VÍDEOS: Manifestação no PR convocada pelo lutador Wanderlei Silva reúne centenas ‘indignados’ com depredação e desrespeito à bandeira

Uma nova manifestação, convocada pelo lutador Wanderlei Silva, levou centenas de pessoas ao Centro Cívico na tarde dessa terça (2). Entre os participantes, estavam lutadores e profissionais de educação física de academias. A intenção foi se opor ao protesto antirracista de segunda (1) que começou pacífico e acabou em vandalismo, provocado por manifestantes. Na ocasião, a bandeira do Brasil que fica hasteada na frente do Palácio Iguaçu foi arrancada e queimada. “Reunimos e mobilizamos integrantes de todas as academias e pessoas que, assim como eu, ficaram indignadas com a depredação”, disse o lutador. Eles ainda hastearam uma bandeira simbolicamente, rezaram o Pai Nosso e cantaram o hino nacional.

A passeata começou na Praça 19 de Dezembro e seguiu até o Palácio Iguaçu. Segundo os organizadores, o evento não tinha nenhuma bandeira política: “Nosso símbolo maior foi profanado ontem, mas hoje os brasileiros de bem estiveram juntos para reerguer esse símbolo. Temos orgulho desta bandeira e vestimos a camisa do Brasil”.

Nova Bandeira – Por determinação do governador Carlos Massa Ratinho Junior, a bandeira do Brasil, retirada e danificada em ação de vandalismo que atingiu o Centro Cívico na noite de segunda-feira (01), foi recolocada em frente ao Palácio Iguaçu por volta das 16h30 dessa terça-feira (02). O espaço do Pavilhão Nacional, como é chamado o local em ficam os mastros com as bandeiras do Brasil e do Paraná, precisou ser higienizado por conta de pichações. Além disso, o mecanismo que conduz o hasteamento teve que ser consertado, já que havia sido danificado pelos vândalos. As bandeiras foram deixadas a meio mastro em sinal de luto oficial pelo falecimento de três servidores do Estado, que atuavam na Casa Civil.

“Atos e manifestações ordeiras e pacíficas receberão suporte operacional da nossa Polícia Militar. Porém, vandalismo é crime e caso de polícia. Aqueles que porventura pensam em se aproveitar da situação para promover baderna, serão punidos pela força policial”, declarou Ratinho Junior.

Repercussão – O “quebra-quebra” ocorrido ontem, no Centro Cívico, em Curitiba, após manifestação contra o racismo monopolizou os debates da sessão de hoje da Assembleia Legislativa. A maioria dos parlamentares criticou a queima da bandeira do Brasil retirada do mastro em frente ao Palácio Iguaçu, sede do governo estadual, pelos manifestantes já depois do final do ato antirracista. Parlamentares de oposição defenderam o ato antirracista, que, segundo eles, foi legítimo e pacífico e culparam o clima de confronto, estimulado pelo comportamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e seus apoiadores.

Estragos – Sete pontos de ônibus da Praça Tiradentes, no Centro de Curitiba, foram vandalizados na noite desta segunda-feira,além dos vidros das estações-tubo do Palácio e Comendador Fontana, no Centro Cívico, e totens da Clear Channel. Os levantamento foi feito pela Prefeitura de Curitiba que emitiu uma nota, no começo desta manhã de terça-feira, 2, a respeito dos reflexos dos protestos da noite desta segunda-feira, 1º de junho. De acordo com a nota, equipes da Urbanização de Curitiba (Urbs) trabalharam durante à noite para consertar e higienizar os pontos que foram vandalizados.

Bem Paraná

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Muda Brasil disse:

    O "protesto" de segunda-feita em Curitiba mostra claramente o perfil dos indivíduos que são contra o governo federal, são os mesmos que chamam o presidente de genocida e violento, que incoerência, um bando, ou melhor uma quadrilha de baderneiros drogados que pregam a democracia, mas queimam a bandeira de seu próprio país.

COM SANDÁLIAS DA HUMILDADE(FOTO): Governador do RJ Pezão é flagrado participando do hasteamento da bandeira em presídio

Reprodução: TV Globo

O governador Luiz Fernando Pezão, preso desde o dia 29 de novembro no Batalhão Especial Prisional, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, participou mais uma vez na rotina militar do presídio. Ele foi flagrado, por cinegrafista em helicóptero da Rede Globo, durante o hasteamento da Bandeira Nacional, que acontece toda sexta-feira às 8h. Ele também é obrigado a ficar em forma durante a apresentação militar.

Pezão também tem que ajudar nos trabalhos do presídio, como contribuir com a manutenção de uma horta que existe no local. A rotina no presídio também inclui direito a banho de sol e a atividades físicas durante as manhãs.

Em relação às refeições, ele deve almoçar e jantar no “rancho”, o refeitório do presídio militar. O cardápio será o mesmo que qualquer preso come e oferecido pela Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap). Ele também terá que cortar o cabelo e fazer a barba, conforme padrão militar.

O governador está em uma sala do Estado Maior sem grades e com apenas uma porta. Contrastando com o luxo do Palácio Laranjeiras, no local existem somente uma cama e um vaso sanitário. Na ala onde o político ficará existem várias câmeras de segurança e outros preso em outras salas.

Operação Boca de Lobo

Pezão foi preso no dia 29 de novembro durante da operação Boca de Lobo, nova fase da Operação Lava Jato deflagrada pela Polícia Federal. A ação investigou a quadrilha que roubou os cofres do estado. O governador recebeu voz de prisão no Palácio Laranjeiras, residência oficial do governo do estado, quando tomava café da manhã.

As investigações indicam que Pezão recebeu mais de R$ 25 milhões em propina entre os anos de 2007 e 2014, período em que foi secretário de Obras e vice-governador de Sérgio Cabral. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, destacou na petição em que pediu a prisão do governador do Rio e mais oito pessoas ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) que ele substituiu Cabral no esquema criminoso e tinha operadores financeiros próprios.

O Dia

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pato Amarelo disse:

    PeléPezão, kkkkkkkkkkkkkk

[FOTO] Bandeira do MST amanhece hasteada no Fórum de Ceará-Mirim

tj fachada

Um caso, no mínimo, estranho foi registrado nesta quarta-feira em Ceará-Mirim, mais especificamente no Fórum Desembargador Virgílio Dantas. Uma bandeira do Movimento Sem-Terra (MST) amanheceu hasteada no mastro do Fórum no lugar da bandeira do Brasil.

Assim que tomou conhecimento do ocorrido, a juíza Valentina Damasceno, titular da Vara Criminal da comarca de Ceará-Mirim, ordenou que policiais retirassem a bandeira. Apesar da identificação do MST, ainda não se sabe quem hasteou a bandeira.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Doutor Ed disse:

    Mst são terroristas e não um movimento bala nesses vagabundos

  2. Eduardo disse:

    Esses povo do MST, invadem as fazendas, sítios, granjas, mesmo produtivas, matam os animais, derrubam as construções, tocam o terror. Depois de meses usufruindo da estadia, algum Juiz ordena a retirada dos mesmos. O proprietário volta para o domínio da sua terra com muitos prejuízos, quem pagará a conta? Existe no nosso Ordenamento Jurídico o "Desforço imediato", ou seja, chumbo, entrou na minha, leva chumbo.

  3. Mané disse:

    Se o brasileiro é frouxo, so da nisso.

  4. Paulo disse:

    Atentado explicito a instituição e a Soberania Nacional Brasileira. Essa quadrilha é um perigo para o Brasil, se não tomamos atitudes serias, vai piorar ainda mais.

  5. caio fábio disse:

    Apenas oficializou o acontece na prática, afinal quem invade, quem destrói? quem impede o direito de ir e vir?

  6. Junior pinheiro disse:

    Pra como são folgados e a maioria tem casa nas cidades e não precisam…é uma farra a justiça tem que abrir os olhos!!!saiam de seus gabinetes!!!

  7. Alldo disse:

    Basta apenas olhar a filmagem das câmeras, para descobrir o autor da façanha.

Prefeito de Afonso Bezerra é barrado no Senado e cria movimento

Conhecido por participar de todos os eventos do movimento Municipalista carregando, aos ombros, a bandeira do seu município, o prefeito Jackson Bezerra, da cidade de Afonso Bezerra, foi barrado pela Polícia Legislativa do Senado Federal.

Jackson, que é uma figura emblemática e combativa, protestou, mas só pôde ter acesso ao auditório Petrônio Portela, depois de concordar em retirar a bandeira. Mas, de forma altiva, Bezerra negou-se a entregar a bandeira.

Por causa do ato arbitrário da Polícia Legislativo, a Confederação Nacional dos Municípios fará formalmente um protesto junto à presidência do Senado.

E mais: Na assembléia realizada no Senado, os prefeitos deliberaram que na próxima mobilização no Congresso Nacional todos deverão trazer as bandeiras dos seus respectivos municípios.

Detalhe: por causa de sua bandeira, Jackson tem sido personagem de matérias jornalísticas. Ontem mesmo foi entrevistado por emissoras de TV e por jornais como a Folha de S. Paulo.