Política

Reforma fortalece tríade de ministros: Fábio Faria, almirante Rocha e general Ramos estão em alta após mudanças na esplanada

Foto: Cleverson Oliveira/Mcom

A reforma ministerial reconfigurou a relação de poder no Palácio do Planalto com a chegada de dois ministros civis ao quarto andar, restringindo o espaço dos militares. Mesmo assim, o núcleo mais forte do entorno do presidente Jair Bolsonaro, após a dança das cadeiras, é uma tríade com dois militares e um civil. O grupo mais influente junto a Bolsonaro contempla o ministro das Comunicações, Fábio Faria, o agora ministro-chefe da Casa Civil, general Luiz Eduardo Ramos, e o secretário especial de Assuntos Estratégicos (SAE) e secretário interino de Comunicação, almirante Flávio Rocha, o “ministro sem pasta”.

Com o tempo, esse grupo deve agregar mais um civil: a nova ministra da Secretaria de Governo, Flávia Arruda. À medida que a campanha eleitoral se aproximar, e o presidente ficar mais dependente do Centrão, a ministra indicada pelo bloco, e responsável pela articulação política, deverá se fortalecer, apostam aliados.

É sintomático o avanço dos civis na sede do Executivo. Até o ano passado, os quatro ministros palacianos eram militares: Ramos, então ministro da Secretaria de Governo (Segov); Walter Braga Netto, então na Casa Civil, e agora remanejado para o Ministério da Defesa; Augusto Heleno, ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI); e Jorge Oliveira, ministro da Secretaria-Geral (SG) da Presidência, que entrava na contabilidade como egresso da Polícia Militar, e atualmente despacha no Tribunal de Contas da União (TCU).

Foto: Alan Santos/PR

O novo desenho palaciano agora contempla dois deputados licenciados no quarto andar: Onyx Lorenzoni (DEM-RS), ex-Casa Civil que voltou ao palácio realocado na SG; e a novata Flávia Arruda (PL-DF), que recentemente assumiu a Segov e tem potencial para formar dupla com Faria no concorrido núcleo duro do presidente.

De longe, o ministro civil, da chamada “ala política”, mais influente junto a Bolsonaro é Fábio Faria. No jargão palaciano, ministro forte é aquele que está a um lance de escadas do presidente. Por isso, embora tenha gabinete no Bloco R da Esplanada, Fábio Faria ganhou uma sala no segundo andar do palácio, e passe livre ao gabinete presidencial, no terceiro andar.

O deputado licenciado é combativo nas redes sociais se o assunto é a defesa do governo e do presidente, mas é considerado um político de trato afável e perfil conciliador, nas reuniões privadas.

Foto: Marcelo Casal Jr./Ag.Brasil

Mais que combativo, Faria é quem orienta os demais auxiliares sobre a linha de defesa do governo nas redes sociais. Ele foi o primeiro ministro a reagir nas redes sociais à decisão do ministro Luís Roberto Barroso do Supremo Tribunal Federal (STF) que obrigou o Senado a instalar a CPI da Covid, iminente palanque preferencial da oposição. A CPI vai comprovar uma “atuação responsável e íntegra”, registrou Faria no Twitter.

O ministro é o autor da ideia de criar um “vacinômetro” e articulou o recente jantar de Bolsonaro com empresários, em São Paulo, como reação à carta de banqueiros e economistas com críticas à condução da economia e da crise sanitária. Ele também se aproximou do almirante Flávio Rocha, e costurou para que o militar assumisse a Secretaria de Comunicação no lugar do empresário Fabio Wajngarten.

Segundo o próprio Ramos e outras fontes, o auxiliar mais próximo de Bolsonaro é o almirante Flávio Rocha, que passou a acumular a SAE, que tem status de ministério, com a Secom. A relação de Rocha com o presidente remonta há pelo menos 20 anos. Eles se conhecem desde quando o almirante era assessor parlamentar da Marinha e frequentava o gabinete do então deputado Jair Bolsonaro.

Por fim, o general Luiz Eduardo Ramos, amigo de Bolsonaro desde os tempos da Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), sobreviveu às várias tentativas do Centrão, e também de fogo amigo no governo, de derrubá-lo do cargo. Diante do acirramento da crise política, cedeu a função de interlocutor do Planalto com o Congresso, mas “caiu para cima”, na Casa Civil.

Faria, Ramos e o almirante encabeçam o grupo de ministros das alas política e militar que atuam nos bastidores para neutralizar a chamada ala ideológica, de onde emergem as crises mais estridentes do governo. Três expoentes dessa ala já sofreram degola: o ex-ministro da Educação Abraham Weintraub, o ex-chanceler Ernesto Araújo e o ex-Secom Fabio Wajngarten. O assessor especial da área internacional, Filipe Martins, é um remanescente do grupo, mas que está na linha de tiro dos ministros políticos e militares.

Heleno e Onyx são apontados como ministros com menos influência na tomada de decisões estratégicas. Contudo, têm lugares cativos junto a Bolsonaro pelo histórico de lealdade e confiança. Em contrapartida, o novo ministro da Defesa, Braga Netto, pode perder influência nas decisões estratégicas ao se deslocar para a Esplanada. “Com ele, agora, não é mais só descer as escadas para falar com Bolsonaro”, pondera uma fonte militar. Braga Netto, entretanto, joga em dupla com Ramos, e tem laços estreitos com Bolsonaro.

Ex-presidente da Comissão Mista de Orçamento (CMO), e ex-primeira-dama do Distrito Federal, Flávia Arruda é o primeiro nome que o Centrão emplaca no primeiro escalão. Ela é próxima do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), mas foi alçada ao posto pelo ministro Ramos, graças à sintonia fina estabelecida com o general quando era presidente da CMO. “Creditaram a indicação da ministra ao Arthur Lira, mas na realidade ele soube pela Flávia que ela estava sendo indicada”, disse Ramos ao Valor. “Quem escolheu a Flávia foi o presidente da República, a partir de quatro nomes que eu apresentei a ele.”

Em paralelo, Flávia tem tudo para agradar Bolsonaro: primeiro de tudo, a confiança de Ramos. Além disso, ela é discreta, quer fugir dos holofotes para não irritar o presidente. E, nos bastidores, é considerada hábil e conciliadora.

Se tiver atuação decisiva para costurar uma saída política para o impasse envolvendo a Lei Orçamentária de 2021, que descarte o veto presidencial, a ministra tende a se consolidar no núcleo forte do entorno presidencial, diz um expoente do Centrão.

Ao fim e ao cabo, porém, quem realmente tem voz e poder de ação no governo continua sendo o núcleo da “copa e cozinha”: os filhos – senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), e vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) -; o titular da Secretaria de Assuntos Jurídicos, Pedro Nunes; e o chefe de gabinete, Célio Faria. “Esse é o grupo que realmente manda”, resume uma fonte palaciana.

Valor

 

 

Opinião dos leitores

  1. Esses três tem fama máscaras quem manda no governo e controlam Bolsonaro com chicote e esporas são outros: Ciro Nogueira, Waldemar Costa Neto, Artur Lira, Roberto Jefferson. A turminha do Bozo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Músico do RN ganhará selo comemorativo dos Correios, por indicação de Fabio Faria

O ministro Fabio Faria propôs ao Correios a edição de um selo comemorativo aos 150 anos do nascimento do maestro Tonheca Dantas. O músico autodidata, símbolo da arte do Rio Grande do Norte, vai ser homenageado pela vasta obra com mais de mil peças! Suas composições são, hoje, executadas em orquestras de todo o país e também do exterior: a Valsa Royal Cinema, escrita para um cinema de Natal, por exemplo, foi sucesso na Rádio BBC de Londres.

Filho da cidade de Carnaúba dos Dantas, o maestro dedicou sua vida à música e a diversos instrumentos, e tocava flauta, trompete, saxofone, violão e clarineta. Além das valsas, muito presentes em sua obra, compôs dobrados, maxixes, hinos, xotes, polcas e explorou uma série de outros gêneros musicais. Homenagem mais que justa para a arte potiguar!

Opinião dos leitores

  1. Já merecia há tempos mais como veio agora, massa ,tonheca e o bethoven o Mozart do Seridó e representante de nossa música,toquei muitas obras de tonheca

  2. Sou Neta de Tonheca Dantas e estou imensamente agradecida pela honraria e justíssima indicação. Obrigada.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Fábio Faria anuncia edital da relicitação do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante

Tem boa notícia chegando para o RN!!!”, publicou o ministro das Comunicações em suas redes sociais. E seguiu informando que a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) aprovou, nesta terça-feira (9), as minutas do edital e do contrato de concessão para a relicitação do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante (ASGA) – RN.

Segundo Faria, agora os documentos jurídicos para a concessão e os Estudos de Viabilidade Técnica Econômica e Ambiental (EVTEA) serão submetidos à consulta pública por 45 dias, após a publicação no Diário Oficial da União.

A relicitação é um mecanismo que traz segurança jurídica aos contratos e permite a continuidade da prestação dos serviços, uma vez que a concessionária deve manter a qualidade e os requisitos de segurança operacional até que a nova empresa assuma as operações do aeroporto.

O ministro ainda adiantou que o Governo Federal, por meio do Ministério da Infraestrutura, pretende relicitar o aeroporto ainda este ano.

Opinião dos leitores

  1. Podiam dar a gestão do aeroporto pros Alves. Não foram eles q trouxeram essa desgraça pro RN e acabaram com o antigo q era ótimo ? Joga no colo deles agora, já forma favorecidos com a venda das terras q não valiam nada. Agora pergunte se querem esse elefante…

  2. Só resolveria o caso do aeroporto daqui baixando o preço das passagens saindo daqui de Natal.
    Compensa muito mais sair de João Pessoa, Recife ou Fortaleza do que daqui para a maioria dos voos internacionais e nacionais .(mesmo contando com os gastos do deslocamento e diárias de estacionamento nestas outras cidades).
    O que danado é isso???!!!

  3. Boa notícia seria a transformação daquele elefante num hospital. E a volta dos voos para Parnamirim..

    1. Sr. Silver…..porque lá nada funciona. Nem uma farmácia tem, estacionamento caríssimo, não tem um restaurante, percurso perigoso e distante de tudo…..por isso, homi.
      ????????

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Governo federal chegou a um acordo para a aquisição de 100 milhões de doses da vacina da Pfizer/BioNTech contra a covid-19, confirma ministro Fábio Faria

Foto: Reprodução/Instagram

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, confirmou na tarde desta quarta-feira(03) que o governo federal chegou a um acordo para a aquisição de 100 milhões de doses da vacina da Pfizer/BioNTech contra a covid-19.

VEJA MAIS: Governo decide comprar ‘todas as vacinas disponíveis’ da Pfizer e da Janssen

O ministro ainda destaca que a vacina, inclusive, já teve o registro definitivo aprovado no país pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). O anúncio será feito de forma oficial ainda hoje pelo Ministério da Saúde.

“O acordo foi fechado em reunião do ministro da Saúde Eduardo Pazuello com o secretário-executivo da pasta, Elcio Franco”, disse.

Opinião dos leitores

  1. Pode comprar todas as vacinas do mundo que não muda o fato de estar atrasado ( já houve milhares de mortes desnecessárias e evitáveis) e sobretudo de ter feito isso graças ao Dória. É a reeleição que importa para esses idiotas.

  2. Parabéns, Pr. Bolsonaro!!
    Continue firme porque a maioria dos brasileiros está do seu lado.
    A esquerda está dando os últimos suspiros.

  3. Se tiver disponibilidade de produção o governo Bolsonaro vai comprar tudo para assistir a população brasileira, parabéns presidente.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Edital de 5G traz pontos políticos para Fábio Faria

Foto: Reprodução/Teletime

A votação final do edital de 5G realizada pelo conselho da Anatel nesta quinta, 25, tem um grande vencedor: o ministro das Comunicações, Fábio Faria. Ao final, prevaleceu a vontade do ministro que marcou vários pontos políticos: conseguiu dar uma solução para as pressões pela exclusão da Huawei do 5G, impôs um cronograma e ainda conseguiu dar ao presidente Bolsonaro um fato positivo a ser explorado em plena campanha eleitoral de 2022. E paralelamente ainda ajudou um pouco na crise diplomática com a China que por pouco não comprometeu ainda mais o já combalido cronograma de vacinação para a Covid-19 no Brasil.

A votação do conselho da Anatel manteve as linhas gerais do que já havia sido apresentado por Carlos Baigorri, relator da matéria, com um adendo importante: uma sugestão trazida pelo conselheiro Moisés Moreira para que se antecipasse o início do 5G nas capitais para julho de 2022, contra 31 de dezembro originalmente previstos. Com isso, se tudo correr bem, as primeiras operações de 5G entram no ar antes das eleições presidenciais e parlamentares do ano que vem e poderão ser capitalizadas nas campanhas, com a presença sempre requisitada do ministro ou até mesmo do presidente-candidato em inaugurações locais. Não é um fato novo: o 4G também começou em meados de 2013, a tempo da Copa das Confederações daquele ano, e a tempo das eleições. Dilma não fez muito uso do 4G na campanha eleitoral daquele ano porque as manifestações de junho de 2013 acabaram mudando a pauta política.

Há um risco, contudo: a liberação para o uso da faixa de 3,5 GHz está vinculada à limpeza da banda C estendida nas aplicações corporativas de banda C e à migração dos usuários de TVRO (TV aberta via satélite) para a banda Ku. Especialmente a migração para a banda Ku é um processo extremamente complexo e ainda muito nebuloso, porque não se sabe exatamente quantas pessoas receberão os kits, onde elas estão e qual será a dificuldade de instalação, fora a necessidade de se montar a logística. O prazo previsto no edital é de no mínimo 300 dias a partir da publicação do termo de autorização da faixa no Diário Oficial, o que significa que o edital precisa estar concluído, impreterivelmente, até julho.

Para isso, Anatel e TCU precisam concluir o cálculo de todos os valores mínimos e contrapartidas do edital em 60 dias. Se o TCU usar o prazo regimental, de 150 dias, o cronograma político do 5G começa a ficar comprometido. Não por acaso Fábio Faria levou três ministros do TCU em sua viagem para conhecer fornecedores de 5G e disse ter negociado um prazo de análise de 60 dias. Mas vale lembrar que Fábio Faria não levou na comitiva o ministro Raimundo Carreiro, que é justamente quem será o relator do processo no TCU, e que acompanhou as quase 6 horas de reunião da Anatel desta quinta. Nada garante de antemão que essa antecipação de prazos pelo tribunal de contas, seja pela área técnica, seja pelo relator, acontecerá.

Fábio Faria também poderá apresentar ao presidente Bolsonaro uma solução pacificadora para a questão dos fornecedores chineses. Afinal, a Portaria 1.924/2021 assegurou uma rede privativa para o governo interligar 16 mil pontos em todo o Brasil e onde ficará fácil para o governo excluir fornecedores A ou B. Ali, provavelmente, Huawei e outros fornecedores da China devem ser banidos com a justificativa de que, por não estarem listadas em bolsa, não seguem padrões de governança e transparência. Isso pode acalmar a ala ideológica do governo, o que inclui o próprio presidente.

Mas Fábio Faria ainda tem uma carta na manga caso a pressão para que Bolsonaro exclua os fornecedores chineses de todo o 5G brasileiro cresça: a exigência de uma rede standalone para o 5G, que prevaleceu na versão final do edital. Com esta exigência, as operadoras terão que instalar uma rede nova e desvinculada das redes atuais 4G. O que torna menos complexa a tarefa de excluir fornecedor A ou B caso o governo imponha isso futuramente. Por exemplo, depois que boa parte da população estiver vacinada e que a dependência de vacinas e insumos chineses não for mais uma variável política importante.

Em termos de políticas públicas setoriais, Fábio Faria também marcou um gol. Arrumou mais R$ 1,5 bilhão para um projeto que vem cambaleante há mais de seis anos. O PAIS (Programa Amazônia Integrada e Sustentável), que receberá aporte das empresas vencedoras do leilão de 5G, é o Amazônia Conectada, uma rede sub-fluvial na Amazônia lançada em julho de 2015 que fracassou sob a gestão do Exército. O cabo de fibra ótica rompeu-se após pouco mais de um ano de operação, e assim está desde então, sem que o Ministério da Defesa tenha conseguido mobilizar recursos ou logística para consertá-lo integralmente. Em 2019, o TCU mandou que o Ministério das Comunicações assumisse o projeto. Foi o que o ministro fez.

Telebras

Já a Telebras parece uma dor de cabeça para Fábio Faria, mas na verdade é um trunfo. Como a estatal está no programa de privatização do governo, tocada pelo Ministério da Economia, não pegaria bem dizer que ela está sendo fortalecida ou atribuir a ela qualquer política pública. Mas obviamente nem os militares do governo, nem o PSD, partido de Fábio Faria, se esforçam para que ela seja privatizada (de novo). Não por acaso, o projeto da rede privativa foi desenhado e calculado pela Telebras, e entrou na Portaria 1.924/2021 justificada justamente pelo artigo 12 do Decreto de Políticas de Telecomunicações (Decreto 9.612/2018), que lista as atribuições da estatal. Percebendo o desconforto da Economia com a “anabolizada” que estava sendo dada para a Telebras, Fábio Faria soltou uma nota dizendo que não será a estatal quem vai operar esta rede e que, se necessário, haverá mudança dos instrumentos normativos. Para tornar discurso em realidade, contudo, Faria precisaria alterar a Portaria e também o Decreto, o que não aconteceu ainda.

E a Telebras ainda se tornou um trunfo para uma política de varejo junto a parlamentares e prefeitos com o programa WiFi Brasil (que é uma adaptação do antigo GESAC), que cria uma comunicação direta entre o Ministério das Comunicações e centenas de municípios por meio de emendas parlamentares dedicados a esse programa. Gilberto Kassab (PSD) já havia desenhado esse modelo com o Internet para Todos, que não deu certo porque tinha uma fragilidade tributária.

Vale citar ainda que, com a aprovação do PL 3.477/2020, o governo está autorizado a liberar R$ 3,5 bilhões do Fust para municípios contratarem banda larga e comprarem equipamentos para escolas. Não será surpresa se a liberação vier junto com algum programa operador pela Telebras.

TeleTime

Opinião dos leitores

  1. Esse ministro é bom!!!!
    Aliás, procuro um ruim e não acho.
    Agora deixa eu entender.
    Plano de vacinas cambaleado?
    Ué!!!
    Mais não somos o quinto no mundo em vacinação???
    Não entendi.
    Só falta a reportagem dizer que os Estados Unidos, é o último.

  2. Isso deve ser motivo de orgulho para o nosso estado nunca votei e gostei do deputado mas tenho que reconhecer o belo trabalho

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Fabio Faria demonstra confiança em Carla Dickson e decide não se afastar para eleição da Câmara

Foto: Divulgação

O ministro das Comunicações, Fábio Faria (PSD RN), não vai reassumir seu mandato de deputado para participar da eleição na Câmara.

A decisão deixa clara a confiança do ministro em sua suplente, Carla Dickson, que está bem alinhada com o projeto do Governo e do deputado Arthur Lira (PP-AL), candidato apoiado pelo presidente Bolsonaro.

Com a decisão, ao contrário de Tereza Cristina (Agricultura) e Onyx Lorenzoni (Cidadania) que foram exonerados para reassumirem seus mandatos na Câmara Federal, Fábio Faria segue no Ministério das Comunicações e deixa Carla Dickson votar a eleição da Câmara. Ela que é atualmente vice-líder do Governo e já confirmou voto no deputado Lira.

Opinião dos leitores

  1. Ele é secretário de comunicação já que não existe ministério da comunicação no governo federal.

    1. Fica na tua, vc não entende disso , êta povo besta para se meter onde não entende.

    2. Amigo, o mais certo é parar com essas manobras políticas que só atrasam o Brasil.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Ministro das Comunicações, Fábio Faria, apresenta políticas públicas aos prefeitos e parlamentares do RN

Foto: Divulgação

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, reuniu nesta segunda-feira (18) prefeitos, parlamentares estaduais e federais do Rio Grande do Norte, para apresentar as políticas públicas em telecomunicações e radiodifusão.

Durante o evento, o ministro destacou o Programa Wi-Fi Brasil que leva internet a quem mais precisa, em locais de difícil acesso, zonas rurais e áreas distantes de centros urbanos, que tem como meta chegar a mais de 40 milhões de brasileiros. Fábio garantiu que todos os 164 municípios potiguares serão atendidos com 2 a 5 pontos de internet banda larga gratuita para a população.

“O presidente Bolsonaro tornou a internet um serviço essencial. E nós temos que levar internet a quem não tem. Estamos levando primeiro o programa Wi-Fi Brasil e, por intermédio dos prefeitos e deputados, localizamos comunidades, escolas rurais ou unidades básicas de saúde que não têm acesso nenhum para levar a conectividade. Com o investimento do leilão do 5G, em poucos anos vamos conseguir cobrir 100% de internet em todo o Brasil, também via fibra ótica”, enfatizou o ministro Fábio Faria.

Além da apresentação dos programas relativos à massificação e democratização da internet, desburocratização e simplificação de leis do setor, o Ministério das Comunicações também disponibilizou sua equipe técnica para orientar os gestores locais sobre a adesão ao Programa Wi-Fi Brasil para novos pontos em 2021.

O Governo Federal já beneficiou cem municípios no Rio Grande do Norte, com um total de 292 pontos de conexão gratuita, de alta velocidade e ilimitada. Destes, 233 estão em escolas públicas.

Participaram do evento do MCom mais de 70 prefeitos; os deputados federais Benes Leocádio, Carla Dickson, João Maia, General Girão; os deputados estaduais Gustavo Carvalho e Tomba Farias; o prefeito da capital Natal, Álvaro Dias; O presidente da Federação dos Municípios – Femurn, Prefeito Babau; e o ex-governador Robinson Faria.

Opinião dos leitores

  1. Outro insignificante. A única coisa que sabe fazer é instalar internet em obra… Melhor que ele, a Cabo Telecom faz.

    1. Rapaz, tu não trabalha não? É encostado onde, pra poder passar o dia todo bostejando aqui?

    2. Esse está sem ter aula o partido colocou para passar o dia falando besteira.
      Enquanto Lula roubava e mentia, Bolsonaro coloca internet no Brasil todo.
      Cabotelecom coloca se você pagar.
      Bolsonaro coloca de graça..
      Os jumentos vão à loucura…

  2. Nosso futuro Senador da República e tbm presidente do Senado Federal.
    Rogério Marinho futuro governador.

    1. Se toca boneca!!
      Rogério não ganhou pra deputado, vai ser eleito governador… Só se for governador do curral da boiada ??

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Fábio Faria cita ‘narrativa incorreta’ sobre eleições, e diz que presidente não está virando centrão: “partidos de centro é que têm de abraçar as bandeiras do Bolsonaro”

Foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press

Considerado um articulador do Executivo com os outros Poderes, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, rejeita o título e diz que a imagem surgiu porque chegou ao governo no momento de maior estresse entre as instituições, o que foi resolvido por vontade de todos. Ele diz não ter dúvidas de que, apesar de muitos afirmarem que o presidente Jair Bolsonaro saiu derrotado das eleições municipais, o chefe do Executivo continua forte e sua reeleição é muito provável em 2022.

No entender do ministro, não haverá tempo suficiente para que o grupo de centro-direita que saiu fortalecido das urnas construa uma candidatura com musculatura suficiente para fazer frente a Bolsonaro e a um representante da esquerda. Dos nomes citados como possíveis cabeças de chapa da direita mais moderada, Faria ressalta que o ex-juiz Sergio Moro saiu do jogo político ao migrar para a iniciativa privada e se envolver em conflitos de interesse.

Afirma que o governador de São Paulo, João Doria, desgastou-se por causa de uma sucessão de “traições”. Frisa que Rodrigo Maia é um grande articulador político, mas não tem votos, e acredita que Luciano Huck deve continuar como apresentador de tevê, pois os eleitores não querem se arriscar em uma aventura parecida com a de Wilson Witzel, eleito para o governo do Rio de Janeiro com um discurso contra a corrupção, mas que deve perder o mandato .

O ministro diz, ainda, que o governo tem o direito de apoiar candidatos para as presidências da Câmara e do Senado que defendam a agenda conservadora nos costumes e liberal na economia, hoje interditada. E um bom nome para defender os interesses do Palácio do Planalto é o do deputado Arthur Lira, do PP. Sobre o fortalecimento do Centrão nas urnas, Faria ressalta que isso não significará a volta do toma-lá-dá-cá, por meio de mais vagas no ministério.

Para Faria, a única crise que existe no governo é a “crise de palavras”, que cria uma cortina de fumaça e faz com que as entregas não cheguem na ponta. “Não tem nenhum ponto que desabone o governo. Não há uma denúncia de corrupção. Na pandemia de covid, não faltou dinheiro para estados e municípios, não faltou dinheiro para as empresas, não faltou para os desempregados. Não faltou para nada”, defende.

Sobre a polêmica que envolve o leilão do 5G, com ameaça de restrição aos fornecedores chineses, alvo de nota das operadoras do país, o ministro prefere se manter neutro. Diz apenas que ninguém do Executivo falou sobre isso, que a decisão estará contemplada no relatório da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e que o assunto será avaliado de forma técnica. “Tem muito mais de briga geopolítica nisso do que qualquer outra coisa”, afirma. Veja a seguir os principais trechos da entrevista concedida ontem no Ministério das Comunicações:

Estamos vindo de eleições municipais. Como o senhor viu o resultado das eleições e que recado as urnas deram ao governo?

O governo não recebeu nenhum recado das urnas. O próprio presidente Jair Bolsonaro pediu para que nenhum ministro, nenhum secretário participasse (do pleito). Alguns deputados participaram, mas ele próprio não foi para nenhuma cidade. Ele fez algumas lives, eu acho que quatro, e sinalizou para o eleitor conservador. Nas próprias lives, ele falava que, no máximo, alteraria de 5% a 6%. A narrativa que foi colocada de que houve uma participação e, possivelmente, derrota do presidente Bolsonaro é totalmente incorreta. Porque, se ele quisesse ter participado plenamente das eleições, teria pedido que todo o seu grupo de linha participasse. Isso não houve. Outro ponto, se olhar 2016, Bolsonaro não fez nenhum prefeito. Este ano não tem nem partido. O eleitor de direita, do Bolsonaro, votou em vários candidatos e em vários partidos que estão participando em algumas votações, votando junto com o governo. Muito difícil você ter um recado claro na eleição de 2020.

Como o senhor avalia o resultado? O eleitor não quis os extremos. Optou pelo centro.

Quem foi o candidato de extremo, do Bolsonaro, que perdeu? Russomanno (Celso Russomanno, candidato à prefeitura de São Paulo pelo Republicanos) é moderado. Crivella (Marcello Crivella, candidato à reeleição do Rio de Janeiro) é moderado. É uma leitura que ainda não consegui fazer, essa que a imprensa tentou colocar. Óbvio que, se você lê muitas vezes a mesma coisa, acaba seguindo o caminho. Mas a maioria dos partidos que compõem hoje a base do governo na Câmara e no Senado, muitos migraram e votaram. Pessoalmente, sem ser como ministro, acho que Bolsonaro mostrou que é muito forte, descolado de muita coisa. Bolsonarismo é muito mais o Bolsonaro do que um núcleo maior. Tanto que o presidente não participou. Logo depois das eleições, sai uma pesquisa na qual o presidente tem 40% de ótimo e bom. Ele disse, nas lives, que não tem hoje este poder de transferência. A pessoa vota no candidato. O fator local é muito mais forte do que o nacional. Se o candidato for bom, aquele apoio influencia um pouco, mas não altera a eleição. O principal recado que ele deu foi a sinalização para o eleitor conservador, que foi aquele que votou nele. Não quis passar 2020 batido e retribuiu, dentro do que podia fazer, para mostrar isso para o eleitor.

Mas as forças de centro saíram mais fortalecidas. Como o senhor avalia?

Acho que nada disso influencia. Se for voltar dois anos, em 2018, o Geraldo Alckmin (candidato à Presidência pelo PSDB) fez uma ampla aliança, conseguiu sete minutos de televisão e o Bolsonaro, com sete segundos, venceu. O Alckmin tinha apoio de governadores nos estados e não conseguia ir, porque eles não queriam recebê-lo. Do mesmo jeito que a eleição municipal é descolada da nacional, a presidencial também descola, é paixão. Os candidatos atraem essas paixões. No Nordeste, por exemplo, se o candidato não tiver penetração para poder se comunicar, muitas vezes a base não quer nem receber, porque atrapalha. Por isso, foi muito forte por muito tempo, porque os candidatos não queriam levar outros. O Bolsonaro quebrou isso. Hoje, temos a direita no Nordeste. Antes, ou apoiava alguém da esquerda para fazer coligação, ou fazia eleição simplesmente estadual, nem se falava sobre o presidente da República.

A avaliação que o senhor faz então é que o resultado foi bom para o governo?

O resultado não altera o governo. Esses partidos de centro estão compondo com o governo, eles precisam mostrar resultado. Eu sempre defendi e continuo defendendo. O Bolsonaro não está virando centrão. Os partidos de centro é que têm de abraçar as bandeiras do Bolsonaro, porque ele foi eleito, ele derrotou a esquerda com isso. Bolsonaro conseguiu, sozinho, com o grupo dele, sem apoio de ninguém, ganhar a eleição com a bandeira conservadora, de valores. Com o centro participando da base, o governo vai pedir que apoie essas bandeiras do presidente. Em 2022, a gente não sabe quem vai estar junto. A economia vai ditar muita coisa. Se crescer 3%, 4% no ano que vem, será que alguma frente vai ter tempo de criar outro candidato? Será que as pessoas não vão com Bolsonaro? Ou vão migrar para esquerda? Vejo um cenário muito incerto sobre isso. Até porque o Bolsonaro só seria derrotado se tivesse partido, se tivesse entrado na eleição e se tivesse enfrentado os partidos do centro. Isso não ocorreu.

O fato de o centrão sair mais forte das urnas vai fazer com que cobre um espaço maior do governo, em uma reforma ministerial, mais à frente, para se ver mais bem representado?

Primeiro, o centro se deu bem na eleição, mas o governo avalizou o centro. Começa por aí. Se o centro está compondo a base, foi avalizado pelo governo, que viu que tem 300 parlamentares. Para votar qualquer coisa, precisa do apoio do Congresso. O que precisa é o centro se entender com o governo. Porque, depois de 2018, não vai ter a volta do toma-lá-dá-cá. Isso, mesmo daqui muitos anos, a população não vai aceitar. Isso está precificado. Não acredito que vai ter pedido por ministério. A agenda é outra. Bolsonaro enfrentou isso e votou a (reforma da) Previdência sem dar nenhum ministério a ninguém. As escolhas ministeriais foram todas escolhas pessoais dele. Algumas de frente parlamentar, como a ministra Tereza Cristina (Agricultura). Mas não acredito que haja retrocesso. O centro já era forte. O Bolsonaro se elegeu pelo PSL, não teve alteração no partido. Já iniciou o governo com esses partidos com a mesma força. O que teve foi uma migração. O PSDB diminuiu um pouco. O MDB diminuiu um pouco. O PSD cresceu um pouco. Migração entre os partidos que estão no mesmo espectro. Não houve grande ascensão.

(mais…)

Opinião dos leitores

  1. Olhe com todo respeito ao Amigo BG, o Genro de Sílvio Santos, perdeu uma ótima oportunidade de ficar calado, o Centrão é que precisa do Bozo, foi a cereja do Bolo… Kkkkk ?

  2. A falha do Ex-governador Robinson Faria foi não ter podido superar os atrasos. Jamais ele permitiria atraso se houvesse meios de pagar em dia. De resto, foi um bom governador, construiu obras importantes, incentivou atividades produtivas etc.

    1. Verdade.Deixou o servidor publico com 3 folhas em atraso

  3. Sou funcionário PULBLICO do RN, quando vejo esse rapaz dar uma entrevista só me lembro do pai dele que deixou nos sem receber o salário de dezembro 2018 e o Decimo de 2018, mas com a graça de Deus essa governadora vai nos pagar.

    1. tomara que pague mesmo, que não tenha passado de promessa de campanha.
      embora a conta não seja dela, ela se comprometeu em pagar essa conta.

    2. Tb sou funcionária pública, qdo o vejo falando qualquer besteira, acho q ele não pensa no pai e nem o q pensamos dele, é como Se a bonitesa dele ou pelo fato de ser ministro faz com que nos tornamos idiotas e esquecidos até das denúncias que houve de caixa dois.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Fábio Faria lembra que novo helicóptero do RN será comprado com recursos que ele liberou

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, deputado federal pelo RN, postou nesta sexta-feira (23) em suas redes sociais a notícia da aquisição de um novo helicóptero para auxiliar as forças de segurança do Rio Grande do Norte. A aeronave vai custar R$ 28 milhões de reais.

“Lamento que mais uma vez o Governo Fátima anuncie uma medida tão importante como essa e omita que são recursos da União e que eu liberei no início do ano passado. Foram R$ 80 milhões que consegui no final do Governo Temer e consegui liberar em 2019 com o presidente Bolsonaro, e na destinação detalhada para utilização dos recursos estava a compra do helicóptero”, lembrou o ministro.

Fábio Faria tem cobrado do Governo Fátima a verdade sobre recebimento e aplicação dos recursos. “A governadora tenta se apropriar de tudo. Parece que tudo é fruto do trabalho dela. O dinheiro veio do Governo Federal e fui eu que liberei. Só peço, novamente, que reconheça pois a população deve saber a verdade”, reclama Fábio.

Em janeiro de 2019 foi anunciado que o Rio Grande do Norte receberia uma série de investimentos na Segurança Pública, através de um convênio firmado com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), num total de R$ 79.973.763,73 milhões destinados para diversos setores e órgãos que fazem parte da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), que foram captados pelo deputado federal Fábio Faria e pelo ex-governador Robinson Faria.

O recurso seria para modernização do Centro Integrado de Operações – Ciosp, do Centro Integrado de Controle Regional – CICCR e para o Centro Integrado de Operações Aéreas (CIOPAER), neste último justamente para aquisição de um novo helicóptero e mais duas viaturas ao valor de 21.777.286,93 milhões.

Opinião dos leitores

  1. Devemos ser gratos ao governador Robinson, ao deputado Fábio e ao então presidente Temer.

  2. Mais uma vez a governadora do PT mente, se apropriando de obras, ajudas e benfeitorias de outros. Petista não tem jeito.

    1. Acho que não!!
      O ministro não se chama Natália Bonavides.
      Vc acertou na Mosca.
      O Fábio é competente, como deputado esta entre os melhores do Brasil.
      Acredito que, como ministro não vai ser diferente.
      Aguenta homi, aceita que doí menos.
      Rsrsrsrs

  3. Esse MINISTRO Fábio Farias na minha opinião é o mais preparado do MINISTÉRIO do Sr JAIR MESSIAS BOLSONARO ????

  4. Engraçado, quando Bolsonaro veio inaugurar as obras de transposição do Rio São Francisco no Nordeste não disse em que governo iniciou e foi liberado o recurso.

    1. O secretário de segurança disse sim de onde saiu o dinda. Infelizmente você não assiste a GLOBO LUXO.
      22 milhões do governo federal e 7 milhões do estado do RN…simples assim!

  5. O Desgoverno Fátima/Antenor, não tem a mínima capacidade de gestão, não passam eles de meros administradores de folhas de pagamentos, o combate ao Covid, com todo o dinheiro recebido da União, Fátima não teve nenhuma capacidade de ação por descaso e incompetência, só sabe ela, de forma vergonhosa e leviana se apropriar dos programas e valores recebidos do Governo Federal. Como boa petista o desgoverno Fátima usa a mentira e a manipulação como praticas administrativas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Ministro das Comunicações Fábio Faria testa positivo para covid-19

Foto: Marcos Corrêa/PR

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, anunciou hoje que testou positivo para a covid-19. Ele conta que, após um jantar na semana passada, alguns participantes do encontro começaram a ficar doentes.

“Ontem, tive febre de 37.1 graus junto com dor de cabeça. Fiz aquele teste do dedo e deu negativo e depois fui ao hospital para um exame de sangue que também deu negativo”, explicou o ministro. “Mas o PCR deu positivo”.

Faria ainda afirmou que está bem e começou ontem a tomar hidroxicloroquina, que vem sendo indicada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) como tratamento.

Com UOL

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Fábio Faria agradece potiguares pela lembrança na pesquisa para o Senado 2022

Foto: Reprodução/Instagram

O ministro das Comunicações e deputado federal Fábio Faria lidera a corrida para a cadeira no Senado 2022. É o que aponta a pesquisa do instituto Seta, divulgada nesta terça-feira (22), com exclusividade, pelo Blog do BG.

Fábio Faria (PSD) aparece na preferência dos natalenses com 20,9% das intenções de voto.

O segundo lugar aparece com 15,5% e o terceiro com 3,8% das intenções de voto.

“Agradeço aos potiguares pela confiança e pela lembrança na pesquisa para o Senado. 2022 ainda está longe e o meu único foco agora é na missão de ajudar o governo do Presidente Jair Bolsonaro, para que as pessoas tenham a percepção e reconheçam as grandes realizações que estão sendo feitas.”

No levantamento foram ouvidos 1000 eleitores de Natal, entre os dias 17 e 18 de setembro. Um dos maiores números de entrevistados de todas as pesquisas já realizadas na capital potiguar, registrada na Justiça Eleitoral sob o protocolo RN-09489/2020.

Opinião dos leitores

  1. É muita falta de ter em quem votar.
    Rita das Mercês aparece COLADA em Fábio Faria? Aquela em quem os Faria colaram pra arrebentar com os recursos públicos da Assembleia. Continua escondida ou aparece na pesquisa colada neles?
    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  2. Só tenho uma certeza: não voto em candidato da esquerda em 2022.
    PT, PSOL, PC do B, PDT, PSB e REDE.
    Também não voto no PSDB, DEM, PL e MDB.
    Todos esses podem esquecer.

    1. Concordo com você Leco. Esse ano já exclui todos os candidatos desses partidos. Vamos mudar!!

  3. Se permanecer no governo e o Deputado Coronel AZEVEDO não for candidato é quem pode derrotar o senador do Franco-petista.

  4. Se for candidato com o apoio do presidente Jair MESSIAS Bolsonaro, pode contar com o meu voto.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Fábio Faria corrige erro em relação à Amazônia cometido em entrevista

 

Ver essa foto no Instagram

 

O governo está agindo contra o desmatamento ilegal da Amazônia e mantém preservados 84% da floresta. O vice-pres Mourão detalhou isso aos investidores estrangeiros na reunião de ontem. Estamos investindo muito esforço também para melhorar a imagem do Brasil lá fora, o que é extremamente importante. Quero apontar dois lapsos que cometi em entrevista à CNN ontem à noite, sobre esse assunto. Primeiro, falei que a preservação da Amazônia é de 87% e, na verdade, chega a 84%. O outro foi em relação ao bioma da floresta, que obviamente eu sei que é tropical e falei mata atlântica (sic). O que importa mesmo é nos unirmos em defesa do Brasil. Deixamos claro que o agronegócio não precisa do desmatamento ilegal. Nossa legislação ambiental é uma das mais rigorosas do mundo e o governo seguirá trabalhando pela preservação do ecossistema brasileiro. Vamos trabalhar juntos para melhorar a imagem do país no exterior. ????

Uma publicação compartilhada por Fábio Faria (@fabiofaria55) em

Através das redes sociais, o ministro das Comunicações, Fabio Faria, aponta dois “lapsos” que cometeu em entrevista à CNN ontem à noite, sobre o desmatamento ilegal da Amazônia .

“O governo está agindo contra o desmatamento ilegal da Amazônia e mantém preservados 84% da floresta. O vice-pres Mourão detalhou isso aos investidores estrangeiros na reunião de ontem. Estamos investindo muito esforço também para melhorar a imagem do Brasil lá fora, o que é extremamente importante.

Quero apontar dois lapsos que cometi em entrevista à CNN ontem à noite, sobre esse assunto. Primeiro, falei que a preservação da Amazônia é de 87% e, na verdade, chega a 84%. O outro foi em relação ao bioma da floresta, que obviamente eu sei que é tropical e falei mata atlântica (sic).

O que importa mesmo é nos unirmos em defesa do Brasil.

Deixamos claro que o agronegócio não precisa do desmatamento ilegal. Nossa legislação ambiental é uma das mais rigorosas do mundo e o governo seguirá trabalhando pela preservação do ecossistema brasileiro. Vamos trabalhar juntos para melhorar a imagem do país no exterior”, finalizou.

Opinião dos leitores

  1. Só pode ser brincadeira, que vergonha confundir dois biomas tão distintos em regiões diferentes.

  2. Deveria ter ido para o Ministério da Educação, competeria em inteligência e conhecimento com Weintraub.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Exame do ministro Fábio Faria dá negativo para Covid-19

Foto: Divulgação

Fábio Faria acaba de divulgar que a contraprova de seu exame para Covid-19 deu negativo. O ministro das Comunicações afirmou que, com o resultado, segue trabalhando presencialmente.

Acabo de receber o resultado da contraprova do exame para a Covid-19, o PCR, que deu negativo. Sigo a agenda de trabalho com todos os protocolos de segurança estabelecidos pelo Ministério da Saúde.”

Após Jair Bolsonaro ser diagnosticado com Covid-19 ontem, ministros e auxiliares do presidente se submeteram a testes para confirmar se estão com a doença.

No Planalto, Braga Netto e Luiz Eduardo Ramos tiveram resultado negativo em teste rápido. Mesmo sem terem resultado do exame RT-PCR, que identifica a presença do vírus, eles continuam trabalhando no palácio.

O Antagonista

Opinião dos leitores

  1. Interessante, todos que tiveram contato direto com o presidente testaram NEGATIVO. Das duas uma, ou o Presidente não está com COVID, ou os que tiveram contato direto com estão sonegando informações.

    1. Há 2 meses o negativo era falso. Agora que é positivo tb é falso

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

VÍDEO: Veja a íntegra da posse do Ministro da Comunicações, Fábio Faria

 

O presidente da República, Jair Bolsonaro, empossou nesta quarta-feira (17) o deputado Fábio Faria (PSD-RN) como ministro do Ministério das Comunicações, recriado por Bolsonaro na semana passada.

Os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, e do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio de Noronha, compareceram à cerimônia mas não discursaram ao microfone.

Para a recriação da pasta, o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, chefiado por Marcos Pontes desde o início do governo Bolsonaro, foi desmembrado em dois: Ministério das Comunicações e Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

FOTOS: Com presença de autoridades, Bolsonaro dá posse a Fábio Faria como ministro das Comunicações

Fotos: Reprodução/TV Brasil

Em seu primeiro discurso, Faria reforça tom pacificador e revela prioridade de ampliar a inclusão digital dos brasileiros

O presidente da República, Jair Bolsonaro, deu posse nesta quarta-feira (17) a Fábio Faria no Ministério das Comunicações. Em cerimônia no Palácio do Planalto, o novo ministro revelou algumas das prioridades que deverão nortear sua atuação: a pacificação e a inclusão digital dos brasileiros.

Faria destacou em seu primeiro discurso a transformação e o impacto da pandemia do coronavírus na vida das pessoas e de que forma essas mudanças vão impulsionar novas ações do Governo. Com demandas urgentes como comunicação interpessoal virtual, reuniões por videoconferência, aulas online, home office, telemedicina e tramitação digital de processos, o ministro das comunicações pontuou o que considera prioridade para que a sociedade se adapte à nova realidade.

“Fazer o processo de inclusão digital andar a passos largos, porque ainda há uma grande parcela da população sem acesso à internet, milhões de crianças que não conseguem assistir às aulas online e adultos que não têm como trabalhar remotamente”, frisou o ministro, acrescentando que um dos desafios da sua pasta é democratizar o acesso às tecnologias de vanguarda da comunicação, para conectar todos os cidadãos na chamada sociedade da informação.

Fábio Faria revelou a orientação do Presidente Bolsonaro de que a internet em banda larga chegue a cada cidadão desse país. E sinalizou que o “passo fundamental para esse objetivo é a implementação da infraestrutura para o 5G, que permitirá altíssima potência e qualidade com impacto significativo na economia, além de proporcionar aos brasileiros grande acesso ao conhecimento”.

Perfil pacificador

O novo ministro é conhecido pelo bom trânsito entre os Poderes, característica que mais uma vez ficou clara em seu discurso. “O grave momento exige de nós uma postura de compreensão, de abertura ao diálogo. É preciso, sobretudo, respeito, e que deixemos as nossas diferenças político-ideológicas de lado, para enfrentarmos esse inimigo invisível comum, que, lamentavelmente, tem tirado a vida de milhares de pessoas e gerado danos incalculáveis à economia. É hora de pacificar o país!”, ressaltou Faria.

O ministro ainda sinalizou para a imprensa. Destacou a força de abrangência da TV aberta, o poder e o alcance do rádio e (destacou algo em específico?) dos jornais, “que tanto ajudam a aprofundar as reflexões da sociedade”, somados à internet. Para o ministro, todos compõem o palco da liberdade de expressão, pilar de nossa democracia.

Finalizando o discurso de posse, Fábio elogiou a forma inovadora do presidente Bolsonaro na comunicação direta com a população, por meio das redes sociais, um movimento digital espontâneo, que ele considera com potencial para mudar o Brasil e o mundo.

Os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, e do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio de Noronha, compareceram à cerimônia mas não discursaram ao microfone. Segundo Fábio Faria, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) acabou se atrasando.

Fotos: Cedidas

Opinião dos leitores

  1. Vamos ver se o SBT vai atacar o Presidente .
    Silvio Santos é muito inteligente , quem entende , entenderá !

  2. Nunca votei em Fábio Faria. Não sou radical. Estou torcendo pelo mesmo, no Ministério das comunicações. João Macena.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Deputado Fábio Faria agradece Bolsonaro pelo envio de quase três toneladas de EPIs ao RN

Foto: Reprodução/Twitter

O presidente Jair Bolsonaro, através do twitter, celebrou o envio de quase três toneladas de equipamentos de proteção individual (EPIs), no total de 358 caixas, para o Rio Grande do Norte, reforçando a “confirmação das ações governo federal junto aos estados”, ainda destacando os esforços do parlamentar potiguar.

Ainda no microblog, o deputado federal Fábio Fária(PSD) deixou seu agradecimento: “Agradeço muito sua atenção e do seu governo com o meu RN, presidente”.

Opinião dos leitores

  1. Ô povo besta do cacete, esses imbecis, patifes desses políticos estão lá pra trabalhar, quando faz qualquer coisa que é sua obrigação essas pessoas batem palma, é por isso que este país não vai pra frente, enquanto não entenderem que eles são nossos empregados e tem que cumprir suas obrigações minimamente.

  2. Já pensaram o que seria do nosso estado se o governo federal tratasse de maneira recíproca o governo estadual ?

  3. Parabéns, ilustríssimo senhor deputado Fabio Mesquita de Faria, por se posicionar pelo lado certo da história política-partidária e administrativa desse país,aderindo a idéia da agenda programática politica de centro-direita capitalista e liberal desse país, no passado estavas caminhando politicamente absolutamente do lado errado da história aliando se ao líder da esquerda socialista Luiz Inácio Lula da Silva, positivamente, aprovo essa vossa guinada ideologica para centro-direita, agora voltando para o lado certo da história se desvinculado da ideia programática impraticável, insustentável e inviável da esquerda socialista-comunista que por pouco não destruiu completamente a vida política, social, econômica e cultural da nação brasileira.

  4. Temos que agradecer ao deputado Fábio e ao ministro Rogério pela excelente articulação junto ao ministério da saúde.

  5. Enquanto isso a mal educada da governadora petista não agradece nada e olha que se não fosse a ajuda federal o RN estava lascado.

    1. Sinceramente muitas vezes eu fico me perguntando como as pessoas até certo momento são incompreensíveis, minha gente independente do governo do RN ser administrado pelo PT como tantos outros ex. Ceará, Piauí, Bahia etc. é obrigação do nosso presidente Bolsonaro ajudar a todos independente de partidos a, b, e c, nós do RN também votamos nele, inclusive eu e minha família, agora vamos acabar com essa picuinha de que a gov. Fátima tem que estar agradecendo, isso só depende da formação e educação da parte dela, se ela
      não quer reconhecer e agradecer o problema é dela, nós podemos até não concordar mas temos que respeitar, será que nos estados governados pela oposição todos agradecem ou fazem do mesmo jeito!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *