circuit breaker antes da primeira meia hora de pregão, mesmo após medidas de bancos centrais para frear os efeitos nocivos da pandemia do novo coronavírus nas economias, com agentes céticos sobre a eficácia dessas ações.

O Ibovespa registrou queda de 12,53%, a 72.321,99 pontos, antes de acionar o mecanismo de circuit breaker, o quinto já registrado em março. As negociações serão retomadas a partir das 10h55. O volume financeiro até o momento na bolsa somava R$ 1,39 bilhão.

A segunda-feira também é marcada pelo vencimento dos contratos de opções sobre ações na bolsa paulista.

Na sexta-feira, o Ibovespa à vista fechou em alta de 13,91%, em dia de recuperação global dos mercados.

O Federal Reserve e outros bancos centrais globais agiram agressivamente no domingo, com a autoridade monetária norte-americana cortando os juros para perto de zero, prometendo centenas de bilhões de dólares em compras de ativos e oferta de financiamento barato em dólar.

Em nota a clientes, o Credit Suisse destacou que esses estímulos emergenciais são medidas fortes, que fazem sentido dada a rápida deterioração econômica como consequência do surto do Covid-19, mas que, mesmo com todas essas iniciativas, o mercado parece estar mais cético e negativo.

O mercado parece estar “preocupado que essas medidas não serão suficientes pra conter o real impacto econômico causado pelo coronavírus, o que pode indicar o inicio de uma semana ainda bem volátil”, afirmou o Credit Suisse em nota a clientes enviada pela corretora do banco.

Bolsas no mundo

No exterior, o futuro do norte-americano S&P 500 perdia 4,78%, enquanto, em Londres, o FTSE 100 recuava mais de 7%. Os preços do petróleo também voltaram a desabar, com o Brent caindo 11%.

“As sequelas do Covid-19 já se fazem presentes na economia global e devem se ampliar ainda mais nas economias da Zona do Euro, EUA e aqui no Brasil, com risco de estarmos próximos de uma recessão global”, destacou a equipe da Mirae Asset, em relatório a clientes.

Entre as ações do Ibovespa, as companhias aéreas estavam entre as mais afetadas, devido ao efeito da pandemia no setor de viagens, além da alta do dólar, com Azul em baixa de 27,56% e Gol perdendo 23,46%, antes do circuit breaker paralisar as negociações. A Azul divulgou medidas para limitar o impacto do vírus.

Agência Brasil

Após anunciar teste negativo para coronavírus, Bolsonaro volta a trabalhar no Planalto

Foto: Marcos Corrêa/PR

Após anunciar pelas redes sociais que deu negativo o teste que fez para identificar a presença do novo coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro deixou a residência oficial do Palácio da Alvorada no início da tarde desta sexta-feira (13) e voltou a trabalhar no Palácio do Planalto.

Ao sair do Alvorada, o presidente parou para conversar com apoiadores. Ele ficou a uma distância de cerca de três metros do grupo. Diariamente, Bolsonaro costuma cumprimentar, abraçar e fazer “selfies” com os visitantes.

“Apesar de o meu teste ter dado negativo, eu não vou apertar a mão de vocês. Nunca tinha visto ali qualquer problema. Se bem que, para a imprensa que está ouvindo ali, se eu tivesse com o vírus ou não tivesse, não estaria sentido nada. Vida segue normal, um grande desafio pela frente, muitos problemas para serem resolvidos”, afirmou o presidente.

Na quinta e na manhã desta sexta, Bolsonaro recebeu auxiliares e ministros na residência oficial. Nesta sexta, estiveram no Alvorada o secretário de Assuntos Fundiários do Ministério da Agricultura, Nabhan Garcia, e o presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo.

Bolsonaro, família, políticos e membros do governo que viajaram para os Estados Unidos na semana passada fizeram exames na quinta (12), após a confirmação de que o secretário de Comunicação do Planalto, Fabio Wajngarten, contraiu Covid-19, a infecção provocada pelo novo coronavírus.

O secretário, que está em quarentena domiciliar, integrou a comitiva de Bolsonaro na recente viagem à Flórida. Entre outros compromissos, Bolsonaro teve um jantar no resort Mar-a-Lago oferecido pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Wajngarten esteve no encontro e ficou próximo dos dois chefes de Estado. Imagens feitas durante a viagem mostram que o secretário chegou a apertar a mão dos dois chefes de Estado. Questionado sobre o caso na quinta, Trump disse “não estar preocupado”.

Bolsonaro tem sido monitorado pelo serviço médico da Presidência. Ele cancelou compromissos públicas, como uma viagem ao Rio Grande do Norte que estava prevista para esta quinta (12), e usou máscara no Palácio da Alvorada.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Calixto Silva disse:

    Quem vai vim contaminado da Europa vai ser o ladrão de nove dedos Lula. Quebrado ele voltar vai ficar de quarentena na papuda.

  2. EDILSON disse:

    NOME DO FILME,
    DURU ME MATAR 2
    KKKKKKKKK

  3. Romero Cezar da Câmara disse:

    Não sou defensor do mesmo, porém quem deseja o mau aos outros colhe o mau, graçass a Deus deu negativo pra ele e que muitos outros alcance essa graça.

  4. Antônio disse:

    Kkkkkk, o satã deu outra chance….

    • Guilherme disse:

      Se acontecer dentro de casa, já sabe a quem recorrer né? Zé ruela!

  5. Tony disse:

    AH PESTE

    • Guilherme disse:

      Creio que, com esse comentário, você e sua familia estão imunes. Boa sorte!

Bolsonaro edita Medida Provisória para a volta do sorteio de prêmios de 0900 na TV

Foto: Pablo Jacob

O presidente Jair Bolsonaro editou nesta terça-feira (dia 3) uma medida provisória (MP) que autoriza emissoras de televisão aberta a distribuírem prêmios por meio de concursos e sorteios. Na década de 1990, sorteios pelo prefixo 0900 eram comuns, mas depois foram proibidos pela Justiça. Agora, a operação também poderá ser realizada por aplicativos.

A MP altera uma lei de 1971 que regula a distribuição de prêmios e determina que as empresas que quiserem realizar os sorteios precisam de autorização do Ministério da Economia. No caso das redes de televisão, a autorização poderá ser concedida apenas a uma emissora ou em conjunto com outras empresas do mesmo grupo.

“Também poderão ser autorizadas as redes nacionais de televisão aberta, assim reconhecidas pela Agência Nacional de Telecomunicações – Anatel, que prestem serviços de entretenimento ao público por meio de aplicativos, de plataformas digitais ou de meios similares”, diz o texto.

Uma medida provisória tem validade imediata, mas precisa ser aprovada pela Câmara dos Deputados e pelo Senado em até 120 dias (60 dias prorrogáveis por mais 60). Os parlamentares podem fazer alterações no texto original.

Extra – O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cidadão Atento disse:

    "O governo Bolsonaro mente como método. É um governo mentiroso — de um presidente mentiroso", afirma o jornalista Carlos Adreazza.

  2. Ananias disse:

    Votei nele, mas se ele for um homem de palavra não concorrerá a reeleição em 2022.
    Meu voto é MORO 2022 e LULA em 2188!!!

  3. Francisco disse:

    Temos que entender que à Presidência do deputado Jair Bolsonaro (PSL) representa a ascensão de uma extrema-direita que “aceita regras fora do jogo democrático”.
    E qual é o retrato do País às vésperas de uma eleição de prefeitos em todo país?
    Estamos à beira do abismo, em uma situação muito complicada. Há uma crise institucional muito grave. Há uma incerteza com os resultados desta eleição. E existem candidatos que são, ao menos um candidato notadamente, muito preocupantes, apoiadores de um governo que usa e abusa das regras e instituições para perseguir adversários, ao mesmo tempo que as quebra quando se trata de beneficiar seus filhos, ministros e aliados, no estilo "Faça o que digo, mas não faça o que eu faço"..

  4. Jailson disse:

    E Bolsonaro ainda tem a cara de pau de dizer q a imprensa é contra ele…

  5. François Cevert disse:

    Esses caras não deixam o bolso do pobre em paz!!!

  6. Bryan Laranjeiras disse:

    Putz, que coisa edificante..SQN

  7. Kergi disse:

    Esse CANALHA so favorece aos ricos….porque nao cria um programa para os pobres..

    • Zanoni disse:

      Já criaram inúmeras bolsas, desavisado. E quem sustenta o Brasil com impostos é a iniciativa privada, que paga o correspondente a 75% dos impostos recolhidos.

    • Pablo disse:

      O que vc acha da escola civico militar para crianças do Brasil?

  8. Antônio disse:

    Olha o GOLPE….é bom nao participar, so quem ganha sao as emissoras….esse bandido a cada dia lanca um golpe cego…cai na armadilha quem gosta de entrar no buraco do SATÃ