Diversos

Milionários pagam até R$ 280 mil por pacote com vacina contra a Covid-19

Foto: freepik/Racool_studio

Um clube de ingleses milionários começou a enviar os membros aos Emirados Árabes , Índia e Marrocos para passar as férias com direito à vacina contra a Covid-19, que está sendo aplicada nestes países. Os pacotes de viagem incluem experiências de luxo por quatro semenas, com voos de primeira classe, acomodações de cinco estrelas em apartamento com vista ao mar e claro: a vacina contra o coronavírus .

Para aproveitar tudo isso, é necessário desembolsar US$ 54 mil, por volta de R$ 286 mil na cotação atual. Para entrar no clube do Knightsbridge Circle você também deve ter patrimônio líquido de US$ 800 milhões ou mais de R$ 4 bilhões, segundo a Forbes.

Este prestigiado clube é descrito no site oficial como “um serviço exclusivo de viagens e estilo de vida que encapsulou uma ideia simples: oferecer serviço pessoal excepcional em um nível insuperável como uma associação que garante aos clientes acesso incomparável ao melhor de tudo que a vida tem a oferecer”.

Segundo o fundador do clube, Stuart McNeill, duas cidades dos Emirados Árabes estão oferecendo doses privadas da vacina da Pfizer e na Índia, da Oxford-AstraZeneca. “É como se fôssemos os pioneiros deste novo programa de vacina para viagens de luxo”, disse. Ele ainda contou que aproximadamente 20% dos membros já voaram para Abu Dhabi e Dubai para serem vacinados.

Atualmente há uma longa lista de espera para fazer parte do clube, que é apenas para convidados. Além disso, os serviços são limitados a apenas 50 membros.

A assessoria de imprensa do Turismo de Dubai enviou uma nota ao iG para “esclarecer que apenas residentes com documento de identidade dos Emirados Árabes Unidos podem tomar a vacina contra a Covid-19 nos postos espalhados pelo Emirado. Turistas não são elegíveis à vacinação”.

IG

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Dólar cai e bolsas mundiais sobem com sanção de Trump a pacote de US$ 900 bilhões

Foto: Pixabay

O dólar opera em queda nesta manhã e as bolsas sobem no Brasil e no mundo, após a sanção do pacote de US$ 900 bilhões por Donald Trump. Após chamar o projeto de desgraça e deixar sua assinatura para praticamente o último minuto, o presidente americano deu aval ao projeto, que prevê alívio a famílias americanas, pequenas empresas e companhias aéreas, além de bilhões de dólares para distribuição de vacinas no país.

Às 9h09, o dólar recuava 0,56%, a R$ 5,177 . Na última sessão, na quarta-feira da semana passada, a moeda americana fechou em alta, a R$ 5,20. Já o Ibovespa, principal índice da Bolsa paulista, subia 0,16% logo após a abertura, a 117.990,82 pontos.

No exterior, o mercado também reagiu com otimismo à sanção do pacote. A Bolsa de Frankfurt subia 1,49% e a de Paris, 1,14%. Como é feriado em Londres, a Bolsa não abriu nesta segunda-feira na cidade.

Na visão do estrategista Dan Kawa, da TAG Investimentos, o pacote deve dar suporte para que a economia dos EUA atravesse um período mais turbulento até que a vacinação atinja uma escala maior e permita uma recuperação mais estrutural do país.

Os investidores também comemoram o avanço da imunização pelo mundo, como na Europa, que lançou uma campanha de vacinação em massa no domingo, e o acordo comercial entre União Europeia e o Reino Unido.

Na Ásia, as bolsas também fecharam em alta após a sanção de de Trump. Em Tóquio, onde os ganhos foram liderados pelas ações de eletrônicos, o índice Nikkei fechou em alta de 0,7%. Na China, o índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, avançou 0,44%.

Em Seul, o índice Kospi teve valorização de 0,06%, e a bolsa de Taiwan registrou alta de 1,06%. Já a bolsa de Hong Kong fechou em baixa, com o índice Hang Seng perdendo 0,27%.

Previsão de juros mais altos em 2021

No Brasil, o mercado ajustou suas estimativas e passou a ver a taxa básica de juros ligeiramente mais alta no fim de 2021, de acordo com o Boletim Focus divulgado nesta segunda-feira pelo Banco Central.

O levantamento semanal mostrou que os especialistas consultados passaram a ver a taxa Selic a 3,13% no fim do ano que vem. A mediana das projeções apontava para 3% na semana passda. Em 2020, a taxa terminará o ano em 2%.

Para a inflação, os economistas ainda calculam taxa de 4,39% em 2020, mas reduziram as contas para a alta do IPCA em 2021, de 3,37% para 3,34%.

O centro da meta oficial de 2020 é de 4% e, de 2021, de 3,75%, ambos com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

Para o Produto Interno Bruto (PIB), permanece a estimativa de contração de 4,40% em 2020, mas o cenário para o crescimento em 2021 foi melhorado a 3,49%, de 3,46% na semana anterior.

O Globo

 

Opinião dos leitores

  1. Ainda bem que Caligula tem o celular na mão pra digitar pq a boca tá ocupada, se é que vcs me entendem.
    Ele é tão asno que não lê e não sabe que Trump negou e depois assinou, por livre e espontânea pressão.

  2. Pedro, Calígula está perdendo, se somar Mané, Samuel Url e vc dá 3 x 1….kkkkkk, a conta é fácil.

    1. A vaquinha do Bozo lambe as bolas até de quem o Minto manda.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Brasil e EUA fecham pacote de medidas para desburocratizar e acelerar comércio

Foto: Shutterstock

Faltando menos de um mês para a eleição presidencial americana, Brasil e Estados Unidos devem assinar na próxima segunda-feira, 19, um pacote de medidas para acelerar e desburocratizar o comércio entre os dois países. De acordo com fontes da área econômica, deverão ser firmados três acordos: de facilitação de comércio, boas práticas regulatórias e anticorrupção.

O anúncio deve ocorrer em um evento virtual com participação do presidente Jair Bolsonaro, de representantes do Escritório do Representante de Comércio dos EUA (USTR, na sigla em inglês) e de bancos de desenvolvimento americanos.

Longe de ser um acordo de livre comércio – como o ministro da Economia, Paulo Guedes, chegou a anunciar no ano passado -, o conjunto de medidas está sendo considerado pelo governo brasileiro como base para um entendimento mais amplo, a ser futuramente discutido entre os países.

O pacote já vinha sendo discutido, mas o Brasil desejava a assinatura o mais rápido possível, diante do risco de Bolsonaro perder o aliado de primeira hora Donald Trump, que concorre à reeleição e está atrás do candidato democrata Joe Biden nas pesquisas de intenção de voto.

Para o vice-presidente da Câmara Americana de Comércio (Amcham), Abrão Árabe Neto, o acordo cobrirá temas importantes para facilitar e impulsionar negócios entre os dois países. Ele lembra que o comércio de bens e serviços entre Brasil e Estados Unidos é da ordem de US$ 70 bilhões por ano e o estoque mútuo de investimentos supera US$ 110 bilhões.

“Embora os valores sejam expressivos, ainda há enorme espaço para incrementá-los e acreditamos que o acordo será decisivo nesse sentido”, afirmou Árabe Neto.

Apesar da aproximação entre os governos dos dois países, o comércio do Brasil com os EUA caiu 25,1% de janeiro a setembro. As exportações recuaram 31,5% no período e alcançaram o menor nível para os nove primeiros meses do ano desde 2010. Ainda assim, os EUA são o segundo parceiro comercial brasileiro, atrás da China – com a qual a administração Trump vem travando uma guerra comercial nos últimos anos.

‘Operador Autorizado’

O principal acordo é o de facilitação do comércio, que pretende reduzir burocracias administrativas e aduaneiras na exportação e importação de bens e diminuir prazo e custos das operações. Uma das medidas é o compromisso dos dois países em reconhecer programas de Operador Econômico Autorizado (OEA), que são empresas importadoras e exportadoras com uma espécie de selo do governo. Com ele, elas conseguem desembaraçar suas mercadorias de maneira quase automática nas fronteiras.

Já o acordo de boas práticas regulatórias trará um protocolo para a adoção de compromissos como revisão de regulações existentes e a previsão de um órgão ou mecanismo central de coordenação para supervisionar a adoção de boas práticas regulatórias pelo governo federal.

Será assinado ainda um protocolo anticorrupção, um dos primeiros sobre o tema negociado em acordos comerciais. O documento prevê a adoção de padrões que proíbam um funcionário público de solicitar ou aceitar suborno ou auxiliar ou encorajar tais crimes. Também deverão ser adotadas medidas para proteger quem reportar práticas de corrupção a autoridades.

Infomoney

Opinião dos leitores

  1. É necessário desburocratizar as exportações com todos os países. Esse foi um passo importante para que se ampliem as vendas ao exterior.

    1. Análise vazia do candidato a assessor econômico babão . Medida fraca . O Brasil está aceirando de quatro as imposições econômicas dos EUA . Desde a compra do ateniense americano até as taxas de exportação do ferro , estamos literalmente tomando na “ BASSORA “. A submissão política e o aliaNhsmentosabe botas do Brasil ??, estão inversamente proporcionais als nossos interesses . Sugiro ao Sr . GCF ( GADO COMEDOR DE FENO ) , um pouco mais de embasamento antes de opinar .

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Agência de Fomento garante apoio a empreendedores do RN; veja pacote de medidas

Foto:Ilustrativa

A população do Rio Grande do Norte vive um momento de dificuldade em razão da pandemia causada pelo novo coronavírus (COVID-19), em especial, empreendedores que precisaram adequar sua realidade de funcionamento, implantar medidas de biossegurança ou mesmo fechar as portas por um longo período em razão da necessidade do isolamento social. Assim, a Agência de Fomento tem implementado uma série de medidas para dar uma contribuição direta em aspectos sociais, econômicos e até mesmo de promoção da saúde.

Iniciativas tomadas desde o primeiro decreto governamental, ainda no mês de março, e que vão desde a suspensão de cobrança de parcelas por um período de 90 dias, ampliação de carências, criação de novas linhas de crédito, novos limites de financiamento, ampliação de setores atendidos, novas opções de garantia e divulgação maciça de medidas por meio de redes sociais, veículos de comunicação, videoconferências segmentadas, transmissões ao vivo, dentre outras.

A partir das ações sinalizadas, o investimento total na economia do RN pode chegar até R$ 32,4 milhões, a partir de recursos próprios da AGN-RN, assim como, da intermediação de recursos de instituições parceiras. Os recursos são direcionados ao Agronegócio, Indústria, Comércio e Serviços, entre os quais Cultura, Artesanato, Turismo, além da garantia do respaldo ao microempreendedor do RN.

Para a diretora-presidente da AGN, Márcia Maia, o corpo diretivo e funcional da instituição financeira, em articulação com o Governo do Estado, não tem medido esforços no sentido de amenizar as consequências da pandemia sobre a sociedade potiguar, atentando para os limites do capital social constituído sob S.A., nos moldes operacionais, institucional e financeiramente permitidos e a que é submetida.

“A Agência de Fomento se colocou na linha de frente no amparo ao microempreendedor e ao segmento produtivo potiguar na luta para proteger às atividades econômicas em nosso estado, às receitas das empresas e aos empregos dos cidadãos norte-riograndenses. Foram diversas iniciativas e esforços na busca de soluções e novas fontes de recursos para contribuir com a missão de fomentar e recuperar negócios no Estado”, afirmou.

Confira as principais medidas:

– Suspensão sob demanda do cliente pelo prazo de 90 dias do pagamento de parcelas de financiamentos adimplentes;

– Carência de até 90 dias para novas operações de Microcrédito nos diversos segmentos da economia potiguar para operações contratadas até dezembro de 2020;

– Manutenção de bonificação nos juros para pagamento em dia de parcelas de contratos de financiamento do Microcrédito, mesmo com solicitação de suspensão da cobrança ou benefício da carência de 90 dias;

– Implantação de atendimento por aplicativo de mensagens (Whatsapp) e ampliação do número de linhas telefônicas para atendimento ao público;

– Atendimento presencial por agendamento e para assinatura de contratos;

– Criação de nova linha para a Agricultura Familiar, dentro do Programa Microcrédito do Empreendedor. Operações de crédito de até R$ 5 mil por produtor rural da agricultura familiar;

– Criação de linha de crédito de até R$ 6 mil (empreendedor informal) e até R$ 12 mil (empreendedor formalizado) para profissionais do transporte escolar e uma carência de até seis meses;

– Criação de linha de crédito de até R$ 50 mil (via FNE) para escolas realizarem adequações sanitárias e de biossegurança contra o Covid-19 para retomada das atividades. Carência pode chegar até 12 meses;

– Criação de linha de crédito de até R$ 50 mil (via FNE) para academias, boxes de crossfit, estúdios de pilates e outros estabelecimentos destinados à prática de atividade física realizarem adequações sanitárias e de biossegurança contra o Covid-19, para retomada das atividades. – Carência pode chegar até 12 meses;

– Criação de linha de crédito CredJovem a partir de Cooperação técnica entre AGN e a Secretaria de Mulheres e Juventude, SEBRAE e SEDRAF para atender a juventude empreendedora;

– Operacionalização do FUNGETUR – Fundo Geral de Turismo, a partir de recursos do Ministério do Turismo através de linhas de crédito para o segmento do Turismo. Recursos disponíveis na ordem de R$ 13 milhões para serem investidos prioritariamente através de crédito para capital de giro;

– Ampliação do limite de financiamentos de até R$ 6 mil para até R$ 12 mil para Microempreendedores Individuais (MEI) a partir de 13 de abril de 2020;

– Ampliação do limite de financiamentos de até R$ 3 mil para até R$ 6 mil para profissionais informais de atividades comprovadamente ligadas ao turismo e carência de até seis meses, para operações contratadas até dezembro de 2020;

– Ampliação do limite de financiamento de até R$ 6 mil para até R$ 12 mil para profissionais formalizados (Microempreendedor Individual-MEI). Operações com carência de até seis meses para contratos assinados até dezembro de 2020;

– Habilitação junto ao Sebrae para utilização do FAMPE (Fundo de Aval para micro e pequenas empresas), visando complementar a garantia exigida de empreendedores na contratação de operações de crédito;Diálogo sobre cooperação técnica entre AGN e SETHAS para atender a rede de economia solidária através do microcrédito;

– Ações de divulgação por meio de redes sociais, videoconferências segmentadas e realização de transmissões ao vivo para tirar dúvidas e apresentar novas ações da Agência de Fomento;

– Investimento total previsto de cerca de R$ 32,4 milhões na economia do Rio Grande do Norte a partir de recursos próprios da AGN-RN, assim como, da intermediação de recursos de instituições parceiras.

Opinião dos leitores

  1. Tive a experiência de utilizar pela primeira vez uma linha de crédito da AGN. Tive um bom atendimento desde do inicio,mesmo com as restrições da pandemia.Entre o processo de entrada na documentação,aprovação e recebimento do crédito foram 45 dias,sempre sem filas presenciais.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Pacote ‘de guerra’ do governo para manter empregos durante a crise do coronavírus vai custar R$ 36 bilhões

Foto: Ilustrativa

A equipe econômica finaliza os detalhes de um pacote para ajudar na manutenção de empregos no país durante a crise do coronavírus. O valor será de pelo menos R$ 36 bilhões ao longo dos próximos três meses.

Segundo informaram ao blog fontes da equipe econômica, o pacote cria faixas para que o governo subsidie progressivamente o pagamento dos salários, de forma a manter a renda dos empregados e permitir que as empresas não quebrem, em especial micro e pequenos estabelecimentos.

O plano é subsidiar até 80% dos empregos formais no país. Os valores seriam uma espécie de antecipação do seguro-desemprego, mas não iriam ser descontados dos valores a que o empregado teria direito no futuro, caso perca o emprego.

Para os trabalhadores informais, o governo criou uma espécie de voucher, que aguarda aprovação do Congresso. O valor inicial de R$ 200 reais deve ser aumentado para pelo menos R$ 300 para cada trabalhador sem renda formal.

O novo pacote será enviado ao Congresso por meio de medida provisória, para passar a valer imediatamente e servir para as empresas poderem arcar com encargos trabalhistas já no início de abril.

Empresas menores, dos setores mais fragilizados, que estiverem fechadas e não tiverem condições de manter empregos, poderão ter 100% dos salários bancados pelo governo.

Para outras, a redução de jornada será compensada pelo fundo federal, de acordo com o valor de hora-salário do trabalhador.

Nenhum trabalhador receberá menos que um salário mínimo, afirmou uma das fontes.

A estratégia, chamada dentro do governo de um plano de “pré e pós-guerra”, é acalmar os setores produtivos e evitar demissões em massa já na próxima semana.

‘Invisíveis’

Em uma teleconferência com uma instituição financeira na manhã desta quinta-feira (26), o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Bianco, afirmou que o governo se preocupa em melhorar o atendimento aos trabalhadores informais e pessoas que recebem benefícios de programas sociais.

Segundo ele, o foco prioritário no momento é melhorar a eficiência do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), para que os benefícios sejam concedidos com agilidade e não haja a necessidade de que beneficiários se dirijam fisicamente até as agências.

“O INSS é um dos maiores pagadores de benefícios do mundo, mas atende as pessoas mais vulneráveis do país. Preocupa muito a ida das pessoas até as agências, então é preciso lembrar que todos os serviços são virtuais hoje”, afirmou.

Bianco disse que há 10 milhões de pessoas “invisíveis” atualmente, que são aquelas que nunca deram entrada em programas do governo e, por isso, não fazem parte de cadastros. Atingir essas pessoas, muitas sem contas bancárias, é um desafio para a equipe do governo.

Bianco ouviu de gestores e empresários que já na próxima semana podem ocorrer demissões em massa, porque as empresas não terão recursos para pagar salários.

O secretário afirmou que ainda nesta semana o governo deverá enviar ao Congresso a medida provisória com ações para defender empregados e empregadores. “Não demitam, confiem no governo”, pediu Bianco.

Blog da Ana Flor – G1

 

Opinião dos leitores

  1. Grandes líderes aparecem em momentos difíceis!
    Existe uma frase que diz: “mar calmo nunca fez bom marinheiro”.

    Todo líder enfrenta momentos difíceis, e são nesses momentos que o verdadeiro líder se destaca e demonstra quem realmente é.

    É muito bom ser um líder e aproveitar dos privilégios do cargo. Mas o que muitos não levam em conta, é que ser um líder tem seu preço.

    Ninguém gosta de experimentar situações de dificuldades, mas como líder você precisa estar ciente que virão situações difíceis, e estas poderão transformá-lo em vilão ou herói.

    E um dos segredos para estar preparado para estas situações é saber tomar decisões difíceis rapidamente.

    Ser líder é tomar decisões que muitas vezes são impopulares, onde não terá a aprovação dos outros. A verdade é que se um líder tentar agradar todo mundo pode acabar se indispondo com todo mundo.

    FAZER O QUE PRECISA SER FEITO, RESPALDADO EM OPINIÕES DE ESPECIALISTAS DA ÁREA ESPECÍFICA, INDEPENDENTE DO QUE PENSAM OU SENTEM A MASSA. ESSE É O DESAFIO QUE ESTÁ POSTO QUE REVELA OS VERDADEIROS LÍDERES E OS ENGANADORES FALASTRÕES.
    Quem tiver ouvidos para ouvir e olhos para ver, tire suas próprias conclusões.

  2. UMA BOA IDEIA VALE MAIS DO QUE MIL PALAVRAS
    Por que nós não sacrificamos só os 20 mais ricos do mundo e redistribuímos suas fortunas para combater a fome, o desemprego e as doenças em geral e em especial o coronavírus?’
    "Ao invés de ter 7 ou 10 mil, a gente pode ter só 20 mortos.
    Então, eu acho que eles vão concordar, né?”,

  3. Gostaria saber do amigo leitor Joaquim Olimpio, se existe dois Brasil? Se existe um Brasil Federal e outro Estadual? Amigo, vamos parar de alimentar uma discórdia lançado em cadeia nacional, pelo comandante da nação!!!! Ele é presidente de todos, precisa governar baseado no dialogo, na união de forças e chamar todos e ditar as regras para a nação. Ele como presidente, se chamasse todos os governadores, eliminasse todos os decretos, uniformizasse um decreto único com diretrizes nacionais tenho certeza que muita coisa ia pra frente. Estamos no caos e cada um faz o que quer, e o presidente emite um decreto que considera igreja como serviço essencial. Parem de achar que vocês só podem comer capim, pode comer milho e ração também. Brasil acima de tudo e Deus acima de todos conforme o lema do presidente.

  4. Quero saber cadê os empréstimos a juros baixos. Já fui na Caixa 3 vezes e nada. No fim das contas isso vai ser se conversa e quem vai se torar é o povo!!!

    1. Concordo com o Flávio sobre os juros. Desde janeiro acompanho de perto os juros imobiliários pois procuro uma casa. Estão a mesma coisa, não baixou NADA. Esse negócio de corte nos juros é só pra lascar quem tem dinheiro em renda fixa e deixar os bancos ricos!

  5. O atual governo do RN o que fez pela saúde pública ate agora foi FECHAR HOSPITAIS,Hospital de Cangueretama,Hospital Rui Pereira,e se o Povo não gritar,vai fechar mais……Essa verba que vem do Governo Federal tem que ser fiscalizada com todo rigor pelos órgãos competentes.

  6. O Estado serve pra isso aí também, não é só sugar e cobrar impostos. A cada cem anos quando acontece algo desse tipo não mais que obrigação.

  7. Tava vendo essa notícia e pensando: O quê efetivamente os governos estaduais estão fazendo para ajudar o povo? Apenas o isolamento?
    Qual governo estadual comprou respiradores, material hospitalar e os remédios já testados que se mostram eficiente contra o coronavírus?
    Os governos estaduais decretam que os trabalhadores da iniciativa privada, fora do grupo de risco, fiquem parados, sem trabalhar, sem produzir, por consequência sem gerar arrecadação e exigem do governo federal dinheiro para não entrar em colapso.
    traduzindo: Os governos estaduais prenderam o povo da iniciativa privada em casa e querem resgate do governo federal. Não é assim?

    1. Os governos estaduais e o governo federal só existem por um motivo : Porque os contribuintes pagam impostos.
      Logo não existem mocinhos nessa estória, nem caridade e nem bondade. É apenas o dinheiro dos impostos em jogo, e como o governo federal detém a maior parte do bolo tributário, deve também ter uma parcela de responsabilidade maior.

    2. Homi o RN está falido, deve 1 bilhão aos servidores, 1 bilhão ao IPE, outro tanto a União, a fornecedores, enfim, deve ao mundo todo.

    3. Eles querem dinheiro ! Querem que o governo federal abra a torneira ! Todos eles, claro, pensam nos mais pobres e necessitados. Você acredita ???

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Caixa corta juros do cheque especial e lança pacote de produtos com taxas menores; até 40% para pessoas físicas e jurídicas

Presidente da Caixa, Pedro Guimarães Foto: Valter Campanato / Agência Brasil

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta quarta-feira, 31, cortes nas taxas de juros de suas principais linhas de crédito a partir de quinta-feira, 1.º, tanto para empresas quanto para pessoas físicas. Além disso, a partir de 19 de agosto, o banco vai oferecer um novo pacote de produtos, chamado de Caixa Sim, com taxas mais atrativas aos clientes.

“Somos o banco mais solvente do mercado. Nenhum outro banco tem 2% de Índice de Basileia (indicador de quanto o banco pode emprestar sem comprometer seu capital)”, afirmou o presidente da instituição, Pedro Guimarães. “Isso nos permite tomar essa medida. As reduções de taxas são permanentes.”

VEJA MAIS AQUI

No cheque especial para pessoas físicas a taxa máxima passou de 13,45% ao mês para 9,99% ao mês. Para pessoas jurídicas, o juro caiu de 14,95% ao mês também para 9,99% ao mês.

No pacote Caixa Sim, essas taxas serão ainda menores: tanto para famílias quanto para empresas, o juro do cheque especial será de 8,99% ao mês.

No crédito pessoal, haverá redução de até 21% nas taxas cobradas. Atualmente o piso cobrado é 4,99% ao mês e passará a ser de 2,29% ao mês, variando conforme o perfil do cliente.

Isenção de anuidade no cartão de crédito

O banco também anunciou a isenção da anuidade no cartão de crédito para pessoas físicas. “A isenção de anuidade é importante em um momento de grande competição no mercado bancário, inclusive com a liberação de recursos do FGTS”, disse Guimarães.

Para empresas, haverá redução de 11% nas taxas de capital de giro nas operações com aval de sócios (a partir de 1,69% ao mês) e de 13% nas de capital de giro com aval de sócios mais imóvel ou aplicação financeira (a partir de 0,99% ao mês ou 0,95% ao mês, respectivamente).

Na antecipação de recebíveis com cartão de crédito, a taxa será de 1,85%. Também não haverá anuidade no primeiro ano do cartão de crédito para pessoas jurídicas.

O corte horizontal nos juros do banco para pessoas físicas e jurídicas tem como foco, principalmente, linhas como crédito pessoal e capital de giro. O movimento teria partido de uma orientação interna do banco e visa a se antecipar à uma retomada mais aquecida na demanda por crédito no segundo semestre.

Estadão

 

Opinião dos leitores

  1. Verdadeiras geotagem, tanto BANCOS OFICIAIS como BANCOS PROVADOS. A concorrência sobre o setor financeiro, é verdadeiro faz de conta e o consumidor se endevidando.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Pacote para ver todos jogos do Brasil na Copa deve custar no mínimo R$ 3.058

Além de informar o preço dos ingressos para os jogos da Copa do Mundo, documento divulgado pela Fifa nesta quinta-feira (18) oferece ao torcedor a oportunidade de reservar ingressos para as partidas de uma determinada seleção no torneio mesmo antes do sorteio dos grupos e da definição dos 32 classificados.

Mesmo sem saber até onde a seleção brasileira chegará no torneio, é possível ao espectador guardar entradas para sete possíveis partidas do time na competição, quaisquer que sejam os lugares e datas destes jogos.

O pacote incluindo o jogo de abertura no futuro estádio do Corinthians, em São Paulo, e considerando que o time de Luiz Felipe Scolari chegue à decisão é oferecido no documento ao qual o R7 teve acesso por um preço mínimo de R$ 3.058 e máximo de R$ 6.700.

O arquivo com o preço dos ingressos foi disponibilizado pela Fifa em seu site oficial por engano e retirado do ar após o R7 publicar reportagem com o preço dos ingressos. Em contato com a reportagem, A Fifa confirmou o erro e disse que “os valores podem sofrer pequenas alterações”. Como o documento foi publicado pela própria entidade, o portal optou por manter as informações às quais teve acesso.

O público pode ainda comprar ingressos para todos os jogos de uma determinada sede na competição, mas esse pacote não inclui o jogo de abertura, em São Paulo, e da final, no Rio de Janeiro. Para ver os quatro jogos em Cuiabá, Curitiba, Manaus e Natal, o preço mínimo é de R$ 120 (meia-entrada) ou R$ 240 (inteira) e o máximo de R$ 1400.

Em São Paulo, o valor para esse tipo de pacote varia de R$ 145 (meia) a R$1.490 para quatro partidas (sem a abertura).

Os cinco jogos em Belo Horizonte, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro (sem a final), Salvador custarão no mínimo R$ 175 e no máximo R$ 1.840.

Os kit com seis jogos em Brasília será comercializado por valores que variam de R$ 260 a R$ 2.500.

Como a procura deve ser maior que a oferta, o interessado deverá manifestar intenção de compra no site da Fifa e a entidade fará sorteio posterior para definir quem ficará com os ingressos.

Os detalhes da venda e dos preços dos ingressos serão divulgados oficialmente pela Fifa nesta sexta-feira (19), em São Paulo.

R7

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *