Estado de SP volta à fase amarela da quarentena nesta segunda-feira e comércio volta a funcionar

O estado de São Paulo volta à fase amarela da quarentena imposta pela pandemia de coronavírus nesta segunda-feira (28). Apenas os serviços essenciais puderam funcionar na fase vermelha temporária, nos dias 25, 26 e 27 de dezembro. O comércio que teve de fechar as portas já pode reabrir até a próxima quinta-feira (31).

A fase amarela é a terceira etapa do plano de flexibilização econômica do governo estadual que permite a reabertura, menos restritiva, de outros tipos de comércio como parques, clubes sociais, restaurantes, bares e salões de beleza. Durante a fase vermelha, as padarias e restaurantes não puderam servir refeições presencialmente, apenas encomendas e delivery.

O governo de São Paulo determinou medidas de endurecimento da quarentena, com o aumento nas restrições de funcionamento de bens e serviços em todo estado durante o Natal e o réveillon. A fase vermelha retorna nos dias 1º, 2 e 3 de janeiro.

A mudança só não será temporária para a cidade de Presidente Prudente. Por conta do avanço nos casos e da falta de leitos de UTI, a região passa a ficar, até a próxima reclassificação, na fase vermelha, a mais restritiva do plano de flexibilização econômica.

Serviços essenciais

farmácias;

mercados;

padarias;

postos de combustíveis;

lavanderias;

meios de transporte coletivo, como ônibus, trens e Metrô;

e hotéis, pousadas e outros serviços de hotelaria.

O que fecha no feriado do réveillon

Com a fase vermelha da quarentena e adoção de medidas mais restritivas de funcionamento do comércio, fica proibido o funcionamento:

shoppings;

lojas;

concessionárias;

escritórios;

bares, restaurantes e lanchonetes (exceto para delivery);

academias;

salões de beleza;

e cinemas, teatros e outros estabelecimentos culturais.

O governo também anunciou que em janeiro nenhuma região vai para fase verde, a menos restritiva, e que a reclassificação do estado, que estava marcada para o próximo dia 4, foi adiada para o dia 7 de janeiro.

Descumprimento

Pelo menos 19 cidades do estado de São Paulo optaram por não seguir a determinação do governo estadual, que colocou todos os municípios do estado na fase vermelha da quarentena durante os dias 25, 26 e 27 de dezembro e 1º, 2 e 3 de janeiro de 2021.

De acordo com o secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, essas cidades serão notificadas e poderão responder judicialmente pelo descumprimento.

O secretário disse neste domingo (27) que uma lista das cidades notificadas foi enviada ao Ministério Público.

As cidades que não aderiram às novas regras são:

na Grande São Paulo: Mogi das Cruzes e Cotia;

no litoral Sul e Baixada Santista: Bertioga, Cubatão , Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Peruíbe, Praia Grande, Santos , São Vicente;

no Litoral Norte: São Sebastião, Caraguatatuba, Ubatuba, Ilhabela;

no interior: Bauru, Olímpia , Catanduva, Socorro.

Fases da flexibilização

Os indicadores de saúde definem em qual das cinco fases de permissão de reabertura a região se encontra:

Fase 1 – Vermelha: Alerta máximo

Fase 2 – Laranja: Controle

Fase 3 – Amarela: Flexibilização

Fase 4 – Verde: Abertura parcial

Fase 5 – Azul: Normal controlado

De acordo com a fase cada região pode liberar a abertura de diferentes setores da economia fechados pela quarentena.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Armando disse:

    Enquanto isto CALCINHA APERTADA veio dos Estados Unidos depois de chacotas nas redes sociais, e foi passar o final de semana em uma ilha francesa no Caribe.

  2. Calígula disse:

    Se o povo sair às ruas tudo abre , o povo cansou desses politiqueiros de merda.
    #BOLSONARO TEM RAZÃO

    • Queiroz disse:

      200 mil mortos é pouco, né Leviatã.!?

    • Paulão disse:

      O povo tá ligado com essa turma de vagabundos pode ter certeza.
      Politiqueiro igual a esse calça apertada não decola.
      Acompanhe as pesquisas sérias.
      Podem até apostar.
      Bolsonaro segue disparado sem adversários.
      Se o PR Bolsonaro quiser ir preparando um candidato pra 2026, já pode.
      Essa a verdade verdadeira.
      Podem esperniarem.
      A maioria do povo, a esquerda misturada com os nhonhoms da vida, nunca mais vão ter.
      Nunca!!

    • ReneGado disse:

      Quer dizer que o Sr. vive dizendo que não era pra ter campanha e que os índices subiram por causa disso, ainda diz que a culpa é da justiça e do TSE… mas defende que abra tudo e que vá todo mundo pra rua. Tu é igual ao Bozo, na mesma frase fala e se desmente. Essa é a qualidade do eleitor do bozo, só fala bosta e coisas que não tem nem conexão umas com as outras.

    • ReneGado disse:

      Grande Paulão, recomendo vc ler o livro "Como mentir com estatística", a depender de onde, de quem faz e a metodologia usada a pesquisa pode ser feita para beneficiar um ou outro. Dito isso, sinto muito mas a pesquisa ao qual você se refere deve ser uma publicada que o índice dos que desaprovava o governo, dizendo que era ruim, foi zerado. Se, nessa pesquisa, não teve ninguém que dissesse que o governo é ruim você vê a qualidade da pesquisa. NESSE DETALHE VC NÃO REPAROU NÉ. Ou a quantidade de pessoas entrevistadas foi ínfimo ou a pesquisa foi muito mal elaborada. Mas vá sonhando, quem não estuda vira gado.

Contrário à volta às aulas presenciais, sindicato vinculado à CUT reabre clube de férias

Foto: Reprodução

O Sindicato dos Funcionários e Servidores da Educação de São Paulo (Afuse), entidade vinculada à Central Única dos Trabalhadores (CUT) e à Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), decidiu reabrir sua colônia de férias ainda neste ano, mesmo tendo posicionamento contrário à reabertura das escolas. A Afuse considera que não retornar às atividades presenciais em 2020 significa preservar a vida dos profissionais de educação.

De acordo com informações disponíveis no site do sindicato, a colônia de férias – que possui piscinas, salas de jogos, campo de futebol, áreas de recreação para crianças e dezenas de apartamentos – retornou o funcionamento no dia 20 de novembro, emendando o feriado do Dia da Consciência Negra com o fim de semana que se seguiu ao feriado. Ainda no mês de novembro, a entidade abriu inscrições para a alta temporada. Os quase 22 mil associados poderão utilizar a estrutura novamente a partir do dia 22 de dezembro.

Em uma mensagem veiculada no site da entidade, entretanto, o sindicato recorre a frases como “Nossa luta é pela vida”, “Não ao retorno às aulas presenciais em 2020”, “Não retornar agora é preservar” e “A Afuse valoriza a vida” para se posicionar de forma contrária à volta às aulas presenciais neste ano.

Questionado pela reportagem a respeito da uma possível incoerência entre o discurso e a prática, o presidente da Afuse, João Marcos de Lima, reforçou que o sindicato é contrário ao retorno às atividades presenciais porque as escolas não tem condições de receber alunos e declarou que, pessoalmente, é contrário à reabertura da colônia de férias, mas revelou que a decisão se deu por uma demanda dos associados.

“A categoria queria a colônia aberta e nós estamos seguindo os protocolos da prefeitura de Peruíbe [município localizado no litoral sul paulista, onde a colônia de férias está localizada], as exigências sanitárias, lotação reduzida, horário reduzido, salão de jogos fechado, restaurante com menos acomodações, etc.”, afirma Lima.

Em resposta à reportagem da Gazeta do Povo, Heleno Araújo, presidente da CNTE, informou que “a Afuse tem autonomia sobre o funcionamento das suas instalações. Já a orientação da CNTE é a solidariedade para salvar vidas”. Procurada, a CUT não retornou o contato até o fechamento desta matéria.

Gazeta do Povo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bruno disse:

    Sindicato nunca serviu de bosta nenhuma, o próprio ladrão de nove dedos quando era presidente do sindicato dos metalúrgicos, se vendeu para odebrecht e traiu os coitados que acreditavam nele.

  2. Dr. Veneno disse:

    Como canta Felipão: vaga, vaga, va-ga-bun-doooo, bota pra descer, bota pra descer ladrão.

  3. Antonio Turci disse:

    Próprio da hipocrisia e comportamento criminal das esquerdas brasileiras.

  4. Observador RN disse:

    Enfim, a hipocrisia!

  5. Antenado disse:

    Atitude coerente com a mentira que se alimentam para tentar enganar as pessoas. Com as redes sociais as mentiras são facilmente escancaradas. O
    Povo não é mais bobo.

Governo de SP volta atrás e diz que pedirá uso emergencial da Coronavac à Anvisa

Foto: Instituto Butantan

O governo de São Paulo mudou de estratégia, mais uma vez, para conseguir a aprovação da CoronaVac e disse que vai solicitar o registro para uso emergencial à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Na segunda-feira (14), o governador João Doria (PSDB) havia dito que o instituto pretendia solicitar o registro definitivo da vacina, e não o emergencial.

O diretor do Instituto Butantan, que produz a vacina em parceria com o laboratório chinês Sinovac, anunciou nesta quinta-feira (17) que o estado vai “dar entrada no pedido de uso emergencial” junto à agência.

Em coletiva de imprensa, Doria também comentou a intenção do Ministério da Saúde de comprar doses da vacina do Butantan e afirmou que aguarda a formalização do interesse da pasta. “Em relação à carta do governo federal, vamos aguardar que chegue, efetivamente. Eu espero que assim se cumpra. Foi a segunda vez que falamos com o ministro nesse sentido”, disse Doria. A CoronaVac está na terceira fase de testes e sua eficácia precisa ser comprovada antes da liberação pela Anvisa.

Nesta quinta, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, falou que seriam compradas “9 milhões de doses do Butantan em janeiro”, com a possibilidade de aumentar o total para 22 milhões de doses da CoronaVac até fevereiro.

De acordo com Dimas Covas, diretor do Butantan, uma nova correspondência do Ministério da Saúde recebida pelo governo estadual mostra que a pasta tem interesse na vacina autorizada pela Anvisa, e não apenas na vacina com registro definitivo.

“Nós recebemos uma nova correspondência reforçando o pedido que foi feito lá em setembro e, na sequência, uma manifestação de que há o interesse do ministério na aquisição dessas vacinas desde que autorizadas pela Anvisa. E aqui tem uma pequena mudança. Antes era registro, e agora autorizada pela Anvisa. E isso significa que foi incorporado a possibilidade do uso emergencial dessa vacina. E isso é outra boa notícia, visto que a nossa Anvisa colocou prazo de dez dias para se manifestar em casos de pedidos de uso emergencial. Até então não havia essa definição”, disse Dimas Covas.

“Isso mostra que realmente que há um comprometimento da Anvisa na análise dos pedidos de uso emergencial. Então declaramos que iríamos fazer o pedido de registro, vamos fazer o pedido de registro na China e no Brasil, e vamos também dar entrada no pedido de uso emergencial”, completou.

Em outubro, o ministro da Saúde chegou a anunciar, em uma reunião virtual com mais de 23 governadores, a compra do imunizante. Mas, menos de 24 horas depois, a aquisição foi desautorizada pelo presidente Jair Bolsonaro.

Uso emergencial

Na segunda-feira (14), o governo de São Paulo mudou a estratégia para conseguir aprovação da CoronaVac e adiou para o dia 23 de dezembro o envio do resultado dos testes da vacina no Brasil à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A previsão inicial era de que os documentos fossem enviados até esta terça-feira (15).

Segundo o governador João Doria (PSDB), a mudança ocorria para que o instituto pudesse enviar os dados completos para solicitar o registro definitivo da vacina.

“Registrar a vacina com estudo conclusivo vai permitir maior confiabilidade na análise da eficácia da vacina. Outro benefício será conquistar o registro definitivo da vacina em vários países do mundo. São Paulo espera obter o registro da vacina do Butantan até o final deste ano e iniciar a vacinação em 25 de janeiro conforme está programado. Com autorização da Anvisa ou de órgão similar internacional”, afirmou Doria em coletiva de imprensa na segunda-feira.

Ainda de acordo com o governo, o pedido na Anvisa deve ser feito simultaneamente à apresentação do estudo conclusivo. A solicitação será levada também à NMPA (National Medical Products Administration), instituição chinesa responsável pela regulação de medicamentos.

Número de infectados

Segundo o governo, a fase 3 dos testes no Brasil registra 170 voluntários contaminados. O estudo conclusivo vai medir a taxa de eficácia do imunizante comparando quantos receberam placebo e quantos tomaram a vacina. A taxa mínima recomendada pela própria Anvisa é de 50% como parâmetro de proteção.

“A decisão de concluir o estudo ocorre após os cientistas terem sinalizado que o número mínimo necessário de 151 voluntários infectados já foi ultrapassado. Hoje a fase três da vacina do Butantan já tem 170 voluntários infectados, incluindo os grupos vacinados e placebo”, afirmou Doria.

Envase

Na última quarta-feira, o instituto começou o processo de envase da vacina a partir da matéria-prima importada da China.

Segundo o governo paulista, o processo de envase começou a ser realizado no dia 9 de dezembro, na fábrica do Butantan, que tem 1.880 metros quadrados, e contará com o reforço de 120 novos profissionais, além dos 245 que normalmente atuam no instituto. Além disso, o Butantan passa a funcionar 24 horas por dia.

Matéria-prima

O governo de São Paulo já recebeu 120 mil doses prontas da CoronaVac. Além disso, chegou uma carga de insumos que poderá ser convertida em até 1 milhão de doses adicionais.

Os insumos são os “ingredientes” necessários para a finalização da vacina no país. Caberá ao Butantan concluir a etapa final de fabricação.

Ao todo, pelo acordo fechado, o Butantan receberá do laboratório chinês 6 milhões de doses prontas para o uso e vai formular e envasar outras 40 milhões de doses.

Número mínimo de infectados

No final de novembro, o estudo da fase 3 da CoronaVac atingiu o número mínimo de infectados pela Covid-19 necessário para o início da fase final de testes.

A etapa permite a abertura do estudo e a análise interina dos resultados do imunizante. A expectativa é a de que os dados sejam divulgados pelo governo paulista nas próximas semanas.

Resposta imune e segurança

Um estudo feito com 743 pacientes apontou que a CoronaVac mostrou segurança e resposta imune satisfatória durante as fases 1 e 2 de testes.

A fase 2 dos testes de uma vacina verifica a segurança e a capacidade de gerar uma resposta do sistema de defesa. Normalmente, ela é feita com centenas de voluntários. Já a fase 1 é feita em dezenas de pessoas, e a 3, em milhares. É na fase 3, a atual, que é medida a eficácia da vacina.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pixuleco disse:

    Os grandes gestores tem atitudes alvissareiras em prol da coletividade . Vejam que a mudança de planejamento do excelente e proativo governador que a cada dia enaltece sobremaneira a importância do povo que acredita na ciência . Se fosse vereador proporia imediatamente o título de cidadão natalense ao grande governador Dória .

  2. Carlos Alberto disse:

    Esse João Dória é forte mesmo, o veio Bolsonaro fazendo exatamente o que Dória quer!! Kkkkkkkk O homem é forte!!!

  3. Milton disse:

    Esse Doriana é um inconsequênte, politiqueiro da pior espécie.

  4. Especialista disse:

    Esse Doria é um palhaço da pior estirpe, como aqui, cometemos a mesma tolice de eleger um incapaz, o de lá com interesse de ser presidente da República, pobre de nós pequenos mortais.

RN volta a receber voos regulares para Mossoró a partir de março de 2021

FOTO: ASSECOM – AZUL

Em virtude de agenda intensa de reuniões realizada na cidade de São Paulo em outubro de 2020, com os representantes das principais companhias aéreas do país, o Governo da Professora Fátima Bezerra anuncia a volta das operações da Azul Linhas Aeréas na cidade de Mossoró a partir de primeiro de março de 2021.

Chegando a Mossoró, o turista ou viajante voará a bordo de aviões modelo ATR 72-600, com capacidade para 70 passageiros. O retorno da operação irá conectar o Estado do Rio Grande do Norte com a cidade de Recife, principal hub da Azul no Nordeste, alcançando conectividade com turistas de destinos como Belém, Teresina, Manaus, Belo Horizonte, Salvador, Rio de Janeiro e São Paulo.

Para a governadora Fátima Bezerra, as reuniões ocorridas na capital paulista foram decisivas para confirmarem a volta dessa operação. “Nosso objetivo era o de reconquistar a malha aérea para o Rio Grande do Norte, que é tão importante para a atividade econômica e desenvolvimento do Estado, especialmente retomar os voos regulares para a cidade de Mossoró, segunda maior cidade do RN”, declara.

“Já planejávamos o retorno de nossas operações em Mossoró no início do próximo ano e antecipamos a volta em função de um pedido do governo do estado. Sabemos da importância da ligação aérea para Mossoró e região e vivemos um período de retomada do turismo, seja a lazer ou a trabalho. A reconexão com Recife permitirá que nossos Clientes se desloquem para qualquer destino doméstico e internacional operado pela Azul, o que proporcionará conveniência e comodidade aos viajantes”, destaca John Rodgerson, presidente da Azul.

Os voos seguirão todos os protocolos de higiene e segurança sanitária adotados pelo plano de retomada da economia do Estado do Rio Grande do Norte, destino certificado com o selo Safe Travels, da WTTC (Organização Mundial de Turismo). E começarão a ser comercializados a partir deste sábado, 19 de dezembro de 2020.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. PAULO DUARTE disse:

    Gov. Fátima.. Tá certo…
    Qual foi a outra reconquista para melhorar a malha aérea do RN, que a governadora diz ter conseguido na tal reunião, na capital paulista, além dos voos para de Mossoró?
    Seria bom o esclarecimento, caso contrário fica a impressão que filho bonito têm um monte de pais, já filho feio…

    • Manoel disse:

      Rosalba falou a mesma coisa ontem em Mossoró, que foi fruto do seu trabalho junto a azul

Isenção de IOF volta a valer e crédito para os brasileiros fica mais barato a partir desta terça

A partir desta terça-feira (15), e até final do ano, fica mais barato para os brasileiros obterem crédito. Isso porque volta a valer, nesse período a isenção do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) incidente sobre essas operações.

A alíquota original, de 3%, foi zerada em abril, para ajudar a mitigar os impactos da pandemia do coronavírus sobre a economia. A medida, que inicialmente deveria valer por três meses, foi sendo prorrogada – na última, foi estabelecido prazo até 31 de dezembro.

No final de novembro, no entanto, o governo antecipou a volta do IOF para compensar a isenção das contas de luz dos moradores do Amapá, que enfrentaram este mês uma crise no fornecimento de energia elétrica que deixou o estado sem luz por vários dias. Na semana passada, o governo voltou atrás mas uma vez, e decidiu isentar as operações de crédito dessa cobrança por mais 15 dias.

Expansão do crédito

Com IOF zerado e juros em queda, os últimos meses viram uma forte expansão do crédito no país. Segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), os bancos brasileiros concederam R$ 2,6 trilhões em crédito no período de março a 23 de outubro, incluindo novas operações, renovações e prorrogações de contratos.

De acordo com o Banco Central, o volume total do crédito ofertado pelos bancos cresceu 1,9% em setembro (último dado disponível), para R$ 3,809 trilhões. Em doze meses, o crescimento do volume total do crédito bancário acelerou de 12,2% para 13,1%.

Já o financiamento de imóveis disparou: foram R$ 13,9 bilhões em outubro de 2020, um aumento de 84% em relação ao mesmo mês de 2019. Desde o início do ano, foram financiados mais de 320 mil imóveis, somando R$ 92,67 bilhões.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Josa disse:

    Ôôô governo bom!

  2. Calígula Lobo disse:

    Hô Véio Bom.
    Pense num presidente preocupado com a população brasileira.
    Nenhum presidente fez isso até os dias de hoje.
    Mito, MITO

Paulinho, vocalista do Roupa Nova, volta para UTI em estado grave

Foto: Divulgação

Internado há mais um mês no Rio por conta de complicações de um transplante e após contrair coronavírus, o vocalista e músico Paulinho, 68, do Roupa Nova, voltou para UTI em estado grave.

Segundo fontes próximas, Paulinho voltou a respirar com a ajuda de aparelhos e apresenta um quadro de infecção preocupante. Ele não está mais com coronavírus, mas segue tendo complicações por conta da doença e da saúde fragilizada.

Paulinho está hospitalizado há mais de um mês. O músico contraiu a Covid-19 durante a recuperação do transplante de medula óssea, realizado no início de setembro deste ano. Ele realizou o transplante para enfrentar um câncer linfático e chegou a ter alta após a cirurgia.

Keila Jimenez – R7

Haas confirma Pietro Fittipaldi no lugar de Grosjean em Sakhir, e Brasil volta a ter piloto na F1

(Foto: Haas F1 Team)

Depois de quase três anos, o Brasil vai voltar a ter um piloto no grid do Mundial de Fórmula 1. A Haas anunciou, na manhã desta segunda-feira (30), que Pietro Fittipaldi vai substituir Romain Grosjean, lesionado após o gravíssimo acidente sofrido na primeira volta do GP do Bahrein, na corrida que acontece neste fim de semana no anel externo do circuito de Sakhir. Brasileiro de 24 anos nascido em Miami, o neto de Emerson Fittipaldi é um dos reservas da Haas e vai debutar na Fórmula 1.

Pietro entende que, diante da situação que envolve o titular da Haas, não é o cenário ideal para fazer sua estreia na Fórmula 1. O brasileiro, contudo, se diz grato à cúpula da Haas pela chance de correr na principal categoria do esporte a motor.

“Antes de tudo, estou feliz que Romain [Grosjean] está salvo e bem. Estamos felizmente que os ferimentos foram consideravelmente pequenos após um grave acidente. Obviamente, não é a condição ideal para ter minha primeira oportunidade de competir na Fórmula 1, mas sou extremamente grato ao Gene Haas e ao Guenther Steiner pela confiança de me colocarem no carro neste fim de semana”, disse.

“Estive muito com o time neste ano, na pista e trabalhando no simulador, então estou familiarizado com as operações e procedimentos de um fim de semana de corrida. Vai ser muito empolgante fazer minha primeira corrida na Fórmula 1 e vou dar o máximo, começando pelo treino livre de sexta-feira no Bahrein”, complementou.

“Após decidirmos que a melhor coisa para Romain [Grosjean] seria pular pelo menos uma corrida, a escolha pelo Pietro [Fittipaldi] foi bem fácil. Pietro vai pilotar o VF-20 e ele está familiarizado conosco ao redor nas últimas duas temporadas como piloto de testes e reserva. É a coisa certa a fazer e obviamente uma grande oportunidade para ele. Foi paciente e sempre se preparou para esse momento — e agora chegou”, falou Guenther Steiner, chefe da Haas.

“É por isso que o queremos no carro e estamos certos de que vai fazer um grande trabalho. É muito difícil ser chamado de última hora, como eu disse, mas acredito que seja a coisa certa para a Haas”, acrescentou o dirigente italiano.

Irmão de Enzo Fittipaldi, que neste ano disputou a Fórmula 3, Pietro será o 31º piloto brasileiro a fazer parte de uma prova do Mundial de Fórmula 1. A última vez que um competidor tupiniquim participou de um GP da principal categoria do automobilismo mundial foi Felipe Massa, que fez sua última prova e se despediu da F1 no GP de Abu Dhabi de 2017.

A última corrida disputada por Pietro Fittipaldi foi na etapa de Buriram da Fórmula 3 Asiática, em fevereiro de 2020. O piloto começou sua carreira correndo nas divisões de base da Nascar nos Estados Unidos e mudou seu foco para o automobilismo europeu em 2013, quando passou a correr na F4 Inglesa.

No ano seguinte, foi campeão da F-Renault inglesa e, em 2015, disputou a Fórmula 3 Europeia pela Fortec. Fittipaldi também correu e foi campeão do MRF Challenge, campeonato de base que é disputado no Oriente Médio e na China, antes de seguir com a Fortec para a antiga World Series by Renault, chamada também de Fórmula V8.

Na categoria, já em fase decadente, Fittipaldi conquistou o título da temporada 2017, garantindo a maior parte dos pontos da superlicença que hoje o permite a chance de estrear na Fórmula 1.

Fittipaldi chegou a fazer um dia de teste com a Jaguar na Fórmula E antes de ingressar no radar da Haas a partir de 2018, quando teve a chance de fazer seu primeiro teste com um carro de Fórmula 1. Naquele ano, Pietro se dividiu entre várias categorias, fazendo seis corridas pela Dale Coyne na Indy, uma etapa da Super Formula Japonesa.

Também em 2018, Fittipaldi sofreu um grave acidente durante os treinos para as 6 Horas de Spa-Francorchamps da supertemporada 2018/19 do Mundial de Endurance, quando pilotava o LMP1 da equipe Dragon Speed.

Na sequência da sua carreira, já como piloto reserva da Haas, Fittipaldi teve seis dias de testes pela equipe norte-americana em 2019, além de disputar toda a temporada do DTM pela equipe WRT, vinculada à Audi, tendo marcado 22 pontos e finalizado o campeonato em 15º lugar.

Agora, em 2020, Fittipaldi tem uma inesperada chance de finalmente realizar o sonho de disputar uma prova do Mundial de Fórmula 1.

Grande Prêmio

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Renildo andré disse:

    Kkkkkkkkkk pode isso “Arnaldo”

  2. Valter disse:

    Pense você pilotando um Fórmula 1. Isso nunca vai acontecer. Pra que assistir um corrida que você nunca vai poder participar a não ser como telespectador??? O Brasil não terá participante. Um brasileiro participará

    • Arnaldo disse:

      Pense numa mulher bonita, pensou? Pronto.

    • Erick disse:

      Pense você jogando na Copa do Mundo. Isso nunca vai acontecer. Pra que assistir uma partida que você nunca vai poder participar a não ser como telespectador??? O Brasil não terá participante. Alguns poucos brasileiros participarão.

      Pronto, fiz um paralelo pra você ver o quão estranho foi a sua afirmação.

Filipinas ordena volta de embaixadora por ter agredido doméstica no Brasil

A embaixadora das Filipinas no Brasil, Marichu Mauro – 26/10/2020 Reprodução/Divulgação

O governo das Filipinas ordenou, nesta segunda-feira, 26, o retorno de sua embaixadora no Brasil, Marichu Mauro, após um vídeo no qual a diplomata agride fisicamente uma empregada doméstica ter sido divulgado.

“O Departamento de Relações Exteriores ordenou que a embaixadora da Filipinas no Brasil volte imediatamente após a publicação de algumas imagens em vídeo que a mostram repreendendo e maltratando sua empregada doméstica”, diz o comunicado. O governo filipino abriu uma investigação para apurar o ocorrido.

Receba as novidades e principais acontecimentos, bastidores e análises do cenário político brasileiro. Inscreva-se aqui para receber a nossa newsletter

A ordem do governo filipino ocorre no dia seguinte a divulgação das imagens de uma câmera de segurança pela emissora brasileira GloboNews. O vídeo mostra Mauro agredindo repetidamente a funcionária que trabalhava na residência oficial da embaixadora em Brasília.

A denúncia das agressões contra a funcionária ocorreu em agosto. As imagens só vieram à tona após a volta da doméstica para as Filipinas, que, segundo o governo local, ocorreu no dia 21 de outubro. “Vamos garantir seu bem-estar e cooperação na investigação”, disse o departamento.

De acordo com a emissora, um outro funcionário da embaixada viu as cenas pelo circuito interno de televisão e as organizou para fazer uma denúncia contra a diplomata de carreira.

Mauro chegou ao Brasil há dois anos e meio, tendo sido recebida pelo então presidente, Michel Temer. A embaixadora também representava seu país na Colômbia, Guiana, Suriname e Venezuela.

Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Maria Bernardes disse:

    Era bom ela levar uma surra na rua antes de ir embora. Muitos filipinos na mesma situação, esse não é um caso isolado !

  2. Pitu disse:

    Pega o beco Marichu…. perdeu o Brasil e quem sabe perde a carreira tb

  3. Jk disse:

    Filipinas não alivia couro de gente pela patente. Essa deve levar uma pisa de cipó de broxa pra aprender a tratar pessoas hiporsuficiente .

  4. Ana disse:

    iuhuuuuu… já temos bandidos demais aqui… vai te embora maluca feia….

Decisão do Conama que tirou proteção de manguezais e restingas volta a valer após desembargador derrubar liminar

Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Foto: Adriano Machado/Reuters

O desembargador federal Marcelo Pereira da Silva, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), aceitou um recurso da União e restabeleceu, nesta sexta-feira (2), a validade das decisões do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) que tiraram a proteção de manguezais e restingas.

Na segunda-feira (28), o Conama, órgão presidido pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, revogou quatro resoluções e flexibilizou regras de proteção ambiental. No dia seguinte, a Justiça Federal do Rio suspendeu essas revogações, em uma liminar (decisão provisória) que atendia a pedido feito em ação popular.

A União, no entanto, recorreu da decisão que suspendeu as revogações. Agora, com a decisão desta sexta-feira do desembargador Marcelo Pereira da Silva, prevalecem as normas que haviam sido alteradas pelo Conama, flexibilizando as medidas de proteção ambiental.

Revogações do Conama

As mudanças feitas pelo Conama que voltam a valer nesta sexta-feira incluem:

A revogação de duas resoluções que restringiam o desmatamento e a ocupação em áreas de preservação ambiental de vegetação nativa, como restingas e manguezais. As regras valiam desde março de 2002.

Liberação da queima de lixo tóxico em fornos usados para a produção de cimento.

Derrubada de outra resolução que determinava critérios de eficiência de consumo de água e energia para que projetos de irrigação fossem aprovados (entenda as resoluções abaixo).

O Conama é o principal órgão consultivo do Ministério do Meio Ambiente (MMA) e é responsável por estabelecer critérios para licenciamento ambiental e normas para o controle e a manutenção da qualidade do meio ambiente.

Trechos da decisão desta sexta

No despacho desta sexta, o desembargador diz que a União argumenta, entre outras coisas, que:

a liminar anterior não foi “suficientemente fundamentada”;

“defendeu que as decisões do Conama são colegiadas e representam a efetivação do princípio democrático” e que a revogação ocorreu com a presença do Ministério Público Federal;

a pauta era “discutida desde 2014 com amparo em critérios técnicos destinados a disciplinar a regulamentação do novo Código Florestal”;

a liminar “representaria intervenção judicial indevida na esfera de competência do Poder Executivo” e que não há “qualquer ameaça de dano ao meio ambiente”.

Resolução 302/2002

Tema: preservação de áreas no entorno de reservatórios d’água

O que previa: dispunha sobre os parâmetros, definições e limites de Áreas de Preservação Permanente (APPs) de reservatórios artificiais e o regime de uso do entorno. Ela determinava uma faixa mínima de 30 metros ao seu redor dos reservatórios como APPs. É o caso de represas como a Cantareira, em São Paulo. A resolução impedia a exploração da área para habitação e usos econômicos, buscando garantir a preservação e qualidade da água.

O que mudou: a resolução foi revogada.

Impacto: “Uma vez perdendo esses critérios, nós teríamos uma possibilidade, primeiro, de expansão imobiliária, segundo, de não recuperação dessas APPs”, disse Carlos Bocuhy, presidente do Proam (Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental)

Resolução 303/2002

Tema: proteção dos manguezais e faixas de restinga do litoral brasileiro

O que previa: protegia toda a extensão dos manguezais e faixas de restinga do litoral brasileiro, determinando tais como Áreas de Preservação Permanente (APP). Era complementada pela resolução 302/2002 e alterada pela resolução 341/2003.

O que mudou: a resolução foi revogada.

Impacto: “O único instrumento jurídico efetivo utilizado pelo MP-SP para proteção das restingas é a resolução 303/2002. Uma vez revogada essa resolução, nós perdemos a proteção da faixa dos 300 metros a partir da praia-mar, e isso significa um grande boom imobiliário de resorts, de empreendimentos em todo o Brasil que seriam beneficiados com esse desguarnecimento de um compartimento ambiental importantíssimo”, analisa Carlos Bocuhy, presidente do Proam (Instituto Brasileiro de Proteção Ambiental)

Resolução 284/2001

Tema: Licenciamento ambiental para irrigação

O que previa: A resolução 284/2001 padronizava o licenciamento ambiental para empreendimentos de irrigação, determinando como a água deveria ser utilizada nas atividades agropecuária. A resolução como era antes da revogação, priorizava projetos com “equipamentos e métodos de irrigação mais eficientes, em relação ao menor consumo de água e de energia”.

O que mudou: a resolução foi revogada.

Resolução 264/1999

Tema: utilização de fornos para queima de resíduos

O que previa: vetava a utilização de fornos rotativos de produção de cimento para queima de resíduos domiciliares brutos, resíduos de serviços de saúde e agrotóxicos, entre outros.

O que mudou: Foi revogada e uma nova foi aprovada. Na sessão, os conselheiros do Conama analisaram o processo nº 02000.002783/2020-43, e com ele foi aprovada a queima de resíduos agrotóxicos e de lixo tóxico.

Impacto: O argumento usado na reunião para defender a resolução foi que a queima dessas substâncias vai diminuir a quantidade de resíduos sólidos. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que a queima de lixo tóxico seja feita em ambientes controlados, já que podem causar danos à saúde da população.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Braulio Pinto disse:

    Os cães ladram e a boiada passa…

  2. François Cevert disse:

    Abre porteira, fecha porteira e o gado só pasando e mugindo… Muuuummmm. 🐮🐂🐃🐄🐮

Meteoroide “quica” na atmosfera da Terra e volta para o espaço; entenda

(Foto: Global Meteor Network)

No último dia 22 de setembro, um meteoroide foi observado passando ao norte da Alemanha e da Holanda a uma altitude de 91 quilômetros, distância menor que a existente entre o nosso planeta e os satélites em órbita. O corpo celeste acabou “quicando” na atmosfera da Terra e retornando ao espaço.

Um meteoroide é um fragmento de um cometa ou asteroide que se torna um meteoro quando entra na atmosfera. A maioria deles se desintegra nesse momento e, às vezes, alguns desses fragmentos atingem o solo. O visitante observado recentemente, no entanto, não desceu o suficiente na atmosfera para queimar por completo, o que o permitiu “escapar” da fragmentação.

O objeto foi avistado por câmeras do projeto Global Meteor Network, que visa cobrir o globo com câmeras para detectar meteoros e fornecer ao público alertas em tempo real se for preciso. “A rede é basicamente um instrumento científico descentralizado, formado por astrônomos amadores e cidadãos cientistas de todo o planeta, cada um com seus próprios sistemas de câmeras”, explicou Denis Vida, fundador da iniciativa, em comunicado.

Dezenas de milhares de meteoritos já foram encontrados na Terra, mas apenas cerca de 40 podem ser rastreados até um asteroide ou fonte de origem. Com uma melhor compreensão desses pequenos corpos, os astrônomos serão capazes de construir uma imagem mais completa do Sistema Solar, rastreando asteroides potencialmente perigosos, chuvas de meteoros que podem colocar satélites em perigo e até analisar a química e as origens do sistema em que a Terra se encontra.

“Disponibilizamos todos os dados, como trajetórias e órbitas de meteoroides, ao público e à comunidade científica, com o objetivo de observar raras explosões de meteoros e aumentar o número de quedas de meteoritos observadas e ajudar a entender os mecanismos da chegada de meteoritos na Terra”, disse Vida.

Galileu

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Macedo disse:

    Mais uma prova do nosso planeta ter sido criado por Deus.
    A nossa atmosfera, desintegra os asteróides e agora também sabemos que os repelem.

  2. Entregador De Pizza 🍕 disse:

    Se quiser voltar e fazer o nome, está aí o endereço exato: 15°47'57.2"S 47°51'38.4"W

Celso de Mello antecipa volta ao STF e reassume caso de Bolsonaro sobre suposta interferência na PF

FOTO: DANIEL FERREIRA/METRÓPOLES

O ministro Celso de Mello, que estava de licença médica, antecipou para esta sexta (25) sua volta aos trabalhos do Supremo Tribunal Federal e reassumiu a relatoria do inquérito que apura a suposta interferência do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal.

O STF confirmou à CNN que a volta da investigação para as mãos de Mello é automática, e que já ocorreu.

Durante a ausência do decano do STF, a relatoria do caso foi para ministro Marco Aurélio. Durante sua interinidade, ele decidiu que o recurso de Bolsonaro contra a obrigatoriedade de depoimento presencial à PF deveria ser julgado pelo plenário da corte.

Mello havia determinado que o interrogatório deveria ser presencial.

Iniciada no dia 19 de agosto, a licença de Mello iria até sábado (26), mas foi encerrada na quinta (24) — pela previsão original, ele deveria voltar aos trabalhos do STF na próxima segunda-feira.

O encerramento da licença se deu no mesmo dia em que Marco Aurélio divulgou seu voto no caso Bolsonaro: ele defendeu que o presidente tinha o direito de prestar depoimento por escrito.

O julgamento sobre a forma do depoimento de Bolsonaro está marcado para a próxima sexta, 2 de outubro, e deverá ocorrer no plenário virtual do STF. Mello deixará a corte em 1º de novembro, quando completará 75 anos, idade limite para integrantes do Supremo.

CNN Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carlos Brasileiro disse:

    Isso vai terminar em merda ou em pizza podre.

  2. Entregador De 🍕 disse:

    Tomara que venha algo do tamanho de um cometa.

    • GCF disse:

      Falou o comunista que está com inveja e raiva do governante do executivo nacional.
      Aconteça o que acontecer, não diminui os crimes de seus PThalhas…

Reunião na CBF, sobre volta da torcida, termina em confusão

Foto: CBF

Uma reunião por videoconferência, marcada pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) com representantes dos 20 clubes da Série A e que tinha como pauta a discussão sobre o possível retorno de público nos jogos da competição, terminou em discussão, xingamentos e sem nenhuma definição sobre o assunto. Os protagonistas dos momentos de maior tensão do encontro foram Rogério Caboclo, presidente da entidade, e Rubens Lopes, presidente da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj).

A reunião começou por volta das 17h e, logo no início, Caboclo propôs aos presentes a volta do público aos estádios. O presidente da CBF afirmou ainda que para que os torcedores retornassem às partidas a entidade teria de conversar com as prefeituras, mas que antes gostaria de ouvir a posição das equipes.

A maior parte dos representantes dos clubes optou pela isonomia – só seria liberada a presença da torcida se fosse para todas as equipes. Foi nesse ponto que surgiu o primeiro conflito. O Flamengo e a Ferj defenderam que o público deveria ser liberado nas cidades que concordassem com a decisão.

Palmeiras e Corinthians, entre outros, foram taxativos e não aceitaram. Nisso, Caboclo decidiu colocar em votação uma proposta para uma volta conjunta, sem data definida. Rubens Lopes pediu a palavra e lembrou que o pleito não poderia ser realizado, pois não se tratava de uma reunião arbitral, e sim de um simples encontro.

Caboclo ficou irritado com a interrupção. Com a voz elevada, passou a falar que era ele quem presidia a entidade e não outra pessoa. Lopes respondeu e, com ironia, perguntou se o presidente da CBF havia se esquecido de tomar o “Gardenal” (remédio controlado usado para tratar e prevenir convulsões e episódios de epilepsia).

Diante da incredulidade dos presentes, Walter Feldman, secretário da entidade, interveio e a reunião foi encerrada.

No encontro, ainda houve uma rusga entre Mário Celso Petraglia, presidente do Athletico-PR, Caboclo e Lopes. Caboclo ainda queria debater assuntos relacionados ao novo coronavírus, mas não houve nenhuma discussão sobre o assunto.

A única decisão efetiva do encontro foi o aumento do número de jogadores inscritos por clube no Brasileirão – de 40 para 50 atletas.

A decisão de aumentar dez jogadores por clube se dá na semana que o Flamengo vive um surto de covid-19 dentro do seu elenco. Até esta quinta, são 16 jogadores infectados, além do presidente Rodolfo Landim e do vice de futebol, Marcos Braz.

Por isso, o clube carioca quer o adiamento de sua partida contra o Palmeiras, marcada para domingo às 16h no Allianz Parque. O pedido, que o Alviverde se opõe, não teve resposta da CBF e o Flamengo deve entrar com medida no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para não ter que atuar com jogadores das suas categorias de base. O time ainda quer ter o direito de não entrar em campo sem ser penalizado com a perda dos pontos.

R7, com Estadão

Pernambuco libera volta dos cinemas e eventos sociais; saiba onde haverá retomada

Foto: Tais Lima/Divulgação

Pernambuco vai liberar festas, casamentos, shows, peças de teatro e cinema, a partir de segunda-feira (28). A mudança faz parte da nona etapa do Plano de Convivência com a Covid-19 e é válida para o Grande Recife, Zona da Mata e parte do Agreste. No interior, as regiões de Ouricuri e Afogados da Ingazeira avançam para a fase 8, onde as demais cidades já estão.

O governo também anunciou, em coletiva de imprensa transmitida pela internet, a permissão de entrada de todos os turistas em Fernando de Noronha, mesmo quem não teve Covid-19, a partir de 10 de outubro. Se não houver retrocessos no Plano de Convivência, todo o estado deverá estar na última fase de liberações até 9 de novembro.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Bruno Schwambach, também haverá uma mudança na capacidade permitida de funcionamento nos restaurantes, bares e demais serviços de alimentação, que poderão funcionar com 70% da capacidade ocupada e no período das 6h à meia-noite. Isso é válido para as cidades na nona etapa do plano.

“Para as cidades do Recife, Goiana, Palmares, Limoeiro e Caruaru, estamos antecipando esse aumento de carga para os serviços de alimentação para a quinta-feira (24). A partir de agora, também teremos avanços de fase no Plano de Convivência a cada 15 dias, respeitando o histórico dessa ampliação nas cidades”, afirmou o secretário.

Para a abertura dos eventos, é preciso obedecer a capacidade máxima de 100 pessoas por espaço, ou 30% da capacidade, dando preferência ao critério que ocasionar a menor quantidade de pessoas.

Com a mudança de capacidade dos serviços de alimentação, a distância obrigatória entre as mesas passa de 1,5 metro para 1 metro. Os clientes seguem precisando utilizar máscaras em todos os momentos em que não estiverem nas mesas.

Caso os números dos níveis de contágio se mantenham controlados depois de duas semanas na etapa 9, as gerências de saúde 1, 2, 3, 4 e 12, do Grande Recife, Zona da Mata e parte do Agreste, avançam para a etapa 10 no dia 12 de outubro. Nessa etapa, serão liberados os eventos corporativos, culturais e sociais para até 300 pessoas e os parques de diversão.

“Se não precisarmos retroceder em nenhuma região, no dia 9 de novembro teremos todas as atividades econômicas permitias a funcionar, mas com cargas específicas, pois, enquanto não houver uma vacina ou medicamento eficaz contra a Covid-19, deveremos aprender a conviver com o coronavírus”, declarou Bruno Schwambach.

Noronha

Desde 1º de setembro, está permitida a entrada de turistas que já tiveram a Covid-19 em Noronha. Agora, essa reabertura ocorrerá mesmo para aqueles que ainda não foram contaminados pelo novo coronavírus. No entanto, eles deverão entregar o resultado de um exame do tipo RT-PCR, que comprove que eles não estão com o vírus ativo no organismo.

“Não se detecta contaminação comunitária desde maio e, por isso, hoje, podemos anunciar a segunda etapa da reabertura do turismo. O turista precisa realizar um exame tipo RT-PCR no dia anterior ou mesmo no dia do embarque e apresentar no desembarque. Ele também precisa ativar o aplicativo Dycovid e fazer um novo teste na saída da ilha, para que, se for positivo, possamos rastrear todos que tiveram contato com ele”, afirmou o administrador de Noronha, Guilherme Rocha.

De acordo com o secretário estadual de Saúde, André Longo, um estudo para analisar a presença do vírus na ilha está sendo feito para subsidiar a reabertura.

“As medidas em Noronha estão sendo orientadas por uma pesquisa de incidência e prevalência, fundamental para analisar a permanência do vírus no arquipélago. Nas duas primeiras etapas, mais de 1,6 mil testes foram feitos e, na segunda, todos os 758 exames realizados deram negativo”, explicou.

O que é permitido em cada região:

Fase 9

Esta etapa foi alcançada pelas regionais de saúde 1, 2, 3, 4 e 12. Nessas regiões, estão liberadas as seguintes atividades e espaços:

Eventos culturais, como cinema, teatro e similares (com até 100 pessoas)

Eventos sociais, como casamentos e festas (com até 100 pessoas)

Eventos corporativos (com até 100 pessoas)

Turismo em Noronha

Comércio de praia

Exposições e museus

Restaurantes e outros serviços de alimentação (com 70% da capacidade, das 6h à 0h)

Academias de ginástica

Futebol, sem público

Serviços de escritório (com 100% da capacidade)

Comércio de veículos com 100% da capacidade

Atividades esportivas individuais ao ar livre

Praias, parques e praças

Shoppings (no horário normal, das 10h às 22h)

Comércio varejista nos bairros

Salões de beleza

Indústria

Comércio atacadista

Construção civil

Confira os municípios de cada Gerência Regional de Saúde desta fase:

Gerência 1: Abreu e Lima, Araçoiaba, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Chã Grande, Chã de Alegria, Glória de Goitá, Fernando de Noronha, Igarassu, Ipojuca, Itamaracá, Itapissuma, Jaboatão dos Guararapes, Moreno, Olinda, Paulista, Pombos, Recife, São Lourenço da Mata e Vitória de Santo Antão.

Gerência 2: Bom Jardim, Buenos Aires, Carpina, Casinhas, Cumaru, Feira Nova, João Alfredo, Lagoa de Itaenga, Lagoa do Carro, Limoeiro, Machados, Nazaré da Mata, Orobó, Passira, Paudalho, Salgadinho, Surubim, Tracunhaém, Vertente do Lério e Vicência.

Gerência 3: Água Preta, Amaraji, Barreiros, Belém de Maria, Catende, Cortês, Escada, Gameleira, Jaqueira, Joaquim Nabuco, Lagoa dos Gatos, Maraial, Palmares, Primavera, Quipapá, Ribeirão, Rio Formoso, São Benedito do Sul, São José da Coroa Grande, Sirinhaém, Tamandaré e Xexéu.

Gerência 4: Agrestina, Alagoinha, Altinho, Barra de Guabiraba, Belo Jardim , Bezerros, Bonito, Brejo da Madre de Deus, Cachoeirinha, Camocim de São Felix, Caruaru, Cupira, Frei Miguelinho, Gravatá, Ibirajuba, Jataúba, Jurema, Panelas, Pesqueira, Poção, Riacho das Almas, Sairé, Sanharó, Santa Cruz do Capibaribe, Santa Maria do Cambucá, São Bento do Uma, São Caetano, São Joaquim do Monte, Tacaimbó, Taquaritinga do Norte, Toritama e Vertentes.

Gerência 12: Goiana, Aliança, Camutanga, Condado, Ferreiros, Itambé, Itaquitinga, Macaparana, São Vicente Ferrer e Timbaúba.

Fase 8

Os serviços de escritório poderão funcionar com 100% dos trabalhadores e fica permitida a abertura de museus e espaços de exposição.

Gerência 5: Águas Belas, Angelim, Bom Conselho, Brejão, Caetés, Calçados, Canhotinho, Capoeiras, Correntes, Garanhuns, Iati, Itaíba, Jucati, Jupi, Lagoa do Ouro, Lajedo, Palmerina, Paranatama, Saloá, São João e Terezinha.

Gerência 6: Arcoverde, Buíque, Custódia, Ibimirim, Inajá, Jatobá, Manari, Pedra, Petrolândia, Sertânia, Tacaratu, Tupanatinga e Venturosa.

Gerência 7: Belém do São Francisco, Cedro, Mirandiba, Salgueiro, Serrita, Terra Nova e Verdejante.

Gerência 8: Afrânio, Cabrobó, Dormentes, Lagoa Grande, Orocó, Petrolina e Santa Maria da Boa Vista.

Gerência 9: Araripina, Bodocó, Exu, Granito, Ipubi, Moreilândia, Ouricuri, Parnamirim, Santa Cruz, Santa Filomena e Trindade.

Gerência 10: Afogados da Ingazeira, Brejinho, Carnaíba, Iguaraci, Ingazeira, Itapetim, Quixaba, Santa Terezinha, São José do Egito, Solidão, Tabira e Tuparetama.

Gerência 11: Betânia, Calumbi, Carnaubeira da Penha, Flores, Floresta, Itacuruba, Santa Cruz da Baixa Verde, São José do Belmonte, Serra Talhada e Triunfo.

Com G1

 

Ministério da Saúde aprova estudo da CBF para volta de 30% do público no Brasileiro

Foto: Antonio Scorza

O Ministério da Saúde aprovou o estudo enviado pela CBF para a volta de até 30% do público aos estádios do Brasil, nos jogos do Campeonato Brasileiro da Série A, a partir de outubro.

Segundo a reportagem apurou, a entidade já recebeu o aval do órgão, através de ofício do Ministro Eduardo Pazuello, que endereçou documento ao presidente Rogério Caboclo.

A única exigência é que cada município ou estado adote a sua política sanitária e um protocolo de saúde. A CBF entende que a liberação deve ser feita de forma uniforme em todo o Brasil.

O processo de liberação para a volta parcial do público aos estádios de futebol do Rio terá novos capítulos essa semana no Rio. Depois de a Prefeitura do Rio anunciar na última sexta-feira que pretende ter 20 mil pessoas no Maracanã em outubro, autoridades municipais, estaduais e federais se encontram na próxima quinta-feira para avaliar os dados apresentados pela CBF ao Ministério da Saúde.

O documento leva em consideração o que foi enviado pela CBF. Mas a entidade ainda tem sua participação aguardada na reunião. A Comissão Médica da CBF ainda não foi convidada para tratar do assunto.

Vale lembrar que decreto de sábado do governador em exercício, Claudio Castro, ainda proíbe o público em eventos no Rio até o dia seis de outubro.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. joas andrade disse:

    livres e conscientes!

INSS exige volta de peritos e pode descontar salário

Foto:Reprodução/Globo

O governo determinou que os peritos médicos federais retomem ainda nesta quinta-feira (17) o atendimento presencial nas agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Agências do INSS foram reabertas na segunda-feira (14), mas os médicos peritos se recusam a retomar o atendimento alegando falta de adequação dos locais.

“Os peritos médicos federais já foram informados a respeito da liberação dos consultórios e também sobre a reabertura das agendas para marcação das perícias. Caso algum perito apto ao trabalho presencial não compareça para o serviço sem justificativa, terá registro de falta não justificada”, informou em nota, a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho.

“A falta não justificada implica em desconto da remuneração e pode resultar em processo administrativo disciplinar, se caracterizada a inassiduidade”, afirmou, em nota, a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho”, conclui o texto.

Segundo a secretaria, após inspeções, 111 das 169 agências que possuem serviço de perícia médica já estão aptas a atender o público. “O agendamento estará disponível em breve pelo portal Meu INSS”, acrescentou.

As perícias são necessárias para permitir que trabalhadores recebam auxílio, retornem ao trabalho ou consigam a aposentadoria.

Queda de braço

As agências do INSS seguem sem realizar perícias médicas nesta quinta-feira, mesmo após o governo afirmar na véspera que o atendimento seria retomado.

A previsão inicial de retorno era na última segunda-feira, mas os peritos médicos alegaram falta de adequação das agências, e o INSS decidiu realizar novas inspeções para a retomar a realização de perícias. Entenda a queda de braço.

Na nota desta quinta, o governo destacou que as inspeções feitas nesta semana seguiram protocolo estabelecido em conjunto com o Ministério da Saúde. “As coordenações regionais da Perícia Médica Federal foram notificadas a indicarem representantes para acompanhamento nas inspeções, que não compareceram a nenhuma delas”, acrescentou.

A reabertura das agências sem o serviço de perícias causou uma onda de filas e reclamações pelo país entre segunda e terça-feira, e congestionamento nos canais de atendimento digitais e telefônico do INSS.

De acordo com o INSS, 600 mil pessoas tiveram o pedido de antecipação negado após a pandemia e aguardam uma nova perícia. O novo prazo para agendamento de perícia — que era de, em média, 15 dias — não foi informado pela autarquia.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Aparecida disse:

    Se o INSS atendesse juízes, desembargadores e/ou a classe política já tinham planejado locais decentes para o atendimento. Mas como quem procura o INSS é a classe trabalhadora, não houve interesse em se planejar com ANTECEDÊNCIA esse atendimento. Para Bolsonara dar uma volta no quarteirão de Brasília há todo um aparato para acompanhá-lo, e toda essa proteção é paga por "NOZES"

  2. MARINHO disse:

    TRABALHAR NÃO PODE! PEGA COVID.
    FREQUENTAR PRAIA PODE!
    ANDAR EM SUPERMERCADO LOTADO PODE!
    SE DESLOCAR EM ÔNIBUS CHEIO, PODE!
    IR A BAR E RESTAURANTE, PODE!
    SAIR PARA CASA LOTÉRICA, PODE!
    LEMBRE-SE: TRABALHAR E TER AULA PRESENCIAL NÃO! PEGA COVID.
    UM DOS IRRESPONSÁVEIS USO POLÍTICO NA PANDEMIA. UM PAÍS DE PONTA CABEÇA.

  3. Direita Honesta disse:

    Olha, por mais que a gente saiba que o serviço público é necessário e que há muitos servidores públicos realmente merecedores desse nome (SERVIDOR), temos que reconhecer também que muitas vezes fica difícil defender a essencialidade ou a necessidade dessa categoria. E isso dá-se apenas em função de boa parte dos PRÓPRIOS servidores. É lamentável. Vamos trabalhar, gente. Os seus "patrões" (os pagadores de impostos) precisam dos seus serviços E APENAS ISSO justifica sua existência. Olho vivo, minha gente.

  4. Antônio Soares disse:

    Os peritos sabem o risco que corem, vida só tem uma. Áreas sem ventilação, número grande de pessoas, espaço pequeno, sem a mínima segurança de suas vidas.O INSS quer se livrar de funcionários e de aposentados custe o que custar. Atitude criminosa de alguns gestores.

    • GCF disse:

      Boa tarde.
      Muitos casos podem ser comprovados por vídeo conferência. Por exemplo, uma pessoa que acidentou-se e perdeu uma perna ou um braço. Dentro desse exemplo, quem teve algum membro amputado, passou por cirurgia e consegue comprovar por documentos emitidos por hospitais, laboratórios e médicos, além de mostrar em vídeo seu problema. Home Office é o mínimo a se exigir desses médicos covardes e que esqueceram de seu juramento profissional . Com certeza há muitos MÉDICOS, na essência da palavra, que querem retornar ao trabalho de perícia presencial. Todos eles recebem para desempenhar suas funções. Se não estão confortáveis ou satisfeitos com a situação, peçam demissão. Com certeza aparecerão PROFISSIONAIS para atender esses contribuintes necessitados de justiça social.

  5. Oliver disse:

    Se investigar, pode ter certeza que tem muito médico do INSS atendendo em suas clínicas particulares.

    • Tarcísio Eimar disse:

      Exatamente, se brincar até em condições menos seguras q nos consultórios do INSS. Na clínica dele sabe q se não trabalhar não recebe, já no INSS

Presidente do INSS prevê volta de perícias nesta 5ª após vistorias

 Foto: Carolina Cruz/G1

O presidente do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) Leonardo Rolim Guimarães, afirmou nesta quarta-feira (15) que as perícias médicas, que estão suspensas, serão retomadas a partir de quinta-feira (17) nas agências que tiverem passado por inspeção do órgão.

Segundo Rolim, ao menos 151 agências em todo o país já foram vistoriadas.

“A partir de amanhã, aquelas [agências] que passaram por inspeção hoje, já retomam o trabalho”, afirmou o presidente do INSS durante vistoria a uma agência de Brasília, que retomará perícias na quinta (17).

Apesar da declaração do presidente, o vice-presidente da Associação Nacional de Médicos Peritos (ANMP), Francisco Cardoso, afirma que a categoria não voltará às atividades nas agências.

” A chance é zero. A essa hora não dá mais para organizar a lista de vistoria. O INSS não nos forneceu nada.”

O INSS reabriu as agências na segunda-feira (14) após cinco meses fechadas por conta da pandemia de Covid-19. Mas o serviço de perícia médica, um dos principais, não foi retomado.

A suspensão das perícias está relacionada a uma queda de braço entre instituto e os médicos peritos (veja detalhes abaixo).

Os profissionais dizem que o INSS não adaptou as agências para que o serviço seja feito em segurança em meio à pandemia. O instituto diz que os profissionais estão reivindicando melhorias que não têm relação com prevenção da doença.

O vice-presidente da Associação Nacional de Médicos Peritos (ANMP), Francisco Cardoso, afirma que não há como separar “problema relacionado à Covid-19” dos demais “problemas antigos”, pois as agências apresentaram problemas de ventilação adequada, infraestrutura de higiene – como falta de pias, de sabão, de latas de lixo e de limpeza adequada – e sem segurança na entrada.

Nesta quarta, após a visita do presidente do INSS à agência, Cardoso afirmou que a ação foi uma “inspeção política”. O vice-presidente da associação disse que a vistoria “será apenas quando a SPMF [Subsecretaria da Perícia Médica Federal] for demandada com o check-list original para reavaliação das agências”.

“Vidas humanas têm que ser respeitadas. O benefício já está sendo garantido por via remota de maneira emergencial, logo falta apenas o INSS fazer seu dever, que deixou de fazer nos seis meses fechados, e organizar as agências de forma séria para o retorno da perícia presencial.”

O INSS prometeu, então, fazer inspeções nas agências entre terça e quarta-feira (16). A Associação Nacional dos Médicos Peritos (ANMP) foi chamada a participar das vistorias, mas, segundo o órgão federal, não compareceu.

Sem perícia

A reabertura das agências sem o serviço de perícias causou uma onda de filas e reclamações pelo país entre segunda e terça-feira, e congestionamento nos canais de atendimento digitais e telefônico do INSS.

As perícias são necessárias para permitir que trabalhadores recebam auxílio, retornem ao trabalho ou consigam a aposentadoria. Segundo os cálculos do INSS, cerca de sete mil pessoas podem ter sido prejudicadas na segunda-feira.

Pagamento de benefícios

Mesmo com as agências fechadas por quase seis meses, o INSS continuou a pagar benefícios que precisam de perícia médica. De janeiro a julho deste ano, foram pagos R$ 46,3 bilhões para os beneficiários de aposentadoria por invalidez, auxílio-doença e auxílio-acidente. Esse valor é 14,4% maior que o pago nos mesmos meses de 2019 (total de R$ 40,5 bilhões).

Já o número de benefícios concedidos teve queda de 4,6% – de 35,8 milhões para 34,2 milhões.

O levantamento foi feito pelo G1 nos boletins estatísticos da Previdência Social e incluem auxílio-doença e aposentadoria por invalidez previdenciário – não ligado a acidente ou doença do trabalho – e acidentário, que tem relação com acidente ou doença do trabalho; além do auxílio-acidente, benefício concedido quando a doença ocupacional ou acidente de trabalho deixam sequelas que reduzem a capacidade laboral.

Houve queda nos valores pagos apenas no auxílio-doença nos primeiros sete meses do ano em relação a 2019. A maior foi no acidentário, redução de quase 14%. Já o previdenciário teve redução de 5,1% no mesmo período.

Os demais benefícios tiveram aumento nos valores pagos. Os maiores incrementos foram no auxílio-acidente (22,7%) e na aposentadoria por invalidez previdenciária (22,2%).

G1