Diversos

FOTO: Espingarda no lugar de enxada em homenagem da Secom ao Dia do Agricultor gera críticas nas redes sociais

Foto: Reprodução

Em uma postagem alusiva ao Dia do Agricultor, nesta quarta-feira (28/7), a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República (Secom) compartilhou uma fotografia que mostra a sombra de um homem carregando uma espingarda.

A publicação repete declarações do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), ao dizer que os trabalhadores rurais não pararam durante a pandemia. Ele usa a imagem do homem do campo para criticar governadores e prefeitos pela decretação de medidas de restrição de circulação, adotadas em momentos mais agudos para conter a disseminação do vírus.

A imagem faz referência à medida que estendeu a posse de armas em toda a propriedade rural.

A publicação gerou reações negativas de parte das redes sociais, que questionaram a pertinência da fotografia.

Com Metrópoles

 

Opinião dos leitores

  1. E agora vagabundos do MST????? Vai pra cima pilantras!!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Melhor propaganda de todos os tempos!!!!!

  2. O governo do MINTOmaníaco das rachadinhas tem tanta gente “técnica e preparada” (não sei agora que o centrao corrupto tomou conta de tudo), que devem ter trocado a imagem do dia do caçador e colocaram no cartaz do dia do agricultor… Pense num governo de Ineptos !!!

  3. O Brasil só será seguro e justo para todos, quando o governo federal criar um programa de distribuição de armas de fogo para toda a população sem restrições psicológicas e criminais. Ricos e pobres armados já!

  4. Depois da campanha do Zé Gotinha Miliciano, agora temos o Agricultor jagunço…
    Esse governo é um subproduto do nazismo.

  5. A melhor propaganda de todos os tempos para o agricultor, o MST não avançou um centímetro nas propriedades. Véi Bolsonaro reeleito em 2022.

  6. Diminuiu muito às invasões dos vagabundo do MST nas fazendas kkkkk acabou a teta desses vagabundos

  7. Essa espingarda aí, é pra botar invasores de terras alheias pra correrem.
    Bela homenagem!
    É isso aí mesmo, é o jeito de se proteger de bandidos.

    1. Invasores de terras alheias produtivas, próximas aos grandes centros e com dono. Só querem para fazer comercio e desestabilizar o campo, bando de vagabundos que não querem trabalhar; chama um para produzir na tua propriedade, não querem ir, o negócio e tomar cachaça e ameaçar os que querem trabalhar honestamente.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Humorista Murilo Couto faz piada sobre atropelamento de ciclistas e é alvo de críticas nas redes sociais

Foto: Divulgação

O humorista paraense Murilo Couto teve um vídeo viralizado nas redes sociais. Nas imagens, registradas pela plateia durante uma apresentação do seu show de humor no último domingo (11), Murilo faz uma “piada” sobre o atropelamento de ciclistas no trânsito.

As imagens registraram o momento em que o humorista provoca um espectador ao descobrir que ele é um ciclista. No início, ele faz comentários sobre as roupas coladas usadas por quem pratica o esporte e fala a respeito das posições na bicicleta.

Ele segue com o tema e reclama do fato de ciclistas dividirem pista com carros nas rodovias — um direito assegurado pela lei nº 9.503 do Código de Trânsito Brasileiro. O humorista sobe o tom e defende o atropelamento de ciclistas (assista no vídeo mais abaixo).

“… no caso de ciclista, eu dou razão ao motorista de ônibus que atropela”, disse Murilo.

O caso repercutiu negativamente nas redes sociais. Vários grupos de ciclismo se manifestaram e repudiaram a fala. Até o momento, Murilo Couto não se pronunciou sobre o assunto nas redes sociais.

O grupo União de Ciclistas disse que é “inadmissível a expressão de discursos que incentivem o ódio”. Além disso, eles ressaltaram que o Brasil possui uma das piores estatísticas do mundo em relação a mortes no trânsito.

Já a Associação Brasileira do Setor de Bicicletas disse estar “consternada” com a fala do humorista paraense. Segundo o grupo, quase 14 mil ciclistas morreram em acidentes no trânsito nos últimos 10 anos. Além disso, a associação classificou a “piada” de Murilo como uma incitação ao crime de ódio.

G1-PA

Opinião dos leitores

  1. Esse cidadão não precisa apelar dizer absurdo por mais que seja uma piada ainda sim é uma ideia a idiotas como ele que possa sair atropelando ciclistas por querer.

  2. É apenas HUMOR, piadas, entretenimento. Que povo mais “mimizento”! Deixem de frescura!

  3. Lógico que temos que reajustar os ciclistas.
    Mas é correto uma bicicleta ajudar a numa via a 20 km/h, onde os demais transitam a 40, 60 km/h?
    É correto carroças usarem as vias e bloquearem o trânsito?
    Ou pedestres andarem a 5 km/h na via em vez de andar na calçada?
    Pedalar é bom e saudável.
    Não acho correto andar junto de ônibus e carro
    Poderiam andar em ciclovias e calçadas.

    1. Eu tenho que respeitar vc no seu carro que ocupa o lugar de 20 bicicletas com vc sozinho dentro e vc tem que me respeitar usando a bicicleta no trânsito pois a lei me assegura isso. Vivemos em sociedade e o respeito não pode ser a partir de um ponto de vista mas a partir leis que balizam o comportamento.

    2. As bicicletas são veículos não poluentes, além de serem ótimas para quem gosta de fazer atividades físicas. Eu dirijo carro e pedalo, e respeito as bikes.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

VOCÊ NÃO LEU ERRADO: Banco Central é alvo de críticas por excesso de transparência

Foto: Alliance/DPA

Por muito tempo, o Banco Central (BC) foi chamado de caixa preta. Ultimamente, porém, as queixas são por excesso de transparência. Operadores e analistas do mercado reclamam, de forma reservada, da sinalização explícita sobre o rumo dos juros no médio prazo.

As críticas chegaram aos ouvidos do BC, que resolveu responder. “Achamos que a transparência é importante”, disse o presidente do BC, Roberto Campos Neto, num evento recente. “Os ruídos que a transparência causa são curados com mais transparência, não com menos.”

O que incomoda é que, desde a sua reunião de março, o Comitê de Política Monetária (Copom) vem indicando um ajuste parcial da taxa de juros, ou seja, a manutenção de algum grau de estímulo monetário ao final deste ano. Há grande chance de a sinalização acabar neste mês, mas a polêmica segue.

O argumento central dos que reclamam do excesso de transparência é que o BC não consegue prever com muita exatidão o que vai fazer seis meses adiante. Assim, apenas sinaliza fraqueza ao se apegar antecipadamente a um cenário de menos alta de juros. Isso, segundo esse raciocínio, levou a uma maior desancoragem das expectativas de inflação. “O mau uso da transparência acaba sendo contraproducente”, afirma um economista do mercado.

Nas últimas décadas, os bancos centrais caminharam do segredo quase absoluto das suas operações para uma transparência crescente. O ex-presidente do Federal Reserve (Fed, o BC americano) Alan Greenspan se orgulhava por ser opaco nos seus pronunciamentos. No Brasil, até a criação do Copom, em 1996, o Banco Central dizia que se comunicava pela sua mesa de juros.

“A transparência ajuda na política monetária”, afirma o economista José Julio Senna, chefe do Centro de Estudos Monetários do Ibre-FGV. “Quando o participante do mercado entende o que o banco central está fazendo, antecipa os movimentos, já caminha na direção desejada.”

Senna reconhece que há uma dosagem ótima para a transparência, que, se for ultrapassada, poderia ser contraproducente. Mas pondera que a sinalização de ajuste parcial dos juros foi correta – as críticas, segundo ele, devem-se a um mau entendimento em setores do mercado sobre o que foi de fato sinalizado pelo BC.

Para ele, o Banco Central não assumiu um compromisso imutável com um ajuste parcial de juros. Na verdade, disse que, com o cenário traçado na última reunião do Copom, incluindo projeções de inflação e balanço de riscos, antecipava um ajuste parcial de juros.Isso é parte do regime de metas de inflação, que especialistas chamam de “inflation forecast targeting”, ou mirar as projeções de inflação. “Se as coisas mudarem até lá, o Copom fará diferente.” O Copom, ressalta o economista, comprometeu-se a fazer o que for necessário para cumprir a meta de inflação.

O economista-chefe da Órama, Alexandre Espírito Santo, cita um dos grandes teóricos de política monetária, Alan Blinder, que defende a transparência em um livro clássico sobre a operação dos bancos centrais. “Sistemas de metas de inflação, por essência, necessitam de transparência”, afirma. “Agora, o ponto exato é difícil afirmar.” No caso atual, diz, a comunicação do BC deixa espaço para adequar a sua ação a riscos inflacionários, que ele vê como crescentes.

Um especialista em política monetária diz que há limites para a transparência, dadas as complexidades de operar a política monetária no mundo real, sobretudo a dificuldade de os mercados entenderem mensagens cheias de nuances e de ressalvas sobre incertezas. Mas, para ele, no caso da sinalização de ajuste parcial, o problema não foi exatamente a sinalização em si. “Grande parte do mercado não gosta ou concorda com a leitura do BC sobre o cenário prospectivo – e reclama por isso.”

Uma discussão viva é sobre a diferença entre transparência e explicitude nas decisões futuras de política monetária. Transparência é abrir dados, projeções, toda a sorte de informações. Outra coisa é ser explícito sobre a trajetória futura dos juros, que os agentes do mercado, inevitavelmente, entendem como compromisso. O Banco Central enfrenta um equilíbrio delicado: na medida em que esvazia o caráter de compromisso da trajetória de juros, dilui-se o efeito pretendido de influenciar a visão do mercado sobre qual será a trajetória dos juros no futuro.

A confusão que setores do mercado fazem entre compromisso e sinalização condicional não é nova. Em março de 2018, o Banco Central, na gestão Ilan Goldfajn, começou a ser mais transparente sobre os passos futuros, e deu uma sinalização condicional de um corte de juro de 0,25 ponto percentual para a reunião seguinte. Mas, como o cenário ficou menos positivo, manteve o juro inalterado em 6,5% ao ano – e sofreu críticas por não cumprir o seu “compromisso”.

Em entrevista ao Valor na época, Ilan explicou a comunicação do BC. “Estou querendo ir na direção de bancos centrais mais maduros. Eles divulgam a trajetória esperada de juros, e não só da inflação. Há um entendimento de que um “guidance” [sinalização para os juros] muda se as condições mudam. Estávamos tentando fazer a mesma coisa, com um pouco menos de ambição. Estávamos tentando dizer isso para a próxima reunião, para as próximas duas reuniões.”

De lá para cá, o BC passou a sinalizar seus passos mais imediatos, mas isso não gerou ruído. Em março, disse que subiria os juros em 0,75 ponto na reunião seguinte, de maio; em maio, voltou a sinalizar 0,75 ponto para o encontro subsequente, neste mês. O que gerou confusão, agora, é a sinalização mais de médio prazo, com foco no fim do ano.

Esse aprendizado, que ocorre ao longo do tempo, é que está por trás da aposta de Campos Neto na ampliação de transparência, mesmo com custo de ruídos.

Valor

Opinião dos leitores

  1. Tem que manter a transparência e independência do Banco Central! A independência do BC foi uma das poucas coisas boas que o governo do MINTO aprovou até agora…

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

FOTOS: Doria toma sol sem máscara em piscina de hotel de luxo no Rio em meio a turistas e vira alvo de críticas em meio à pandemia

Foto: Reprodução

No momento em que o Brasil ultrapassa 473 mil óbitos por Covid após 135 dias com média móvel de mortes acima de 1.000, o governador João Doria (PSDB) foi flagrado sem máscara tomando sol na piscina de um hotel em meio a turistas neste domingo (6) no Rio de Janeiro.

A atitude foi criticada depois que imagens do tucano viralizaram em redes sociais. Doria é um dos principais críticos da política do presidente Jair Bolsonaro de ignorar as regras de distanciamento durante a pandemia.

“O governador João Doria estava neste domingo no hotel Fairmont, no Rio de Janeiro, em momento de descanso com a esposa e não promoveu nenhum tipo de aglomeração”, diz nota do Governo de São Paulo.

Sem mencionar o nome de Doria, o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), filho do presidente Bolsonaro, publicou um vídeo curto e escreveu: “‘Lockdown, fome e desemprego pra você, marquinha pra mim…’ Duvido você acertar quem é esse tomando vitamina D! Sabe?”

Outro filho do presidente, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), também compartilhou imagens e afirmou: “Esse é o cara que queria ser líder do país”.

O Brasil registrou 866 mortes pela Covid-19 e 41.114 novos casos da doença neste domingo (6) do fim do feriado prolongado de Corpus Christi. Assim, o país chega a 473.495 óbitos e a 16.946.100 pessoas infectadas pelo coronavírus desde o início da pandemia, no ano passado.

É comum que em finais de semana e feriados os números diminuiam por causa dos plantões nas secretarias de Saúde estaduais.

A média móvel de mortes ficou em 1.629 óbitos por dia —o número está há 135 dias acima de 1.000 mortes diárias, considerado um patamar bastante alto.

Doria já havia provocado controvérsia ao viajar para Miami nas vésperas do Natal de 2020, em meio a um anúncio de endurecimento do plano estadual de contenção da pandemia do novo coronavírus.

Na ocasião, ele planejava tirar licença de dez dias, mas mudou de ideia com a revelação de que seu vice, Rodrigo Garcia, tinha contraído a Covid-19.

Em vídeo na época, o tucano se desculpou e disse que reconhecia o erro. “Desculpas para aqueles que imaginaram que eu estivesse aqui deixando a cidade, o estado de São Paulo, depois de medidas restritivas para desfrutar de uma vida confortável, com menos restrições, em Miami. Não houve esse gesto de pouca responsabilidade da minha parte.”

Folha de São Paulo

Opinião dos leitores

  1. Essa é a pandemia das mentiras, da hipocrisia e da politicagem. O povo brasileiro está tendo uma excelente oportunidade para separar o joio do trigo. Enquanto o povo em geral usa máscaras, muitas máscaras “famosas” estão caindo.

  2. É piada da pesada!
    Em meio uma crise sanitária imprevisível, o governo de SP escalope de sua cidade para desfrutar as delícias do Rio. Como se tudo estivesse as mil maravilhas e esquecendo os seus mortos.

  3. Só quem pode ir pra hotel de luxo é Flávio Bolsonaro? Como bem diz o presidente ele está tomando vitamina D. Está sozinho sem aglomeração.Contra fatos não há argumentos.

    1. O problema não é a máscara, muito menos o sol, é claro. O problema é a hipocrisia. Mas vc com certeza sabe disso. É que vc faz parte do problema.

  4. Impossível ser o Doria. É mentira. Ele nos ensinou a fechar nossas empresas, cancelar nossas viagens, suspender atividades físicas ao ar livre e ficar em casa. Para o COVID19 não nos pegar. #ObrigadoDoria #EsquerdaHipocrita

  5. essa manchete é tendenciosa!! Bruno quando bolsogenonaro estiver aglomerando, aí você faça uma postagem também neste sentido. não deixe de postar esse comentário afinal nós vivemos em uma democracia.

    1. O problema não são as máscaras nem tampouco o sol, é claro. O problema é a hipocrisia. Mas, vcs sabem disso. Se fazem de doidos prá tentar passar melhor.

  6. O problema não é tanto ele estar em um hotel pegando sol, o problema que ele sempre defende que o cidadão fique em casa, sendo que ele faz o contrário, nunca para em casa.

    1. Exatamente. Mas, a esquerdalha insiste em mais uma narrativa mentirosa. Essa gente não tem jeito.

  7. O maior vírus que assola o Brasil é o da hipocrisia, são inúmeros exemplos: professores do serviço público que estão com seus filhos em escolas particulares com aulas semi-presenciais; a turma do fique em casa se aglomerando e ainda posta em redes sociais; pessoas com alto poder aquisitivo que não ajudam ninguém, mas falam de empatia; tem os que são contra o tratamento precoce, mas quando adoecem são os primeiros a tomar;….
    E por ai seguem vários exemplos, existe um ditado que fala ” A palavra Educa, mas o exemplo arrasta”.
    Atualmente no Brasil o ditado mais utilizado é: ” Faça o que digo, mas não faça o que eu faço “

  8. Se ele pagou o hotel com o dinheiro dele, ninguém tem nada a ver com isso.
    O bananinha ficou puto por que o papai genocida dele aglomera e leva o vírus pra onde vai, só isso.

  9. Esse genocida do calça cravada pode ficar sem máscara, que tem o apoio das midiaslixo, dos esquerdopatas e dos hipócritas.

    1. Vai tu pra praia e usa máscara…tua cara vai ficar mais feia do que já é…

    2. Pessoal da esquerda apoiando Dória??? Tá sabendo legal… Kkkkkkk

  10. Dória é um imbecil! Mas perto do MINTO que aglomera em tudo quanto é lugar e raramente usa máscara nem obedece o distanciamento social , o “calcinha apertada” não usar máscara no momento de lazer dele não causa mal algum… E o bananinha ficar alardeando isso nas redes sociais só mostra que ele não trabalha e não tem o que fazer já que projeto que é bom não apresenta nem aprova NENHUM!

    1. Estão os bolsominiun procurando pêlo em ovos.Fracos em argumentos.

    2. Calígula, a diferença entre eu, Dória e Bananinha, é que não concorri a cargo público! Quem concorre tem que prestar contas à população! Mas eles também podem comprar apoio com cargos para ter gente como vc o defendendo o dia todo né!?

  11. O cara está isolado,distante dos outros,bem diferente do abraço de tamanduá dado pelo presidente em inúmeros locais.

    1. Esse cara, diferente do presidente, é estranho kkkkk, comportamento de camaleão.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

“É inadmissível que profissionais de saúde sejam tratados de forma tão covarde”, diz Bolsonaro, sobre ataques contra Nise Yamaguchi em CPI

Foto: Reprodução/Twitter

O presidente Jair Bolsonaro prestou solidariedade à Dra Nise, “médica e cientista com extenso currículo, que participou de um verdadeiro tribunal de exceção. É inadmissível que profissionais de saúde sejam tratados de forma tão covarde!”.

No post no microblog Twitter, o presidente ainda completou:

“É preciso respeitar a autoridade e a autonomia médica. Médicos devem ter liberdade para salvar vidas e isso vem sendo ameaçado por um grupo político que atua visando somente atacar o Governo enquanto nega investigar desvios de recursos para o combate à pandemia”.

Opinião dos leitores

  1. Acho que ele está se referindo as agressões sofridas pelos enfermeiros em Brasília no ano passado durante um protesto, por parte de seu gado e fanáticos.

    1. Deixa de mentira e cria vergonha na cara. Essa gente não tem jeito.

  2. Faltou priorizar as vacinas,propagandeou que era uma gripezinha,ignorou as medidas de isolamento,aglomerou,deu mau exemplo,focou em tratamento previo,co. Cloroquina e ivermectina,como se fosse vacinas,e agora 460 mil mortes,tem que baixar a bola,falar fino.

  3. “Falou o fã do Ustra”!
    Ao reclamar do tratamento de membros da CPI com a médica defensora da cloroquina Nise Yamaguchi, internautas relembram que Bolsonaro é fã de Carlos Brilhante Ustra, um dos maiores torturadores da ditadura, reconhecido pelo tom sádico e violento.

    1. Se vc tá comentando é pq dá atenção…vc é gado? kkkkkkkkkkkkkkkk, os hipócitas nem se mancam…kkkkkkkkkkkkkkkkkk

  4. Presidente dizendo isso, só me vem uma palavra: Hipocrisia. Médico bom para ele, é aquele que compactua com suas insanidades.

  5. KKKK.Logo vc MINTO chamando os outros de covardes? Até agora estou esperando o seu “decreto” que foi “otorizado” na parada do orgulho gado de 1º de maio! Deixe de ser covarde e falastrão e cumpra sua palavra! Já basta o estelionato eleitoral que vc fez ao descumprir TUDO que prometeu em campanha …

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Ciro, Doria, Haddad, Huck e Eduardo Leite: presidenciáveis se unem em críticas a Bolsonaro

Foto: Frame/Reprodução

Cinco presidenciáveis de diferentes partidos e ideologias – o apresentador de TV Luciano Huck (sem partido), os governadores João Doria (PSDB-SP) e Eduardo Leite (PSDB-RS), o ex-ministro da Fazenda Ciro Gomes (PDT) e o ex-prefeito Fernando Haddad (PT) – se uniram neste sábado, dia 17, em críticas duras ao presidente Jair Bolsonaro em relação a diferentes áreas de seu governo, como saúde, educação, meio ambiente e economia. Foi a primeira vez que os cinco se reuniram pelo menos virtualmente. O debate do evento Brazil Conference foi promovido por estudantes brasileiros das universidades norte-americanas de Harvard e MIT.

Os ataques mais pesados partiram de Doria, Ciro e Haddad, que chegaram a chamar Bolsonaro de “genocida” pela gestão da pandemia de Covid-19, que já matou mais de 370.000 brasileiros. Doria taxou Bolsonaro de “facínora genocida”; Ciro, de “fascista e genocida boçal”; e Haddad declarou que acusar o presidente de genocídio não era uma ofensa, “mas dados objetivos que mostram que o governo falhou na grave crise”.

O grupo de possíveis candidatos também destacaram o que consideram como ações anti-democráticas do presidente. Leite o acusou de tentar “desestabilizar” a relação dos governadores com as forças de segurança estaduais e citou os “ataques ao STF e ao Parlamento”. Doria reforçou que ele “flerta permanentemente com o autoritarismo”. E Ciro completou, dizendo que “o delírio do Bolsonaro é formar uma milícia para resistir de forma armada à derrota eleitoral que se aproxima”.

Único do grupo que não tem experiência política nem filiação partidária, Huck discurou que “não é bom” fazer política com o olho “no retrovisor”. “Não adianta pensar com a cabeça do século passado e perder as oportunidades que vêm pela frente. Temos que deixar de lado nossas vaidades e entender que, mesmo com o enorme potencial, o Brasil não deu certo”, declarou ele, sendo rebatido por Haddad, Doria e Ciro, segundo os quais é preciso compreender o passado como um aprendizado para não repetir os erros no futuro.

Apesar de reunirem presidenciáveis de partidos e ideologias diferentes, da esquerda à direita, o tom do debate foi de bastante cordialidade e troca de elogios entre eles. Além de concordarem nos ataques ao presidente, eles aproveitaram o espaço para falar sobre os seus feitos e sugerir propostas para solucionar os problema do país em temas como desemprego, desenvolvimento econômico e tecnologia. No mais, assentiram sobre a necessidade de pensar um projeto de país e superar a polarização política.

Veja

Opinião dos leitores

  1. Vai ser lindo ver o Bolsonaro derrotar toda a elite política podre desse país de uma vez só!!!!!!!!!Todos contra o homi….Chega logo 2022!!!!

  2. Cada dia que passa eu fico mais orgulhoso do meu voto para Bolsonaro, quando vejo esse tipo de gente tudo reunido falando dele prova que ele foi a melhor escolha, para completar a quadrilha falta só o chefe que tem nove dedos.

  3. O QUE ESTES VERMES FIZERAM PARA AJUDAR O GOVERNO NA PANDEMIA??
    ABRAM O OLHO, QUANDO A CORJA SE JUNTA É PQ O GOVERNO ATUAL ESTÁ NO CAMINHO CERTO, SE OBSERVAREM, SÃO ESTES QUE ESTÃO DENEGRINDO O PAÍS E A IMAGEM DO GOVERNO, PQ QUEREM O PODER DE VOLTA, NÃO SEJAM TROUXAS DE CAIR NA LADAINHA DESSE COVARDES.

    1. Se não fosse o Dória, tua mãe ainda estaria sem vacina.
      Teu “governo” só fez prejudicar o país. Bolsonaro é palavrão lá fora!!!

  4. Só quem não critica Bolsonaro é o Bolsominion apaixonado para não arranhar seu ego inflado e não ter o sentimento de que fez uma “má escolha”. Enquanto isso o dólar não para de subir, o preço dos alimentos não baixam e o Brasil entra no mapa da fome novamente.
    Condenar as ações do governo Bolsonaro é uma questão humanitária!

  5. Um magote de “Gente Servegonhonica” cumá dizia cumpade Zé Limeira, esses aí tudim num vale uma gagada, imagine uma “república”

  6. Eu ficaria muito triste e decepcionado se algum desses tivesse elogiando o presidente algo estaria errado.

  7. Os cinco patetas que no decorrer do processo vão se juntar ao ex-presidiário e todos juntos vão levar uma surra nas urnas de Bolsonaro! kkkkkkkkkkkkkkkk

    1. Amém! Que assim seja! Mas o sistema vai tentar matá-lo novamente, Bolsonaro tem atrapalhado o andamento da “República de Brasília”.

    1. Essa turma aí juntando tudo num dar um que preste, Ciro é o maior queixudo do Brasil, Doria uma pilantra não ganha nem pra síndico de prédio esse Hulk narigudo representa o que há de pior na política é um burguês de carteirinha, pense numa corda de Azilado.

  8. Estão preocupados com que? E o canalha, cachaceiro, analfabeto, mentiroso, corrupto e lavador de dinheiro de 9 dedos? Não se garantem? Tem que reunir todos os pilantras do Brasil para tentar derrotar o presidente? Que fraqueza!

    1. Nunca pensei que teríamos tanta mercadoria querendo mamar na tela do povo, so bandido.

  9. Só não vão se juntar para elogiar e aplaudir. Afinal de contas todos querem a mesma cadeira. Simples. Dito isso, são um bando de esquerdistas com ou sem grife na roupa, já passamos 13 anos vendo esse lado e deu no que deu.. agora deixem a direita trabalhar! Infelizmente o mundo foi abatido pelo covid. Mas Deus queira q estejamos na reta final

  10. Pode se juntar essa ruma de merda , que o Véio Bolsonaro e tem aquilo rôxo.
    Vai ser Peia e lapada no primeiro turno.
    MITO
    MITO

  11. É muito político contra Bolsonaro…Ele incomoda gente graúda demais…Esse cara só pode tá certo…Votemos nele novamente!!!

    1. Aos garotinhos que perderam ou perderão o gagal só restam o mi mi mi…

    2. Depende das Urnas Eletrônicas, irão fazer como nos EUA. Até morto votou no BIDÊ.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

FHC fala que Bolsonaro dificilmente vai representar ‘algo diferente’, diz que Lula ‘deve passar o bastão’ e que ‘seria melhor alguém realmente novo no jogo’

Foto: Edilson Dantas/Agência O Globo

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) afirmou que “uma hora as pessoas devem passar o bastão” em referência ao também ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e defendeu um nome de centro para 2022. A declaração foi dada em entrevista à Radio CBN.

— Chega uma hora que as pessoas devem passar o bastão e me refiro ao presidente Lula. Que novidade ele vai trazer? Para o Brasil, seria melhor alguém realmente novo no jogo. Bolsonaro dificilmente vai representar algo diferente do que representou, que foi o “não ao PT”. Ou rompemos essa dicotomia ou o Brasil vai atrapalhar o futuro — disse FH.

O tucano defendeu um nome de centro que seja comprometido com a ”democracia e progresso econômico”. Manifestou apoio a João Doria (PSDB), governador paulista, mas afirmou que pode apoiar Ciro Gomes (PDT), se este for “capaz de levantar votos”:

— Tem que ter alguém que expresse um sentimento de futuro. E esse futuro está altamente prejudicado agora pela saúde pública, a concentração de renda e o desemprego.

O ex-presidente afirmou que é “melhor para o Brasil” que Bolsonaro complete o mandato, pois o país já viveu vários impeachments e isso “deixa marcas”. O tucano destacou, no entanto, que o futuro depende do atual presidente. “Está nas mãos dele”, avaliou. Também criticou a atual gestão:

— O presidente governa para o grupo, a família, os partidários e os amigos dele.

FH afirmou ainda que Bolsonaro tem o histórico de um homem que olha apenas para um lado, seja no Brasil ou no exterior.

— Bolsonaro vê o outro lado como inimigo, e não como adversário — afirmou.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. FHC Socialista de araque!! Esse financiou os banqueiros ladrões e picaretas do Brasil! Banco que “falia” o Socialista ajudava a recuperar! Bandidão!

  2. Os mesmos de sempre, que mandam no país há décadas, falando em novidade? O novo é Bolsonaro que NUNCA participou de suas negociatas e que não tem NADA que descobre sua conduta em mais de 3 décadas de vida pública. Essa é a “novidade” que o povo brasileiro deseja: HONESTIDADE.

  3. Eis questão!!
    Passar o bastão pra quem cara palida??
    Não vá dizer que é pra calça colada.
    Bem!!!
    Seguimos sem adversários.
    Mito 2022, pra continuar mesmo, tem que ser no mínimo 08 anos diferente do que esses corruptos ladrões fizeram no Brasil.

  4. Não é possível que em um País de dimensões continentais, com mais de 200 milhões de habitantes, não haja um homem, ou uma mulher, melhor do que Lula e Bolsonaro.

  5. Por falar em “passar o bastão”, já passou, e muito, da hora de FHC emitir suas opiniões acerca do cenário político nacional.

  6. Na vida tem certos momentos que agente tem que saber que o nosso tempo passou, é assim pra Fernando Henrique, chega o Sr. Já passou do tempo de ficar calado.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Álvaro Dias culpa Governo do Estado pelo caos na Saúde do RN, e diz que é um absurdo prender cidadãos por toque de recolher

Em entrevistas ao Bom Dia RN e ao Jornal da 98 FM nesta terça-feira(09), o prefeito de Natal Álvaro Dias, fez duras críticas ao Governo do Estado. O chefe do executivo do município a grave situação da pandemia ao governo estadual:

“Nós fizemos hospital de campanha e o Governo não fez. Nós defendemos a profilaxia e o Governo não. Temos profundas divergências”, disse prefeito de Natal ao canal InterTV Cabugi.

Sobre as medidas restritivas como toque de recolher, Álvaro não economizou nas críticas:

“Isso é um absurdo você mandar prender os cidadãos de bem porque não estão cumprindo um toque de recolher que ninguém sabe nem se existe legitimidade para o Governo do Estado decretar ou se é isso exclusividade do Governo Federal”, disse o prefeito de Natal, ainda destacando ter editado um decreto de equilíbrio entre a prevenção à saúde e a manutenção dos empregos, já que “a pandemia pode matar, mas a fome mata também”, emendando:

“Se as pessoas começarem a ficar desempregadas, mais do que já estão, sem ter condições de ter o seu salário, o seu sustento, a sua sobrevivência, de fazer a sua feira, como é que essas pessoas vão se manter também?”, declarou em entrevista à 98 FM.

Por fim, o prefeito de Natal ainda disse que a prefeitura chegou a se reunir com a governadora, mas saiu decepcionada da reunião, pois o Governo procurou apenas “ditar o que já havia decidido”.

Opinião dos leitores

  1. Gente,

    Álvaro Dias é uma piada na prefeitura, a saúde dos bairros é uma vergonha, nos postos de saúde, falta profissionais, enfermagem, médico, dentista, regulador e demais, ou seja, a saúde básica não funciona.
    # fora Alvaro Dias e Fátima Bezerra.

  2. Álvaro para Governador. Está dando aula de administração e comprometimento. Só os alienados de esquerda não enxergam…

    Força prefeito Álvaro Dias. Natal e vários municípios lembram de semana a postura firme e luta neste período crítico desencadeado pelo Desgoverno Fátima GD. Ela quer o caos e tentou nas eleições, virada do anos mas conseguiu no carnaval.

    . Fátima GD é pior governadora que o RN já teve.

  3. Eu também sou contra o toque de recolher, mas não acho que o prefeito seja isento de críticas. Se a prefeitura tivesse feito muito melhor que o estado não teríamos as UTIs lotadas e os casos disparando. Ambos foram incompetentes, só que de formas diferentes.

  4. Álvaro vem demonstrando equilíbrio. O decreto da governadora petista tem caráter politiqueiro e ditatorial. Que Deus tenha misericórdia desse pobre estado. Em 2022 o povo lembrará das medidas ditatoriais e votará em quem evitou mexer com a barriga do povo.

    1. E nas outras capitais? Não há toque de recolher? Somente aqui que estão fazendo a coisa errada? O ser humano é o pior vírus, não enxerga um palmo além do nariz, não consegue se ver como um ser social que depende do outro.

  5. Parabéns ao prefeito. Não votei nele, mas ele está certíssima, tanto em relação à absurda incompetência da governadora em não abrir um grande hospital de campanha em Natal após 12 meses de pandemia, quanto em relação à ridícula e inconstitucional prisão domiciliar de cidadãos não condenados por sentença criminal. Mas, como se vê sempre nesses comentários, existe também gado de esquerda, e como!

  6. Alvaro Dias, ao contárrio da DESgovernadora, está tentando fazer o certo desde o início da pandemia, ainda quando se sabia muito pouco desta praga, abriu hospital, centros de triagem que funcionam melhor que o dos planos de saúde privados e implantou o tratamento desde o primeiro sintoma da covid, ao contário da DESgovernadora que só está preocupada em fazer política, nem que precise DESTRUIR o estado para isso.

  7. Já que Fatão gosta tanto de copiar os governos da Bahia e do Ceara, até os decretos são parecidos, parece até copia e cola, porque também não paga um auxilio para os garçons/cozinheiros/músicos e todos que trabalham nos bares e restaurantes, dinheiro com certeza não é o problema, agora ficar esperando só pelo governo federal é bom demais é uma prova da incompetência

  8. CAICÓ AGRADECE: A população de Caicó agradece ao povo de Natal por absolver Álvaro Dias. Que vcs fiquem com ele uns 100 anos, com ele e toda a turma de Caicó que ele levou ai para se empregar na prefeitura. Caicó e o Seridó agradece. Nosso Muito Obrigado.

  9. PARABÉNS PREFEITO, muitos precisam trabalhar para garantir o alimento da família. As medidas de restrição precisam considerar a todos e enxergar a situação dos que mais precisam.
    O Fique em Casa é muito fácil para os SERVIDORES PÚBLICOS que estão com os salários garantidos.
    O Governo do Estado se queria medidas mais restritivas deveria também ter providenciado o AUXÍLIO FINANCEIRO para quem ficou com a renda prejudicada.
    O verdadeiro gestor enxerga a todos, e não apenas aos seus eleitores.

  10. O prefeito está dando AULA à desgovernadora do PT. Esse "lockdown" é a maior prova de INCOMPETÊNCIA que Fatão podia dar. Recebeu MUITO dinheiro do governo federal (aplicou em que?) e, mesmo depois de UM ANO de pandemia, ainda tem a cara-de-pau de falar em falta de leitos. Se não há leitos suficientes, a CULPA É SUA, governadora. Deixe de papo furado e de mentiras e TRABALHE, FAÇA ALGO em prol do RN. Porque até agora, não há NADA que se possa exibir de positivo desse caótico e bisonho governo. Uma CATÁSTROFE.

  11. Boas opiniões Sr Prefeito Alvaro Dias , meu colega.
    Pergunto ao Sr ; e o povo andando em pé nos ônibus , a culpa é de quem ? as aglomerações em janeiro e fevereiro nos Delivery de bebida alcoólica a noite toda , a culpa é de Fátima ?
    Cada um que OLHE para o seu …….

  12. Esse bicho é muito esperto que jogada politica ele ta fazendo, tem que prender mesmo porque o povo tá sem noção, olhe que nem gosto de governo do PT.

  13. Prefeito, não se desespere.
    Não persista no erro.
    O que significa profilaxia?
    Usar máscaras, lavar as mãos, usar álcool em gel, evitar contato físico e aglomerações são o que? Tratamento?
    Nas aulas de biologia do ensino médio ainda na década de 90 qdo estudávamos o cíclo evolutivo das doenças, a expressão profilaxia era básicamente sobre como não contrair a doeça.
    Então use o termo do Dr. Luiz.
    Abordagem precoce, ou seja, adoeceu comece o tratamento o quanto antes.
    Eu não tenho dúvidas que a maioria das pessoas infectadas ou estão tomando Ivermectina e é direito de todos tomar ou não, mas o relaxamento nos medidas de prevenção e nessa estória de medicamemto milagroso estimulou as pessoas a se contaminar na esperança de ter um placebo pra lalva los por pessoas como.

  14. Prefeito nao tem criatividade, repetindo discurso de Bozo para se opor ao governo estadual, sacrificando vidas e só pensando em eleição! Vergonhoso!

  15. Votei nesse senhor e já sinto o gosto amargo de ter feito isso, hoje pela manhã fiquei estarrecido com a postura dele em uma entrevista no BDRN, nosso povo morrendo e ele preocupado em seu próximo palanque eleitoral, que tristeza, tudo nesse pais tem que ter um partido politico, vidas indo embora e o prefeito de Natal atiçando picuinhas, que terrível.

    PS: Já votei em Fátima e tb já votei em AD, só para deixar claro o que penso e para botar abaixo aqueles comentários que nos atacam dizendo que vc é isso ou aquilo qd trata-se de politica.

  16. Álvaro Dias está certíssimo!!
    O que falta é só leitos pta acudir o povo.
    O resto e cachorrada dessa desgovernadora.
    Para que se tenha uma idéia, hoje com o aumento dos casos, o Rio Grande do Norte, não tem disponível o número de leitos, que se tinha em AGOSTO DO ANO PASSADO.
    ISSO É IMORAL!!!!!!
    ESCANDALOSO!!!
    DEPUTADOS E MP, FAZENDO DE CONTAS QUE NÃO É COM ELES.
    VERGONHA!!!!!
    A desgovernadora prefere fechar leitos e hospitais, gastar combustíveis, milhares de diárias operacionais com a polícia para botar o povo pra dentro de casa na marra.
    Se não obedecer, o pau canta no espinhaço de nego.
    *O CHAMADO PROJETO*
    ** SURRÃO.**
    Perfeito!
    FREFEITO.

    1. Os profissionais de saúde são seres humanos e estão exaustos.
      A população tem que entender que não dá pra substituir e nem aumentar a quantidade desses profissionais como mágica.
      A formação de um médico é no mínimo 9 anos…e como achar que vão elevar o número de leitos nos hospitais sem profissionais.
      Basta 1% da população do RN precisar de UTI para que o caos se instale de forma incontrolável.
      No RN somos 3.534.165 ( dados do IBGE em 2020).
      Fazendo esse cálculo simples, podemos entender que sem vacina, estamos caminhando e cantando pra o matadouro ?
      Infelizmente apenas 1% da população brasileira tomou as duas doses da vacina.

    2. Sra Natália, profissionais de saúde tem em todos os municipios do RN sendo desperdiçados bote isso na tua cabeça.
      Resolveram Concentrar os poucos leitos covid 19, em Natal Mossoro Caico.
      Mas poderia ter em São miguel, Apodi, umarizal, Jucurutu, Santana do Matos, Parelhas, Florânia, lagoa nova, Tangara Macaiba, são jose do mipibu, Canguaretama etc etc etc etc… todos esses municipiod aí por exemplo, tem estruturas pra cuidar de doentes nas medidas proporções, melhor do que deixar morrer a míngua entregue a propria sorte.
      Não procede os seus argumentos.
      Falta competência por parte do governo.
      Ponto final!!
      FORA FATÂO GD.

  17. Por trás desse vírus existe uma política, e agora começou pra valer. Esse prefeito e sua trupe querem o governo do Estado.

    1. Eu conheço esse cidadão e sei o tamanho da ambição política que ele tem,a sede pelo domina a cabeça desse cidadão, conheço sua história política desde des

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

CGU abre processo contra dois professores universitários após Bolsonaro ser chamado de ‘sujeito machista, racista, homofóbico, genocida’, entre outros

O ex-reitor Universidade Federal de Pelotas Pedro Rodrigues Curi Hallal Foto: Divulgação

A partir da representação de um deputado federal, a Controladoria-Geral da União (CGU) instaurou um processo contra dois professores universitários que criticaram o presidente Jair Bolsonaro. Chamados a dar esclarecimentos, os dois professores da Universidade Federal de Pelotas (Ufpel) assinaram um termo de ajustamento de conduta (TAC).

Um dos alvos é o ex-reitor da Ufpel Pedro Hallal, que tem sido um crítico da atuação de Bolsonaro na pandemia de Covid-19. De acordo com Hallal, ele teve que se comprometer a não repetir o ato pelos próximos dois anos.

O outro alvo foi o professor Eraldo dos Santos Pinheiro, pró-reitor de Extensão e Cultura da Ufpel. O TAC é um acordo firmado em casos de infração disciplinar de menor potencial ofensivo que impede a continuidade do processo administrativo.

Os extratos dos TACs foram publicados na terça-feira no Diário Oficial da União (DOU) e registram que os professores proferiram, em janeiro, “manifestação desrespeitosa e de desapreço direcionada ao Presidente da República”. O ato é baseado em um artigo da lei 8.112 que proíbe funcionário públicos de “promover manifestação de apreço ou desapreço no recinto da repartição”.

Como as falas foram feitas em canais oficiais da Ufpel no Youtube e o Facebook, a CGU considerou que isso poderia ser considerado como “local de trabalho”, “por ser um meio digital de comunicação online disponibilizado pela universidade”.

De acordo com Hallal, o processo na CGU foi motivado por uma representação do deputado federal Bibo Nunes (PSL-RS). O professor disse, no entanto, que uma análise descartou infrações graves e determinou que o único enquadramento possível seria no artigo sobre o “desapreço”, considero de menor potencial ofensivo. Por isso, o professor preferiu assinar o TAC e evitar um processo.

— Eu conversei com os meus advogados e entendemos que esse era um desfecho adequado para nós, porque era um arquivamento sumário do processo. As acusações graves a própria CGU descartou — relatou o ex-reitor.

A CGU foi procurada para comentar o caso, mas ainda não retornou. Bibo Nunes afirmou que fez representações contra Hallal em diversos órgãos e que pediu o afastamento do professor da vida pública. Ele considera o TAC “muito aquém” do necessário.

Crítica à nomeação de segunda mais votada

A fala que motivou o processo na CGU foi realizada durante transmissão para comentar a nomeação da nova reitora da Ufpel. Após votação para definir o substituto de Hallal, Bolsonaro nomeou a segunda mais votada da lista tríplice, Isabela Fernandes Andrade, o que foi criticado pela comunidade acadêmica.Isabela, no entanto, resolveu dividir o cargo com Paulo Ferreira Júnior, o mais votado.

Em transmissão no dia 7 de janeiro, Hallal afirmou que Bolsonaro tentou dar um “golpe” na universidade:

— Quem tentou dar um golpe na comunidade foi o presidente da República, e eu digo presidente com “p” minúsculo. Nada disso estaria acontecendo se a população não tivesse votado em defensor de torturador, em alguém que diz que mulher não merecia ser estuprada ou no único chefe de Estado do mundo que defende a não vacinação da população — disse o professor, na ocasião.

Na mesma transmissão, Eraldo chamou Bolsonaro de “genocida”:

— Grupo liderado por um sujeito machista, racista, homofóbico, genocida, que exalta torturadores e milicianos. Que ao longo do tempo vem minando, destruindo as estruturas já precárias de nossas instituições.

No ano passado, o GLOBO mostrou que um documento produzido pela CGU estabelecia que poderiam ser punidos os servidores públicos federais que usarem as redes sociais para criticar seus superiores ou órgãos que ocupam. Um dos pontos levantados pelo órgão na época foi justamente o artigo que trata de manifestações de “desapreço”.

Entretanto, a posição não é unânime dentro do governo federal. Pelo menos um ministério já expôs entendimento divergente: também no ano passado, a consultoria jurídica do Ministério da Defesa emitiu parecer reconhecendo que os servidores civis não podem ser punidos administrativamente por criticarem o presidente.

O Globo

 

Opinião dos leitores

  1. É um preparo para implantar a lei da mordaça. Esse país com esse "presidente", com o" P" minúsculo, a cada dia cresce como rabo de cavalo, só para baixo.

  2. Sorte q foi contra o pateta, se fosse contra o mosqueiro Alexandre ou um de seus pares estaria na jaula

  3. A CGU deveria analisar o comportamento aético, acintoso do Reitor do Instituto Federal do RN que, faz alguns, chamou o presidente Jair Messias Bolsonaro de bandido. Muita falta de respeito do militante petista.

  4. Bem feito pra essa turma não ficar falando do Chefe.
    Tem que respeitar!!Se fosse com Alexandre de Morais já estariam recolhidos a uma penitenciária agrícola.

  5. A lógica não pode servir de conveniência a ninguém, quando um desvairado agrediu um poder, muitos o criticaram acertadamente…..onde estava a liberdade de expressão? Agora agridem um presidente eleito legitimamente, gostem ou não e querem tratamento diferenciado? "Pau que bate em Francisco, bate em Chico"

    1. E o deputado federal do rio de janeiro?
      Não pode usar essa liberdade não?
      Hehehehehe…

  6. Liberdade de expressão sem dúvida alguma.
    Fazem isso p intimidar e perseguir os opositores. Tá igual Maduro na Venezuela.

  7. A direita demora demais para buscar seus direitos. Quando um ser vivo chama um esquerdista de feio, no outro dia tem 200 advogados abrindo ação penal contra o radical, opressor, anti democrático e perigo para sociedade que teve a falta de respeito em chamar uma pessoa da esquerda de feio. Não? Exemplos não faltam. Tem traficante e chefes de facções que foram presos e estão soltos, mas deputado e jornalista que emitiram opiniões estão presos, sem direito a fiança.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comportamento

“A esquerda criou palco, ganhou um espelho e não gostou do que viu”, diz filósofo UFBA, sobre polêmicas no BBB 21

Foto: TV Globo

“Ele é sujinho. Se esfregar bem…”, “louco” e “abusador” e “quer usar a agenda LBGT” foram algumas das declarações que geraram polêmica na 21ª edição do Big Brother Brasil, reality show transmitido pela TV Globo.

Mas a forte repercussão nas redes sociais não se deu apenas pela natureza dos comentários, mas de quem veio — representantes do que muitos consideram ser militantes da diversidade e contra o preconceito.

Se ao público coube o julgamento moral, na opinião de Wilson Gomes, filósofo e professor titular de Teoria da Comunicação da Universidade Federal da Bahia (UFBA), são sinais reveladores da “fragmentação da esquerda identitária”, que não tem “um projeto de sociedade unificado”.

“A esquerda criou palco, ganhou um espelho e não gostou do que viu”, opina Gomes, pesquisador e autor de 11 livros, entre eles Crônica de uma Tragédia Anunciada: Como a Extrema-Direita Chegou ao Poder.

“Esse BBB se tornou um laboratório a céu aberto da fragmentação dessa esquerda identitária que não tem um modelo de sociedade, que é dividida em tribos e que não concilia o discurso da diferença com o da igualdade”, disse ele em entrevista à BBC News Brasil. “Não há, portanto, espaço para conciliação. É como se cada pedaço da sociedade tivesse que cuidar de si. Ou, como digo, ‘farinha pouca, meu pirão identitário primeiro’.”

Algumas lideranças do movimento negro, no entanto, dizem que os participantes não falam pela causa, tese com a qual Gomes não concorda.

Ele, que também pesquisa comunicação e política nas redes sociais, diz acreditar que a edição deste ano do Big Brother Brasil quis se aproveitar “do rescaldo do movimento Black Lives Matter” dentro de um contexto em que há um esforço de valorização e cobrança por maior representatividade das minorias em espaços públicos. De fato, metade do elenco BBB21 é negra, maior porcentual da história do programa.

Mas, segundo ele, apesar disso, o que o público do lado de fora viu foi um “conflito sem limites das tribos identitárias colidindo uma com a outra”.

“As tramas amorosas e sexuais, recorrentes em outras edições do programa, foram substituídas por ‘tretas’. O público achou aquilo assustador enquanto a esquerda tradicional, que oferece complacência enorme em relação aos abusos desses grupos identitários, ficou desnorteada”.

“O que vemos ali é cada um buscando sua superioridade moral e se permitindo comportamentos autoritários e agressivos simplesmente por causa de seu pertencimento a um grupo estruturalmente desvantajado ou historicamente marginalizado”.

Na visão de Gomes, parte-se assim da visão de que o pertencimento “a essa minoria que sofreu, me dá um ‘Super Trunfo’. E, portanto, o que eu faço tem uma espécie de excludente de ilicitude”.

O filósofo faz alusão ao jargão jurídico — quando uma pessoa pratica um ato geralmente considerado ilícito ou impróprio sem ser punida por isso — para comentar polêmicas como a que aconteceu durante uma festa, quando o participante Gilberto Nogueira afirmou ser um homem negro, declaração que incomodou a rapper Karol Conká e o comediante Nego Di. Este disse: “Ele é sujinho. Se esfregar bem…”. Karol Conká e Nego Di se declaram negros.

Em outro desdobramento, Conká foi acusada de violência psicológica contra o ator Lucas Penteado (de “Malhação”), que também se declara negro, chamando-o de “louco e abusador”. Isso se agravou depois que Lucas tratou outra participante, Kerline, com uma “abordagem invasiva”, repleta de “nomes assustadores”, segundo relato dela própria. Kerline acabou tendo uma crise de choro, e o episódio fez com que alguns participantes do programa agissem duramente contra Lucas, deixando de falar com ele ou proibindo que ele se sentasse à mesa, por exemplo.

Já a psicóloga social Lumena acusou Lucas de autopromoção ao protagonizar com Gilberto o primeiro beijo entre homens em 20 anos do programa. Ela disse: “Lucas tá usando os pretos para se autopromover. Primeiro foi uma agenda racial e agora uma agenda LGBT. Eu não fico falando da minha mulher e que sou sapatão”. A fala deu origem a brincadeiras e críticas nas redes sociais, com usuários criando uma fictícia “carteira de bissexual” a ser submetida à autorização prévia de Lumena.

‘Racismo do bem’

Isolado e criticado pela grande maioria dos colegas, Lucas decidiu deixar o programa na manhã de domingo (7).

Gomes vê o que chama de “complacência” da esquerda com relação a comportamentos como estes em torno da desistência do participante Lucas.

“Há uma esquerda que passa pano para os abusos autoritários, linchadores e canceladores da esquerda identitária. Tem sido sempre assim. Eles vivem nessa complacência, embora estes sejam comportamentos que violem as crenças da própria esquerda”, diz.

Wilson Gomes destaca a ausência de espaços para a construção de diálogos. Foto: Divulgação

“Parece que estamos falando de dois tipos de racismo: um racismo que é condenável quando o vetor vai do branco para o negro e outro racismo para o qual ‘se passa pano’, que tem que ser chamado de outro nome, porque vai de um negro para outro negro, ou do negro para o branco”.

“A crítica não é então por princípio. Seria por conveniência? Os conservadores acusam os progressistas justamente disso quando falam sobre o suposto ‘racismo do bem’ ou ‘ódio do bem'”.

“Na minha visão, a crítica tem que ser por princípio: racismo é racismo, não importa de onde venha, abuso psicológico é abuso psicológico, não importa de onde venha. Autoritarismo que humilha outras pessoas é autoritarismo, não importa de onde venha”, argumenta.

Segundo Gomes, esse tipo de atitude acaba fortalecendo a direita, que ele também classifica como identitária, mas, em sua avaliação, muito mais “unificada”.

“O cientista político americano Mark Lilla fala sobre como esses movimentos hiper-identitários foram muito importantes para a ascensão do trumpismo e eu ousaria dizer para a ascensão do bolsonarismo também. Afinal, se alimentam desse híbrido identitário”, assinala.

“Pode ser que o defensor das armas e o antiabortista tomem caminhos separados no futuro, mas não há dúvida de que existe um projeto de sociedade unificada na direita, a partir de uma visão conservadora do mundo.”

Nesse contexto, Gomes lamenta a ausência de espaços para a construção de diálogos.

“As pessoas falam dentro das suas próprias tribos. Na luta antirracista da atualidade, não há espaço para um Nelson Mandela ou um Martin Luther King, pessoas com discurso universalista, conciliador”, diz.

“Não vejo a criação de pontes, a construção de diálogos. A esquerda de hoje é como um arquipélago. A feminista que não se junta com mulher negra, que, por sua vez, não se junta com o homem negro. Trata-se de várias ilhas que, quando se juntam, se chocam. É isso que estamos vendo no programa”, conclui.

BBC

 

Opinião dos leitores

  1. Entrevista muito antenada e com um olhar aguçado para o momento atual aí amplificado pelo programa da rede globo.
    O que já se observava antes ficou escancarado na TV, pessoas que se utilizam de movimentos que tem causas nobres de maneiras distorcidas

  2. O PALCO DO BOLSOTRALHA SAO TIROS NA CABECA DOS OTARIOS QUE LHE ELEGERAM….E TOME A LIBERAÇÃO …A PRÓXIMA VITIMA SERA QUEM APLAUDE BANDIDO …COM PIRES NA MÃO E FOME NA BARRIGA

  3. Simplifica q dá certo…é só não roubar e não discriminar ninguém que a esquerda ganha moral… não acredito que isso aconteça

  4. Ou seja, a esquerda hipócrita prega a diversidade de idéias e pensamentos mas não aceita o contraditório. Vivem de utopias.

  5. Esse negócio é complicado, esse BBB e o momento que vivemos precisa ser refletido com mais seriedade, não é crível que permitamos o desmantelo do tecido social, isso se já não for tarde.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Bolsonaro rebate críticas ao governo por compra de leite condensado e cita destino ao Ministério da Defesa e a Funai; Mourão fala em ‘pura fumaça’ e diz que gastos são previstos

Foto: Bruno Batista /VPR

Alvo de críticas devido ao gasto de R$ 15 milhões do governo federal com leite condensado, o presidente Jair Bolsonaro se defendeu nesta quarta-feira compartilhando um texto que circula entre seus apoiadores. A mensagem afirma que o leite condensado é utilizado pelo Ministério da Defesa e pela Funai em missões em locais distantes. O vice-presidente Hamilton Mourão também minimizou os gastos.

A informação sobre os gastos do governo federal foi divulgada pelo site Metrópoles. Utilizando dados extraídos do Painel de Compras do Ministério da Economia, o site mostrou que o governo gastou R$ 1,8 bilhão com alimentação em 2020. Os gastos são referentes a todos os órgãos do Poder Executivo. As compras do Palácio do Alvorada, onde Bolsonaro vive, não estão computadas no levantamento.

Bolsonaro compartilhou em seu canal no aplicativo Telegram trecho de um texto que justifica os gastos com leite condensado “Os maiores compradores da iguaria são o Ministério da Defesa e a Funai, por um motivo comum: em locais distantes e pouco acessíveis, não é viável o transporte e o armazenamento de leite fresco, que estraga rapidamente”, diz a mensagem.

Também nesta quarta-feira, Mourão disse que o tema é “pura fumaça” e faz parte de uma “pressão” que estaria sendo feita contra o governo federal.

— Pura fumaça. Todos esses gastos são gastos orçamentários, previstos alguns como despesa obrigatória, outros como despesa discricionária, que foram efetuados dentro do que estava previsto no desembolso do Orçamento do ano passado. E se pegar o que foi gasto em anos anteriores eu tenho certeza que estará mais ou menos no mesmo patamar. Isso faz parte dessa pressão que está sendo feita em cima do nosso governo.

O vice-presidente disse que não acredita que a divulgação dos gastos possa trazer consequências negativas para o governo. Na terça-feira, parlamentares pediram para o Tribunal de Contas da União (TCU) investigar as compras.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. A questão não é o valor total das compras. A questão 01 – Há necessidade? A questão 02 – O preço pago foi o preço de mercado? A questão 03 – As empresas fornecedoras, são idôneas ou existem para estes fins? Ninguém em sã consciência imaginaria que está quantidade de itens iria só para o Palácio onde a Besta Fera está temporariamente.

  2. Nem sabia que o Ministério da Defesa usava como estratégia a produção de PUDIM… É uma doçura esse governo!!!!

  3. Ah ladrão, gastou 1 bilhão e 800 milhões, com alimentação, canalha veio duro, enquanto isso para o povo ozônio no rabo e a maior inflação dos últimos 11 anos, pior investimentos internacionais no país, vai gado o capim tá ficando escasso. Gasolina e diesel mais caro de tds os tempos.

  4. BG cadê os comentários do leite condensado, foi a notícia mais comentada desde ontem, vou parar de comentar, tô sentindo que estás a livrar o Minto, igual a seu amigo do interior

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Maia diz que ‘daria para fazer livro de três volumes’ com promessas não cumpridas da equipe econômica

Foto: Jorge William / Agência O Globo

Em mais um episódio de confronto direto com o ministro da Economia, Paulo Guedes, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta quarta-feira que seria possível “fazer um livro com três volumes” reunindo promessas não cumpridas pela equipe econômica.

— Acho que não tem pauta, acho que não tem agenda. Não tem agenda para a vacina, não tem agenda para os mais pobres, não tem agenda para a recuperação econômica, para a geração de empregos. Tem muita promessa. Você consegue fazer um livro com três volumes das promessas que a equipe econômica fez e não botou de pé nenhuma até hoje — afirmou Maia, em coletiva de imprensa na Câmara.

A declaração foi dada após o parlamentar se queixar da dificuldade do governo em articular a votação de pautas consideradas prioritárias na agenda econômica, como a reforma tributária e medidas de ajuste fiscal, que tramitam no Congresso há mais de um ano.

Bolo para PEC Emergencial

Em tom irônico, Maia falou, mais de uma vez, em trazer um bolo para a Câmara para comemorar um ano de atraso na votação da proposta de emenda à Constituição (PEC) Emergencial, que trata de gatilhos para redução das despesas públicas.

— Estou pensando, para dar um alerta ao governo, em trazer um bolo amanhã para comemorar um ano da promessa de votar a PEC Emergencial no Senado — disse, complementando que se o projeto já era importante no ano passado, para 2021 a proposta é “decisiva”

Mais tarde, na mesma coletiva, Maia foi questionado sobre o parecer da PEC Emergencial, apresentado pelo senador Márcio Bittar, e disse que não tinha lido o texto, mas voltou a usar de um tom irônico:

— Depois de um ano, enfim, apareceu um texto que deveria estar articulado com o governo. Aí sim, em vez de bolo para comemorar atraso, é um bolo para comemorar o início da votação da PEC Emergencial.

Para o presidente da Câmara, o Orçamento de 2021 só poderá ser votado depois que o Congresso promulgar a PEC Emergencial.

Estado de calamidade

Questionado sobre prazo de votação, Maia disse que não é possível completar a votação da PEC Emergencial ainda em 2020, mas que está disposto a pedir ao plenário que faça a apreciação ao longo de janeiro. Para Maia, assim, o texto poderia ser promulgado em fevereiro, e os próximos presidentes da Câmara e Senado tratariam do Orçamento de 2021.

Maia também disse, mais de uma vez, que não votará prorrogação do Estado de Calamidade e da PEC da Guerra, e voltou a cobrar que o governo arrume as suas contas:

— Outro tema importante que eu gostaria de esclarecer e ontem teve muito boato: não haverá votação de prorrogação do Estado de Calamidade nem da PEC da Guerra. O governo que trabalhe para organizar o seu Orçamento dentro das regras atuais, respeitando a regra de ouro, que parece que o Senado está mudando e nós não vamos aceitar, porque ela garante, de forma clara, que a dívida pública só pode estar atrelada a investimento e não a despesas correntes. Que o governo volte a respeitar, a partir de primeiro de janeiro, a Lei de Responsabilidade Fiscal.

‘Maldita CPMF’

De acordo com Maia, se o governo não trabalhar dessa forma será obrigado a anunciar aumento de impostos no ano que vem e a sociedade não aguenta mais impostos nem uma “maldita CPMF”.

— A sociedade não aguenta mais pagar impostos. Então, se nós não organizarmos as despesas dentro do Orçamento primário de 2021, baseado no de 2020 mais inflação, certamente, no segundo semestre do próximo ano, o governo vai voltar com a maldita CPMF ou com qualquer outro imposto com nome bonito, diferente, mas que mais uma vez cobra da sociedade uma responsabilidade que é da política e dos governos.

Apesar do tom crítico ao governo, Maia defendeu que a Câmara aprove o projeto de lei encaminhado pelo Executivo para unificar os impostos federais PIS e Cofins em um novo tributo, chamado de Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS).

O texto seria votado junto com a PEC que combinará elementos das duas propostas de reforma tributária elaboradas pelo próprio Legislativo, uma com origem na Câmara, outra no Senado, que tratam também de impostos estaduais e municipais.

— Há uma intenção do governo que a gente pudesse começar a transição da reforma tributária que o governo encaminhou, que é muito bom. Gerou polêmica exatamente porque resolve distorções a favor de alguns, que prejudicam a maioria da sociedade. Talvez esse seja o melhor caminho, votar o primeiro turno da PEC e ao mesmo tempo votar o projeto de lei que unifica o PIS e Cofins, mostrando que tanto o Parlamento quanto o governo têm propostas que são convergentes em relação aos impostos sobre consumo — disse o presidente da Câmara.

Segundo Maia, a ideia de uma reforma tributária é criar um ambiente para que o país possa crescer, pois só as reformas previdenciária e administrativa não conseguirão fazer isso. Ainda de acordo com o presidente da Câmara, crescer 3,5% ou 4% em 2021 é igual a zero, devido à comparação de base estatística.

— Se o Brasil quer sair da armadilha do excesso de gastos que construímos ao longo dos últimos 30 anos, o Brasil precisa crescer antes de se pensar em reduzir o tamanho do Estado. São dois debates. Uma coisa é discutir despesa, outra coisa é discutir reforma tributária. Muitos tentam vincular, que tem que reduzir despesa para fazer reforma tributária depois. Uma coisa não tem a ver com a outra. O problema é que nosso Estado foi capturado pelas corporações do setor público e privado. Temos quase R$ 400 bilhões de incentivos fiscais que, na sua maioria, só atendem a setores específicos e não atendem à sociedade. Nós construímos um Estado para a elite, onde o pobre está sempre abandonado. O pobre não é invisível, o pobre só está abandonado pelo Estado brasileiros há muitos anos.

O Globo

 

Opinião dos leitores

  1. Botafogo sabotou as poucas ideias boas que chegou ao congresso, não a toa ele está alinhado com os partidos de esquerda

  2. Botafogo!!!
    As suas canalhices da pra fazer umas duzentas mil enciclopédias.
    Vc não presta canalha.
    Como é que um cara criado em berço de ouro é ruim desse jeito??
    FDP…
    Seu pai ensinou foi??
    Em que diabo de colégio vc foi diplomado??

  3. O resumo dos projetos e pautas, que este canalha trava contra o governo e contra o Brasil. Daria para se fazer uma enciclopédia.

  4. A maior verdade o que Rodrigo Maia falou.
    O Governo não tem projeto, os fa prometer.
    Onde se encontra as privatizações?
    Onde esta a desoneração da folha de pagamento?
    Onde esta a redução da carta tributária?
    Só promesas….

  5. Bastava UMA única coisa para ver que este governo está errado: no começo do ano o senhor ministro da economia, Paulo Guedes disse – o dólar só ultrapassa os 5 reais se o governo fizer muita besteira". Pois bem, segundo o próprio ministro o governo está fazendo MUITA besteira!

  6. Antes Rodrigo Mais tenha o respeito e mostre ao povo brasileiro quantos projetos do governo você engavetou.
    Antes NHONHO mostre as MP que beneficiava o povo e você deixou expirar, como a carteira estudante digital grátis, o IPVA grátis, entre tantos outros.
    Antes o senhor tem que dizer a razão de ser chamado de BOTAFOGO na planilha da odebrecht?
    Antes de criticar por puro revanchismo ao governo, responda aos processos criminais que está envolvido. Só para começar…

  7. Esse safado é um bandido.
    Todo mundosabe como ele trata as pautas do governo.
    Tá dando uma de petista, empurrando pra cima dos outros.

  8. Esse babaca era quem mais atrapalhava o crescimento do país. Agora que sabe que perdeu a boquinha, fica falando bobagens. O novo Sérgio moro.

  9. Pois é Botafogo sua história de corrupção e atraso para o país daria para fazer uma enciclopédia.

    1. Se o Bozo levar um chute no saco é capaz do Calígula perder os dois últimos dentes que ainda tem. Pense num baba ovo!

    1. Se Botafogo fosse contra o genocida, já teria aberto o processo de impedimento desse inepto do presidente.
      Tudo farinha do mesmo saco.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

FHC: ‘O melhor é aguentar Bolsonaro e dar a resposta na hora certa, nas urnas’

FHC: “O presidente da República é símbolo, esse é um peso complicado” – Caio Guatelli/VEJA

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso preocupa-se, e muito, com a liturgia do cargo do presidente.

Indagado sobre a comemoração do presidente Jair Bolsonaro da interrupção dos testes da Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan junto com o laboratório chinês Sinovac, FHC disparou: “A fala é um desastre”.

“O presidente se equivocou redondamente, porque é um assunto muito delicado e grave que atinge todas as pessoas. Todos estão preocupados com o coronavírus. Desdenhar disso, fazer de conta que não é nada, é um erro político enorme, e ele vai pagar o preço por isso”, diz o tucano.

“O presidente da República é símbolo, esse é um peso complicado. Quando existe poder, tem que ter um certo simbolismo para a nação, do conjunto de brasileiros. E ele fica de um lado só. Está errado, não pode”, afirma Fernando Henrique Cardoso.

Sobre um possível processo de impeachment contra o atual presidente, FHC ponderou: “O melhor é ter paciência histórica e aguentá-lo por um tempo e, na hora certa, dar a resposta conveniente”. Onde? “Nas urnas, claro”.

Radar – Veja

Opinião dos leitores

  1. Mais uma vez o JB vai estar certo com relação a está vachina
    O BG não postou por não ter uma comprovação, mas a CNN no dia 11/11 por volta das 19:30, (quem tiver condições pesquise) teve acesso ao contrato sigiloso do calça apertada com a sinovac , possuí vários problemas o maior deles é não especificar valor e a quantidade na negociação das vacinas, outra é que a propriedade intelectual da vacina continua com a sinovac e não do Butantã como o governo do calça apertada vem dizendo, a fase 3 dos testes no Brasil é de responsabilidade do Butantã, assim como a distribuição pela América do Sul, o Butantã irá somente envasar os insumos.
    https://youtu.be/WeCtekxckLw
    Este link tira a dúvida de qualquer um, menos dos esquerdopatas e cobaias.

  2. Boca de fole!!
    Vc não quer falar das cifras bilionárias do povo de São Paulo preste a tomar o caminho da indecência né????
    Preste atenção no que vai falar.
    O povão ta ON, vcs não tem mais a quem enganar.
    Cadê os petistas pra gritar, fora FHC??

  3. EM 2022, o 01 vai tá cassado e na cadeia,aí vai ser fácil o povo vai cair na real e vai cassar até a quinta geração da família bolsamerda nas urnas.

  4. Claro, o genocida nao cometeu o crime mortal, inafiançável, imoral e desumano de pedaladas fiscais, nao é golpista?
    Pq nao te calas, veio gagá?

  5. Esse boca mole frouxo, que chamou aposentado de vagabundo, sendo ele um aposentado sem cumprir as regras mínimas de aposentadoria, que mantém posições dúbias, esconde os mal feitos da sua turma, vide Serra e Aécio Neves, ainda querer opinar em algo, só merece a atenção e elogios de idiotas.

  6. ISSO É UM COMUNISTA E ANTI-PATRIOTA, NEM SE CANDITATANDO PARA VEREADOR ELE GANHA MAIS, NÃO FEZ COISA ALGUMA A NÃO SER PREPARA O TERRENO PARA O OUTRO CORRUPTO E TUDO MUNDO SABE 9 DEDOS ESCULAMBAR ESSA PAÍS MARAVILHOSO. SÓ TENHO UM DESEJO OS MILITARES TOMASSEM DE CONTA DESTE PAÍS NOVAMENTE. E COLOCASSEM OS ANTI BRASILEIROS E COMUNISTAS PARA CORRER;.

  7. Geralmente o governo é um reflexo do povo. Desde a redemocratização só um presidente não refletia o que é o povo brasileiro: FHC. Educado, letrado e moderado. De resto tivemos exatamente o que é o brasileiro: Boçal (Collor), ladrão (Lula), simplório (Dilma) e ignorante (Bolsonaro). FHC foi um desvio do normal. Depois dele foi só ladeira abaixo.

    1. Pior do que Lula, Dirceu, Cunha ou Cabral? Duvido. Foi o último presidente que prestou nesse país.

    2. A diferença de FHC para o Lula é que um é estudado / letrado, voz mansa, inteligente , já o outro , sem comentários , mas o socialismo é igual. O patrimônio de FHC ( dentro da família ) é gigante , tem até apto na França . Já o patrimônio do ladrão mor ninguém sabe, está espalhado pelo mundo afora.

  8. Tá bem pensando que o povo é besta.
    Çei!!!
    O certo pra vc, deve ser o CORRUPTO João doriana né??
    Sai fora jacaré!!

  9. FHC um seboso e soberbo, te aguentamos por 8 anos, agora vc e a esquerda vai ter que engolir o Véio Bolsonaro do cunhão rôxo por 8 anos kkkkkk

    1. Tá repreendido!
      Esse infeliz não ganha mais não…
      O povo fez o teste ele não foi aprovado. Nem ele, nem os filhos ladrões dele…

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Bolsonaro rebate questionamentos e diz que críticas a Kassio Nunes são mentira e baixaria

Foto: Reprodução / Youtube

O presidente Jair Bolsonaro usou a conversa com apoiadores na frente do Palácio do Alvorada nesta terça-feira (6) para defender o desembargador Kassio Nunes Marques, indicado por ele à vaga de Celso de Mello no STF (Supremo Tribunal Federal).

“Impressionante, [é assim com] tudo o que se aproxima de mim, acusaram o cara de tudo, parecia até que era o bandido mais procurado do Brasil”, comentou Bolsonaro sobre as críticas feitas a Kassio Nunes assim que começaram a surgir notícias de que ele seria indicado ao STF. Muitas delas, aliás, foram feitas por simpatizantes do presidente.

“Começam mentindo. Disseram que ele votou para manter o [ex-ativista italiano] Cesare Battisti no Brasil, quem decidiu foi o STF em 2009”, disse o presidente.

“Ah, ele é comunista. comunista tá cheio no Brasil, é o que não falta”, completou Bolsonaro, negando ainda que Kassio Nunes seja desarmamentista e abortista.

“Eu deixo claro que sou passível de críticas, mas não vai ter [espaço] para baixaria.”

Após a defesa, o presidente disse que esse tipo de situação o deixa irritado, aproveitando para ironizar seus adversários políticos. “Continua me desgastando, quem sabe se eu não vier candidato em 2022 tem gente boa aí: tem o Haddad, tem o Alckmin, tem o Ciro…”

No domingo (4), o chefe do Executivo já havia publicado um post detalhando as, segundo ele, mentiras atribuídas ao desembargador em relação ao caso Battisti.

R7

Opinião dos leitores

  1. Bolsonarista é que nem mulher de malandro, todo dia é uma lapada. Se Bolsonaro indicasse o Lula para o supremo, eles continuariam a defende-lo. São desprovido do mínimo de senso crítico, ñ percebem que votaram em Bolsonaro e elegeram o Lula.

    1. Ctz! E no caso dos militares só querem continuar mamando nas tetas do governo

  2. Confio no presidente, pois ele é o principal interessado para quw seu governo dê certo.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Corregedor potiguar do CNMP instaura procedimento contra Dallagnol por críticas a decisão de Toffoli

Foto: Montagem

O CNMP irá apurar possível infração disciplinar por parte do procurador da República Deltan Dallagnol, em uma série de postagens realizadas em rede social em que faz críticas à decisão do presidente do STF, ministro Dias Toffoli, que suspendeu a realização de busca e apreensão no gabinete do senador José Serra.

O Corregedor potiguar Rinaldo Reis Lima, do CNMP, ressaltou que chegaram ao seu conhecimento os fatos e que irá apurar, determinando a instauração de Reclamação Disciplinar.

Em uma “thread” de oito tweets, Dallagnol disse que o STF não tem competência sobre o caso e que “o ambiente parlamentar, assim como qualquer outro ambiente, não pode funcionar como um bunker que permita a ocultação de crimes”.

O procurador ainda afirma que a decisão se trata de solução casuísta equivocada juridicamente.

Matéria com detalhes aqui no Justiça Potiguar.

Opinião dos leitores

  1. Pronto, polícia nenhuma entra mais nos gabinetes dos senhores congressistas, prato cheio pra se utilizar o local pra esconder dinheiro, joias, obras de arte e outras milacrias adquirida através da roubalheira.

  2. Ninguém pode contrária o Deus Toffoli, isso é que é democracia, o presidente desta corte e sem duvidas um criador de insegurança jurídica.

  3. O fanatismo por duas facções políticas criminosas, está acabando com o mecanismo usado para exterminar facções políticas criminosas.

    1. Meu amigo, Super Sérgio Moro 2022, você e eu não sabemos nem um grão de areia dessa novela que está mais para 'soap opera'. Só vamos compreender sem o calor da paixão daqui a uns trinta anos. Até lá não passamos de figurantes.

    2. Pelo que estou entendendo, Moro e Deltan são bandidos??? É isso??? Então quer dizer que Lula é inocente???
      Pelo que estou vendo estão querendo sujar o então Juiz Sérgio e a Lava Jato. Se isso acontecer, provavelmente vai limpar Lula.

    3. Quem está dizendo isso é você. Eu pensei outra coisa, mas deixa pra lá. Nada supera a realidade.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Credibilidade sob questionamento: OMS tem sido criticada pelo mundo além de Bolsonaro e Trump

Foto: Denis Balibouse

A Organização Mundial de Saúde(OMS) não está restrita às críticas dos presidentes Jair Bolsonaro e Donald Trump pelo mundo. Desde o início do surgimento da Covid-19, ela é acusada de ter se alinhado a China, de ter elogiado as medidas das autoridades de Pequim contra a doença e de ter demorado a dar o alerta mundial sobre o perigo do novo coronavírus.

Um tuíte de Donald Trump em abril, que acusa a OMS de ter “se enganado completamente”, tem sido cada vez mais discutido, principalmente, com os últimos episódios de entidade ter voltado a estudar a cloroquina, quando, anteriormente, em cima de estudo da Lancet, condenou o medicamento. Dias depois, mais uma gafe: a chefe do programa de emergências da OMS, Maria van Kerkhove, disse que assintomáticos raramente transmitem o vírus, o que foi capitalizado pelo presidente Jair Bolsonaro, crítico das medidas de isolamento social.

Na última terça (9), no entanto, a mesma Kerkhove explicou que sua declaração se baseava em dados ainda não publicados e que é preciso levar em consideração os pré-sintomáticos, o que torna necessárias as medidas de prevenção contra a pandemia.

Além disso, o diretor do programa de emergências da organização, Michael Ryan, garantiu estar “absolutamente convencido de que a transmissão por casos assintomáticos está ocorrendo”. “A questão é saber quanto”, explicou.

O representante italiano na Organização Mundial da Saúde (OMS), Walter Ricciardi, criticou a entidade por causa da polêmica relativa à transmissibilidade do novo coronavírus a partir de assintomáticos.

Segundo Ricciardi, que também é conselheiro do ministro da Saúde da Itália, Roberto Speranza, a organização deu uma “resposta imprecisa e equivocada” ao dizer que pacientes sem sintomas raramente transmitem o Sars-CoV-2.

As críticas também são bastante contundentes no Reino Unido, França, Espanha e Austrália.

Com UOL, Ansa, Isto É

Opinião dos leitores

  1. Santos, já ouviu falar de Taiwan? Sabe onde é? Não é membros da OMS. Vai ler um pouco os outros meios de comunicação, principalmente internacional?Se informar dá trabalho, mas é assim que evoluímos.

  2. Interessante, quando a OMS diz pra ficar em casa, o Bozo não concorda, mas quando a OMS fala algo que ele quer ouvir (mesmo que fora de contexto, sem base científica) ele usa em seus discursos. Afinal, o Bozo é a favor ou contra a OMS? Ah, antes de falarem merda, quero que o PT se exploda.

  3. O países que menos seguiram as recomendações e são os líderes em contaminação e em número de mortos, questionando a credibilidade da OMS.
    Sei não viu.

  4. Duvido que a gloriosa rede Globo não continue pregando que é a OMS não seja o que deveremos seguir.

  5. A OMS, por sua omissão no início da pandemia, eh tão culpada quanto ao China quanto ao fato de ocultar a pandemia. Em outros momentos q houve pandemia de gripe na China, a OMS não se furtou de recomendar que os países fechassem as fronteiras pra os chineses… A atual diretoria da OMS se mostrou uma fracasso. Deveriam ter vergonha!!!

    1. Até que em fim a lucidez voltou a sua cabeça. Deus seja louvado.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *