VÍDEO: Situação de professor da UFRN vai de mal a pior e alunos fecham cerco contra ele

Vai de mal a pior a situação do professor de Sociologia Alípio Sousa Filho, da UFRN.

Na noite dessa terça-feira, o setor II da universidade produziu mais um take da sequência de polêmicas em que ele está se metendo desde que não permitiu que uma aluna assistisse aula acompanhada de sua filha de cinco anos. Horas antes, ele tinha se metido em outra discussão com alunos.

Dessa vez, Alípio foi alvo de um protesto ainda mais contundente por parte dos alunos. Ele foi fustigado e acuado dentro de sua sala. Ganhou contornos dramáticos o que era apenas intenção de reagir à postura do professor.

Nas imagens que viralizaram, os alunos aparecem fazendo um cerco na sala do professor. Confira:

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Joseph disse:

    Moço, você tá um pouco desinformado, eu estava lá e ele nem sequer apareceu na sala. Procure uma fonte melhor de informações porque essa tá péssima.
    E outra, pra quem AINDA defende a atitude do professor: O problema não foi o que ele disse (até então estava no seu direito) foi COMO ele disse! Algo que poderia ser resolvido em 5 minutos de conversa com a aluna tomou uma proporção gigantesca, mas fazer o quê? Doutorado e a porra toda pra não saber dialogar com uma mãe de família…

  2. Anderson disse:

    Acredito realmente que ele teve as razões dele para não querer a criança em sala de aula. Mas o maior problema não foi esse. No áudio que divulgaram de dentro da sala de aula, o professor entra em outros méritos, e ainda desafia os alunos a reclamarem, denunciarem e coisas do tipo. Ele desafiou todos eles e esperava que não tivesse consequência nenhuma. Triste fim.

  3. José disse:

    Parar uma universidade, há mais de uma semana, em torno de uma questão menor como essa, que já devia ter-se deslocado para resolução no seu "fórum" próprio, é mesmo deveras risível. Coisa de esquerdopatas. Não há outra conclusão. Mas…vocês que são "brancos", que se entendam.

  4. Calixto Silva disse:

    Este professor esquerdista, está provando do seu próprio veneno, ele ensinou aos seus alunos a se revoltar contra o autoritarismo e agora está sentindo na pele o que é ser esculachado kkk. Quanta ironia, acho que a partir de agora ele vai mudar de lado, passará a ser de direita. Kkkkkk

  5. Rodrigo disse:

    Não vou entrar aqui no mérito em dizer se o professor Alípio está certo ou errado, mas o que tem que ficar claro é que o comando da sala é dele, se ele assim determinou, assim tem que ser cumprido, se por algum motivo os alunos querem questionar as atitudes do professor tem que procurar as instâncias acadêmicas para tal.

  6. Tomaz disse:

    Fascistas não teram paz!Quanto aos outros que comentaram dar para entender o quanto eles sao sabios

  7. Tomaz disse:

    Não deixa-lo e/ paz.Fascistas

  8. O curioso disse:

    Tática terroristas de guerra de alunos comunistas de IPhone. Lugar de uma criança dessa idade não é nada sala de aula de uma Universidade. Estão tirando a atenção do verdadeiro problema. Poderiam fazer uma "vaquinha" e pagar uma babá pra ela como fazem com o PT!

  9. WandeC disse:

    O Brasil tem que ser desesquerdizado.

  10. Waldemir disse:

    E só fechar e pronto acaba com a mamata de muita gente q
    Alunos recebendo 2.000 para estudar isso é foda
    Acaba com isso emproaria quer estudar vai trabalhar e pagar seu estudo foi sempre assim
    Agora essa mãe que não tem com que deixar o filho boa coisa não é

  11. Romualdo disse:

    É preciso desideologizar a questão e se observar os fatos. Aparentemente, pelas informações que tem sido disponibilizadas até o momento, "o Professor agiu certo de forma errada".
    Não se pode fazer o que se quer dentro de uma escola ou universidade sob o discurso da liberdade de expressão ou qualquer outro do tipo. Também não se pode exercer o poder e a autoridade com extremismos ou abuso.
    Não sabemos todo o contexto que cerca a situação.
    Pois: 1 – Será que essa foi a primeira vez que essa aluna levou seu filho pra sala de aula?
    2 – Será que foi a primeira vez que o professor falou com ela sobre essa assunto?
    3 – Será que esse ambiente é bom pra crianças?
    4 – Será que a presença da criança na sala de aula não distraia e perturbava as aulas?
    5 – De quem era ou é a responsabilidade para lidar com a situação, achando uma solução para o caso concreto, do Professor, da alunas ou da Universidade?
    Julgar é muito fácil, e as vezes, contaminados por outros conteúdos fora dos acontecimentos, costumas condenar ou absolver sem se aprofundar num fato ou situação que as vezes somente reflete uma consequência de outras coisas que na verdade geraram ou geram essas coisas.

    • Ceará-Mundão disse:

      Até concordo com a sua enumeração do contexto (os itens de 1 a 5). Mas é impossível "desideologizar" a questão. A origem do problema é exatamente a introdução da ideologia (de esquerda) no ensino. Por isso precisamos demais da "escola sem partidos".

    • Mortadela com pão disse:

      Escola sem partido do Ceara-anti PT é financiado pelo DEM/PSDB. Pimenta nos dos outros é refresco. Coloca um comitê do DEM/PSDB na UFRN Ceara-anti PT, é mais fácil.

  12. Carlos Souto disse:

    Quem manda na sala de aula é o professor, como em um avião é o comandante ou no navio é o capitão , estamos perdendo todos os valores , não temos mais hierarquia, por isso vivemos nesse caos

    • Guilhermina Alecrim disse:

      Foi objetivo. Essa é a questão: respeito à hierarquia.

  13. Saintclair disse:

    Minha avó dizia: respeitado é, quem respeita. Com esse procedimento de "cavalo batizado" esse indivíduo, que de professor, só tem o nome, está colhendo o que plantou.

  14. Carlos disse:

    Ao que parece é um processo autofágico. O professor de esquerda enfrentando as criaturas que ele mesmo criou.

    • Ceará-Mundão disse:

      Pois é. Eu fiquei sabendo por aqui que ele é esquerdista. Continuo com a mesma opinião quanto à situação em si. Mas confesso que sinto um enorme prazer em ver um professor comunista provando do próprio veneno. Só reforça o que digo: acaba com essas espeluncas públicas. Privatiza ou extingue todas e distribui bolsas de estudos para quem realmente precisa. Simples.

    • Maria Helena disse:

      Melhor análise até agora. 👏👏👏👏👏👏

  15. Brasil não é de corruptos disse:

    Vote 13 e tenha universidade de MIMIMI…acabou apenas buscar o conhecimento…universidade virou TUDO …MENOS ESTUDAR

  16. Santos disse:

    Alunos facistas, estamos com vc professor, não baixe a guarda para esses ESQUERDISTAS!!

  17. euzim disse:

    Esses alunos deveriam ser suspensos. O professor agiu certo em não permitir fazer da sala de aula uma creche. Cambada de comunistas do boutique mimados. Olha no que se transformou a universidade pública. Uma selva de zumbis esquerdopatas escravos de uma ideologia nefasta e alienante.

  18. marcus disse:

    O professor está coberto de razão.

  19. Chico disse:

    Bando de comunistas FACISTAS. que não respeitam um professor imagine os seus pais. Essas universidades estão contaminadas por esses esquerdistas. Siga firme professor tem o apoio da direita.

    • Júnior disse:

      Vá lá com a bandeira da direita apoiar a esquerda. Quero ver a cena.

    • Ceará-Mundão disse:

      Não seria apoiar a esquerda. Seria apoiar os professores em geral. O fato ocorrido não o desabona. se é de esquerda, é ótimo vê-lo provar do próprio veneno. Quem sabe ele não vem pro lado bom da força. kkkkkkk

  20. Maria Helena disse:

    Por que a Universidade não está protegendo esse professor de todo esse constrangimento?
    Se ele errou, erram também os alunos e a reitoria. Agora todos os professores serão reféns de alunos?
    Pela lei do retorno, cada uma dessas pessoas irão em algum momento de suas vidas receber todo mal ou bem que praticarem. Que a consciência de casa um seja seu guia.

  21. lirinha disse:

    COMENTARISTAS, me digam uma coisa:
    Como se sentem defendendo um professor de esquerda, que é um dos maiores defensores do ensino da identidade de gênero?
    E agora, onde está o moralismo de vocês? Alípio é de extrema esquerda. Viraram defensores de comunista???

    • euzim disse:

      Nesse aspecto o professor tem razão. Isso é o que importa. E, ao contrário da esquerda, não existe ódio no meio conservador, muito pelo contrário. Quem segrega e fomenta contenda é a esquerda. Aliás, você nem deveria mencionar a sexualidade do professor. Ninguém aqui está interessado nisso e não tem nada a ver com a situação. Pelo visto o preconceituoso é você, esquerdista (assim como o eram seus ídolos facistas, nazistas e genocidas).

    • Júnior disse:

      O povo defende de acordo com a conveniência conveniência moral de cada um hehehehe. Quero ver um movimento defendendo ele na porta da sala dele.

    • Helio Mota disse:

      Devolvo a pergunta considerando que a ideologia do professor e suas crenças não estão sendo defendidas, mas apenas o respeito que se deve a ele por SER PROFESSOR. Mas claro que para gente como você entender isso é complicado. São sempre básicos e rasteiros na inteligência.
      "Como se sentem os esquerdopatas atacando um professor de esquerda, que é um dos maiores defensores do ensino da identidade de gênero?
      E agora, onde está o moralismo de vocês? Alípio é de extrema esquerda. Viraram opressores de comunista???"

    • Netto disse:

      Nosso moralismo nos faz defender pessoas, mesmo que se possa discordasr em muitas coisa.

    • Netto disse:

      *coisas.

    • Ceará-Mundão disse:

      Deixe de besteira. Vc parece conhecer esse professor mas o que se comenta por aqui é o fato, o desrespeito com os professores de forma geral. Se ele é de esquerda, é ótimo vê-lo experimentar do próprio veneno que sua ideologia prega por ai. Mas isso não invalida os comentários. Ao contrário. Aprenda a separar as coisas.

    • Maria Helena disse:

      Não reconhecer que ele agiu com coerência nos faria igual aos militontos. Ser de Direita não significa ficar imune a verdade quando ela é dita, mesmo que seja por um professor de Esquerda.

  22. Chico disse:

    As cotas servem pra isso, partidários travestidos de alunos.
    Não sabem esses alunos anormais que essas ações insanas só iram fazer com que a população se revolte com eles.
    Melhor voltar a estudar e se quiserem dar respostas maios exatas que o façam por meio de ações práticas para que a sociedade acredite em vocês.
    Vão estudar.

  23. Ceará-Mundão disse:

    Essas universidades públicas, sustentadas pelo NOSSO dinheiro, com custos altíssimos (vejam o exemplo da UERN, que custa muito dinheiro ao RN, um estado pobre que atravessa grave crise financeira já faz tempo), se transformaram em antros de vagabundos, de gente que se disfarça de estudante para adotar comportamentos que destoam totalmente dos bons valores, da ordem e do progresso estampados na nossa bandeira (mas eles preferem aquelas bandeiras vermelhas, não é mesmo?). Estamos gastando rios de dinheiro (e dinheiro que não temos) para sustentar essas instituições, que já prestaram bons serviços à sociedade mas que foram transformadas pela turma de esquerda em arapucas, centros do atraso e da exaltação de tudo o que não presta. Cidadãos de bem já começam a evitar por seus filhos nesses antros de vagabundagem, com medo da "lavagem cerebral" a que serão fatalmente submetidos. Para não falar das constantes e infindáveis greves, onde só os discentes são prejudicados, já que os professores e funcionários continuam recebendo seus polpudos salários integralmente e usufruem de tais eventos para "curtir a vida", viajar, vagabundar, para ser mais explícito. Precisamos dar um basta nessa situação. Que esses mastodontes brancos sejam
    extintos ou privatizados. Que os alunos cujas famílias tenham boa condição financeira paguem por seus estudos. Aqueles realmente carentes, receberiam bolsas de estudos. Sairia MUITO mais barato aos cofres públicos, seria MUITO mais justo e o ensino seria de MUITO melhor qualidade. Duvido que alguém quisesse pagar do próprio bolso ou utilizar uma bolsa de estudo dada pelo governo para estudar numa dessas arapucas que hoje são públicas. Alguém aposta?

    • lirinha disse:

      Vai defender o professor comunista de esquerda, que é especialista em identidade de gênero? Né você o bichão, caçador de comunistas???

    • Maria Helena disse:

      👏👏👏👏👏👏👏👏

    • euzim disse:

      Concordo com tudo, amigo!

    • Netto disse:

      Ceará coberto de razão. Por mim formaria os matriculados, não abria mais vagas e usaria a grana para cursos técnicos.

    • Netto disse:

      Liberais defendem as pessoas em seus acertos. ainda que possa haver discordâncias.

    • Ceará-Mundão disse:

      É isso mesmo. Não faço a menor ideia de quem seja esse professor. Por ser de Sociologia, provavelmente tenha ideias esquerdistas. Mas analiso o fato, a realidade. Essa é mais uma prova, como já bem disse o Netto, de que liberais não perseguem pessoas. Liberais lidam com ideias, conceitos. Petralhas nunca conseguirão entender isso. É da índole dessa gente.

  24. José Júnior Lima Dias disse:

    Esse lamentável episódio não passa de um movimento político-partidário orquestrado para manchar a imagem do professor Alípio.

  25. Helio Mota disse:

    Mais um que descobre que não pode contraria a geração Nutella. A geração que não pode ser contrariada, não pode ser responsabilizada, não pode ser exigida, não sabem o que é hierarquia, disciplina e respeito.
    A UFRN tem sido um nascedouro de inúteis sociais. Serão sustentados pelo INSS e pelo contribuinte.
    Mas o que mais estranho é o silêncio da reitora. Tudo bem que ele é refém desses grupelhos. Só se mantém no cargo enquanto ficar calada na dela, mas essas agressões a um professor deveria lhe dar mais coragem…

  26. joao ligeiro disse:

    Essa Reitora donba Angela, é uma fraca petista da canela vermelha. Se nada fez para impedir a imoral festa na faculdade de engenharia onde rolou tudo que fazia inveja a sodoma e gomorra, sexo drogas e rock and roll, muito pelo contrário aplaudiu e concordou com o descalabro, imaginem agora com essa atitude onde o professor foi humilhado em plenas funções, o único erro do mestre foi ter se trocado com essa ruma de adolescentes inconsequentes. era pra ter expulsado a aluna e pronto. não falava mais nada. tudo que ele falou ta sendo usado contra ele.

    • lirinha disse:

      Alipio é mais petista que ela. Você vai permanecer defendendo o maior especialista em identidade de gênero do RN? Coxinha é uma piada mesmo.

    • Ceará-Mundão disse:

      Piada é gente como vc, "cumpanhera", que não sabe distinguir as coisas. Seu raciocínio rasteiro e limitado (vcs todos parecem usar "viseiras") jamais lhe deixará diferenciar fatos e ideias, de pessoas. Vcs são radicais, raivosos, intolerantes e de cognição primária. Por isso suas ideias devem ser combatidas.

  27. Franbo disse:

    Vão estudar….. O professor tem suas razões, só pecou quando falou que não tinha nada haver se a estudante era pobre e não podia pagar uma creche e outra coisas. A criança ir um dia esporadicamente é uma coisa,agora toda aula é inconcebível.

  28. Fábio disse:

    A UFRN foi transformada em uma pocilga, pocilga cara, e o mais grave, com recursos públicos.

  29. Brasil não é de corruptos disse:

    Se essa moda pegar …teremos crianças em baixa da mesa do centro cirúrgico( pai cirurgião)no ônibus ( colo do motorista ),em cima do poste da cosern(pai eletricista),correndo dentro do posto de gasolina ( pai frentista),na cabine do avião ( pai piloto) …..esses vagabundos querem MIMIMI …não querem estudar ,coisa de PTRALHAS

    • João disse:

      CERTÍSSIMO……………………….

    • Ceará-Mundão disse:

      Verdade, amigo. No afã de defenderem suas bandeiras absurdas essa gente perdeu totalmente o bom senso, a noção do ridículo. Não é função de professor algum providenciar qualquer tipo de assistência social aos seus alunos. Que essa aluna mãe e esses baderneiros que estão acuando o professor procurem a direção da universidade e lutem por creches. Ouvi dizer que já existe na UFRN. É verdade? Enfim, essa gente não quer estudar, quer "causar". Como vc disse, isso é coisa de "ptralhas".

  30. lopes disse:

    Uma mentira contada mais de cem vezes vira verdade…essa situação que estão colocando o professor e uma mentira…o professor tem autoridade na sala…a reitoria e muito fraca..tem medo do 13..

  31. Ermeson Rezende disse:

    Esse é o país da esculhambação, o povo soo tem direitos, deveres nada. Quero saber se ela tem esse "direito" de levar a filha para o local de trabalho tbm, duvidooooo!
    Todo apoio a esse mestre, precisamos moralizar essa bagunça chama Brasil.

  32. Observador disse:

    Bando de hipócritas. Esquerdista não pode ser contrariado, mas o professor que quer dar aula deve aceitar tudo… ome, vão pra baixa da égua.

    • lirinha disse:

      Ô sabidão, Alípio é de esquerda. É comunista, é PSOL e defende e ensina identidade de gênero.

  33. Bolsonaro disse:

    Não foi isso q ele ensinou aos alunos? Está colhendo o que plantou…

    • lirinha disse:

      Exatamente. A maioria aqui está defendendo ele, kkkkkkkkk

    • Ceará-Mundão disse:

      Ninguém está defendendo a pessoa dele. Nem sei quem é, muito menos o que ele pensa. Trata-se do fato em si. Sei que isso é muito difícil de ser entendido por pessoas como vc, mas…

  34. Rubens disse:

    Todo apoio a esse mestre. Fez o que é certo.

  35. joao disse:

    Quem sao os fascistas, os alunos que estao tentando açoitar o professor, ou o professor que estava apenas tentando dar aula e foi impedido novamente por alunos?
    Sinal dos maus tempos nas universidades publicas, colhem o que plantaram em 13 anos. Agora so servem pra financiar a doutrinacao partidaria e açoitar professores que querem trabalhar e sao contrarios aos seus pensamentos ideologicos. Fim da UFRN. Aluno nao é trabalhador dentro do ambiente academico. Creche é pra trabalhador. Daqui a pouco vao fazer açoite em professores pra ter moradia dentro da UFRN e plano de saude coletivo.

    • Carlos Lima disse:

      Cadê a Reitora?

    • Júnior disse:

      A culoa sempre é do PT hahahaha Está bom de começar a arrumar outro discurso. Se isso fosse em uma instituição privada a repercussão seria a mesma?

    • Ceará-Mundão disse:

      Em instituição privada isso não ocorreria. E se ocorresse, pessoas sofreriam as devidas consequências. Essa é a enorme diferença.

  36. Juvenal disse:

    "Queima Quengaral". Foi o que disse um pseudo-estudante, mas cuja imagem não aparece no vídeo. Esse é o reflexo das nossas Universidades, o que era para ser um espaço de desenvolvimento do conhecimento tornou-se um mero "Quengaral", mas daqueles piores possíveis, porque se isso fosse lá em Zé Muringa, em Caicó, ou no saudoso Nira Drink´s aqui em Natal, o negócio num instante ficava em ordem.
    Mas quiseram transformar as Universidades num antro de libertinagem, num espaço onde todos mandam, mas onde falta comando. E o comando em sala de aula tem que ser do professor. Se a aluna sentiu-se prejudicada, que procure os meios dentro da própria UFRN para garantir o direito que acha que tem, vá reclamar com a coordenação do curso, com a Reitoria. Aliás, por onde anda nossa Reitora que não deu um piu sobre isso? Será que abona toda essa baderna dentro do campus?

  37. Aparecida disse:

    Que ridículo. Que desrespeito. Eles deveriam ir a porta da reitoria solicitar creche nos três turnos para as mães que precisam estudar. Professor vc tem o meu apoio. A criança deve estar em local onde possa ser criança.

  38. Henrique disse:

    Tem que privatizar urgente estas UF do Brasil e acabar com esse poço de esquerdismo no Brasil. O professor no seu direito e um bocado de "alunos" criticando. Escola sem partido urgente.

    • JBS disse:

      Lá vem o mimimi de privatização. Isso não resolve o problema, mestre.

    • Júnior disse:

      Privatizar resolve o problema? Se resolver levante a bandeira e fique com ela na UFRN.

Concurso da UFRN oferece 76 vagas para professor

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) realiza concurso público para o provimento de cargo de professor do magistério superior. As inscrições acontecem de 1° a 29 de dezembro de 2017. São oferecidas 76 vagas para várias áreas, incluindo um cargo para professor/pesquisador (adjunto-A com dedicação exclusiva) em Neurociências, com foco na área de Neurofisiologia em Primatas Não-Humanos, destinado ao Instituto do Cérebro (ICe).

O Concurso constará de quatro etapas de avaliações: provas escrita, didática e de títulos, além de defesa de memorial e um projeto de prática profissional. As avaliações das Unidades Acadêmicas Especializadas acontecem de 29 de abril a 12 de maio de 2018. O anúncio e o formulário de inscrição podem ser encontrados aqui.

Candidatos de outra nacionalidade podem entrar em contato com o Instituto do Cérebro (ICe) para solicitar assistência no processo, através dos e-mails [email protected] e [email protected]

 

Traumatismo cranioencefálico causou morte de professor da UFRN, diz Itep

174661O professor substituto do Departamento de Engenharia Civil da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Diogo Rosembergh da Silva Nóbrega, de 26 anos, morreu em razão de um traumatismo cranioencefálico de ação contundente. Ou seja, foi vítima de uma agressão que causou fratura no crânio e dano físico ao cérebro. É o que aponta o resultado da perícia realizada pelo Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) – cujo laudo foi divulgado pelo órgão no início da noite desta segunda-feira (22). O corpo de Diogo foi encontrado na manhã do domingo (21) debruçado sobre pedras em meio às falésias de Cotovelo, praia do litoral Sul da Grande Natal.

A perícia descarta a possibilidade de afogamento, mas não aponta se o professor foi assassinado ou cometeu suicídio. Delegado da 2ª Delegacia de Polícia de Parnamirim, Marcel Gouvêa disse que só deve dar início às investigações na manhã desta terça (23), depois que analisar o inquérito instaurado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa, a DHPP.

Foi o delegado Marcos Vinícius, da DHPP, quem esteve no local onde o corpo foi encontrado. Isso aconteceu porque as delegacias distritais da Grande Natal não funcionam nos finais de semana e feriados. “Estava vestido só de cueca, com uma camisa polo e meias. O corpo apresentava muitos hematomas. Também havia ferimentos nos braços, pernas e afundamento craniano”, descreveu.

Ainda na cena do crime, o delegado ressaltou que seria necessário mais tempo para se chegar a uma conclusão sobre o ocorrido. “Neste momento não é possível determinar se ele foi assassinado (tendo sido morto em meio às pedras ou mesmo empurrado do alto da falésia), se cometeu suicídio ao saltar do penhasco ou até mesmo se morreu afogado”, acrescentou.

Ainda de acordo com Marcos Vinícius, próximo ao corpo da vítima havia um paralelepípedo, que também pode ter sido usado para causar o afundamento do crânio.” Enfim, ainda é cedo para dizer o que houve”, finalizou.

Fonte: G1

Prefeitura de Natal convoca 180 professores e 86 educadores infantis

DSC_8600A Prefeitura de Natal vai publicar na edição desta quinta-feira (21), do Diário Oficial do Município (DOM), a convocação de 180 professores e 86 educadores infantis aprovados no último concurso público realizado, para nomeação em caráter efetivo, e cujo resultado final foi homologado no DOM do dia 30 de julho de 2015.

​Os novos professores e educadores infantis irão exercer suas funções na rede municipal de ensino, resultado do surgimento de vagas provenientes de aposentadorias (125) e exonerações (52) e que no momento, estão sendo ocupadas por professores temporários.

Estão sendo convocados 148 professores de Pedagogia, 17 de Português, 04 de Matemática, 05 de Ensino Religioso, 03 de Geografia, 01 de Libras, 01 Intérprete de Libras, 01 de Inglês, além de 86 Educadores Infantis, totalizando 266 profissionais de educação.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. ILO disse:

    Não foi publicado no DOM deste dia 21!

Revista Galileu noticia caso de assédio moral de professor da UFRN contra orientanda

 (Foto: Marcus Penna)

A conceituada revista científica Galileu trouxe essa semana uma reportagem sobre um caso de assédio moral praticado por um professor da UFRN contra uma aluna de mestrado. Ele, segundo a reportagem, tentou manter relações com ela e, diante das negativas, passou a perseguí-la no meio científico. O caso teria sido acobertado pela própria universidade. Confira a matéria:

“Desde pequena, Luana* sonhava estudar astronomia enquanto observava o céu estrelado de sua cidade, no interior da Bahia. Crescida, formou-se em física e foi atrás de um mestrado em Natal, no Rio Grande do Norte. Em busca de um orientador, procurou o coordenador do curso, Jonas,* um astrônomo. Na mesma hora, foi convidada por ele para participar de seu grupo de pesquisa. No auge de seus 23 anos, Luana pulou de alegria. O professor prontamente lhe ofereceu uma sala ao lado da sua no prédio dos docentes, onde os alunos eram proibidos de trabalhar, e quis instalar câmeras para que os dois ficassem mais próximos. Ligava nos finais de semana para saber o que ela estava fazendo. Ela saía para jantar com o professor e outros estudantes, e durante os encontros, os assuntos eram todos de cunho sexual. Certa vez, ao sair de um restaurante, Jonas disse que deixaria Lua­na em casa e abraçou seu quadril. Ela fugiu de todas as investidas, e com o passar dos meses começou a namorar um rapaz de outra área da pós-graduação. Quando o orientador soube do namoro, Luana passou a ser excluída de reuniões e seu nome foi retirado de apresentações nacionais de artigos. Um dia, ao chegar em sua sala, ela encontrou a mesa vazia. O computador havia sumido. Foi então que ela descobriu outros quatro casos de abuso envolvendo o mesmo professor — incluindo uma aluna da iniciação científica que perdeu a bolsa ao recusar uma investida — e o processou por assédio sexual. Todo o departamento e a própria universidade acobertaram o caso. E o orientador ainda processou Luana por assédio, alegando que ela usava roupas provocantes. Luana desenvolveu síndrome do pânico e transtorno obsessivo-compulsivo. Não conseguia dar três passos sem voltar para ver se suas coisas estavam onde havia deixado. Tinha crises toda vez que alguém tocava seu braço. Mas juntou forças para se mudar e recomeçar o mestrado do zero. Hoje, ela é professora de astrofísica em uma universidade no sul do país.

A história de Luana é mais uma entre tantas de mulheres que ousaram entrar em áreas da ciência dominadas por homens e acabaram sofrendo abuso moral, assédio e outros tipos de opressão. Há algo de podre na ciência brasileira que exclui sistematicamente as mulheres da produção acadêmica. Uma pesquisa realizada com exclusividade por GALILEU aponta que, nas maiores universidades do Brasil, o número de alunas na graduação é maior que o número de mulheres no corpo docente — o que sugere que essas alunas desistem em algum ponto entre a graduação e o doutorado. Na área de biologia, elas representam 61% dos alunos e 44% do total de docentes. Na física, são 21% dos estudantes e 16% dos professores, e na química são 56% dos alunos e apenas 37% dos docentes.”

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tomaz disse:

    Rola muita sacanagem no mundo acadêmico. Sexo e tudo mais.

  2. paulo disse:

    Caro BG.
    Esse assunto é da esfera da Policia Federal, Ministério Publico Federal e Justiça Federal que deverão investigar e dar uma satisfação a sociedade BRASILEIRA que não pode e nem deve compactuar com esses procedimentos.

  3. Maracujina disse:

    História antiga . Muito esquisita . O professor nega veementemente esse fato . No meio científico existe uma guerra silenciosa de vaidades , prestígio e verbas . Precisa ser investigado e ouvidas todas as partes para não praticarmos injustiça .

  4. RoSaldo disse:

    Com a palavra, a administração da UFRN.

ABSURDO: Garota de 11 anos teve sua boca fechada com fita adesiva durante 15 minutos pelo professor como castigo

054Elise Smith, de 11 anos, foi castigada por estar conversando na aula de um professor. O docente colou sua boca com uma fita adesiva por 15 minutos, alegando que ela não parava de falar, no William Allitt School, em Swadlincote, Derbyshire, Inglaterra.

Seu pai, Marc Smith, furioso com a situação, apresentou uma queixa contra a escola, que foi recentemente colocada sob medidas especiais, bem como fiscalizada pela autoridade educativa local.

Os diretores da escola compreendem que as ações do professor foram equivocadas e ele teve de pedir desculpas à jovem e a sua família, porém nenhuma ação disciplinar ainda foi tomada para penalizar o docente.

O pai disse: “As crianças estavam todas conversando na sala e ele mandou ficarem quietos, mas minha filha continuou conversando. Ele deveria ter apenas a tirado de sala. Ele não tem direito de encostar um dedo nas crianças”.

No momento do incidente, um ex-professor, Mike McCandless, teve de coletar depoimentos dos dois lados do conflito, e ainda outras declarações de alunos que estavam presentes na hora.

O pai da garota disse que estava com raiva porque o professor em questão não foi suspenso e ainda permanece na escola. Ele disse: “O professor pediu desculpas, mas não foi punido o suficiente, na minha opinião, porque ele ainda está trabalhando naquela escola”.

Jean Mead, diretor da escola, disse: “O bem-estar dos alunos é sempre a nossa prioridade. Esta foi uma ação equivocada, em vez de uma mal-intencionada. Nós trabalhamos junto com a autoridade local para realizar uma investigação completa e uma ação apropriada ser tomada em relação ao incidente”.

Jornal Ciência

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Raquel Pereira disse:

    Enojo-me em ler uma materia assim.
    essa menina vai crescer sem limites, achando que pode tudo, pq tem um pai que a defende. Claro que nao acho correta a atitude do professor, mas convenhamos, um pedido de desculpas ja ta bem resolvido a questão. Afinal de contas, quem ta errada é a menina que nao parou sua conversa, enquanto um professor tentava lecionar.

    parem o mundo…

  2. João disse:

    Enquanto isso…alguns pseudo jornalistas bradam o que querem!! Lamentável!!

JFRN: Professor que "xingou" Pau dos Ferros e revoltou cidade tenta reverter punição e não consegue

A Justiça Federal do Rio Grande do Norte arquivou, sem julgamento do mérito, o mandado de segurança impetrado pelo professor Dhiego Fernandes Carvalho, que foi suspenso pelo Instituto Federal de Educação por ter feito comentários depreciativos ao município de Pau dos Ferros.

O docente entrou com um processo no Judiciário tentando anular a punição imposta pelo IFRN após a realização de processo de sindicância.

O Juiz Federal Renato Coelho Borelli, em substituição na 5ª Vara, analisou que o mandado de segurança não seria a via adequada para o pleito do professor, que desconstituir, com o argumento de parcialidade, o processo administrativo, que o impôs 30 dias de suspensão.

“É flagrante a necessidade de dilação probatória para comprovar a veracidade do que afirma a parte autora no que tange à suposta parcialidade das testemunhas e da diretora-substituta do IF de Pau dos Ferros/RN, o que não é cabível em mandado de segurança, uma vez que o direito a ser protegido por esse remédio constitucional deve ser líquido e certo”, escreveu o Juiz Federal Renato Borelli.

O magistrado, na sentença, chamou atenção que a Constituição assegura a liberdade de pensamento, mas não é absoluto, já que encontra limite no Princípio da dignidade da Pessoa Humana e o da Inviolabilidade da Honra e Imagem das pessoas. O Juiz Federal Renato Borelli analisou que o professor, ao fazer comentários depreciativos ao município e a população de Pau dos Ferros, “não só abusou do seu direito à liberdade de expressão, sem consideração quanto aos demais princípios acima mencionados, mas também ignorou, ao emití-las, a repercussão de suas declarações no seio daquela comunidade, fato por si, reprovável, uma vez que ocupa um cargo público de destaque, do qual poderia se valer, com um pouco mais de sabedoria, para influenciar positivamente mudanças naquela sociedade, o que, de uma forma bastante deturpada, parece ser o fim por ele almejado”.

Via De Fato

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pedro Julião disse:

    Corretíssimo!
    Decisão muito serena.

Exame para detectar presença de chumbo em mãos é feito em PM suspeito de matar professor de MMA em Cidade Satélite

O tenente da PM suspeito de ter assassinado a tiros o professor e lutador de MMA Luiz de França Trindade, de 25 anos, na manhã dessa segunda-feira (10), realizou exames no Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep)  para verificação da presença de chumbo em suas mãos.

O exame de residuograma de chumbo, realizado em Iranildo Félix, deve ficar pronto em até 10 dias. Contudo, a defesa do PM poderá questionar qualquer resultado positivo, justamente por ele ser policial e manusear armas.

Informações dão conta que o tenente está de licença médica, e que não poderia sair armado, embora, em sua residência, nada impeça que ele tenha contato. Vale lembrar que o calibre da arma que tirou a vida da vítima é de pistola calibre ponto 40.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rino disse:

    Verdade, deveria estar em casa dando tiros em ratos, eu já fiz isso.

  2. Luis Fernando disse:

    Todo policial tem residuos de polvora nas mãos. Logico

  3. Justiça disse:

    Ele poderia ser o mandante não? A policia já trabalha essa hipótese?

Assassinato de professor de MMA: PM se apresenta e volta a falar em inocência

O tenente da Polícia Militar que teria supostamente se envolvido no assassinato do instrutor de lutas Luiz de França, de 25 anos, na manhã desta segunda-feira (10), como prometido no início desta tarde, após visita do delegado Sílvio Fernandes a sua residência, apresentou-se à 11ª DP, no conjunto Cidade Satélite, onde foi registrado o crime e, mais uma vez, alegou inocência.

Segundo matéria da Tribuna do Norte, antes de se dirigir a delegacia, o tenente foi até o comando da Polícia Militar, e teria comunicado ao coronel Francisco Araújo, comandante-geral da PM, que é inocente. Embora não tenha conversa com a imprensa, o PM nega qualquer envolvimento no homicídio e afirma que estava em casa durante o ocorrido.

Ainda segundo a Tribuna do Norte, o delegado Sílvio Fernandes foi até a casa do suspeito, que afirmou ter ido a outra academia durante a manhã. Segundo o delegado, a informação foi confirmada, mas o horário de entrada na segunda academia teria sido após o homicídio.

Com a motivação do crime sendo um mistério até o momento, a única manifestação do tenente da PM é que chegou a ter um problema (não especificado) com a vítima, mas que não havia sido expulso da academia.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gleidson disse:

    É aquele velho ditado. Pau que bate em Chico não bate em Francisco. Se existe indícios de autoria e a materialidade incontestável do crime, já passou da hora do caro delegado pedir a prisão temporária do “nobre” tenente. Existe previsão legal para tanto. As nossas leis, por suas várias interpretações, permitem punir ou beneficiar. Eis a questão.

  2. Rosaldo disse:

    Vamos acompanhar este caso….. Apenas verificando as câmeras da rua onde ocorreu o assassinato e de câmeras das ruas vizinhas é possível acompanhar a movimentação deste indivíduo. Verifiquem as câmeras próximas da casa dele no horário do crime…

    • Anninha disse:

      Incrível! Numa mesma matéria, há a informação de que o suspeito estava em casa na hora do ocorrido e ainda, que ele estaria em outra academia na ocasião do crime. Tudo muito confuso! A única certeza é que o jovem morreu de forma covarde. Onde vamos parar com tanta violência?

FOTO: Professor morre a tiros na calçada de academia em Cidade Satélite

IMG-20140210-WA0005Ainda não se tem informação de como realmente aconteceu, mas, infelizmente, a violência em Cidade Satélite está cada vez mais escancarada.  Na manhã desta segunda-feira (10), um professor de musculação e lutador de MMA foi assassinado a tiros na calçada da academia Alta Performance, na rua Serra da Jurema.

De acordo com a Polícia Militar, informações preliminares dão conta que a vítima identificada como Luiz de França Sousa Trindade, de 25 anos, foi surpreendida por um homem que desceu de uma motocicleta, realizou vários disparos de pistola calibre ponto 40, que ainda atingiram outro professor, este, sem risco de morte, baleado na região da perna.

Informações também preliminares dão conta que o suspeito seria um tenente da Polícia Militar, excluído do estabelecimento por comportamento violento. Segundo a PM, após os disparos, o homem que não estava fardado fugiu com um garupa com destino ignorado. Diligências foram realizadas pela região, mas até o momento nenhum dos dois foi encontrado.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fabio disse:

    Primeiro, o crime ocorreu na calçada da academia, e ele não era professor de musculação, mas de muai thay naquela academia. E na academia não existem câmeras de segurança..

  2. elineide disse:

    O professor

Sindicato emite nota sobre declaração de professor do IFRN em rede social sobre Pau dos Ferros

O Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Seção Natal/Sinasefe-Natal) emitiu nota à imprensa sobre o professor do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) de Pau dos Ferros, Dhiego Fernandes, que chamou a cidade de cabaré. Confira na íntegra:

O Sinasefe Natal, diante dos últimos acontecimentos envolvendo professor vinculado ao Campus Pau dos Ferros e seus comentários sobre aquela cidade, repudia com veemência a postura adotada pelo referido docente, ao mesmo tempo em que lamenta a exposição negativa que este fato tem trazido ao IFRN.

Entendemos que a ação do docente fere de maneira frontal a conduta ética que se espera de um professor, assim como nem de perto condiz com o papel de servidor público no exercício do cargo. Além disso, seus comentários ofendem de maneira reprovável o distinto povo de Pau dos Ferros, que traz consigo a força de luta comum a todos os nordestinos, os quais precisam aprender a lidar desde cedo tanto com as adversidades regionais quanto com a ineficácia das políticas públicas implantadas.

Consideramos imprescindível, por fim, que sejam tomadas todas as providências cabíveis por parte da Reitoria do IFRN, no sentido de apurar os fatos com rigor e imparcialidade, adotando medidas que busquem evitar casos lamentáveis como este.

Nossa solidariedade ao povo de Pau dos Ferros!

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. paulo sergio martins disse:

    A educação brasileira faliu faz tempo, só alguns arrogantes ufanistas se recusam a reconhecer tal fato. A antiga ETFRN foi grande diferencial na história do ensino médio norte-rio-grandense, mas isto já remonta bastante tempo. Desde a sua transformação em Cefet, em meados dos anos 90 do século passado, que a atmosfera de qualidade tornou-se rarefeita ali. Houve aumento exponencial do público assistido, do corpo funcional e no número de unidades descentralizadas, porém a qualidade do conjunto da obra caiu verticalmente. É diante desse cenário que o professor Dhiego faz – sim – jus ao cargo que ocupa, até porque para ele deve ter sido concursado e submetido a provas de aptidão rigorosas. Por outro lado, todo e qualquer cidadão é responsável pleno pelo que diz ou acusa. Mesmo numa democracia precária e por vezes maquiada, como a que se vive no Brasil, felizmente não há mais ambiente institucional adequado à perpetuação do crime de opinião ou ao exercício da censura à liberdade de expressão. Lógico que ninguém tem obrigação de concordar com as opiniões do professor Dhiego, mas o bom senso também não autoriza quem quer que seja a promover seus mais primários instintos inquisitivos com o desejo de puni-lo ou persegui-lo funcionalmente. Mister se faz distinguir o cidadão individual do funcionário público. Ele nada reverberou em nome da instituição à qual tem vínculo empregatício. O desrespeito que porventura tenha ele dispensado a seus concidadãos não confere à anacrônica Lei do Talião qualquer exemplo de dignidade humana. A intolerância, sob qualquer aspecto e pretexto, foi e sempre será um apanágio das piores ditaduras, sejam elas disfarçadas ou mesmo assumidas e juramentadas.

  2. Netinho disse:

    Pode ter a certeza que esse rapaz está querendo mesmo com isso é viabilizar sua transferência para um campus mais próximo a cidade deste!

  3. Rosaldo disse:

    Tempestade em copo d'água…

    • Rosaldo disse:

      Apenas um pequeno acréscimo na frase: Tempestade em copo d'água… SUJA.

Palavras de professor contra Pau dos Ferros ganha destaque nacional; IFRN emite nota

Alunos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFRN), localizado no município de Pau de Ferros, no interior do Rio Grande do Norte, protestaram nesta quinta-feira (30) pedindo a demissão de um professor da unidade de ensino. A revolta é resultado de uma postagem que o docente Dhiego Fernandes fez no seu perfil do Facebook, nessa quarta-feira (29). No texto ele diz: “Infelizmente sou obrigado a vim nesse cabare chamado pau dos ferros. Deixo para os nativos da regiao ficarem tomando banho de lama e levar sol quente na cabeca…” (sic).
imagempolemica_470
A postagem gerou polêmica nas redes sociais por causa do comportamento xenofóbico do professor, que mais uma vez usou seu perfil no site. Dhiego reforçou as críticas à cidade de Pau de Ferros e acrescentou que escreve o que quiser no seu Facebook.
post3
Uma vez que a repercussão aumentou, o professor publicou um texto em que pede desculpas pelas suas postagens anteriores, mas volta a elencar os problemas vividos na cidade do interior do Rio Grande do Norte.

O assunto também foi comentado pela direção do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia onde o professor leciona. Em nota, a unidade de ensino disse que não pode censurar o que o docente escreveu em um perfil pessoal. No entanto, o IFRN reforça que não comunga das opiniões de Dhiego Fernandes e que irá investigar a situação. Leia a nota na íntegra:

“A Administração Superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte, em virtude das recentes declarações postadas nas redes sociais a respeito do Município de Pau dos Ferros, e que foram atribuídas a professor vinculado ao Campus Pau dos Ferros desta instituição, vem apresentar os seguintes esclarecimentos:

1) As opiniões atribuídas ao referido docente não exprimem de maneira alguma o posicionamento desta instituição a respeito do Município e da população de Pau dos Ferros;

2) As manifestações veiculadas nas redes sociais manifestam opinião de ordem pessoal, em espaço pessoal, não institucional, criado de forma privada, sobre o qual este IFRN não pode exercer qualquer tipo de censura ou ingerência;

3) O IFRN compromete-se a apurar as ocorrências e tomar as providências cabíveis, garantindo amplo direito de defesa ao servidor envolvido.”

UOL

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. MOURA NETO disse:

    Porque que nós enquanto cidadãos (em tese, civilizados), nessas horas, nos transformamos TODOS em algozes e não em conciliadores??? Porque será que toda vez que vemos, lemos ou ouvimos algo que nos indigna, e nos causa tanta repulsa e achamos moralmente ou eticamente incorreto nos transformamos inconscientemente e imediatamente tanto quanto incorretos e maledicentes com quem atiramos as pedras com nossos comentários raivosos e escarnecedores???!!! Apesar de todos nós (independente da cidade em que vivemos) ter o político que merecemos (pois os escolhemos)… Apesar de TODOS nós sabermos que a maioria dos moradores das grandes e pequenas cidades brasileiras e principalmente de pequenos municípios serem realmente tratados como GADOS MARCADOS como em CURRAIS (ELEITORAIS)… Apesar de sabermos que SIM, existem milhares de pessoas (sejam estas ignorantes e/ou moralmente desvirtuadas) a várias DÉCADAS que VENDEM seus votos por MIGALHAS e ESMOLAS… Apesar de ter entendido (mesmo que cruamente e impulsivamente) a indignação desse "professor" que está revoltado com a forma e descaso que todos nós cidadãos somos tratados pelo poder público em geral… Apesar de todo sofrimento por causa de uma seca que a muito tempo já poderia ter pelo menos sido amenizada com a tão propagada e alardeada transposição do rio são francisco como solução para todo o sofrimento do povo nordestino… Apesar de tudo! Isso não dá o direito a esse "professor" falar de forma tão desrespeitosa a todos os cidadãos desta cidade… E acho que o mesmo deveria pedir desculpas (se já não o fez) por não medir suas palavras… Bem como as pessoas que o criticaram também, deveriam desculpa-lo por este infeliz comentário… Pois, com certeza, deve ter sido feito em um momento de muita revolta e tensão, tipo desabafo e/ou auto-defesa… E quem de nós nunca praguejou ou insultou ou discutiu de forma equivocada com um ente querido da família, um amigo, um vizinho ou colega de trabalho e disse coisas que nunca deveriam ter sido ditas só por causa de um momento que fugiu ao nosso controle? Que atire então a primeira pedra! E parece que muitos já atiraram: … A bíblia chama de hipócrita todos aqueles que tentam tirar o "argueiro" do olho do seu irmão, mas esquecem de tirar e arrancar a "trava" do seu próprio… Lembrem-se: Vivemos em tempos difíceis… Tempos de insatisfações generalizadas, tempos de INTOLERÂNCIA!!! Falo isso por experiência própria. Mas ainda bem que percebi a tempo e tentar me modificar e não me tornar igual (ou pior) às pessoa que nos indignamos, apedrejamos e crucificamos, independentemente dos erros cometidos. Saibam todos, que neste mundo, em tudo existem "dois lados"… O certo e o errado, o positivo e o negativo, o bem e o mal, o permitido e o proibido… e por aí vai… Porém, entre eles (os dois lados) existe uma linha muito tênue que nos separa da sanidade e insanidade… Cuidado então… Pois, quando cruzamos essa linha tênue, às vezes, não tem mais volta…

  2. Sergio Nogueira disse:

    Pelo linguajar chulo e os atentados a língua e a cidade que proporciona seu ganha pão, esse personagem deve ter lama no lugar do cérebro

  3. agripino oliveira disse:

    Como professor o moço deveria se expressar de forma correta "sou obrigado a vim"?

Prefeitura do Natal abre concurso temporário para professor e educador infantil

PROCESSO SIMPLIFICADO DE SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PROFESSOR E DE EDUCADOR INFANTIL

Período de inscrição: 17 à 27 de Janeiro. Informações clicando abaixo:

Edital – através do DOM de 16/01/2014

Manual para Emissão do DAM

Emissão do DAM

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. marilyn disse:

    To orrorizada com a situação das crianças de natal sem escola ,,3 meses? Que isso?que partidária e essa? Essa Porra desse estádio era tão mais importante que a educação das crianças SENHOR PREFEITO? Lugar tão lindo não e atoa q o povo tá indo embora pra outras cidades,,aqui em Curitiba tem um batalhão de potiguar ,,SENHOR PREFEITO ENVIA ESTE ESTÁDIO O SENHOR SABE ONDE NE?E VÊ SI TOMA VERGONHA NESSA CARA LEVADA E REGULARIZADA A EDUCAÇÃO E A SAÚDE DOS SEUS.

Professor da Ufersa conquista maior prêmio de Economia do país

Rogério Studart_ Dir do Banco Mudial para Assuntos da América LatinaO professor Leonardo Andrade Rocha foi agraciado na segunda edição do Prêmio Ministério da Fazenda de Economia, concedido por meio da Escola de Administração Fazendária (Esaf) em parceria com a Associação Nacional de Centros de Pós-graduação em Economia (Anpec).

A iniciativa é a mais importante premiação do gênero no Brasil, concedida pelo Governo Federal. O prêmio é dividido em sete áreas do conhecimento e o professor da Ufersa conquistou o primeiro lugar na categoria “Crescimento, Desenvolvimento Econômico e Instituições” (Área 6).

Doutor em Economia, professor Leonardo Rocha é titular no Departamento de Agrotecnologia e Ciências Sociais (DACS) e pesquisador do Programa de Pós-graduação em Ambiente, Tecnologia e Sociedade da Ufersa, com atuação em pesquisa na área de crescimento econômico e políticas de inovação. O prêmio foi concedido pela autoria do trabalho “Crescimento Econômico e a Interação entre Capital Humano e Grau de Desenvolvimento Tecnológico dos Países”, em parceria com os pesquisadores Maria Ester Dal-Poz e José Maria Ferreira Jardim da Silveira, ambos da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

O estudo foi apresentado no 41° Encontro Nacional de Economia, sediado em Foz de Iguaçu (PR) e contou ainda com a participação de renomadas instituições internacionais, a citar: Universidade of Illinois, University of California, Iowa State University e University of Pittsburgh (EUA); University of Cambridge (Inglaterra); University of Alberta (Austrália); e University of Groningen (Holanda). Todas elas disputavam o prêmio na mesma categoria.

O trabalho exposto pelo professor Leonardo Rocha é resultado da tese de doutoramento defendida no Instituto de Economia (IE) da Unicamp. A pesquisa versa sobre a importância da política de educação articulada com a política industrial para a geração de crescimento nos países com diferentes cenários de desenvolvimento. Para tanto, os pesquisadores analisaram 139 países, no recorte temporal de 1960 a 2007.

Segundo o pesquisador, a premiação enaltece o trabalho dos que atuam na Ciência. “A iniciativa tem a importância de enaltecer as pesquisas que operam na fronteira da ciência. Essa é uma conquista compartilhada por todos que somaram força nesta empreitada, como a Reitoria da Ufersa e a chefia do nosso Departamento”, pontua Leonardo Rocha.

Seguindo a mesma linha de pesquisa, o professor Leonardo Rocha também conquistou a 16ª edição do Prêmio BNB de Economia Regional, concedido pelo Banco do Nordeste no final de 2012.

Ufersa

Aluno toca em parte íntima de professor e é agredido com soco no rosto em escola de Mossoró

Segundo matéria publicada na manhã desta terça-feira(19), no Jornal de Fato, o professor de Química, Márcio Fabrício, de 24 anos, agrediu um aluno com um soco, na noite dessa segunda-feira (18), na Escola Estadual Monsenhor Raimundo Gurgel, localizada no bairro Belo Horizonte, em Mossoró. O aluno é estudante do 1º ano e tem 17 anos. Segundo relato do vice-diretor da escola, Francinilson de Oliveira, a agressão aconteceu depois de uma brincadeira obscena do aluno com o professor, que perdeu o controle e o agrediu com um soco no rosto.

“A informação é que sempre havia brincadeiras exageradas entre professor e aluno. Daí, Rômulo apertou o peito do professor, que disse para não apertar porque tinha um piercing. O professor disse ainda que tinha outro nos testículos. O rapaz tocou os testículos do professor, que o agrediu com um soco”, declarou.

De acordo com o jornal, o vice-diretor da escola, Francinilson de Oliveira, relatou que se trata de um professor recém-contratado pela Diretoria Regional de Educação (Dired). Francinilson irá ter uma reunião com a coordenadora do Dired, Magali Delfino, na tarde desta terça-feira (19) para que Márcio Delfino seja desligado da escola.

“Ele não é concursado. A escola estava sem professor de Química, porque uma professora foi transferida para Pau dos Ferros. Daí, a Dired fez contrato com esse rapaz e nos mandou há uns 15 dias. Mas, depois desse acontecimento, não há mais condições dele continuar lecionando em nossa escola”, relatou Francinilson.

Ainda segundo o jornal, o vice-diretor não soube informar se o aluno procurou a Polícia para prestar queixa. O Jornal De Fato entrou em contato com a Delegacia de Plantão, que não tinha qualquer registro de denúncia do aluno.

Com informações do Jornal De Fato

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fernanda disse:

    Deixou vazar o nome do menino?

Professor é afastado após divulgação de vídeo onde aparece acariciando aluna de 11 anos

escolaUm professor foi afastado de suas funções após a divulgação de um vídeo, nesta quarta-feira, onde aparece acariciando uma aluna de 11 anos dentro de uma sala de aula na Escola Estadual Maria Montessori, na região da Vila Maria, Zona Norte de São Paulo. As imagens foram gravadas por colegas de classe da vítima, revoltados com a atitude do professor. Nesta quinta-feira, a criança e os pais dela foram ouvidos pela Polícia Civil, que instaurou inquérito para apurar o caso.

Nas imagens, o professor aparece abraçando a aluna por trás. Em alguns momentos, chega a beijá-la e a morder a orelha da criança. O profissional, identificado numa reportagem da TV Record como Osvaldo Batista Filho, pode ser enquadrado no crime de estupro de vulnerável.

Ciente do caso, o Conselho Tutelar orientou os pais da garota e os acompanhou até a delegacia. A menina e os pais terão acompanhamento psicológico.

– Há informações de que ele agia da mesma forma com outras alunas. Com a divulgação desse caso, espero que outras vítimas do mesmo crime possam denunciar essas práticas nas escolas – disse a conselheira tutelar Hermas de Lourdes de Souza Santos.

O professor pode ser indiciado por estupro de vulnerável, cuja pena varia entre 8 e 15 anos de reclusão.

O Globo