Mourão diz que não se pode “debitar” a Bolsonaro desempenho de candidatos apoiados nas eleições municipais, e que presidente está sem partido

Foto: Reprodução

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta segunda-feira (16) que não se pode “debitar” os resultados das eleições municipais ao presidente Jair Bolsonaro. Mourão argumentou que Bolsonaro está sem partido e “não entrou de cabeça” na campanha.

De 13 candidatos a prefeito apoiados por Bolsonaro, nove não se elegeram, dois venceram no primeiro turno e dois foram para o segundo turno (veja resultados mais abaixo). Apesar de Mourão ter dito que o presidente não se envolvido nas eleições, na reta final da campanha Bolsonaro fez lives no Palácio Alvorada para pedir votos aos seus candidatos a prefeito e vereador.

Dos 45 candidatos a vereador apoiados pelo presidente, em 27 cidades, 10 se elegeram, 31 viraram suplentes e 4 não se elegeram.

Mourão ainda declarou, em entrevista na chegada ao Palácio do Planalto, que os partidos de “centro tradicionais foram os grandes vencedores” do primeiro turno das eleições.

“Não pode se debitar nada em relação ao presidente Bolsonaro porque ele não entrou de cabeça nessa eleição. Ele apoiou alguns candidatos aí, muito pouco, mas não tinha, você sabe que o presidente está sem partido, então, sem uma estrutura partidária fica difícil você participar de uma eleição”, disse Mourão.

O vice-presidente também afirmou que, na opinião dele, a eleição municipal mostrou que a maioria dos eleitores optou pelos políticos tradicionais.

“O que eu vi também são políticos mais tradicionais, mais conhecidos, os que foram aí eleitos já no primeiro turno em grandes cidades, e aqueles que estão competindo pelo segundo turno. Isso é uma realidade, não dá para fugir disso aí”, declarou.

Não eleitos

Em São Paulo (SP), o candidato apoiado por Bolsonaro era Celso Russomano (Republicanos), que ficou de fora do segundo turno, que será disputado pelo atual prefeito Bruno Covas (PSDB) e Guilherme Boulos (PSOL).

Em Belo Horizonte (MG), o candidato Bruno Engler (PRTB), apoiado por Bolsonaro, foi derrotado pelo prefeito Alexandre Kalil, reeleito no primeiro turno.

No Recife (PE), a delegada Patrícia (PODE), apoiada por Bolsonaro, ficou em quarto lugar na disputa, que vai para o segundo turno. João Campos (PSB) e Marília Arraes (PT) disputam o cargo.

Em Manaus (AM), o Coronel Menezes (Patriotas) ficou fora do segundo. A disputa será entre Amazonino Mendes (Pode) e David Almeida (Avante).

Em Sobral (CE), o candidato do Bolsonaro perdeu. Foi eleito Ivo Gomes (PDT), com 59,23% dos votos, enquanto Oscar Rodrigues (MDB) ficou com 40,77%.

Em Cabo Frio (RJ), com 100% das urnas apuradas o candidato doutor Serginho recebeu 33,7% dos votos, ficando em segundo lugar na disputa.

Em Cabedelo (PB), a candidata à prefeitura Morgana Macena recebeu 12,2% dos votos com 100% das urnas apuradas.

Eleitos

Entre os candidatos às prefeituras apoiados por Bolsonaro, dois se elegeram.

Gustavo Nunes (PSL) venceu a disputa pela prefeitura de Ipatinga (MG) neste domingo. Com 100% das urnas apuradas, ele contava com 40,90% dos votos.

Em Parnaíba (PI), outro candidato apoiado por Bolsonaro também foi eleito. Mão Santa (DEM) venceu com 68,34% dos votos após 100% das urnas apuradas.

Segundo turno

Marcelo Crivella (Republicanos), atual prefeito do Rio de Janeiro e apoiado por Bolsonaro, vai disputar o segundo turno com Eduardo Paes (DEM). Crivella teve 21,90% dos votos com 99,99% das urnas apuradas.

Em Fortaleza (CE), o candidato apoiado por Bolsonaro, o capitão Wagner (PROS), foi para o segundo turno com Sarto (PDT). Wagner teve 33,32% dos votos e Sarto, 35,72%.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcos Benício disse:

    É, gente. Não vamos debitar a Bolsonaro a derrota de quem ele apoiou nessas eleições, nas eleições dos Estados Unidos e nem na eleição da Argentina! Kkkkkkkkk…
    Esse presidente é muito pé frio! 🤭🤭

  2. Luiz disse:

    O mito ganhou em 2018 por muito pouco, mais alguns dias Haddad teria sido vitorioso. O PT estava no auge do envolvimento com a lava jato. Pessoas como eu queriam tirar o PT do poder e lhes dar uma punição pela roubalheira perpetrada, mesmo as custas de eleger um doido. Podia até ser que o doido desse certo, porém se revelou um fracasso. Em 2022, ao que tudo indica, o Mister Cloroquina vai tomar Doril e o país volta ao normal.

    • Maria disse:

      O normal que vc fala é a roubalheira ?
      Gostou de ter sido assaltado por 16 anos?

  3. aof disse:

    Não se preocupe com isso, Gen Mourão. É a onda do momento: dizer que o Presidente foi o grande perdedor das eleições. Não olham para o desempenho pífio do PT, ou melhor, olham mas fingem que não vêem. Até Boulos está reticente em receber apoio de Lula no segundo turno de SP. Mas a mídia fanática não se toca. Felizmente a internet oferece várias opções diferentes. Isso é democracia!

  4. Ivan disse:

    A eleição foi de prefeitos/vereadores, o PT perdeu em tudo q é capital, mas, segundo a globonews, o grande derrotado foi BOLSONARO????? Çey….

  5. LUIZ BARBOSA disse:

    Os candidatos de Bolsonaro se lascaram em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Recife (acabou o que interessa no Brasil em termos eleitorais).

  6. Mané da Foice disse:

    Então não interessa se o PT perdeu 133 prefeituras e houve a diminuição de vereadores do partido em todas as regiões.
    Não interessa se a esquerda vem perdendo representatividade política a cada eleição.
    Uma lição ficou evidenciada, a esquerda vai sempre votar em seus corruptos prediletos

  7. Val do Açai disse:

    É o Mike jagger?

  8. PAULO disse:

    Como levou péia em quase todo o Brasil, o discurso é o de que Bolsonaro não participou, se tivesse vencido tudo, aí era "O Mito é demais", "Fechado com o Mito". Resumindo é isso…

  9. Chicó. disse:

    Mourao não cansa de falar merda, encobrir safadesa, inclusive dos filhos do Bozo que segundo ele "é um menino bom, o Flávio". Só leva na lata e n cria vergonha. General sem vergonha.

  10. Tom França disse:

    O grande perdedor mesmo foi o "nanico" pt, que não ganhou em nenhuma capital e apenas foi para o 2º turno, em duas delas!

  11. BurroMinion disse:

    "não se pode “debitar” os resultados das eleições municipais ao presidente Jair Bolsonaro".
    -PODE SIM…O DISCURSO DE ÓDIO DELE PERDEU!
    Mourão argumentou que Bolsonaro está sem partido e “não entrou de cabeça” na campanha.
    -SORTE DOS CANDIDATOS QUE APOIOU, SE TIVESSE ENTRADO, OS 9 (de 58) TINHAM PERDIDO TAMBÉM…
    Chola mais, chola mais…kkkkkkkkkkkkkkkkk

  12. Théo disse:

    Deixa de mimimi, Mourão. Ele entrou sim de cabeça. Porém foi O Grande Perdedor.

    • Braulio Pinto disse:

      Não entrou de cabeça porque não tem cabeça pra entrar e vencer, tem demonstrado diariamente.

    • pulgaman disse:

      Isso é falácia da esquerdamidia, querendo enfraquecê-lo ante a corrida de 2022. Não colo kkkk
      #bolsoringa2022

      Ele disse desde o inicio que não iria fazer palanque pra ninguém diretamente e isso o fez. Deixem de mimimi 2022 é logo ali kk

    • Zé ruela disse:

      Mito 2022

    • Paulo Eduardo disse:

      Ele claro que Bolsoringa não entrou na campanha por quase ninguém. Não subiu em palanque e nem gravou programa pedindo voto (com exceção de alguns vereadores), mas cada um acredita no que bem lhe aprouver, tem gente que acha que homem pode ser mulher e vice-versa, quanto mais ter cegueira ideológica.

Barroso veta biometria nas eleições municipais em função da pandemia do coronavírus

Em função da pandemia do novo coronavírus, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, decidiu excluir a necessidade de identificação biométrica na eleição municipal deste ano.

A decisão de Barroso ainda precisa ser analisada pelos demais ministros do tribunal. Neste ano, 119,7 milhões de eleitores estariam aptos a votar pelo sistema de biometria.

A exclusão do procedimento segue recomendação apresentada pelos infectologistas que prestam consultoria sanitária para a realização pleito e considera dois fatores:

a identificação pela digital pode aumentar as possibilidades de infecção, já que o leitor não pode ser higienizado com frequência;

o aumento de aglomerações, uma vez que a votação com biometria é mais demorada do que a votação com assinatura no caderno de votações. Muitos eleitores têm dificuldade com a leitura das digitais, o que aumenta o risco de formar filas.

A questão deverá ser incluída nas resoluções das Eleições 2020 e deve ser levada para análise pelo plenário do TSE após o recesso do Judiciário.

Foram ouvidos pelo TSE os médicos David Uip, do Hospital Sírio Libanês; Marília Santini, da Fundação Fiocruz; e Luís Fernando Aranha Camargo, do Hospital Albert Einstein, que integram o grupo que presta a consultoria.

Os médicos participam de uma consultoria sanitária, prestada de forma gratuita, e que busca criar um protocolo de segurança a ser replicado em todas as seções eleitorais do Brasil.

O grupo deve se reunir semanalmente para definir as regras e a cartilha de cuidados. O objetivo é elaborar uma recomendação sanitária com várias frentes:

eleitores (com regras diferenciadas para os que têm necessidades especiais);

mesários;

fiscais de partido;

higienização do espaço físico das seções;

policiais militares e agentes de segurança; movimentação interna de servidores e colaboradores no TSE e Tribunais Regionais Eleitorais (TREs);

populações indígenas/locais de difícil acesso;

população carcerária.

O adiamento das eleições de outubro para novembro, aprovado pelo Congresso Nacional, foi defendido pelo TSE para atender as recomendações médicas e sanitárias de que postergar o pleito por algumas semanas seria mais seguro para eleitores e mesários.

Conforme a emenda constitucional, o primeiro turno será no dia 15 de novembro, e o segundo turno no dia 29 de novembro.

Em reunião nesta terça-feira (14), os três médicos afirmaram ter a avaliação de que em novembro a situação da pandemia estará em condição bastante inferior à registrada atualmente.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Eu disse:

    Negócio sem lógica. Sendo assim, então como fica a digitação dos números na urna? Vai ser com o cotovelo? Putz…

Sem Aliança, Bolsonaro diz que não pretende participar do 1º turno das eleições de 2020, com exceção para “um amigo ou outro” candidato a vereador


Foto: Pablo Jacob/Agência O Globo

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira que pretende não participar do primeiro turno da campanha para nenhuma candidatura nas eleições municipais deste ano, com exceção para “um amigo ou outro” que vier a ser candidato a vereador.

Na chegada ao Palácio da Alvorada, no fim da tarde, ele foi instado a comentar a previsão de que o Aliança pelo Brasil, partido em criação, não será registrado a tempo do pleito de 2020, como admitiu o senador Flávio Bolsonaro (RJ), vice-presidente da sigla. Na sequência, comentou o o fato de o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ter identificado a assinatura de sete pessoas que já morreram nas fichas de apoiamento para o Aliança.

— Pelo que tudo indica, não dá tempo de sair. A questão de mortos, a manchete, acho que foi do Estado de São Paulo, “Aliança tem…”. São sete mortes. Um, o cara lá assinou a ficha e, na semana seguinte, teve uma acidente de motocicleta. Morreu. Os outros meia dúzia… Só sete, né? De não seis quantos mil, 50 mil. Sete apenas. Era CPF errado, a numeração errada, só isso aí — declarou.

Em seguida, o presidente foi questionado como vai se portar com relação às eleições municipais, diante da ausência do seu partido.

— Pretendo não participar no primeiro turno de qualquer candidatura entre os quase 6 mil municípios do Brasil. No tocante a vereador, eu tenho um amigo ou outro por aí, vou dar uma força para eles nisso aí —declarou.

Mato Grosso

Bolsonaro então comentou que pretende, no entanto, participar da eleição suplementar para o Senado em Mato Grosso — a senadora Juíza Selma (Podemos-MT) foi cassada pelo TSE. O pleito foi marcado para o dia 26 de abril, mas é alvo de disputa judicial. Indagado sobre quem seria apoiado por ele, o presidente disse que não poderia revelar o nome por questões legais.

— Eu não posso falar o nome agora, porque seria propaganda antecipada. Mas como hoje é dia da mulher: será uma mulher.

EXTRA/Agência O GLOBO

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ferreira disse:

    O ANEL FOI UM FRACASSO!
    NÃO ADIANTOU NEM USAR OS EVANGÉLICOS E DEMAIS MILICIANOS…
    O FAKE COMEU NO CENTRO BOTANDO ATÉ GENTE MORTA NA LISTA.
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    MMMMUuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu

    • Sandra disse:

      Quem foi que disse isso a vc????
      Ķkkkkkkk
      Ôôô cabecinha ôca.
      Pastel de vento.

Câmara desiste de reforma política para eleições municipais

Foto: Reprodução

O portal Justiça Potiguar reproduz reportagem de O Globo em que destaca que em reunião com Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara dos Deputados, líderes partidários concordaram em adiar as propostas de reforma política para 2022. Para valer nas próximas eleições municipais, seria preciso aprovar um projeto na Câmara e no Senado e sancioná-lo antes de outubro. Líderes consideraram o prazo inviável. Veja detalhes aqui.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jandira disse:

    Fez reforma previdenciária para lascar o povo mas se recusa a fazer reforma política, esta que iria tirar os políticos podres do poder, inclusive o próprio….. Será que ainda tem político que se valha a pena receber nosso voto?

  2. João Maria Parreira de Alcantara disse:

    Correu e aprovou a LEI CONTRA ABUSO DE AUTORIDADE, mas ENGAVETOU as 10 MEDIDAS CONTRA A CORRUPÇÃO desde 2018. Poderia explicar nobre deputado? Pode esclarecer qual país você quer ver funcionando?

Rui Falcão prevê dificuldade para PT nas eleições municipais

CSQ17HbWUAE3fE5Foto: Michel Filho / 27-10-2014 / Arquivo O Globo

Em texto dirigido à militância, o presidente do PT, Rui Falcão, previu, nesta segunda-feira, que as eleições municipais do ano que vem serão uma disputa difícil, porque a crise econômica tende a repercutir negativamente na campanha. Ele aproveitou para defender, mais uma vez, mudanças na política econômica.

“É fato, porém, que vamos enfrentar uma disputa difícil. Não só pela campanha de intolerância e ódio contra o partido, mas também porque as dificuldades econômicas (que esperamos superar com o fim do ajuste e mudanças na atual política) tendem a repercutir negativamente nas eleições”, diz trecho do texto.

Com o partido desgastado pelo escândalo de corrupção na Petrobras e com o governo enfrentando uma crise de popularidade, Falcão afirmou que a campanha do ano que vem terá que ser pautada, “obrigatoriamente”, pela defesa do PT e dos governos Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva.

O presidente do PT aproveitou para tentar injetar ânimo na militância. “Desde já, é preciso que a militância afaste o clima de pessimismo que muita gente procura incutir em nossas cabeças. Não é verdade que o PT vai ser varrido do mapa, ou que vamos sofrer uma derrota avassaladora. Só quem perde antecipadamente é quem se recusa a lutar – e esta não é a tradição petista.”

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Falando Sério disse:

    Também o Partido esta mais sujo que pau de galinheiro.