Saúde

Sintomas de Covid: pesquisadores britânicos ampliam para 7 os sinais que deveriam levar a exame de coronavírus

Foto: BBC

Pesquisadores no Reino Unido querem que o governo do país inclua quatro sintomas à lista que orienta os pedidos de exame diagnóstico para Covid-19.

A ideia é acrescentar fadiga, dor de cabeça, dor de garganta e diarreia à lista que hoje se restringe a tosse, febre e perda de paladar ou olfato.

Ao ampliar o rol de sintomas, seriam identificados 40% mais casos da doença, dizem os autores da proposta, que estão à frente do aplicativo Zoe, um amplo estudo de sintomas da Covid feito em parceria com a universidade King’s College London.

As autoridades de saúde, entretanto, temem que um aumento no número de testes possa sobrecarregar o sistema da saúde.

Como os sintomas são bastante comuns e podem surgir a partir das mais diferentes causas, um volume maior de pessoas que não estão infectadas com o coronavírus também serão testadas.

Os próprios pesquisadores envolvidos no estudo estimam que o total de resultados negativos para cada positivo aumentaria de 46 para 95, mas argumentam que o país hoje tem condições de fazer frente ao aumento de demanda.

“Os principais sintomas foram cuidadosamente selecionados para identificar aqueles com maior probabilidade de terem Covid-19, ao mesmo tempo em que excluem uma grande quantidade daqueles que não têm a doença”, afirmou um porta-voz do Departamento de Saúde e Serviço Social.

A equipe do app Zoe esteve entre as primeiras a identificar a perda de olfato e paladar como sintomas da Covid-19.

Isso foi possível graças ao volume de informações cadastradas no aplicativo, onde britânicos com sintomas da doença compartilham o que estão sentindo e, posteriormente, se tiveram diagnóstico positivo ou negativo para a doença.

Os sete principais sintomas foram filtrados a partir dos dados fornecidos por 120 mil adultos ao app. Do total, 1,2 mil foram efetivamente diagnosticados com a doença.

Para os pesquisadores, o paciente que apresente qualquer um dos sete sintomas deveria estar elegível ao teste de PCR, o “padrão ouro” do diagnóstico de Covid-19, que investiga a presença de material genético do vírus na região da orofaringe e nasofaringe.

“Quando os testes de PCR eram escassos, fazia sentido uma maior restrição”, afirma Claire Steves, que lidera o estudo.

“Agora, o Reino Unido tem testes o suficiente, graças ao esforço feito pelos laboratórios em todo o país, e cada diagnóstico positivo ajuda a salvar vidas.”

“Sabemos desde o início que focar a testagem apenas nos três sintomas clássicos – tosse, febre e anosmia [perda de olfato] — significa perder uma proporção significativa dos casos positivos”, acrescenta Tim Spector, que também coordena o projeto.

“Para nós, a mensagem para o público é clara: ‘Se você não estiver se sentindo bem, isso pode ser Covid e você deveria ser testado’.”

Spector acrescenta que esse aspecto ganhou nova importância recentemente, com a identificação no país de variantes mais transmissíveis do Sars-CoV-2.

Estudo conduzido pelo Escritório Nacional de Estatísticas (ONS, na sigla em inglês) identificou que tosse, fadiga, dor de garganta e dor muscular estão entre os sintomas mais comuns entre aqueles infectados pela nova variante.

Para a médica Margaret McCartney, a conduta poderia chegar a um meio termo, de forma mais pragmática. Em entrevista ao programa Inside Health, da BBC Radio 4, ela propôs que se levasse em conta a gama mais ampla de sintomas para requisição de testes em regiões onde há sabidamente maior circulação do vírus.

Bem Estar – G1, com BBC

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Corpo de homem com sinais de espancamento é encontrado em terreno na Zona Norte de Natal

O corpo de um homem de 60 anos foi encontrado na tarde dessa quinta-feira (10) em um terreno baldio no loteamento Dom Pedro I, no bairro Pajuçara, zona Norte de Natal. Segundo a Polícia Civil, a vítima morreu após ter sido espancada com um barrote de madeira. O caso é investigado como homicídio doloso – quando há intenção de matar. Todos o detalhes aqui em
reportagem completa do G1-RN.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Quatro sinais de alívio para o turismo nacional

Foto: Priscila Zambotto/Getty Images

- Porto Seguro

Desde o último dia 31 a cidade do litoral sul baiano voltou a receber voos fretados de visitantes, que estavam suspensos devido à Covid-19. De acordo com a prefeitura local, o município registra ocupação de 70% dos hotéis e pousadas. Essa é a taxa máxima permitida na atual fase do protocolo de biossegurança adotado na cidade para o retorno do movimento. A retomada das viagens a Porto Seguro foi comemorada como um dos indicadores de que a pior fase de prejuízos para a indústria nacional de turismo pode estar chegando ao fim.

- Réveillon

Mais aquecido do que se previa, o movimento de procura por viagens e hospedagens no fim de ano é outro fator que anima as pessoas do setor. De acordo com pesquisa da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa), 80% dos entrevistados que pretendem viajar no fim de dezembro vão preferir os destinos domésticos.

- Hotelaria

Depois de baterem recordes negativos no início da pandemia, com taxas entre 1% e 5%, os índices de ocupação nos estabelecimentos voltaram a crescer nos últimos meses. No segmento de hospedagens de luxo no Brasil, segundo levantamento recente da Brazilian Luxury Travel Association (BLTA), o número registrado em outubro foi de 52% de ocupação, índice semelhante ao do mesmo período de 2019.

- Operadoras

Quase 70% das agências de viagens voltaram às atividades nos últimos meses, de acordo com estimativas da Braztoa. A corrida agora é para tentar reduzir o prejuízo de 2020. A expectativa é que as perdas totais no segmento em 2020 possam chegar a 11,3 bilhões de reais, o que corresponde a 75% do faturamento de 2019.

Publicado em VEJA de 11 de novembro de 2020, edição nº 2712

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Mourão elogia sinais de moderação de Bolsonaro: “Presidente tem consciência de que precisa liderar e sabe como fazer”

Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

O vice-presidente Hamilton Mourão elogiou nesta sexta-feira (26) à CNN os sinais de moderação emitidos pelo presidente Jair Bolsonaro nos últimos dias.

“O presidente tem consciência de que precisa liderar e sabe como fazer”, afirmou à coluna Mourão, que é um dos principais expoentes da ala militar do governo.

Entre as sinalizações de moderação, está a nomeação de Carlos Alberto Decotteli para o Ministério da Educação, primeiro negro a ocupar um cargo no primeiro escalão no governo Bolsonaro.

A nomeação de Decotelli, considerado de perfil moderado, teve forte influência de militares do governo, principalmente do almirante Flávio Rocha, secretário de Assuntos Estratégicos da Presidência.

Outro gesto de paz de Bolsonaro foi defendendo “paz” entre os poderes, em evento nesta quinta-feira (25) ao lado do presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. O presidente tem que fazer como Itamar Franco até a c m se calou para Itamar.
    Falou que tinha provas contra ele chamou acm para uma reuniáo,quando acm entrou na sala , a sala estava cheia de jornalista.acm perguntou o que fazia os jornalistas, Itamar respondeu que eram testemunha,e na citada reuniáo so mostrou xerox de jornais.bolsonaro fala muito e tem poucas atitudes.nao fala olho no óleo.passa uma impressão para o pessoas do STF.e políticos que ele tem medo do enfrentamento.deveria apreender com Roberto Jefferson.

  2. Acho que o presidente deverá continuar em processo de afastamento e isolamento da Rede Globo Lixo de televisão ao contrário de que muitos acham que ela ainda detém o poder da audiência à história está mostrando o contrário ela tem perdido audiência como também a credibilidade seus jornais não tem mais compromisso com a notícia verdade e sim com a vingança e o ódio contra o presidente, seu dia chegará a história dirá quem tem Razão, suas dívidas com a união são impagáveis é uma sonegadora de impostos, agora é a FIFA que cobra o pagamento dos direitos de transmissão das capa que já transmitiu e da próxima de 2.022, está desmontando seu quadro de estrelas e todas às suas afiliadas agonizam em dificuldades. À saída para Globo não é essa que ela adotou detonar o governo para tentar escapar do fechamento, a mesma está tentando a todo custo um estelionato no governo.

    1. Quem pode perder mais audiência no Brasil é a Globo, sem dúvida, e exatamente porque é ela quem tem o maior índice de audiência! Ou você já viu pobre ter prejuízo?

  3. Inevitalmente o presidente Jair Bolsonaro precisará se aliar ao grupo globo de comunicação e midia dos Irineu Marinho, entre 70 e 80% dos brasileiros ricos e pobres sem exceção só assistem à globo aberta e os seus outros canais pagos da TV fechada pouquíssimas pessoas assistem os outros canais tipo SBT e Record e band em que o presidente tanta investe financeiramente juntos esses canais mencionados possuem baixíssimas audiências, a programação do grupo globo ganha de todos esses canais de televisão e demais canais juntos, a insistencia do presidente Bolsonaro em atacar, desafiar e afrontar o grupo globo comunicações e participações S/A dos Irineu Marinho, ele irá continuar cavando a sua própria sepultura pessoal e política ou se alia ao grupo Globo ou a Globo acaba de vez com o seu governo, a história afirma e confirma que enfrentar um establishment constituido nunca dar certo,sempre dar errado.

    1. BG.
      Esse índice divulgado não condiz com a verdade e ela vai fechar sim e espero que seja o mais rápido possível. Ainda mais com novelas que cabaré de ponta de rua perde feio. Tchau rede lixo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Objeto misterioso de outra galáxia está enviando sinais a cada 16 dias

(Honglouwawa/Getty Images)

Rajadas rápidas de rádio (FRB, da sigla em inglês) são um dos fenômenos mais misteriosos da astrofísica. São emissões de radiação na forma de ondas eletromagnéticas que carregam muita energia, vindas de algum lugar do espaço profundo. Os pulsos duram milissegundos – bem menos que um piscar de olhos –, e por isso são tão difíceis de estudar.

Para piorar, as FRBs são totalmente aleatórias. Quando conseguimos encontrar alguma, astrônomos se aventuram em teorizar sobre suas origens, mas dificilmente conseguem identificar com certeza. Na verdade, de mais de cem FRBs identificadas na história, só cinco tiveram seus pontos de origem definidos. E em nenhum dos casos o culpado exato pela emissão foi identificado com precisão.

Agora, um novo elemento apareceu para complicar ainda mais essa história: pela primeira vez, cientistas encontraram um sinal de rádio que não é aleatório, mas que obedece um ciclo temporal definido.

A emissão foi batizada como FRB 180916.J0158+65. Ela foi identificada pela primeira vez pelo radiotelescópio canadense CHIME, em 2016, e aparentemente segue um padrão de 16,35 dias. Por quatro dias, o sinal é identificado algumas vezes. Depois, ele desaparece por 12 dias. Volta a surgir nos quatro dias seguintes, e assim por diante.

Foi o que descobriu a equipe de astrônomos do estudo, que analisou os sinais por mais de um ano, entre setembro de 2018 e novembro de 2019. A pesquisa foi publicada no servidor online arXiv.org.

A descoberta é única: a maioria das rajadas rápidas de rádio aparecem apenas uma vez e nunca mais se repetem. Dessa forma, estudá-las e encontrar seus locais de origem é bastante difícil. Algumas vezes, esses fenômenos até aparecem mais de uma vez – mas nunca com um intervalo definido. Nesses casos, os astrônomos até consegue mapear suas rotas e encontrar a galáxia em que elas se originaram.

Os pesquisadores ainda não sabem exatamente o porquê deste novo ciclo observado, mas dá para teorizar. E, pelo menos, não estamos totalmente no escuro: a FRB 180916.J0158+65 é um dos únicos cinco sinais que de fato conseguimos encontrar a origem, já que ela havia se repetido várias vezes após sua primeira identificação. A rajada surgiu uma galáxia espiral há 500 milhões de anos-luz da Terra – a menor distância entre todos os locais de origem de FRBs já identificados. Mais: sabemos que essa região é conhecida por ser um local de intensa formação estelar, e isso ajuda a explicar o mistério.

A periodicidade em si não é uma característica incomum no espaço. Objetos cósmicos como buraco-negros, estrelas e planetas obedecem padrões temporais em seus movimentos, por exemplo. Como as FRBs envolvem quantidades enormes de energia, é provável que elas surjam a partir de eventos extremos envolvendo buracos-negros ou estrelas.

Considerando que o local de origem do novo sinal é uma região de intensa atividade estelar, é possível que um objeto orbitando um buraco-negro seja o responsável pela emissão. Os 16,35 dias podem ser seu período orbital, por exemplo, no qual somente em quatro deles a sua posição permita que identifiquemos as rajadas de radiação.

Outra possibilidade, postulada por um estudo separado, é que o sinal venha de uma estrela de nêutrons (que são remanescentes de enormes estrelas defuntas), em um sistema binário com outra estrela, muito maior que ela.

E hipóteses de todos os tipos também já foram levantadas, envolvendo inúmeros objetos e eventos do vasto catálogo cósmico, como magnetares (estrelas de nêutrons com altos valores de campo magnético), blitzars (hipotéticas colisões entre estrelas de nêutrons e buracos negros), colisões entre buracos-negros, entre outros.

Mas a verdade é que ainda não sabemos com certeza. E, nesse caso, uma outra hipótese bastante interessante encontra lugar para emergir, inclusive entre alguns cientistas: poderia a periodicidade das emissões ser fruto de atividade alienígena inteligente?

Seria algo extremamente animador para amantes de teoria da conspiração, mas a resposta é quase certamente não. Rajadas rápidas de rádio como as identificadas liberam dezenas de milhares de vezes mais energia que nosso Sol. É mais provável, então, se tratar de um fenômeno cósmico mesmo.

Super Interessante

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Usuários reclamam de instabilidade nos sinais da Claro e Tim na Grande Natal

Foto: Ilustrativa

Coincidentemente, após a queda de energia no início da madrugada desta quarta-feira(22), chegam ao Blog reclamações de instabilidade nos sinais de operadores de telefonia, especialmente, na Grande Natal.

Sinais da Claro e Tim, por exemplo, aparecem como as queixas mais frequentes.

Opinião dos leitores

  1. Aqui na praia de Barreta faz mais de dois meses que o sinal da TIM desapareceu, sumiu, e a Anatel omissa, não toma nenhuma providência. Afinal, para que serve a ANATEL?

    1. Esse Everton só pode ser um abestalhado. Alguém lembra a ele como era uma maravilha na época do celular estatal, antes da Telemar, quando vc pagava até pra receber chamada.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acidente

VÍDEOS: População se revolta com motorista em Parnamirim em acidente que matou trabalhador na manhã desta quinta na BR-101


Motorista com sintomas de embriaguez se envolve em acidente com vítima fatal na manhã desta quinta-feira(05), na BR-101, em Parnamirim, na Grande Natal.

Acidente que ainda deixou mais duas pessoas feridas revoltou populares, que tentou agredir motorista. O iminente linchamento foi evitado com a chegada da polícia.

Vítima fatal, um trabalhador de 46 anos, morreu de forma instantânea ao ser atingido pelo veículo Uno Mille.

Veja mais: Trabalhador morre e duas pessoas ficam feridas em acidente na BR-101 em Parnamirim na manhã desta quinta

Opinião dos leitores

  1. Pior é o RN1 dar por dois dias seguidos voz à família do assassino cachaceiro e nada à família do trabalhador assassinado

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *