Palavras de professor contra Pau dos Ferros ganha destaque nacional; IFRN emite nota

Alunos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFRN), localizado no município de Pau de Ferros, no interior do Rio Grande do Norte, protestaram nesta quinta-feira (30) pedindo a demissão de um professor da unidade de ensino. A revolta é resultado de uma postagem que o docente Dhiego Fernandes fez no seu perfil do Facebook, nessa quarta-feira (29). No texto ele diz: “Infelizmente sou obrigado a vim nesse cabare chamado pau dos ferros. Deixo para os nativos da regiao ficarem tomando banho de lama e levar sol quente na cabeca…” (sic).
imagempolemica_470
A postagem gerou polêmica nas redes sociais por causa do comportamento xenofóbico do professor, que mais uma vez usou seu perfil no site. Dhiego reforçou as críticas à cidade de Pau de Ferros e acrescentou que escreve o que quiser no seu Facebook.
post3
Uma vez que a repercussão aumentou, o professor publicou um texto em que pede desculpas pelas suas postagens anteriores, mas volta a elencar os problemas vividos na cidade do interior do Rio Grande do Norte.

O assunto também foi comentado pela direção do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia onde o professor leciona. Em nota, a unidade de ensino disse que não pode censurar o que o docente escreveu em um perfil pessoal. No entanto, o IFRN reforça que não comunga das opiniões de Dhiego Fernandes e que irá investigar a situação. Leia a nota na íntegra:

“A Administração Superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte, em virtude das recentes declarações postadas nas redes sociais a respeito do Município de Pau dos Ferros, e que foram atribuídas a professor vinculado ao Campus Pau dos Ferros desta instituição, vem apresentar os seguintes esclarecimentos:

1) As opiniões atribuídas ao referido docente não exprimem de maneira alguma o posicionamento desta instituição a respeito do Município e da população de Pau dos Ferros;

2) As manifestações veiculadas nas redes sociais manifestam opinião de ordem pessoal, em espaço pessoal, não institucional, criado de forma privada, sobre o qual este IFRN não pode exercer qualquer tipo de censura ou ingerência;

3) O IFRN compromete-se a apurar as ocorrências e tomar as providências cabíveis, garantindo amplo direito de defesa ao servidor envolvido.”

UOL

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. MOURA NETO disse:

    Porque que nós enquanto cidadãos (em tese, civilizados), nessas horas, nos transformamos TODOS em algozes e não em conciliadores??? Porque será que toda vez que vemos, lemos ou ouvimos algo que nos indigna, e nos causa tanta repulsa e achamos moralmente ou eticamente incorreto nos transformamos inconscientemente e imediatamente tanto quanto incorretos e maledicentes com quem atiramos as pedras com nossos comentários raivosos e escarnecedores???!!! Apesar de todos nós (independente da cidade em que vivemos) ter o político que merecemos (pois os escolhemos)… Apesar de TODOS nós sabermos que a maioria dos moradores das grandes e pequenas cidades brasileiras e principalmente de pequenos municípios serem realmente tratados como GADOS MARCADOS como em CURRAIS (ELEITORAIS)… Apesar de sabermos que SIM, existem milhares de pessoas (sejam estas ignorantes e/ou moralmente desvirtuadas) a várias DÉCADAS que VENDEM seus votos por MIGALHAS e ESMOLAS… Apesar de ter entendido (mesmo que cruamente e impulsivamente) a indignação desse "professor" que está revoltado com a forma e descaso que todos nós cidadãos somos tratados pelo poder público em geral… Apesar de todo sofrimento por causa de uma seca que a muito tempo já poderia ter pelo menos sido amenizada com a tão propagada e alardeada transposição do rio são francisco como solução para todo o sofrimento do povo nordestino… Apesar de tudo! Isso não dá o direito a esse "professor" falar de forma tão desrespeitosa a todos os cidadãos desta cidade… E acho que o mesmo deveria pedir desculpas (se já não o fez) por não medir suas palavras… Bem como as pessoas que o criticaram também, deveriam desculpa-lo por este infeliz comentário… Pois, com certeza, deve ter sido feito em um momento de muita revolta e tensão, tipo desabafo e/ou auto-defesa… E quem de nós nunca praguejou ou insultou ou discutiu de forma equivocada com um ente querido da família, um amigo, um vizinho ou colega de trabalho e disse coisas que nunca deveriam ter sido ditas só por causa de um momento que fugiu ao nosso controle? Que atire então a primeira pedra! E parece que muitos já atiraram: … A bíblia chama de hipócrita todos aqueles que tentam tirar o "argueiro" do olho do seu irmão, mas esquecem de tirar e arrancar a "trava" do seu próprio… Lembrem-se: Vivemos em tempos difíceis… Tempos de insatisfações generalizadas, tempos de INTOLERÂNCIA!!! Falo isso por experiência própria. Mas ainda bem que percebi a tempo e tentar me modificar e não me tornar igual (ou pior) às pessoa que nos indignamos, apedrejamos e crucificamos, independentemente dos erros cometidos. Saibam todos, que neste mundo, em tudo existem "dois lados"… O certo e o errado, o positivo e o negativo, o bem e o mal, o permitido e o proibido… e por aí vai… Porém, entre eles (os dois lados) existe uma linha muito tênue que nos separa da sanidade e insanidade… Cuidado então… Pois, quando cruzamos essa linha tênue, às vezes, não tem mais volta…

  2. Sergio Nogueira disse:

    Pelo linguajar chulo e os atentados a língua e a cidade que proporciona seu ganha pão, esse personagem deve ter lama no lugar do cérebro

  3. agripino oliveira disse:

    Como professor o moço deveria se expressar de forma correta "sou obrigado a vim"?

Repercussão nacional: Ex-diretor de presídio fez compra com cartão de crédito de preso no RN

presídioUm ex-diretor do pavilhão 5 do presídio estadual de Alcaçuz, em Natal, Rio Grande do Norte, usou o cartão de crédito de um preso para comprar uma bomba d’água quando ainda dirigia a unidade prisional. Segundo o site G1, ele teria esquecido a carteira em casa, argumento da defesa do agente penitenciário Alexandre Medeiros de Assis, ex-diretor da unidade denunciado pelo Ministério Público estadual junto com Aldaberto Luiz Avelino, que também administrou o pavilhão 5 de Alcaçuz, pelo crime de corrupção passiva.

O ex-diretor também é acusado de ter pedido R$ 50 mil para conseguir a progressão de pena do preso para o regime domiciliar.

“O diretor iria comprar com o dinheiro dele o que deveria ser pago pelo Estado, mas esqueceu a carteira. O preso então falou ao agente que poderia usar o cartão de crédito. Então foram todos na casa de um familiar do detento para pegar o cartão”, disse ao G1 o advogado Paulo César Costa, que defende o ex-diretor da penitenciária.

A defesa do ex-diretor diz ainda que o preso foi ressarcido pelo agente penitenciário poucos dias depois. A compra, no valor de R$ 815,20, ocorreu no dia 9 de setembro, conforme consta na nota fiscal anexada à denúncia do MP.

A compra da bomba d’água foi citada pelo detento José Welton de Assis em depoimento à Comissão Especial de Processo Administrativo da Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania (Sejuc), que afastou os dois ex-diretores da penitenciária Rogério Coutinho Madruga ao tomar conhecimento dos indícios de corrupção passiva. O mesmo apenado afirmou que recebia propostas dos dois ex-diretores em troca de regalias como ficar fora da cela para trabalhar na unidade e saídas desautorizadas.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Graça disse:

    O policial é baratinho heim!!! Se melou por R$ 800,00??? E olha que policial por aqui está ganhando bem, melhor que muitos outros servidores estaduais com nível superior.
    Vendo coisas estranhas assim, começamos a entender a atual situação de insegurança que vivemos, onde a cada dia existe uma execução e se passam anos sem prender ninguém, seria mera coincidência???
    Parece que para começar a combater o crime de forma séria, tem que começar a limpeza dentro da própria polícia.
    Fico com a sensação que muitos sabem de muita coisa e ninguém faz nada, será???

FOLHA DE SP: Acusado de humilhar garçom, desembargador vira alvo de críticas nas redes sociais

 O desembargador Dilermando Motta, do TJ (Tribunal de Justiça) do Rio Grande do Norte, virou alvo de críticas nas redes sociais depois de se envolver em uma discussão numa padaria de Natal e ser acusado de humilhar um garçom.

O episódio ocorreu no último domingo (29), durante café da manhã na padaria Mercatto, na zona sul da capital potiguar.

Vídeos publicados no YouTube por testemunhas mostram o momento em que o desembargador discute com outro cliente, o empresário Alexandre Azevedo, 44.

Segundo Azevedo, que estava em uma mesa ao lado de Motta, o desembargador ficou irritado porque o garçom não colocou gelo em seu copo e gritou com o funcionário da padaria na frente dos demais clientes.

“Não satisfeito com esse escândalo, este senhor puxou o garçom pelo ombro e exigiu que lhe olhasse nos olhos e o tratasse como excelência, e disse que deveria ‘quebrar o copo em sua cara'”, afirma Azevedo em nota divulgada após o episódio.

Nesse momento, o empresário decidiu intervir em defesa do garçom. Nos vídeos, ele aparece exaltado enquanto grita com o desembargador e o chama “safado” e “sem-vergonha”. O magistrado revida e chama Azevedo de “cabra safado” e “endemoniado”.

O empresário disse à Folha que não sabia com quem estava brigando, mas que não se arrepende de sua atitude.

“Eu fui tão selvagem quanto ele, mas precisei ser grosso para contê-lo. Ele ia de fato agredir fisicamente o garçom”, afirmou à Folha.

Azevedo afirma que teme sofrer algum tipo de represália e que vai entrar com uma representação contra o magistrado no CNJ (Conselho Nacional de Justiça) por abuso de autoridade.

“Queira ou não, é um desembargador, é um homem poderoso e eu tenho preocupação de sofrer perseguição dele”, disse.

‘NÃO HOUVE ABUSO’, DIZ MAGISTRADO

Em nota divulgada pelo TJ-RN, o desembargador Dilermando Motta afirma que não houve abuso de autoridade e nega ter humilhado o garçom.

“A verdade é que um simples e moderado pedido de esclarecimentos de um cliente a um garçom, que já havia sido solucionado, gerou uma reação de um terceiro com ameaças, gritos e total desrespeito ao público presente”, afirma.

No texto, Motta afirma ainda que “sem nenhum propósito revanchista, as medidas judiciais cabíveis serão adotadas”.

Durante a discussão, o desembargador acionou a Polícia Militar, que deslocou quatro carros para o local. O magistrado também xingou os policiais, chamando-os de “um bando de cagão”, segundo o relato do empresário, pois Motta queria que Azevedo fosse detido –o que não ocorreu.

A assessoria de imprensa da padaria Mercatto divulgou nota em que lamenta o episódio e afirma que a empresa “está oferecendo todo o suporte necessário ao funcionário envolvido”.

A reportagem tentou falar com o garçom, mas não conseguiu.

Folha

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. O roteirista disse:

    Terei que fazer um longa-metragem se quiser colocar a sétima arte para retratar os abusos que essa excelência já cometeu, o nome do longa seria "Sabe com quem você está falando?"

Justiça Eleitoral do RN afasta governadora Rosalba Ciarlini, destaca O Globo

rosalbaO Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN) decidiu, nesta terça-feira, pelo afastamento da governadora Rosalba Ciarlini (DEM). Pela decisão, ela fica inelegível. Foram cinco votos pelo afastamento da governadora contra um. Ela é acusada de usar a máquina pública para beneficiar a candidata da prefeita de Mossoró, Cláudia Regina. A governadora esteve 17 vezes em Mossoró durante a campanha eleitoral. Ainda cabe recurso da decisão.

Na semana passada, o TRE-RN também deu decisão desfavorável a Cláudia Regina. Chamada de “prefeita Highlander” (uma homenagem ao guerreiro imortal do cinema), por ter sido cassada 10 vezes em primeira instância e reconduzida ao cargo em todas as cassações, por 3 votos sim e um não a corte determinou a manutenção da cassação e o afastamento definitivo de Cláudia Regina e de seu vice, Wellington Filho (PMDB) por abuso de poder político e econômico na campanha eleitoral.

Com o afastamento e a confirmação da cassação de Cláudia e seu vice, assumiu interinamente o presidente da Câmara de Vereadores Francisco José da Silveira Júnior (PSD) até que se realizem novas eleições. As 10 cassações em 11 meses de mandato foram resultado de ações impetradas pelo Ministério Público Eleitoral e pela coligação da deputada Larissa Rosado, do PSB , derrotada na disputa com Cláudia Regina.

As acusações contra Cláudia vão de ‘Caixa 2’, compra de votos, abuso de poder econômico, abuso de poder político, uso da máquina pública e uso de aeronave cedida por um empresário sem a devida contabilização na prestação de contas à Justiça Eleitoral.

Em outubro, Rosalba foi vaiada durante evento com a participação da presidente Dilma Rousseff. Dilma ainda tentou defender Rosalba do protesto de moradores em Ceará-Mirim, durante cerimônia de formatura de 4 mil alunos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

Durante o evento, Dilma não conseguiu disfarçar o constrangimento causado pelas seguidas vaias à governadora, que foi obrigada a interromper o seu discurso por cinco vezes. A presidente tentou amenizar a situação, destacando que o país é tolerante, democrático e afirmando que todos têm o direito de discordar.

O Globo

Finalmente a grande imprensa abre os olhos para o escândalo dos precatórios do TJRN

Parece até difícil de se acreditar, mas finalmente o escândalo dos precatórios entrou na chamada grande imprensa, com repercussão nacional. Pelo menos na televisiva. Um dos maiores escândalos da história do Judiciário, que atende a vários dos critérios de noticiabilidade jornalística foi veiculado agora a noite no Jornal Nacional (Rede Globo) e Jornal da Band.

Ora! Temos uma fraude e desvios no pagamentos de precatórios com dinheiro público, envolvendo nomes de desembargadores que ocuparam o mais alto posto do Judiciário estadual e que até hoje só se pronunciam através de notas e não dão entrevistas. Na Globo, inclusive, a matéria foi tão grande que teve direito a entrevista com o procurador-Geral do Estado (PGE) Miguel Josino e infográfico ilustrativo.

Matéria do JN:

Investigação encontra desvios de R$ 11 milhões no TJ do RN (com vídeo)

Matéria do JB:

RN: servidora denuncia esquema no TJ (ainda sem vídeo)