Polícia

Após repercussão na web, Ximbinha nega que tenha sido preso com armas de fogo e drogas em casa

Foto: Reprodução

O cantor e guitarrista Ximbinha, ex-marido da cantora Joelma, usou seu Instagram nesta terça-feira (1º/6) para negar que tenha sido preso com drogas e armas de fogo, encontradas em sua casa em Belém.

“Recebi bastante ligação agora de uma notícias que não tem nada a ver. Estou aqui na minha rede, com a minha guitarra, compondo. Fiquei triste, mas uma notícia dessas dá até vontade de rir”, disse o músico.

Informações divulgadas nesta terça-feira afirmavam que Ximbinha havia sido levado para a delegacia pela Polícia Militar, após uma quantidade indefinida de armas de fogo e drogas serem encontradas em sua casa.

Na rede social, o cantor surgiu deitado em uma rede e garantiu que não foi preso pela PM.

Metrópoles

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Polícia prende assaltantes que realizaram arrastão em laboratório em Natal nesta segunda-feira

A polícia prendeu os assaltantes que realizaram um arrastão ao DNA Center da Avenida Airton Senna em Natal, na manhã desta segunda-feira(31). Detalhes da eficiente ação policial ainda não foram informados até a publicação desse post.

Opinião dos leitores

  1. Parabéns aos policiais! E investimentos e valorização a governadora por trazer mais policiais com concursos e na medida do possível investimentos e valorização!!!

  2. Parabéns a polícia e zero para governadora que não investe na formação, equipamentos e valorização das polícias.
    Se não fosse a ajuda do Governo Federal, na área da Segurança Pública do estado, a frota e equipamentos já estavam sucateadas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Renan pede prisão de Wajngarten, mas presidente da CPI nega: “Não sou carcereiro de ninguém”

Foto: Senado Federal / Divulgação / CP

O relator da CPI da Covid, Renan Calheiros, pediu a prisão em flagrante do ex-secretário de Comunicação do governo Jair Bolsonaro, Fábio Wajngarten, que presta depoimento no Senado nesta quarta-feira. Calheiros apontou “espetáculo de mentiras” e pediu prisão após negativa do depoente sobre autorização oficial para campanha “Brasil não pode parar”. No entanto, o presidente da CPI, Omar Aziz, negou a solicitação e defendeu que “não é carcereiro de ninguém”.

“Temos que ter cautela, para que aqui não sejamos um Tribunal que está ouvindo e já julgando. Não é impondo a prisão de alguém, que ela não vai dar resultado. Se depender de mim, eu não vou mandar prender o Wajngarten. Eu não gosto de ser injusto com outras pessoas. Não tomarei essa decisão. Será preso depois que, e se, for julgado”, apontou Aziz.

Em contraponto, Calheiros considerou as declarações de Wajngarten um “desprestígio” do trabalho realizado no Senado, onde quem presta os depoimentos tem o “compromisso de dizer a verdade”. O senador entende que “se o depoente sair ileso depois de mentir, vamos escancarar porta que teremos dificuldade de fechar”.

Na visão do presidente da CPI, o depoimento de Wajngarten foi “o mais proveitoso em termo de conteúdo” para o trabalho da Comissão. “Hoje tivemos uma informação que não tinhamos: metade da Cúpula do governo já sabia que a Pfizer estava oferecendo vacinas desde novembro”, pontuou.

Mediante esse posicionamento de Aziz, Calheiros afirmou que todos respeitarão a determinação do presidente da CPI e não darão voz de prisão para Wajngarten.

Correio do Povo

Opinião dos leitores

  1. Renan Calheiros, não tem autoridade para mandar prender ninguém ! Ele responde a vários processos na Justiça !

  2. Foi o mesmo que uma caixa de rivotril pra General Pazzuello. Agora perdeu o medo de ir à CPI. TACADA DE MESTRE

    1. A AGU já está mexendo os pauzinhos. Já já aparece um habbea corpus e ele dirá que vai se valer do direito de permanecer em silêncio. Pode ser um tiro no pé pois poderá perder a condição de testemunha e passará a ser investigado.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Wajngarten diz que não fez adjetivação a Pazuello em entrevista e Renan diz que vai pedir a prisão de ex-secretário de Comunicação

Renan Calheiros afirma que vai pedir a prisão de Fabio Wajngarten. Questionado, o ex-secretário de Comunicação voltou a dizer que não chamou o ex-ministro Eduardo Pazuello de incompetente em entrevista à revista Veja:

“Não fiz nenhuma adjetivação ao general Pazuello. Em nenhum momento o chamei de incompetente”.

A revista “Veja” divulgou áudio da entrevista concedida, em que o ex-secretário afirma o seguinte, quando questionado sobre o tema: “Incompetência, incompetência. Quando você tem um laboratório americano com cinco escritórios de advocacia apoiando na negociação e você tem do outro lado um time pequeno, tímido, sem experiência, é 7 a 1”.

Com G1 e CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. A veja publicou àudio que comprova que o nome difìcil mentiu. Isso deixa campo aberto para o pazuello fazer tudo mais sabe, mentir. A jogada para cpi agora é colocar o nome estranho e o pazuello como investigados, eles vão poder mentir a vontade, mas a cpi vai power query seus sigilos telefònicos, bancários e fiscal. Simples.

  2. Rapaz, quem diria, um canalha como Renan Calheiros pedir a prisão de um cidadão brasileiro parece brincadeira, o sujeito tem mais de catorze processos por todo tipo de falcatrua e agora quer dar uma de juiz de direito, pense num crapula.

    1. Quem está sendo julgado, e por ora vai sendo condenado, é o Bozo e sua política negacionista. Na política não existem inocentes.

  3. É o poste mijando no cachorro, um bandido se achando, querendo prender pessoas honestas, só por que não falou o que essa raça de viboras querem ouvir!!

  4. Falou fino…kkkkkkkkk
    Não sustentou o que disse…como todo bolsonarista metido a valente, é só um covardão…
    Muuuuuuummmmmmm

    1. E você frustrado porque não foi preso. Quem deveria ta preso era se ladrão de estimacao

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Renan não aceita respostas em depoimento de Wajngarten, cita suspeita de ‘mentira’ e ameaça pedir prisão de ex-secretário de Comunicação

O relator da CPI da Covid, Renan Calheiros (MDB-AL), disse nesta quarta-feira (12) que a comissão pode pedir a prisão do ex-secretário de Comunicação Fábio Wajngarten caso se confirme que ele tenha mentido.

Wajngarten foi convocado para explicar a declaração dada à revista “Veja” na qual disse que a “incompetência” do Ministério da Saúde causou atraso na compra de vacinas contra a Covid-19.

O ex-chefe da Secom também disse, em entrevista, que o presidente Jair Bolsonaro não poderia ser responsabilizado, pois recebeu informações erradas no processo de aquisição de vacinas.

Nesta quarta-feira, porém, o ex-chefe da Secom usou um tom mais moderado.

VEJA MAIS  – CPI: Fabio Wajngarten elogia Pazuello, cita “morosidade da administração pública”, Renan e comissão se irritam com depoimento, ameaçam encerramento e novo convite como “investigado”

Renan pediu ao presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM), que requisite o áudio da entrevista dada à ‘Veja’ para checar o que foi dito pelo ex-auxiliar do governo.

“Se ele não mentiu, a revista ‘Veja’ vai ter que pedir desculpas a ele. Se ele mentiu, terá desprestigiado e mentido ao Congresso Nacional, o que é um péssimo exemplo. Eu queria dizer que vou cobrar a revista ‘Veja’. Se ele não mentiu, que ela se retrate a ele. E, se ele mentiu à revista Veja e a esta comissão, eu vou requerer a Vossa Excelência na forma da legislação processual a prisão do depoente. Apenas para dizer isso e para não dizerem que nós não estamos tratando a coisa com a seriedade que essa investigação requer”, disse o relator da CPI.

Este é o quinto dia de depoimentos da comissão parlamentar de inquérito, que apura ações e omissões do governo federal no enfrentamento da pandemia de Covid e eventual desvio de verbas federais enviadas a estados e municípios.

Com acréscimo de G1

Opinião dos leitores

  1. Comequeé??!! Ladrão e Corrupto pode pedir prisão de alguém?! Pode. No Brasil! Como também pode ser Senador, Presidente de CPI, etc etc tudo nas barbas do stf.

  2. Eduardo Lemos, perfeito o seu comentário. Única explicação: o Brasil, não é para amadores. João Macena.

  3. Renan Calheiros é o novo herói da esquerdalha? Todos se merecem. Mas essa CPI está decepcionando a quadrilha. Aliás, ele sempre foi parceiro do PT e fez parte da grande roubalheira que houve na época. Foi ministro do vigarista de 9 dedos. E qual o caráter de quem defende e enaltece esse tipo de gente? Da prá conviver com gente decente. Comigo, não.

    1. Você é puro e honesto demais Direitinha. Seu lugar é um convento.

  4. O depoente mentiu deliberadamente. Testemunha que mente comete crime e é cabível prisao em flagrante. Sem mimimi, boiada.

    1. Sai daí babaca, tire o babador e vá trabalhar seu troço, se mentir (o que não ocorreu) desse cadeia, teu molusco asqueroso pegava perpétua. E esse Renan que vcs agora idolatram é uma retidão só, nunca mentiu o coitado. Prestou atenção quando o mesmo falou? Quase que algumas palavras não saiam, ele tem na memória o caso da amante, filha, quem pagava e o Sérgio Machado com suas conversas nada republicanas.

  5. Infelizmente na nossa pátria amada é assim…
    O sujeito mata o outro, aparece com a cabeça pingando sangue, é filmado praticando o ato, mas não fica preso…
    Desvia milhões dos cofres públicos, encontram caixas desse dinheiro desviado no apartamento dele, e não vai preso, alegando que “o dinheiro não é dele e que nunca tinha visto”…
    E por aí vai…
    Mas se não falar o que a CPI quer ouvir, aí é considerado um criminoso de alta periculosidade, e tem que ser preso…

  6. Na condição de testemunha, ele não pode mentir. Independente do que se ache do Renan, ele é senador, eleito e em gozo dos seus direitos e portanto, pode pedir a prisão, caso o ex ministro tenha mentido, como parece. Uma coisa ficou explicitly, a falta de vacina for irresponsabilidade do governo e como consequência, mais de 400 mil mortes.

  7. Na vdd quem merecia ser varrido do mapa com uma bomba não é só esse pilantra safado e sim o estado q elege um corrupto desse para senador

  8. Esse Senador Renan Calheiros só não está preso , porquê goza do foro privilegiado.
    O que é um péssimo exemplo sao6os Parlamentares envolvidos em escândalos de corrupção e agindo com nada tivesse acontecido.

    1. Né isso! Renan Calheiros tá querendo “tratorar” o depoente… Ops, “tratorar” é um verbo que não podemos usar por aqui…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

VÍDEO: Caio Coppolla rebate Folha de São Paulo e diz que está “sob risco iminente de censura, investigação e prisão” por Abaixo-Assinado pela Análise do Pedido de Impeachment contra Alexandre de Moraes”

O comentarista político da CNN, Caio Coppolla, alerta em suas redes socais que advogados e juristas militantes, publicados pela Folha de S. Paulo, atribuíram a ele crimes contra leia de segurança nacional, por ter organizado o “Abaixo-Assinado pela Análise do Pedido de Impeachment contra o Ministro Alexandre de Moraes” do STF, que já conta com 2.643.129 assinaturas.

“Estou sob risco iminente de CENSURA, INVESTIGAÇÃO e PRISÃO. Por favor, COMPARTILHE ESSE VÍDEO antes que o conteúdo fique indisponível!”, diz.

Opinião dos leitores

  1. Esse cara e inteligente .porém o que e 2 milhões e 600 mil pessoas para uma população de 220 milhões de pessoas e agora fica com medo de ser preso quem não deve não teme.

  2. Tentam desqualificar o Copolla, mas não os seus argumentos. Apoiadores da censura e de tiranias, além de bandidos corruptos.

  3. Acho que não é apenas por defender Bolsonaro! Na verdade, muitos têm inveja pela capacidade de inteligência dele!

  4. Vitimismo e Mimimi.
    Dê uma mamadeira daquela que o presidente enganou os desmiolados na campanha.

  5. Quantos assinaram?
    Se a moda pega,quantos irâo assinar o impeachment do predidente?
    1 milhão,10 milhoes,50 milhoes?
    Calma aí,tem que ser voto,no plenario.

    1. É mesmo? defende cuba, Venezuela, Bolívia, nicarágua, el salvador, e ditaduras africanas? Mas não empresta dinheiro pra os ditadores desses países? É um patife cafajeste!

    1. E por quererem comer.
      Todo ditador e apoiadores têm um 'discurso legitimador' para isso.
      -Negcionismo
      -Discurso de ódio
      Tem que seguir o que o Ministério da Verdade diz

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Justiça da França condena ex-presidente Sarkozy a 3 anos de prisão

Foto: Reprodução/CNN Brasil

Os juízes da França consideraram o ex-presidente Nicolas Sarkozy culpado por tentar subornar um juiz e usar a sua prerrogativa política para exercer tráfico de influência. A decisão foi tomada nesta segunda-feira (1) e o condena a três anos de prisão, com dois anos de suspensão.

Sarkozy, que liderou a França de 2007 a 2012, negou qualquer irregularidade, dizendo que foi vítima de uma caça às bruxas por promotores financeiros que usaram meios excessivos para bisbilhotar seus negócios.

Aposentado da política, mas ainda influente entre os conservadores, Sarkozy tem 10 dias para apelar da decisão.

Ele é o segundo ex-presidente da França moderna, depois do falecido Jacques Chirac, a ser condenado por corrupção.

Os promotores convenceram os juízes de que Sarkozy se ofereceu para garantir um emprego com bos benefícios em Mônaco para o juiz Gilbert Azibert em troca de informaçõ

es confidenciais sobre uma investigação sobre alegações de que ele havia aceitado pagamentos ilegais da herdeira do L’Oreal Liliane Bettencourt por sua campanha presidencial de 2007.

Isso veio à tona, eles disseram, enquanto conversavam por escuta telefônica entre Sarkozy e seu advogado Thierry Herzog depois que Sarkozy deixou o cargo, em relação a outra investigação sobre o suposto financiamento líbio da mesma campanha.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Em reação a caso Daniel Silveira, PEC na Câmara dificulta prisão de parlamentares

A Câmara dos Deputados começa a analisar nesta quarta-feira (24) uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), um projeto de resolução e um projeto de lei que, se aprovados pelo Congresso, vão tornar muito mais difícil que um parlamentar seja preso.

As mudanças preveem, entre outros pontos, que seja instruído uma espécie de “juiz de garantias” no Supremo Tribunal Federal (STF). Ou seja: o ministro que decretar a prisão contra um parlamentar não pode ser aquele que irá julgar a ação.

As alterações são propostas por oito parlamentares que participam de um grupo criado por Arthur Lira (PP-AL) como resposta à prisão do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ) na semana passada.

O projeto de lei de autoria da deputada Celina Leão (PP-DF) altera a lei 8.038 de 1990 que trata dos procedimentos de ações que correm no STF e no STJ. A proposta altera a legislação para dizer que o relator do inquérito “não poderá atuar como relator da instrução”. Na prática, segundo ministros e parlamentares ouvidos pelo blog, cria-se o juiz de garantia para os parlamentares – a figura foi criada no projeto anticrime, em 2019, mas a sua aplicação foi suspensa por decisão monocrática do ministro Luiz Fux, hoje presidente do STF.

Com a mudança, o artigo 2º da lei passaria a ser: “O relator do inquérito, escolhido na forma regimental, não poderá atuar como relator da instrução, que se realizará segundo o disposto neste capítulo, no Código de Processo Penal, no que for aplicável, e no Regimento Interno do Tribunal.”

Também há alteração no artigo 7º: “Recebida a denúncia ou a queixa, os autos serão remetidos ao relator da instrução, que designará dia e hora para o interrogatório, mandando citar o acusado ou querelado e intimar o órgão do Ministério Público, bem como o querelante ou o assistente, se for o caso.”

De acordo com ministros do STF, a tendência é que este ponto tenha sua constitucionalidade questionada no Supremo – e seja derrubado.

As mudanças, tanto na PEC como nos projetos de lei e resolução, seguem a lógica de tornar a prisão de um parlamentar mais complicada. Fica proibida a prisão dos parlamentares por opinião ou voto. Mesmo que o parlamentar cometa um crime ao fazer o uso das palavras, ele só responderá pela cassação do mandato no Conselho de Ética. O parlamentar também não poderá mais ser afastado do seu mandato por decisão monocrática – a ação deverá ter a chancela do plenário do STF que depois submete a decisão à Câmara.

Outro ponto polêmico da proposta diz respeito à prisão do parlamentar. Ela pode acontecer por decisão monocrática, já que a Constituição fala em flagrante, mas o deputado ou senador ficará preso com a Polícia Legislativa, até que audiência de custódia com o juiz ocorra. Também o Congresso é quem decidirá onde o deputado cumprirá a prisão preventiva (que passa a ser prevista depois do flagrante).

Blog da Julia Duailibi  – G1

Opinião dos leitores

  1. Esta poderá ser a legislatura com maior número de parlamentares individualistas e desajustados.

  2. Aqui no Brasil bandidos elaboram legislação penal para se proteger. Se essa PEC passar, vai ser praticamente impossível punir os corruptos encastelados na Câmara e no Senado. Viva a IMPUNIDADE!

  3. A câmara dos deputados sempre legislando em causa própria. Neste quesito há uma velocidade incrível. Para projetos para população é de uma lentidão sem tamanho!

    Projetos como imunidade parlamentar e aumento de salário são as pautas preferidas da turma do colarinho branco!

  4. Sem o Moro, fica mais longe se punir um phd em corrupção, quase impossível, prá não ser otimista, impossível. Aí meu amigo, é baderna, agora só dos grandes.

  5. Agora lascou tudo, vai ser liberado tudo e nenhum será preso pelas suas desonestidades. Ninguém pode está acima da lei, eles serão excessões? E a constituição como fica? Vai ser rasgada?

  6. O que interessa é criar uma lei reduzindo o.mandato do STF para quatro anos e obrigatoriamente, serem juiz de carreira. Nada de se aposentarem com 75 anos. Aí sim, é um absurdo.

  7. Tanta coisa pra se preocupar e quase nunca um parlamentar eh preso, mas eles trabalham pra se proteger ainda mais… Eh a nova política!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Meu papel é fazer certo sem esperar que dê certo, diz vereador que pede ao STF prisão de Ciro e Freixo

Foto: Reprodução/Instagram

O vereador de Belo Horizonte Nikolas Ferreira (PRTB), 25, pede ao STF (Supremo Tribunal Federal) que mande prender o ex-governador Ciro Gomes (PDT) e o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) baseado no mesmo entendimento que levou à detenção do parlamentar Daniel Silveira (PSL-RJ).

A solicitação foi feita por uma notícia-crime enviada à corte por Ferreira. Na ação, o vereador também pede a prisão do artista Marcello Tamaro Yamaguchi, que publicou uma foto em sua rede social posando com uma réplica da cabeça do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

No caso do candidato à Presidência em 2018, Ferreira se baseia em vídeo no qual o pedetista diz que “se ele [Bolsonaro] tentar um golpe nós daremos a ele o destino que teve Mussolini. Eu, Ciro Gomes, assumo, como palavra de honra, que estarei na luta de um ou de dez ou de mil para dar a ele o destino de Mussolini”. Sobre Freixo, o mineiro cita tuítes em que o psolista diz “BOLSONARO GENOCIDA” e “É impeachment ou morte”.

“Isso é obviamente atenta contra a vida econtra a instituição que é o governo federal”, afirma o vereador à coluna.

“Na semana passada, o STF edimentou o entendimento de que todo aquele que ofender a Lei de Segurança Nacional deve ser enquadrado criminalmente”, diz ele sobre o caso de Silveira. “Por isonomia, pedi que isso fosse extendido ao Ciro e ao Freixo”, afirma o vereador.

“O meu papel é fazer certo sem esperar que dê certo. Como cidadão e fiscalizador, é esperar que a suprema corte pregue pela isonomia, pela ampla justiça. Eu não fiz nada além de pedir a isonomia”, segue.

Ele avalia que o ministro Alexandre de Moraes, autor da decisão que prendeu Silveira, “usurpa a competência dele como ministro em um inquérito inconstitucional, onde ele [Moraes] propõe, é a vítima e ele mesmo julga”.

Ferreira diz conhecer Silveira, mas afirma que não “coaduna com as palavras dele”, referindo-se aos ataques do deputado que à corte que o levaram à cadeia.

“Acredito que [as falas do deputado] foram excessivas. O próprio parlamentar compreendeu isso. Mas ele está resgaurdado pela imunidade. Tem imunidade parlamentar. Mesmo que eu discorde da opinião de um parlamentar de esquerda, não posso prender, ainda mais se estão de acordo com a Constituição de poder se manifestar”, diz Ferreira.

Mônica Bergamo – Folha de São Paulo

Opinião dos leitores

  1. É o estilo bolsonarista. Assim como o Carluxo, nota-se o quão importante é esse mandato para o município que o elegeu. Tal qual o Dudu Bananinha que é deputado por São Paulo sem sequer morar lá.

  2. Eu sendo o Min Alexandre, decretaria a prisão desse auxiliar de vereador, pra ele deixar de encher o saco.

    1. Esse cabra passa o dia todo usando eesse espaço de comentários pra falar bosta. Será que trabalha ? Ainda tem coragem de dizer : " se eu fosse o Ministro….." .
      Vai trabalhar homi..

  3. A mequetrefe da deputada petista potiguar, ja ta careca de postar Bolsonaro genocida no Instagram dela, deveriam denuncia-la tb

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

STF decide manter prisão de Daniel Silveira até Câmara votar o assunto

Foto: Reprodução

O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) teve sua prisão em flagrante mantida, durante audiência de custódia realizada nesta quinta-feira. O juiz Airton Vieira, auxiliar do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a manutenção da prisão do parlamentar até que a Câmara dos Deputados delibere sobre o assunto.

O entendimento do juiz na audiência foi que não havia possibilidade de relaxar a prisão de Daniel Silveira neste momento. A avaliação dele, entretanto, é que só é possível decidir sobre a decretação de prisão preventiva após o plenário da Câmara dos Deputados votar o tema.

Caberá então, posteriormente, ao ministro Alexandre de Moraes decidir sobre a eventual conversão da prisão em flagrante em prisão preventiva.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) se manifestou na audiência pela legalidade da prisão em flagrante e que não havia motivos para relaxamento da prisão.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Se o dep tivesse sabido usar outro palavriado como fez o ex presidiário Lula da Silva, para expressar a sua indignação com os ministros do STF, não estaria preso.
    Muito pelo contrário, se estivesse preso, ganharia a liberdade.
    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    É de lascar meus caros leitores.
    Pensem nisso.

  2. Não colocou dinheiro na cueca, nao praticou assassinato, não arrastou mala de dinheiro, não tem nome na lista da Odebreacht. Está Preso por criticar Ministros da suprema corte.
    Temos justiça neste país ou perseguição?

  3. Não precisa ZeGado, esse não é o governo de nove de dedos, quando essa prática era recorrente. Deixa os pares dele ir a luta, inclusive os filhos do presidente, eles tem rabo preso, o presidente até agora não.?????????????????

  4. Sinceramente não sei para que esse orgasmo, falou muito, fez besteira, que seja enquadrado e pague pelo erro. Vcs não veem o quanto esse comportamento infantil e imbecil leva o nosso país mais para baixo ainda? Errou, peia no lombo, no dele é no dos que erraram ontem e hoje, não sejamos hipócritas, condenar agora é lamber as botas para apagar o passado, a carta para nove dedos e seus comparsas já chegou, se chegar para esse problema dele. Não dependo do presidente para sobreviver, nunca dependi do outro também, precisamos limpar o Brasil dessa imundice, vc tem a vassoura no voto e fica prevaricando, isso é que nos mata e não um presidente.

  5. A nova Sara Whinter, vai ter o mandato cassado a Besta Fera não vai querer nem saber, vai gastar o que juntou com advogados, vai ser preso e terminar com a pensão de soldado da PM do RJ, mais um Miliciano chegando, aguardem carta ?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Gracyanne Barbosa desabafa após prisão de Belo: “Precisamos trabalhar”

Foto: Reprodução

Gracyanne Barbosa se manifestou sobre a prisão de marido, o cantor Belo, na tarde desta quarta-feira (17/2), em cumprimento a uma ação para punir os responsáveis pela realização de um evento musical no Complexo da Maré, no último sábado (13/2).

“Vivemos um novo normal, certo? Esse novo normal é para alguns ou para todos? Todos nós estamos nos virando para nos adequar às novas normas. Não existe vilão ou mocinho. Seria maravilhoso e ideal se pudéssemos ficar trancados em casa aguardando a vacina chegar, que por sinal vai demorar para o brasileiro. Mas como pagamos nossas contas?”, indagou a musa fitness. Gracyanne externou ainda que ela e o marido respeitam as normas de segurança da OMS, saindo de casa apenas para trabalhar.

“Nós ficamos meses em casa. E, mesmo agora, não viajamos, não curtimos festas, bares e praia. Mas precisamos sair para trabalhar. Todo o Brasil já voltou a trabalhar. Na realidade do nosso país, muitos nem puderam parar. Triste. E triste ver alguns destes sendo oprimidos em suas tentativas de continuidade ao trabalho. O setor do entretenimento voltou à ativa, com novas regras também, novos formatos. Meu marido foi abençoado com o talento do canto. Ele é contratado para isso. Chega pela porta de trás nos locais de shows, vai direto ao camarim e entra no palco. Só em cima dele ele tem o contato e a noção do público”, desabafou.

“Belo tem feito a parte dele”

“Desde que foi liberado a volta dos shows, o Belo tem feito a parte dele. Cumpre as normas, testa sua equipe, verifica tudo pertinente a ele e a sua equipe. E assim se espera que todas as outras partes também façam. Belo tem profundo amor e respeito por seus fãs. Por isso, ele arrasta multidões e ainda os embala com músicas que passam mensagem de amor. Ele se preocupa com aglomerações e sempre reivindica quando se burla alguma regra deixando ele ou seus fãs em risco”, pontou Gracyanne. A esposa do cantor lembrou que ele já foi infectado pelo novo coronavírus e se preocupa com a sua família.

“Ele já pegou Covid. Em casa tem a minha sogra e outros familiares nossos na zona de risco. Logo, nosso cuidado é redobrado também para a nossa casa. Ele não pode trazer para a casa uma reinfecção, ou uma variante. Mas, volto a dizer, precisamos trabalhar, por nós, nossa família e diversas famílias que dependem deste trabalho. Belo sempre atenta a todos, que só sairemos dessa pandemia e desses momentos ruins se todos nos unirmos e fizermos nossa parte. É importante que o público se cuide também. E, se for em um show do meu marido ou outro qualquer, denuncie para a casa ou artista alguma irregularidade que o deixou em risco, seja com questões de saúde ou outras questões”, disse.

“Mas é isso, respirar fundo e paciência. Trabalhar com arte sempre foi matar um leão por dia. Nos dias atuais e de pandemia, é matar mil leões a cada hora”, finalizou.

Coluna Léo Dias – Metrópoles

Opinião dos leitores

  1. Se PIXU fosse empresário contrataria essa moça para ser Personal de PIXU . PIXU está acima do peso e precisando fazer exercícios. Cacá tem uma ninhada de personas musculosos , oh criatura para ter sobrinhos . PIXU prefere um Personal do seco feminino.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Por unanimidade, STF mantém prisão do deputado Daniel Silveira

Foto: Reprodução

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta quarta-feira (17), por unanimidade, manter a decisão do ministro Alexandre de Moraes que determinou a prisão em flagrante do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ).

A prisão foi determinada na noite desta terça (16), depois que Silveira, investigado por participação em atos antidemocráticos, divulgou um vídeo com discurso de ódio atacando ministros do Supremo e no qual faz apologia do AI-5, instrumento de repressão mais duro da ditadura militar (leia mais abaixo).

Silveira foi detido no fim da noite de terça, em Petrópolis, na Região Serrana do Rio, e passou a madrugada preso na sede da Polícia Federal no Rio de Janeiro, na Zona Portuária da cidade.

Na decisão, Moraes afirma que houve reiteração de conduta “visando lesar ou expor a perigo de lesão a independência dos Poderes instituídos e ao Estado Democrático de Direito”.

Ainda segundo Moraes, as condutas de Daniel Silveira, além de representarem “crimes contra a honra do Poder Judiciário e dos ministros do Supremo Tribunal Federal”, são previstas como crimes na Lei de Segurança Nacional.

Mesmo em flagrante e por crime inafiançável, a prisão de um deputado federal precisa passar pelo crivo da Câmara. Na decisão, Moraes diz que o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), deve ser “imediatamente oficiado para as providências que entender cabíveis”.

A assessoria do deputado afirma ser “evidente o teor político da prisão” e que os fatos que a embasaram “sequer configuram crime, uma vez que acobertados pela inviolabilidade de palavras, opiniões e votos que a Constituição garante aos deputados federais e senadores”.

Voto do relator

Ao apresentar seu voto na sessão, Alexandre de Moraes afirmou que as declarações do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) não estão protegidas por imunidade constitucional e que suas condutas “criminosas” configuraram flagrante, autorizando sua prisão.

“As manifestações de Daniel Silveira relevam-se gravíssimas, não somente do ponto de vista pessoal, mas principalmente do ponto de vista institucional e do estado democrático de direito”, afirmou o ministro.

Segundo Moraes, as afirmações não estão protegidas pela imunidade parlamentar. “Atentar contra as instituições, contra o STF, contra o Poder Judiciário, contra a democracia, contra o estado de direito não configura exercício da função parlamentar a invocar a imunidade constitucional”, afirmou.

“Essas manifestações não atingiram somente a honorabilidade, mas principalmente se revestiram suas declarações de claro intuito visando impedir o exercício livre da judicatura, o exercício independente do Judiciário e a própria manifestação do estado de direito”, disse.

“Suas manifestações, sua incitação à violência, não se dirigiram somente a diversos ministros da Corte, chamados pelos mais absurdos nomes”, complementou. “Dirigiram-se diretamente a corroer as estruturas do regime democrático, a correr a estrutura do estado de direito.”

Conforme Moraes, “muito mais do que crimes contra honra praticados contra ministros e o STF, muito mais do que ameaça à integridade e à própria vida de ministro, muito mais do que ofensas pesadas, aqui as manifestações tiveram o mesmo intuito que outras manifestações, de corroer o sistema democrático, de abalar o regime jurídico do estado democrático de direito brasileiro”.

Ao dar início à sessão, o ministro Luiz Fux, presidente do STF, afirmou que o tribunal se mantém vigilante contra qualquer forma de hostilidade à instituição e que “ofender autoridades além dos limites da liberdade de expressão exige pronta atuação da Corte”.

O ministro Luís Roberto Barroso também acompanhou o relator, mas ressalvou que o flagrante se deu porque o vídeo é recente.

“Agora se deve aguardar o pronunciamento da Câmara dos Deputados”, afirmou o ministro Marco Aurélio Mello.

Vídeo

No vídeo, postado em rede social, o bolsonarista Silveira faz ataques a seis ministros do STF: Edson Fachin, Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello e Dias Toffoli. Também defende o fechamento do STF, o que é inconstitucional.

O deputado sai em defesa do general Eduardo Villas Boas, ex-comandante do Exército. Em 2018, na véspera do julgamento no Supremo de um habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Villas Boas afirmou em rede social que o Exército tinha “repúdio à impunidade”.

A declaração foi vista como pressão sobre os ministros do STF. Fachin era o relator do pedido de liberdade de Lula, rejeitado pelo plenário da Corte.

Em livro recém-lançado, o ex-comandante disse que, na época, a manifestação foi discutida com o alto comando do Exército antes de ser publicada.

O deputado é investigado no Supremo no inquérito que apura a organização e o financiamento dos atos antidemocráticos e no que investiga ataques a ministros da Corte e a disseminação de notícias falsas, o chamado inquérito das fake news.

No ano passado, ele foi alvo de busca e apreensão e teve seu sigilo bancário quebrado. No pedido de investigação, a Procuradoria-Geral da República apontou que o deputado pregou o uso das Forças Armadas contra o Supremo e que há uma ligação dele com movimentos extremistas conservadores.

Nesta segunda-feira, Fachin reagiu em nota dizendo ser “intolerável e inaceitável qualquer forma ou modo de pressão injurídica sobre o Poder Judiciário. A declaração de tal intuito, se confirmado, é gravíssima e atenta contra a ordem constitucional. E ao Supremo Tribunal Federal compete a guarda da Constituição”.

Daniel Silveira está no primeiro mandato como deputado federal. Eleito em 2018, o ex-policial militar ficou conhecido por aparecer em vídeo destruindo uma placa que homenageava a vereadora Marielle Franco, assassinada no Rio em março daquele mesmo ano.

G1

Opinião dos leitores

  1. Pelo amor de Deus, ninguém critique os intocáveis do stf. Falem de quem quiser menos dos deuses.

  2. Interessante Roberto jerfson chama todos eles de boca de Luluzinha, de Carmem Miranda e etc todos ficam calado , o que é que Roberto sabe sobre eles de tão grave.

  3. Impedir o presidente do Senado de sentar na sua cadeira no Senado e, portanto, a realização de uma sessão do Senado Federal não é um atentado à instituição Senado e à Democracia?? Já se viu discurso muito piores na própria tribuna da Câmara. Quero ver daqui pra frente.

  4. Deputada assassina marido, pratica corrupção, não pode ser preso, mas se disser que o ministro do STF é feio, aí não, tem que ser preso. País de merda

    1. Prisão nos dois casos, simples assim. Não dá mais para ficar passando pano, por simpatia por esse ou aquele político.

  5. Como são bobinhos os esquerdistas aqui… Lembrem-se: nada como um dia após o outro. O STF descontrolado ainda vai assustá-los novamente.

  6. É muito bom, ver um Bolsonarista se Fud….. kkkkkkkkk

    Eita que o gado está em prantos!!!! Kkkkkkkkk

  7. Parece que o deputadozinho não pode tudo não…kkkkkkkkkkkkkkk
    Tem nada não…se for cassado, Calígula tem uma vaga de sobrinho bombado sobrando… Só tem que dá uma "comparecida" uma vez por semana(são muitos sobrinhos….kkkkkk)

    1. Quer dizer que chamar o presidente de assassino, genocida, etc… é direito de expressão. Agora dizer que os vagabundos do STF são corruptos… ai tem que prender… quando o Safado do Lula e toda corja do PT falava as mesmas coisas da Justiça do Parará, ai é liberdade de expressão. Esse STF é totalmente tendencioso e mancomunado com a esquerda!
      Fora STF!!!

    2. Não sou defensor do STF, aliás, todos ali foram indicações partidárias e muitas vezes essa fidelidade de quem os indicou eh que conduz as decisões tomadas depois, vide a recente indicação que foi feita no governo atual! Também acho péssimo Lulaladrao estar solto, mas eh estranho pq o MINTOmaníaco não dá prioridade a uma de suas pautas de campanha: prisão em segunda instância! Por fim, sobre a prisão do deputado que defende tortura e golpe de estado: espero que mofe na cadeia! P.S.: o MINTOmaníaco vai ficar caladinho tá! Não eh o primeiro nem será o último que ele vê preso e não fala nem faz nada! Só abre a boca pra defender os filhos da família corrupta talkei!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Polícia investiga se mais de 40 presos saíram da prisão com alvará falso no RJ, destaca reportagem

Foto: Reprodução/TV Globo

Depois que dois presos do estado deixaram a cadeia com alvarás de soltura falsos, a Secretaria de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro determinou um mutirão para revisar todos os alvarás de soltura cumpridos desde setembro de 2020. O Fantástico apurou que pelo menos 43 casos começaram a ser investigados na última semana.

Um dos alvarás é o de Gilmara Monique Amorim, condenada a mais de 18 anos de prisão por sequestro e assalto a banco. Ela faz parte de um grupo acusado de planejar e executar mais de 10 assaltos a banco no Rio.

Em 2008, Gilmara participou do sequestro do gerente de uma agência da Caixa Econômica Federal do Aeroporto Tom Jobim, o Galeão. O bancário, a mulher dele e a filha foram mantidos em cativeiro por um dia.

Gilmara cumpria pena em um presídio em Niterói, na Região Metropolitana do Rio. Ela saiu pela porta da frente em novembro do ano passado, como mostra um vídeo obtido pelo Fantástico, graças ao alvará de soltura falso.

A investigação dos alvarás começou depois que um desembargador desconfiou da forma que foram liberados João Felipe Barbieri, dia 18 de novembro, e João Victor Roza, no dia 14 de outubro.

Barbieri, segundo investigações, faz parte da quadrilha e é enteado de Frederick Barbieri – considerado o “Senhor das Armas” e que está preso nos Estados Unidos. Foi Frederick, segundo a Justiça, que mandou para o Brasil os 60 fuzis que foram apreendidos no Aeroporto do Galeão em 2017. João Victor também é acusado de tráfico de armas.

Em entrevista ao repórter Eduardo Tchao, o desembargador Marcelo Granado, que descobriu os alvarás ilegais usados pelos dois traficantes de armas, disse que as falsificações poderiam ter sido facilmente identificadas.

“É importante dizer isso, não havia uma decisão interlocutória de ninguém nesse processo. É tudo falso. Certamente, usaram não a decisão, porque a decisão… Qualquer pessoa vendo aquela decisão percebe que não foi proferida por um magistrado. Há erros ortográficos, a formatação é muito estranha, com letras maiúsculas no meio do parágrafo, sem iniciar frase. É estranho, no mínimo”, afirmou o desembargador.

Erros em documento

Barbieri saiu da cadeia usando um documento falso feito para parecer ter sido expedido pela Justiça Federal. Pra atestar que não havia nenhum outro mandado de prisão contra João Filipe Barbieri e João Victor Roza, um segundo documento foi falsificado com erros como:

Número do processo errado

Mesmo número usado para os dois presos

Quem assina digitalmente o documento é Wagner Soares Ferreira – um policial civil que não existe

O número do alvará de soltura também foi inventado

Endereço pra checagem do documento na internet não confere com o oficial

Código de identificação não bate com o padrão usado pela Justiça.

Como se não bastasse a falsificação dos documentos, todo o material foi enviado por um oficial de Justiça chamado José Pacassi, que não existe. Ele usou um e-mail particular, desses que qualquer um poderia ter criado de graça na internet — contrariando as normas do Conselho Nacional de Justiça para o envio de alvarás de soltura.

G1

Opinião dos leitores

  1. Sempre o RJ. Terra do malandro Zé Carioca, samba, pagode e carnaval; bobalhões que elegem vigarista, o pior,
    Sérgio Cabral teve a benção de luladrão.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Iraque emite mandado de prisão para Donald Trump por morte de tenente do general Soleimani

Foto: Andrea Hanks/White House 

A Justiça do Iraque emitiu nessa 5ª feira (7.jan.2021) um mandado de prisão para o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pelo assassinato de Abu Mahdi al-Muhandis, morto junto com o general Qassim Soleimani em 3 de janeiro de 2020, em Bagdá.

“Após a conclusão dos procedimentos preliminares de investigação, o juiz decidiu emitir um mandado de prisão para o ex-presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump”, diz um comunicado divulgado pelo Conselho Supremo Judiciário do Iraque.

“Os procedimentos de investigação continuarão a descobrir os outros participantes na implementação deste crime, sejam iraquianos ou estrangeiros.”

Abu Mahdi al-Muhandis era líder da PMF (Forças de Mobilização Popular), força paramilitar xiita composta por antigas milícias com laços estreitos com o Irã. A organização responde diretamente ao primeiro-ministro do país.

O Irã também tem um mandado de prisão para Trump pela morte de Soleimani, segundo informou a agência de notícias semioficial Fars.

Soleimani foi responsável por liderar a crescente presença militar iraniana no Iraque, Síria e Iêmen. Ele comandava a Força Quds da Guarda Revolucionária do Irã, uma unidade de elite que lida com as operações do Irã no exterior e é considerada uma organização terrorista pelos Estados Unidos.

Em 3 de janeiro de 2020, um ataque de drone ordenado por Trump provocou a morte de al-Muhandis e Soleimani.

Depois do episódio, o procurador-geral de Teerã, Ali Alqasi Mehr, alertou que Trump seria processado após o término de seu mandato.

Na semana passada, perto do aniversario de 1 ano da morte, manifestantes se reuniram em Bagdá no local onde o ataque ocorreu para homenagear os 2 líderes. Participantes gritavam: “Deus é grande, a América é o grande Satanás”.

Na ocasião, o ministro da Defesa iraniano, Brigadeiro-General Amir Hatami, disse que o país se vingará do assassinato. “Você cortou a mão de nosso general e suas pernas serão decepadas da região”, afirmou.

Poder 360

Opinião dos leitores

  1. Os homens desta religião islâmica são uns completos loucos,eu já li inúmeras vezes o livro deles o alcorão,pelo que eu interpretei o tal profeta Maomé faz referência a um céu lotado de mulheres virgens,aguardando sempre a chegada dos homens crentes para desvirgina-las e penetra-las sexualmente,isso é um céu divino ou imensurável prostibulo também chamado de bordel ou de cabaré.

  2. Querem afastar Trump por ser louco, esclerosado. Poderiam fazer a mesma coisa com o miliciano também

    1. Verdade, os dois se amam, deveriam ficar enjaulados no ninho do amor …TRUMBOZO

    2. Vamos afastar em 31/12/2026 por ser honesto e ter formado a melhor equipe que o Brasil já teve

    3. Afastar é urgente mas é pouco, aliás todo castigo pra corno é pouco. Trump e Bozo tem que ir presos e responder por seus atos criminosos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Juíza é alvo de ataques após soltar advogada vegana da prisão por falta de alimentação adequada

Foto: Reprodução Twitter

A juíza de Direito Placidina Pires, da vara Dos Feitos Relativos a Organizações Criminosas e Lavagem de Capitais de Goiás, tem sido alvo de ataques nas redes sociais desde a última terça-feira, 5.

A polêmica começou após a magistrada conceder liberdade provisória a advogada suspeita de integrar uma quadrilha envolvida em lavagem de dinheiro e jogos de azar. A decisão baseou-se na dieta da detenta, que é vegana (não consome nenhum alimento de origem animal) e a unidade prisional não teria cardápio específico para esse tipo de alimentação.

No Twitter, ao comentar o caso, Eduardo Bolsonaro disse que o Brasil não é para principiantes. “Enquanto em todo o mundo a primeira coisa que ocorre a um preso é perder determinados direitos, no Brasi é o contrário, a preocupação é em preservar todos os direitos”, afirmou.

A juíza, por sua vez, defendeu-se dos ataques e afirmou que a liberdade com monitoração eletrônica foi concedida à ré não porque ela é vegana, mas porque, em função dessa peculiaridade, apresenta grave estado de saúde.

“Além disso, é primária, o crime não é de natureza violenta (decorrente do jogo do bicho), possui endereço certo (advogada) e não havia risco de fuga ou de que venha a atrapalhar a instrução processual, de modo que fazia jus à liberdade provisória.”

Justiça Potiguar

Opinião dos leitores

  1. O país mergulhado numa crise sem fim, sem vacina, sem seringa, sem ministro da saúde, sem presidente, sem NADA.
    Mas é com a soltura de uma advogada que é vegana, que os filhos de presidente, vão empenhar forças.
    E hoje, INFELIZMENTE hoje, vamos bater a triste marca de 200 mil mortes.

  2. Eduardo Bolsonaro fale da vacina, deixe de desviar o foco. Aliás é uma tática dos Bolsonaros, desviar o foco do que realmente interessa para o Brasil por falta de competência.

  3. Depois que soltaram Lula, Dirceu, Genoíno, Henrique Eduardo Alves, pq essa indignação com a soltura da moça? Afinal ela merece a segunda chance.

  4. é só comer o arroz e o feijão e descartar a proteína…
    agora todo preso vai alegar ser vegano pra ser solto, é mole?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Há um certo exagero, avalia cientista político sobre prisão de Marcelo Crivella

Foto: Reprodução. Vídeo AQUI

Em entrevista à CNN nesta terça-feira (22), o cientista político Murillo de Aragão afirma que há um certo “exagero” na prisão de Marcelo Crivella (Republicanos), prefeito do Rio de Janeiro.

“A questão é mais jurídica do que política. Há certas inconsistências na decisão, apesar de que não podemos deixar de considerar que as alegações são sérias, as provas apuradas inicialmente são robustas e prova, sobretudo, que existe um caráter quase endêmico na política do Rio de Janeiro, de promover corrupção ligada ao poder público”, avalia.

“Então, há um certo, talvez, exagero em fazer a prisão, principalmente no final do mandato do prefeito, [apesar] das alegações amplas e robustas. Mas poderia eventualmente aguardar a saída dele da prefeitura e prosseguir seu curso normal.”

Crivella foi preso nesta terça-feira (22) em um desdobramento da Operação Hades, que investiga um suposto ‘QG da Propina’ na Prefeitura do Rio.

O ‘QG da propina’

Segundo as investigações, o empresário Rafael Alves recebia cheques de empresários para intermediar o fechamento de contratos com a RioTur ou viabilizar o pagamento de dívidas do município do Rio de Janeiro com eles.

Considerado o operador do esquema de propinas, Rafael é irmão de Marcelo Alves, ex-presidente da RioTur.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *