Dezessete presos envolvidos no Massacre de Manaus são transferidos para presídio federal de Mossoró

Foto: Marcelino Neto/O Câmera

A direção do presídio federal  de Mossoró confirmou a chegada  de dezessete detentos na noite dessa quinta-feira(30) envolvidos no massacre de 55 presos em presídios do Amazonas. A maioria dos apenados mortos nesta semana morreu de asfixia ou golpeada por objeto perfurante.

Sobre o massacre em Manaus, a suspeita das autoridades é que tenha sido motivada por uma disputa pelo comando de uma mesma facção.

Vale lembrar que em 2017, os presídios de Manaus já tinham sido palco do maior massacre do sistema penitenciário do estado, com 65 mortes dentro de unidades prisionais. Naquela época, membros da Família do Norte (FDN) atacaram presos do Primeiro Comando da Capital (PCC) durante uma rebelião que durou 17 horas.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    Mossoró talvez seja a única cidade brasileira a se dar o luxo de ter um aeroporto destinado exclusivamente à mobilidade de bandidos de alta periculosidade. Vôts.

  2. Arnaldo de Oliveira Franco disse:

    Taí o grande legado dos governos do PT para o RN (Presidio Federal de Mossoró) Natal, que era a terceira capital menos violenta do País, hoje é manchete como uma das mais violentas do mundo.

    • João Rodrigues disse:

      Deixe de canalhismo, outras cidades receberam presídios federais com RDD. A merda são os presídios estaduais (vide alcaçuz nas dunas).

  3. Anti-Robô disse:

    Caramba, depois da PF anunciar um possível salve para próxima semana ainda ganhamos na sena…

Supostos substitutos de Marcola são transferidos para prisão federal

Marcola foi transferido em fevereiro para presídio federal em Brasília. Foto: Estadão Conteúdo

Em sigilo, o governo de São Paulo transferiu no dia 15 três presidiários que haviam assumido o comando do PCC (Primeiro Comando da Capital) em São Paulo para o Depen (Departamento Penitenciário Nacional), destaca o jornal O Estado de S. Paulo. A cúpula da facção já havia sido enviada, em 13 de fevereiro, para penitenciárias federais.

Depois disso, um triunvirato formado pelos presos Márcio Domingues Ramos, o Sombra; Valdeci Francisco da Costa, o CI (de Circuito Integrado); e Wilber de Jesus Mercês, o Pirajuí, passaram a dar as ordens na facção, substituindo no dia a dia o líder do grupo, Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, que hoje está em um presídio federal em Brasília.

O jornal apurou ainda que, caso novos presos sejam nomeados pela facção para substituí-los, a determinação da SAP (Secretaria da Administração Penitenciária) será também de transferi-los para o sistema prisional federal. O objetivo do titular da pasta, Nivaldo Restivo, é deixar a facção acéfala em São Paulo, impedindo que ela volte a planejar ações criminosas por meio de um comando único na cadeias paulistas.

Dois dos presos que haviam assumido a liderança da facção haviam sido investigados em 2016 durante a Operação Ethos, que atingiu 54 acusados, entre os quais 14 advogados e um dirigente do Condepe (Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana). Trata-se de Valdeci, o CI, e de Wilber, o Pirajuí.

O primeiro planejava criar uma organização não governamental para infiltrar advogados da facção no Condepe. Autor de dois livros – um deles com relatos sobre sua vida na cadeia -, CI mantinha contato com o advogado Luiz Carlos dos Santos, vice-presidente do Condepe. Bacharel em Direito, CI era o responsável pelo setor jurídico do PCC – a chamada Sintonia dos Gravatas – e organizou a assistência judiciária do grupo assim como o auxílio funerário.

Wilber também atuava na chamada Sintonia dos Gravatas e esteve internado no RDD (Regime Disciplinar Diferenciado), na Penitenciária de Presidente Bernardes, com Marcola e outros integrantes da cúpula da facção antes de voltar para a Penitenciária 2 de Presidente Venceslau, na região oeste do Estado. A Justiça havia indeferido o primeiro pedido feito pelo Ministério Público Estadual para que CI fosse transferido em 2018 para o sistema federal.

O terceiro integrante do triunvirato do PCC era Sombra. Em 2013, quando 175 integrantes da facção – entre eles toda a cúpula do grupo – foram denunciados pelo Ministério Público por formação de quadrilha, Sombra ocupava o 19.º lugar na lista. Ele pertencia ao setor financeiro do PCC e atuava no tráfico de drogas e armas para a facção.

A inteligência da SAP detectou que Sombra, CI e Pirajuí haviam sido designados para substituir Marcola porque o isolamento dos líderes transferidos para o sistema prisional federal dificultava o processo de tomada de decisão no dia a dia da facção. O PCC teria integrantes espalhados por cinco países, além do Brasil (Guiana, Peru, Colômbia, Bolívia e Paraguai) e teria faturado no ano passado mais de R$ 400 milhões no País.

Liderança

Segundo a cúpula da SAP, os três presos foram transferidos “porque identificamos postura de liderança dentro da facção após a transferência inicial da cúpula”. Eles foram designados como os representantes de Marcola em São Paulo.

Nem a Administração Penitenciária nem o Ministério Público – autor do pedido de transferência – informaram quais as provas foram encontradas para confirmar a acusação contra os três detentos. O pedido de transferência tramitou em sigilo, e a reportagem não localizou os advogados dos presos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Estadão

 

Marcola e outros líderes do PCC são transferidos para presídio em Brasília

Inaugurada em outubro de 2018, Penitenciária Federal de Brasília é de segurança máxima (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Quatro líderes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) foram transferidos, hoje (22), da Penitenciária Federal de Porto Velho, em Rondônia, para a Penitenciária Federal de Brasília, perto do Presídio da Papuda. Além de Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, integram o grupo Cláudio Barbará da Silva, Patrik Wellinton Salomão, e Pedro Luiz da Silva Moraes, o Chacal.

Inaugurada em outubro de 2018, a Penitenciária Federal de Brasília é uma das cinco unidades de segurança máxima federais destinadas a isolar presos condenados e provisórios sujeitos ao Regime Disciplinar Diferenciado (RDD), líderes de organizações criminosas e réus colaboradores presos ou delatores premiados que correm risco de vida no sistema estadual.

Os presos foram trazidos de Porto Velho para a capital federal em uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB). Toda a operação foi acompanhada por agentes e viaturas da Polícia Federal (PF) e do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), além de batedores e helicóptero da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Segundo o Ministério da Justiça e Segurança Pública, a transferência é parte dos protocolos de segurança pública que preveem, entre outras medidas, a alternância de abrigo dos detentos de alta periculosidade ou integrantes de organizações criminosas.

Assim como em Porto Velho, policiais da Força Nacional de Segurança Pública reforçarão a proteção do perímetro da penitenciária federal.

Considerado o principal líder do PCC, Marcola tinha sido levado para Porto Velho no dia 13 de fevereiro, quando 22 presos – apontados como líderes da organização criminosa – foram transferidos do presídio de Presidente Venceslau, no interior de São Paulo, para penitenciárias federais.

Criminosos queriam resgatar Marcola

Na ocasião, promotores do Ministério Público de São Paulo afirmaram que a organização planejava tentar resgatar Marcola. “Os alvos da ação já teriam gasto dezenas de milhões de dólares nesse plano, investindo fortemente em logística, compra de veículos blindados, aeronaves, material bélico, armamento de guerra e treinamento de pessoal”, afirmaram os promotores ao pedir à Justiça que autorizasse a transferência dos detentos para o sistema federal.

Presidente da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), Edvandir Felix de Paiva disse a jornalistas – logo após sair de reunião com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, – que a transferência de líderes de organizações criminosas é uma prática comum, empregada para garantir o isolamento e, assim, tentar quebrar a cadeia de comando das facções em todo o país.

“Temos que ter condições de isolar os presos e retomar [o controle das] penitenciárias. Este é um dos caminhos vitais para combatermos as facções criminosas e a violência no país”, disse Paiva, destacando que o emprego das forças de segurança durante toda a movimentação visa a “evitar qualquer sobressalto”.

“A movimentação destes líderes de facções criminosas é necessária para isolá-los. Vir para Brasília, onde há um presídio de segurança máxima, é absolutamente natural. Não vejo nenhum prejuízo para a população do Distrito Federal. O presídio é novo – chamaram mais servidores – e terá condições de receber os presos com tranquilidade”, finalizou Paiva.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Silva disse:

    E o dinheiro público, vai sendo jogado fora!!
    Daqui a uns dias, mandam ele novamente p Mossoró!

  2. J. C. PEREIRA disse:

    Observo como desinformação em relação a os últimos acontecimentos principalmente políticos ocorridos nos últimos meses no Brasil os medíocres relatos e que são os atributos de alguns abestalhados crônicos e antagônicos rancorosos que só sabem falar mau do LULA e PT. São analfabetos políticos fazem mal a sim próprio, esses elementos são inconsequentes sem consciências não se sustentam suas declarações só tem uma finalidade a difamação, são cruéis e semeadores do ódio. Eles só tem como corruptos o PT, não enxergam as milícias que estão dando as cartas e entregando nosso patrimônio, doze aeroportos do Brasil, incluindo os de Recife, João Pessoa, Maceió, Aracaju, Campina Grande, Juazeiro CE os demais na região Norte e Centro Oeste, foram doados por 2,35 bilhões para se ter uma ideia esses mesmos aeroportos receberam 9,5 bilhões de investimentos do governo federal antes da copa. Hoje foi leiloado os portos de Cabedêlo -PB e Vitória -ES por 340 milhões. E só PT E LULA são ladões

  3. Lularápio disse:

    LULA QUER TER A MAIOR ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA DO BRASIL. LULA É O CHAPO O CHEFE DA ORCRIM.

  4. Cigano Lulu disse:

    Marcola agora vai proferir suas "palestras" em Brasília?
    Isto é o que se pode chamar de "injustiça com Lula"!
    Só falta agora esse invejoso também querer ciar o Instituto Marcola.

MOSSORÓ ENTRE DESTINOS: Marcola, chefe máximo do PCC, e outros 21 integrantes são transferidos para presídios federais

Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, apontado como chefe do PCC – Sergio Lima/Folhapress

O governo de São Paulo transfere na manhã desta quarta (13) o chefe máximo do PCC, Marco Camacho, o Marcola, para um presídio federal. O destino ainda não foi revelado, mas estipula-se que seja Brasília.

Além dele, estão sendo transferidos em forte esquema de segurança ​​outros 21 membros da facção, parte também integrante da cúpula. Em 2006, a transferência de presos do PCC para o presídio de segurança máxima de Presidente Venceslau (a 611 km de SP) provocou uma onda de violência que deixou 564 mortos, dos quais 505 eram civis [leia mais abaixo].

Os detentos estão neste momento no aeroporto da vizinha Presidente Prudente para a transferência. Eles também serão transferidos para os presídios federais de Porto Velho (RO) e Mossoró (RN).

Sete desses presos tiveram a transferência definida no ano passado por causa de envolvimento em crimes investigados na operação Echelon, entre eles ordem para ataques a agentes públicos e assassinatos de rivais.

Já Marcola está sendo transferido por conta da descoberta em 2018 de um plano de fuga que utilizaria até um exército de mercenários para o resgate dele e de parte da cúpula da facção. ​A Justiça de São Paulo ficou ainda mais pressionada a determinar a transferência depois que, no final do ano, duas mulheres foram presas com suposta carta com ordem do chefão do PCC para matar o promotor Lincoln Gakiya, responsável pelo pedido de transferência, e que investiga há anos o crime organizado.

Integrantes do Ministério Público disseram à Folha que aguardavam a transferência de Marcola em breve, mas acreditavam que isso só deveria ocorrer depois que o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), deixasse o hospital na capital paulista.

Em dezembro, cartas interceptadas na saída do presídio mostraram que Marcola pedia a morte de um promotor caso fosse transferido.

A transferência de Marcola provocou um racha nos meses do governo Márcio França (PSB) entre integrantes da cúpula que defendiam a transferência de Marcola e outros que temiam represália por parte dos criminosos se essa transferência fosse concretizada, a exemplo do que ocorreu em maio de 2006, quando forças de segurança foram atacadas em represália à transferência de 765 presos para Presidente Venceslau.

Mais de 300 ataques da facção a prédios públicos na época deixaram 59 agentes de segurança mortos em cinco dias. O saldo de mortes aumentaria nos dez dias que se seguiram, quando grupos de homens encapuzados saíram às ruas para vingar as mortes de policiais. Foram 505 civis mortos.

O principal a defender a permanência de Marcola e outros integrantes do PCC em São Paulo era o então secretário Mágino Alves Barbosa Filho, sob argumento de ter informações seguras de que esses ataques ocorreriam. Já o então secretário da Administração Penitenciária, Lourival Gomes, e membros do Ministério Público, refutavam a descoberta de planos de ataques por parte dos criminosos e defendiam a transferência imediata.

Ao mesmo tempo que ocorre a transferência, a Polícia Militar realiza em todo o estado uma operação com 21.934 policiais, com 8.104 viaturas, 13 helicópteros em 3.362 pontos. Segundo a Secretaria da Segurança, “as equipes estão em locais estratégicos, apontados pelo serviço de inteligência da PM, para sufocar possíveis ações de criminosos”.

Folha de São Paulo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Comentarista disse:

    Vão trazer o individuo para ficar no meio do caminho entre Natal e Fortaleza, dois mercados de prospecção para facções criminosas. Isso é que é decisão inteligente…

  2. Observador disse:

    A única coisa – péssima por sinal – que o PT fez pelo RN foi trazer esse presente grego chamado presídio federal para Mossoró. Depois de sua instalação o pacato solo potiguar e o seu povo viraram reféns da bandidagem. Ainda tem gente que defenda e vote nessa corja petista. Estamos f…

  3. Carlos Bastos disse:

    São Paulo cria seus bandidos e os outros estados paga o pato, fico revoltado com isso, este bandido vem para o RN junto com ele chega ou capangas para aterrizar o nosso estado. Fico puto da vida com isso.

  4. Aluizio disse:

    Esses são os tipos de turistas q nossa querida Mossoró tem q receber, que pena, merece coisas bem melhor

    • Luis disse:

      Esse presídio para PhD em bandidagem é um presente de Fátima junto com luladrão. Por isso que Mossoró deu uma vitória consagradora pra o pt.

Vinte presos do Ceará são transferidos para a Penitenciária Federal de Mossoró

Bombeiros chegaram a tempo de impedir destruição de carro incendiado em Fortaleza, em mais um ataque de madrugada 08/01/2019 Foto: PAULO WHITAKER / REUTERS

O Ministério da Justiça informou que foram transferidos do Ceará 20 presos . Na madrugada desta quarta-feira, o grupo de detentos foi levado para o presídio federal de Mossoró. Segundo a nota, o remanejamento dos presos começou a ser feito às 2 da manhã e terminou às 4h30. Um outro preso já havia sido transferido no fim de semana. Segundoo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), os detentos remanejados são acusados de comandarem a onda de ataques que completa hoje uma semana.Desde a última quarta-feira, o Ceará foi alvo de164 ataques de fações criminosas em 39 cidades. Trezentos agentes da Força Nacional reforçam a segurança no estado desde sábado.

Segundo o ministério, a operação envolveu o Ministério Publico, Poder Judiciário do Ceará e Justiça Federal de Mossoró. “A partir de Mossoró os presos serão distribuídos entre as demais 4 unidades prisionais do Ministério da Justiça. Novas vagas poderão ser deferidas para o Estado”, diz a nota.

A Secretaria de Administração Penitenciária.informou que outros 40 presos serão retirados do Ceará para penitenciárias federais. Não há ainda previsão de quando a nova transferência vai acontecer.

Em entrevista a Globo News, o governador Camilo Santana voltou a afirmar que o estado vai endurecer as medidas contra a entrada de celulares nas unidades prisionais.

— Dobrei o número de agentes penitenciários, e agora no fim do ano tomei a decisão de que era uma área que precisava de uma intervenção mais forte do Estado. A verdade, é que temos leis muito frouxas hoje no Brasil. Infelizmente, a polícia prende o bandido, mas ele continua a comandar o crime de dentro do presídio. O que eu estou fazendo é cumprir a lei dentro dos presídios.

O governador também voltou a defender que o país necessita de um sistema integrado de combate ao crime organizado.

— Eu sempre defendi que a questão da violência no Brasil precisa ser uma questão nacional. Precisamos de um plano, uma estratégia, uma pactuação, centros integrados de inteligência que possam passar informações de um estado para outro. Porque a dinâmica do crime se transnacionalizou. E quem tem que coordenar isso é a União, não pode um Estado sozinho coordenar. Quem tem que ter esse papel é o Governo Federal”, disse o governador em entrevista ao Sistema Verdes Mares.

A preocupação com o avanço da violência levou outros dois estados a pedir ajuda ao governo federal nesse início de ano : Pará e Espírito Santo.

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, tem encontro marcado hoje com Moro, em Brasília, para tratar do reforço da segurança e da estrutura do sistema prisional do estado, que, diante da superlotação, estaria sob ameaça.

Já o governador do Pará, Helder Barbalho, solicitou o envio ao estado de 500 homens da Força Nacional para impedir o avanço da criminalidade. Segundo o Ministério da Justiça, o pedido de Barbalho ainda está em análise na pasta.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. MARIA disse:

    Presente do PT(CEARÁ) pro PT (RN)

  2. Ray disse:

    Sou comediante não seu Mito é pq não cola mais tudo ser atribuído a Lula, votei nele uma só vez , agora pense no presente e avalie o que seu Mito está aprontando, como um despreparado, e o que irá aprontar.

  3. Sergio disse:

    "Infelizmente, a polícia prende o bandido, mas ele continua a comandar o crime de dentro do presídio." É o que Lula faz, não é?

    • Ray disse:

      O homem mais sexy do Brasil, mais lindo, mais tesudo, ninguém consegue esquece_lo, são homens, mulheres, todos gritam seu nome em todos os casos, quem é ele? É o Lula. Não têm o que defender do governo do Coisa, não tem como admitir as fracções que vieram de São Paulo, criadas no governo do PSDB e se estabeleceram no Nordeste, mas tudo é culpa do LULA. É melhor aceitar que isso é amor. Até onde durar esse governo de Bolsonaro, tudo de ruim no Brasil vai ser atribuído a Lula. Vai chegar no momento que o nome do Belsionaro não será mais nem pronunciado pelos seus eleitores mas aposto que o nome Lula continuará por muitos e muitos anos.

    • Mito disse:

      Esse "Ray" só pode ser um comediante. kkkkkkkkkkkkkkkk

Após motim, mais de 100 presos são transferidos de Parnamirim para Alcaçuz

Mais de 100 presos foram retirados da Penitenciária Estadual de Parnamirim e levados durante a madrugada desta terça-feira (15) para o pavilhão 5 do Complexo Penitenciário de Alcaçuz, como é mais conhecido o Presídio Rogério Coutinho Madruga. As duas penitenciárias ficam na região metropolitana de Natal.

A transferência aconteceu após os detentos da PEP se amotinarem em um dos pátios da unidade. A confusão aconteceu no momento em que agentes penitenciários tentavam fazer o isolamento de um interno considerado chefe de uma facção criminosa.

Confira matéria completa http://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/apos-motim-mais-de-100-presos-sao-transferidos-de-parnamirim-para-complexo-de-alcacuz.ghtml

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Leonardo Freire disse:

    No pavilhão 5, tem mais de 500 presos dormindo em pé

  2. Incrédulo disse:

    tadinhos…. nao podem ser tocados ou surrados… mas podem quebrar os bens que o Erário (nós pagamos via nossos impostos) construiu. …. Faz o castigo que nossos avós e bisavós aplicavam: espalha caroço de milho e feijão no chão e bota os delinquentes pra ficar de joelho, enquanto rezam 400 Pai Nosso e 600 Ave Maria….

Líderes do PCC no RN serão transferidos ainda nesta terça para presídios federais; veja trechos de conversa do governador com a imprensa

A Penitenciária de Alcaçuz, localizada na região metropolitana de Natal, registrou no último fim de semana uma grande rebelião que deixou pelo menos 26 mortos Divulgação/Sejuc RNDivulgação/Sejuc RN

Seis líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC) que estão na Penitenciária de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte, serão transferidos ainda hoje (17) para presídios federais. A informação foi divulgada há pouco pelo governador do estado, Robinson Faria. Ele se reuniu em Brasília com o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes.

A Penitenciária de Alcaçuz, localizada na região metropolitana de Natal, registrou no último fim de semana uma grande rebelião que deixou pelo menos 26 mortos. Outros princípios de confronto foram identificados no local, mas contidos pela polícia. Os presos, entretanto, ocupam neste momento o telhado de instalações do presídio. O governador negou que a situação não esteja sob controle.

“O governo tem o controle. Tanto tem que conseguimos tirar os líderes do PCC”, disse, ao citar que não houve mortes de policiais, agentes penitenciários ou reféns. “A briga ficou restrita entre o PCC e o Sindicato do Crime do Rio Grande do Norte”, completou.

Ainda segundo Faria, o papel dos homens da Força Nacional deslocados para a penitenciária é garantir a segurança da população e evitar fugas de presos, sem adentrar as instalações de Alcaçuz. Para ele, a entrada de forças de segurança no local neste momento poderia gerar mais mortes e “um novo Carandiru”. “Temos que evitar que isso aconteça”, concluiu.

Retaliação e vingança

Durante coletiva de imprensa, o governador avaliou que o ocorrido na Penitenciaria de Alcaçuz foi uma “retaliação” ou “vingança” à rebelião registrada no início do mês em um presídio no Amazonas. Ele disse que o país não pode ser “emparedado” por facções.

Faria também confirmou que há indícios de algum tipo de favorecimento que tenha permitido a rebelião na penitenciária de Natal. Ao final da entrevista, ele afirmou que agentes penitenciários e policiais que colaboram com a fuga de presos são “piores que bandido”.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Curioso disse:

    "Ele disse que o país não pode ser “emparedado” por facções"
    Infelizmente, sendo ainda muito otimista, o que conseguimos perceber é que não levaremos mais nem uma década e a bandidagem terá efetivamente EMPAREDADO e MANDARÁ totalmente em toda a nação Brasileira…

AGORA PODERÃO TRABALHAR: Dirceu, Delúbio e Valdemar são transferidos para Centro de Progressão Penal

O ex-ministro José Dirceu, o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, e o ex-deputado Valdemar Costa Neto, condenados no julgamento do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal (STF), já foram transferidos ao Centro de Progressão Penal (CPP), que abriga presos com direito a trabalho fora do presídio, como confirmou nesta quarta-feira a Subsecretaria do Sistema Penitenciário do Distrito Federal.

Ontem, a juíza Leila Cury, da Vara de Execuções Penais (VEP) do Distrito Federal enviou ofício para a Subsecretaria sobre a decisão do STF de autorizar trabalho externo para esses condenados, que estão cumprindo pena no Complexo Penitenciário da Papuda.

As transferências seriam feitas apenas amanhã, por motivos de segurança, já que hoje é dia de visitas na Papuda. Mas os ofícios da juíza determinavam transferência imediata, e nesta quarta-feira os três condenados já estão no CPP.

Na semana passada, o STF, por nove votos a um, autorizou Dirceu a trabalhar em um escritório de advocacia. O ministro Luís Roberto Barroso deu o voto que conduziu à decisão. Ele assumiu a relatoria dos processos relativos ao caso do mensalão após afastamento do presidente da Corte, Joaquim Barbosa.

Barbosa tinha negado o pedido da defesa alegando a necessidade de cumprimento mínimo de 1/6 da pena mesmo em regime semiaberto e ser inadequada a atuação em um escritório de advocacia.

O pedido de Dirceu é para trabalhar no escritório do advogado criminalista José Gerardo Grossi. O salário é de R$ 2,1 mil e a função de organizar a biblioteca e consultar jurisprudência. Antes, o ex-ministro havia solicitado autorização para trabalhar como gerente em um hotel com salário de R$ 20 mil, mas desistiu diante da repercussão negativa.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Nosdliw disse:

    Interessante esses "políticos"! Nunca trabalharam. Agora, quando estão na prisão, querem trabalhar. Fala sério!

  2. Carvalho disse:

    Esse escritório de advocacia deve ter uma biblioteca gigantesca. Não é todo escritório que paga dois mil e cem reais à um funcionário.
    Será que o José Dirceu ao menos tem curso de biblioteconomia ou é apenas um despreparado?

  3. Junior disse:

    Kkkkkkk brincadeira , só foi Joaquim Sair para estes Petistas ladrões voltarem , nunca mais voto em PT.

  4. José de Anchieta disse:

    É uma pena JOAQUIM BARBOSA, não tenha na época mandado toda cambada do TP para PEDRINHAS-MA.

Cantor Netinho é transferido para hospital em São Paulo

O cantor baiano Netinho foi transferido para o Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, na madrugada desta sexta-feira. Seu estado de saúde é considerado grave, segundo a assessoria do cantor. O artista passou 16 dias internado em um hospital em Salvador devido a problemas vasculares na região abdominal.

Netinho chegou ao Hospital Sírio-Libanês por volta das 3h20m desta sexta-feira. Ele foi transferido de Salvador para São Paulo em uma UTI aérea. Nesta sexta-feira, ele passará por vários exames. No Sírio-Libanês, ele é assistido pela equipe médica de Roberto Kalil.

O Globo

Dois dos suspeitos do sequestro de Porcino foram transferidos para Nova Cruz

Dois dos cinco suspeitos de envolvimento no sequestro do empresário Porcino Fernandes da Costa Segundo, o Popó Porcino, foram transferidos para a cadeia pública de Nova Cruz. São eles Paulo Victor Lopes Monteiro ,25, que é filho de um coronel aposentado da Polícia Militar do Ceará, e José Orlando Evangelista da Silva, 42, que foi preso no Pitimbu no dia da ação que libertou Popó Porcino.

Já a jovem de 22 anos Bruna de Pinho Landim foi levada para o Centro de Detenção Provisória de Parnamirim (CDP), enquanto Anderson de Souza Nascimento, alvejado durante a operação policial, permanece hospitalizado no Hospital Santa Catarina. O  último suspeito que foi detido ontem (25),  ainda está em Natal e não se sabe onde ele ficará custodiado.

Vereador e empresários presos na Operação Vulcano em Mossoró foram transferidos para Natal

Cezar Alves/Da Redação do Jornal de Fato

O juiz Claudio Mendes, da 3ª Vara Criminal de Mossoró, determinou que os oito presos na Operação Vulcano, na manhã desta quarta-feira, fosse transferido para a carceragem da Superintendência da Polícia Federal, em Natal.

Os presos são:

Pedro de Oliveira Monteiro Filho, dono do posto Mossoró;
Otávio Augusto Ferreira da Silva, da rede Fan;
Claudionor dos Santos, vereador do PMDB;
Francisco José Lima Silveira Júnior, presidente da Câmara (Está no exterior);
Pedro Edilson Leite Júnior, dono do posto Santa Luzia;
Robson Paulo Cavalcanti, dono do posto Nacional;
Carlos Otávio Bessa e Melo, do posto Nova Betânia;
Sérgio Leite de Souza, do Posto Olinda;
José Mendes da Silva, dono da rede de postos 30 de Setembro.

Os empresários e o vereador Claudionor dos Santos foram presos em casa. O delegado que cumpriu a determinação judicial, Eduardo Bonfim, disse que o trabalho começou às 4h da manhã, nas residências dos suspeitos e foi concluída por volta das 8h.

Em seguida, os delegados e promotores passaram a ouvir os depoimentos dos suspeitos presos, bem como já iniciaram o trabalho pericial nos computadores e documentos apreendidos nos vinte locais que o juiz Claudio Mendes autorizou busca e apreensão.

Depois das oitivas, por volta das 15h, o juiz Claudio Mendes determinou que os presos fossem transferidos para a carceragem da Polícia Federal, em Natal. Os presos foram levados numa Van Renault Master, escoltado por uma camioneta L.200 descaracterizada da Polícia Federal.

O mandato de prisão é por um período de 5 dias, podendo ser prorrogado por mais 5.

A DECISÃO:

Clique aqui e leia na íntegra a decisão da Justiça que resultou na Operação Vulcano

Traficantes FB e Claudinho CL vem morar no Presídio de Mossoró. FB mandou derrubar o helicóptero da PM no Rio

O presídio federal de segurança máxima de Mossoró receberá dois dos traficantes mais perigosos do Rio de Janeiro. Nesta segunda-feira (30), o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro autorizou a transferência dos traficantes Fabiano Atanázio da Silva, conhecido como FB, e Luis Cláudio Serrat Correa, o Claudinho CL, para a unidade prisional no interior potiguar.

FB e Claudinho CL foram presos na noite da sexta-feira (27), em Campos do Jordão (SP). FB é apontado pelas investigações da polícia como comandante do tráfico de drogas nas favelas da Chuatuba e e Juramento, no Rio de Janeiro, apesar de residir no interior de São Paulo. Já Claudinho CL, segundo a Polícia fluminense, comandava o tráfico nos morros do Cajueiro e Congonhas, além de promover o enfrentamento contra facção rival para tomar o Morro da Serrinha, também no Rio de Janeiro.

Ainda de acordo com a Polícia Civil fluminense, FB foi o mentor da onda de ataques a diversos pontos e ônibus do Rio de Janeiro em 2010, em represália às ocupações dos morros cariocas, que culminou com a tomada do Complexo do Alemão pela polícia. FB também é suspeito de comandar ações que resultaram na derrubada de um helicóptero da Polícia Militar em 2009, na ação em que o traficante tentou tomar o controle do Morro dos Macacos.

A transferência dos dois traficantes para o presídio de Mossoró está previsto para ocorrer amanhã.

Fonte: Tribuna do Norte