Tecnologia

Anatel aprova edital do 5G; leilão é previsto para 4 de novembro

Foto: Shutterstock

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou, em reunião extraordinária nesta sexta-feira (24), o edital com as regras para o leilão do 5G, que venderá frequências de 700 MHz, 2,3 GHz, 3,5 GHz e 26 GHz.

De acordo com o texto final, o certame será realizado no dia 4 de novembro.

A análise pela Anatel do edital do leilão havia sido adiada em 13 de setembro após pedido de vistas do processo por conselheiro da autarquia. Em reunião extraordinária nesta sexta-feira, a agência liberou o andamento do processo.

O presidente da Anatel, Leonardo de Morais, destacou que os investimentos previstos no edital contribuirão para a retomada e desenvolvimento da atividade econômica nos próximos anos, bem como fortalecerá a economia digital no país.

“Essa licitação oferecerá um leque completo de recursos espectrais para habilitar as mais diversas soluções de conectividade, bem como novos modelos de negócios para a internet das coisas e, mais importante, para uma sociedade digital, para a inclusão digital”, comentou.

A infraestrutura para a chegada do 5G no país, como a compra e instalação de equipamentos e torres de transmissão, ficará a cargo das operadoras de telefonia que arrematarem as faixas. Segundo o edital final, o direito de exploração das faixas será de até 20 anos.

Já a construção da rede privativa e a instalação de rede de fibra óptica serão responsabilidade de uma Empresa Administradora da Faixa (EAF), a ser formada pelas empresas vencedoras dos lotes nacionais da faixa de 3,5GHz.

O texto também define contrapartidas de investimentos para os vencedores do leilão. Entre as exigências:

– arrematadores da faixa de 26 GHz terão que investir para garantir a conectividade nas escolas públicas de ensino básico;

– vencedores da faixa 3,5 GHz serão responsáveis pela migração do sinal da TV parabólica;

– o 5G deverá ser disponibilizado em todas as capitais do país até 31 de julho de 2022;

– as rodovias do país deverão contar com internet 4G;

– será construída, pelas empresas investidoras, uma rede privativa de comunicação para a administração federal.

CNN Brasil, com Reuters

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Pedido de vista não atrapalha prazo para votação do edital do 5G, diz ministro Fábio Faria

FOTO: REUTERS/Adriano Machado

A publicação do edital do leilão do 5G está prevista para a semana que vem, segundo o ministro das Comunicações, Fábio Faria, apesar de a análise do documento pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) ter sido adiada no início da semana, após pedido de vista do conselheiro Moisés Queiroz Moreira.

“Acredito que, em breve, vamos resolver. O edital pode sair no dia 21 ou 24. Nenhuma dos investimentos e prazos que estão lá serão prejudicados. Tudo será mantido”, disse o ministro em evento do setor, nesta quinta-feira (16).

O edital foi aprovado pelo TCU (Tribunal de Contas da União) no último dia 25 de agosto.

5G Standalone

Faria disse ainda que a tecnologia 5G Standalone — que não depende do 4G para funcionar — deve chegar no estado de São Paulo até o Natal.

“Até julho do ano que vem, todas as capitais terão o 5G Standalone funcionando. Talvez nós ultrapassemos o Chile como o primeiro país na América Latina”, disse.

CNN Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Mais inclusão social e digital: Para ministro Fábio Faria, 5G resultará em US$ 1,2 trilhão em investimentos

Foto: © Wilson Dias/Agência Brasil

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, estima que a quinta geração de internet (5G) poderá resultar em um total de US$ 1,2 trilhão em investimentos diretos e indiretos no país – motivo pelo qual ele tem buscado dar celeridade ao processo que resultará no leilão das faixas destinadas à nova tecnologia.

Segundo o ministro, um outro fator a ser considerado é o avanço que o 5G proporcionará em termos de inclusão digital e social. “O Brasil não pode ficar para trás [nesse processo]”, disse o ministro destacando que o setor de telecomunicações é prioridade da pasta.

De acordo com Faria, com a internet 5G, “o problema de cobertura será eliminado do Brasil”. As declarações foram feitas durante a abertura do seminário Painel Telebrasil 2021.

Inclusão digital e social

“Precisamos fazer logo o leilão porque temos mais de 40 milhões de pessoas sem internet, que dependem dela para trabalhar, estudar, matar saudades; para receber auxílio emergencial e para se informar. Quanto mais rápido realizarmos o leilão, mais rápido conectaremos essas pessoas, dando condição mínima de inclusão digital e social a elas”, disse o ministro ao estimar que, implantada, a 5G trará, ao país, US$ 1,2 trilhão em investimentos.

Diante dessa expectativa, Faria disse ter colocado uma equipe trabalhando constantemente para responder eventuais demandas e dúvidas da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), do Tribunal de Contas da União (TCU) e Congresso Nacional. “5G não é programa de governo, mas de Estado, para fazer nosso país ser respeitado no mundo inteiro”, disse.

O pedido de celeridade foi feito um dia após a Anatel ter adiado a conclusão da análise do edital do leilão do 5G. O adiamento ocorreu após pedido de vista feito pelo conselheiro Moisés Queiroz Moreira. A data para retomada da discussão não foi definida.

O 5G é uma nova tecnologia que amplia a velocidade da conexão móvel e reduz a latência, permitindo novos serviços com conexão segura e estabilidade. Indústria, saúde, agricultura, produção e difusão de conteúdos são áreas que podem ser beneficiadas.

A proposta de leilão tem valor previsto de R$ 44 bilhões e está estruturada com foco em investimentos e oferta da tecnologia a todos os municípios com mais de 600 pessoas, e não na arrecadação de recursos para o governo.

Anatel

Também convidado para falar no Painel Telebrasil, o presidente da Anatel, Leonardo Euler, estima que, ao longo de 20 anos, “os investimentos relacionados à internet 5G vão gerar R$ 160 bilhões [em investimentos]”. Durante sua fala, Euler destacou o papel que as soluções digitais tiveram para o combate à pandemia e para a implantação de políticas públicas.

“Tivemos novos contornos a partir de soluções digitais incorporadas pelas políticas públicas. O Estado ampara os mais vulneráveis [por meio digital]. Com isso, a inclusão digital passa a ser também instrumento de solidariedade”, disse.

Propriedade cruzada

Outro convidado do painel foi o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, que defendeu a “criação de uma agência regulamentadora que abranja telecomunicações e radiodifusão, de forma a evitar propriedade cruzada”, conforme recomendado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

“A economia digital nos faz sonhar com futuro quase utópico, de crescimento sustentável e ininterrupto. Ela, com uma regulamentação necessária, promoverá o estímulo de boas práticas e a redução da desigualdade mundial nessa área [digital]”, disse Pacheco ao lembrar que a pandemia “expôs com muita clareza a desigualdade digital da nossa sociedade”.

Citando outra recomendação apresentada no relatório da OCDE, o presidente do Senado disse que é preciso enfrentar a questão tributária, uma vez que 40% dos preços de serviços de banda larga móvel são compostos de tributos e taxas.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

  1. Dos mesmos criadores de q a reforma da previdência vai criar 50 milhões de empregos kkkkkkkkkkkk

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

TCU vai aprovar 5G por unanimidade

Foto: Bloomberg / Bloomberg

Quem conhece com a palma da mão a composição do TCU e os humores dos seus ministros garante: o edital do leilão do 5G deve ser aprovado pelo plenário na sessão de hoje, apesar das recomendações em contrário feitas pela área técnica do tribunal.

Isso significa que o leilão da frequência 5G, que deve movimentar R$ 44 bilhões, será realizado ainda este ano, como pretende o ministro Fábio Faria.

Há uma dúvida apenas: há uma pequena chance de o ministro Aroldo Cedraz pedir vista, mas os outros sete votos são certos. Ainda assim, se isso acontecer está previsto que o resto da Corte adiante seus votos favoráveis.

Lauro Jardim- O Globo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Atraso em 5G gera perda de R$ 2,8 bilhões a cada mês

O atraso na implantação da tecnologia 5G, a mais recente fronteira do desenvolvimento do serviço móvel de telecomunicação, começa a gerar prejuízo financeiro para o Brasil a partir deste mês. A estimativa, feita pela consultoria Telecom Advisory no estudo “O Valor da Transformação Digital por meio da Expansão Móvel na América Latina”, é de uma perda de US$ 534,79 milhões (cerca de R$ 2,8 bilhões) por mês.

Com Valor

Opinião dos leitores

  1. Eu queria que o blog fizesse um levantamento e mostrasse, o que foi que esse governo não deu prejuízo? Pq os prejuízos ninguem mais se espanta. Já é o esperado.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Ministro Fábio Faria diz que leilão do 5G será realizado no segundo semestre

Foto: © Guilherme Martimon/Mapa

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, disse nesta terça-feira(1º) que o leilão das frequências 5G deve acontecer no segundo semestre deste ano. Segundo o ministro, o governo tem se esforçado para manter a agenda de concessões.

“Desde o início da pandemia nós nunca deixamos de trabalhar duro para entregar as privatizações e concessões públicas com sustentabilidade econômica e atrativas para o setor privado”, ressaltou ao participar do Fórum de Investimentos Brasil 2021.

Faria destacou, citando dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que a demanda por internet cresceu 40% no Brasil ao longo de 2020. “No Brasil, 18% da população ainda não têm acesso à internet. É um grande desafio preencher essa lacuna”, disse para ressaltar a importância do leilão das novas frequências de internet.

Além de colocar o país no caminho da universalização do acesso, o ministro disse que o 5G vai possibilitar avanços semelhantes aos proporcionados pelas frequências 4G, usadas atualmente. “O 5G vai ser uma revolução tecnológica. O 4G foi crucial para conectar as pessoas por voz e dados. Uber, internet banking e WhatsApp teriam sido impossíveis sem o 4G”, comparou.

Devem ser beneficiados, segundo Faria, principalmente os setores da indústria do agronegócio, saúde e segurança pública.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

  1. Um bom nome para o cargo de vice na chapa majoritaria com o senador Stevenson Valentim para o governo do RN na eleição de 2022 apoiados pelo ex governador Robinson e o ministros Fabio e Rogerio e o atual presidente do Brasil,seria a senhorita Janine Faria,eu observei o seu digno comportamento emocional durante a época da campanha geral de 2018 que ela possui um talento nato para política,ela foi comunicativa e afetuosa com as pessoas tratando todas de igual para igual sem nenhum preconceito de classe social,de cor,gênero,religião,Janine Faria é um bom nome para compor a chapa majoritária para o governo RN do próximo do ano eleitoral de 2022.

  2. Enquanto o leilão não chega, o ministro vai “exercendo” a “função” de papagaio de pirata.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Edital de 5G traz pontos políticos para Fábio Faria

Foto: Reprodução/Teletime

A votação final do edital de 5G realizada pelo conselho da Anatel nesta quinta, 25, tem um grande vencedor: o ministro das Comunicações, Fábio Faria. Ao final, prevaleceu a vontade do ministro que marcou vários pontos políticos: conseguiu dar uma solução para as pressões pela exclusão da Huawei do 5G, impôs um cronograma e ainda conseguiu dar ao presidente Bolsonaro um fato positivo a ser explorado em plena campanha eleitoral de 2022. E paralelamente ainda ajudou um pouco na crise diplomática com a China que por pouco não comprometeu ainda mais o já combalido cronograma de vacinação para a Covid-19 no Brasil.

A votação do conselho da Anatel manteve as linhas gerais do que já havia sido apresentado por Carlos Baigorri, relator da matéria, com um adendo importante: uma sugestão trazida pelo conselheiro Moisés Moreira para que se antecipasse o início do 5G nas capitais para julho de 2022, contra 31 de dezembro originalmente previstos. Com isso, se tudo correr bem, as primeiras operações de 5G entram no ar antes das eleições presidenciais e parlamentares do ano que vem e poderão ser capitalizadas nas campanhas, com a presença sempre requisitada do ministro ou até mesmo do presidente-candidato em inaugurações locais. Não é um fato novo: o 4G também começou em meados de 2013, a tempo da Copa das Confederações daquele ano, e a tempo das eleições. Dilma não fez muito uso do 4G na campanha eleitoral daquele ano porque as manifestações de junho de 2013 acabaram mudando a pauta política.

Há um risco, contudo: a liberação para o uso da faixa de 3,5 GHz está vinculada à limpeza da banda C estendida nas aplicações corporativas de banda C e à migração dos usuários de TVRO (TV aberta via satélite) para a banda Ku. Especialmente a migração para a banda Ku é um processo extremamente complexo e ainda muito nebuloso, porque não se sabe exatamente quantas pessoas receberão os kits, onde elas estão e qual será a dificuldade de instalação, fora a necessidade de se montar a logística. O prazo previsto no edital é de no mínimo 300 dias a partir da publicação do termo de autorização da faixa no Diário Oficial, o que significa que o edital precisa estar concluído, impreterivelmente, até julho.

Para isso, Anatel e TCU precisam concluir o cálculo de todos os valores mínimos e contrapartidas do edital em 60 dias. Se o TCU usar o prazo regimental, de 150 dias, o cronograma político do 5G começa a ficar comprometido. Não por acaso Fábio Faria levou três ministros do TCU em sua viagem para conhecer fornecedores de 5G e disse ter negociado um prazo de análise de 60 dias. Mas vale lembrar que Fábio Faria não levou na comitiva o ministro Raimundo Carreiro, que é justamente quem será o relator do processo no TCU, e que acompanhou as quase 6 horas de reunião da Anatel desta quinta. Nada garante de antemão que essa antecipação de prazos pelo tribunal de contas, seja pela área técnica, seja pelo relator, acontecerá.

Fábio Faria também poderá apresentar ao presidente Bolsonaro uma solução pacificadora para a questão dos fornecedores chineses. Afinal, a Portaria 1.924/2021 assegurou uma rede privativa para o governo interligar 16 mil pontos em todo o Brasil e onde ficará fácil para o governo excluir fornecedores A ou B. Ali, provavelmente, Huawei e outros fornecedores da China devem ser banidos com a justificativa de que, por não estarem listadas em bolsa, não seguem padrões de governança e transparência. Isso pode acalmar a ala ideológica do governo, o que inclui o próprio presidente.

Mas Fábio Faria ainda tem uma carta na manga caso a pressão para que Bolsonaro exclua os fornecedores chineses de todo o 5G brasileiro cresça: a exigência de uma rede standalone para o 5G, que prevaleceu na versão final do edital. Com esta exigência, as operadoras terão que instalar uma rede nova e desvinculada das redes atuais 4G. O que torna menos complexa a tarefa de excluir fornecedor A ou B caso o governo imponha isso futuramente. Por exemplo, depois que boa parte da população estiver vacinada e que a dependência de vacinas e insumos chineses não for mais uma variável política importante.

Em termos de políticas públicas setoriais, Fábio Faria também marcou um gol. Arrumou mais R$ 1,5 bilhão para um projeto que vem cambaleante há mais de seis anos. O PAIS (Programa Amazônia Integrada e Sustentável), que receberá aporte das empresas vencedoras do leilão de 5G, é o Amazônia Conectada, uma rede sub-fluvial na Amazônia lançada em julho de 2015 que fracassou sob a gestão do Exército. O cabo de fibra ótica rompeu-se após pouco mais de um ano de operação, e assim está desde então, sem que o Ministério da Defesa tenha conseguido mobilizar recursos ou logística para consertá-lo integralmente. Em 2019, o TCU mandou que o Ministério das Comunicações assumisse o projeto. Foi o que o ministro fez.

Telebras

Já a Telebras parece uma dor de cabeça para Fábio Faria, mas na verdade é um trunfo. Como a estatal está no programa de privatização do governo, tocada pelo Ministério da Economia, não pegaria bem dizer que ela está sendo fortalecida ou atribuir a ela qualquer política pública. Mas obviamente nem os militares do governo, nem o PSD, partido de Fábio Faria, se esforçam para que ela seja privatizada (de novo). Não por acaso, o projeto da rede privativa foi desenhado e calculado pela Telebras, e entrou na Portaria 1.924/2021 justificada justamente pelo artigo 12 do Decreto de Políticas de Telecomunicações (Decreto 9.612/2018), que lista as atribuições da estatal. Percebendo o desconforto da Economia com a “anabolizada” que estava sendo dada para a Telebras, Fábio Faria soltou uma nota dizendo que não será a estatal quem vai operar esta rede e que, se necessário, haverá mudança dos instrumentos normativos. Para tornar discurso em realidade, contudo, Faria precisaria alterar a Portaria e também o Decreto, o que não aconteceu ainda.

E a Telebras ainda se tornou um trunfo para uma política de varejo junto a parlamentares e prefeitos com o programa WiFi Brasil (que é uma adaptação do antigo GESAC), que cria uma comunicação direta entre o Ministério das Comunicações e centenas de municípios por meio de emendas parlamentares dedicados a esse programa. Gilberto Kassab (PSD) já havia desenhado esse modelo com o Internet para Todos, que não deu certo porque tinha uma fragilidade tributária.

Vale citar ainda que, com a aprovação do PL 3.477/2020, o governo está autorizado a liberar R$ 3,5 bilhões do Fust para municípios contratarem banda larga e comprarem equipamentos para escolas. Não será surpresa se a liberação vier junto com algum programa operador pela Telebras.

TeleTime

Opinião dos leitores

  1. Esse ministro é bom!!!!
    Aliás, procuro um ruim e não acho.
    Agora deixa eu entender.
    Plano de vacinas cambaleado?
    Ué!!!
    Mais não somos o quinto no mundo em vacinação???
    Não entendi.
    Só falta a reportagem dizer que os Estados Unidos, é o último.

  2. Isso deve ser motivo de orgulho para o nosso estado nunca votei e gostei do deputado mas tenho que reconhecer o belo trabalho

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Instituto Metrópole Digital, da UFRN, abre 100 vagas para curso on-line sobre redes celulares 5G

FOTO: GETTY IMAGES

Assunto amplamente discutido em todo o mundo, as redes de telefonia móvel de quinta geração (5G) é o tema do mais novo curso de formação do Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN). Fruto de parceria internacional com a gigante tecnológica Huawei, o projeto, intitulado de 5G Training RN, está com 100 vagas abertas, mais cadastro reserva, para aulas online e gratuitas.

Com inscrições abertas até o dia 21 deste mês, o processo seletivo é aberto a qualquer pessoa, desde que tenha cursado, pelo menos, mais de uma disciplina relacionada a redes de computadores ou telecomunicações em cursos técnicos ou de graduação.

O projeto oferecerá aulas com o intuito de capacitar os alunos para a prova de certificação HCIA 5G da Huawei – exame cuja aprovação qualifica profissionais em diferentes áreas e garante a estes certificados emitidos pela própria multinacional chinesa.

Para se inscrever no processo, não é necessário estar matriculado em instituição de ensino específica e as vagas, dado o ensino remoto, podem ser preenchidas por candidatos oriundos de qualquer lugar do Brasil. O curso também tem como alvo profissionais da área de redes e telecomunicações e terá duração de dois meses e meio, indo de março até maio deste ano.

Seleção

Regido pelo Edital nº 008/2021, o processo de seleção consistirá em avaliação de documentação comprobatória. Entre os quesitos a serem avaliados, encontram-se experiência de atuação profissional, formação acadêmica e certificações diversas em tecnologia.

O resultado final será divulgado no dia 27 deste mês, por meio do portal do IMD, na aba Editais. As matrículas estão previstas para acontecer até o dia 5 de março.

Com UFRN

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Após fala de Mourão, ministro Fábio Faria diz que 5G será tratado entre ele e Bolsonaro

Foto: Sérgio Lima/Poder360 17.06.2020

O ministro Fábio Faria (Comunicações) afirmou nesta 3ª feira (8.dez.2020) que as tratativas para o leilão do 5G no Brasil serão feitas entre ele e o presidente Jair Bolsonaro. Disse ainda que nunca tratou do tema com o vice-presidente Hamilton Mourão.

“Esse é 1 tema que será tratado entre mim e o presidente da República até porque o vice-presidente Mourão está com o conselho da Amazônia, que demanda muita atenção e muito trabalho. Então, acho que ele não vai ter tempo também de tratar do tema do 5G que está sendo bem tratado aqui no ministério”, disse depois de reunião com representantes de empresas de telecomunicação.

A declaração foi feita em resposta a questionamentos de jornalistas sobre o posicionamento de general Mourão sobre o assunto. Na 2ª feira (7.dez), Mourão defendeu a participação da empresa chinesa Huawei no certame.

“Esse é 1 assunto que será tratado aqui no ministério das Comunicações. Até hoje eu nunca recebi 1 pedido de audiência ou de convidar para eu ir lá também falar com o vice-presidente sobre esse tema”, completou o ministro.

O ex-deputado federal falou depois de conversar com os presidentes da Tim, Pietro Labriola; da Oi, Rodrigo Abreu; da Vivo, Christian Gebara; da Claro, José Félix; da Algar, Jean Borges; e da Conexis, Marcos Ferrari.

Disse que a reunião foi “muito profícua” e serviu para tirar dúvidas sobre o leilão previsto para o 1º semestre de 2021. Afirmou ainda que o certame será feito pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) de forma “técnica”.

IMPASSE INTERNACIONAL

A participação da Huawei na implantação de redes de 5G pelo mundo tem sido alvo de críticas e restrições encampadas, principalmente, pelo governo norte-americano.

O site do programa da gestão de Donald Trump para proteção de dados, Rede Limpa (Clean Network, em inglês), chama a empresa de “1 braço da vigilância o Partido Comunista Chinês”. A China, por sua vez, diz que a iniciativa é “discriminatória”.

No Brasil, um dos filhos do presidente da República, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), causou um incidente diplomático com o país asiático ao escrever o seguinte no Twitter:

“O governo @JairBolsonaro declarou apoio à aliança Clean Network, lançada pelo [email protected], criando uma aliança global para um 5G seguro, sem espionagem da China”.

A embaixada chinesa, por sua vez, classificou o ataque como inaceitável e afirmou que poderá esse tipo de fala pode ter “consequências negativas” para a relação dos 2 países.

Poder 360

 

Opinião dos leitores

  1. Parabéns Fábio, cada macaco no seu galho. Mourão calado é um poeta. Quanto a China comunista nada de lada presta, seus produtos são lixo, "exportam" doenças para o mundo a décadas, quem é contra o partido comunista desaparece ou é morto, bancam ditadores e genocidas pelo mundo e o 5G deles é para espionar os outros países.

  2. Pazzuello contra Doria, Doria contra Bozo, Bozo contra governadores, Mourao contra os filhos do presidente, Presidente contra mídia, Bozo com polvora contra EUA, Europa contra Bozo, Bozo contra Amazonia, o povo contra o proprio povo… essa novale tá dificil de acompamnhar.

  3. Tem que ser uma disputa imparcial.Quem oferecer as melhores condiçoes deve levar.Com relacao a espionagem os anericanos fizeram e o governo Dilma nâo fez nada,alenas espernoiu.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

5G: EUA pedem que Brasil ‘mantenha olhar crítico’ sobre papel da China

Representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer. Foto: Moneymaker/Pool via REUTERS 17-06-2020

As principais autoridades norte-americanas exortaram o Brasil a monitorar cuidadosamente os investimentos chineses no país e os movimentos de Pequim para expandir sua influência na maior economia da América Latina por meio da venda de tecnologia 5G pela Huawei Technologies.

O representante comercial dos Estados Unidos, Robert Lighthizer, ressaltou o desejo do governo do presidente Donald Trump de expandir os laços econômicos com o Brasil, mas minimizou perspectivas de um acordo de livre-comércio abrangente, dada a atual oposição do Congresso.

Lighthizer disse que os acordos comerciais alcançados com o Brasil na segunda-feira (19) abririam o caminho para novas negociações sobre aço, etanol e açúcar e promoveriam maiores investimentos dos EUA, num momento em que Washington se move para fornecer um contrapeso à expansão da China na região.

“Eu diria claramente que há um elemento China… em tudo o que todos nós fazemos”, disse Lighthizer em evento organizado pela Câmara Americana de Comércio. “A China tem feito movimento muito significativo no Brasil. Eles são o maior parceiro comercial do Brasil, então é algo que nos preocupa.”

Os comentários de Lighthizer fazem parte de uma ampla campanha dos Estados Unidos para convencer o Brasil a evitar investimentos em tecnologia 5G da China e reduzir sua dependência das importações chinesas.

O assessor econômico da Casa Branca, Larry Kudlow, disse que o governo norte-americano instou o presidente Jair Bolsanaro e outras autoridades brasileiras a acompanhar de perto os investimentos e tecnologias avançadas da China, como fez Washington.

“Incentivamos o Brasil… a tentar trabalhar junto para garantir que vigiemos a China com atenção no que diz respeito a todos os tipos de tecnologia e telefonia e 5G”, disse ele no evento.

“Temos atuado aqui nos Estados Unidos, continuamos avançando, e é minha grande esperança que o Brasil atue conosco”, acrescentou. “Esperamos que o Brasil também mantenha um olhar crítico e cuidadoso sobre os investimentos chineses.”

O embaixador norte-americano em Brasília, Todd Chapman, alertou em julho que o país pode enfrentar “consequências” se permitir a Huawei em sua rede 5G, referindo-se aos avisos dos EUA de que a China não consegue proteger a propriedade intelectual.

Os EUA intensificaram os esforços para limitar o papel da Huawei na implementação da tecnologia de alta velocidade de quinta geração no Brasil nos últimos meses. Os EUA acreditam que a Huawei entregará dados ao governo chinês para espionagem, uma afirmação que a Huawei nega.

Chapman disse no evento da Câmara de Comércio que Estados Unidos e Brasil pretendem dobrar o comércio bilateral em cinco anos ante valor atual de cerca de 100 bilhões de dólares.

Ele disse que o acordo assinado na segunda-feira representa um avanço substancial nos laços comerciais e ajudaria a facilitar futuras negociações.

Segundo Chapman, Estados Unidos e o Brasil também estão discutindo cooperação militar de “nível estratégico” e buscando formas de aumentar o intercâmbio de tecnologia.

Reuters

 

Opinião dos leitores

  1. O Presidente, salvo melhor juízo, precisa entender que na selva das relações internacionais não "existem amigos, mas interesses". Portanto tem que ver o que é melhor para o Brasil de mpdo impessoal.

  2. É bom alguém de fora para alertar este governo brasileiro, que parece obnubilado pela campanha eleitoral vindoura… Não foi para ceder à pressão oposicioniata que o elegemos, há dois anos.

  3. O pt e agregados deixaram o Brasil no lucro junto à Angola, Cuba e Venezuela. Fora outras ditaduras cu de cachorro espalhadas pelos cinturões da corrupta esquerda mundo à fora.

  4. Enquanto o Brasil não levar uma rasteira do Estados Unidos essa praga de presidente não sossega

  5. BG.
    O Brasil precisa urgente se reindustrializar para gerar emprego para os milhões de desempregados e produzir produtos de qualidade como tinhamos antes. Com os ladroes do pt no poder a industria Brasileira foi excurraçada e passamos a comprar lixo da china e gerar empregos lá na sua ditadura criminosa em que o trabalhador é verdadeiramente um escravo.

    1. Problema é a mão de obra pouco qualificada que nós temos. Nosso sistema educacional não produz bons profissionais atualizados.
      Aliás, o ensino superior é totalmente desconectado com a realidade e com o mercado.

    2. É só cortar as relações com a China. Já que é tão ruim, chama os embaixadores de volta.
      É cada "analista" que aparece por aqui!

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *