Andressa Urach: “Eu buscava estar em evidência para aumentar o meu cachê na prostituição”

Andressa Urach, de 32 anos de idade, chega ao quarto de um hotel em São Paulo, com um vestido florido comportado, o cabelo curto e escuro, as unhas curtas e pintadas com base incolor e um semblante calmo. Em outros tempos, naquele mesmo hotel – que fica próximo do sambódromo da capital paulista -, ela costumava se preparar para o Carnaval. Ela diz que, em um quarto como aquele, além de carreiras de cocaína e muito álcool, ela confabulava com sua equipe possíveis polêmicas que pudessem deixá-la em evidência na mídia.

“Em um quarto como esse a gente chamava massagista para fazer fotos seminuas, se maquiava, bebia, usava drogas… Foi aqui que inventei a história do top roubado da minha fantasia de Carnaval. Foi um escândalo intencional porque eu queria ficar com a parte de cima nua. Eu era muito arrogante e prepotente. Não era nada, mas me sentia a estrela do momento”, relembra em entrevista para Quem o episódio de 2013. Na época, Andressa aparecia em frente às câmaras aos prantos reclamando do roubo de sua fantasia e ainda batia boca com a equipe da Tom Maior porque não aceitava o local que iria desfilar como destaque em um carro, que segundo ela, iria encobri-la com tanta fumaça.

“Todas as famosas querem destaque na imprensa porque gastam absurdos. Eu gastava 80 mil reais em uma fantasia para aparecer um dia! É um investimento muito grande e às vezes, as pessoas pagam até muito mais para ser rainha. Era uma competição muito grande de quem queria aparecer mais. E eu queria muito aparecer e o Carnaval era o momento. Buscava estar em evidência para aumentar o meu cachê na prostituição”, explica ela, que diz ter tido relações sexuais com mais de dois mil homens, entre eles ladrões, traficantes, jogadores, atores e cantores.

Falar abertamente sobre o passado e os vícios em fama, drogas, sexo e masoquismo foi uma das decisões que Andressa tomou após se converter ao evangelho, quatro anos atrás, e escrever seu primeiro livro, Morri para Viver, editora Planeta (2015). A mudança veio após o coma e uma internação de quase um mês na unidade de terapia intensiva (UTI) do Grupo Hospital Conceição (GHC), em Porto Alegre, decorrente de complicações de uma aplicação de hidrogel na perna e no bumbum.

“Quando entrei em coma, vi minha alma saindo do corpo e o julgamento da minha alma. O espírito da morte veio buscar a minha alma, mas Deus teve misericórdia de mim e me deixou viva. Neste quatro anos de conversão, estou tendo uma nova chance de escolher caminhos diferentes. Todos os dias busco ser uma pessoa melhor do que fui ontem. Se eu não tivesse me convertido eu estaria presa, morta ou no hospício”, afirma.

Andressa agora lança seu segundo livro, Desejos da Alma, da editora Unipro, em que aborda sua luta para persistir no seu novo rumo sem retomar aos velhos hábitos.

“Todos nós temos inclinações. As minhas eram a vida sexual e a fama. O mais difícil era vencer o vício pelo sexo. Eu dormia com um homem por noite. Todo dia tinha alguém diferente. Não tinha equílibrio. Não vou mais para balada e rompi os laços que a antiga Andressa tinha”, destaca ela, que atualmente vive no Rio Grande do Sul com o filho, Arthur, e trabalha na TV com o programa Eu Sobrevivi, sobre histórias de superação.

INFÂNCIA DE ABUSOS

Andressa nasceu em Ijuí, no Rio Grande do Sul, em uma família muito humilde. O pai abandonou a família e a mãe a deu para um casal. O pai de criação começou então a abusar sexualmente dela.

“Vim de família muito pobre. Passei muito necessidade quando criança. Meu pai me rejeitou e disse que eu não era filha dele. Minha mãe era muito pobre e não tinha condição de me criar e meu deu para um casal. O homem que me criou abusava sexualmente de mim dos 2 aos 8 anos. Ali eu perdi a minha inocência, nasceu a malícia, raiva e magoa. Ninguém nasce mau, as pessoas se tornam más. A minha mãe de criação viu ele abusando de mim e me devolveu para a minha avó. A gente morava em um lugar que tinha muitos morcegos e não tinha geladeira. Minha avó trabalhava como cozinheira e trazia comida do restaurante que sobrava para a gente. Já comemos muita comida estragada. Eu pensava: ‘Quando eu for rica e famosa, vou ser feliz’. Conquistei tudo o que eu queria, menos a felicidade.”

PROSTITUIÇÃO

Para poder comprar roupas de grife, fazer procedimentos estéticos e ter uma vida de luxo, Andressa começou aos 21 anos a se prostituir. Ela andava com carro importado e morava em uma cobertura de luxo. “Eu era coordenadora de RH de uma empresa de marketing profissional, tinha um filho para sustentar e não tinha como comprar as coisas boas e bonitas que eu desejava. Quando entrei para a prostituição, a ambição entrou em mim. Comecei em um bordel e depois vi que com a fama podia fazer mais dinheiro na prostituição. Com a prostituição de luxo, ganhava no mínimo 30 mil reais por mês. Cheguei a ganhar 80 mil reais para me passar por namorada de um sertanejo.”

SEXO

O sexo de modo convencional começou a não dar mais a emoção desejada por Andressa, que ainda percebeu que com o masoquismo poderia ganhar mais dinheiro. “Comecei a fazer sadomasoquismo porque quanto mais sujo e nojento o sexo, mais a gente faz dinheiro. Eu já não pensava mais em nada, só no dinheiro. Perdi o limite. Comecei a não sentir mais prazer no sexo normal. Eu precisava ser agredida, agredir, me submeter à urina, fezes e coisas muito piores. Era algo que você perdia a dignidade e se sentia um lixo e sentia prazer em se sentir um lixo. Tinha clientes que me pagavam absurdos para que eu os humilhasse. Eram homens poderosos e famosos, geralmente casados com mulheres lindas.”

DROGAS

Andressa conta que, viciada em álcool e em cocaína na época, ela chegou a ter três overdoses. “Comecei a usar cocaína aos 21 anos, quando entrei para a prostituição. A cocaína era um hábito para mim e fazia parte do meu dia eu cheirava de manhã, de tarde e de noite. Também bebia todos os dias.Tinha um vazio e uma necessidade de ter emoções, estar sempre feliz… Estava sempre buscando a sensação da primeira vez que eu cheirei, quando tive um êxtase. Nas outras vezes, estava sempre buscando aquela sensação, mas ela não vinha. Então, acabava cheirando cada vez mais para tentar sentir o que sentia pela primeira vez. Tanto é que tive três overdoses.”

DEPRESSÃO

Quando Andressa sentiu que tinha conquistado tudo que desejava, ela passou a lidar com a depressão e com os pensamentos suicidas.

“Encontrei a paz que eu não tinha em Deus. Eu tinha tudo o que o dinheiro podia oferecer: um carro importado, cobertura em prédio de luxo estava com o corpo perfeito, viajando para vários países e tinha o homem que eu quisesse do meu lado, mas estava pensando em tirar a minha vida, em pular da janela do meu apartamento para ter paz. Tomava antidepressivos todos os dias. Era calmante, bebida e droga”, relembra ela, que lidava ainda com a insônia.

“Tinha insônia e quando dormia, tinha muitos pesadelos. Uma vez senti um espírito tendo relação sexual comigo. Quem passa por isso sabe que é real. Tinha pesadelo também de sentir como se alguém me segurasse e sufocasse.”

MORTE

Viciada em procedimentos estéticos, Andressa entrou em coma devido à infecção causada pela aplicação de hidrogel no bumbum e pernas.

“Eu entrei no hospital com a pressão 7 por 3 e muita dor. Logo que entrei em coma, vi a minha alma sair do meu corpo. Ela era igual ao meu corpo, mas uma fumacinha. Vi o meu corpo na maca e a equipe médica. Minha alma foi subindo e foi para um lugar muito bonito, silencioso e de muita paz. Era o julgamento da minha alma. Deus estava de juiz e eu não tinha Jesus para me defender. Ali tinha toda a minha vida, todos os erros, todas as oportunidades que tive de fazer a escolha certa e que eu tinha negado. Me senti suja e envergonha. Estava nua e tinha vergonha”, relembra, sem conter as lágrimas.

“Vi então uma luz brilhante, que era Deus, e na hora pensei no meu filho. Eu pedi para que Ele me deixasse voltar para cuidar dele. Se eu morresse naquele momento, que mãe ele teria? Que imagem teria de mim? Uma mãe que o envergonhou? Senti o perdão de Deus dentro de mim, abaixei a cabeça porque não conseguia olhar para Ele e voltei. Para mim foram cinco minutos, mas eu já estava três dias em coma. Minha alma encaixou no meu corpo, eu respirei e olhei para o meu redor. Minha mãe e uma enfermeira estavam no quarto e de repente ele se encheu de vultos negros que gritavam. Era como se rasgasse a minha carne a cada grito. Entrou um espírito preto e turvo bem grande e veio pegar a minha alma, comecei a gritar pedindo misericórdia de Deus. Minha mãe viu o meu desespero e começou a orar. Aquele espírito foi embora. Estou viva por causa da oração.”

NOVA VIDA

Morando em Porto Alegre, Andressa tem uma vida tranquila e sem luxos. Não vai mais para baladas, como fazia diariamente antes da conversão. Seu maior prazer é ficar em casa com o filho, Arthur.

“Quando me converti, tive que aprender a perder para ganhar. Eu tinha um padrão de vida muito alto, que era mantido com a prostituição. Eu gastava mais do que ganhava. Era difícil pensar que ia ter que abrir mão disso. Mas quando me converti, tive que voltar para o Sul e para a casa da minha mãe, botar o meu filho, que estudou a vida toda em escola particular, em escola pública e ter um padrão de vida mais modesto. Mas sabia que valeria a pena. Não tem dinheiro que pague a cura da depressão, do vício em drogas e sexo. Hoje tenho paz e sei o valor do dinheiro. Jamais compraria uma bolsa de 27 mil reais e eu já tive quatro delas”, explica ela, que tinha 500 pares de calçados.

“Sempre justifiquei a prostituição com a mentira de dar uma boa vida para o meu filho. Mas o dinheiro passou por cima de tudo. Trocava pequenos momentos com o meu filho pela fama, baladas, viagens… Ficava dias sem dar notícia. Minha mãe assumia a responsabilidade com ele. Eu dava uma vida confortável e luxuosa para a minha mãe cuidar do meu filho, mas eu não comportava como mãe. Ele tinha 9 para dez anos quando meu converti. Digo que precisei morrer e nascer de novo para criar um laço com ele. Hoje meu maior prazer é ficar em casa com ele. ”

Globo, via Quem

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cristian disse:

    Deus é bom, a Universal que o corrompe! E ainda chama os outros de hipócritas.

  2. Ramilson Raniere disse:

    Deus é maior.jesus é maravilhoso.jesus é o caminho,a verdade e a vida.

  3. Jeová disse:

    As vezes a sociedade dos hipócritas julga os outros mas não sabe o real motivo pelo qual alguém seguiu um caminho tortuoso na vida.
    A vida dessa moça tem passagens marcantes desde quando ainda era uma criança, o abandono dos pais e os abusos do padrasto são passagens marcantes que só sabe quem passa por isso.
    Muito provavelmente, alguns dos que aqui julgam de forma preconceituosa não tem ideia das marcas causadas por essas ações na vida de uma criança.
    Os pobres de espírito preferem julgar, descriminar, rejeitar, criticar ao invés de amparar os que passam por necessidade e precisam de ajuda.
    O julgamento cabe a Deus e não a essa sociedade repleta de hipócritas.

  4. Evan Jegue disse:

    Uma vez escrava de atenção, sempre escrava de atenção. Impressionante, o querer aparecer dela não sossega.

    • Pablo disse:

      Verdade!!! tem muitos no Brasil que para aparecer acha bonito dizer que é PUTA.

Confira o cachê dos artistas do Natal em Natal

Por Agora RN: O Diário Oficial do Município (DOM) trouxe nesta quarta-feira (23) o contrato da última atração nacional do Natal em Natal que ainda não havia tido o seu cachê divulado. A banda Babado Novo receberá por 1h30 de show R$ 65 mil. Desse valor, R$ 62,4 mil sairão do Ministério do Turismo, enquanto os demais R$ 2,6 mil serão por parte da Prefeitura de Natal. Com isso, os recursos do governo federal destinados ao evento ultrapassam os R$ 600 mil.

O Ministério do Turismo é a pasta controlada pelo ex-deputado federal Henrique Eduardo Alves (PMDB), primo do prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (PDT). A “ajuda” financeira do peemedebista expõe a parceria firmada entre ambos em relação as eleições de 2016, quando o pedetista disputará a reeleição. Nos bastidores, apesar de ainda não confirmada, é dada como certa a aliança entre os dois partidos na capital potiguar.

O cantor Dorgival Dantas receberá R$ 90 mil, Elba Ramalho R$ 120 mil e Lucy Alves R$ 45 mil. Elba cantará durante 1h20 no Festival de Música de Natal, no dia 30 de dezembro. O evento será realizado no largo do ginásio Nélio Dias, na zona Norte da cidade. O cachê da paraibana será dividido entre a Prefeitura (R$ 4,8 mil) e o Ministério (R$ 115,2 mil).

Já Dorgival receberá R$ 3,6 mil do município e R$ 86,4 mil do Ministério do Turismo para cantar durante 1h20 no mesmo local.

Lucy Alves fará um show de 1h30 também no Nélio Dias. O cachê da artista será dividido da seguinte forma: R$ 43,2 mil pagos pelo governo federal por meio do Ministério do Turismo, e R$ 1,8 mil alusivo à contrapartida da Prefeitura.

Os salários incluem “todas as despesas de logística aérea e terrestre, hospedagem e alimentação, excesso de bagagem e impostos da nota fiscal”, segundo informa os extratos publicados no DOM.

Outro cachê confirmado é o da banda Paralamas do Sucesso, que receberá R$ 158 mil para se apresentar por 1 hora no dia 26 de dezembro de 2015, na área externa do Arena das Dunas. Desse valor, R$ 151,6 mil são oriundos de repasses do Ministério do Turismo, enquanto a Prefeitura pagará apenas R$ 6,3 mil como contrapartida.

Já Fafá de Belém receberá R$ 100 mil por um show que deverá durar 1h20 no dia 27 de dezembro, também na área do Arena das Dunas. Desse total, R$ 96 mil serão pagos pelo Ministério do Turismo, enquanto somente R$ 4 mil sairão dos cofres do Palácio Felipe Camarão.

A cantora Margareth Menezes também teve seu cachê divulgado. A baiana receberá R$ 100 mil por 1h20 de show no dia 25 de dezembro, na Arena das Dunas. O Ministério do Turismo pagará R$ 96 mil, enquanto R$ 4 mil ficará como contrapartida da Prefeitura.

Das atrações que tiveram seus pagamentos publicados, apenas o cantor Fagner não receberá recursos oriundos do Ministério do Turismo. O artista cantará no dia 27 de dezembro e receberá R$ 115 mil, sendo R$ 70 mil bancados por meio da lei de incentivo fiscal, a partir dos patrocínios obtidos, enquanto a Prefeitura pagará os R$ 45 mil restantes.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bruno Cortêz disse:

    Natal é cidade turística, querem atrair turistas ? Certíssimo a contratação de grandes cantores e bandas, só acho que alguns valores poderiam ser melhorados para o contribuinte, apesar de incluir imposto do prestador de serviço, hospedagem e transporte.

  2. Rogerio Azevedo fotógrafo disse:

    E aí falta dinheiro para tanta coisa necessária… Más para trazer um bando de artistas de fora não, imagine este mesmo valor dividido entre artistas locais, valores que ficariam aqui e seriam gastos aqui….

  3. Lopes disse:

    30% de cada um ai esta indo para o bolso de alguém.
    Esses valores não condiz com os custos reais de cada banda!

  4. Elde Pereira disse:

    A velha politica do "pão e circo".
    O povo gosta é de festa, enquanto isso o país afunda-se em dívidas e mais dívidas.

  5. Godim disse:

    100 mil por Margareth Menezes?????

    Sou muito mais Pedrinho Mendes!

  6. Leonardo disse:

    Simplesmente absurdo. Enquanto isso o IPTU 2016 está sendo cobrado ainda em 2015 em razão da falta de recursos na prefeitura.

  7. José Carlos disse:

    Não existe absolutamente nada de graça, é o velho dinheiro do pagador de impostos sendo torrado em praça pública!

  8. Renato Lopes disse:

    Enquanto isso a saúde, segurança e educaçã, baubau……

Fátima vai começar a fazer comerciais; cachê deve passar de R$ 2 mi

A apresentadora e jornalista Fátima Bernardes, da Globo, terá outra mudança na carreira. Ela vai começar a estrelar comerciais e fazer a merchandising. Isso porque, ao trocar a Central Globo de Jornalismo (CGJ) pela Central Globo de Produções (CGP), ela adquiriu o status e mesmos direitos das principais estrelas da casa: fazer comerciais.

Estima-se no mercado que seu cachê deva ultrapassar R$ 2 milhões. Para efeitos de comparação, o veterano Fausto Silva pode receber mais de R$ 5 milhões em uma campanha publicitária.

Como o “Encontro com Fátima” agora fica sob a aba da CGP, faturar um extra com publicidade é permitido. Cabe lembrar que, apesar da liberdade, todo profissional da Globo deve sempre informar a Globo de suas ações publicitárias e receber um ok. A emissora tem, inclusive, direito de veto quando achar que a publicidade possa afetar ou se aproveitar de sua marca, seus produtos e personagens.

Já na Central de Jornalismo, onde estava antes, todos os profissionais são proibidos de fazer qualquer tipo de ação publicitária. Eis porque você nunca vê jornalista da Globo fazendo propaganda (de forma geral, isso é regra em todas as empresas de comunicação idôneas/éticas).

Fonte: Folha

Foto: Roberto Filho

Ricardo Chaves não recebe o combinado e não canta no Iate Clube de Caicó

O cancelamento de um show do cantor Ricardo Chaves causou tumulto na cidade de Caicó, na tarde deste domingo de carnaval (19). O evento que começou volta das 14h, e Ricardo Chaves seria o segundo artista a se apresentar, mas o cantor não subiu no palco.

Um blog local afirma que o motivo do cancelamento do show   seria a falta de público. A venda de ingressos não teria atingido a  media esperada, e a organização o teria cancelado. Muitas pessoas tentaram ir à bilheteria pegar o dinheiro referente ao pagamento da senha de volta, mas não conseguiram.

A organização da festa sugere que o ingresso seja trocado pelo show que ocorrerá amanhã. Os consumidores afirmam que entrarão com um processo no Procon para serem ressarcidos dos valores. O ingresso integral custou R$ 50, e a meia entrada R$ 25

Fonte: Tribuna do Norte

Do Blog: O Verdadeiro motivo de Ricardo Chaves não ter cantado foi falta de pagamento, o cantor saiu de Natal com uma garantia mínima de receita gerada pela bilheteria, chegando no local as vendas não tinha sido a esperada, após mais de uma hora de negociação e já com a primeira banda no palco, Deixe de Brincadeira,  o cantor Baiano não aceitou um cheque pré como pagamento e voltou para Natal. Nesse momento muita zuada no Iate Clube de Caicó.

Atualizado às 18:10: Em contato com esse Blog, o companheiro Robson Pires esclareceu alguns pontos sobre o  imbróglio envolvendo o contrato de Ricardo Chaves para cantar no Iate, segundo Robson, o contrato do cantor para ele cantar no Iate seria de R$ 80 mil Reais, devido a péssima venda de ingressos a diretoria do Iate com Robson teria chamado o empresário do Cantor, de nome Marquinhos e propuseram pagar R$ 30 mil em dinheiro, que era o arrecadado na bilheteria até o momento e passar um cheque de R$ 50 mil, que tanto poderia ser da diretoria do Iate como o do contratante, após idas e vindas na negociação o tempo foi passando e como o cantor foi para caicó de helicóptero, ele teria que voltar de caicó antes do anoitecer porque o aparelho não viaja de noite, enfim,  o tempo passou  e o cantor tinha outros compromissos para a data de hoje, entre eles um show em Pirangi, ambas as partes não chegaram a um acordo, como diz o Pintanatalense, o roçoio foi grande.

Luan Santana decide doar cachê após ser vaiado em show no Recife

Portal R7:

Após ser vaiado durante apresentação em Recife no último sábado (30) – quando atrasou quase duas horas e ficou no palco apenas por 30 minutos – o cantor Luan Santana anunciou em sua página no Twitter que vai doar o cachê do show.

Luan era uma das atrações do Maior Show do Mundo, que ainda teve nomes como Exaltasamba e Ivete Sangalo.

– Decidi doar todo meu cachê desse show para instituições de caridade de Recife que meu escritório vai definir quais são.

(mais…)

Qual a verdade sobre a gravação do Diante do Trono?

Na época em que a Prefeitura do Natal anunciou que a cidade serviria para gravação de DVD da banda Diante do Trono, questionou-se, de imediato, se o Executivo municipal bancaria alguma despesa relacionada à realização do show.
OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Robson Gouveia disse:

    Só 250 mil !!! Puxa é uma pena !! Um momento tão lindo e precioso, eternizado que muitos mundo a fora irão ver, assistir !!

  2. Ricardo Pufal disse:

    Bom…eu ja sabia! No dia da gravacao do tal show, quando o Twitter "chovia" de especulacoes, promocoes sobre o evento, achincalhamentos e tal….eis que eu questionei isso: "sera que a prefeitura de Natal entrou com dinheiro?". Eis a resposta agora pra todo mundo ver, exatos R$ 250 mil…meu,seu,nosso…que com certeza faz falta a alguma area essencial do governo municipal. Triste mas verdade!
    Abracos e sucesso.

  3. Ana disse:

    Divulgação da cidade? Ana Paula Valadão por acaso é alguma atração turistica da cidade? Me poupe, o negocio está correndo solto e aos olhos de tudo.

  4. Enquanto isso o MP proíbe que se doe uma merreca aos clubes de futebol que estão na mídia e que realmente divulgam a cidade.

  5. Márcio Franco disse:

    Verdade, o "secretário" não mentiu. Ele é só o "secretário" como poderia saber? Não sei o que é pior: o desconhecimento do secretário ou a falta de comunicação clara à população por parte da prefeitura. Diga-se de passagem que sou à favor dessas iniciativas. Mas, vivendo um momento delicado e obscuro do cenário político potiguar não caberia tal evento "Diante" de necessidades mais urgentes. O secretário não mentiu, ele apenas faz parte da prefeitura. É ou não é?

  6. Elven J. disse:

    Cadê o ministério público nessas horas??
    Fazer contrato com os clubes de futebol para que a divulgação da cidade seja efetiva na mídia nacional, não pode!!
    Agora ficar numa fila de banco mais de 30 minutos pode!!
    Agora usar essa valor todo em eventos desta natureza com o pretexto de divulgação da cidade também pode!!
    O trabalho do MP muita vezes não tem nenhuma lógica

Prefeitura banca estrutura e cachê para Diante do Trono

Ontem, na Nova FM, no programa Papo Cabeça, esse blog perguntou ao secretário chefe do Gabinete Civil, Kalazans Bezerra, por duas vezes, se a Prefeitura do Natal tinha bancado o show da banda Diante do Trono.

Ele negou.
 
“Demos apoio logístico ao show. Limpamos meio fio, a rua etc, mas bancar o evento não”. “muito menos pagamos o teatro riachuelo” “se por acaso teve algum patrocínio eu não tenho conhecimento” Essas foram as palavras firme do Secretário Kalazans Bezerra. 
 

Não é o que diz a verdade oficial.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ataulfo Alves disse:

    Se foi por emenda parlamentar deve ter sido de Albert Dickson, pois ele foi o interlocutor com a Prefeitura. Aliás o nobre vereador deve ser muito grato ao erário municipal: Convênio com a clínica de olhos dele.

Guamaré paga R$ 46.000,00 à Cantora Fadja Lorena

Prefeitura de Guamaré continua com atitudes exóticas. Desta vez contratou a cantora Assuense radicada em Natal, Fadja Lorena por R$ 46.000,00.

Não se discute aqui o talento da cantora, que por sinal é talentosa. Mas como pagar um cachê de R$ 46.000,00 a uma cantora que não tem projeção a nível Nacional, não tem um DVD gravado?

O cachê da Cantora Fadja Lorena para cantar em Bares e Shows aqui em Natal não passa de R$ 2.000,00. Tem alguns bares que chega a ser R$ 800,00 dependendo da formação com 4 ou 5 componentes a banda. A produção da cantora também não é cara, não tem passagens aéreas. Ela mora em Natal.
Parece até brincadeira, mas não é.
Segue abaixo o termo de inexigibilidade de licitação:
OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. FATIMA ALVES disse:

    Pelo que conheço da cantora Fádja Lorena, ela logo que souber dessa notícia esclarecerá e mostrará toda à verdade , pois ela é batalhadora, íntegra e honesta. Portanto vamos aguardar sua resposta.
    Fátima Alves

    • bruno disse:

      Oi Fatima, o seu IP é o mesmo de Fádja. Mas mesmo assim vou responder vc. Não fiz critica a cantora Fadja Lorena, já vi ela cantar e canta muito bem. Sobre a pessoa fisica dela, ai é que não criticamos mesmo. É só vc prestar bem atenção no post. Abraços

  2. Fádja disse:

    Bom dia Bruno, eu não lhe conheço mais você pelo jeito me conhece bem, ou acha que me conhece, sabe até o valor do meu contrato aqui em Natal, você deveria se informar melhor antes de publicar uma noticía séria, porém MENTIROSA. Como disse Thiago no post acima se você prestar atenção eu não sou a única contratada para fazer show em Guamaré nos finais de semana o7 e 08. Sou uma pessoa séria, honesta e à custa do meu talento e bastante trabalho, batalho muito para ter meu espaço e reconhecimento do publico. Obrigada Fádja Lorena.

    • bruno disse:

      Oi Fadja, antes de publicar nos consultamos advogados, e a publicação da Prefeitura está errada. Tem um CPF que é o seu e dois CNPJs, na publicação não informa o que esses dois CNPJs irão fazer. Qual serviços eles irão prestar? Se vc prestar atenção em nenhum momento criticamos vc em absolutamente nada. Pelo contratario, elogiamos. Sobre seu cachê nós fizemos pesquisas nos ultimos lugares que vc tocou, todos confirmaram que os valores são esses. Inclusivem temos copia de contratos em mãos. A Critica não foi a vc é sim a Prefeitura, por não ter pelo menos o minimo de cuidado na publicação.

  3. Sergio pinheiro disse:

    sou morador de macau e gostaria que a imprensa colocasse seus holofotes para minha cidade pois enquanto guamaré gastou 2,3 milhoes no seu carnaval, macau gastou 6.ooo,ooo milhoes em um carnaval inferior a guamaré
    mais fazendo contas
    gauamré 2,3 miloes para 50.000 pessoas
    macau 6.0oo.ooo milhoes para 80.ooo pessoas
    dilma PRESIDENTE 8.000,ooo milhoes para 65 pessoas em natal

  4. thiago azevedo disse:

    Continuo acreditando na imprensa sincera e honesta do nosso brasil
    e acredito que nao a interesse deste blog divulgar informaçoes destorcidas e nao verdadeira, basta olhar na publicação que o valor é para 02 dias de eventos 07 e 08 esta publicado 46.ooo,oo para pagto da cantora e pagto da outra banda conforme cnpj colocado abaixo

    • bruno disse:

      Exato thiago, 2 dias. Está claro lá. O outro CNPJ é uma empresa, quem é a atração? Como sempre coisa nebulosas.

  5. Alex disse:

    Assim é fácil!