Cosern lança central de relacionamento para clientes de geração distribuída (Micro e Minigeração) de energia

A Cosern, empresa do grupo Neoenergia, colocou à disposição de seus clientes que possuem micro e mini geração de energia instaladas em suas unidades consumidoras uma Central de Relacionamento Exclusiva.

Por meio do número 0800 084 5010, disponível para contatos de segunda à sexta, das 8h às 20h, é possível solicitar serviços, verificar prazos, esclarecer dúvidas sobre documentação, bem como outros assuntos ligados ao processo de conexão das unidades de gereção distribuída.

Atualmente, a Cosern já atende 5.500 clientes que possuem unidades com micro ou mini usinas de geração distribuída, instaladas por todo estado do Rio Grande do Norte.

Para saber mais

O que é Geração Distribuída?

A Geração Distribuída é caracterizada pela produção de energia elétrica pelo próprio consumidor através de fontes renováveis, como exemplo principal os sistemas fotovoltaicos (solares), ou de cogeração qualificada, conectadas na rede de distribuição de energia elétrica por meio de instalações das unidades consumidoras.

O eventual excedente de energia produzida pode ser injetado na rede da distribuidora de sua localidade e, por meio da adesão ao sistema de compensação, esse excedente de energia ativa pode ser usado para subtrair o consumo de outras unidades consumidoras de sua mesma titularidade ou acumulado para posteriormente compensar o consumo de energia elétrica da unidade produtora.

Qual a diferença entre micro e mini geração?

Microgeração distribuída é caracterizada por ser uma central geradora com potência instalada menor ou igual a 75 kW. Já a Minigeração é uma central geradora com potência instalada superior a 75 kW e menor ou igual a 5MW.

Ambas devem gerar energia através de fontes renováveis ou cogeração qualificada e serem conectadas à rede da distribuidora através das instalações da unidade consumidora.

ASSESSORIA DE IMPRENSA DA COSERN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Raphael disse:

    Cosern tem certamente o pior ou um dos piores atendimentos que existe no estado. Pessoal pessimamente qualificado para a função, demora para atendimento, pouca produtividade, poucas pessoas… um verdadeiro absurdo.

    • Val do Açai disse:

      Eu pensei que privatizar era a solução!

    • Kleber disse:

      Meu amigo!!! vc não conheceu a antiga Cosern quando era propriedade do Estado do RN. Hoje estamos no céu.

BMS promove dia 26 o “Webinar Oportunidades Previdenciárias – Geração de Fluxo de Caixa em Cenário de Pandemia COVID-19”

Foto: Divulgação

INFORME PUBLICITÁRIO

A perda de receitas e o aperto orçamentário imposto pela Covid-19 têm levado dezenas de empresas a buscar serviços especializados em recuperação de créditos previdenciários. Com a grave crise trazida pela pandemia de Coronavírus, cresce a demanda por consultorias que buscam regularizar divergências relativas à folha de pagamento. É o caso da BMS Projetos & Consultoria, que atendeu mais de 500 empresas em 2019 e conseguiu recuperar R$ 1,1 bilhão em compensações previdenciárias.

Esse resultado foi obtido a partir do mapeamento das incidências tributárias sobre a folha de pagamento dos clientes. No atual cenário de crise, o tema invadiu o ambiente virtual. No próximo dia 26, às 16h, a BMS promove o Webinar Oportunidades Previdenciárias – Geração de Fluxo de Caixa em Cenário de Pandemia COVID-19. O encontro reunirá representantes da própria BMS, do escritório Pinheiro Neto Advogados, da Latam, da Rede D’Or e da Marsh Corretora de Seguros.

No Webinar, eles vão esclarecer como as empresas podem se beneficiar de oportunidades previdenciárias no cenário de crise atual. Em debate, temas como a redução de riscos previdenciários, incluindo passivos de contribuições para o INSS e os decorrentes de acidentes do trabalho. A inscrição é gratuita e pode ser feita pelo link https://bit.ly/3fwEiQn. O Webinar será através da plataforma Zoom.

Além do cenário de incertezas, há um clima de apreensão por conta das Portarias 139 e 150/2020, do Ministério da Economia, que adiaram o prazo para recolhimento das contribuições previdenciárias de 20% sobre a folha de salários e de outras incidências. As contribuições relativas às competências de março e abril tiveram os prazos de pagamento postergados para julho e setembro, respectivamente.

“Diante da força destrutiva da crise trazida pelo Coronavírus, o remédio de apenas postergar o pesado encargo da tributação da folha de duas competências, por cinco meses, poderá acarretar em diversos problemas por ser ineficiente. O que pode piorar é o pagamento de 2 competências em um único mês, tanto em agosto como em outubro, sem que haja uma provável consideração de um melhor prognóstico futuro com a retomada da força econômica e da receita habitual das empresas”, alerta Luciana Vasconcellos, sócia da BMS e especialista na Área Previdenciária, Compliance de folha de pagamento e e-Social.

SERVIÇO

Webinar Oportunidades Previdenciárias – Geração de Fluxo de Caixa em Cenário de Pandemia COVID-19
Data: 26 de maio
Horário: 16h
Link: https://bit.ly/3fwEiQn
Plataforma: Zoom
Inscrição gratuita

Palestrantes e convidados:

Luciana Vasconcellos – Sócia da BMS Projetos & Consultoria, especialista na Área Previdenciária, Compliance de folha de pagamento e e-Social.

Alfredo Rodriguez – Diretor Técnico da BMS Projetos & Consultoria

Cristiane Matsumoto – Sócia da Área Previdenciária do Pinheiro Neto Advogados

Lucas Oliveira – Advogado associado do Pinheiro Neto Advogados

André Takahashi – CFO da Marsh Corretora de Seguros

Bruno Aléssio – Diretor de Planejamento Tributário e Tax Compliance na Latam Airlines

Gabriel Abrantes – Gerente Jurídico Tributário da Rede D’Or

Índice de geração de empregos em outubro no RN é o segundo maior do Brasil

Foto: Divulgação

O último mês de outubro registrou aumento acentuado no índice de geração de empregos no Rio Grande do Norte. Foi o mais alto dos últimos 15 anos e a segunda maior taxa de crescimento do Brasil. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, divulgados nessa quinta-feira (21).

“Este é o quinto mês consecutivo de alta nas taxas de emprego no Rio Grande do Norte. Alcançamos a segunda maior taxa de criação de empregos em todo o Brasil, com 0,7%, atrás apenas de Sergipe, com 0,95%. Mas o ponto mais positivo é a diversidade de setores econômicos aquecidos em nosso Estado”, analisou o secretário estadual de Planejamento e das Finanças, Aldemir Freire.

Segundo o titular da Seplan, desde junho o crescimento de empregos no Estado potiguar estava concentrado na atividade agropecuária. Desta vez, os números apontam alta em setores como construção civil, serviços, comércio e, sobretudo, na indústria, já impactada pelo Programa de Estímulo ao Desenvolvimento Industrial (Proedi), criado recentemente pelo Governo do Estado.

“Dentro do campo industrial, destaco os setores de alimento e, sobretudo, têxtil e confecções. Somente essas duas últimas atividades geraram 644, dos 2.980 postos de trabalho criados com carteira assinada neste mês de outubro. E são justamente os setores mais estimulados pelo Proedi. Então, acreditamos numa tendência de alta também nos próximos meses”, estima o secretário.

Outro destaque apontado por Aldemir Freire é o setor de Construção Civil. “Este é o segundo ano de saldo positivo da Construção Civil. Mas em todo ano de 2018 foram gerados 336 empregos. Somente nestes dez primeiros meses de 2019 já foram 1.012, praticamente o triplo do crescimento registrado ano passado, o que mostra não só uma retomada no setor, mas um reaquecimento desta atividade no Rio Grande do Norte”, concluiu.

De acordo com o Caged, os melhores resultados do mês de outubro, no RN, foram nos setores da Indústria de Transformação, com 689 empregos gerados; na Construção Civil, com 635; no Comércio, com 596 empregos; no setor de Serviços, com 575; e no Agronegócio, com 455 empregos com carteira assinada.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. MARCELO BARBOSA MACIEL disse:

    Sinceramente, não acredito.

  2. Silvio disse:

    Pt forja números muito bem, tô vendo a hora o RN ter o 4o mais rico do mundo e ficarmos parêa com São Paulo no PIB. Aguardem!

  3. José disse:

    Parabéns para a governadora. Faz no RN o que Bolsonaro não tem coragem de fazer no país.

  4. BC3331986GAC disse:

    Na pratica nenhum emprego no RN.

Mirando o incentivo a qualificação profissional e a geração de emprego e renda, entenda o Programa Verde Amarelo lançado pelo governo federal

Foto: (Gabriel Ramos/Getty Images)

O governo federal lançou nessa segunda-feira (11) um programa para incentivar a qualificação profissional e a geração de emprego e renda. A expectativa do governo é que a iniciativa, batizada de Programa Verde e Amarelo, consiga gerar ao longo de três anos, cerca de 4,5 milhões de empregos.

O público-alvo da iniciativa são jovens que buscam a inserção no mercado de trabalho ou o primeiro emprego, trabalhadores desempregados que estejam cadastrados no banco de dados do Sistema Nacional de Emprego e pessoas inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal.

O programa também é voltado para os trabalhadores que estão empregados em ocupações que sofrem com a diminuição das vagas de trabalho devido a modernização tecnológica e outras formas de reestruturação produtiva. Para esse público devem ser oferecidos mecanismos para a requalificação ou a recolocação no mercado de trabalho.

Uma das metas do programa é que, dos cerca de 4,5 milhões de empregos que o governo espera gerar, 50% desses trabalhadores ingressem no mercado de trabalho até um ano após a realização dos cursos.

A qualificação desses profissionais se dará por meio de um sistema de vouchers para a participação em processos de formação. “Os vouchers são vagas de qualificação oferecidas sem custo para os trabalhadores e que serão utilizadas para que as empresas treinem seus empregados e novos contratados em áreas e competências que realmente são necessárias para as companhias.

De acordo com o Planalto, as entidades encarregadas dos processos de formação serão pagas por performance. Pela proposta, só receberão recursos públicos os parceiros privados que comprovarem a empregabilidade dos ex-alunos.

Para auxiliar na tarefa de descobrir as demandas por emprego, o governo também vai incentivar, com o auxílio da rede pública de educação profissional, o mapeamento da real demanda do setor produtivo por qualificação profissional.

Segundo o Planalto, o decreto que institui a Estratégia Nacional de Qualificação para a Produtividade e o Emprego do governo federal tem por objetivo “promover, em larga escala, com a ajuda de parceiros públicos e privados, uma qualificação profissional alinhada com as demandas reais dos setores produtivos e com o futuro para elevar a empregabilidade e a produtividade além de difundir conhecimento e tecnologia”.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rosi Sampaio disse:

    O programa do"sub emprego" e ainda temporário. Querem reduzir a fila dos desempregados explorando a mão de obra dos jovens, em vez de incentivar a educação, desenvolvem projetos sem nenhuma sustentabilidade, que coloca jovens no mercado de trabalho sem qualificação, com baixos salários e por tempo determinado só para gerar números, ou seja, a escravidão está de volta. É a era do retrocesso, nenhum país se desenvolve assim, não se iludam. Educação em primeiro lugar!

  2. #Lula Na Cadeia sempre disse:

    Agora lascou …os PTralhas NÃO sabem a cor da carteira de trabalho

Prefeito de São Gonçalo apresenta programa de atração de investimentos e geração de empregos a vereadores

Foto: Ariel Dantas

Na última quinta-feira (31), o prefeito de São Gonçalo do Amarante/RN, Paulo Emídio, o Paulinho, reuniu vereadores para apresentar um plano de estratégia de atração de investimento para geração de empregos com planejamento e sustentabilidade no município. O encontro aconteceu na sala de reuniões do Gabinete Civil.

Incentivos fiscais, concessão de áreas, diálogos com grupos empresariais e divulgação do município são algumas das ações que compõem o Prosiga – Programa São-gonçalense de Incentivo ao investimento para geração e atração de empregos, apresentado pelo gestor.

“O prosiga visa facilitar a vinda de empreendimento para nossa São Gonçalo. Vamos diminuir a burocracia, com alvará eletrônico, por exemplo; oferecer segurança jurídica, capacitação e qualificação profissional, além de infraestrutura. Estamos fortalecendo nossas ações”, observa Paulinho.

Estamos produzindo uma geração de cabisbaixos na comunicação

Pedro Ratts
@rattscom

Onde quer que você esteja começando a ler este texto, preste atenção ao seu redor. Provavelmente você vai ver algum jovem (e adultos idem) andando e olhando pra o celular ao mesmo tempo. Isso significa que este jovem passou por alguns locais sem prestar nenhuma atenção ao que acontecia ao seu redor. Agora vamos transportar esta situação para um profissional ou alguém que precise trabalhar com comunicação, com marketing, com estratégias de venda de serviços, produtos e ideias. Já viu né?
Estamos produzindo uma geração de cabisbaixos, de profissionais que não olham o que está ocorrendo ao seu redor. Para onde você olha, tem uma pessoa andando e olhando e teclando e perdendo o que se passa ao seu redor.

Não sei se o amigo leitor sabe, mas comunicação se alimenta do cotidiano, do dia a dia. É preciso uma "leitura" do que ocorre nas ruas, nos lugares, para que a estratégia de marketing funcione. Não se vende para quem (ou o quê) não se conhece. Mas como conhecer o hábito das pessoas sem levantar a cabeça? Como fazer essa leitura cotidiana se tudo se resume a um grupo de whatsapp e um stories do Instagram? Parece um paradoxo, mas você só vai conseguir comunicar bem o seu produto nas redes sociais se ficar um pouco fora delas e entender e sentir como é a vida.

Galera, levanta a cabeça! Olha o mundo ao redor! Veja como o pedestre atravessa a rua, como o vendedor da loja aborda o cliente, como o cara da feira expõe o produto. E depois você vai pro digital, pras mídias e pras estratégias. Não se pode vender o que não se compra. E pra comprar tem de conhecer. E o conhecimento começa pela visualização, que por sua vez precisa de cabeça erguida e olhar atento.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. ALEX DE MESQUITA disse:

    PESSOAS PARECENDO ZUMBIS !!!! SEM INTERAGIR UMA COM AS OUTRAS, NOS BARES SO VEMOS TODOS DE CABEÇAS BAIXAS. UMA PENA QUE ISTO ESTEJA ACONTECNDO.

    • Rivanaldo disse:

      Eh medo de o outro ser bolsominion.

    • Sérgio Nogueira disse:

      Rivanaldo, na verdade as pessoas olham direto para o celular com medo de vê-lo tomado por um petista sem que se perceba.
      Sabemos que petista rouba tão bem que mesmo tudo comprovado ainda tem quem negue o fato.

Geração de emprego no RN tem o pior desempenho desde 2009 no primeiro quadrimestre

As previsões do presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do estado, Marcelo Queiroz, se confirmaram. Os números do mercado formal de trabalho no Rio Grande do Norte, divulgados nesta terça-feira, 21, pelo Ministério do Trabalho e Emprego mostraram que o ano de 2013 teve o pior primeiro quadrimestre dos últimos quatro anos.

No balanço entre admissões e demissões entre janeiro e abril, o setor representado pela Fecomércio registra saldo positivo de 1.453 vagas, um resultado muito aquém dos números registrados no mesmo período dos anos de 2012 (3.851), 2011 (3.557) e 2010 (3.260). O desempenho só é superior aos 432 novos postos abertos nos primeiros quatro meses de 2009, no auge da crise econômica internacional.

O resultado pífio do setor no primeiro quadrimestre foi puxado sobretudo pelo segmento de Comércio, que registrou queda de 556 empregos no período, contra um saldo positivo de 2.009 vagas emplacado pelo segmento de Serviços, este puxado sobretudo pelas atividades de Ensino e de Corretagem e Administração de Imóveis.

O presidente da Fecomércio explica que alguns fatores contribuíram para este quadro. Ele cita, antes de mais nada, uma questão local.  “Há alguns meses vimos chamando a atenção para o péssimo momento vivido pelo nosso turismo. Nossa média de ocupação hoteleira, que vinha oscilando entre 85% e 95% nos últimos três anos neste período, (mais…)