Câmara dos Deputados paga R$ 157 mil por tratamento odontológico de Feliciano

Deputado Pastor Marco Feliciano em foto tirada no início de julho, depois do tratamento odontológico reembolsado pela Câmara Foto: Reprodução / Redes sociais

O deputado Pastor Marco Feliciano (Podemos-SP) solicitou em abril um reembolso de R$ 157 mil à Câmara dos Deputados para cobrir gastos referentes a um tratamento odontológico. A justificativa do parlamentar para o pedido, aprovado pela Casa, foi a necessidade de corrigir um problema na articulação da mandíbula e de fixar coroas e implantes. As informações foram publicadas no domingo pelo jornal “O Estado de S. Paulo”.

Rejeitado inicialmente pela equipe técnica da área de perícia da Câmara, o pagamento foi aprovado depois de Feliciano recorrer e apresentar um laudo de seu dentista. A primeira avaliação indicava que havia problemas na prescrição dos procedimentos e que o valor do tratamento era incompatível com o preestabelecido pela Casa. Após a reconsideração, sete parlamentares da Mesa Diretora aprovaram o gasto.

Ao “Estado”, Feliciano disse que sofria de bruxismo (hábito de ranger os dentes durante o sono, o que traz consequências à saúde), condição que “não deseja para ninguém”. Ele também argumentou que enquanto político e pregador (ele é líder religioso da Catedral do Avivamento), utiliza a boca como “ferramenta”.

O pagamento do tratamento de Feliciano ocorreu porque deputados têm direito a plano médico da Caixa Econômica Federal e também podem pedir à Câmara que reembolse despesas com tratamentos médicos e odontológicos. O teto para que isso ocorra de forma automática é de R$ 50 mil — solicitações que o ultrapassam precisam ser aprovadas, como ocorreu com a do pastor.

À reportagem, Feliciano assumiu que o tratamento odontológico ficou “caro” e pontuou que havia encontrado orçamentos ainda mais custosos do que o escolhido. Ele argumentou que precisava do procedimento e que os parlamentares dispõem da possibilidade de reembolsos, prova de que “não há crime” em seu pedido. Procurado pelo GLOBO, o deputado disse que já havia respondido aos questionamentos do “Estado” e não faria novos comentários sobre o tema.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Giba disse:

    Esse ai já falou que era o vice do BOZO próxima eleição, kkk e o gado não vão comentar nada.

  2. Chora Ñ... disse:

    Picareta!!!!

  3. fernando disse:

    Ele , Feliz e o povo tomando no Anu. Feliciano.

  4. Ranieri disse:

    Rapaz, o dinheiro da igreja não tá dando não?

  5. Paulo disse:

    Já que ele mesmo disse que utiliza da boca como meio para as pregações, no mínimo deveria rachar os custos e não colocar para todos os contribuintes pagarem por isso.
    OBS: Não concordo em nenhum custo dessa magnitude, porém, já que aprovaram, pelo menos fosse uma parte custeada pelo reembolso parlamentar, seu próprio salário e ainda a igreja que ministra.

  6. Rivanaldo disse:

    A mamata acabou. SQN

  7. BRASIL FOI MELHOR disse:

    Quem pode colocar abaixo essa decisao para dar o bom EXEMPLO? A nacao nao pode CONTINUAR a ser ESCADA para esses marginais…VAMOS la BRASIL , MP, PROCURADORIA , TRIBUNAL FEDERAL, BOTAR ABAIXO

  8. Silva disse:

    E ainda se considera um belo exemplo para suas ovelhas e eleitores! Lamentável!!

Feliciano chama de “histeria coletiva” as críticas à possível indicação de Eduardo Bolsonaro para a embaixada nos EUA

(Foto / Arquivo: Gabriela Korossy/Câmara )

Marco Feliciano escreveu para a Folha de S. Paulo um artigo em que defende a indicação de Eduardo Bolsonaro para a embaixada brasileira nos Estados Unidos.

“Para além da histeria coletiva que toma conta do establishment brasileiro, que diariamente tenta ganhar ‘no tapetão’ o poder que perdeu nas urnas, a indicação do deputado Eduardo Bolsonaro para chefiar a embaixada brasileira em Washington deve ser analisada sob o prisma da racionalidade administrativa, assim como todos os negócios de Estado”, escreve o deputado do Podemos.

“Com apenas 35 anos, e pela atual conjuntura o presuntivo herdeiro político do pai, Eduardo praticamente abre mão de seu futuro político ao se isolar a 7.000 quilômetros de Brasília, tudo para se doar ao Brasil e às ideias que acredita”, acrescentou ele.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marionete disse:

    Até ontem Feliciano era figura carimbada nas nomeações do PT.
    Maravilhoso ver como Dilmanta se morde com a indicação de Eduardo para embaixador, que coisa fantástica. Antes a ideia não me parecia interessante, mas a turma dos esquerdopatas, amantes dos corruptos estão contra, já começo a ver a indicação com outros olhos.
    Mas não vi qualquer grito de horror dos Dilmantas quando o filho de um ex presidente que era funcionário de zoológico virou, do nada, milionário sem ter recebido herança, nem tirado na sorte. Bem como seus irmãos, passaram a elite social brasileira sem ter profissão conhecida.
    Interessante ver como os olhos conseguem prever o futuro e não sabem nada sobre situações muito estranhas de passado recente

  2. Dilmanta disse:

    Heresia pura o que publica esse Pastor político Marco Feliciano,… além de babar os ovos do Bozo, ainda tem a enorme ignorância de defender um golpista que vai trocar sua carreira política temporária(pois sabemos que ele pode não se eleger mais) por um emprego fixo e permanente na diplomacia.. além de que ele estará abrindo as portas para o nepotismo escancarado. Estudar e galgar promoção no trabalho, que é bom ele não fez…

    • Cigano Lulu disse:

      "Estudar e galgar promoção no trabalho, que é bom …" sabe quem fez?
      Adivinhou quem disse Dias Toffoli!

Feliciano pede impeachment de Mourão por ‘deslealdade’ a Bolsonaro

O pastor e deputado federal Marco Feliciano (Podemos-SP) (Divulgação/Divulgação)

O deputado federal Marco Feliciano (Podemos-SP) apresentou nesta quarta-feira, 17, um pedido de impeachment contra o vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB).

Na peça protocolada na Câmara dos Deputados, Feliciano argumenta que a “deslealdade” de Mourão perante o presidente Jair Bolsonaro (PSL), supostamente provocada por declarações do vice em sentido contrário ao que defende o titular, pode ser enquadrada como crime de responsabilidade.

“As críticas e contraditas são sempre públicas, de um lado demonstrando falta de unidade (o que é manifestamente prejudicial ao país) e de outro evidenciando a deslealdade do vice-presidente para com o seu companheiro de chapa”, escreve o deputado.

No entendimento de Feliciano, Mourão tem compromisso com o que foi defendido durante a campanha eleitoral, e não poderia se manifestar em contrário.

Entre os pontos elencados por ele, está um tuíte da jornalista Rachel Sherezade, em que ela diz que Bolsonaro é “vinagre” enquanto ele, Mourão, seria “vinho”. A falha de Mourão nesse caso teria sido, segundo o deputado, ter “curtido” a mensagem.

O deputado alega que, ao se eleger para compor a chapa, o vice-presidente abriu mão de parte da sua liberdade de expressão. “Se ao denunciado era facultado em sua vida privada o direito de exercer a pleno sua liberdade de expressão, bem é certo que enquanto um dos altos dignatários (sic) da nação tal liberdade deve ser balizada pelo dever de lealdade à instituição a que serve e ao chefe da mesma.”

Apesar de toda essa exposição, Feliciano admite que o principal não é se houve ou não crime, uma vez que, no entender dele, o único critério deve ser o da “conveniência”, estando o Parlamento apto a definir o que pode ou não ser considerado um delito suficiente. “O objetivo do impeachment não é punir culpados por crimes, mas sim proteger o estado da ação de maus governantes.”

O pedido deverá ser analisado agora pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Tendo plena ciência de que as chances de que a ideia prospere são nulas, Feliciano foi às redes sociais afirmar que é um “tiro de prata”. “Dilma teve dezenove pedidos antes do derradeiro. Espero que o General Mourão tenha postura leal com o presidente Jair Bolsonaro. Chega de conspiração, agora é hora de união.”

Veja

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antonio Turci disse:

    O Vice-Presidente Mourão tem muito bom nível intelectual. É um cidadão respeitável. Entretanto, precisa, salvo melhor juízo, evitar posturas e polêmicas que não ajudam.

    • Tobias disse:

      Verdade. Esse negócio de ser polêmico não está com nada. Aposto que proibir uso de jeans nas dependências do Planalto, usar camisa de time falsificada, não fazer uso de normas protocolares no exercício do cargo, governar via Twitter, deixar os filhos enredarem sobre suas briguinhas, dentre outros procederes, são ações oriundas de Mourão. Por isso, concordo com o pedido do Pr. Marco Feliciano.

Feliciano diz que é mentira a notícia de que a frente parlamentar evangélica fará um manifesto contra o presidente Bolsonaro

A Folha de S. Paulo informa que a bancada evangélica do Congresso pretende anunciar independência em relação ao governo de Jair Bolsonaro.

O deputado Marco Feliciano enviou a seguinte mensagem a O Antagonista:

“É mentira a história de que a frente parlamentar evangélica fará um manifesto contra o presidente Bolsonaro. Se houver [algo nesse sentido], será atitude isolada de algum parlamentar que está descontente. Como vice-líder do governo no Congresso, expus, em reunião com o presidente, a falta de comunicação com a bancada, e o presidente prontamente se dispôs a receber o grupo logo após sua volta dos Estados Unidos.”

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ems disse:

    A guerra de informações está tão ativa como nunca. Não conseguimos mais acompanhar as notícias do dia a dia sem duvidar do que estamos lendo.

    • Marcelo disse:

      Pega fogo cabaré… É tanta informação e contra informação que a pessoa não sabe onde tá a mentira maior e a menor… Kkkk

Feliciano, Bolsonaro e Paulo Pimenta são os deputados mais influentes nas redes sociais

Marco Feliciano (à direita) e Jair Bolsonaro (à esquerda) são os mais influentes nas redes sociais de acordo com FSB
Luis Macedo/Câmara dos Deputados 18/04/2017

Os deputados Marco Feliciano (PSC-RJ), Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e Paulo Pimenta (PT-SP) foram os deputados mais influentes das redes sociais Facebook e twitter na semana de 10 a 16 de outubro. O ranking é elaborado semanalmente pela FSB. A agência de comunicação mede o desempenho com base em números de seguidores, alcance, posts e engajamento.

O líder do ranking, Marco Feliciano, se mantém na primeira posição há duas semanas. Jair Bolsonaro, que está em segundo, vem subindo posições e melhorou o desempenho após a viagem que fez para Nova Iorque onde se apresentou como pré-candidato à Presidência 2018.

A melhora do desempenho de parlamentares do PT também foi detectada no ranking. Além de Paulo Pimenta ter conquistado um lugar no pódium, ele é o único de fora da bancada evangélica entre os cinco mais influentes das redes. Após Pimenta, estão Delegado Fransischini (SD-PR) e Irmão Lazaro (PSC-BA). Entre os vinte primeiros colocados são os petistas que mais subiram posições, como Maria do Rosário (PT-RS) que está em 14º nesta semana e melhorou 14 posições na comparação com a semana anterior.

Outros parlamentares de esquerda também são bem posicionados no ranking das redes como Jandira Feghali (PCdoB- RJ) em 7º e Jean Wyllys (PSOL-RJ) em 12º.

Rogério Silva (PMDB-MT) teve o melhor avanço individual saltando 19 posições e ocupando o 20º melhor resultado.

O ranking da FSB não mede o desempenho no instagram.

R7

Igreja avalia tirar título de pastor de Feliciano, que falou à Playboy

ÍndiceA Convenção Fraternal das Assembleias de Deus no Estado de São Paulo (Confradesp) pode cassar o título de pastor do deputado Marco Feliciano (PSC-SP) por ele ter dado uma entrevista à revista “Playboy”, cujo carro-chefe é a publicação de fotos de mulheres nuas.

Ontem, a entidade que reúne oito mil pastores do Ministério do Belém no Estado decidiu abrir uma apuração contra Feliciano em seu conselho de ética. O procedimento pode levar a desde uma advertência até o “descredenciamento pastoral” do deputado. Ou seja, a cassação do título de pastor.

A entrevista, publicada em abril, tem oito páginas. À publicação, Feliciano confessou ter usado cocaína na adolescência e disse sonhar com a Presidência. Ele também falou sobre sexo anal.

“Com certeza tem homens que têm tara por ânus, sim. Não entendo muito dessa área porque nunca fiz, graças a Deus, e espero nunca fazer, porque parece que quem faz não volta”, avaliou.

À Folha, o chefe de gabinete de Feliciano, Talma Bauer, disse que ele não falaria sobre o caso porque ainda não havia sido notificado, mas que considerava normal um “pedido de explicações”.

Bauer diz que a entrevista foi um “direito de resposta” concedido pela revista ao deputado, que se sentiu ofendido pelo modo como um humorista se referiu a ele na ‘Playboy’.

Membro da direção da Confradesp, o pastor Lelis Washington diz que o problema não está no conteúdo das declarações de Feliciano. “Deixando de analisar a entrevista, não é essa literatura que recomendamos aos fiéis”.

Folha via UOL

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Julha disse:

    Existe uma facilidade muito grande em uma pessoa vir a ser um pastor, isso porque a religião evangélica é conhecida pela sua maior rigidez, só que não né?! . Não defendo nenhuma religião, mas esse e tantos outros motivos é que vem afastando as pessoas das igrejas. Pessoas que não tem credibilidade, que cometem atos condenados pela igreja, sendo pastor? É um disparate muito grande entre determinados conceitos.

    • Edson Araujo disse:

      A raiva destilada pelos evangélicos nos comentários eu até compreendo, só não compreendo direito é o português usado nos comentários…

    • eric disse:

      Nobre Edson Araujo, acabei de comentar num post acima a respeito desse seu comentário aqui.
      O povo vem meter o pau nos governos, religiões, secretárias, pessoas públicas, enfim, em tudo. Descem o pau na cara limpa.
      Só não tem vergonha de escreverem errado.
      As concordâncias passam lá na casa de chapéu, os "s" e "z" são assassinados.
      Não tem respaldo para criticar.
      E se algum bonitão, crítico formado com esse português chibata, achar ruim: Q desça até os bancos escolares que passei e vá aprender a escrever a língua que vc nascem e que hoje vc a assassina.

    • eric disse:

      *nasceu

  2. Jácome Carlyle disse:

    OS POTIGUARES TE REPRESENTAO!!!
    É isso que acontece quando alguem quer mudar o pais e tentar tornalo respeitado per ante a familia e a heterosexualidade é boa.
    Pastor Feliciano todos nós potiguares apoiamos você. Venha fazer uma vizita a nossa cidade.

    • Robson Luciano disse:

      Caríssimo Jácome, responda por você. Este cidadão me representa. E acredito que outras pessoas concordam comigo. Como é que um pastor de uma igreja cristã concede uma entrevista a uma revista erótica, mesmo sendo um direito de Resposta? Assim como os padres safados e pedófilos, este cidadão deve ser escluído de sua congregação.

  3. Ricardo Silva disse:

    As igrejas evangélicas deveria abrir os olhos com certos pastores, este marcos Feliciano e Malafaia envergonham qualquer cristão, são dois aproveitadores ignorantes que se utilizam da palavra de Deus para arrancar dinheiro dos fieis e incitam as pessoas ao preconceito, misturando religião com política, para os evangélicos crescerem sempre foi pregado que nosso país era laico, agora que os evangélicos cresceram eles estão se esquecendo da laicidade do nosso Brasil.

‘Quem tem que ser preso é o Feliciano’, diz presidente de Grupo Gay após detenção de jovens que se beijaram

feliciano-beijoEntidades de defesa dos direitos de gays, lésbicas, travestis e transsexuais criticaram a detenção de duas jovens que se beijaram na boca durante culto evangélico em praça pública de eventos em praia de São Sebastião (SP). A prisão aconteceu a pedido do pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP). Yunka Mihura Montoro, de 20 anos, e Joana Arrabal Alhares Pereira, de 18, participavam de um protesto durante o evento e dizem ter sido agredidas pela Guarda Municipal da cidade. Imagens feitas pelo público mostram elas sendo arrastadas depois que o pastor e presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara afirmou ao microfone no palco do evento que as manifestantes eram “cachorrinhos” e pediu que as forças de segurança as levassem algemadas do local.

As jovens foram algemadas e levadas num camburão, prestaram depoimento na delegacia e registraram queixa de agressão e abuso de autoridade contra a Guarda. Elas passaram por exame de corpo de delito e foram liberadas.

— Isso é um absurdo. Manifestação de afeto não é crime no país. Isso só demonstra a forma fascista como esse deputado tem se posicionado frente à nossa comunidade. A Guarda agiu errado, pois não havia nada que pudesse ser motivo de detenção — criticou Carlos Magno, presidente da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT).

Magno disse que pretende entrar em contato com as jovens detidas e não descarta a possibilidade de pedir a deputados que defendem a comunidade LGBT para que entrem com pedido de quebra de decoro na Câmara dos Deputados. O advogado das jovens afirmou que vai processar Feliciano e levar o caso à Câmara e à Secretaria de Direitos Humanos da presidência da República.

Para Fernando Quaresma, presidente da Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo, o que causou mais espanto não foi a atitude do deputado, mas sim o fato de a Guarda Municipal ter levado as garotas para a delegacia algemadas.

— Marco Feliciano já mostrou que é uma pessoa desinformada, de puro preconceito. Mas o que assustou mais foi o fato de a Guarda, que tem que ficar a serviço do povo, que é paga pelo povo, acatar e prender pelo simples afeto público. Os casais heterossexuais também vão ser presos porque se beijam? Se o beijo público for um crime, nós não vamos ter mais local suficiente para prender as pessoas — afirmou Quaresma.

Na opinião de Quaresma, a detenção é grave especialmente por ter acontecido em local público:

— Se ele (Feliciano) não quer ver ninguém se beijando no culto dele, que faça o culto dentro da igreja. A rua é pública.

Na opinião do presidente do Grupo Gay da Bahia, Marcelo Cerqueira, a atuação de Feliciano tem incentivado crimes contra homossexuais.

— Quem tem que ser preso é o Feliciano, porque ele tem sido uma espécie de mentor intelectual durante anos. Ele tem que ser responsabilizado por crimes que que estão sendo realizados contra a comunidade LGBT. Vivemos em um estado laico e as pessoas têm o direito de ir e vir — disse Cerqueira, que cobrou que se abra um processo administrativo para punir o comportamento da Guarda Municipal.

No Twitter, o deputado Marco Feliciano defendeu a ação da Guarda Municipal e afirmou que as jovens cometeram crime do artigo 208 do Código Penal, que prevê prisão de um mês a um ano e multa para quem escarnecer ou perturbar culto religioso.

A prefeitura de São Sebastião, em nota à imprensa, defendeu a detenção das jovens com base na lei que condena ofensas a cultos religiosos e disse que está apurando se houve excesso por parte dos agentes.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Roberto disse:

    Absurdo!!! Realmente é o povo que paga pela policia . A "multidao" que estava na praca participando de um ato religioso nao ser respeitado por "duas pessoas" que estava la apenas para provocar, se é democracia a maioria vence. Como duas pessoas nao podem ser retidas por forca policial? As duas pessoas devem procurar o local onde outras pessoas pactual com seus atos e lá praticar seus atos. Caso contrario teremos uma "ditatura de minoria". Parabens Feliciano. Precisamos de Mais pessoas com coragem para enfrentar falta de respeito. Protestar sim, mas com respeito…

  2. tuliocesar disse:

    Acho que todo o mundo tem o direito de fazer o que queres. Porem isso na realidade foi uma afronta a o culto prestado naquele lugar..
    Acho que quem quer ser respeitado tem que aprender a respeitar….

  3. HUDSON MEDEIROS disse:

    NÃO CERTO É ELES M UM CULTO PARA DEUS COMECAREM A SE BEIJAR TA MAIS DO QUE CERTO ERA PRA TER FICADO NA CADEIA UNS DIAS PARA SE LIGAR E RESPEITAR[

  4. rnatal disse:

    Absurdo é ficarem se beijando na frente das pessoas como forma de protestar.
    Um desrespeito aos bons costumes, a ética e a palavra de Deus.
    Merecem a punição como qualquer hétero que errar, ou será que esta classe também quer o direito de fazer o que bem entender e não ter nenhuma punição?

    • Jéssika disse:

      Quer dizer que se fosse um casal 'normal'(hétero) se beijando, também deveriam sair agredidos e algemados de lá?

    • Sergio Nogueira disse:

      Cada um no seu quadrado, respeitando o ambiente onde se encontra. Se não fosse uma dupla homossexual deveria receber o mesmo posicionamento sim, Jéssica.
      Acho engraçado que a turma do arco-íris mais braveja é por respeito. Ocorre que respeito é uma avenida de mão dupla. Primeiro respeitem quem não é gay. Saibam que esses desvios não aparecem para todos como algo lindo de morrer.
      Todos temos o direito de ter opiniões. Se a de Feliciano não coincide com a de alguém ou a de muitos, paciência.
      Parece que chegará o tempo em que ser hétero será o que de pior defeito de alguém.

    • Roberto disse:

      Se o casal etivessem desreipeitando o culto sim. Deveria ser retirados do local com forca policial

Beijo entre mulheres em culto de Feliciano acaba em confusão grande

adolescenteagredidaacusadaofacebookfelicianoUm protesto acabou em confusão no domingo durante um evento religioso que contou com a presença do deputado e pastor Marco Feliciano (PSC-SP) em São Sebastião, no litoral de São Paulo. Segundo informações publicadas nas redes sociais, o pastor pediu a ajuda da polícia para coibir um “beijaço” organizado por duas jovens durante o Glorifica Litoral, evento gospel que ocorreu durante o último final de semana. As jovens Joana Palhares, 18 anos, e Yunka Mihura, 20, teriam se beijado durante o culto religioso, o que acabou causando indignação no deputado.

Em sua página no Facebook, Joana havia publicado uma foto convocando para o “1º Beijaço Gay São Sebastião”. Com a legenda “Feliciano, nos aguarde”, ela prometia marcar presença na praça do coreto, às 20h deste domingo. Durante o ato, porém, Feliciano teria pedido para guardas municipais coibirem os beijos. Ao menos quatro guardas municipais cercaram as meninas e o grupo de amigos que as acompanhava. A abordagem foi filmada por uma testemunha e publicada na internet nesta segunda-feira.

Tentando tirar o foco da confusão, Feliciano orienta aos fiéis que peguem suas bíblias e acompanhem a um trecho do livro sagrado que seria lido por ele. “Ignora esse pessoal. A polícia já está indo ali. Isso é vilipêndio a culto. Só vou pedir aos policias para tomarem cuidado, que esse pessoal (…) eles vão falar que vocês estão batendo neles viu”, disse o pastor.

“Esse pessoal que não tem respeito a mãe, nem pai, nem a ninguém. Cachorrinho que está latindo é assim, você ignora ele e ele para de latir”, completou o pastor, pedindo para o público ignorar a confusão. O cinegrafista registrou os policiais puxando as jovens, que relutaram em sair do espaço. Após alguns minutos, elas foram levadas para uma área restrita ao lado do palco no qual se apresentava o pastor e deputado. O cinegrafista foi impedido de prosseguir pelos próprios guardas municipais.

Em sua página pessoal no Facebook, Joana Palhares acusou os guardas de agressão pelo modo como ela foi conduzida. “Nunca imaginei que seria agredida, violentada, algemada e presa por beijar uma mulher em publico!! Vergonha de fazer parte dessa sociedade de merda!!! Estou com nojo do meu país e principalmente da minha cidade “, desabafou a jovem.

Procurada pelo Terra, a assessoria do deputado não negou o ocorrido e disse que Marco Feliciano não iria fazer nenhuma declaração sobre as acusações das jovens. De acordo com os assessores, o local estava reservado para o evento religioso e “ele (Feliciano) sabe dos direitos dele” – a assessoria alegou ainda que o deputado vai aguardar eventuais movimentações por parte dos advogados das jovens.

Prefeitura vai investigar ação

A prefeitura de São Sebastião divulgou uma nota sobre o ocorrido, dizendo que a Guarda Civil agiu em cumprimento do “artigo 208 do Código Penal Brasileiro – que prevê pena de detenção de um mês a um ano ou multa ao cidadão que zombar de alguém publicamente por motivo de crença ou função religiosa e impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso”.

De acordo com documento, a Guarda Civil Municipal (GCM) teria agido inicialmente conversando com as manifestantes e “na tentativa de retirá-las do local com segurança – tendo em vista que o grupo corria o risco de um possível mal maior por parte de pessoas que insinuavam uma agressão – um cordão de isolamento foi preparado”.

As jovens foram encaminhadas ao 1º Distrito Policial e lá o delegado de plantão decidiu registrar a ocorrência apenas como averiguação. Na manhã desta segunda, o caso começou a ser apurado pela ouvidoria da GCM, que verifica se houve excessos por parte dos guardas que participaram da ação.

Terra

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jefferson disse:

    Concordo com Francisco Dias. Cada um deve ter o espaço e a liberdade para a sua reivindicação. Da mesma forma que deve-se respeitar a manifestação LGBT, também é devido o respeito a um culto religioso, se este não considera o movimento LGBT legítimo e correto. Particularmente, tenho e admito meus preconceitos, mas entendo que a condição homossexual não é uma escolha que se faz, e sim, um estado de personalidade em que jamais se pode proibir ou desmerecer. São pessoas que estão aí, em todo lugar, parentes, amigos e conhecidos. Todos temos alguém conhecido que é homossexual, assumido ou não. Condenar um homossexual pela sua condição é esquecer o lema cristão: "AMAI-VOS UNS AOS OUTROS, COMO EU VOS AMEI." Olhemos bem, este lema não restringiu o ato de amar somente àqueles que são heterossexuais.

  2. Deusdeth Varela Junior disse:

    É assustador a constatação de que qualquer argumento cristão é posto em segundo plano, é tido como retrógrado! Qualquer outro argumento parece ser mais inteligente e plausível.

  3. Ricardo Silva disse:

    Engraçado os evangélicos estão pregando homofobia através de Silas Malafaia e Feliciano, vão para televisão falar o que nao sabem ficam todo tempo provocando os homossexuais aí não querem que eles se rebelem, elas estão certas sim, era bom que os homossexuais fizessem isso em todos os cultos destes dois pastores fundamentalistas que querem atrapalhar as conquistas desta classe tão discriminada que são os lgbts.

  4. Luciano disse:

    Lendo os três comentários abaixo fico me perguntando quem será que quer quase todos os dias "enfiar" goela abaixo as suas crenças, crendices, contos de carochinha, dogmas, recalques, intransigências….? Seria os homossexuais ou os fanáticos e cegos religiosos? Faço o favor! Beijaço na frente desses hipócritas é fichinha!

  5. André disse:

    A que ponto chegamos: Prisão para quem se beija!!! Que se exploda se foi beijo gay….FOI APENAS UM BEIJO!!!! …e na RUA!!!

  6. FERNANDO BERTÃO disse:

    Pra começar nem todos os homosexuais são impossíveis ou rebeldes como sita um leitor, elas estão erradas sim, pois respeito tem que se ter em qualquer lugar. é acho que o felicano já tem os votos que ele queria para ser eleito na proxima campanha. pois é isso que ele busca se promover.

  7. Francisco Dias disse:

    Ela está com nojo? E nós, acham que adoramos ou achamos lindo isso? Cada um no seu quadrado. Do mesmo jeito que acharia uma atitude errada dos evnagélicos ir para frente de uma boate gay tentar converter a turma do arco íris, acho errado as meninas que usam chuteiras ir a um evento religioso provocá-los.
    Outro dia li aqui no blog que nos presídios há sinais de homofobia tão claros que os gays serão separados dos demais. Não custa nada essa turma ir lá protestar também.

  8. Jose disse:

    Quem quer ser respeitado tem q respeita,esses homosexuais sao impossíveis e muito rebeldes kkkkk

  9. rnatal disse:

    Estas duas estão erradas em tudo. Como podem exigir respeito agindo assim. Feliciano esta certo em não aceitar a união homossexual porque a Bíblia é contra e pronto. Estas duas precisam entender de respeito e ética e não sair por ai se beijando, se fosse um homem e uma mulher também não podiam fazê-lo desta forma. Em um país sério elas iriam presas.

Marco Feliciano já defendeu pastor acusado de estupro

O deputado federal e pastor Marco Feliciano (PSC-SP), polêmico presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, fez um discurso na tribuna da Casa no dia 19 de fevereiro defendendo o também pastor Marcos Pereira da Silva, preso na noite de terça-feira, 7, sob a acusação de estuprar duas fiéis da igreja Assembleia de Deus dos Últimos Dias (Adud). A sede da comunidade fica em São João de Meriti, na Baixa Fluminense.

Em sua fala, Feliciano elogia Silva, bem como o pastor Silas Malafaia, e afirma que os dois estão sendo vítimas de perseguição. “Eles têm sofrido retaliações pela mídia e por autarquias, que deveriam ser um pouquinho mais administradas por esta Casa (Câmara)”, diz, citando uma reportagem do SBT.

O pastor lembra que Silva é conhecido nacional e internacionalmente por seu trabalho e afirma que ele está sendo alvo de difamação. “Estão destruindo a imagem de um homem que gasta sua vida dentro do Rio de Janeiro indo para prisões e para os presídios”, acusa Feliciano. “Já falaram outras coisas e ele permanece de pé”, conclui.

Na madrugada desta quinta-feira, 9, o deputado voltou a defender o pastor Marcos Pereira, dessa vez indiretamente, replicando o seguinte comentário de um de seus seguidores no Twitter:”Imprensa tem provas contra Marcos Pereira? Talvez um delegado sem crimes para investigar”.

Desde que Feliciano assumiu a presidência da Comissão de Direitos Humanos, as reuniões são marcadas por protestos de parlamentares e militantes contrários à sua permanência no colegiado.

Do Estadão

Projeto para ‘cura gay’ é aprovado por indicado de Feliciano

De um integrante da cúpula nacional do PSDB sobre o deputado tucano João Campos (GO), que foi relator da Proposta de Emenda à Constituição que pretende revisar atos do Supremo Tribunal Federal (STF), elaborada pelo petista Nazareno Fonteles (PI). “Esse deputado é mais da bancada evangélica do que da bancada tucana”, afirmou o líder do PSDB. É uma tentativa de desvincular o parlamentar do partido, num momento em que o STF analisa mandado de segurança contra o projeto, impetrado pelo próprio PSDB.

Campos, pastor da Assembleia de Deus, é contra o projeto de lei que criminaliza a homofobia, contra o aborto, contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo e contra a cirurgia de mudança de sexo no SUS. Costuma votar alinhado com a bancada evangélica.

Em 2011, criou um projeto de decreto legislativo que pretende suspender resolução do Conselho Federal de Psicologia que, desde 1999, impede os psicólogos de tentar curar a homossexualidade. Para Campos, a resolução fere o direito constitucional de psicólogos e pacientes. “Estou zelando pela Constituição”, disse ao defender, no ano passado, a proposta. “Eu não estou tratando de cura gay.”

O polêmico projeto de Campos, que é alvo do Conselho Federal de Psicologia, está na Comissão de Direitos Humanos da Câmara. Em março, o presidente da comissão, Marco Feliciano (PSC-SP), também pastor, indicou o deputado Anderson Ferreira (PR-PE), outro pastor, para relatar o texto.

Na semana passada, Ferreira concedeu parecer favorável ao texto. “O projeto de decreto legislativo em tela nada mais significa que a sustação da norma editada pelo referido Conselho, até que haja apreciação judicial que decida a questão levantada. Seu texto constitui uma defesa da liberdade de exercício da profissão e mesmo da liberdade individual de escolher um profissional para atender a questões que dizem respeito apenas à sua própria vida, sem prejudicar outrem”, afirmou o deputado.

Agora o texto será votado no plenário da comissão, em data a ser marcada por Feliciano. Depois seguirá para a Comissão de Seguridade Social e Família e Comissão de Constituição e Justiça.

Júlia Dualibi

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ricardo Silva disse:

    Quem inventar a curagay vai ficar milionário, se existisse essa cura muitos que são homossexuais com certeza já teriam procurado esta cura, as pessoas que tem este problema sofrem muito são descriminados perante a família, amigos e pela sociedade. O que vemos é que este dilema está no mundo todo os heteros tem dificuldade de aceitar principalmente quando não se tem um caso próximo, tenho um amigo com este problema e vejo o sofrimento dele, digo problema porque ele não tem coragem de assumir para a família.

Feliciano volta a afirmar que africanos são amaldiçoados

hungry-african-children Folha

Em defesa protocolada no STF (Supremo Tribunal Federal), o deputado Marco Feliciano (PSC-SP) reafirmou que paira sobre os africanos uma maldição divina e procurou justificar a fala com uma afirmação que, publicamente, tem rechaçado: a de que atrelou seu mandato parlamentar à sua crença religiosa.

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara é alvo de inquérito no STF por preconceito e discriminação por uma declaração no microblog Twitter.

Em 2011, ele escreveu que “a podridão dos sentimentos dos homoafetivos leva ao ódio, ao crime, à rejeição”.

Em sua defesa , protocolada no dia 21, Feliciano diz que não é homofóbico e racista. Reafirma, porém, a sua interpretação de que há a maldição contra africanos.

“Citando a Bíblia […], africanos descendem de Cão [ou Cam], filho de Noé. E, como cristãos, cremos em bênçãos e, portanto, não podemos ignorar as maldições”, afirmou, na peça protocolada em seu nome pelo advogado Rafael Novaes da Silva.

“Ao comentar [no Twitter] acerca da ‘maldição que acomete o continente africano’, diz sua defesa, o deputado quis afirmar que é “como se a humanidade expiasse por um carma, nascido no momento em que Noé amaldiçoou o descendente de Cão e toda sua descendência, representada por Canaã, o mais moço de seus filhos, e que tinha acabado de vê-lo nu”. (mais…)

Vídeo: Feliciano diz que comissão era 'dominada por Satanás' antes de sua chegada

Alvo de protestos contra sua permanência na presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, o deputado federal e pastor evangélico Marco Feliciano (PSC-SP) afirmou que o colegiado era “dominado por Satanás” antes de sua chegada ao posto.

Feliciano fez as declarações na sexta-feira à noite, durante um culto num ginásio de Passos (348 km de BH), no sul de Minas Gerais.

Ao comentar um protesto contra ele que ocorria do lado de fora, afirmou: “Essa manifestação toda se dá porque, pela primeira vez na história desse Brasil, um pastor cheio de espírito santo conquistou o espaço que até ontem era dominado por Satanás”.

Criada em 1995, a comissão já foi presidida por 15 parlamentares antes de Feliciano.

Folha

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. antonio luna disse:

    Com um congresso desmoralizado e com um de seus integrantes fanatico(por dinheiro) a achincalha-lo ainda mais está na hora de repensar a falida democracia representativa.A maioria do povo elege todo tipo de bandido.

    • josé roberto disse:

      Que maravilhoso vivermos em um País democrático onde todas as pessoas podem opinar em situações,questões e pontos de vista sejam quais forem. A presença de um líder evangélico nessa comissão e dos resultados de tudo que já vimos anteriormente nos faz analisar,se com um Representante de Deus está desse jeito imaginemos como era sem ele. Como ja ouvimos um grande Líder proclamar; Que Deus abençoe a América, aqui podemos dizer, Que Deus salve o nosso Brasil.

Câmara paga advogado que defende Feliciano em inquérito por homofobia

O GLOBO

O advogado que protocolou no Supremo Tribunal Federal (STF) a defesa do deputado Marco Feliciano (PSC-SP) em inquérito por homofobia tem emprego e salário pago pela Câmara. Feliciano é defendido por Rafael Novaes da Silva, seu secretário parlamentar desde fevereiro de 2011. O advogado respondeu à denúncia do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, no último dia 21, por meio de um documento com várias citações bíblicas.

Rafael também deve acompanhar Feliciano em interrogatório nas dependências do STF, no próximo dia 5, às 14h30m. O presidente da Comissão de Direitos Humanos será questionado sobre outro processo, no qual é acusado de estelionato, por um juiz federal designado pelo ministro Ricardo Lewandowski, relator da ação. Nesse processo, Feliciano já é réu e tem como advogado o mesmo secretário parlamentar. (mais…)

Bolsonaro chama ministra, Eleonora Menicucci, de 'sapatona' e declara apoio à Feliciano

Por interino

O deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) afirmou em sessão no plenário da Câmara dos Deputados nesta quarta-feira que os protestos que pedem a saída do deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP) da presidência da Comissão dos Direitos Humanos (CDH) da Casa é uma pressão feita pela presidente Dilma Rousseff (PT). Segundo Bolsonaro, a presidente “não tem compromisso nenhum com a família”.

 Para embasar seu argumento, o deputado afirmou que se a presidente tivesse esse compromisso não teria nomeado a ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, para o cargo. Bolsonaro chamou a ministra de “sapatona”, por conta de declarações dadas por ela ao jornal Correio Braziliense sobre sua sexualidade.“Essa mulher (Eleonora) representa a sua mãe, Dilma Rousseff, a minha não. E nem as mulheres brasileiras”, afirmou Bolsonaro.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. mario disse:

    A familia, pai,mae e filhos.
    mae gera filhos e filhas.
    homem nao gera filhos ou filhos.
    leis que tentam destruir a instituiçao familia.
    nao poderia ser pior, uma mulher que tem relaçoes promiscuas com homens e mulheres, a sua filha lesbica como ministra das mulheres, uma lastima.
    chocante e terrivel onde chegamos. (Pense a respeito com muito cuidado).

  2. Osvaldo Aires Bade Comentários Bem Roubados na "Socialização" - Estou entre os 80 milhões disse:

    ESSA É UMA PEQUENA PARTE DA ELITE ESQUERDISTA QUE VOCÊ SUSTENTA!
    CONFIRA A EDIÇÃO REVISTA, APERFEIÇOADA E AMPLIADA DA LISTA DOS QUE ACHAM QUE MEXER COM O CHEFE SUPREMO É MEXER COM ELES
    http://cinenegocioseimoveis.blogspot.com.br/2013/03/confira-edicao-revista-aperfeicoada-e.html
    .
    Abraço a Todos
    Osvaldo Aires

  3. Marcia Miguez disse:

    Concordo plenamente com o Dep. Fed. Bolsonaro.
    Esse desabafo dessa ministra de sua vida particular, torna-se desnecessário.
    Aliás, ela é feiíssima.
    Abraço.

  4. João disse:

    Para vermos o tipo de deputado que Ele é. Esse comportamento é de envergonhar até o pior dos canalhas.

Feliciano pode ser substituído por profetisa acusada de formação de quadrilha

Por interino

Sempre pode piorar. E é exatamente o que deve acontecer na Comissão de Direitos Humanos da Câmara. O jornalista Felipe Patury publicou em seu blog que o PSC quer trocar o pastor Marco Feliciano (SP) pela profetisa Antônia Lúcia (AC) na presidência da Comissão.

“Ele é acusado de racismo e homofobia. Ela, de compra de voto, fraude, quadrilha, peculato, caixa dois, falso testemunho…”