Diversos

Governo do RN arrecada R$ 100 mil em doações e recebe 900 mil máscaras para doação

FOTO: Elisa Elsie

O Governo do RN apresentou nesta quarta-feira (6) mais um balanço das doações efetivadas pelos programas RN+Unido e RN+Protegido. Foram aproximadamente R$ 100 mil em máscaras, álcool, material hospitalar, alimentos, material de limpeza e higiene pessoal no período de 27 de abril e 5 de maio. O total de doações já soma R$ 1,6 milhão, contabilizado a partir da criação da Central de Controle de Doações, em 26 de março.

O controlador-geral do Estado, Pedro Lopes destacou as doações da Câmara dos Dirigentes Logistas (CDL) e grupos empresariais associados, com entrega de 25 circuitos respiratórios destinados à preparação de leitos de UTI. E também a doação da Associação dos Defensores Públicos do RN, com 450 cestas básicas, sendo 100 já entregues à Associação dos Pescadores da Vila de Ponta Negra.

A campanha Fisco Solidário, promovida pelos auditores fiscais do RN distribuiu 300 cestas básicas e diversos materiais hospitalares a unidades do Governo e municípios do RN. Pedro Lopes citou ainda uma doação do servidor público estadual Walter Bastos, que junto com sua família, adquiriu 300 luvas, 50 protetores faciais, 150 máscaras comuns e 200 máscaras de uso hospitalar, em um valor de R$ 3,2 mil.

Toalhas e lençóis doados pela Coteminas semana passada foram entregues essa semana. O Hospital da PM recebeu 300 toalhas. O Hospital Regional de Assu recebeu 400 toalhas e 200 lençóis. A Polícia Militar recebeu, de outra doação, 700 protetores faciais com viseira. E ainda o Programa do Leite, para proteção dos agentes de distribuição, recebeu 730 litros de álcool 70%.

“A campanha RN+Unido recolheu, só nessa semana, junto aos supermercados, 1,5 tonelada em alimentos, material de limpeza e higiene pessoal nos supermercados associados à Assurn. Fizemos a destinação de 770 cestas básicas favorecendo 770 famílias espalhadas pelo Estado, além da distribuição de 4 mil máscaras e 200 litros de álcool gel”, comemorou Pedro Lopes.

O controlador-geral frisou ainda que o programa RN+Protegido receberá 900 mil máscaras da Guararapes ainda nesta quarta-feira. E já amanhã será anunciada a distribuição desse material. “Queremos que todas essas máscaras estejam distribuídas em todo o RN até segunda ou, no máximo, terça-feira”.

O último registro da coletiva de imprensa na manhã de hoje, proferida na Escola de Governo, lembrou a atualização do Portal da Transparência. O site, desde ontem, abriga todas as informações relativas ao Covid-19 no RN. “Para além das informações exigidas pela Lei, consolidamos também os dados da Covid no RN. Informações antes distribuídas entre órgãos do Governo, agora unidos no mesmo local”.

Opinião dos leitores

  1. O Desgoverno do RN recebe as doações dos Empresários, mas faz as entregas em nome de um programa do Governo, ou seja, está se aproveitando para indiretamente dizer que é uma ajuda do desgoverno. Oportunista.

  2. moral danada! Só 100 mil? Quanto foi mesmo que os empresários arrecadaram para os respiradores? Acho que passou dos 200 mil…
    Só mostra o grau de confiança do povo em deixar dinheiro na mão de um governo que nada propõe de novo, só copia e cola…

  3. Kkkkk. Os empresários que tanto os petistas condenam são os maiores colaboradores nesse momento de pandemia.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Campanha de Dilma teve mesada de R$ 100 mil em esquema da Torre Pituba, diz delator

Foto: Ilustrativa

O rateio da propina do esquema para a construção da Torre Pituba, sede da Petrobras em Salvador (BA), envolveu até mesada para a campanha que elegeu Dilma Rousseff presidente em 2010, de acordo com nova delação da Lava Jato.

Segundo o empresário Mario Suarez, o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto recebeu um total de R$ 2 milhões em vantagens indevidas e ficou acertado que o petista receberia R$ 100 mil por mês para atender demandas da eleição presidencial de 2010.

Suarez afirmou que os pagamentos foram efetivados entre janeiro e setembro daquele ano. Os repasses para Vaccari foram intermediados, diz o delator, por doleiros e até por sua cunhada.

“QUE, posteriormente, os percentuais acima foram alterados porque os dirigentes da PETROS e da Petrobras passaram a cobrar um valor maior do que o acordado; QUE então, Paulo Afonso, para compensar esses pagamentos, deixou de pagar o valor total prometido ao PT Nacional e ao PT Bahia;QUE foram feitos pagamentos a Jogo Vaccari. tesoureiro do PT a título de propina, que totalizaram cerca de R$ 2.000.000,00 (dois milhões de reais); QUE à época, ficou definido que Vaccari receberia R$100.000,00 por mês, mas, para atender demandas da eleição presidencial de 2010, Vaccari pressionou e a maior parte dos pagamentos foi efetivada entre janeiro e setembro daquele ano; QUE.posteriormente. Jogo Vaccari se desentendeu com Paulo Afonso, pois este descontou do valor total da propina acordada ao PT Nacional, os valores pagos a maior aos dirigentes da PETROS e da Petrobrás;QUE parte dos valores pagos a Jogo Vaccari era entregue em espécie por Paulo Afonso a pessoas indicadas por ele. como sua cunhada, ou por intermédio de um doleiro de Salvador, Sr. Luiz Eduardo.que fazia operações de dotar-cabo a partir de sua conta da Suíça, no banco UBS”.   

De acordo com o delator, o dinheiro da propina era dividido da seguinte forma: 1/3 para o PT Nacional, representado por João  Vaccari, 1/3 para PETROS, representada por Newton Carneiro e Wagner Pinheiro, e Petrobras, representada por Armando Tripodi, que era chefe de gabinete de Sergio Gabrielli, e 1/3 para o PT da Bahia, representado por Carlos Daltro, que era caixa de campanha de Jaques Wagner. Esses valores, porém, foram reajustados após pressão de representantes da Petros que pediram mais propina, afirmou Mario Suarez.

“QUE posteriormente. os percentuais mencionados foram alterados porque os dirigentes da PETROS e da Petrobrás passaram a cobrar um valor maior do que o acordado, e Pauta Afonso, para compensar esses pagamentos, deixou de pagar o valor total prometido ao PT Nacional e ao PT Bahia”.

O Antagonista

Opinião dos leitores

  1. Safira14/01/2020 às 21:15
    Toda VEZ Que surge uma importante notícia favorável ao PT ou a Lula e Dilma, uma velha notícia com denúncias produzidas por um delator contratado é requentada e lançada pra tentar desviar ou abafar a repercussão da mesma.
    Técnica velha que talvez nem funcione mais como antes, na campanha.
    Também é usada essa mesma técnica quando um novo escândalo atinge o governo, Bolsonaro, seus Ministros aloprados e seus filhinhos abelhudos e corruptos.
    QUE coisa mais MANJADA…

  2. Pois é… o partido tão honesto, que não falava mentiras… taí… a cada dia uma página do diário de crimes contra o Pt é aberta… e eles continuam negando, mesmo com provas reais sendo apresentadas… o problema são as testemunhas vivas que ficarama…

  3. DILMA DILMA DILMA
    Vão dizer que é mentira, que é perseguição.
    Essa turma cada dia se superando batendo de longe Marcola e Fernandinho

  4. Roubalheira em Vertigem. Cambada de ladrões safados, mentirosos, demagogos…. FDP.

  5. Não é a toa que esses FP, quase quebraram a Petrobrás. Uma montanha de ladrão tudo juntos feito urubu na carniça, cada um querendo tirar o seu pedaço. Esses PTralhas tinham que devolver tudo e cada um tirar no mínimo dez anos de cadeia casa um.
    LULADRAO montou a maior quadrilha do mundo. Roubaram cerca de cinco TRILHOES de reais do nosso país. Canalhas.

  6. Será que houve vaquinha pra financiar filme que faz propaganda politica e tenta chamar de gopi um processo de impeachment?

  7. A roubalheira do partido que virou quadrilha não tem limites, ainda tem muita coisa pra se descobrir.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

VÍDEO: Luciano Hang oferece recompensa de R$ 100 mil para informação de responsável por destruição de estátua da Havan

PROCURA-SE. Através de suas redes sociais, o empresário Luciano Hang, em vídeo inspirado em faroeste, anunciou a recompensa de R$ 100 mil pela informação do responsável pelo ataque da estátua da Havan, destruída no interior de São Paulo.

“Você tem provas? Sabe quem foi? Entre em contato pelo telefone 0800 765 5571, forneça as informações e se a polícia constatar que é verídico, vamos pagar R$ 100 mil”, diz trecho do anúncio.

Opinião dos leitores

  1. Muito criativo gostei
    Esse Luciano tem cada idéia.
    Do jeito que os comunas gostam de dinheiro um vai entregar o outro eeeeiiiittaa cambafa ruim

    1. Esse também gosta muito de dinheiro, dinheiro público dos contribuintes, através de empréstimos não pagos ao BNDES e através de muita sonegação fiscal.

  2. por 1000 o povo já cabuêta, imagine por 100k, vai ficar comprovado que foi coisa da esquerda!

    1. Como você bem mencionou, "por 100 a pessoa 'cabuêta', imagine por 100k". Então a reflexão que fica é: Qual seria o rau de confiabilidade dessa informação?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

VÍDEO: Deputado federal e empresário oferecem recompensa de R$ 100 mil por informações do Caso Adélio Bispo

Foto: Reprodução

Os mistérios de um caso complexo. O deputado federal Loester Trutis (PSL), mais conhecido como ‘Tio Trutis’, lançou, em suas redes sociais, nesta terça-feira (10), em parceria com um empresário de Campo Grande, uma campanha em busca do mandante do atentado contra Jair Bolsonaro, há um ano. A recompensa para quem tiver informações: R$100 mil.

No vídeo, ele reforça que Adélio de Bispo, que deu a facada em Bolsonaro em 6 de setembro de 2018, pode estar sendo ajudado por alguém, já que os custos com advogado durante o processo foram altíssimos. Além disto, durante as investigações, foram encontrados cartões de crédito internacional, celulares e outros. Confira vídeo abaixo.

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polêmica

VÍDEO de 2013 mostra Malafaia falando dos R$ 100 mil; tire suas conclusões

Por interino

Alvo de um mandado de condução coercitiva, o pastor Silas Malafaia publicou em rede social um vídeo de mais de três anos atrás e escreveu o seguinte:

“Mais uma prova [de inocência]. Veja a minha fala no dia 7 de julho 2013 diante de 20 mil pessoas sobre a oferta que recebi. Isso não é corrupção!”

Assista. Contextualizo em seguida.

A suspeita a ser esclarecida pela Polícia Federal é se Malafaia teria “emprestado” contas correntes de uma instituição religiosa sob sua influência com a intenção de ocultar a origem ilícita dos valores.

Malafaia hoje nega que tivesse conhecimento de que os valores eram frutos de um esquema desvendado pela PF em que um Diretor do Departamento Nacional de Produção Mineral detentor de informações privilegiadas a respeito de dívidas de royalties oferecia os serviços de dois escritórios de advocacia e uma empresa de consultoria a municípios com créditos de CFEM junto a empresas de exploração mineral (65% da chamada Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais – CFEM – tem como destino os municípios).

No vídeo acima, da época em que recebeu o cheque de R$ 100 mil, Malafaia se refere à “oferta” feita por um advogado de Santa Catarina que tinha acabado de vencer uma causa.

Segundo o relato, um outro pastor foi quem comunicou a Malafaia que o advogado queria lhe fazer a oferta porque, dois anos antes, Malafaia, embora tenha dito que não se lembrava muito bem, havia rezado pela vitória do advogado, a pedido do mesmo pastor.

A causa, da qual Malafaia não demonstra no vídeo saber qualquer detalhe, pode ter sido justamente uma das cobranças judiciais de roylaties nas quais consistia o esquema de corrupção.

O advogado, ainda segundo o relato, pegou um avião numa terça-feira, foi ao escritório de Malafaia e lhe deu o cheque de R$ 100 mil.

O vídeo talvez não chegue a provar a inocência de Malafaia, mas obviamente quem tem de provar sua culpa é a PF.

De todo modo, para acreditar que ele sabia de tudo, parece ser necessário, também, acreditar que, por onipotência ou descuido, ele não viu problema algum em falar para milhares de pessoas da “oferta” durante um culto filmado; ou que, fingindo não saber o que sabia, nem conhecer quem conhecia, falou justamente para ter um álibi razoável se e quando o esquema fosse descoberto.

Enquanto a investigação não avança, o leitor acredite no que quiser.

Felipe Moura Brasil – Veja

http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/video-de-2013-mostra-malafaia-falando-dos-r-100-mil-entenda/

Opinião dos leitores

  1. Li alguns comentários preconceituosos aqui, como sempre era o que se esperava, principalmente quando se trata de um de um crente, no caso esse crente é o pastor Silas Malafaia, que ao longo da sua trajetória de vida tem sofrido calunias e a imprensa adora pegar estas calunias e fazer o maior estardalhaço, não é o caso deste blog "blog do BG", até que soube dar a notícia sem discriminação, apesar de ter escrito "o leitor tire as suas conclusões" , mais vamos lá, não era muito de se esperar que a imprensa fosse boazinha com o Pr.Silas Malafaia, até porque ele é um cara que mexe com muita gente quando defende as suas convicções religiosas e científicas, então acusadores quando lerem alguma notícia sobre pastor ou qualquer outra pessoa publica deem o benefício da dúvida, isto é legal, o que não é legal é sair por aí acusando e rotulando de ladrão, isto é ilegal é crime, cuidado com o que dizem e falam de uma pessoa que vcs só conhecem de ouvir falar, cuidado, por que vcs depois terão que arcar com as conseqüências do que falaram da tal pessoa mencionada.

  2. O povinho pra gostar de dinheiro é político e pastor. O pior é que no final de tudo nen leva para a tal vida eterna.

  3. O Mala feia é um santo. Já tem um defensor muito competente como Alexandre Frota. Agora vai…pro brejo de vez.

  4. Acho que o pastor tem todo direito de se defender. Agora, se a pf provar algo errado que puna. A lei é para todos. Infelizmente todos já fazem comentários condenando antes da decisão da justiça.

  5. A meu ver foi exagero as conduções coercitivas de Lula e Malafaia… A injustiça que bate a nossa porta sempre é mais dolorida…É aquela velha história de um dia levaram meu vizinho, e como não tinha nada a ver acabei não me importando, de tanto não me importar poderão evar aquele que não se importa… Muito poder exige muita moderação e responsabilidade….

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

C&A é condenada em R$ 100 mil por exigir jornadas exaustivas

 A C&A Modas foi condenada a pagar R$ 100 mil de indenização por descumprir uma série de normas trabalhistas, situação que, segundo o Ministério Público do Trabalho, reduziu seus empregados a condição análoga à de escravo em suas unidades em shoppings em Goiás.

Agravo interposto pela empresa na tentativa de reverter a condenação foi negado pela Quarta Turma do Tribunal Superior do Trabalho, ficando mantida a punição. A decisão foi unânime.

A Procuradoria Regional do Trabalho da 18ª Região (GO) constatou infrações praticadas nas unidades da rede nos shoppings Goiânia e Flamboyant, na capital goiana, e Buriti, em Aparecida de Goiânia.

Entre outras irregularidades, a C&A obrigava o trabalho em feriados sem autorização em convenção coletiva, não homologava rescisões no sindicato dos trabalhadores, nem concedia intervalo de 15 minutos quando a duração do trabalho ultrapassava quatro horas.

Segundo o processo, a empresa também impedia o intervalo para repouso e alimentação em situações diversas, prorrogava a jornada de trabalho além do limite legal de duas horas diárias e não pagava horas extras no mês seguinte à prestação de serviços.

Por entender que havia um dano social e moral a ser reparado e que a empresa “reduziu seus empregados à condição análoga à de escravo”, tendo em vista que lhes impôs jornadas exaustivas, o MPT ajuizou ação civil pública.

Os procuradores do trabalho requereram o pagamento de uma indenização no valor de R$ 500 mil, a ser revertida para o Fundo de Amparo ao Trabalhador, e que a empresa cumprisse uma série de obrigações de fazer, sob pena de multa diária de R$ 1 mil por trabalhador prejudicado.

Na contestação, a C&A sustentou que não violou direitos e que, sempre que havia necessidade de trabalho além da jornada, pagava as horas extras, todas computadas nos registros de frequência dos empregados.

A empresa acrescentou que a não homologação de rescisões não é prática usual da empresa, que as folgas estavam dentro do estabelecido no artigo 67 da CLT e que, em momento algum, impôs dano à coletividade.

Ao julgar o caso, a 6ª Vara do Trabalho de Goiânia deu procedência parcial ao pedido referente às obrigações de fazer, impondo multa de R$ 5 mil por empregado, em caso de descumprimento.

O juiz condenou a empresa a homologar as rescisões no sindicato, abster-se de prorrogar, sem justificativa, a jornada de trabalho além do limite de duas horas diárias, pagar as horas extras no mês subsequente ao da prestação e conceder intervalo para repouso e alimentação, entre outras.

Tanto a empresa quanto o MPT recorreram. O Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região deu provimento ao recurso do MPT para condenar a C&A a arcar com indenização por danos morais coletivos no valor de R$ R$ 100 mil.

Os desembargadores do TRT goiano entenderam que, desde 2009, a empresa descumpria de forma contumaz normas de ordem pública, violando a dignidade da pessoa humana enquanto trabalhador.

A C&A agravou da decisão junto ao Tribunal Superior do Trabalho, em Brasília, mas os ministros da Quarta Turma do TST negaram provimento ao recurso.

No entendimento da Turma, o TRT-GO apreciou bem o conjunto fático-probatório e sua decisão está em sintonia com as normas constitucionais.

Para julgar de outra forma, disse o relator, ministro Fernando Eizo Ono, a Turma teria que reexaminar a extensão do dano e o grau de culpa, o que é vedado ao TST com base na Súmula 126 do Tribunal.

Fonte: Ascom – TRT/21ª Região
    

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *