Esporte

(FOTOS E VÍDEO) – Momento Mike Tyson: boxeador marroquino tenta morder a orelha de rival nas Olimpíadas

Fotos: Reprodução

Uma cena inusitada marcou a vitória do boxeador David Nyika, da Nova Zelândia, sobre Youness Baalla, do Marrocos, neste domingo, pela categoria até 91kg. No melhor estilo Mike Tyson, o rival marroquino tentou morder a orelha do neozelandês (veja no vídeo), que acabou vencendo o confronto por 5 a 0 nas Olimpíadas de Tóquio. (VÍDEO AQUI em texto na íntegra).

A atitude de Baalla, que na hora não foi flagrada pela arbitragem, lembrou a mordida aplicada pela lenda Tyson, ex-campeão mundial, em Evander Holyfield, durante luta histórica em 1997.

Segundo o jornal britânico The Guardian, Kyika se mostrou surpreso que o incidente não foi visto pelo árbitro em entrevista após a luta.

“Felizmente, ele estava com o protetor bucal e eu estava um pouco suado. Não me lembro do que disse a ele, mas fiz uma careta. Já fui mordido no peito uma vez nos Jogos da Gold Coast Commonwealth. Mas, qual é, estamos nas Olimpíadas…”

Com o resultado, Nyika garantiu vaga nas quartas de final. Ele irá enfrentar Uladzislau Smiahlikau, da Bielorrússia.

Globo Esporte

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Hugo Calderano vai às quartas e alcança resultado histórico no tênis de mesa brasileiro em olimpíadas; alemão é adversário por vaga na semifinal

Fotos: Wander Roberto / COB

O Brasil fez história mais uma vez no tênis de mesa. Depois de dois mesa-tenistas nas oitavas pela primeira vez em todas as edições das Olimpíadas, foi a vez de Hugo Calderano conseguir uma classificação inédita para as quartas de final ao bater o sul-coreano Jang Woojin, número 12 do ranking, por 4 sets a 3, parciais de 11/7, 9/11, 6/11, 11/9, 4/11, 11/5 e 11/6.

Com o resultado, o brasileiro superou seu próprio desempenho na Rio 2016, quando parou nas oitavas, assim como a campanha de Hugo Hoyama em Atlanta 1996. Esperança de pódio em Tóquio, Hugo Calderano encara nas quartas o alemão Dimitrij Ovtcharov. O jogo será nesta quarta-feira (28), às 9h (de Brasília).

O jogo

Em uma partida muito disputada, Hugo começou aliando potência e variação, surpreendendo o sul-coreano com ótimos saques. No primeiro set, o brasileiro engatou uma boa sequência, venceu quatro pontos na parte final e levou a melhor por 11/7. O duelo seguiu equilibradíssimo, com as parciais sendo definidas no detalhe. No segundo, Jang Woojin cedeu menos pontos de graça e, contando com alguns erros de Calderano, fechou em 11/9.

O terceiro set teve um sabor amargo para o brasileiro, que chegou a abrir 4/2, mas viu o sul-coreano emplacar uma sequência de sete pontos e ganhar confiança dentro do jogo ao fechar em 11/6. Precisando segurar o ímpeto do adversário, Hugo veio mais firme para a quarta parcial, ficou em vantagem durante grande parte e, frustrando a tentativa de reação de Jang Woojin, venceu por 11/9, deixando tudo igual.

O quinto set do brasileiro foi muito abaixo. Sem apresentar o mesmo nível das parciais anteriores, o mesa-tenista do Brasil foi dominado pelo sul-coreano, que fechou em 11/4 sem dificuldades. Em desvantagem no confronto, Hugo não se deixou abater apesar da tensão, apostou na ofensividade para mudar o panorama e foi bem no quarto set, levando a melhor por 11/5.

A decisão ficou então para a sétima e última parcial, onde o equilíbrio perdurou até o fim. Porém, a experiência e a consistência do brasileiro foram decisivas diante de um sul-coreano que sentiu a pressão e cometeu erros bobos. Com um belo backhand, Hugo Calderano decretou a vitória por 11/6 e colocou o Brasil nas quartas dos Jogos Olímpicos pela primeira vez na história.

Globo Esporte

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

VÍDEO: Hino brasileiro e a comemoração do potiguar Italo Ferreira; veja como foi a cerimônia que eternizou o ouro olímpico no surfe masculino

Fotos: Reprodução

Confira a cerimônia de entrega de medalhas no surfe, que consagrou o potiguar Ítalo Ferreira nesta terça-feira(27 de julho de 2021) como campeão olímpico no Japão, na primeira vez que esse esporte é reconhecido e oficializado na maior competição esportiva do planeta. No link (AQUI) do Globo Esporte, você pode conferir o momento do atleta brasileiro a partir de 4 minutos e 45 segundos de vídeo.

Opinião dos leitores

  1. Aí é show papai!!
    O meu hino, o hino dos brasileiros o hino do Presidente Jair Bolsonaro.
    Parabéns ítalo.
    Um verdadeiro campeão.
    Orgulho de vc meu camarada.
    Ha!!!
    E do meu presidente duro, cru, Jair Bolsonaro.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Confira a programação olímpica do Brasil na noite desta segunda-feira e madrugada e manhã desta terça

Foto: Wander Roberto – COB

A terça-feira, em Tóquio, pode ser de novas medalhas para o Brasil nas Olimpíadas.

Confira um resumo da participação dos brasileiros nos Jogos a partir da noite desta segunda-feira:

18h30 – Triatlo feminino – Vittoria Lopes e Luisa Baptista

19h36 – Surfe masculino – Gabriel Medina x Michel Bourez (FRA)

19h40 – Vôlei feminino – Brasil x República Dominicana

20h12 – Surfe masculino – Italo Ferreira x Hiroto Ohhara (JAP)

22h – Vôlei de praia feminino – Agatha e Duda x Wang / XyXia (CHI)

22h36 – Surfe feminino – Silvana Lima x Carissa Moore (EUA)

22h43 – Natação – Final 200m livre masculino – Fernando Scheffer

23h – Handebol feminino – Brasil x Hungria

23h – Tênis de mesa masculino – Gustavo Tsuboi x Quadri Aruna (NIG)

23h – Tênis feminino – duplas – Luisa Stefani e Laura Pigossi x Pliskova / Vondrousova (CZE)

A partir das 23h – Judô – Ketleyn Quadros x Cergia David (HON)

A partir das 23h – Judô – Eduardo Santos x Sagi Muki (ISR)

23h41 – Natação – semifinal 200m borboleta masculino – Léo de Deus

0h – Vôlei de praia masculino – Alison e Alvaro Filho x Lucena / Dalhausser (EUA)

0h – Tênis de mesa masculino – Hugo Calderano x Bojan Tokic (ESL)

0h5 – Vela feminina – Martine Grael e Kahena Kunze
0h15 – Vela – Robert Scheidt

2h – Semifinal do canoagem slalom feminino – Ana Sátila

3h – Ciclismo mountain bike feminino – Jaqueline Mourão

3h – Vôlei de praia masculino – Evandro / Bruno Schmidt x Abicha / Elgraoui

6h18 – Boxe masculino – Abner Teixeira x Cheavon Clarke

8h30 – Futebol feminino – Brasil x Zâmbia

O Tempo

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Brasil impõe virada épica e bate Argentina no vôlei masculino nas Olimpíadas

Foto: Julio Cesar Guimarães / COB

Quando a volta por cima parecia improvável, a virada. Em uma noite em que tudo parecia dar errado, o Brasil soube ressurgir em meio aos erros. Na marra e no talento, a seleção brasileira ignorou qualquer distância no placar para conseguir uma virada heroica no clássico contra a Argentina. Em 3 sets a 2, parciais 19/25, 21/25, 25/16, 25/20 e 16/14, os campeões olímpicos mostraram força rumo à segunda vitória nas Olimpíadas de Tóquio.

A vitória evita um drama antecipado e dá certo conforto na reta final da fase de classificação. No grupo mais difícil em Tóquio, o Brasil ainda encara três favoritos ao pódio em busca de uma vaga nas quartas de final. Na próxima quarta-feira, enfrenta a Rússia. Depois, em sequência, pega Estados Unidos e França. Os quatro melhores de cada chave avançam.

Como fica?

A vitória mantém o Brasil na parte de cima da classificação do grupo B, ao lado da Rússia, também com dois triunfos. A seleção de Renan Dal Zotto, porém, leva desvantagem no número de pontos: 6 contra 5. Abaixo, França e Estados Unidos somam uma vitória cada. Argentina e Tunísia seguem zeradas.

Próximo jogo

A seleção volta à quadra na próxima quarta-feira, às 9h45. Vai encarar os russos, líderes do grupo. A TV Globo e o SporTV transmitem a partida ao vivo, e o ge acompanha tudo em tempo real.

1° set: Argentina se impõe e larga na frente

Um saque de Conte na rede, uma diagonal de Wallace. Logo de cara, o Brasil abriu 2 a 0 na conta. A resposta do outro lado, porém, foi rápida. A Argentina logo virou o placar e marcou 6/3. Renan não quis esperar. Pediu tempo e tentou arrumar a casa. Conseguiu. O Brasil voltou a reagir e tomou a frente. Um bloqueio de Lucão sobre Solé fez com que a seleção abrisse 11/9.

Nenhuma vantagem àquela altura, porém, durava muito. A Argentina foi buscar mais uma vez. E, dessa vez, para não abrir mais espaço para qualquer reação do Brasil. Pelas mãos de Bruno Lima, os Hermanos tomaram a frente e passaram a dominar o jogo. Renan tentou mudar ao colocar Maurício Souza no lugar de Isac. Não deu certo. Com muitos erros na reta final, o Brasil caiu por 25/19.

2° set – Brasil se perde em erros, e Argentina amplia

Na volta à quadra, pouco mudou. A Argentina seguiu melhor. Com uma defesa forte e um ataque eficiente, os rivais abriram 9/6 na contagem. Renan, então, parou o jogo. Na tentativa de melhorar o passe da equipe, sacou Leal e mandou Douglas Souza à quadra. Funcionou. O Brasil melhorou à medida que Lucarelli também passou a ser mais acionado. Aos poucos, a seleção encostou no placar. Em um bloqueio do ponteiro, reduziu a diferença para apenas um ponto 13/14.

O jogo, porém, seguiu tenso. A Argentina se manteve forte, principalmente na defesa. O Brasil, por sua vez, ainda que tivesse melhorado, cometia erros. Faltava intensidade. Mais uma vez, a equipe de Renan viu os rivais abrirem: 21/17. Bruninho deu lugar a Cachopa, e Lucarelli saiu para a entrada de Maurício Borges. Não funcionou. Solé, com mais uma pancada, fechou a conta: 25/21

3° set – Brasil, enfim, reage

Ao Brasil, só restava a reação, mesmo que fosse na marra. Renan voltou à quadra com Leal, mas manteve Cachopa no lugar de Bruninho. A mudança, dessa vez, funcionou. O ponteiro, enfim, despertou no ataque e passou a comandar o time. A seleção pulou na dianteira e abriu 5/1 até com certa tranquilidade. Do outro lado, foi a vez de Marcelo Méndez se preocupar. O técnico argentino, porém, viu seu time perder em intensidade e ceder espaço para a reação brasileira.

A seleção de Renan conseguiu manter o mesmo ritmo. Em seu melhor momento, abriu 18/11 no placar. A pressão mudou de lado, e a Argentina passou a ceder pontos de graça para o time brasileiro. Cachopa, muito bem na parcial, deu outra dinâmica ao time. Foi dele, inclusive, o último ponto do set, que manteve o Brasil vivo na partida: 25/16.

4° set – Brasil busca set perdido e força o tie-break

Uma bola para fora de Conte abriu a contagem na parcial. Mas a Argentina conseguiu voltar ao jogo. Ainda que a seleção tentasse manter o mesmo nível do set anterior, os rivais abriram 6/3 depois de um ataque de Bruno Lima explodir no bloqueio de Maurício Souza e ir para fora. Renan logo parou o jogo. Pouco adiantou. Na intensidade de Facundo Conte, os rivais dispararam e abriram 12/6.

Renan ainda tentou voltar à quadra com Bruninho. Por um momento, a diferença no placar diminuiu. A Argentina, porém, não se assustou e manteve o ritmo. Em uma última tentativa de mudança, Alan foi para o jogo. Por um momento, não pareceu funcionar. Mas o Brasil conseguiu ressurgir em uma virada heroica. Com 15/9 no placar, reagiu aos poucos até retomar a frente. Era outra seleção. Era, enfim, uma seleção campeã olímpica. No ataque de Leal, 25/21 e a garantia do tie-break.

5° set – Virada na marra e heroica

Um ace de Lucarelli abriu o caminho no quinto set. O jogo, porém, se manteve tenso. As seleções se alternaram na dianteira. A Argentina marcou 8/7 em lance de talento do levantador De Cecco. Pouco depois, o Brasil viu os rivais abrirem 11/9. Renan pediu tempo e tentou arrumar a casa na reta final. Funcionou. Em dois ataques seguidos, Leal explorou o bloqueio para deixar tudo igual. Foi a vez de Marcelo Méndez parar o jogo. Maurício Souza fechou a porta para o ataque argentino e colocou o Brasil à frente. Para não sair mais: 16/14, em uma virada épica.

Renan dal Zotto fala sobre a vitória

– Já sabia que ia ser um jogo tenso porque Brasil e Argentina o script é sempre o mesmo, jogo tenso, duro, longo. Um time que jogou com um volume muito grande, defendendo como nunca, hoje a linha de passes dele funcionou tremendamente nos dois primeiros sets mesmo com o nosso saque sendo forçado. Fiquei feliz pela vitória, que era muito importante, e pela demonstração de equipe que demos. – disse o treinador após a partida.

 

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

FOTOS: Com profissionais de saúde em destaque com tocha, tenista acende pira olímpica e jogos de Tóquio estão oficialmente abertos

Fotos: Reprodução/TV Globo

Em meio a uma crise sanitária sem precedentes causada pela pandemia do novo coronavírus, a cerimônia de abertura da Olimpíada de Tóquio, realizada na manhã desta sexta-feira no Brasil, absorveu a seriedade do momento. Num tom sóbrio, com distanciamento entre os participantes e uso de máscaras, o evento, pela primeira vez na história, não foi aberto ao público. Mas nem por isso deixou de homenagear a rica cultura japonesa.

Houve diversas lembranças e homenagens a vítimas de Covid-19, incluindo um minuto de silêncio logo no início. Sem plateia, a organização fez um espetáculo voltado principalmente para quem assistiu ao evento de casa, pela TV ou pelas redes sociais.

Como de costume, a delegação da Grécia abriu o desfile, que contou com cerca de 5,7 mil atletas, entre os 11 mil inscritos nos Jogos Olímpicos de Tóquio. O número foi reduzido por precauções com a Covid-19. Algumas delegações, no entanto, pelo acordo com seus patrocinadores, não reduziram significativamente o número de atletas na cerimônia.

Acostumada a desfilar no começo da cerimônia, que com exceção da Grécia segue a ordem alfabética, o Brasil desta vez ficou para trás na lista, feita no alfabeto japonês. Com um total de 302 atletas, a delegação brasileira teve o levantador Bruninho e a judoca Ketleyn Quadros como porta-bandeiras. Eles desfilaram com roupas inspiradas na informalidade e na ginga brasileiras: camisa florida, bermuda e chinelo, com direito a sambadinha na reta final. Com número reduzido de pessoas no desfile, as delegações apostaram nos trajes como forma de demonstrar as tradições de cada país.

As placas carregadas com os nomes dos países foram feitas com garrafas PET. A Olimpíada de Tóquio tem o compromisso de ser um evento “carbono zero”, usando energia renovável. Essas placas também tiveram inspiração no mangá, o estilo de desenho que é marca da cultura japonesa. Os nomes dos países do desfile foram escritos dentro de balões de fala que lembram as histórias em quadrinhos.

No país que ajudou a consolidar o mercado de video games no mundo, a abertura da Olimpíada não poderia ser diferente. A trilha sonora foi recheada de referências a algumas das franquias de games do Japão. Séries como Final Fantasy, Sonic, Chrono Trigger, Dragon Quest, Monster Hunter e PES se alternaram e deram o tom épico ao desfile. Fãs da cultura japonesa, no entanto, reclamaram nas redes sociais da falta de games, mangás e animes como Pokémon.

Protestos na rua

Enquanto se desenrolava a cerimônia no Estádio Olímpico, a polícia procurava conter no lado de fora manifestantes que protestavam contra a realização do evento. Pesquisas de opinião pública recentes, divulgadas pela imprensa japonesa, apontaram que a maioria da população local foi contra a Olimpíada, em um contexto de alta de casos de Covid-19 que colocou Tóquio em estado de emergência.

Num momento curioso do desfile, o remador Riilio Ri, porta-bandeira de Vanuatu, copiou o lutador Pia Taufatofua, que ficou conhecido como o “besuntado de Tonga”, por desfilar sem camisa e com o corpo repleto de óleo na Olimpíada do Rio, em 2016. Riilio representou a delegação de seu país também com o físico à mostra e besuntado.

Uma das primeiras delegações a desfilar, aliás, foi a equipe olímpica de refugiados, que competiu pela primeira vez na Olimpíada do Rio em 2016. Em Tóquio, a delegação é formada por cerca de 30 atletas que competirão em 12 modalidades. Um dos representantes vive no Brasil, o judoca Popole Misenga, nascido na República Democrática do Congo, onde foi mantido em cárcere privado por seus treinadores até buscar asilo político em solo brasileiro.

Após o desfile, artistas de diferenças partes do mundo interpretaram a canção “Imagine”, clássico composto pelo ex-Beatle John Lennon e a esposa japonesa Yoko Ono, em 1971. Ela é considerada um hino sobre paz e união.

Juramento novo

O imperador do Japão, Naruhito, marcou presença na cerimônia ao lado do presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach. Em pronunciamento muito breve, dentro do protocolo, Naruhito declarou aberta a 32ª edição dos Jogos Olímpicos. Bach, por sua vez, afirmou ser hoje um “momento de esperança, muito diferente do que nós imaginávamos” e agradeceu a medicos e enfermeiros que trabalharam na linha de frente no combate à pandemia.

O juramento olímpico, escrito originalmente pelo Barão Pierre de Coubertin, criador dos Jogos da era moderna, passou por uma atualização neste ano. Pela primeira vez, os atletas juraram seu comprometimento com a inclusão, a igualdade e a não discriminação. A novidade serve para reforçar o caráter humanitário das Olimpíadas, que também de forma inédita passaram a permitir mais possibilidades de manifestação de cunho político de atletas.

A bandeira olímpica, que representa os cinco continentes habitados (Américas, Europa, África, Ásia e Oceania), carregada por trabalhadores de serviços essenciais no combate à Covid-19, foi hasteada ao lado da bandeira do Japão, país-sede. Por fim, a chama olímpica foi acesa pela tenista Naomi Osaka, filha de mãe japonesa e pai haitiano, representando a diversidade nos jogos.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Pais de de 1° mundo é outra coisa, aqui quem acende piras e tochas é Anita, funkeiras e Pablo vitar.

  2. 1º Deus, em seguida esses profissionais de saúde que deram e estão dando um show nessa pandemia.
    Nosso muito obrigado!

    1. Como Deus amigo? Eu posso dizer isso, mais vc? A sua quadrilha abomina a religião, o socialismo/comunismo fala que ” a religião é o ópio do povo”, para cima de quem? Vcs não acreditam em Deus, inventa outra.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

FOTOS: Porta-bandeiras do Brasil, Ketleyn Quadros(Judô) e Bruninho(Vôlei), desfilam na abertura das Olimpíadas de Tóquio 2020

Bruninho e Ketleyn representando o Brasil (Foto: André Durão )/Globo Esporte

Os porta-bandeiras do Brasil na cerimônia de abertura das Olimpíadas de Tóquio! Esse momento tem um simbolismo enorme para o esporte brasileiro: Ketleyn Quadros, do judô, é a primeira mulher negra a levar nossa bandeira. Ela e Bruno Rezende, do vôlei, são também a primeira dupla a dividir tal honra.

Com Globo Esporte

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

FOTOS: Sem público, com tributo às vítimas da Covid, confira momentos da Cerimônia de Abertura das Olimpíadas de Tóquio 2020

Fotos: Reprodução/Globo Esporte/Getty Images

Opinião dos leitores

  1. Não entendo o porquê das pessoas que vivem detonando a GLOBO, não mudar de canal. GLOBO É ISSO, GLOBO É AQUILO, É COMUNISTA, É CONTRA A FAMÍLIA … seria tão mais simples usar o controle remoto e acabar com essa cantilena sem fim. Mas no fim, não conseguem viver sem ver esse canal. Só Freud explica essa relação de ódio e amor.

    1. Faço minhas as suas palavras. Isso é a famosa “paixão mal resolvida”, kkkkk.

  2. No Japão, situação e oposição, não foram contra a realização dos jogos olímpicos. No Japão onde poucos foram vacinados e quase nao houve Lockdown. Tbm nao vi a Globolixo criticar a realização dos jogos olímpicos do Japão.
    Lixo ainda se recicla, Globolixo não.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Seleção masculina de futebol estreia nas Olimpíadas contra a Alemanha na manhã desta quinta-feira

(Foto: Lucas Figueiredo / CBF)

Chegou a hora da estreia dos atuais campeões. Nesta quinta-feira, a Seleção Brasileira masculina de futebol inicia a caminhada em busca da segunda medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio. O Brasil enfrenta a Alemanha, às 8h30 (de Brasília; 20h30 horário local), no Estádio Internacional de Yokohama.

Em busca do bicampeonato olímpico, a Seleção Brasileira vem de duas vitórias nos últimos amistosos. Desta vez, o time de André Jardine terá pela frente o adversário da final das Olimpíadas de 2016.

Antes da partida, o treinador brasileiro projetou um duelo difícil contra os alemães e disse que espera uma partida “decidida nos detalhes”.

– Com certeza são duas equipes que se respeitam muito e vão alternar dominância dentro do jogo. Será bastante igual, duro e decidido no detalhe. Temos que aproveitar os poucos treinamentos que temos com o grupo completo, então a estratégia foi entrosar ao máximo o que consideramos ideal para este jogo – afirmou Jardine em entrevista coletiva.

ALEMANHA

A última impressão da seleção alemã não foi completa. Em amistoso contra Honduras no último sábado, o defensor Jordan Torunarigha acusou um adversário de injúria racial e os germânicos abandonaram a partida antes do fim, com o placar empatado em 1 a 1.

Depois do jogo, o técnico Stefan Kuntz falou sobre o assunto e disse que sua equipe fez certo ao deixar o campo.

– Quando um de nossos jogadores recebe insultos racistas, continuar jogando não é uma opção. Jordan (Torunarigha) ficou terrivelmente chateado porque disse que foi insultado repetidamente de forma racista. Isso viola nossos valores, não podemos tolerar isso – disse Kuntz.

FICHA TÉCNICA

Brasil x Alemanha
Jogos Olímpicos de Tóquio
Grupo D – 1ª rodada

Data e horário: 22/07/2021, às 8h30 (de Brasília; 20h30 no horário local)
​Local: Estádio Internacional, em Yokohama (JAP)
Árbitro: Iván Barton (ESA)
Assistentes: David Morán (ESA) e Zachari Zeegelaar (SUR)
Transmissão: TV Globo, SporTV e BandSports. O LANCE! acompanhará o jogo em tempo real

PROVÁVEIS TIMES

BRASIL (Técnico: André Jardine)
Santos; Daniel Alves, Nino, Diego Carlos e Guilherme Arana; Douglas Luiz, Bruno Guimarães e Claudinho; Antony, Richarlison e Matheus Cunha.

ALEMANHA (Técnico: Stefan Kuntz)
Müller; Henrichs, Pieper, Uduokhai e Raum; Stach, Arnold e Maier; Richter, Kruse e Amiri.

Lance

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Com dois de Marta, Brasil estreia nas Olimpíadas com goleada sobre a China

(Foto: KOHEI CHIBAGARA / AFP)

Que estreia! Com dois gols de Marta, um ataque envolvente e participativo, com Bia Zaneratto, Debinha e a reserva Andressa Alves também marcando, e a goleira Bárbara brilhando nos momentos mais difíceis, a seleção brasileira feminina goleou a China por 5 a 0 nesta quarta-feira, em Miyagi, na abertura do Grupo F dos Jogos Olímpicos de Tóquio. O placar repete a melhor estreia brasileira em Olimpíadas, a goleada sobre Camarões em Londres-2012, e mantém a escrita da seleção feminina, que venceu todas as partidas iniciais em suas sete participações nos Jogos.

MARTA HISTÓRICA

Marta se tornou a primeira jogadora a fazer gol em cinco edições de Olimpíadas. Com os dois que fez na estreia, chegou a 12 na história do torneio, e agora está a apenas dois de igualar a também brasileira Cristiane, a maior artilheira do futebol olímpico. E só não fez o terceiro porque não quis, abrindo mão da cobrança de pênalti convertida por Andressa Alves no segundo tempo. Após o jogo, Marta exaltou o espírito de união na equipe: “Aqui não tem vaidade”.

PRÓXIMOS JOGOS

A seleção brasileira volta a campo sábado, às 8h (horário de Brasília), de novo em Miyagi, para enfrentar a Holanda, pela segunda rodada do Grupo F. Depois, enfrentará Zâmbia, dia 27, encerrando a fase inicial. A primeira rodada do torneio olímpico já teve uma grande surpresa: pelo Grupo G, a Suécia venceu a favorita seleção dos Estados Unidos por 3 a 0; no Grupo F, a Grã-Bretanha estreou derrotando o Chile por 2 a 0. Confira a tabela completa do torneio feminino de futebol nos Jogos de Tóquio.

PRIMEIRO TEMPO EMPOLGANTE

Com um primeiro tempo praticamente perfeito, o Brasil resistiu à pressão inicial da China, confirmando a confiança de Pia Sundhage no sistema defensivo, e mostrou o “samba style” no ataque, abrindo 2 a 0 em jogadas de muita movimentação do trio Marta-Debinha-Bia Zaneratto. No primeiro gol, aos oito, Debinha cabeceou no travessão, Bia brigou pelo rebote, e a bola sobrou para Marta chutar e fazer seu 11º gol em Olimpíadas. Aos 21, Bia chutou forte, a goleira deu rebote, e Debinha ampliou para o Brasil.

BÁRBARA BRILHA NO SEGUNDO TEMPO

A defesa brasileira não voltou bem do intervalo, e deu muito espaço à China, que levou perigo seguidas vezes. Foi a vez da goleira Bárbara brilhar, com pelo menos três grandes intervenções. Aos dois minutos, travou com as mãos a atacante Wang Shanshan, lançada livre nas costas da zaga. Logo depois, a trave salvou o Brasil, e aos 21 Zhang Xin recebe sozinha na área mas Bárbara espalma o chute cruzado.

BRASIL ACORDA E AMPLIA

Após os sustos, a seleção brasileira acordou e voltou a dominar a partida, chegando sem dificuldade à goleada. Aos 28, Marta pegou a sobra a defesa pela direita e surpreendeu a goleira, batendo no canto esquerdo. Andressa Alves, que entrou na etapa final, sofreu pênalti de Wang Xiaoxue. Marta, cobradora oficial, abriu mão de fazer seu terceiro gol e deixou a própria Andressa Alves bater a penalidade, aos 36 minutos. E, aos 43, Debinha cruzou na medida para Bia Zaneratto fechar a goleada.

Com Globo Esporte

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mundo

Governo do Japão cogita novo estado de emergência durante os Jogos Olímpicos

Foto: Iseei Kato/Reuters

O governo japonês planeja declarar um novo estado de emergência em Tóquio devido ao aumento dos casos de covid-19. Em princípio, o período se estenderia ao longo dos Jogos Olímpicos, que começam em duas semanas na capital do Japão As informações foram divulgados pela imprensa japonesa nesta quarta-feira.

“O governo decidiu declarar um quarto estado de emergência em Tóquio e comunicou sua decisão à coalizão governante do país”, informou a estação de televisão pública NHK.

Será o quarto estado de emergência decretado no Japão desde o início da pandemia. A restrição consiste principalmente no fechamento antecipado de bares e restaurantes, assim como a proibição de venda de bebida alcoólica. Em março, os organizadores tomaram a decisão inédita na história olímpica de impedir a chegada de torcedores do exterior.

Em junho, as autoridades japonesas autorizaram a presença de espectadores locais, mas com 50% da capacidade do local com um limite de 10 mil pessoas. Recentemente, os organizadores voltaram a alertar sobre a possibilidade das provas serem realizadas a portas fechadas, já que a situação em relação à pandemia no Japão voltou a piorar.

Tóquio registra há 17 dias seguidos um crescimento de infectados pela covid-19. A média móvel de casos diários chegou a 586 nesta terça-feira. A pandemia do novo coronavírus já infectou 808 mil e matou 14.812 pessoas no Japão, de acordo com números divulgados pela Universidade John Hopkins, dos Estados Unidos.

O governo metropolitano de Tóquio e o Comitê Organizador anunciaram nesta quarta-feira o cancelamento do revezamento da tocha olímpica nas ruas da cidade, que deveria acontecer ao longo de 15 dias. O objetivo é evitar aglomerações, em meio ao aumento dos contágios pelo novo coronavírus na capital japonesa.

Conteúdo Estadão

Opinião dos leitores

  1. Lula tá com 97% de intenção de votos…..com erro de 3% ….fecha os 100%….ou seja, todo mundo vai votar nele.kkkk….pesquisa da petralhada kkkkkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

[FOTO] Mulher é presa ao tentar apagar tocha olímpica com pistola d’água

Uma mulher de 53 anos foi presa por tentar apagar a tocha olímpica durante a passagem do símbolo dos Jogos Olímpicos nas ruas da cidade de Mito, na província de Ibaraki, a cerca de 100 quilômetros de Tóquio. Kayoko Takahashi usou uma pistola d’água para borrifar um líquido em um atleta que passava com a tocha nas mãos. O incidente foi registrado nesse domingo (4.jul.2021). A chama permaneceu intacta.

Imagens que circulam nas redes sociais mostram Kayoko Takahashi esguichando o líquido em direção à tocha e gritando “apague o fogo da tocha! Sou contra as Olimpíadas de Tóquio!”. Segundo a Reuters, o vídeo foi feito pelo parceiro de Takahashi, Hotori Amano, de 17 anos. Takahashi foi imediatamente detida por um segurança que corria ao lado da tocha. Segundo a imprensa japonesa, Takahashi admitiu as acusações.

Opinião dos leitores

  1. Aqui no Brasil a esquerda, depreda patrimônio público, privado,incendeiam bancos, ônibus e nem presos vão e se a polícia reprimir tá arriscado ser preso.

    1. É mt ignorância dessa Teresa, ctz q deve ser de esquerda, mâe solteira….

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Seleção olímpica vence a Sérvia sub-21 por 3 a 0 em último teste antes dos Jogos de Tóquio

(Foto: Ricardo Nogueira / CBF)

No último teste antes dos Jogos de Tóquio, a seleção brasileira olímpica masculina venceu nesta terça-feira a equipe sub-21 da Sérvia, por 3 a 0. O lateral-esquerdo Guilherme Arana abriu o placar no Estádio Rajko Mitic, com um golaço no primeiro tempo. O atacante Pedro fez mais dois gols na etapa final. Faltam 45 dias para o início dos Jogos Olímpicos.

Ansiedade pela lista

A CBF confirmou a data de anúncio da lista final de convocados para os Jogos Olímpicos de Tóquio: dia 17 de junho. O técnico André Jardine só poderá chamar 18 atletas, que também dependem da liberação dos clubes. Lembrando que até três nomes com idade acima de 24 anos podem ser relacionados.

Os destaques da partida

A seleção olímpica teve uma apresentação bem mais segura do que na derrota para Cabo Verde. Os sustos na defesa foram poucos, e o time chegou com mais qualidade ao ataque. Os destaques da vitória sobre a equipe sub-21 da Sérvia foram o lateral-esquerdo Arana, com um golaço, e o atacante Pedro, que balançou as redes duas vezes. Aliás, o camisa 9 já tinha deixado a sua marca na última partida.

O Brasil está no Grupo D do torneio masculino de futebol nas Olimpíadas, junto de Alemanha, Costa do Marfim e Arábia Saudita. A estreia será no dia 22 de julho, contra os alemães, no Estádio Internacional de Yokohama — mesmo palco da final da Copa do Mundo de 2002.

Globo Esporte

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Denúncia

“O Lado Oculto Do Império” – (VÍDEO): Globo fez pacto com Sérgio Cabral para garantir transmissão das Olimpíadas, destaca reportagem da Record

Confissões inéditas do ex-governador do Rio Sérgio Cabral, contadas à Polícia Federal, revelam que o grupo Globo sabia do esquema criminoso de compra de votos envolvendo o estado e o Comitê Olímpico Internacional – para a escolha do Rio de Janeiro como sede dos jogos de 2016. Se aproveitando da relação próxima com Cabral, os executivos da Globo fizeram um pacto: assegurar, a qualquer custo, a compra exclusiva dos direitos da Olimpíada. O medo era perder, mais uma vez, o direito de transmissão para a concorrência. Assista à integra da terceira reportagem da série O Lado Oculto do Império.

R7

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Com adiamento das Olimpíadas, Fifa estuda alterar limite de idade do futebol

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

A Fifa vai estudar se altera o limite de idade dos atletas que vão disputar o torneio de futebol masculino nos Jogos Olímpicos de Tóquio, que foram adiados para 2021.

A medida teria como objetivo não punir os atletas sob risco de “estourar” a idade com o adiamento das Olimpíadas. As regras do torneio de futebol olímpico determinam o limite de 23 anos – com três exceções. A ideia seria aumentar para 24 anos.

No caso específico da seleção brasileira olímpica, 11 atletas vão estourar a idade. Entre os que são prejudicados estão Lucas Paquetá, do Milan, e Matheus Henrique, do Grêmio, que já fizeram parte da seleção principal.

Minutos depois de o COI (Comitê Olímpico Internacional) e o governo do Japão terem anunciado o adiamento dos jogos, a Fifa divulgou o seguinte comunicado:

“A Fifa acredita firmemente que a saúde e o bem-estar de todas as pessoas envolvidas em atividades esportivas devem sempre ser a maior prioridade e, como tal, saudamos a decisão de COI de hoje. Além da decisão do COI, a FIFA trabalhará com as partes interessadas para tratar de todos os principais assuntos relacionados a este adiamento.”

Também estão na pauta da Fifa rever todos os contratos relacionados a Olimpíada, além de redesenho do calendário e discussões com os clubes sobre liberação de jogadores.

Globo Esporte

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Tocha olímpica será acesa na Grécia sem presença de público

Foto: Alkis Konstantinidis

A tradicional cerimônia de acendimento da tocha olímpica dos Jogos de Tóquio 2020 não terá a presença do público. A determinação do Comitê Olímpico Helênico (Grego) busca evitar riscos de contaminação pelo novo coronavírus (Covid-19). A tocha será acesa na quinta-feira (12), na cidade de Olímpia, na Grécia, dando início ao revezamento de sete dias, que será concluído na cidade de Atenas.

Até o momento, a Grécia tem 73 casos confirmados de Covid-19, mas faz fronteira com a Itália, país mais afetados na Europa: são 7.375 pessoas infectadas e o total de mortes já chegou a 366.

Em nota, o Comitê Olímpico Grego explicou que a tocha será acesa na quinta (12), sem público, com a presença apenas de 100 convidados e credenciados. Além do evento oficial na quinta (12), o ensaio geral, programado para quarta-feira (11), também será fechado ao público, com limitação do número de jornalistas credenciados.

Esta é a primeira vez, em 36 anos, que a cerimônia de acendimento da tocha não terá espectadores. Em 1984, o evento para os Jogos Olímpicos de Los Angeles também foi fechado ao público.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *