'Gostaria de colocar todos os gays vivos dentro de um forno', diz ator que quer ser presidente da Rússia

ator-russo.pngUm ator russo, mais conhecido pela sua intenção de se candidatar às eleições presidenciais há dois anos na Rússia, afirmou que gostaria de colocar todos os gays “no forno”. Diante de uma plateia na cidade siberiana de Novosibirsk, Ivan Okhlobystin disse que todos os homossexuais deveriam ser queimados vivos, o que foi fortemente condenado por grupos de direitos humanos.

De acordo com o Hollywood Reporter, citando o jornal local Komsomolskaya Pravda, o ator classificou os gays de uma ameaça para os seus filhos.

– Gostaria de colocar todos os gays vivos dentro de um forno – disse Okhlobystin, que já foi padre. – Isto é Sodoma e Gomorra. Como uma pessoa religiosa, não posso ser indiferente porque é uma ameaça real para os meus filhos.

Okhlobystin usou o Twitter para confirmar os seus comentários.

“O significado foi processado corretamente”, disse ele no microblog. “Todo mundo tem o direito de expressar suas opiniões”.

O ativista Nikolay Alexeyev disse à rádio RSN que as declarações de Okhlobystin configuram incitação ao ódio contra homossexuais e que poderia vê-lo banido de “países civilizados”.

A Rússia introduziu severas leis que proíbem a exposição de “propaganda gay” a menores.

Okhlobystin ganhou fama no final dos anos 1990, mas se desligou para se juntar ao sacerdócio depois de uma conversão religiosa. Em 2010 , ele anunciou seu retorno à cena artística . Há dois anos, ele anunciou sua intenção de concorrer à presidência, mas não chegou a registrar sua candidatura.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Laila disse:

    hummmm…………………………….estranho esse ódio..muito estranho..todo viado enrustido pensa assim..kkk..quem desdenha ama…

  2. brow disse:

    – Mais do que certo. Era pra se fazer a mesma coisa aqui no brasil. Queimar toda essa raça ruim.

Após declaração do papa, padre excomungado por defender gays vai à Justiça contra punição

 Impulsionado pelas declarações do papa Francisco sobre homossexuais, o padre Beto, excomungado em abril deste ano após declarações de apoio a gays, decidiu recorrer à Justiça para tentar anular sua exclusão da Igreja Católica.

Roberto Francisco Daniel, 48, conhecido como padre Beto, contratou advogados e protocolou na segunda-feira uma medida cautelar contra a Diocese de Bauru (329 km de São Paulo). Questiona a forma como foi expulso da igreja, num tribunal em que, segundo ele, compareceu sem saber do que se tratava e sem direito à defesa.

Ele estudava a possibilidade de ir à Justiça desde a época do excomunhão, mas diz que a postura do papa Francisco o estimulou ainda mais. No final de sua visita ao Brasil, o papa fez a mais ousada declaração de um pontífice sobre o homossexualismo. “Se uma pessoa é gay e busca Deus, quem sou eu para julgá-la?”, disse.

A ação judicial tramita na 6ª Vara Cível de Bauru. O religioso alega que tratado assinado entre o Vaticano e o governo brasileiro determina que o sistema constitucional e as leis brasileiras sejam seguidos pela igreja. Beto afirma que, além de não ter tido direito de defesa, a decisão foi publicada no mesmo dia em que foi tomada, no site da diocese.

“Fui tratado como um adolescente. Fui exposto publicamente”, diz. “Essa ação judicial é também para que todo brasileiro entenda que nenhuma instituição pode fazer isso com uma pessoa”.

O ex-padre disse que acreditava que seu processo de excomunhão não estivesse encerrado e ainda teria de ser assinado pelo Vaticano. Ao estudar o caso, descobriu que a decisão da Diocese de Bauru é definitiva na igreja. Por isso resolveu tentar revertê-la na Justiça.

“Não movo uma ação contra a Igreja Católica. Existe igreja e igreja. A ação é contra a diocese”, ressalta.

Antes da excomunhão, Beto havia decidido pedir um afastamento temporário de suas funções. Isso aconteceu depois que o bispo de Bauru, Dom Caetano Ferrari, 70, determinou uma retratação por causa de entrevistas em que o religioso falava sobre os homossexuais e questionava o conservadorismo da Igreja Católica.

A Diocese de Bauru ainda não se manifestou sobre a ação judicial. O argumento oficial para a excomunhão foi que Beto “negou categoricamente a cumprir o que prometera em sua ordenação sacerdotal: fidelidade ao Magistério da Igreja e obediência aos seus legítimos pastores”.

Depois da excomunhão, Beto seguiu dando aulas em universidades, concedeu entrevistas para programas de TV e escreveu o livro “Verdades Proibidas – ideias do padre que a igreja não conseguiu calar”, lançado esta semana.

Folha

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Maurício Giovani disse:

    Os gays estão equivocados. Não devemos discriminá-los, porém, não devemos permitir que eles imponham que o estilo de vida deles é o correto. Já não se contentam em apenas serem gays e viverem e paz, livre de qualquer discriminação, mas querem doutrinar outras pessoas, sobretudo, os jovens em fase imatura de sexualidade e de discernimento sobre questões psicológicas, para assim, fazerem o lobby da causa sem maiores constrangimentos. O papa disse que não julgará, pois não cabe a ninguém julgar a opção sexual de ninguém, mas o repórter era para ter sido mais explícito e ter perguntado se a Bíblia condena a união sexual de pessoas do mesmo sexo. O papa certamente dirá que sim, que é pecado, mas não pode condenar ninguém, pois Deus aceita a todos os pecadores, mas isso não dá direito aos gays em quererem exercer sua sexualidade se dizendo que estão amparados pela Bíblia, pois sabem que não estão, sabem que estão pecando, e o preço deste, pecado será cobrado de todos no dia do julgamento final, mas mesmo assim, preferem viver uma homossexualidade desenfreada, dando vazão às paixões carnais em detrimento ao sacrifício a essas mesmas paixões. O mesmo recado é dado aos heterossexuais que se deixam levar pela lascívia, vivem um estilo de vida altamente mundano, baseado nos valores materiais, só se preocupando com carros, roupas, dinheiro, bens, posição social, poder, e vivendo muitas vezes em prática de adultério, cometendo abominações carnais por meio de sexo grupal em orgias desenfreadas em episódios de explícita prostituição e uso excessivo de álcool e outras drogas mais pesadas, colocando homens e mulheres em um ciclo vicioso que a cada dia os afastam mais de Deus, tornando assim suas existências vazias, dando lugar muitas vezes ao aparecimento de doenças sexualmente transmissíveis ou mesmo, doenças da alma como a ansiedade e a depressão. É o preço que todo ser humano pecador paga, seja ele, heterossexual ou homossexual, pois se afastam de Deus, achando que todas esta felicidade efêmera um dia, ilusoriamente, poderá se tornar definitiva. Estão destruindo os valores tradicionais da família e acham que estão no caminho certo para uma nova e mais justa ordem social. Pura ilusão.

Papa condena "lobby gay" no Vaticano

O papa Francisco condenou hoje (29) o “lobby gay” no Vaticano, mas disse que os homossexuais não devem ser julgados ou marginalizados. Afirmou, ainda, que deseja aprofundar o papel das mulheres na Igreja, mas rejeitou completamente a ordenação feminina.

“O problema não é ter essa orientação [homossexual]. Devemos ser irmãos. O problema é fazer lobby por essa orientação, ou lobbies de pessoas invejosas, lobbies políticos, lobbies maçons, tantos lobbies. Esse é o pior problema”, disse.

O papa fez essas declarações aos jornalistas no avião que o levava do Rio de Janeiro – onde esteve durante uma semana e participou da Jornada Mundial da Juventude, a Roma.

“Vocês veem muito escrito sobre o lobby gay. Eu ainda não vi ninguém no Vaticano com um documento de identidade a dizer que é gay”, declarou.

“Se uma pessoa é homossexual e procura Deus e a boa vontade divina, quem sou eu para julgá-la?”, disse, referindo-se ao catecismo da Igreja Católica, que “diz que os homossexuais não devem ser marginalizados por causa de o serem, mas que devem ser integrados à sociedade”.

Referindo-se ao papel das mulheres, Francisco afirmou que não é possível “imaginar uma Igreja sem mulheres ativas”, mas afirmou que a instituição disse “não à ordenação de mulheres”.“Esta porta foi fechada” por João Paulo II, disse a respeito desse pedido (da ordenação).

O pontífice declarou que “a Igreja é feminina, mãe, e a mulher não é somente a maternidade, a mãe de família” e afirmou desejar “uma teologia aprofundada da mulher” que ainda não foi realizada.

Interrogado sobre a questão dos divórcios, o papa desejou que “a reflexão no quadro da pastoral do casamento” continue, indicando que há oito cardeais nomeados para este fim.“É sempre um tema. Hoje, chegou o tempo da misericórdia. Uma mudança de tempo”, afirmou. Segundo o papa, os divórcios podem acontecer, o problema reside “nos segundos casamentos”.

Sobre o casamento homossexual e o aborto, o papa disse que a posição da Igreja já é conhecida.

O pontífice também disse que o Banco do Vaticano, envolvido numa série de escândalos, deve ser “honesto e transparente” e que vai ouvir as recomendações de uma comissão que criou para definir se o banco deve ser reformado ou mesmo fechado.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ricardo Silva disse:

    depois deste Papa confesso que voltarei a frequentar a Igreja, percebemos que ele tem uma cabeça boa capaz de acompanhar tudo que está acontecendo hoje no Brasil e no mundo……. Viva o papa Francisco……..

POLÊMICA: Jogo no Facebook permite que padre mate gays

Um jogo lançado no Facebook está causando grande polêmica na Geórgia. Nele, o jogador pode incorporar um padre ortodoxo e matar gays. “Call of Taburetka” foi criado por Kakha Giorgashvili, que diz não ser homofóbico. Ele garante, de acordo com reportagem do “Huffington Post”, apenas ter tentado recriar um evento ocorrido em Tbilisi, capital da ex-república soviética. Em 17 de maio, um grupo de ativistas anti-gay liderados por padres ortodoxos, atacou gays, lésbicas e transexuais com pedras, pedaços de madeira e excremento. As vítimas participavam de uma marcha em defesa dos seus direitos. Ao menos 17 pessoas ficaram feridas.

“Queridos amigos, esse jogo não é anti-gay. Ele apenas descreve o que ocorreu no dia 17”, explicou-se Kakha no Facebook

Grupos de defesa dos direitos dos homossexuais não aceitaram a desculpa e contra-atacaram.

“O jogo é grosseiramente homofóbico. Não se trata de um episódio casual”, afirmou Sal Mattos, do site “Gay Gamer”.

De O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Maurício Giovani disse:

    Faltou só contabilizar os que escaparam fedendo, atingidos pelos excrementos. O protesto virou uma catinga só.

Policiais fazem curso para lidar com gays

Perfilados no auditório Adauto Belarmino, no 7º andar do Edifício Central do Brasil, dezenas de oficiais da PM e delegados da Polícia Civil acompanharam na terça-feira a execução do Hino Nacional pela travesti Jane Di Castro. Era o início da segunda edição da “Jornada Formativa de Segurança Pública e Cidadania LGBT”, que vai qualificar seis mil policiais civis e militares a lidarem com a diversidade e os direitos de gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais.

Uma série de 40 encontros

O projeto pioneiro já capacitou cinco mil agentes, que atuam em delegacias e batalhões da capital, e foi premiado pela União Europeia com a certificação de boas práticas de políticas públicas LGBT. Nesta nova edição, mais seis mil PMs e inspetores da Polícia Civil que trabalham em unidades fora da capital serão treinados.

Durante 18 meses, os agentes participarão de 40 encontros regionais com especialistas formados pelo Programa Estadual Rio Sem Homofobia. Um dos idealizadores da jornada, Cláudio Nascimento afirmou que este é o maior programa de capacitação de policiais sobre homofobia e cidadania LGBT adotado no país.

Cláudio Nascimento, superintendente de direitos individuais, coletivos e difusos da Secretaria estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, anunciou que, até o fim do ano, o estado vai dobrar o número de centros de Cidadania LGBT, com a instalação de quatro novas unidades: duas nos municípios de Queimados e Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, e uma em Macaé, no Norte-Fluminense. A quarta unidade ainda não tem local definido.

De acordo com o secretário estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, Zaqueu Teixeira, a escolha das cidades que receberão os novos centros teve como critério a quantidade de casos de violência praticados contra gays, lésbicas e travestis. Ex-chefe de Polícia Civil, Teixeira diz empregar os registros de crimes de homofobia para nortear a implantação dos centros de cidadania.

De O Globo

Apenas o RN e mais dois estados não autorizam casamento gay no Nordeste

Como o Brasil não assumiu a causa nacionalmente, com o Congresso relutando sobre o tema, virou missão do Poder Judiciário de cada estado autorizar o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo. E, aos poucos, homossexuais começam a enxergar avanços em relação aos seus direitos. Em 12 estados, além do Distrito Federal, o casamento entre pessoas do mesmo sexo já garante direitos até há bem pouco tempo inalcançáveis, como receber herança do parceiro. As autorizações às uniões homoafetivas também passam a facilitar alguns processos, como a adoção de crianças por pessoas do mesmo sexo.

No Nordeste, apenas Rio Grande do Norte, Pernambuco e Maranhão não autorizam a união civil. Segundo a Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), nos estados em que é autorizado já há provimentos das corregedorias de Tribunais de Justiça determinando que os cartórios realizem o casamento civil e a conversão da união estável de gays em casamento civil entre homossexuais. Foi a partir da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que, em 2011, reconheceu aos casais do mesmo sexo o direito à união estável que os Tribunais de Justiça começaram a autorizar o casamento país afora.

Hoje, mais de uma década depois do projeto apresentado pela então deputada Marta Suplicy pedindo o reconhecimento da união entre homossexuais, esse direito é garantido nos estados de Alagoas, Sergipe, Espírito Santo, Bahia, Piauí, São Paulo, Ceará, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rondônia, Santa Catarina e Paraíba, além do Distrito Federal. No Rio de Janeiro, o Tribunal de Justiça diminuiu a burocracia, mas ainda cabe a cada juiz decidir sobre os pedidos.

Com informações de O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. JONAS disse:

    QUE FIQUE SEM AUTORIZAR SEMPRE!!! DEUS CRIOU ADÃO E EVA!! E NÃO ADÃO E IVO!!!

  2. Paulo Roberto disse:

    É isto Ricardo!A Justiça tem que se preocupar com assuntos relevantes e deixar a
    "baitolagem" em paz.

  3. Ricardo Silva disse:

    Isso é uma besteira, quem quiser casar que case, ninguém vai mudar mais isso temos que aceitar este novo tipo de família, em vez da justiça esta discutindo isso deveria colocar um bando de bandidos, estrupadores, assassinos na cadeia.

Em audiência na Câmara, psicóloga diz que Gays podem virar heteros com tratamento. Acabou em barraco…

Vejam o roçoio que aconteceu na audiência pública realizada ontem na Cãmara Fedral para discutir o projeto de decreto legislativo 234/11, conhecido como Projeto da Cura Gay. Totalmente sem fundamento a proposição do deputado João Campos. Segue reportagem da agência Estado:

Gritos, bate-boca e muita confusão marcaram a audiência pública feita nesta quinta-feira, 28, para discutir o projeto de decreto legislativo 234/11, conhecido como Projeto da Cura Gay. De autoria do deputado João Campos (PSDB-GO), da bancada evangélica, a proposta abre caminho para que psicólogos ofereçam “tratamento” para homossexuais mudarem sua opção sexual. Desde 99, uma norma do Conselho Federal de Psicologia (CFP) proíbe que profissionais façam esse tipo de promessa para seus pacientes.

O texto de Campos propõe ainda a retirada de outra proibição feita pelo CFP: a de profissionais usarem a mídia para reforçar preconceitos a grupo de homossexuais. A audiência, convocada pelo relator do projeto, deputado Roberto de Lucena (PV-SP), deveria ter cinco debatedores, mas apenas dois compareceram.

O CFP não aceitou o convite por considerar a composição da mesa pouco equilibrada. Em um manifesto enviado à Câmara dos Deputados, integrantes do conselho afirmaram que atores importantes não foram convidados para o debate e lembraram que desde 1970 a homossexualidade não é considerada como um transtorno psicológico. A mesa esvaziada de debatedores, no entanto, não reduziu a temperatura da reunião. A polêmica ganhou força depois de uma das convidadas, a psicóloga Marisa Lobo, defender o direito de psicólogos atenderem pacientes que busquem mudar a sua orientação sexual. Ela disse acreditar ser possível que o paciente mude sua orientação se esse for o seu desejo.

O coordenador da Frente Parlamentar Mista pela Cidadania LGBT na Câmara, deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), disse ter ficado “constrangido” com a defesa da psicóloga. Marisa revidou, foi advertida mas, mesmo assim, não baixou o tom. “Não ofendi o deputado. Ele é que tentou me diminuir, tentando afirmar que minhas posições não podem ser consideradas apenas porque sou religiosa”. A partir daí, o tumulto se formou. Um bate-boca entre Marisa e representantes do Movimento Gay se instalou: “Ser cristão não significa ser alienada”, disse a psicóloga para uma plateia que revidava chamando-a de “barraqueira” e “fundamentalista”.

O duelo verbal somente não aumentou porque integrantes do movimento saíram quando Jair Bolsonaro (PP-RJ) começou a falar. “Quem gostaria de ter um filho gay?”, perguntava ele, durante o discurso. Mesmo com plenário mais vazio, o clima de auditório permaneceu. Falas do autor do projeto, João Campos, eram volta e meia interrompidas pelos clássicos: “muito bem!”, do grupo de religiosos que acompanhava a discussão. No final da audiência, mais um momento de embate. Depois de criticar a decisão de o CFP não participar da audiência, o deputado Roberto de Lucena (PV-SP), decidiu ler trechos do manifesto do conselho. Integrantes do movimento gay presentes à reunião começaram a ler o texto na íntegra provocando nova confusão. Eles foram retirados do plenário da comissão por seguranças da Casa.

Luth Laporta, da Companhia Revolucionária Triângulo Rosa, que esteve presente na audiência, disse que não havia nenhuma isenção dos deputados durante a audiência. “Essa foi uma audiência feita pela comunidade evangélica para comunidade evangélica. Não houve uma discussão democrática”, disse.

Android é marca preferida dos gays, aponta estudo

O Android, sistema operacional do Google para celulares e tablets, é a marca mais bem conceituada pela comunidade gay, de acordo com uma pesquisa feita pelo instituto norte-americano YouGov. Em segundo lugar, vem iPhone. Em terceiro, iPad.

O estudo entrevistou 5 mil consumidores por dia durante 12 semanas e separou as respostas daqueles que se indentificavam como gays, lésbicas e transexuais. Uma curiosidade: o Android nem aparecia na lista do ano passado, quando o YouTube levou o primeiro lugar.

A lista:

Via Mashable

Foto: Taekwonweirdo/Flickr/Creative Commons

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcosfsl disse:

    Pesquisa ridícula…
    Isso só reflete a popularidade do sistema operacional do Google.

    Prestem atenção:Hipoteticamente, num universo de 100 pessoas, 90 usam Android e 10 iOs.
    Nesse msm universo há 10 homossexuais, logo a probabilidade deles usarem Android é maior que iOs.
    Agora, reportagens mal escritas como essa: "Android é a marca preferida dos gays, aponta estudo" só fomenta o preconceito barato.
    Se os gays preferem Android, eu posso preferir também… O que há de mal nisso?
    Se os gays preferirem pizza em detrimento de lasanha, para afirmar minha masculinidade e não parecer gay, teria eu de gostar de lasanha e rejeitar pizza?

    Fica a dica!

RN está entre os 10 estados que tem mais gays no Brasil

Florianópolis é a capital com maior concentração de gays do Brasil. Dados do Censo Demográfico de 2010 – o primeiro da história a perguntar sobre a opção sexual – mostram que 416 chefes de família declararam viver com um cônjuge do mesmo sexo na cidade catarinense. Isso representa apenas 0,11% dos seus 418 mil habitantes – o porcentual, porém, é seis vezes maior que o de Teresina (PI) a última no ranking dos casais declaradamente homossexuais do País.

No total, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) encontrou 60 mil brasileiros que declararam viver com alguém do mesmo sexo. Especialistas e militantes de movimentos gays afirmam que, provavelmente, o número de homossexuais é muito maior. Além dos dados contemplarem apenas os casais que moram sob o mesmo teto, há a questão da subdeclaração. “Muitas pessoas ainda têm medo e timidez de se declarar”, explica Franco Reinaudo, da Coordenadoria de Assuntos da Diversidade Sexual da Prefeitura de São Paulo.

Em segundo e terceiro lugar na lista das capitais estão Porto Alegre e Rio de Janeiro, onde 0,10% e 0,09% dos habitantes, respectivamente, dizem viver com alguém do mesmo sexo. O quarto lugar é de São Paulo, com 0,67%. Em números absolutos, porém, a capital paulista lidera de longe o ranking – são 7.527 gays e lésbicas nessa condição, quase 13% de todos os que se declararam em todo o País. Esse número, até mesmo, mostra como os dados do Censo podem estar subestimados – a Prefeitura de São Paulo estima que cerca de 1 milhão de homossexuais vivam na cidade, vários deles vindos do interior para se assumir na capital.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Elio Cesario disse:

    Na minha rua tem mais que Floripa, é bom demais Júnior!!!

  2. Donatelo disse:

    Parnamirim-RN dá de goleada no Estado.
    Aqui é 01 hétero pra cada 3 gays.

  3. TERESA disse:

    COMO ADVOGADA MILITANTE NA CAPITAL CATARINENSE, FIQUEI MUITO FELIZ COM A APROVAÇÃO NO CONGRESSO DA LEI QUE PROTEGE AS RELAÇÕES HOMOAFETIVAS, POIS ELES SÃO DIGNOS DE RESPEITO E CONSIDERAÇÃO DA POPULAÇÃO, POIS PAGAM SEUS IMPOSTOS E ASSUMEM SUAS OPÇÕES SEXUAIS. ALIÁS, BEM AO CONTRÁRIO DE MUITOS HOMENS QUE SE DIZEM "MACHO",….E NÃO POSSUEM O MÍNIMO RESPEITO PELAS MULEHRES. PARABÉNS AOS GAYS NO GERAL.

  4. @borgesneto12 disse:

    Esse número do RN deve está concentrado entre o eixo Japecanga-Goianinha…

    • Carlos Amaral disse:

      Falou eu gay as colegas bichas já aparecem pra contribuir com mais dados . Falam com autoridade

  5. ricardo gurgel disse:

    Tenho certeza que a proporção seja praticamente a mesma em todo o país, aliás, em todo o mundo, pois existem muito mais indícios que a questão homossexual é biológica e não opcional, o que tende a guardar proporções de ocorrência entre populações humanamente conectadas.
    A pesquisa, acredito que muito mais retrata as regiões a que estes se sentem mais a vontade em revelar sua condição, de qualquer forma as religiões cegamente combaterão que ser gay seja um fator vindo já desde o “nascimento”, como os estudos estão próximos de provar, e isto derrubaria muito das PREGAÇÕES DE CURA DE SEXUALIDADE, que são uma forte opressão a algo que não vai mudar, acredito que com o fator biológico provado, o preconceito vai diminuir, a sociedade de preconceitos deixaria de buscar formas de educar para combater.
    A resposta que encontramos quando os homossexuais tentam explicar quando se descobriram nesta condição é que eles todos respondem que são assim desde que se entendem como gente e isto é algo para ser aceito, ou como dizia uma amigo meu com seu bom humor …eita vai sobrar muié pra nós!! então viva os gays!

Lésbicas, Gays e Travestis em sala de aula….

Chego a conclusão que isso passa de qualquer limite, onde vamos parar?  Quer dizer que nossos filhos terão aulas e orientações sobre o mundo LGBT? Esse projeto dos Direitos Humanos é uma afronta. Leiam com atenção.

DE: Mariana Mandelli / São Paulo e Rafael Moraes Moura / Brasília – O Estado de S.Paulo

Vídeos elaborados pelo Ministério da Educação (MEC) que tratam de transexualidade, bissexualidade e da relação entre duas meninas lésbicas deverão ser debatidos em salas de aula do ensino médio no segundo semestre deste ano.

O objetivo do material, composto de três filmes e um guia de orientação aos professores, é trazer para o ambiente de 6 mil escolas o “tema gay” como forma de reconhecimento da diversidade sexual e enfrentamento do preconceito.

A proposta de exibir os vídeos nas escolas é um dos pontos polêmicos do Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (PNPCDH-LGBT) – um conjunto de diretrizes elaboradas pela Secretaria de Direitos Humanos, em parceria com entidades não governamentais, que visa a promover a cidadania e os direitos humanos da comunidade LGBT.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carlos disse:

    De repente, hoje em dia tudo tem a ver com Bullying.

  2. Karl Guerra disse:

    Sinto muito nojo sim. sinto muito nojo de gente preconceituosa. Me digam em que momento de suas vidas decidiram por ser heterossexuais?? Foi na adolescencia?? Não existe "opção sexual" opta-se apenas por viver sua sexualidade ou esconder-se a vida td. Deus me fez homossexual à sua imagem e semelhança da msm forma qq te fez heterossexual à sua imagem e semelhança. Naum precisam ter medo de seus filhos tornarem-se gays, mas aprendam a acolhe-los caso assim eles sejam. Se vc tem sua sexualidade bem resolvida naum precisa ficar com medo pela forma como o outro vive a dele.

  3. Luciano disse:

    Realmente é lamentável o que se ler aqui. Ódio, discriminação e como sempre religião sendo usada para defender absurdos. Diogo, me responde por que, presurivelmente, deus criou tb os/as hermafroditas? Não era para ser apenas homem e mulher?
    Outra coisa, no Ensino médio não se tem exatamente crianças em salas de aula: São adolescentes na faixa dos 14 a 16 anos que precisam sim discutir entre si os vários problemas do nosso país, inclusive das minorias. Me parece que os pais preferem q os filhos aprendam na TV tais assuntos, como BBB, do que na escola.

  4. joaozinho disse:

    Fico me perguntando qual será o próximo passo desse governo ridículo, será que vão também legalizar o casamento entre brancos e negros, ou pior, será que vão oficializar o casamento entre deficientes e normais. Olha me preocupo muito, pois tenho filhos em idade de escola, e penso, já imaginou se o governo dá mais um passo "adiante" e começa a mostrar como lidar com deficientes, em vídeo, ou com negros. Não quero que meu filho ande com esse tipo de gente, não quero que ele nem se quer saiba que esse tipo de gente existe. Deus nos fez, nossa família, perfeita, sem deficiência, nem de corpo nem de cor de pele, graças a Deus Jesus tá voltando, porque tá difícil essas pessoas destruindo suas leis. Bom mesmo seria se Deus ordenasse como ordenou a Moisés que matasse todos que se opunha a ele e matassem todos que destroem suas leis. Eu e minha familia jamais pecamos, estamos salvos, agora esse governo e essas pessoas nada normais, tenho pena deles, o inferno os esperar. Por isso que eu sempre digo, sou cristão e amo a todos como a mim mesmo e Deus sobre tudo. Vamos lutar contra essas aberrações.

  5. Neto disse:

    Sr. João Maria, para mim, homossexualismo é problema e é doença. Nada contra o grupo glbt, agora, que não consigo achar isso normal, juro, não consigo. A questão central neste debate é que, na idade da curiosidade, os adolescentes serão estimulados ao 'novo', pelo poder público!!! Uma vergonha….

  6. Eduardo disse:

    Não sou preconceituoso, porém o que está ocorrendo é uma banalização da opção sexual do ser humano. Atualmente está se tornando normal meninas beijando meninas, como também meninos beijando meninos em locais públicos. Ser homem ou ser mulher está ficando careta, até politicamente incorreto. Direitos iguais sim, mas com respeito.

  7. João Maria disse:

    E por acaso é melhor fazer de conta que não existem homossexuais no mundo e simplesmente ignorar a quastão? Educar sobre um assunto certamente não significa incentivar a sua prática. E tem mais, homossexualismo não é doença, não é problema, é simplesmente opção sexual que deve ser respeitada. Problema é fechar os olhos e fazer de conta que não está vendo nada.

  8. Diogo disse:

    Sinceramente isso está passando dos limites, tanto quanto a Lei de Deus quanto a Lei dos homens, a palavra de Deus em Gênesis 1:27;28 diz: E criou Deus o homem à sua imagem: à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra.
    Será que estão querendo FORÇAR o 3 sexo mesmo ? E as crianças ? que antes dos 12 anos ainda não tem sua personalidade formada, e está sendo instruida a ter uma caída pela "3 opção" sugerida por tais movimentos, isso sinceramente é um ABSURDO! Estão querendo educar nossas crianças de uma forma errada, e as crianças são o futuro do nosso país, desse jeito não quero nem pensar como sera o país daqui a 20 anos caso Deus ainda não tinha voltado, pelo que estou vendo, a bíblica está se cumprindo a cada dia, e creio que antes desses 20 anos Deus já tenha voltado, ai tudo será maravilhoso para aqueles que tem seguido e obedecido a sua vontade. Deus tenha misericórida dessas vidas!

  9. @borgesneto12 disse:

    Respeitar, entender e aceitar a opção do(a) outro(a) é democrático e legal, seja qual for a opção: sexual, religiosa, social, clubística etc. Mas querer impor certas regras "educacionais"(?) à crianças sob a pseuda égide de combate a bullying e a discriminação, é demais!