Helicóptero atinge edifício de 54 andares em Nova York

Foto: Reprodução/ Twitter

Um helicóptero atingiu o telhado de um prédio de 54 andares no centro de Manhattan, em Nova York, possivelmente ao tentar fazer um pouso de emergência na tarde desta segunda-feira. De acordo com a CNN, agentes da polícia e dos bombeiros relataram pelo menos um morto e uma pessoa ferida. No entanto, ainda não há a confirmação oficial sobre o número total de vítimas. O governador de Nova York, Andrew Cuomo, por sua vez, disse que não há indícios de que se trate de terrorismo.

O acidente aconteceu no AXA Equitable Centre, na Sétima Avenida, entre as ruas 51 e 52, onde funcionam empresas como BNP Paribas, Citibank e Willkie Farr & Gallagher. Os funcionários foram rapidamente evacuados.

— A única indicação é que o helicóptero ou fez um pouso de emergência ou caiu no topo do prédio, e se incendiou, mas é tudo muito preliminar ainda — disse Cuomo, que está no local.

A cidade emitiu uma notificação de emergência, alertando para o fechamento de ruas da região. O Departamento de Polícia de Nova York também avisou no Twitter que a área deve ser evitada.

O Globo

VÍDEO: Antes de decolagem, cantor Gabriel Diniz agradeceu disponibilidade do avião ao dono da aeronave

Imagem: Caio Duran e Ali Karakas/Divulgação

Gabriel Diniz, autor do hit “Jenifer”, se envolveu em um acidente de avião hoje, em Sergipe, na região de Porto do Mato, em Estância. O músico, de 28 anos, estava a bordo de uma aeronave que caiu. A assessoria de imprensa do cantor confirmou a informação ao UOL.

O comandante Virgílio, que está cuidando do resgate, disse a TV Record que as equipes encontraram três corpos no local da queda. Infelizmente, oficialmente confirmado, um deles é o do cantor.

Gabriel Diniz havia feito um show na noite de ontem em Feira de Santana, na Bahia.

Seu primeiro álbum solo, “GD Verão”, foi lançado em novembro de 2016. No ano seguinte veio “GD”. Seu lançamento mais recente é “À Vontade”, lançado em fevereiro desse ano.

O maior sucesso do cantor é o single “Jenifer”, que dominou as paradas de sucesso das rádios e streaming. “Não sou um artista de uma música só. Já tenho uma história antes e vou mostrar que tenho uma história depois”, disse ele em entrevista ao UOL em janeiro.

UOL

American Airlines deixará de voar para Recife e Salvador a partir de maio

boeing-787-dreamliner-american-airlines-098-620x413A companhia aérea American Airlines informou que vai suspender os voos regulares que opera saindo de Recife e Salvador para Miami a partir de 4 de maio. É mais um cancelamento de rota para os Estados Unidos, que já acumula muitas baixas neste ano! E uma triste notícia para os nordestinos, que perderão uma opção cômoda e econômica para voar para os Estados Unidos, ainda que muitas vezes com aviões antigos e mal conservados.

A empresa informou ainda que vai notificar os passageiros e oferecer alternativas de acomodação dos voos que ela opera saindo de outras cidades brasileiras para os Estados Unidos. Caso o cliente não queria ser reacomodado, a American oferecerá o reembolso integral. A companhia ressaltou ainda que pretende retomar as operações entre Recife e Miami a partir de 15 de dezembro, na alta temporada. É possível que passe a ser uma rota sazonal.

Confira na íntegra a nota da empresa:

“A American Airlines, que tem orgulhosamente servido o Brasil por mais de 25 anos, informa que o serviço entre Miami e Recife será temporariamente suspenso. O último voo com origem em Miami será realizado em 4 de maio e o último voo com origem em Recife, em 5 de maio. A operação entre Miami e Recife será restabelecida em 15 de dezembro de 2016 e, entre Recife e Miami, em 16 de dezembro.

Além disso, em 4 de maio de 2016, o serviço entre Miami e Salvador será interrompido. O último voo com origem em Miami será realizado em 3 de maio e o último voo com origem em Salvador será realizado em 4 de maio.

A American Airlines avalia sua rede de voos baseando-se na oferta e demanda em cada rota, com o objetivo de garantir o sucesso a longo prazo frente a concorrência global. Os voos entre Miami e Recife e Miami e Salvador são atualmente inviáveis em consequência das condições do mercado.”

Passageiro relata os momentos de tensão dentro de avião incendiado

GOL-Incid_B737-800-PR-GXA-RadioBandNewsF-900px-750x400Poucas pessoas podem comemorar o fato de terem saído com vida de um avião incendiado para contar, em detalhes, o que acontece nesse ambiente onde, em meio a passageiros desesperados, comissários de bordo e pilotos tentam ter o controle da situação. Passageiro do Voo 1415, da Gol Linhas Aéreas – aeronave que teve a turbina incendiada nesse domingo (14) quando ainda fazia o taxiamento no Aeroporto de Brasília – o músico e diretor de vídeo Paulo Marchetti diz que a frase que sempre ouviu de um amigo nunca fez tanto sentido: “o melhor da vida é viver”.

Às 15h03, Marchetti enviou uma mensagem à irmã, que o aguardava em São Paulo. “Já estou no avião”. Seis minutos depois, às 15h09, uma nova mensagem, em tom bem mais tenso: “Pânico. Agora, controlado. Tava dando ré e alguma coisa pegou fogo”. Às 15h10, mais mensagens. “Não sabemos o que vai acontecer ainda. Cheiro de queimado no avião”.

Segundo o músico, foram necessários “mais dez ou, no máximo, 12 minutos” para que os passageiros fossem retirados da aeronave. “É tempo demais para quem viu as chamas na turbina e sabe que as asas dos aviões estão cheias de combustível”, disse.

Gritos
O incêndio, segundo Marchetti, começou quando a aeronave estava dando ré. “De repente a ruiva e algumas pessoas disseram ter sentido um grande calor vindo de fora da aeronave e se afastaram da poltrona. O cheiro de queimado ficou bem forte. Olhei pela janela e vi a chama surgindo pertinho de onde estávamos. Como o avião é vedado, ninguém viu de imediato as chamas”.

No momento em que as chamas atingiram a altura da janela e ficou mais visível, o desespero foi geral. “Minha impressão foi de que o fogo começou devagar e, de repente, aumentou. Quando apareceu do lado de fora da janela, todos se assustaram e bateu o maior desespero. Todos que estavam do lado direito começaram a gritar e a correr em direção ao corredor. Deu até para perceber que a maioria dos gritos eram femininos e que não havia palavra de ordem. Apenas frases sem sentido e gritos”.

A primeira voz em que se ouvia alguém pedindo que as pessoas se acalmassem veio de um passageiro. “A gente então notou que, ao atingir a janela, o fogo começou a ser controlado, provavelmente pela equipe de terra. Isso foi bem rápido. Deve ter durado cerca de cinco segundos, após ter atingido seu ápice”.

Controle da situação
Com a diminuição das chamas, mais pessoas começaram a reforçar os pedidos por calma. “Foi nesse momento que o comissário, de uma forma bastante nervosa, pediu a todos que se sentassem. O jeito dele falar parecia com o de um policial dando uma ordem. Sem ainda dizer se a situação estava sob controle, ele adotou uma estratégia que me parecia adequada para aquela situação: fez uso de um tom bastante agressivo, mas no sentido de ser assertivo, na busca pelo controle da situação”.

Os passageiros só foram informados de que a situação do lado de fora já estava sob controle quando o piloto se pronunciou pelo alto-falante, cerca de quatro minutos após os primeiros gritos. “Mas os passageiros nem esperaram ele terminar de falar para dizer que queriam sair do avião”, lembra Marchetti.

Segundo o músico, o procedimento de abertura da aeronave foi lento e, por sorte, ninguém pareceu ter se machucado. Ele criticou o fato de, em meio de toda aquela tensão e risco, as saídas de emergências do lado esquerdo, opostas ao incêndio, não terem sido abertas. “Demorou uns dez minutos entre percebemos o incêndio e sairmos da aeronave. Tive essa noção após checar as mensagens que enviei a minha irmã”, disse ele.

Falha técnica
Por meio de nota, a Gol informou que, durante a partida do motor da aeronave “foi identificada falha técnica no escapamento da turbina direita, danificando apenas externamente a fuselagem da aeronave próxima ao motor”. Segundo a empresa, a aeronave estava em processo de reboque para a pista, mas não chegou a iniciar o procedimento de decolagem, e que os 145 passageiros a bordo foram desembarcados “normalmente e em segurança para serem reacomodados em outros voos”.

Fonte: Agência Brasil