Turismo do RN debate desafios para a retomada das atividades

Foto: Emprotur

A equipe da Secretaria de Estadual de Turismo (Setur/RN) e Empresa Potiguar de Promoção Turística (Emprotur) estão construindo o Plano de Retomada do Turismo do Rio Grande do Norte, com apoio do trade turístico potiguar, prefeituras e associações. Reuniões periódicas estão acontecendo por videoconferência para tratar sobre as ações que estão sendo tomadas com o objetivo de mitigar os impactos da crise provocada pela pandemia, como também debater o plano de retomada do setor.

Durante os meses de abril e maio, pesquisas foram desenvolvidas em âmbito nacional e regional para que o trabalho da Setur/Emprotur fosse norteado pelos resultados. “Vivemos um momento único no mundo, o turismo precisa refletir essa realidade, por isso inicialmente investimos em pesquisas. Elas nos ajudam a entender o comportamento dos profissionais do setor e quais suas expectativas, e também nos mostra como os municípios estão sendo afetados nesse momento”, explica o presidente da Emprotur, Bruno Reis.

Encontros virtuais foram realizados com os representantes dos principais destinos turísticos do RN, assim como Natal, Pipa e SMG; Sistema Fecomércio/RN, através do Senac/RN; Sebrae/RN, Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH/RN); Sindicato das Empresas de Turismo (Sindetur/RN), Natal Convention Bureau; Associação Brasileira de Agências de Viagens do RN (ABAV/RN) e também com os representantes dos cinco polos turísticos, além das companhias aéreas que operam voos para o nosso destino, para apresentar as diretrizes iniciais do Plano de Retomada do Turismo no Rio Grande do Norte e a possibilidade de criação de protocolos sanitários para os espaços turísticos.

O Plano de Retomada do Turismo do Rio Grande do Norte, que inclui ações regionais, nacionais e internacionais e define estratégias online e offline para ativar cada público, deve começar a ser implementado no início do segundo semestre de 2020. A Secretária de Turismo, Aninha Costa, ressalta a importância da união das entidades representativas de setor, do Governo do Estado e também a iniciativa privada para o sucesso nos resultados: “Fundamental a participação de todos, estamos trabalhando de forma colaborativa desde o início desta crise. E buscando as melhores alternativas para atravessarmos esse momento tão difícil”.

Aulas à distância: professores vivenciam os desafios e aprendizados da nova forma de educar em meio à pandemia

Fotos: Divulgação

A necessidade do isolamento social, provocada pela pandemia do novo coronavírus, suspendeu as aulas presenciais, mudou a forma de ensinar e a rotina de educadores por todo o mundo. É como se a escola tivesse invadido todos os lares ao mesmo tempo. E essa “visita diária,” por meio de plataformas virtuais, criou desafios para pais, alunos e, especialmente, para os professores, que precisaram manter o laço firme com cada estudante, garantindo o aprendizado e o interesse contínuo.

“Mergulhamos de cabeça e a inserção foi abrupta. Diante disso, tive que estudar mais, investir em alguns equipamentos, apesar de já possuir um suporte grande, e, sem dúvidas, colocar em prática tudo aquilo que eu sempre acreditei”, descreveu o professor do ensino fundamental da Maple Bear Natal, Olavo Vitorino, que também é especialista em Tecnologias Educacionais pela UFRN. “Da parte da escola, contamos com um suporte diferenciado da Maple Bear Learning Comunity, uma ferramenta de ensino virtual, que propiciou muitos esclarecimentos e nos ajudou nesse processo”, destacou.

A mudança também não foi fácil para a professora Rossânia Ribeiro, que dás aulas de português, história e geografia para estudantes do quatro e do quinto ano do ensino fundamental. “Saímos da nossa zona de conforto e fomos em busca de novas ferramentas para atender ao nosso público e contribuir com a aprendizagem dos alunos de forma significativa, aproximando-se do modelo presencial o máximo possível”, disse.

A distância física das crianças é, sem dúvida, o que mais faz falta para os professores nesses quase dois meses de suspensão das aulas. “O que eu sinto falta das aulas presenciais é do contato humano. De olhar no olho, sentir carinho, passar carinho, calor humano. Por outro lado, é uma experiência importante, em que a gente consegue manter, mesmo que de forma virtual, o respeito, a vontade de aprender, o desejo de querer fazer diferente”, completou.

Os professores também são desafiados a manter uma rotina de trabalho e concentração dentro de casa, dividindo as tarefas profissionais com os deveres do lar e a atenção à família. O professor Olavo tem uma preocupação a mais. Mora com a mãe e com o irmão que fazem parte do grupo de risco para a Covid-19. “O nosso protocolo é bem rígido. Temos muito receio da condição de nossa mãe, por isso todas as demandas dela foram transferidas para mim e uma outra irmã que não mora conosco.”, explicou.

Tarefa difícil também é cuidar dos filhos. O professor Alex Alvarez tem dois: um de 13 anos e outro de 2 anos. “Tem sido bem desafiador, pois não se consegue ter um ambiente totalmente silencioso em casa. Principalmente quando se tem filhos pequenos. Mas minha família me apoia muito”, afirmou.

Para os educadores, todas as mudanças trouxeram lições que serão levadas adiante. “A grande lição que tiro disso tudo é a de que temos que ter nos colocar mais no lugar uns dos outros, buscar empatia e compartilhar atitudes positivas. Como educador, eu sinto que temos que ser um exemplo de firmeza sem perder a ternura, sem perder a nossa essência”, apontou o professor Olavo Vitorino. “Não tem sido fácil porque é um turbilhão de sentimentos, mas, para mim, é muito importante estar nessa missão”, encerrou a professora Rossânia Ribeiro.

Desafios do combate à LGBTFOBIA serão debatidos em audiência na ALRN

Foto: Eduardo Maia

Numa iniciativa do deputado Sandro Pimentel (PSOL), a Assembleia Legislativa vai promover audiência pública nesta quarta-feira (25), com o tema “Os desafios do combate à LGBTFOBIA”. O debate irá acontecer no auditório Cortez Pereira, a partir das 14h30 e vai reunir representantes dos órgãos e entidades relacionados ao tema.

“Queremos jogar luz nas estratégias de enfrentamento dos crimes de orientação LGBTfóbica e discutir como, institucionalmente, essa violência apresenta-se dentro das estruturas públicas de poder”, defende o deputado. O parlamentar apresentou dados revelando que, somente no ano passado, o Grupo Gay da Bahia registrou 15 mortes relacionadas com a orientação sexual e/ou a identidade de gênero no RN.

A nível nacional, as estatísticas são ainda mais alarmantes: a cada 20 horas, um LGBT é barbaramente assassinado ou se suicida, vítima da LGBTfobia, o que confirma o Brasil como campeão mundial de crimes relacionados às minorias sexuais. “Existe uma perspectiva da LGBTfobia pouco debatida, a que acontece dentro do aparato do estado. É o caso da negação de atendimento policial para vítimas de violência lgbtfóbica e da negação de que pessoas trans e/ou homossexuais possam doar sangue, por exemplo”, esclarece o deputado.

Outro ponto do debate será a necessidade de regulamentação da lei 9036/2007, que dispõe sobre penalidades a serem aplicadas à prática de discriminação em razão da orientação sexual. Também será apresentado projeto de lei de autoria do parlamentar, em tramitação na Casa, que dispõe sobre a obrigatoriedade de fixação de cartazes em órgãos públicos e privados, informando que a Lei Estadual n° 9036/2007 proíbe e pune atos de discriminação em virtude de orientação sexual e identidade de gênero.

ALRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ivan disse:

    O estado se acabando em problemas de segurança, fiscais e econômicos,e os deputados vão discutir o quê????? Porra!!! Por essas e outras que esse estado chegou onde está!!!!

Desafios dos Conselhos Tutelares serão debatidos na Câmara Municipal de Parnamirim

Nesta sexta-feira(13), às 9h, uma audiência pública discutirá os desafios e atribuições dos Conselhos Tutelares do município de Paarnamirim. A ação, de iniciativa da vereadora Ana Michele(PT), ocorrerá no plenário da Câmara Municipal e deverá reunir demais parlamentares, conselheiros tutelares, representantes da Vara da Infância e Juventude e instituições que atuam em defesa da criança e do adolescente.

A audiência deverá abordar questões como a estruturação dos Conselhos Tutelares, demandas e limites da atuação dos profissionais, visitas externas, além da interação com a rede assistencial e as denúncias recebidas.

“A Casa Legislativa, mais uma vez, abre espaço para debater junto à sociedade um instrumento de extrema relevância, que é o Conselho Tutelar – um órgão que desenvolve um papel importantíssimo com a comunidade, devido ao seu acesso a situações de violações e negligência. Vamos discutir suas principais demandas junto aos profissionais e se faz necessário a presença da população para que a mesma tome conhecimento”, convoca a vereadora Ana Michele.

Presidente da OAB Nacional, Felipe Santa Cruz, vem a Natal falar dos desafios da advocacia nesta terça

Foto: via Justiça Potiguar

Como parte da programação do Mês da Advocacia, a Caixa de Assistência dos Advogados do Rio Grande do Norte vai promover na próxima terça-feira (27), às 19 horas, uma sessão especial para celebrar o seu aniversário de 70 anos. A Seccional Potiguar da Ordem dos Advogados do Brasil apoia o evento, que será realizado no plenário da sua sede e terá a presença do presidente nacional da OAB, Felipe Santa Cruz.

Além da anfitriã, Monalissa Dantas, presidente da CAARN,  e Diretoria da Caixa de Assistência; e do presidente da OAB/RN, Aldo Medeiros, e Diretoria da Seccional Potiguar, a cerimônia contará com a presença do secretário-geral do Conselho Federal da OAB, José Alberto Simonetti; presidente do FIDA, Felipe Sarmento Cordeiro, e dos conselheiros federais, Canindé Maia e Ana Beatriz Presgrave.

Confira matéria completa no portal Justiça Potiguar clicando aqui. 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antonio Barbosa Santos disse:

    Considerando a quantidade de advogados norte riograndenses presos ou respondendo a processos penais, parece que o desafio é grande mesmo.

  2. Fernando disse:

    Cuidado com bolsustra.

  3. # vergonha nacional disse:

    Se ferrou ..foi se meter a valentão com o BOLSONARO, perdeu os contratos falcatruas com a Petrobras , telhado de vidro e bancando o machão

  4. # vergonha nacional disse:

    Vem explicar como conseguiu contratos milionários com a Petrobras e uma verba de R$ 700.000,00 para uma filha de 13 anos fazer uma peça que ninguém viu ??? Esse cidadão quer enganar quem ?? Quero ver um VALENTÃO DESSE DA OAB QUESTIONAR OS 60 dias de férias dos magistrados??? Tudo pau mandado dos juízes

Presidentes de ABC e América topam desafios e vão para o confronto

O presidente do ABC, Rubens Guilherme, aceitou o desafio lançado pelo presidente do América, Alex Padang  desafiou o Presidente do ABC dizendo que o América fecharia 2012 com mais sócios do que o ABC. Em nota divulgada pela assessoria do clube, Rubens Guilherme aproveitou para lançar outro desafio para o seu torcedor.

“Esta semana, o presidente de nosso principal rival nos propôs um desafio público a ser vencido pelo clube que chegar ao fim do ano com o maior número de sócios adimplentes. Confiando na maior torcida do RN, nós aceitamos esse e ainda propomos outro desafio, a ser vencido pelo clube que terminar 2012 em melhor posição no ranking da Timemania.

Alvinegros, esses desafios são para todos nós que amamos o ABC FC”

A convocação foi assinada pelo presidente alvinegro.

Na acumulado geral do ano, o ABC segue levando a melhor na disputa da Timemania. Confira o ranking de momento:

FLAMENGO RJ 2.725.418 5,72%
CORINTHIANS SP 2.336.427 4,90%
SAO PAULO SP 1.783.682 3,74%
SANTOS SP 1.773.219 3,72%
PALMEIRAS SP 1.594.880 3,35%
GREMIO RS 1.567.260 3,29%
VASCO DA GAMA RJ 1.508.638 3,17%
INTERNACIONAL RS 1.455.891 3,06%
BOTAFOGO RJ 1.285.324 2,70%
10º FLUMINENSE RJ 1.253.794 2,63%
11º CRUZEIRO MG 1.147.434 2,41%
12º ATLETICO MG 1.015.360 2,13%
13º BAHIA BA 1.014.164 2,13%
14º FORTALEZA CE 866.380 1,82%
15º VITORIA BA 684.352 1,44%
16º GOIAS GO 683.623 1,43%
17º CORITIBA PR 657.984 1,38%
18º CEARA CE 649.708 1,36%
19º ABC RN 636.498 1,34%
20º AMERICA RN 593.617 1,25%

Reportagem mostra saída para melhorias do trânsito em Natal, que não tem grandes obras há 10 anos

Há pelo menos 10 anos Natal não recebe obras de mobilidade urbana de grande envergadura. Paralelo a isso, a cada mês 2,5 mil novos veículos são registrados em Natal, ou seja, 30 mil carros por ano começam a circular no sistema viário da capital potiguar. O resultado é o que se vê nas ruas da capital potiguar: trânsito complicado e congestionamentos cada vez maiores.

 Para tentar minimizar os problemas enquanto as obras de mobilidade urbana previstas para a cidade não chegam, a saída tem sido o investimento em pequenas intervenções, como instalação de rotatórias, implantação de sinalização e reorganização de vias. “Ninguém espera revolucionar o trânsito de Natal ou acabar com os engarrafamentos da cidade com essas pequenas intervenções. São medidas paliativas com prazos de validade estipulados, mas que ajudam muito na fluidez do trânsito”, diz o secretário de mobilidade urbana de Natal, Márcio Sá. Ajudar ajuda, mas não resolve.

O trânsito de Natal tem sido motivo deestresse e reclamação de muitos motoristas. Mas, para quem acha que está ruim, é bom saber que a situação pode piorar, e muito. O doutor em engenharia de transporte, Enilson Santos, defende que Natal ainda não vive um caos no trânsito, mas está seguramente caminhando em direção a ele. “Eu diria que caótico, academicamente e tecnicamente falando, não é um adjetivo que eu possa usar hoje para definir o trânsito de Natal.

O que a gente poderia chamar de trânsito caótico é aquele que gera congestionamento em qualquer lugar, a qualquer hora de qualquer dia. Porque o estabelecimento do caos se dá quando não se precisa de nada para que exista um congestionamento. Eu diria que a gente está em um trânsito que revela uma tendência rápida ao congestionamento sistêmico, que já apresenta sinais preocupantes de congestionamentos em alguns momentos, mas são todos estatisticamente previsíveis. Mais do que previsível, é para mim uma certeza estatística que vai haver congestionamento às 18h na Salgado Filho”.

Enilson defende aideia de que é possível fazer muito com pouco dinheiro e por causa disso já conquistou a fama de “defensor dos projetos pobres”.

“Natal tem uma experiência, da década de 90, que não foi tão pequena, em que o Detran, com uma equipe muito pequena, projetou varias intervenções de pequeno porte que deram uma folga durante muito tempo para o trânsito de Natal. Eu cito duas que podem ser consideradas geniais: o alargamento da boca da Mor Gouveia quando chega na Prudente de Morais, que foi um investimento mínimo e permitiu uma maior fluidez naquela região; e a conexão com possibilidade de tráfego entre a Romualdo Galvão e a Hermes da Fonseca, na altura da Praça Augusto Leite. Isso desafogou o tráfego na Hermes porque a Romualdo passou a ser uma opção. Essas intervenções do Detran, dos vindos de 1995, foram muito significativas para mostrar que é possível fazer muito com pouco dinheiro”, aponta o especialista.

Um exemplo mais recente de pequena intervenção aplicado em Natal e com resultados positivos foi a implantação do projeto Via Livre na Avenida Romualdo Galvão. A medida fez com que o tráfego na via passasse de 4 mil veículos por dia para 10 mil, e a velocidade média no local passasse de 27 km/h para 40 km/h. A fluidez da Romualdo Galvão ajudou a desafogar um pouco o trânsito nas Avenidas Prudente de Morais e Salgado Filho.

Males para o bem

Recentemente a secretaria de Mobilidade Urbana fechou alguns retornos em avenidas bastante movimentadas de Natal, como a Amintas Barros, Antonio Basílio e Bernardo Vieira. A princípio, as reclamações vieram de todos os lados, mas, alguns meses depois da mudança a população já elogia a iniciativa.

“Eu confesso que não gostei quando fecharam esse retorno da Bernardo Vieira [em frente ao IFRN] porque agora a gente tem que ir lá embaixo para retornar, mas, hoje, eu vejo que a situação do trânsito melhorou muito nesse ponto. Antes, tinha congestionamento aqui por causa do retorno, hoje não tem mais”, disse o empresário Jonas Souza de Araújo, 39. “Toda mudança que se faz no trânsito traz críticas, é inevitável, porque por mais que a maioria seja beneficiada com a mudança sempre terá alguém que será prejudicado, e esse vai reclamar”, disse o secretário de Mobilidade Urbana, Márcio Sá.

Apesar disso, ele diz que várias intervenções realizadas recentemente em Natal foram aprovadas pela população e ajudaram a resolver alguns problemas pontuais. “Na Alexandrino de Alencar com a Rui Barbosa nós sinalizamos a rotatória e reorganizamos o trânsito, hoje os congestionamentos ali são bem menores. Essa foi uma solução que se gastou muito pouco e resolveu o problema, mas, claro, gerou reclamações no início”, disse. Ele cita ainda a instalação de uma rotatória na Avenida Floriano Peixoto, próximo ao Palácio dos Esportes, que diminuiu consideravelmente o número de acidentes no local.

Fonte: O Poti