Caso Anderson Miguel muito perto de ser esclarecido

Entrevistado hoje no Jornal da Manhã 95, da 95FM, o secretário-adjunto de Segurança Pública e Defesa Social, Silva Júnior, fez declarações esclarecedoras a respeito do curso de investigação do assassinato do advogado e empresário Anderson Miguel.

Silva Júnior disse que o fato de o assassino de Anderson Miguel ter eliminado apenas ele e poupado a ex-mulher do advogado, Jane Alves, que se encontrava no mesmo prédio na hora do crime é uma contradição. Isto levou a polícia a descartar a linha de investigação segundo a qual o assassino estaria querendo eliminar o Anderson Miguel acusador e envolvido na Operação Hígia.

(mais…)

Jane Alves acusa a namorada de Anderson Miguel de "golpista" e "mentirosa"

Tribuna do Norte

A empresária Jane Alves quebrou o silêncio após a morte do ex-marido, o advogado Anderson Miguel, executado no dia 1º de junho deste ano. Em entrevista coletiva, Jane Alves rebateu as declarações da última namorada de Anderson Miguel, Sebastiana Dantas, de que a empresária já havia feito ameaças dirigidas à mulher. A empresária negou quaisquer ameaças, acusou Sebastiana Dantas de golpista e pediu que a polícia investigasse a última namorada do advogado sobre a execução no escritório de advocacia em que Anderson Miguel trabalhava e foi morto. Segundo Jane, Sebastiana deu declarações mentirosas sobre o caso..

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. […] após a morte do ex- marido, o advogado Anderson Miguel, executado no dia 1º de junho des.www.blogdobg.com.br/…/jane-alves-acusa-a-namorada-de-an… Leia também:Jane Alves acusa a namorada de Anderson Miguel de "golpista" e …Jane […]

Viúva de Anderson Miguel vai processar a ex-mulher Jane Alves

Rafael Duarte do NOVO JORNAL

Enquanto o advogado Anderson Miguel ‘descansa em paz’ no cemitério de Emaús, as duas ex-mulheres do homem-bomba da operação Hígia seguem trocando acusações. A viúva do empresário assassinado Sebastiana Dantas afirmou que vai processar a empresária Jane Alves pelas declarações dadas ao NOVO JORNAL e publicadas na edição de sábado passado sobre um suposto atentado sofrido pelo casal dia 27 de novembro do ano passado, num trecho da RN-160, estrada que liga Natal a Barra de Maxaranguape.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. joana disse:

    Pobre coitada não! mas pobre vitima de uma mulher despeitada e recalcada que nunca aceitou perder o marido pra uma mais linda e mais jovem!mais pelo que se ver não é a pobre coitada que gosta de aparecer até por que essa começou a carreira nas paginas policias agora já a ex…..!

  2. Marjane Alves disse:

    Engraçado como essa cidadã gosta de posar de pobre coitada…
    Se bem que parando pra pensar ela é realmente digna de pena…Afinal, pense comigo…Primeiro ela se presta ao papel de ser amante de um homem casado, e quando finalmente achou que estava fazendo um "casamentão" o bom partido morre, deixando um "buxo" e um monte de dívida de herança…
    Quanto ao que ela diz aí de tia é fácil entender também…Como ela só teve os 5 minutos de fama dela no sepultamento, tá querendo um lugar ao Sol na mídia…
    Deprimente!!!

Anderson Miguel sofreu atentado seis meses antes de ser Assassinado e deixou carta com atual companheira

NOVO Jornal:

O ADVOGADO ANDERSON Miguel da Silva, o homem-bomba da Operação Hígia, estava mesmo com os dias contados. Ele, que foi assassinado a tiros no início do mês de junho, havia escapado da morte após sofrer um atentado na RN- 160, estrada que dá acesso à praia de Barra de Maxaranguape, no litoral Norte potiguar.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. romario disse:

    eu não entendo como uma pessoa consegue mentir tanto pois não houve atentado nenhum, e se houvesse realmente como so ex mulher sabia disso mim expliquem o cara era advogado como pode ter erros gramáticais essa mulher devia se juntar a Monteiro Lobato pois ele e cheia de historinhas

    • Todos que vivenciamos e compartilhamos da vida de anderson nos últimos 2 anos sabiamos que ele estava muito feliz com seu novo relacionamento isso era notorio…ao não ser quando a ex começava com seus circos para prejudicar o casal,agora como pode ela ir pra frente do caixão do homem qui a menos de um mês antes da morte ela tinha pedido prisão e declarado uma guera contra ele?respondam que souber!!!

  2. Karl Leite disse:

    O caso de Macaiba é completamente diferente do atual, de Anderson. Não foi por motivos politicos. Foi por motivos financeiros. Ele intermediava compra de gado em Goias/Mato Grosso… segundo a voz do povo, ele não pagou uma divida muito alta e o pessoal veio acertar a conta. Sou de Macaiba.

  3. Borges Neto disse:

    Lembra daquele caso do advogado morto em Macaíba há uns 15 anos mais ou menos… Que até hoje não se descobriu o paradeiro dos assassinos… Tô achando esse caso muito enrolado e muito parecido com o caso de Macaíba.

Jane Alves sob proteção da Polícia Federal

Tribuna do Norte:

A ex-mulher do advogado Anderson Miguel da Silva, Jane Alves de Oliveira Miguel da Silva, está recebendo escolta de agentes da Polícia Federal. O pedido partiu da própria empresária, que está temendo pela vida após o assassinato do ex-marido, ocorrido quarta-feira passada. A informação foi confirmada pela Justiça Federal, que, no entanto, não esclareceu qual órgão teria concretizado a solicitação e ordenado a segurança.

Tanto o Ministério Público Federal, que acompanha as investigações do caso, quanto a Polícia Federal, responsável pelo inquérito, informaram através das assessorias de imprensa que não darão mais detalhes sobre a proteção prestada. De acordo com o advogado Rogério Lara, representante de Jane Alves,  a escolta não ocorria durante os depoimentos da Operação Hígia, tendo começado no final da semana passada.

O advogado também se negou a prestar maiores esclarecimentos alegando um suposto pedido do juiz federal Mário Jambo para que Jane não concedesse entrevistas. A informação foi desmentida por Jambo que, através da assessoria, disse não ter dado nenhuma orientação a ré do processo federal nesse sentido.

“Não podemos falar nada agora sobre o depoimento prestado por Jane, nem detalhes do pedido de escolta de forma que não haja comprometimento das investigações”, alegou Lara.

Em duas oportunidades distintas durante a semana passada a reportagem teve contato direto com a empresária Jane Alves; em ambas, não notou a presença de policiais federais. O primeiro encontro ocorreu na manhã da quinta-feira passada na sede do Itep, no bairro da Ribeira.

Sempre acompanhada por três advogados, Jane não disse sequer uma palavra aos órgãos de imprensa. Entrou e saiu do órgão sempre “escoltada” apenas por seus representantes na Justiça.

O segundo contato ocorreu no sepultamento de Anderson, na manhã de sexta-feira passada no cemitério Morada Paz. A mulher passou menos de cinco minutos ao lado do caixão do ex-marido e deixou o local dirigindo o próprio carro e acompanhado apenas da filha.

(mais…)

Anderson Miguel ameaçou de morte o filho da ex-esposa

Tribuna do Norte:

O advogado Anderson Miguel da Silva invadiu armado o escritório de Dyogo Rodrigues de Oliveira e ameaçou de morte ele e a mãe, Jane Alves de Oliveira Miguel da Silva. A ameaça ocorreu no dia 4 de maio passado, menos de um mês de Anderson ser assassinado a tiros no seu em escritório, no bairro de Lagoa Nova. As informações da ocorrência estão no processo de nº 0000711-89.2011.8.0162, que corre na Vara Única da Comarca de Extremoz, e foram registradas em Boletim de Ocorrência na Delegacia de Maxaranguape.

A ameaça ocorreu em meio a tentativa de reintegração de posse por parte de Jane Alves de um imóvel na praia de Maracajaú. O oficial de justiça Almir da Silva Gomes descreveu através de relatório o crime supostamente cometido.

“Assim, nos dirigimos ao local do imóvel, antes de chegarmos a ele, a parte requerente [Jane Alves], recebeu ligação de seu filho, Diogo Rodrigues de Oliveira, informando que o Sr. Anderson Miguel, havia ido ao escritório, onde o mesmo trabalha e mostrado uma arma de fogo, e ameaçado sua mãe de morte(…)”(sic), informa a certidão.

A reintegração da posse da casa localizada na rua Simão, nº 325, foi garantida à Jane Alves pelo juiz Marco Antônio Mendes Ribeiro, por entender que isso estava previsto na repartição de bens durante o divórcio litigioso.

No processo, a ex-mulher do advogado diz que “o referido imóvel foi invadido no início de fevereiro do corrente ano pelo demandado [Anderson Miguel], ex-marido da demandante, juntamente com a sua atual companheira”, consta na decisão do magistrado no dia 3 de maio passado.

O filho de Jane, Dyogo Oliveira, também já havia movido ação contra o ex-padrasto por entender que tinha direito ao escritório de advocacia, mas não foi acatado. “Após a separação de fato de sua mãe e seu padrasto/demandado a relação de permanência do ex-padrasto tornou-se inviável, não só em relação ao imóvel, mas também em relação aos vizinhos por constantes desentendimentos. Ao final requer liminarmente a desocupação imediata do imóvel”, esclarece a denúncia.

Relacionamento

Jane Alves chegou a pedir há menos de 15 dias a prisão preventiva do ex-marido em um dos processos que conduzia contra ele. De acordo com depoimentos de Jane, contidos no processo 0000711-89.2011.8.20.0162, Anderson já havia desrespeitado orientações judiciais anteriores. O pedido de prisão não foi deferido e o caso aguardava resposta do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, na Comarca de Natal.

(mais…)

Anderson Miguel: brigas com ex-mulher

Com informações da Tribuna do Norte:

“Eles estavam enfrentando muitos problemas. Vou falar tudo que sei quando for depor na Polícia Federal”. A frase da atual companheira de Anderson Miguel, Sebastiana Dantas, pode refletir o momento pelo qual passava a relação do advogado com a ex-mulher, Jane Alves de Oliveira. Eram brigas por ciúmes, que motivaram o divórcio litigioso das partes, e também pela conseqüente divisão de bens com a separação consolidada. O escritório de advocacia, local do crime na quarta-feira passada, também já foi alvo de disputas.

O processo de número 0003236-42.2011.8.20.0001, da comarca de Natal, fazia referência ao desejo de Dyogo Rodrigues Oliveira, filho de Jane, em tornar-se proprietário do escritório. “Cuida-se a presente de ação de manutenção de posse movida por Dyogo Rodrigues de Oliveira (…) no intuito de ser-lhes garantida, em detrimento de  Anderson Miguel da Silva, (…) a posse de um imóvel localizado na avenida Miguel Castro, 836, Lagoa Nova, no município de Natal/RN”, informa o documento. No entanto, o pedido foi negado pelo juiz Cleofas Coêlho de Araújo Júnior: “Diante do exposto (…) indefiro o pedido liminar de manutenção de posse, requerido à incial por Dyogo Rodrigues”.

Jane Alves chegou a pedir há menos de 15 dias a prisão preventiva do ex-marido em um dos processos que conduzia contra ele. De acordo com depoimentos de Jane, contidos no processo  0000711-89.2011.8.20.0162, Anderson já havia desrespeitado orientações judiciais anteriores. O pedido de prisão não foi deferido e o caso aguardava resposta do  Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, na Comarca de Natal. O processo teve início com o pedido da ex-mulher para garantir a posse de uma propriedade do casal na praia de Maracajaú. Segundo Jane, o imóvel, que fica situado na rua Simião Cardoso, nº 325, era constantemente “invadido” pelo advogado e a sua companheira.

Anderson Miguel. Passo a Passo

Tribuna do Norte:

Operação Hígia

A Operação Hígia foi uma investigação da Polícia Federal que, no dia 13 de junho de 2008, cumpriu 12 mandados de prisão e 42 ordens de busca e apreensão em Natal e em João Pessoa, devido a possíveis fraudes em licitações da Secretaria Estadual de Saúde e recebimento de propina por parte de pessoas influentes no Governo do Estado, durante a gestão de Wilma de Faria. Entre os presos estava o filho da então governadora, Lauro Maia.

As investigações davam conta de possíveis irregularidades no contrato da Secretaria Estadual de Saúde com a empresa A&G, que prestava serviços gerais à Sesap. De acordo com as investigações e os depoimentos colhidos, ocorria o que se chama de “tráfico de influência” por parte de membros do primeiro escalão do Governo do Estado e familiares da então governadora. Eles supostamente trocavam cargos por apoios políticos e cobravam propina para membros de empresas terceirizadas para que o pagamento dos contratos fosse efetuado.

Além de Anderson Miguel, são réus na Operação Hígia Edmílson Pereira de Assis, Francinildo Rodrigues de Castro, Francisco Alves de Souza Filho, Genarte de Medeiros Brito Júnior, Herbert Florentino Gabriel, João Henrique Lins Bahia, Jane Alves de Oliveira Miguel da Silva, Lauro Maia, Luciano de Souza, Marco Antônio França de Oliveira, Maria Eleonora D’Albuquerque Castim, Mauro Bezerra da Silva, Rosa Maria da Apresentação Caldas Siminetti e Ulisses Fernandes de Barros

Depoimento

Em depoimento no dia 25 de novembro de 2010, Anderson Miguel, proprietário da A&G, confirmou o esquema de corrupção e citou os nomes de outras pessoas que poderiam estar envolvidas, incluindo o irmão da ex-governadora Wilma de Faria, Fernando Faria, e o ex-deputado estadual Wober Júnior (PPS).

Apesar de não haver confirmação por parte do réu, nem do Ministério Público ou da Justiça, foi levantada a hipótese de que Anderson Miguel tivesse conseguido o benefício da delação premiada.

Briga

A empresária Jane Alves, ex-mulher de Anderson Miguel, rebateu o depoimento do ex-marido. No dia 17 de dezembro do ano passado, Jane Alves disse que foi ameaçada por Anderson Miguel e que houve a tentativa de impedir que ela levasse ao depoimento documentos referentes aos contratos da A&G com o governo do Estado.

(mais…)