Diversos

ARTIGO: Obrigado, Laurentino Gomes, por Marcus Aragão

Primeiro li que o Magazine Luiza fez concurso para o cargo de trainee exclusivamente para negros. Depois, essa ação foi seguida pela Vivo, Bayer e Diageo. Pode ser coincidência mas penso que existe uma ligação com o livro “Escravidão”do Laurentino Gomes — Escritor genial, autor de best sellers como 1808, 1822 e 1889 — todos sobre a história do Brasil. Lançado ano passado, Escravidão é o mais completo relato sobre o tráfico de humanos do planeta. Uma imensa riqueza de detalhes que explica como aconteceu esse holocausto onde morreram milhares de negros. Este livro do Laurentino vai ajudar a libertar os brasileiros do racismo.

Aviso aos haters de plantão que não me venham com mimimi dizendo que isso é discriminação. Não podemos esquecer as injustiças. Aproveito para lembrar a carta que fiz para George Floyd – morto há 5 meses por asfixia. Principalmente depois que soube que o algoz dele foi solto essa semana — após pagar uma fiança de 1 milhão de dólares. Releia a carta, George.

Uma carta para George Floyd.

Cada vez que vejo a gravação, sufoco um pouco contigo. Certamente essa não foi a única fez que te sufocaram – foi apenas a última. É fácil deduzir o bullying na vizinhança, a discriminação na escola, no mercado de trabalho e nas ruas.

“ Please, I can’t breath ”

Imagino sua solidão. Se despedindo da vida sozinho com a cara no asfalto. George, saiba que você não estava só. Cada vez que o video é reproduzido uma multidão de pessoas se junta a você naquele momento – Não podemos mudar o que aconteceu mas vamos mudar o futuro. Sua asfixia agora é inspiração. O mundo inteiro está tentando tirar os joelhos de cima do pescoço de uma raça.

“ Please, bro… I can’t breath ”

No Brasil, também existe racismo mas nem todos sabem disso ou não querem nem saber.
Fomos o país que mais traficou escravos no mundo e, ainda, a última nação do ocidente a abolir a escravidão – e só o fez por pressão da Inglaterra que ameaçou bombardear nosso litoral.

“ Pleeeeeaseee…”

Defender essa causa não é jogar preto contra branco. As oportunidades não são iguais. Quantos presidentes de empresas são negros? Quantos clientes de marcas famosas são negros? Quantos senadores são negros? A exceção não faz a regra. Se você acha que as oportunidades são iguais deve ser porque os negros são burros e quase nunca conseguem, certo? Claro que não! Apenas largaram muito atrás nessa corrida desigual. A humanidade tem essa dívida. Se tem gente que não gosta de pagar o que deve, paciência. Tem muitos que gostam e se importam em fazer justiça.

“ Oh, man… don’t kill me…”

As narrativas que escondem preconceitos são infinitas. Tem uma que diz que os Africanos mesmo escravizavam sua gente. E daí? Quer dizer que se um estuprador violentar a própria filha, qualquer um poderá fazer o mesmo com ela?

“ Pleeea…”

O mundo não será o mesmo depois de você, George. Descanse em paz. Agora, todos devemos lutar pacificamente por você. Peço que cuide do anjo Miguel – uma criança que caiu do nono andar em Recife porque ninguém estava olhando. Infelizmente, ninguém tem olhos para os negros – A sociedade é cega e surda para as desigualdades mas nunca mais vamos deixar de ouvir tua voz!

Marcus Aragão
Publicitário
Instagram: @aragao01

Opinião dos leitores

  1. Como sempre muito besteirol, agora histórico. A abolição da escravidão foi uma conquista de toda sociedade brasileira, desde a família imperial a intelectuais, empresários, políticos e cidadãos comuns. Atribuir isso a "ameaça britânica" é de uma infantilidade absurda.

    1. A Família Imperial "migrou" para o Brasil a fim de sobreviver à perseguição da França, na figura de Napoleão Bonaparte, que competia com a Inglaterra na área comercial. Ao chegar ao Brasil, D João VI declarou a Abertura dos Portos às Nações Amigas, beneficiando inclusive a Inglaterra. Mesmo passados muitos anos entre a vinda da Família Real e a Abolição da Escravatura, acho muito difícil que a Inglaterra tenha ameaçado o Brasil militarmente. Se alguém acredita nisso, precisa encontrar o documento pertinente e apresentá-lo. Falar é fácil, queremos ver provar!

  2. Marcus Aragão , a exemplo de outros leitores, eu também fico na expectativa de ler os seus artigos na sexta-feira . Isto porque os temas abordados , com raras exceções, suscitam muitos questionamentos.
    No tema de hoje eu corroboro com o autor que você se refere quando ele cita o "abismo de oportunidades"entre os brancos e os negros, pretos e pardos. Durante o censo populacional o respeitável IBGE permite que cada cidadão autodeclare a sua cor. E tem me chamado a atenção, principalmente, com a implantação de cotas destinadas aos negros as autodeclaracões de candidatos em concursos e , atualmente, até mesmo de candidatos aos cargos políticos. Onde se constata, claramente, o velho jeitinho brasileiro de querer tirar vantagem em tudo.

  3. O preconceito é sócio-econômico,é de classes,é de regiões,de estados,de cidades,de bairros,de escolas e faculdades que são frequentadas,é de estilo de música ouvida,de literatura que se escolhe,de ideologia,das festas que escolhemos pra nos divertir,do bandido que se escolhe pra idolatrar,do sotaque do interlocutor,das viagens e dos lugares que se escolhe a visitar,do padre da paróquia ou do pastor da igreja que se escolhe pra ‘congregar’,duvido de um sogro ou sogra satisfeito com um genro Neymar ou Tiaguinho pobre,ou uma Anita empregada doméstica. Pura hipocrisia. O preconceito é social,prá não dizer,pessoal.

  4. Certo! Agora, o cálculo da dívida foi feito e qual o valor? Seria ela eterna ? A única incógnita, dessa função, seria só a cor ou tem outras q denotam outras curvas.

  5. Texto extremamente inteligente e importante. Mais que importante, URGENTE! De nada adianta ter passado 300, 3000 ou 3000000 anos que a escravidão foi abolida, se os negros continuam nao tendo acesso as oportunidade de forma igualitária. Se os negros continuam morrendo pela sua cor… Sugiro a quem não conseguiu compreender o texto, ler o livro indicado nele. Ler artistas negros. Ouvir vozes negras. Assim, talvez, voces consigam entender o que atinge os outros e não desvalorizar uma luta so porque ela nao te atinge.

  6. Quanta besteira. Já se passaram quantos anos da escravidão? 200, 300? Parece que estamos vivendo em pleno regime segundo esse povo sem noção. Gente acorda! Isso é pura hipocrisia, negros, patdos, brancos, somos todos brasileiros e vivemos sobre o mesmo regime imposto pela nossa carta magna. O que eu tenho de culpa pelo que foi feito pelos nossos irmãos negros? Quantas gerações já se passaram depois da escravidão? Ora, ora, parem com isso! As pessoas sabem que essa defesa, dá ibope e holofote, me poupem.

  7. Mi mi mi é ficar puxando esse assunto de escravidão o tempo todo. Foi ruim? Foi. Horrível. Mas não tem por que ficar o tempo todo puxando este assunto despertando e estimulando ódios.

    1. Então vamos tocar fogo também nos museus, né ruminante?

    2. Boi da cara verde e amarela!
      Parece que vc não consegue ler as opiniões contrárias às suas e ter respeito pelas pessoas que emitem suas idéias. Ninguém é dono da verdade, apenas Deus!
      Lamentável!
      Sugiro que leia livros e artigos de boas maneiras, inclusive fazendo um curso de educação.

    3. BG vc vc deveria colocar a função de curtir comentários… o comentário do Boi Da Cara Verde & Amarela foi perfeito ??????. O Brasil que temos hj foi construído com o sangue dos negros, índios e nordestinos. Essa dívida é histórica… e pode passar dias, meses e anos que ela nunca será quitada.

  8. Muito bem. MImimi é tentar prolongar o racismo velado que sempre houve em nosso país. Tem mais é que contratar negros mesmo.
    Obs: sou branco e a favor das cotas.

    1. É só não ler gado. Experimente ler um livro.

    2. Qualquer livro é melhor que uma besteira dessas, até a biografia do Lula…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Igreja Universal é condenada a indenizar ex-pastor obrigado a ficar estéril para “provar a fé”

Foto: Divulgação

A Décima Primeira Câmara do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (Campinas/SP) condenou a Igreja Universal do Reino de Deus a pagar R$ 5 mil de indenização por danos morais a um ex-pastor demitido e que não recebeu as verbas rescisórias. O ex-pastor também afirmou nos autos que foi obrigado a se submeter a vasectomia “para professar a fé cristã”.

O ex-pastor atuou na igreja de primeiro de outubro de 2006 a 29 de novembro de 2008, quando foi dispensado sem justa causa. A igreja, que negou o vínculo empregatício, tinha sido condenada pelo juízo da Vara do Trabalho de Itanhaém a pagar ao ex-pastor as verbas rescisórias, depois que se confirmou que ele cumpria jornada de trabalho de segunda a sexta-feira, das 7h às 23h, e, aos domingos e feriados, quando realizava reuniões das 7h às 20h, sempre com uma hora de intervalo.

Leia matéria completa aqui no Justiça Potiguar.

Opinião dos leitores

    1. O que é que Bozo tem haver com a universal? Não fala besteiras.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Governo do Estado é obrigado a pagar salários atrasados com juros e correção depois de ação do SINSP

O Governo do Estado foi intimado pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte a acrescentar correção monetária e pagamento de juros aos salários dos servidores públicos efetuados com atraso, ou seja, depois do último dia de cada mês, conforme obriga a Constituição.

Essa vitória foi garantida através da ação do SINSP em mandado de segurança de número 2016-010970-9. Caso o governo descumpra a determinação judicial, a Governadora do RN, Fátima Bezerra, a Secretária Estadual da Administração e Recursos Humanos, Virgínia Ferreira, o Secretário Estadual do Planejamento e das Finanças, José Aldemir Freire, e o Presidente do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado, Nereu Linhares, terão de pagar uma multa pessoal diária de R$ 3 mil.

A determinação foi assegurada pela assessoria jurídica do sindicato, através do advogado Manoel Batista Dantas Neto, viabilizando que os valores sejam depositados de maneira corrigida, em benefício de pelo menos 90 mil servidores ativos, aposentados e pensionistas.

“Da mesma forma que ao longos desses anos que estamos vivendo com o salário atrasado, ao longos desses meses pagando juros nas nossas contas, o governo também terá que pagar juros aos servidores públicos”, manifestou-se Janeayre Souto, presidente do SINSP.

Abaixo, o Estado sugere uma conciliação acerca de como será realizado o cumprimento dos pagamentos, depois de reconhecer a decisão.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

STF sustenta sentença favorável ao Sindsaúde e Estado do RN será obrigado a pagar os salários atrasados com juros

Sindsaúde aguarda o STF devolver o processo para o TJ, para pedir o cumprimento da sentença

Desde 2016, tramita na justiça uma ação do Sindsaúde-RN contra o Governo do Rio Grande do Norte, pedindo a garantia os salários em dia e o pagamento dos valores correspondentes aos encargos por atraso para cada dia que o Estado descumprisse o calendário de pagamento. Nesses três anos, após várias tentativas do Estado recorrer da ação, o Supremo Tribunal Federal manteve a sentença, que decretava que toda vez que Estado atrasasse os salários deveria pagar com juros e correção monetária.

O Sindsaúde-RN aguarda o STF devolver o processo para o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, para pedir o cumprimento da sentença.

ENTENDA O CASO

Essa ação existe há mais de três anos, e pede o cumprimento do calendário de pagamento dos servidores, como também, o repasse referente aos juros e correção monetária para cada dia de atraso. O texto prevê, ainda, uma multa diária de 500 reais por servidor, para cada dia que o Estado atrasar os salários.

O Governo não pode mais recorrer da sentença, uma vez que já utilizou todos os recursos possíveis. Sendo assim, quando o processo retornar do STF para o Tribunal de Justiça, o Sindsaúde irá solicitar o cumprimento da sentença, oportunidade, na qual será verificado o valor que cada servidor (a) irá receber.

Opinião dos leitores

  1. Enquanto isso, os servidores do município de natal, tem uma setença transitado e julgado pelo STF, com ordem de execução de setença pela 3 vara da fazenda pública para atualização da matriz salarial. E o que o prefeito Álvaro Dias, fez? Além de não cumprir a setença. Diminuiu os salários dos servidores.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *