Governo anuncia privatização dos Correios nesta quarta

A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos está na lista das 17 estatais que serão privatizadas ainda este ano. O anúncio será feito nesta quarta-feira (21), segundo informou o ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta terça-feira (20).

Nas justificativas para a privatização dos Correios, o Ministério da Economia aponta corrupção, interferências políticas na gestão da empresa, ineficiência, greves constantes e perda de mercado para empresas privadas na entrega de mercadorias vendidas pela internet, o e-commerce.

Como exemplos de ineficiência, o estudo aponta o “elevado índice de extravio”, e morosidade no ressarcimento dos produtos extraviados.

Nos estudos para a venda da estatal, o Ministério da Economia aponta o rombo de R$ 11 bilhões no fundo de pensão dos funcionários, o Postalis. Além disso, o Postal Saúde, o plano que atende aos funcionários, tem um rombo de R$ 3,9 bilhões.

O estudo diz que os Correios são uma “vaca indo para o brejo”, envolvendo risco fiscal de R$ 21 bilhões” (veja no vídeo abaixo).

Em junho deste ano, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que o governo federal não pode vender estatais sem aval do Congresso e sem licitação quando a transação implicar perda de controle acionário.

BLOG DO JOÃO BORGES – G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Francisco S J Filho disse:

    E esse LIXO chamado CAERN, quando será expurgado???

  2. almir dionisio disse:

    conseguiram acabar com uma empresa q tinha resultados, respeito, agilidade.
    Gças ao PT q colocaram incompetentes q sugaram tudo e deixaram a empresa nessa situação.
    Vergonhoso.

    • Patricia disse:

      Não seria mais fácil o MITO consertar e mostrar a sua competência? Tem q privatizar??

  3. carlos duarte disse:

    tá mais do que certo, já passou da hora de privatizar essa estatal. Todo mundo sabe que não funciona direito, demora pra entregar, as coisas chegam quebradas e amassadas… nada justifica manter isso como estatal!

BRs 101 e 304 no RN: Governo Federal estuda privatização de trechos; veja decreto

Reprodução

Dois trechos de rodovias federais que cortam o Rio Grande do Norte foram incluídos nos estudos do governo para privatização de estradas, portos, ferrovias e aeroportos, segundo o decreto nº 9.972, assinado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro e publicado nesta quinta-feira (15) no Diário Oficial da União. Os trechos potiguares compreendem a BR-101 e a BR-304.

O decreto dispõe sobre a qualificação de empreendimentos no Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República – PPI e inclusão no Programa Nacional de Desestatização – PND. Se forem privatizados, os trechos deverão contar com cobrança de pedágio.

O trecho da BR-101 em análise começa no estado da Bahia, passando por Sergipe, Alagoas, Pernambuco e Paraíba até chegar no entroncamento com a BR-304, na região metropolitana de Natal. Dentro do Rio Grande do Norte, do entroncamento com a BR-304 até a divisa com a Paraíba, o trecho tem cerca de 80 quilômetros e é todo duplicado.

Já a BR-304 liga as duas principais cidades do estado – Natal e Mossoró – e chega até o Ceará. Somente no Rio Grande do Norte, são cerca de 310 quilômetros sem duplicação. Há um trecho em obras, para duplicação, no trecho conhecido como Reta Tabajara, entre Macaíba e Parnamirim.

Dois trechos de rodovias federais que cortam o Rio Grande do Norte foram incluídos nos estudos do governo para privatização de estradas, portos, ferrovias e aeroportos, segundo o decreto nº 9.972, assinado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro e publicado nesta quinta-feira (15) no Diário Oficial da União. Os trechos potiguares compreendem a BR-101 e a BR-304.

O decreto dispõe sobre a qualificação de empreendimentos no Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República – PPI e inclusão no Programa Nacional de Desestatização – PND. Se forem privatizados, os trechos deverão contar com cobrança de pedágio.

O trecho da BR-101 em análise começa no estado da Bahia, passando por Sergipe, Alagoas, Pernambuco e Paraíba até chegar no entroncamento com a BR-304, na região metropolitana de Natal. Dentro do Rio Grande do Norte, do entroncamento com a BR-304 até a divisa com a Paraíba, o trecho tem cerca de 80 quilômetros e é todo duplicado.

Já a BR-304 liga as duas principais cidades do estado – Natal e Mossoró – e chega até o Ceará. Somente no Rio Grande do Norte, são cerca de 310 quilômetros sem duplicação. Há um trecho em obras, para duplicação, no trecho conhecido como Reta Tabajara, entre Macaíba e Parnamirim.

As informações são do G1-RN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Evan Jegue disse:

    A estrada da morte (BR-304) será privatizada, espero que ao menos o pedágio ajude nas custa funeraráis.

  2. vilanir gurgel disse:

    Ótimo !!!!!!!!!!!

    • PAULO disse:

      Tomara que lhe cobrem um pedágio bem salgado! Nós já pagamos imposto s suficientes para o governo federal duplicar e deixar a Br um tapete…É MUITA INTELIGÊNCIA!

  3. Ivan disse:

    Seria um sonho!!! Avança Brasil…

    • joao antonio disse:

      seria um sonho que o governo federal fazer essa duplicação com dinheiro que nós pagamos de impostos. E nao entregar para a iniciativa privada para cobrarem pedágio. Esse brasil é um caos mesmo, pagamos impostos e nao temos direitos a uma boa estrada. Para ter direito tempos que pagar pedágio e ainda pagar os impostos. É assim com saúde, educação, segurança e agora com estradas no RN.

    • françois cevert disse:

      Já vi que virou moda se fu… e achar bom, essa é a nova política!!!

Bolsonaro pede privatização de ao menos uma estatal “pequenininha” por semana

Correios na mira da privatização

Foto: Agência O Globo

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira que pediu ao secretário especial de Desestatização e Desinvestimento do Ministério da Economia, Salim Mattar, que privatize ao menos uma empresa estatal pequenininha por semana. Bolsonaro reconheceu que a privatização não é um processo fácil e ressaltou que a venda de parte delas precisa da autorização do Congresso.

— Tá com o Salim Mattar essa proposta. Não é fácil privatizar também. O que eu falei com o Salim Matar: “Salim, pelo menos umazinha por semana você tem que resolver, tá certo? Umazinha. Uma estatal ‘pequeninha’. Começa por aí. As maiores, vai ter problema. Em grande parte, passa pelo Parlamento brasileiro — disse, na saída do Palácio da Alvorada.

O presidente criticou a gestão das estatais em governos passados, dizendo que eram “focos de corrupção”. Ele citou especificamente a Petrobras, fazendo referência ao trabalho do ministro Sergio Moro (Justiça), que estava ao seu lado, como juiz da Operação Lava-Jato e lembrou que um dos seus antigos partidos, o PP, tinha indicados na diretoria da empresa. Bolsonaro ainda citou o Correios e o seu fundo de pensão, o Postalis.

— Nós querermos é…Com todo o respeito, o que é que foram estatais até o ano passado? Focos de corrupção, apadrinhamento político. Olha a Petrobras, tá aqui o Moro, fala melhor do que eu. Olha a Petrobras. Meu partido teve gente indicada para a Petrobras. Olha os fundos de pensões, indicações políticas. Olha os Correios comprando papeis de Hugo Chávez. Por isso talvez está faltando papel higiênico lá na Venezuela, talvez por causa disso. Quebraram o Postalis, pô. Emprestando dinheiro aí…Olha o BNDES, com uma ação política.

Imposto de Renda

Mais cedo, ao deixar o Palácio da Alvorada, Bolsonaro afirmou À imprensa que continuará a defender junto à equipe econômica que contribuintes que ganhem até cinco salários mínimos, cerca de R$ 5 mil , fiquem isentos de pagar o Imposto de Renda (IR). A proposta foi anunciada por ele durante a campanha eleitoral, no ano passado. Hoje, o limite de isenção do IR é de R$ 1.903,98.

– Falei durante a campanha, falei isso aí, sim, tinha conversado com o Paulo Guedes [atual ministro da Economia]. Vou continuar batendo nessa tecla, porque eu acho que quem ganha até cinco [salários] mínimos, em grande parte, tem o imposto retornado para ele. Então se a gente puder. facilitar a vida deles, né?, seria muito bom, no meu entender – declarou.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Humilde Iconoclasta disse:

    Quero ver a choradeira quando a Petrolixo for pro espaço. Mas depois que a gasosa cair o preço uns 30% o choro acaba.

Estudo do Ministério da Economia aponta razões para privatização dos Correios: entre elas, ‘vaca indo para o brejo’, ‘histórico político e corrupção’ e ‘brasileiro paga o pato’

Foto: Agência O Globo

Os argumentos para a privatização dos Correios já estão fundamentados em estudos do Ministério da Economia aos quais o blog teve acesso e que serão divulgados quando for formalmente anunciada a venda. Corrupção, ineficiência, rombos bilionários, greves constantes, perda de mercado para concorrentes privados são alguns dos itens que apontam para a necessidade de venda da estatal.

Na quinta-feira (1º), o ministro Paulo Guedes disse que, depois da venda do controle da BR Distribuidora, os Correios seriam a primeira empresa estatal a ser privatizada.

O estudo lista 8 razões para a privatização dos Correios:

Histórico de interferência política e corrupção

O brasileiro paga o pato: rombo de mais de R$11 bilhões no Postalis, o fundo de pensão dos funcionários

O brasileiro paga o pato: postal Saúde com passivo atuarial de R$ 3,9 bilhões

Sindicalização e ineficiência: greves constantes e má avaliação dos serviços pelos usuários

Barreira logística para o pequeno empresário;

É agora ou nunca: o ativo se tornará um passivo invendável

Vaca indo para o brejo: mesmo com imunidade tributária de R$1,6 bi ao ano, não paga dividendos ao Tesouro desde 2014

Risco fiscal: R$21 bilhões adicionais no teto de gastos.

O estudo mostra ainda que os Correios estão perdendo mercado rapidamente no segmento de e-commerce, representado pela entrega de bens vendidos pela internet.

Os dados, na visão do Ministério da Economia, sustentam o argumento de que os Correios são uma empresa que está perdendo espaço no mercado, acumulando prejuízos, o que a tornaria, no decorrer dos próximos anos, em “um passivo invendável”.

Em junho o então presidente dos Correios, Juarez Cunha, foi demitido pelo presidente Jair Bolsonaro após se posicionar contra a privatização da estatal. Bolsonaro disse que Cunha agiu como “sindicalista”. Para o lugar de Cunha, Bolsonaro nomeou o ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência Floriano Peixoto Neto.

BLOG DO JOÃO BORGES – G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Alaca disse:

    Só quero ver como ficará essas encomendas para a população. Deve ficar barato não. Kkk

  2. Cigano Lulu disse:

    Venda dos Correios?
    Só pode ser piada!
    Quem danado nesse mundo pretende investir numa bomba de efeito retardado?
    Conte outra, vai.

  3. Bob disse:

    Só o molusco de desenove dedos pode explicar, como é que uma empresa do porte dos correios quebra sem ter CONCORRÊNCIA.
    É imoral o estrago, que essa quadrilha miserável fez no Brasil

  4. JOAO MARIA disse:

    COM A PALAVRA ZÉ DIRCEU( LEVOU TUDO DO POSTALIS) E AINDA TEM CARTEIROS DEFENDENDO OS BANDIDOS QUE ROUBARAM ELES MESMO,
    TEM QUEM ENTENDA? SER ASSSALTADO E DEFENDER O ASSALTANTE?

  5. Vinicius Marinho Pereira de Souza disse:

    É lamentável ver como essa instituição se perdeu diante do uso político sem limitados.
    Tinha a confiança e credibilidade de 90% dos brasileiros e conseguiu acabar com esse valioso legado ao longo dos últimos 16 anos.
    Tinha um sólido fundo de pensão que foi esvaziado pela politicagem rasteira adotada na empresa.
    Tem o monopólio do mercado e mesmo assim foi tragada por uma desastrosa administração que em pouco mais de 10 anos levou os correios ao fundo do poço, perdendo tudo que construiu em sua gloriosa história.
    Interessante ver que os culpados por essa situação de penúria operacional se escondem na sombra do esquecimento, mas não deixam de criticar o que pode ser feito para tentar salvar o desastre que os correios se tornaram. São irresponsáveis até mesmo depois de terem dilacerado todo patrimônio financeiro e tornarem inoperante uma empresa que tem monopólio nacional

  6. Luciana Morais Gama disse:

    A herança dos PTralhas.

  7. Fernando disse:

    Infelizmente, outrora um símbolo de eficiência num país em desenvolvimento foi tragado pela corrupção sistêmica esquerdalha, se tivessem tirado o país da mão dos petralhas na época do mensalão, o país e os Correios não estariam na situação que se encontram hoje, muito menos os aposentados dos correios, Petrobrás, caixa e BB, com seus fundos de pensões, todos afundados pela corrupção desses canalhas

  8. #Lula na cadeia sempre disse:

    Fecha esse CABARÉ…os PTralhas roubaram e esses idiotas carteiros ficaram quietos

Sinal verde para privatização dos Correios

Foto: (Elza Fiuza/Agência Brasil)

Jair Bolsonaro disse hoje, durante café da manhã com jornalistas, ter autorizado estudos para a privatização dos Correios, tema que divide os ministros do governo.

“Dei sinal verde para estudar a privatização dos Correios. Tem que rememorar para o povo o fundo de pensão, que a empresa foi o foco de corrupção com o mensalão.”

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Raphael Bloch disse:

    Pelas reservas de petróleo do mundo agora, estimam em média até 2060 para consumo. Até lá, qual a % de carros elétricos. O que fazer com os ativos mobilizado é imobilizados?

  2. Natal sem lei disse:

    Bota pra ferrar em cima desses carteiros , o ladrao Lula roubou o POSTALIS e nenhum deles abriu a boca , fecha essa bosta e enfia o pé na bunda desse povo

  3. Paulo disse:

    Isso só pode ser um robô dos muitos que alimentam as loucoras dos bosos. PRIVATIZA TUDO, OS BOSOS SÃO TRABALHAR QUE? KKKKKKKKKK

  4. Luladrão disse:

    Parabéns Bolsonaro! Agora, vamos privatizar urgentemente a Petrobras, e tudo que seja do governo, sim, também acabar com a justiça do trabalho. O Brasil começaria a melhorar

    • Jorge disse:

      Fico questionando o porquê de 80% das empresas de petróleo no mundo serem estatais. Será que os alienados não estão precisando entender o que é matriz energética é área estratégica do governo para depois opinar sobre o assunto de forma mais convincente do que apenas repassar informações manipuladas e estrategicamente difundidas por empresas estrangeiras que estão querendo comprar a Petrobras?
      Basta ver quem são as empresas que compraram as áreas de exploração já vendidas na bacia de campos.
      O povo é muito fácil de ser manipulado, seja pela esquerda ou pela direita!

    • Eliane Patrício disse:

      Concordo que seja privatizado porque quer sabe começa chega as correspondências em dias.

Meirelles diz que Caixa está sendo preparada para privatização

Por interino

Foto: Zanone Fraissat/Folha de São Paulo

O ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles (MDB) afirmou nesta quarta-feira (6) que a Caixa Econômica Federal está sendo preparada para iniciar um processo de abertura de capital e venda de parte da empresa para a participação privada, modelo que também defende para a Petrobras e o Banco do Brasil.

“A Caixa está sendo preparada para isso, com o novo estatuto e etc. Com o tempo, podemos até pensar, sim, em abrir o capital da Caixa, começar a vender participação privada”, disse Meirelles durante sabatina com pré-candidatos ao Planalto promovida pelo jornal Correio Braziliense.

O ex-chefe da equipe econômica de Michel Temer evita falar em “privatização clássica” para a Petrobras e os bancos públicos, mas defende maior participação do setor privado nessas empresas, com o cuidado de manter um mercado competitivo em vigor.

O ex-ministro disse ainda que não é solução vender a Petrobras para um único comprador ou o BB —que hoje já tem acionistas na Bolsa— para uma instituição financeira privada, o que geraria o chamado monopólio privado que, na sua avaliação, “é um perigo”.

A proposta, segundo ele, é fazer a pulverização e abertura de capital das empresas de maneira gradual. Ele diz que a União não precisaria, necessariamente, perder o controle político das instituições no processo, mas que é preciso aumentar a competição do setor.

COMBUSTÍVEL

Questionado sobre como resolver a alta do preço dos combustíveis, que gerou a greve dos caminhoneiros e a consequente crise do desabastecimento no país, Meirelles voltou a propor a criação de um fundo de estabilização com o objetivo de equilibrar o preço da gasolina nas bombas.

Segundo ele, é preciso preservar a política de preço da Petrobras, mas a questão dos impostos pode subir ou descer em função do preço do petróleo e, dessa forma, é necessária uma compensação, que viria com o fundo.

“A política de preço da Petrobras não pode e nem deve ser controlada. Isso é uma coisa. Outra é o preço na bomba, que aí tem a parcela dos impostos. O fundo poderia ser usado para compensar a queda [dos preços]”, explicou.

Folha de São Paulo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fábio disse:

    A CEF não precisa ser privatizada ela precisa ser usada de maneira correta, como impor taxas de juros menos extorsivas , forçando os outros bancos a correrem atrás. O que ocorre hoje é o uso político do banco. Se privatizar um governo de qualidade perde a capacidade de botar ordem no mercado financeiro. Meireles está a serviço dos bancos privados!!

  2. Ameba disse:

    Não sabia que a Odebretch, OAS e Camargo Correia eram estatais! Pelo que falam aqui, só as estatais que participam de esquemas de corrupção. O Brasil é podre seja na iniciativa pública ou na "privada" (literalmente).

  3. Ronaldo disse:

    Pelo amor de Deus ! Pq sao a favor da privatização? …esses politicos corruptos estão "dando" nosso patrimonio pois "NAO SAO GESTORES". EIis o problema; nao sabem administrar e sim desviar dinheiro ! Se houvesse gestao/administração correta,honesta,responsavel estariam,todas, "sadias" financeiramente !..a exemplo disso, "saquearam " os Correios , etc…."tamo ferrado" ..nada ficara para nossos filhos e netos !!!

  4. Darwin disse:

    Aviação é cara???
    A bandeira de lula é q o pobre agora anda de avião??!!
    O que os esquerdistas precisam entender é que o Estado, seja ele, PT PSDB MDB PQP e afins são todos corruptos e quanto menor for o Estado menor será o Roubo.

  5. Renan disse:

    Privatização já!
    CEF, Correios e Petrobrás principalmente!
    URGENTE!

  6. Gustavo disse:

    A menor taxa de financiamento habitacional é a do Bradesco. Precisa falar mais alguma coisa??

  7. Gustavo disse:

    A menor taxa de mercado para financiamento habitacional é a do Bradesco. Precisa falar mais alguma coisa ???

  8. Antonio Marcos disse:

    Olimpio, você é um deus do Olimpo mesmo, com suas ideias. A experiencia da privatização foi espetacular, basta dar dois exemplos: a das telefonicas, que agora são campeãs de reclamação no procon e em ações judiciais, como também aconteceu com as empresas de aviação, setor que teve as tarifas aumentadas depois da privatização, quando a promessa era a redução.

    • Darwin disse:

      Lembra quando fazíamos inscrição para uma linha de celular e conseguíamos somente depois de um ano ???
      Depois q privatizou, vc consegue comprar a qualquer momento.
      O Estado é ineficiente, incapaz, caro, burocrático e principalmente CORRUPTO!!
      ACORDA!!!!

    • Darwin disse:

      Para ter uma linha de celular fazíamos inscrição e éramos contemplados uma ano após. Hj se consegue uma linha de imediato.
      O ESTADO é CARO, INEFICIENTE, INCAPAZ e PRINCIPALMENTE, CORRUPTO

  9. Olimpio disse:

    Privatiza tudo, só funciona de verdade e acaba a roubalheira.

    • Ronaldo disse:

      Privatizam pq nao se importam com os bens do Povo/Pais! Nao sabem gerir/administrar e sim roubar. Se houvesse honestidade,capacidade de administrar todas as empresas publicas estariam sadias, financeiramente mas, "quebram/roubam" e nao valorizam o que é do Povo. Os Correios estao ai para todo mundo ver !…totalmente quebrado , por desvios, roubos e,consequentemente, falta de investimento.

  10. Darwin disse:

    Se livra desta SEITA!!!

  11. LUIZ disse:

    Os golpistas querem privatizar tudo mais tenho em Deus que não vai dá tempo Golpistas.

    • Darwin disse:

      As estatais são um ralo de escoar dinheiro. Apenas se prestam à corrupção.
      Por que vc acha que é sempre uma briga entre partidos para indicar os diretores das estatais? Ou vc acha q se a petrobrás fosse privada teeia acontecido o petrolão?
      ACORDA!!!

    • Beto disse:

      O forte da CEF e BB é emprestar dinheiro aos financiadores de campanha dos aliados do governo a juros subsidiados, sem cobertura e de alto risco. Vão arrumar lavagem de roupas e não ficar se beneficiando com dinheiro do povo, seus parasitas!

    • Leo disse:

      Como esse povo é ingrato, Luiz! Quem fez financiamento habitacional nesse país sabe q se dependesse dos bancos privados muita gente seria incapaz de ter sua casinha ou ap. A CEF é líder disparada em empréstimo para financiamento habitacional pois cobra uma das menores taxas do mercado por ser pública.
      A BR, maior empresa do país, patrocinadora forte da nossa cultura e esporte, sem falar nos grandes investimentos em todo o país onde há hidrocarbonetos. Onde andam as petroleiras estrangeiras? Pq nao investem no país já q o mercado é livre? O problema de corrupção tem q ser combatido, mas nao vendendo nossas grandes empresas públicas q muitas vezes servem pra regular o mercado e seus carteis.
      Se a BR fosse privada, o preço da gasolina e diesel seria o q ela quisesse. Pensem nisso. Nao deixem q o ódio por causa dos casos de corrupção façam vcs se arrependerem depois. No privado é onde há mais casos de corrupção, inclusive comprando políticos como a lava jato mostrou.

    • Henrique Santos disse:

      Darwin que deve acordar acredito que seja o senhor. Para resolver o problema alegado por você, basta apenas as estatais serem independentes, modificação de estatuto. Não precisar privatizar!!!
      Nenhuma privatização realizada foi benéfica para país, nenhuma melhorou os serviços ofertados a população. Estamos entre os países que pagamos os maiores valores por serviço telefônico, energia elétrica, internet.

Empregados da Eletrobras discutem possível paralisação contra privatização

A Associação dos Empregados da Eletrobras (Aeel) começa a discutir nesta semana uma possível paralisação de funcionários, em protesto ao anúncio de que o governo federal pretende privatizar a estatal do setor elétrico. Além do mobilizar os empregados no Rio, onde se localiza a sede da empresa, o diretor da entidade Emanuel Mendes revela que a Aeel pretende levar o tema para ser debatido no próximo dia 30 em Brasília com os outros representantes do sistema Eletrobras no País.

Mendes conta que o tema privatização já estava no radar da entidade por conta do interesse da companhia em privatizar até 14 usinas hidrelétricas.

Nessa data haverá uma audiência pública no Congresso Nacional da Frente em Defesa do Setor Elétrico para tratar o assunto e a intenção da Aeel é sensibilizar os políticos sobre essas vendas. “O tema já estava no nosso cronograma de luta e com essa notícia de privatização da Eletrobras, temos que debater com uma nova forma de mobilização”, disse.

Entre as opções, explica o sindicalista, está uma paralisação nacional a partir de setembro. Segundo Mendes, a privatização de usinas ou da Eletrobras será prejudicial para a sociedade brasileira, pois resultará em aumento no valor das contas de energia.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Waldemir disse:

    Kkkkk e agora eles vão ter que trabalhar kkkkk
    Deveria privatizar tudo
    O governo deveria ficar só com segurança educação saúde e mobilidade
    Diminuir em 50% o número de parlamentares e funcionários públicos

  2. Jair disse:

    Eu sei para quem vai ser prejudicial. Para o consumidor tenho certeza que não é.

  3. Humilde Iconoclasta disse:

    Por que não aproveita a onde e privatiza logo a cereja do bolo, a falida Petrobras?

Governo vai privatizar mais quatro aeroportos: Porto Alegre, Salvador, Florianópolis e Fortaleza

2015_798194701-2015031160963.jpg_20150311Aeroporto de Salvador está entre os quatro que vão entrar no Plano Nacional de Desestatização – Raul Spinassé / Agência O Globo

Um decreto publicado nesta sexta-feira no Diário Oficial da União oficializa a inclusão de quatro aeroportos no Plano Nacional de Desestatização. Os aeroportos internacionais Salgado Filho, em Porto Alegre; Deputado Luís Eduardo Magalhães, em Salvador; Hercílio Luz, em Florianópolis, e Pinto Martins, em Fortaleza.

O decreto designa a Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República como a responsável pela condução e aprovação de estudos, projetos, levantamentos ou investigações que vão subsidiar a modelagem da desestatização dos aeroportos.

A transferência dos quatro aeroportos para a administração do setor privado foi anunciada no dia 9 de junho, em cerimônia no Palácio do Planalto, como parte da nova etapa do Programa de Investimentos em Logística (PIL), que tem a previsão de R$ 198,4 bilhões em investimentos, sendo R$ 69,2 bilhões entre 2015 e 2018 e R$129,2 a partir de 2019.

Os investimentos estão divididos entre rodovias (R$ 66,1 bilhões), ferrovias (R$ 86,4 bilhões), portos (R$ 37,4 bilhões) e aeroportos (R$ 8,5 bilhões).

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carvalho disse:

    O PT está superando de longe o FHC.
    Cadê a CUT para gritar "Fora PT" ?

  2. Luciana Morais Gama disse:

    O PT privatizando o Brasil, eles q sempre foram contra a privatização. Agora vão pra rua protestar FDP

  3. Adalbetto disse:

    E assim vão empurrando o Hub da Tam pra Fortaleza. Enquanto isso os políticos do RN ainda não conseguiram uma audiência com a Dilma anti-RN.

Dilma: 'incrédulos terão um dia de amargura', com privatização de aeroportos

A presidente Dilma Rousseff comemorou o resultado dos leilões de privatização dos aeroportos do Galeão, no Rio de Janeiro, e de Confins, em Minas Gerais, e disse que os “os incrédulos (no processo de licitações de infraestrutura) terão um dia de amargura”. A presidente visitou Fortaleza nesta sexta-feira para anunciar investimentos de R$ 2,09 bilhões em mobilidade urbana no Ceará.

– Eu tenho certeza que as próximas licitações não vão dar errado. O consórcio foi muito bem sucedido, a expansão da capacidade foi um ganho extraordinário. Hoje os incrédulos vão ter um dia de amargura porque não deu errado, no Brasil, as pessoas torcem para dar errado – disse Dilma.

Para a presidente, o valor arrecadado em torno de R$ 20 bilhões “que demonstra um enorme interesse dos investidores no Brasil”.

– Temos que ter orgulho do que temos e do que podemos ter. Procuramos construir uma combinação fundamental, os grandes operadores de aeroportos do mundo e os grandes construtores de aeroportos no Brasil.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luciana Morais Gama disse:

    Luciano, e esse dinheiro todo vai pra onde?? O proximo ano tem campanha eleitoral. Alo Ministerio Publico Federal.

  2. Tarso Bulhões disse:

    Atenção! Vamos deixar os PETRALHAS acharem que realmente nada está sendo privatizado. Como é bom ver o PT ser seduzido pela iniciativa privada! Aê PETRALHAS! Parabéns viu? PRIVATIZANDO OU CONCEDENDO vocês estão fazendo o correto!

  3. Luciano disse:

    Só para lembrar o blogueiro que concessão é diferente de privatização. Privatização quem fez foi FHC, vendendo nossos bens, muitas vezes a preço de banana. Esses bens nao temos nunca mais, a nao se que os compremos novamente. Concessão, significa ceder a alguém o direito de explorar o bem por um tempo, permanecendo sendo um bem do estado.

Governo quer privatizar portos e mais rodovias

O governo estuda privatizar a infraestrutura aquaviária e terrestre dos portos, hoje nas mãos das companhias Docas. E também está decidido a dar continuidade ao programa de concessão das rodovias federais, para resolver gargalos que elevam o custo Brasil e prejudicam as exportações brasileiras. No caso das rodovias, existem “filés” que podem ser concedidos ao setor privado, segundo fontes da área.

Na avaliação de integrantes do governo, investir em portos e rodovias é ainda mais urgente do que nos aeroportos — em processo de concessão — para estimular o crescimento da economia. O problema da infraestrutura aeroportuária tem mais visibilidade na mídia, por conta da classe média que está viajando mais de avião, disse um interlocutor. Mas os gargalos nos portos impactam diretamente a competitividade dos produtos nacionais.

Com problemas financeiros e de gestão, as Docas não conseguem supervisionar e cobrar investimentos dos terminais privados, que pagam uma taxa de arrendamento pelo uso das instalações. As estatais também não fazem a sua parte e não investem na melhoria dos acessos de navios e caminhões; em sistemas de dragagem, que necessitam de intervenções permanentes; em sinalização; e nas vias férreas dentro dos portos. Além disso, as amarras de toda empresa pública, como a exigência de licitação para as compras, também dificultam a gestão, segundo a fonte.

O resultado é o atraso no embarque e desembarque de mercadorias, com longas filas de navios e de contêineres. Segundo um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), no porto de Santos, o maior do Brasil, um contêiner fica parado em média 17 dias, enquanto a média mundial é de apenas cinco dias.

A privatização da infraestrutura aquaviária e terrestre é uma iniciativa inédita e vai exigir estudos detalhados, como aconteceu com os aeroportos. De acordo com dados da Secretaria Especial de Portos, são sete Companhias Docas que administram 18 portos dos 34 existentes. O restante foi concedido a estados e municípios. São portos públicos, por exemplo, o de Santos, do Rio, de Salvador, de Fortaleza, de Vitória.

No caso das estradas, o governo considera que existe um grupo de rodovias muito atrativas para a iniciativa privada. Por exemplo, as BRs 040 (Belo Horizonte-Brasília); 381 (Belo Horizonte-Ipatinga); 050 (Uberada-Catalão, passando por Uberlândia); 262 (Belo Horizonte-Uberlândia) e a 060 (Brasília-Goiânia).

Há um consenso entre os técnicos do governo de que o Estado, mesmo realizando obras e duplicando as rodovias, não consegue fazer a manutenção necessária nos trechos pavimentados. Por isso, alguns consideram que é melhor ampliar as concessões no setor, reforçando os quadros da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), do que pôr dinheiro público no DNIT.

Além disso, o governo quer impulsionar as PPPs (Parcerias Público-Privadas), no caso das rodovias. A equipe de presidente Dilma Rousseff, ao contrário de Lula, não tem resistência a esse tipo de parceria. Alertado pelo Tesouro Nacional, a gestão anterior evitava as PPPs, por temer o dispêndio de recursos do Orçamento, em caso de desequilíbrio econômico financeiro dos contratos.

Fonte: O Globo

Governo do PT privatiza os 3 aeroportos mais atraentes do Brasil hoje

Os três mais atraentes aeroportos brasileiros passam hoje para as mãos da iniciativa privada: Guarulhos, Campinas e Brasília.

A expectativa é de um leilão acirrado para ver quem fica com as joias da coroa aérea nacional. Se isso ocorrer, será pela atratividade financeira, já que para advogados, especialistas e empresários consultados pela Folha o negócio é de grande risco.

Isso decorre, em parte, da velocidade com que o processo de concessão ocorreu (menos de um ano entre a decisão de privatizar e o leilão) e de uma decisão política do governo relativa ao processo: obrigar os vencedores a serem sócios da estatal Infraero, até então detentora do monopólio na área.

O engenheiro Josef Barat, ex-conselheiro da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), prevê problemas.

“Como o governo obrigou os licitantes a terem um grande operador aeroportuário no consórcio, é certo que haverá choques entre as culturas desse operador e da Infraero, empresa que não tem um bom histórico”, disse Barat.

No mercado, a esperança é que o governo saia aos poucos do negócio, diluindo a participação da Infraero nas concessionárias. Mas há o temor de que ocorram pressões políticas e interferência na gestão das novas empresas.

Folha.com

Privatização das vagas de estacionamentos pode render até R$ 9 milhões anuais a vencedora da licitação

Tribuna do Norte

O modelo de Estacionamento Eletrônico Rotativo utilizado no município de Caruaru, em Pernambuco, serviu de inspiração para o sistema que a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob), pretende implantar em Natal a partir do próximo ano. A afirmação foi feita pelo secretário adjunto da Semob, Haroldo Maia, em matéria publicada pela TRIBUNA DO NORTE ontem. Caso os valores cobrados em Caruaru sejam os mesmos que serão aplicados em Natal, a empresa que administrará os estacionamentos irá arrecadar, em um ano, cerca de R$ 9,6 milhões pelas 3.400 vagas  previstas pela Semob (caso todas as vagas fiquem ocupadas das 8h às 18h, em dias úteis – segunda à sexta-feira).

De acordo com o diretor-presidente da Autarquia Municipal de Defesa Social, Trânsito e Transportes (Destra) de Caruaru, Clóvis Cavalieri, o  Estacionamento Rotativo Eletrônico foi implantado  na cidade pernambucana no início deste ano. “O processo de implantação ainda não foi concluído. Delimitamos quatro áreas da cidade e até agora já abrimos 1.186 vagas em três etapas”, comentou. A empresa que administra os estacionamentos em Caruaru é a Serttel, a mesma que atua em Natal na manutenção dos semáforos, fotosensores e na fiscalização eletrônica de algumas vias.

“A Serttel foi a ganhadora de um processo licitatório. Aqui em Caruaru, a empresa já tinha um contrato com a Prefeitura para manutenção dos semáforos”, explicou Clóvis Cavalieri. Segundo ele, a empresa  definiu uma tarifa diferenciada para veículos e motocicletas, além do tempo limite permitido para a ocupação das vagas do estacionamento. Por cada hora parada num lote administrado pela Serttel em Caruaru, o proprietário do veículo paga R$ 1,30. Já os motoqueiros precisam desembolsar R$ 0,65. O limite de tempo é de duas horas. Passados os 120 minutos, o condutor deve sair da vaga na qual estacionou e procurar outra.

O monitoramento das vagas é feito por funcionários contratados pela empresa que, através de um computador de mão, contabilizam o tempo utilizado por cada veículo estacionado. “Através do número da placa, o monitoramento é realizado pelos funcionários da Serttel”, disse o presidente da Destra. Caso algum veículo estacione em local proibido ou ultrapasse o tempo delimitado, o terceirizado contacta um agente de trânsito municipal que aplicará uma multa.

Questionado sobre os valores arrecadados mensalmente pela Serttel nesta modalidade de serviço em Caruaru, Clóvis Cavalieri afirmou que o montante varia a cada mês. Disse, porém, que o percentual repassado à Prefeitura de Caruaru é de 12% em relação à arrecadação bruta dos valores pagos pelo estacionamento. Caso o total de vagas em Caruaru se equipare às que serão abertas em Natal, a empresa arrecadará cerca de R$ 9,6 milhões em um ano. Já a Prefeitura, receberá R$ 1,1 milhão desse valor no mesmo período.

“A porcentagem é justa, diante do montante que foi investido pela empresa”, destacou Clóvis. Ele afirmou, ainda, que a Serttel doou 15 computadores manuais com impressora integrada para a utilização da Destra na aplicação de multas. Clóvis analisou a privatização dos estacionamentos em Caruaru positivamente. “É a democratização do espaço público”, destacou.

O coordenador do Procon Estadual, Araken Farias, afirmou desconhecer os detalhes da legislação que permite a terceirização das vagas de estacionamento. Adiantou, porém, que como o serviço será pago, deve oferecer garantias mínimas aos motoristas. “No mínimo, o consumidor que utilizar e pagar pela vaga precisa ter a certeza que seu veículo estará seguro. É preciso  garantir que ele não tenha que pagar pelo espaço também para flanelinhas”, ressaltou.

Edital pode ser publicado ainda este ano

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcelo Campos disse:

    Tô vendo a hora que quando alguém vier me visitar em casa vai ter que pagar estacionamento para ficar com o carro parado na calcaça em frente a minha casa.

Prefeitura vai privatizar 3400 Vagas de estacionamentos nas ruas de Natal

Está na Tribuna de Hoje, a prefeitura vai privatizar as vagas de estacionamentos existentes nas ruas da Cidade Alta, Ribeira, Tirol, Petrópolis e Lagoa Nova(fóruns de justiça), apesar de ser um iniciativa polémica acho muito bem vinda uma iniciativa dessas, resta saber se num ano de eleição esse projeto passa na Câmara Municipal de Natal.

Exatamente 3.400 vagas de estacionamento nas ruas de Natal devem ser regulamentadas e entregues à iniciativa privada já no próximo ano. A prefeitura de Natal, através da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), está concluindo a parte burocrática do projeto denominado de Estacionamento Rotativo Eletrônico, com licitação prevista para ocorrer já no primeiro trimestre do próximo ano. Os bairros escolhidos para a iniciativa são Alecrim, Cidade Alta, Ribeira, Petrópolis  e Lagoa Nova (na proximidade dos fóruns de Justiça).

Segundo o secretário-adjunto de Trânsito da Semob, Haroldo Maia, o valor cobrado pelo estacionamento nas ruas de Natal só será conhecido após a licitação. Ele explica que o projeto será completamente eletrônico e vai  ofertar vagas para carros e motos. A Cidade Alta receberá 1.000 vagas para carros e 200 para motos; Alecrim, Tirol e Petrópolis juntos terão 900 vagas para carros e 200 para motos; mesmo número para  Lagoa Nova e Ribeira juntas.

“O projeto de Estacionamento Rotativo Eletrônico é o que existe de mais moderno em questão de estacionamento rotativo do país. Com a implantação será possível disciplinar o espaço público, gerar rotatividade e comodidade para o motorista e também vai trazer mais segurança para os donos de veículos”, destacou Haroldo Maia.

No novo projeto, a compra dos bilhetes eletrônicos poderá ser feita por telefones celulares através de cartões de crédito. A Prefeitura de Natal não vai ter custos, já que o trabalho será terceirizado.

A empresa que vencer a licitação vai arcar com todos os custos de elaboração, treinamento de pessoal e monitoramento dos espaços de estacionamento nas ruas. A Secretaria de Mobilidade informou que logo a licitação seja realizada no começo do próximo ano o projeto será colocado em prática.

Segundo ele, o sistema – que é completamente eletrônico – já está sendo utilizado em Caruaru (PE).  A quantidade de vagas por bairros depende do maior ou menor número de ruas existentes. “Na Cidade Alta há mais ruas e mais espaço para que algumas vagas de estacionamento sejam criadas”, explicou.

SEGURANÇA

Questionado sobre a segurança dos veículos que estiverem utilizando uma vaga privatizada, a Semob informou que os monitores não terão responsabilidade sobre os veículos e os pertences dos mesmos. “A monitoração será direcionada ao estacionamento, embora que a presença de uma pessoa fardada e responsável por um trecho da rua passará segurança ao motorista”, justificou Haroldo Maia.

FISCALIZAÇÃO

Sobre a fiscalização da Prefeitura nas irregularidades  encontradas nas vias da Capital, como estacionamento irregular por exemplo, a Semob informou que a atual fiscalização é deficiente. Apenas 80 agentes de trânsito existem em Natal. Diariamente 40 profissionais se dividem em três turnos. “Já solicitamos um número maior de agentes de mobilidade, mas entendemos que há a Lei de Responsabilidade Fiscal e não pode ser ultrapassado o valor da folha de pagamento”, informou Haroldo Maia.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rosa disse:

    BG, seu blog é tão bom, tão lido e confiável! Que tal iniciarmos uma campanha pedindo que haja uma sincronização dos sinais (semáforos) de Natal? Já constatou que o trânsito piora por isso? Exemplos emblemáticos (só para citar alguns): Rua Apodi, tem um sinal a cada cruzamento, todos sem sincronia. Rua Alberto Maranhão, idem. Av. Prudente de Morais, principalmente nos cruzamentos da Rua Mossoró até a Ceará-Mirim. Falta vontade ou competência? Mobilizemos-nos!

  2. Rosa disse:

    Realmente, falta fiscalização, daí a impunidade. O Via Livre, quando estava no início e era muito fiscalizado, funcionou bem. Hoje ao meio-dia tinha um caminhão de cerveja descarregando na Rua São José (que faz parte do Via Livre),  no cruzamento complicado com a Bernardo Vieira, porque o sinal demora a abrir e fecha rápido. O caminhão fechou uma das pistas e os carros que se virassem para se espremer numa pista só, o que causou uma fila enorme.

  3. Cleiton Gomes disse:

    "Segundo Marco Antônio, todos os administradores de estacionamentos privados se reúnem para determinarem os preços das vagas."
    Cartel comendo solto….

  4. Patricia disse:

    É muito caro 4 reais por duas horas! Quero ver como vai ficar com esse estacionamento privado nas ruas. Onde vamos parar!?

Empresa Alemã desiste de participar do Leilão do Aeroporto de São Gonçalo

Tribuna do Norte

Rio – Às vésperas do leilão do aeroporto de São Gonçalo do Amarante, no Rio Grande do Norte, a operadora alemã Fraport, uma das principais interessadas no ciclo de privatizações previstas para o setor, afirma que não entrará na disputa. Regras pouco atraentes e cálculos de demanda superestimados são as justificativas da empresa, que opera o aeroporto de Lima, no Peru, para não participar do primeiro leilão do setor no País. “Estudamos o edital de Natal e achamos que a concessão é economicamente inviável. O retorno é tão baixo que não vale a pena. A Fraport não é o tipo de empresa que vai entrar numa concessão já sabendo que as regras não prestam”, disse ao Grupo Estado o diretor de projetos da empresa, Felix von Berg.

(mais…)

CUT pretende entrar na Justiça contra Dilma e as Privatizações dos Aeroportos

A CUT é uma beleza, fico impressionado como ela gosta que o País se desenvolva………

Vamos trabalhar meu povo!!!!!

Josias de Souza:

Realizou-se em Brasília, nesta quarta (27), uma reunião entre representantes da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República e da CUT.

No encontro, o governo expôs à maior central sindical do país detalhes do plano de concessão à iniciativa privada de três aeroportos: Guarulhos, Viracopos e Brasília.

Artur Henrique, presidente da CUT, e Francisco Lemos, mandachuva do Sindicato Nacional dos Aeroportuários, discordaram do essencial.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Borges Neto disse:

    Essa rapaziada (outrora idealista e radical) está atrás de "incentivos". Da mesma forma que a galera da UNE "recebe" para ficar quietinha.