Judiciário

TCE determina que Governo do Estado suspenda contrato para compra da vacina Sputnik-V

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-RN) emitiu nesta terça-feira (03/08), durante sessão do Pleno, medida cautelar determinando que o Governo do Estado não dê seguimento à execução contratual para aquisição da vacina russa Sputnik-V, até que que seja demonstrada, por meio de estudos técnicos, a subsistência dos motivos que justificaram a compra do imunizante e a pertinência na continuidade da contratação.

De acordo com a decisão, a aquisição e pagamento das 300 mil doses da vacina russa devem obedecer às mesmas condições conferidas aos demais imunizantes já incorporados ao Plano Nacional de Imunização – PNI, ou, alternativamente, até que a União integre a Sputnik-V ao PNI, arcando com os custos e assumindo as responsabilidades.

Em seu voto original, o relator do processo, conselheiro Poti Júnior, que acompanhou parecer do Ministério Público de Contas, havia descartado a medida cautelar proposta pelos Auditores do TCE, justificando que não há ilegalidade no processo de aquisição da vacina, e optou por emitir uma recomendação ao Governo do Estado. No entanto, durante o julgamento, o conselheiro Carlos Thompson votou por seguir proposta do corpo instrutivo no sentido de conceder medida cautelar, sendo acompanhando pelos conselheiros Renato Dias, Adélia Sales e Gilberto Jales. O conselheiro Tarcísio Costa se acostou ao voto do relator.

COMPRA

O Governo do Estado negociou a compra de 300 mil doses da vacina Sputnik-V com a empresa russa Limited Liability Company “Human Vaccine”, representada pela sua empresa administradora RDIF Corporate Center Limited Liability Company. Em ação fiscalizatória, deflagrada pela Diretoria de Administração Direta, o TCE notificou o governo questionando sobre a inclusão da vacina no PNI, os riscos de eventual pagamento antecipado e a possível responsabilização do Estado em relação a eventos adversos pós-vacinação.

Em manifestação nos autos, o secretário de Saúde, Cipriano Maia, afirmou que o Estado tem a intenção de integrar as doses da vacina Sputnik-V adquiridas ao Plano Nacional de Imunização – PNI, mediante celebração de termo de cooperação com a União, a fim de que esta assuma os custos e responsabilidades advindas da importação e manejo do imunizante.

Os autos do processo mostram, contudo, que não há nenhum documento ou fato que evidencie que o Estado do RN chegou a um consenso com a União, para que esta assumisse tais gastos e responsabilidades. O risco, conforme verificou a fiscalização, é que, acaso as doses da vacina Sputnik-V, adquiridas pelo Estado do RN, não cheguem a ser incorporadas ao PNI, o Executivo Estadual, além do valor de aquisição dos imunizantes, também terá que arcar com todas as despesas para o efetivo cumprimento das 22 determinações da Anvisa, custos estes ainda desconhecidos e que podem elevar em muito o desembolso a ser feito.

SAIBA MAIS

Argumentos apontados pelos auditores do TCE em relatório de fiscalização que acompanha aquisições de vacinas, insumos, bens e serviços de diversas naturezas destinados à vacinação contra Covid-19 pela Secretaria de Estado da Saúde Pública:

Aprovação excepcional da Anvisa para distribuição e utilização da vacina em condições controladas em estudo de efetividade, no limite correspondente a doses para vacinação de 1% da população do RN;

Manifestação do Ministro da Saúde no sentido de que não há a intenção de incorporar a Sputnik-V ao PNI;

Assunção de despesa pelo Estado para, a rigor, realizar um estudo de efetividade da vacina, sem garantia de ressarcimento da União e com risco assumir a responsabilidade civil em relação a eventos adversos pós-vacinação;

Competência da União para prover os imunobiológicos definidos pelo PNI;

Projeção do Ministério da Saúde, divulgada em 14 de julho de 2021, que prevê o recebimento de mais de 600 milhões de doses até o final do presente exercício.

Opinião dos leitores

  1. Decisão de inócua, desperdício do verbo. Só vem decidir depois do próprio fornecedor ter cancelado a venda. Não vale nada, sem nenhuma importância.

  2. Já determinou tarde demais, pois seria oito golpe aplicado por uma organização criminosa no povo Nordestino, a mesma que sumiu com quase cinquenta milhões de reais do contribuinte Notdestino na compra de respiradores pagos e que nunca foram entregues para salvar vidas, isso sim, um verdadeiro genocídio praticado contra o povo nordestino pelos governadores dos Estados nordestinos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Ministério da Saúde vai rescindir contrato com a Precisa Medicamentos e Covaxin não entrará no Plano Nacional de Imunização

Foto: Debajyoti Chakraborty/NurPhoto via Getty Images

O Ministério da Saúde vai rescindir o contrato com a Precisa Medicamentos em razão do descredenciamento da empresa feito pela farmacêutica Bharat Biotech na manhã desta sexta-feira (23).

A decisão foi tomada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e deverá ser oficializada neste domingo, quando está prevista uma reunião do ministro com o secretário-executivo Rodrigo Cruz. Com isso, será também cancelada a nota de empenho de R$ 1,6 bilhão que estavam reservados para o negócio.

O governo, porém, não pretende fazer negócio com a Bharat Biotech e portanto a vacina Covaxin não entrará no Plano Nacional de Imunização, ainda que a farmacêutica indiana encontre outro representante no Brasil.

A ideia é usar os recursos para comprar mais vacinas das que já estão sendo utilizadas no país: Coronavac, Jansen , Astrazeneca e Pfizer.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. O que era do Barros agora se quebrou… (CHORO LIVRE)

    Tava tudo indo tão bem, maldita imprensa

  2. Mas por quê?
    Não há cUrrupiçaum em nada nesse governo.
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    A imprensa suja SUJOU e ESTRAGOU a RACHA-DINHA, tava tudo dando tão certo.
    O que era de Barros agora se que-b-rou kkkkkkkkkkkkkkkk

  3. Acabou o tempo da quadrilha petista comandada pelo corrupto nove dedos, agora não tem mais boquinha não.

    1. E começou a da familicia….e tem boquinha sim (ao menos pra família Bozo)…

  4. O tal do consórcio nordeste, quer comprar a vacina russa.
    Pra quê, se o Brasil já está rescindido contratos???
    PRA QUEM ESQUECEU AÍ VAI UM LEMBRETE.
    completou o primeiro ano, vez aniversário o calote dos respiradores.
    Até aqui a desgovernadora a paraibana Fátima GD, não devolveu o dinheiro dos Norte Rio grandenses.
    Deveria pagar do bolso dela, ja que é milionária.
    Cadê o meu dinheiro??
    Vai ficar por isso mesmo??
    Quanta incompetência.
    Fora Fátima Paraíba genocida.

  5. E assim, graças ao servidor Miranda, impede-se um “roubo” de 1,6 BI…🤷
    Obs: Alguém que ia ganhar U$1,00 por vacina, não gostou…kkkkkkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Ex-diretor do Ministério da Saúde acredita ser perseguido pela família Miranda após negar cargo a irmão

FOTO: ADRIANO MACHADO/REUTERS

O ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Ferreira Dias, afirmou nesta quarta-feira (7), à CPI da Covid, que o fato de ter recusado uma vaga ao servidor da pasta Luís Ricardo Miranda pode ter motivado a denúncia contra ele relacionada a supostas irregularidades no contrato de compra da vacina indiana Covaxin.

O servidor, chefe de importação do Departamento de Logística, fez a denúncia ao lado de ser irmão, o deputado federal Luís Miranda (DEM-DF). Eles acusam Roberto Dias de ser o autor de algumas das pressões para agilizar a importação do imunizante indiano.

O ex-diretor disse na CPI estranhar que por trás das denúncias que recaem sobre ele está sempre o nome do deputado Luís Miranda. Além dos problemas no contrato da Covaxin, ele foi acusado de pedir propina em um início de negociação com a empresa Davati, que tentava vender ao Brasil 400 milhões de doses da AstraZeneca.

“Estranho depreender que todas as falsas e fantasiosas acusações de alguma forma se ligam ao deputado Luis Miranda. A primeira em virtude da lotação funcional do seu irmão, que o subsidiou equivocadamente com documentos, invoices, que provocaram uma grande confusão. A segunda, tão sem pé nem cabeça quanto a primeira, acidentalmente demonstrou existir vínculo comercial entre o senhor Cristiano e o deputado Luis Miranda”, mencionou Roberto Dias.

Ele acredita que o único problema que teve com Luís Ricardo foi a negativa do cargo. “Confesso que neguei um pedido de cargo para seu irmão servidor. E por um momento pensei que pudesse ser uma retaliação. E confesso que sempre achei desproporcional demais. Mas agora o que se deslinda é a possibilidade de ter ocorrido uma frustração no campo econômico também”, afirmou.

Luís Ricardo teria pleiteado a vaga do tenente-coronel Alex Lial Marinho, ex-coordenador-geral de Logística de Insumos Estratégicos exonerado em março. A vaga, de acordo com Roberto Dias, pagava mensalmente algo em torno de R$ 10 mil.

“Eu entendi que (Luís Ricardo) não tinha o perfil para o cargo”, justificou Roberto Dias.

Em entrevista ao jornal Estado de S.Paulo, o deputado Luís Miranda atribuiu a fala do ex-funcionário do ministério a uma estratégia do governo.

“É o famoso comentário que segue a mesma estratégia de todos. Desconstruir a testemunha. Fazer ter uma dúvida para que a base bolsonarista faça um recortezinho”, afirmou Miranda.

O político do DEM negou que o irmão tivesse qualquer pretensão de mudar de cargo.

R7

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Governo renova contrato sem licitação de R$ 936 mil para Restaurantes Populares com empresa em situação irregular

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Trabalho e Assistência Social (SETHAS), publicou no Diário Oficial do dia 29 de junho a renovação de contratos emergenciais com irregularidades com a empresa Paisagem Comércio e Serviços para o fornecimento de refeições dos Restaurantes Populares nas cidades de Parnamirim, São Paulo do Potengi, Parelhas e Pau dos Ferros. Sem abrir processo licitatório, nem muito menos ter o parecer jurídico da Procuradoria-Geral, apesar de questionamentos formulados durante o processo, o Governo prorrogou os contratos por 120 dias que custarão R$ 936 mil.

Em fevereiro, o Blog do BG já havia publicado a contratação da empresa de forma irregular (ver link AQUI). Alguns outros detalhes ainda causam estranheza, como as informações de que empresa contratada pelo Governo está com certidão trabalhista POSITIVADA, além de que na pesquisa de preços realizada pela SETHAS, para fins de justificar a renovação dos atuais contratos emergenciais, foram apresentadas propostas com valores inferiores ao da empresa contratada, e mesmo assim se procedeu a renovação com a Paisagem com valores superiores aos ofertados.

Outros pontos que infringiram a legislação nos processos, decorre das renovações quanto a prorrogação, por mais 120 dias, de contratos emergenciais firmados em Janeiro de 2021, com base no que estabelece o art. 24, inciso IV, da Lei 8.666/93. Segundo o dispositivo, o prazo máximo de contratação emergencial é de até 180 dias, não sendo possível a renovação destes de modo a suplantar tal prazo.

No entanto, os contratos emergenciais firmados em janeiro desse ano já possuíam o prazo limite de 180 dias, conforme indicam os extratos anexos. Assim, somando-se a esse prazo os 120 dias da renovação, notadamente o limite estabelecido pelo art. 24, inciso IV, da Lei 8.666/93 resta desobedecido.

Importante registrar que os contratos emergenciais firmados em janeiro e agora renovados tem por objeto Restaurantes Populares que já haviam passado pela contratação de 05 anos, máximo permitido para serviços continuados, além de 12 meses em caráter extraordinário, acrescidos de mais 30 dias pagos por indenização.

Ou seja, os contratos emergenciais firmados derivam de falta completa de planejamento da SETHAS para realização dos procedimentos licitatórios pertinentes, o que seria o caminho mais correto a se tomar face o término dos contratos antigos.

O recurso da contratação emergencial foi utilizado após suplantados TODOS os prazos relativos aos contratos anteriormente firmados, e, pasmem, de Janeiro desse ano para cá, a SETHAS não deflagrou os procedimentos necessários às novas contratações, e agora acaba por renovar tais contratos, numa afronta ao próprio fundamento legal que permite esse tipo de contratação.

Ao renovar os emergenciais firmados em Janeiro/2021, a SETHAS foi de encontro a VEDAÇÃO EXPRESSA contida no art. 24, inciso IV, da Lei 8.666/93, que determina o seguinte:

“Art. 24 – (…..) IV – nos casos de emergência ou de calamidade pública, quando caracterizada urgência de atendimento de situação que possa ocasionar prejuízo ou comprometer a segurança de pessoas, obras, serviços, equipamentos e outros bens, públicos ou particulares, e somente para os bens necessários ao atendimento da situação emergencial ou calamitosa e para as parcelas de obras e serviços que possam ser concluídas no prazo máximo de 180 (cento e oitenta) dias consecutivos e ininterruptos, contados da ocorrência da emergência ou calamidade, vedada a prorrogação dos respectivos contratos (…..)”.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

“Apresentação entre o governo e o vendedor nunca foi feita, e a discussão nunca avançou para um contrato”, diz empresa

À TV Globo, a Davati, com sede nos Estados Unidos, informou ter sido procurada por um de seus representantes no Brasil para que ajudasse a encontrar vacinas contra a Covid para o país.

Ainda na nota, a empresa afirmou que providenciou uma proposta ao governo federal a fim de assegurar vacinas, mas que nunca foi formalmente respondida.

“Portanto, a apresentação entre o governo e o vendedor nunca foi feita, e a discussão nunca avançou para um contrato”, acrescentou.

Foto: Reprodução

Com informações do G1

Opinião dos leitores

  1. Essa TV Globo é traiçoeira no meu caso por causa de algumas gravações com situações-emocionais problematicas e exposição indevida na televisión sem nada de autorização,uma tortura e humillación emocional me deixando com graves problemas mentais; psicológicos e psiquiátricos.

  2. A AstraZeneca esclareceu há bastante tempo que não utiliza intermediários e que suas negociações foram feitas diretamente com o Ministério da Saúde e a Fiocruz. Quanto à essa empresa, sediada no Texas-EUA, é já foi flagrada em outros países por negociações fraudulentas. Concretamente, não houve NADA de errado envolvendo o governo Bolsonaro até agora. Tudo isso são apenas narrativas mentirosas de corruptos aliados à grande mídia militante, TODOS com “saudades” do dinheiro público que recebiam aos montes na época da roubalheira do PT. Mas essas narrativas não duram 1 dia sequer, caem TODAS.

  3. Isso tudo vai acabar encontrando gente da esquerda que roubou não do governo kkkkkkkkkkkk são uns imbecis mesmos. A diferença é que se tiver coisa errada alguém vai pagar e sair do governo e não ser cumplice como o desgorverno dos petralhs faz.

  4. É melhor o gado se acalmar. As denúncias estão só começando. Bozo continua entalado, perdeu a voz, coitado.

  5. Roubo de dinheiro público é condenável em qualquer situação e provoca miséria e morte. Mas roubo de dinheiro da saúde em tempos de mais de 500 mil mortos é um absurdo. Deveria ser considerado crime hediondo e seus autores condenados à pena máxima permitida no país.

    1. Concordo. Portanto, como não houve nada de errado no governo federal, vamos investigar os governadores, principalmente os ligados ao tal Consórcio Nordeste, responsáveis pelo desvio de BILHÕES que receberam do governo Bolsonaro. No RN, por sinal, está começando uma CPI que tem muito a investigar.

  6. O gado tomando cloroquina e ivermectina, enquanto o governo bozo incentivava o negacionismo e negociava propina das vacinas. Ê vida de gado

  7. As narrativas da esquerda cai a cada dia. Querem retomar o poder a qualquer custo ( promessas de Dirceu). Não querem saber do povo brasileiro, mas de um projeto de poder como na Venezuela, Cuba. Países falidos, quebrados, povo amordaçado.

  8. Todos os ex ministros do gabinete civil dos governos do PT foram condenados por corrupção. Existem várias empresas parceiras do governo federal entre os anos de 2003 a 2016 que executaram obras fora do Brasil que denunciaram favorecimento pelo então governo do PT. O ex presidente do PT foi condenado e preso por corrupção.
    A esposa do ex presidente do PT deixou uma herança de R$ 72 milhões sem nunc ter trabalhado.
    Mas o ex presidente do PT sempre afirmou: “não sei de nada”.
    Quando um servidor concursado do ministério da saúde comete suposto crime, logo tudo que foi feito de forma individual é atribuído ao Presidente.
    Então como é essa conta, um que usou da corrupção como forma de governo, “não sabia de nada”, outro que fala a verdade e não pactua com corrupção é culpado por tudo. Essa diferença entre as situações demonstra que vivemos na justiça dos ditadores, não numa democracia, onde o culpado é inocentado e o inocente é culpado.

    1. Não há qualquer comparação entre o governo Bolsonaro e os governos corruptos do PT. Em NADA se assemelham. Lave sua boca antes de dizer tal asneira.

    2. Ricardo Barros rouba desde quando ocupou cargos nos governos da esquerda e continua roubando agora. Porque essa alma pura, esse santo chamado Bozo o tem como líder do governo? Porque já não o substituiu nas primeiras evidências de irregularidade? Porque Bozo está calado? Vista grossa, necessidade de apoio ou cumplicidade mesmo? E porque Flavio Bozo protagonizou contato entre empresario corrupto e o BNDES? A quebra de seu sigilo bancário será pedido pela CPI? Com a palavra, o gado imundo defensor de bandido.

    1. O que está claro é que existe um esquema de corrupção funcionando no governo para roubar recursos da pandemia. Seria o caso da PF realizar a ‘operação corona’ dentro do ministério da saùde, pois tem muita sujeira e muito roubo nesses ùltimos 15 meses. Esse esquema pode explicar o por quê de demorar tanto para adquirir as vacinas. Esse esquema precisa ser desbaratado e não é notinha tanto o seu da reta que vai quebrar o esquema, mas uma investigação minuciosa.

    2. O que está claro é que a esquerdalha continua a zurrar culpa sem prova
      o que está claro é que os zumbis continuam a zurrar baseado em narrativas, flagrantemente mentirosa
      o que está claro é que o desespero aumenta e as zurradas são cada vez mais alta, perdendo totalmente o senso de ridículo e da legalidade
      o que está claro é que a turma da zurra não quer democracia, só pensa no poder e impor sua ditadura em nome da democracia

  9. Faiou. Tudo não passa de narrativas soltas de gente querendo se dar bem financeiramente. Mas não tem pra que esse nervosismo todo. Lula ganha fácil em 2022.

    1. A melhor piada do dia.kkkkkkkkkkkkkkkkkkconta outra estou gostando.kkkkkkjk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Ministério da Saúde vai suspender contrato da Covaxin

Após polêmicas envolvendo o contrato para a compra da vacina indiana Covaxin, o ministro da saúde, Marcelo Queiroga, decidiu suspender a negociação, intermediada pela farmacêutica brasileira Precisa Medicamentos.

“Não é mais oportuno importar as vacinas neste momento”, afirmou Queiroga à CNN.

O contrato para a aquisição da vacina Covaxin foi assinado pelo Brasil em fevereiro, prevendo a importação de 20 milhões de doses do imunizante, desenvolvido pela indiana Bharat Biotech. As doses nunca chegaram a ser enviadas ao Brasil, uma vez que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) negou seguidos pedidos de importação do imunizante, que não atendia aos critérios técnicos.

A vacina da Índia tornou-se uma questão política de grandes proporções quando veio à público um depoimento de Luis Ricardo Fernandes Miranda, servidor da área de importação do Ministério da Saúde, ao Ministério Público. No depoimento, dado em 31 de março, Luis Ricardo afirma ter sofrido “pressão atípica” para acelerar os trâmites da Covaxin dentro da pasta.

A negociação entre o governo federal e a Precisa Medicamentos já estava sob a lupa da CPI da Pandemia, que incluiu seu sócio Francisco Maximiano na lista de depoentes esperados. No entanto, após a revelação do depoimento do servidor, o caso se tornou uma das principais frentes de trabalho da comissão, que ouviu Luis Ricardo e o irmão, o deputado Luis Miranda (DEM-DF), na última sexta-feira (25).

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. O título deveria ser: Após ser descoberto esquema de corrupção, MS vai suspender contrato com a covaxin!

  2. Se o contrato é correto como sustenta o governo, qual o motivo para suspender a compra?
    O juízo do gado 🐄 vai pegar fogo 🔥 hoje…

  3. SANTO FEDOR NO PLANALTO BATMAN
    Se não vai suspender e não comprar mais é porque tem coisa errada mesmo, e se tem coisa errada, por que ia ser comprada a toque de caixa (rapidamente) e só vai ser suspensa porque foi denunciada?

    1. Se tem Renan Calheiros, e o randolfe no meio bem apressadinhos p comprar tem msm coisa errada, seria bom tbm suspender a russa sputnik, essa do consórcio nordeste, deve ter corrupção até os cabelos

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Prefeitura de Macaíba cancela contrato licitado e chama empresa emergencialmente para cuidar do lixo por quase R$ 6 milhões

Em abril, a prefeitura de Macaiba surpreendeu a todos ao rescindir unilateralmente o contrato de Limpeza urbana com a empresa TCL, que já atuava no município há mais de 1 década, tendo passado por outras 3 gestões municipais.

O contrato com a TCL foi originado de uma licitação que vigorava desde 2016, onde participaram diversas empresas do segmento, devidamente qualificadas e com uma disputa pública de preços. O contrato estaria vigente até Setembro deste ano, quando a prefeitura teria que realizar nova licitação.

Para realizar os serviços de limpeza urbana do município, a atual gestão apressou-se em fazer um contrato emergencial (leia-se sem licitação), sem nenhum motivo que justificasse esta necessidade, haja vista já haviam decorrido 4 meses do início da nova gestão.

Surpreendentemente, após uma cotação de preços, onde até hoje ninguém sabe quais os critérios usados uma vez que que a prefeitura recusa-se a apresentar o processo de contratação, venceu a empresa LIMPE JÁ. Que mesmo tendo um capital social de 130 mil reais, assinou um contrato de quase 6 milhões de reais, SEM LICITAÇÃO.

Numa rápida consulta na internet, é possível descobrir que a empresa foi fundada há pouco mais de 2 anos. O único contrato de limpeza urbana que executou foi justamente um EMERGENCIAL de 90 dias numa cidade com cerca de 10.000 habitantes, Não tendo portanto a expertise exigida para realizar os serviços na 4 maior cidade do RN. É possível saber ainda que na data de contratação a empresa não possuía sequer Licença ambiental junto ao IDEMA – requisito importante para uma contratação deste vulto.

Infere-se dos atos praticados que a atual gestão tentou burlar a necessidade de realizar nova licitação, que já deveria ter ocorrido, uma vez que o contrato licitado em vigor se encerraria em setembro. Bem como tentou direcionar a contratação da empresa LIMPEJA de maneira emergencial, uma vez que a mesma não teria condições técnicas legais de participar do processo licitatório de uma cidade do porte de macaiba.

Opinião dos leitores

  1. Sem falar que a outra empresa deve ter dispensado os funcionários. Talvez tenha até algum valor a receber. Acorda Prefeito. Faça acontecer da forma correta.

    1. Sua opinião é tão útil quanto discurso de político corrupto. Vive de reclamar, discordar dos fatos e não tem qualquer contribuição positiva, vive e acredita nas mentiras que circulam nas redes sociais dos idólatras dos genocidas da esquerda.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Programa de emprego para jovens terá bolsa de R$ 600 e contrato de um ano, diz Paulo Guedes

Foto: Pablo Jacob/ 29/04/21 / Agência O Globo

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quarta-feira que o programa de emprego para jovens terá bolsa de R$ 600, com custo dividido entre governo e empresas, e contratos de duração de um ano.

— O governo vai pagar R$ 300 e as empresas vão pagar R$ 300. As empresas pagando para dar curso de qualificação de mão de obra. É o treinamento no mercado de trabalho no próprio emprego – detalhou o ministro durante entrevista coletiva de imprensa.

De acordo com Guedes, já há empresas conversando com o governo porque querem conhecer melhor a proposta de treinamento de mão de obra. O ministro citou o McDonald’s como uma delas.

O Bônus de Inclusão Produtiva (BIP) já havia sido anunciado pelo ministro, que justificou a demora para o lançamento por uma questão de encontrar recursos para garantir um ano de contrato.

— Nós temos recurso para este ano, mas em vez de lançar contrato de seis meses, nós estamos tentando arrumar já a ponte para o ano que vem, para poder ser um contrato de um ano pelo menos – explicou.

E acrescentou:

— O jovem fica coberto por pelo menos um ano neste programa de treinamento. Treinamento com trabalho. Isso deve ser lançado também brevemente.

O ministro deu os detalhes do programa durante o anúncio dos resultados de abril do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). No mês passado, houve um saldo positivo de 120.935 de vagas de emprego. Com isso, o Brasil registrou quase 1 millhão de vagas nos quatro primeiros meses do ano: 957.889 registros.

Foram 1.381.767 admissões e de 1.260.832 desligamentos.

— É evidente que o ritmo de criação de emprego no mês de abril foi mais lento porque foi grande o impacto quando as mortes atingiram o pico dessa segunda onda, o distanciamento social, a prudência fizeram com que houvesse uma retração na geração de empregos, mas ainda assim prossegue forte o mercado de trabalho – destacou.

Mais uma vez, o ministro destacou como solução a vacinação em massa, para garantir o retorno seguro ao trabalho, e as medidas de proteção do governo, como o auxílio emergencial, para a proteção dos trabalhadores informais, e o BEm.

A nova rodada do BEm, que é um programa de manutenção de emprego via acordos de redução de jornada ou suspensão de contrato de trabalho, passou a valer no dia 28 de abril e, até a terça-feira, já haviam sido celebrados 1.922.470 acordos entre empregados e empregadores. A maior parte deles – 798.443 – foram de suspensão de contrato de trabalho.

Entre as reduções de carga horária, a diminuição de 70% da jornada é a que teve mais acertos: 547.989.

Há ainda trabalhadores que, neste ano de 2021, gozam da estabilidade por terem aderido a contratos do BEm na sua versão anterior, de 2020. Segundo o Ministério da Economia, em abril, 2,9 milhões de pessoas tinham garantia provisória do emprego por causa dos acertos firmados no ano anterior.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. enquanto o governo federal emprega jovens, o governo petista, local, lança programa para presidiários e deixa aluno fora da sala de aula.

  2. Se metade do que esse homem prometeu na campanha e promete agora se tornasse realidade, o Brasil teria um enorme desenvolvimento, mas o ministério dele não entrega quase nada de projetos e os que entrega devem ser mal elaborados pq até agora , depois de mais de dois anos de governo, só foi aprovada a reforma da previdência e ainda assim, foi um reforma mais fraca do que a que Temer quase aprovou… Até agora o governo federal não privatizou NADA (e olhe que tem várias e várias empresas estatais que poderiam ser privatizadas com uma canetada!) mas soube criar a NAVBrasil!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Governo fecha contrato por mais 100 milhões de doses da Pfizer, e país assegura total de 200 milhões de vacinas até o fim do ano

FOTO: UESLEI MARCELINO/REUTERS

O governo federal fechou nesta sexta-feira (14) novo contrato com a Pfizer por mais 100 milhões de doses da vacina para o Brasil, que chegarão entre setembro e dezembro de 2021. O novo acordo com o laboratório garante um total de 200 milhões de doses da farmacêutica até o fim do ano.

O anúncio da compra foi feito pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, na manhã desta sexta-feira (14). “O Ministério da Saúde tem feito um esforço para obter mais doses e assim imunizar a população brasileira. O objetivo do Ministério é, até o final do ano, ter esse público todo vacinado”, disse Queiroga.

O primeiro contrato da Pfizer, assinado em março, já entregou 2,2 milhões de doses da vacina ao Brasil. Segundo o cronograma do ministério da Saúde, o resto das entregas deve chegar em junho (16 milhões de doses previstas) e no terceiro trimestre de 2021 (84 milhões).

O novo contrato foi fechado em meio à CPI da Covid, que investiga possíveis omissões do governo federal no enfrentamento da pandemia. Nesta semana, os depoimentos do ex-secretário Especial de Comunicação Social da Presidência da República, Fabio Wajngarten, e do gerente-geral da Pfizer na América Latina, Carlos Murilo, confirmaram que o governo federal não respondeu a ofertas que a farmacêutica fazia desde agosto de 2020.

R7

Opinião dos leitores

  1. Mais uma excelente noticia relacionada a vacinas contra COVID. O governo Bolsonaro está dando show no combate à pandemia. Para desespero de seus opositores, que torcem sempre pelo pior para o Brasil, pensando apenas em politicagem.

  2. Esse governo incompetente do miliciano, deixou vencer 20 milhões de testes para Covid, é o negacionismo e a matança em curso no Brasil com esse governo das trevas.

    1. Que governo bom, esse sim, tem feito a diferença……José Tomaz……Vai tomaz…..

    2. Bom foi no tempo onde tudo era corrupção. Nada poderia ser feito sem ter corrupção. Bom era quando arte se via em criança tocando os órgãos genitais de homens e mulheres. Bom foi o tempo que usavam crucifixo introduzido nas partes íntimas em nome da liberdade de expressão.
      Bom foi o tempo onde todos os competentes ministros que ocuparam a casa civil foram condenados por corrupção.
      Prefiro 5 mil vezes o Bozo que seus ídolos corruptos.

    3. Rapaz, uma notícia excelente dessa e o cara ainda tenta falar mal do governo? É difícil fazer oposição contra um governo assim, não é mesmo. Honesto, competente, patriota, preocupado DE VERDADE com o povo… Dá um desespero danado na oposição.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Televisão

De saída da Globo, Faustão fecha contrato de cinco anos com a Band

FOTO: Reprodução/TV Globo

Em contagem regressiva para deixar a Globo, o apresentador Fausto Silva assina na próxima semana contrato de cinco anos com a Band, valendo a partir de 2022. O jornalista e apresentador do Domingão do Faustão, que trabalha desde os 14 anos e completa 71 neste domingo (2), vai apresentar um programa semanal no início das noites de domingo ou um diário, encerrando o horário nobre.

Será o retorno de Faustão, provavelmente o maior salário da TV brasileira nas últimas décadas, à emissora que o projetou nacionalmente nos anos 1980, atraindo o interesse da Globo. Embora tenha estreado na TV Gazeta em 1984 e passado pela Record pré-Igreja Universal, foi na Band que Fausto Silva alcançou todo o país com o lendário Perdidos da Noite (1984-1988), programa que expunha bastidores e erros de produção, um marco para a época.

Quando deixou a Band, em 1988, Faustão comunicou os donos da emissora seis meses antes que estava indo embora. Agora, faz questão de dar o mesmo tratamento à Globo, onde terá trabalhado 33 anos ao final de 2021.

No final de janeiro deste ano, conforme o Notícias da TV antecipou, Fausto Silva decidiu não renovar contrato com a Globo. Ele não aceitou proposta da emissora de migrar para as noites de quintas-feiras, com uma projeção de faturamento menor. Dias antes, a Globo havia lhe informado que vai mudar sua programação dominical em 2022 (com o futebol a partir das 18h) e que o Domingão do Faustão não estaria mais nessa grade.

Na época, o apresentador disse a este site que iria passar uma boa temporada viajando ou se empregar em outra emissora. Um dos profissionais mais prestigiados pela publicidade brasileira, que atrai anunciantes para suas atrações, Fausto imediatamente entrou no radar de Johnny Saad, presidente da Band, de quem é amigo.

O último Domingão do Faustão irá ao ar em 26 de dezembro, com uma edição especial do Troféu Mario Lago, que homenageia quem se destaca nas artes populares. Alcione, Martinho da Vila, Paulinho da Viola, Zeca Pagodinho e Ivete Sangalo já estão confirmados, como informou em primeira mão nesta semana o colunista Flávio Ricco, do portal R7.

Em maio, como programação de despedida, a Globo estreia uma edição especial da Dança dos Famosos, com “todos os melhores da história”. Os primeiros nove participantes serão confirmados no programa de domingo –dois nomes (Paolla Oliveira e Christiane Torloni) já foram antecipados pelo próprio apresentador.

Trajetória de Faustão na Globo

Faustão e Xuxa na estreia do Domingão em 1989

Fausto Silva e o Domingão estrearam na Globo em 1989, mas o apresentador já fazia sucesso com o senso de humor e irreverência no Perdidos na Noite, que passou por Gazeta e Record até chegar na Bandeirantes.

Além de bordões como “oloco meu” e “quem sabe faz ao vivo”, o comunicador trouxe parte da equipe que já trabalhava com ele por trás e na frente das câmeras. O músico Caçulinha e a diretora Lucimara Parisi ajudaram a criar uma identidade para a atração global, que também contava em seus primeiros anos com o câmera Renato Laranjeira –com uma fantasia diferente a cada edição.

Sob influência da aeróbica, que tomava conta dos centros esportivos do país, surgiu a Academia do Faustão, considerada a predecessora do atual balé. Em 1995, foi criado o quadro Melhores do Ano, que premia até hoje o elenco da Globo com categorias que vão da Dramaturgia ao Jornalismo.

Relembre a primeira abertura do Domingão do Faustão:

Fausto se tornou um dos principais nomes da emissora ao frear a audiência do Programa Silvio Santos e se firmar como líder no horário. Em 1997, no entanto, o Domingão passou a rivalizar com o Domingo Legal de Gugu Liberato (1959-2019) –uma guerra que se estendeu até o início dos anos 2000.

Durante uma década, o programa foi gravado no Teatro Fênix, no bairro do Jardim Botânico, na zona sul do Rio de Janeiro, até ser definitivamente transferido com o término da construção do Projac (hoje Estúdios Globo), do outro lado da capital fluminense. A fórmula, no entanto, já estava consagrada graças a quadros como Arquivo Confidencial, Olimpíadas do Faustão e as Videocassetadas.

Faustão também ajudou a popularizar os karaokês com o Videokê, em que famosos soltavam a voz no palco, além de promover concursos como o Caminhão do Faustão e a escolha da “nova morena” do grupo É o Tchan –que consagrou Scheila Carvalho.

Em 2005, a Dança dos Famosos chegou ao palco do Domingão para estancar a fuga de telespectadores para o Pânico na TV (2003-2012). O quadro inspirado no britânico Strictly Come Dancing se tornou um fenômeno, com 17 edições de salão e mais três no gelo.

Entre os sucessos mais recentes estão o Ding Dong e o Show dos Famosos, que reúne famosos para homenagear grandes nomes da música. Os figurinos e caracterização, no entanto, chamam mais a atenção que a própria competição, gerando memes e piadas nas redes sociais.

Perdidos na Noite

Repórter esportivo de rádios como Jovem Pan e Globo nos anos 1970 e 1980, Fausto Silva estreou o Perdidos na Noite em 1984, na Gazeta, tendo como padrinho Goulart de Andrade (1933-2016). Depois, o programa passou pela Record antes de ingressar na Band, em 19 de abril de 1986.

Com estilo anárquico, cenário bagunçado, humoristas e variadas atrações musicais, o programa chamou a atenção do público e da crítica, catapultando a carreira de Faustão.

Em 2004, Datena propôs à direção da Band a volta do Perdidos na Noite. O primeiro piloto foi gravado em julho daquele ano. O apresentador, que já comandava o Brasil Urgente, queria manter o título e o formato.

“Eu quero me divertir”, disse o apresentador à Folha de S.Paulo de 9 de julho de 2004. O novo “Perdidos” seria mais uma tentativa de o jornalista de escapar dos programas policiais –ele esteve em atrações como No Vermelho, na Record, e Quem Fica em Pé e Agora é com Datena, na Band, entre outros.

No entanto, a ideia não deu certo. O piloto não agradou nem ao apresentador, nem à emissora. A Band ainda queria reeditar o programa, mas, para isso, teria que fazer novos testes, com outros artistas. Como se sabe, o projeto não saiu do papel depois disso.

Veja a abertura de Perdidos na Noite:

Notícias da TV – UOL

Opinião dos leitores

  1. Reflexo de duas realidades: a falência da Globo e a entrada de dinheiro chinês no Brasil. A Band já foi “comprada” pelos chineses. Prá mim tanto faz, pois não presto audiência a nenhum dos envolvidos há muito tempo.

    1. Você se matriculou nos cursos de olavo de bostalho, correto?
      Terça livre, esse lixo todo, igual a você.

    2. Bom mesmo é a Record, não é Chinesa nem Lacradora. Só serve para lavar uma graninha.

    3. Revoltados? Tão ganhando cachê? Jabá? Assistam o que quiserem mas a Globo está falindo. Melhor para o Brasil.

  2. Mais um que cairá no esquecimento na inexpressiva TV Band,como o exemplo da senhora Xuxa que foi para TV record/universal,a TV Globo é a
    TV Globo,se a voz do povo è a voz de Deus,por conseguinte,a TV Globo é uma deusa do povo brasileiro,enquanto mais bolsonaristas e a TV récord/igreja universal,band,SBT atacam e batem na TV Globo mais ela cresce como massa de pão,a TV record/igreja universal a sua principal perseguidora e acusadora que mistura política com religião e que só lucram iludindo as suas cobras cegas adeptas na religião que também apoiam e lucram com o atual governo federal que alías só quem lucra com essa falsa TV/religião Record/universal è o seu proprietario que vive na luxuria extrema e também os seus pseudos pastores que participam de forma infima da parte do lucro desse banquete e já os seus credulos e ciegos seguidores pobres ou extremamentes empobrecidos que financiam o banquete dos seus pastores e do patrão dos pastores,esta igreja universal que a principal mantenedora da sua sucursal que a TV récord e a temporaria fonte financiadora o presidente Jair se acostumando,só siento dó dessas cobras criadas que oram e suplicam que pagam dizimos e ofertas a pseuda seita religiosa para conquistarem riquezas financeiras impossiveis para os padrones socioeconómicos do Brasil onde 72% dos brasileiros recebem no maximo até dois salarios mínimos brasileiros,creio que há también uma grande mentira da esquerda brasileira que administrou o Brasil por 14 anos de 2002 até 2014 que propagam a irresistible lorota que colocaram milhões de brasileiros na classe media,onde è que está essa nova classe media?outra execravel mentira dos governos do partido dos trabalhadores,já esse atual governo do Brasil do senhor Jair se acostumando está transformando o país numa nova Venezuela,está que foi a plataforma estratégica de combate ideológico na eleição de 2018 contra o outro candidato Haddad do partido dos trabalhadores,reeleger Jair se acostumando e o Lula/Jararaca do PT,seria a mesma coisa de trocar o sujo pelo mal lavado na vindoura eleição de outubro de 2022.

    1. Ô loco, meu!!!
      Essa fera sabe tudo, bicho! Tanto no pessoal quanto no profissional quem sabe faz ao vivo. Fala mais do que eu.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Ministério da Saúde assina contrato de 10 milhões de doses da vacina Sputnik V

Foto: Maxim Shemetov/Reuters

O Ministério da Saúde assinou nesta sexta-feira (12) um contrato para adquirir 10 milhões de doses da vacina Sputnik V, que serão importadas da Rússia pelo laboratório União Química.

O cronograma da pasta prevê que 400 mil dessas doses cheguem até o final de abril, 2 milhões em maio e o restante, até o fim de junho.

O imunizante ainda não tem registro ou autorização para uso emergencial junto à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Em entrevista coletiva mais cedo, o gerente-geral de medicamentos da agência, Gustavo Mendes, disse que o laboratório não enviou resposta às exigências feitas pelo órgão regulador, mas que a Anvisa segue aberta para discussão.

“A expectativa é que os próximos passos sejam tomados pela empresa”, afirmou ele.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

    1. Imagina os governadores do Nordeste que conseguiram 39 milhões da mesma vacina? Ô buscado de esquerdista bom, ou pelo menos melhor que o palerma do Pazuello.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Anac reconhece ‘desequilíbrio’ de quase R$ 20,5 milhões e aprova revisão do contrato de concessão do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante

Foto: Reprodução/Diário Oficial da União(DOU)

A Agência Nacional de Aviação Civil reconheceu um “desequilíbrio” de quase R$ 20,5 milhões provocado pela pandemia da Covid-19 no Aeroporto de Natal e aprovou uma revisão extraordinária no contrato de concessão do terminal ao Consórcio Inframérica. A decisão foi publicada nesta segunda-feira (4) no Diário Oficial da União. Ainda de acordo com a agência, o objetivo é recompor o equilíbrio econômico-financeiro do aeroporto. Somente em 2020, esse desequilíbrio teria sido de R$ 20.499.736,34.

A decisão publicada prevê duas medidas a serem tomadas. A primeira é o abatimento das contribuições mensais, devidas em 2020; porém, é necessária anuência do Ministério da Infraestrutura para isso. A segunda medida é o aumento “temporário” da Tarifa de Uso das Comunicações e dos Auxílios Rádio e Visuais em Área Terminal de Tráfego Aéreo (TAT) pagos pelas companhias e donos de aeronaves, que serão taxados com valores operados em aeroportos de classe “A”. Leia documento AQUI.

Opinião dos leitores

  1. Eu tb tive prejuízo nos meus negócios mas as contas estão chegando tdas do mesmo jeito.
    Como é bom ser poderoso neoliberal no Brasil.
    O lucro é privado mas o prejuízo é socializado.

  2. Em todos os ramos de negócios existe o risco do mesmo ser lucrativo ou não, mas se for com o governo o prejuízo será compensado. Alguém dúvida que o aumento dessa taxa será repassado aos preços já altíssimos das passagens para o RN?

  3. Air Port de SSG fracassou. O retorno para o Augusto Severo se faz urgente.
    Bora pessoal se manifestar, tomar as ruas de Natal e RN por seu retorno.

  4. Pode abater contribuições, pode aumentar tarifa…a verdade é que esse aeroporto foi a desgraça do turismo no RN. Longe de tudo, percurso perigosíssimo qualquer hora do dia, aeroporto presídio, a pessoa tem que ficar presa o dia todo se tiver uma conexão ou atraso. Escassez na área de alimentação, farmácia (a que tinha fechou) e a exploração no estacionamento. O povo potiguar tem que ser eternamente "grato" ao Riquinho Aeroporto Alves.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trânsito

Bolsonaro celebra “dia histórico para o norte” com assinatura de contrato para recuperação de 52km da BR-319 (Manaus-Porto Velho)

Foto: Reprodução/Instagram

O presidente Jair Bolsonaro destacou em suas redes sociais nesta quinta-feira(17) um “Dia histórico para o Norte”.  Trata-se da assinatura do contrato de repavimentação dos primeiros 52km da BR-319 (Manaus-Porto Velho).

“Iniciamos nossa missão de recuperar uma rodovia já asfaltada na década de 70 com o compromisso de torná-la a maior referência em governança ambiental do Brasil”, disse.

Opinião dos leitores

  1. Boa meu presidente!!
    O norte do país é a região mais rica do Brasil disparada, ninguém chega perto, o que falta é infra estrutura e nada mais.
    Lá de tudo tem e muito, mais muito mesmo.
    Não tem quem sustente esse Brasil se explorarem as riquezas dessa região.
    Pense num lugar rico, e de muitos pobres.
    Isso precisa ser revisto, ta na hora de governantes virarem de vez os olhos pra quela região do Brasil sil sil sil.
    Bolsonaro véi arrochado.

    1. Não faz 52 km de tapa buracos, o que dirá uma estrada dentro da Amazônia.
      O PT de lula ladrão não fez, GD vai fazer.
      Kkkkkkkkkkkkkkk

  2. Interessante, só 52 KM, na verdade talvez muito pouco, só que é uma obra que se arrasta a 50 anos, passou inerte e esquecida por treze anos dos governos do PT, precisa mais para comemorar?

  3. Uma obra chinfrim como essa, na China se executa todo santo dia.
    Essa obra “faraônica” é motivo desse estardalhaço todo?

    1. 52KM, dentro da selva amazônica não é fácil, é pra quem tem cunhao roxo e é TOPADO, do contrário fica só no arrasto.
      Essa é parte da tão famosa TRANSAMAZÔNICA do tempo do Império.
      Chupa esquerdalhada incompetente.
      Em plena pandemia, e as obras inacabadas a todo vapor, surge uma nova e grande obra no PAÍS.
      Ô véi arrochado da gota serena.
      Esse é duro!!

  4. Em quanto Pedro Bial e outros globais, estiver metendo o pau no MITOSHOW, eu tenho a grata sensação que as coisa estão no rumo certo.
    Me preocupo muito se começarem a elogiar.
    Mito 2022.
    Chupa petezada

  5. Vista de cima, a Rodovia Álvaro Maia parece rasgar a floresta amazônica para ligar as capitais de Porto Velho e Manaus. Mais conhecida como BR 319, a estrada quase toda de barro se estende ao longo de 880 quilometros entre parques, estações ecológicas, vilas e cidades que povoam o coração do maior estado do Brasil. 52km em seu primeiro mandato vai precisa de mais 16 mandatos para termina essa obra

    1. E é tudo tão linear assim?

  6. O véi macho por isso que os burros tem raiva dele que ele promete e cumpre diferente do chefe dos burros que promete e rouba e não faz nada e o gado segue feliz.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Conmebol processa a Globo e cobra mais de R$ 600 milhões por rescisão de contrato na Libertadores

Foto: Reprodução

A Conmebol entrou com um processo contra a Globo pedindo indenização pela rescisão do contrato da Libertadores. O valor da cobrança é de todo o restante dos pagamentos do acordo de quatro anos: uma soma de pelo menos US$ 120 milhões (R$ 653 milhões). O caso vai se desenrolar em uma corte suíça.

A informação de que a Conmebol cobraria indenização da Globo tinha sido dada pelo blog. Em reunião virtual com os clubes, referente à organização das oitavas de final da Libertadores, o presidente da entidade, Alejandro Dominguez, disse aos dirigentes que já tinha iniciado ações legais contra a Globo e a DAZN pelos prejuízos pelos rompimentos de acordos. Questionada pelo blog, a confederação sul-americana confirmou o processo.

Durante a reunião, Dominguez destacou que as rescisões da Globo e da DAZN causaram prejuízo financeiro pesado para a Conmebol.

“Pusemos à disposição das associações membros e os clubes cerca de US$ 95 milhões, em contexto de antecipação de prêmios de participação, ajuda para provas de laboratório e logística aérea para as viagens das equipes participantes. Isso foi feito apesar do forte golpe que significou a rescisão unilateral de contratos de transmissão de nossas partidas no território brasileiro por parte do grupo Globo e da empresa DAZN”, disse o dirigente, em relato do site da Conmebol.

A Globo tinha ganho os direitos dos jogos da Libertadores em TV Aberta e TV Fechada (dividido com a Fox Sports) em concorrência feita pela Conmebol. O contrato era válido de 2019 a 2022. Seu valor total era de US$ 60 milhões por ano.

Em agosto, a emissora comunicou para a Conmebol a rescisão do compromisso após uma negociação para tentar reduzir os valores. A alegação da Globo era de que o contrato previa rompimento no caso de paralisação do campeonato por força maior, o que ocorreu com a epidemia do coronavírus. A confederação sul-americana entende, no entanto, que só poderia haver quebra do documento no caso de ela ser a culpada pela parada do torneio.

A cobrança da Conmebol envolve o restante do acordo não pago pela Globo. É difícil precisar o valor exato da demanda. Mas pelo menos dois anos estavam em abertos, 2021 e 2022, pois as temporadas ainda não tinham sido iniciadas. Portanto, o valor demandado pela confederação é de pelo menos US$ 120 milhões (R$ 653 milhões).

Esse montante pode ser maior já que provavelmente a Globo não quitou todas as parcelas referentes à temporada de 2020. O rompimento do acordo se deu no meio da fase de grupos.

A partir daí, a emissora carioca ainda tentou nova proposta, mas a Conmebol optou por fechar um novo compromisso com o SBT. O contrato com a rede paulista é inferior ao valor total da Globo, mas tem contrapartidas relacionadas à exibição de patrocinadores da Libertadores.

Com a confirmação do processo, a Globo se envolve em mais uma disputa judicial relacionado aos seus acordos por direitos de campeonatos. Já existe uma pendenga com a Fifa porque a emissora questionou o pagamento relacionado aos direitos da Copa do Mundo e também há ameaça de rompimento do acordo. Além disso, a Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro) processa a Globo pela rescisão do contrato do Campeonato Carioca.

Questionada sobre o processo, a comunicação da Globo informou: “Temos conhecimento do procedimento iniciado pela Conmebol, mas não nos manifestamos sobre assunto sub judice.”

Coluna Rodrigo Mattos – UOL

Opinião dos leitores

  1. A conmebol, com ajuda do governo Bolsonaro, tentou prejudicar a Globo, e agora viu que com o contrato com o SBT, a audiência é uma merdar e provavelmente deve ter perdido muito dinheiro, resolver buscar o prejuízo!

  2. A boquinha acabou!!!
    Hôô prejuízo cachorro da mulesta essa globo lixo tá levando por perseguir o Mito Bolsonaro por trinta anos, sem provas, até hoje nenhuma zero.
    Ôôô Presidente véi duro, do cunhão roxo.
    Tamos juntos meu presidente, o sr avisou, não quiseram ouvir, então pegue!!
    É bem empregado.

  3. A quem interessa o sensacionalismo à derrocaa de uma grande empreaa brasileira de telecomunicacão? Quando essa mesma empresa promovia e fazia ilações à "corrupção" nos governos do PT, tudo era lindo e maravilhoso. O "patriotismo/nacionalismo" justificavam os meios. Hoje execram uma das maiores da midia mundial, aimplismente porque continuam promovendo o jornalismo investigativo, Serão esses os mesmos chamados "homens de bem"? Muita hipocrisia!

  4. "A confederação sul-americana entende, no entanto, que só poderia haver quebra do documento no caso de ela ser a culpada pela parada do torneio."
    A força maior so serviria para a confederacao. Querem nadinha. Essa a Globo ganha facim.
    OBS.: nao gosto da Globo, mas aí é demais.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

TCU: Contrato do Ministério da Saúde para comprar reagentes de testes da Covid-19 no valor de R$ 133,2 mi tem suspeita de irregularidades

Foto: Brenno Carvalho / Agência O Globo

Um contrato do Ministério da Saúde para aquisição de 10 milhões de kits de reagentes usados em testes da Covid-19, firmado em agosto por R$ 133,2 milhões, está sob suspeita de irregularidades. A informação foi repassada pela Diretoria de Integridade (Dinteg) da própria pasta ao Tribunal de Contas da União (TCU), durante o trabalho de fiscalização periódica das medidas relacionadas à pandemia.

Em relatório produzido pela Secretaria de Controle Externo da Saúde do TCU, que embasou acórdão aprovado na última quarta-feira na Corte, a equipe relata “diversas alterações na especificação do objeto a ser contratado” ao longo do processo de compra.

Aponta ainda que um pedido de reconsideração apresentado pela empresa que ficou em segundo lugar no processo de aquisição emergencial, alegando direcionamento à vencedora, foi ignorado pelos setores responsáveis e mantido fora do conhecimento de outros integrantes da pasta.

O Ministério da Saúde informou que avalia “anular o contrato”, “reavaliar a real necessidade de contratação dos testes” e “instaurar procedimento para apurar a responsabilidade dos envolvidos”, aponta o documento do TCU. A compra está listada pelo tribunal como um dos dez maiores contratos de aquisição direta feitos pela pasta no contexto da pandemia da Covid-19.

“Conforme explanado por um dos integrantes da Dinteg (Diretoria de Integridade do Ministério da Saúde), a partir da documentação relacionada à contratação, é possível verificar a existência de indícios de irregularidades na contratação, o que evidencia a falta de planejamento e coordenação por parte do Ministério da Saúde para a aquisição”, aponta o relatório do TCU.

O contrato sob suspeita foi assinado em 21 de agosto, já na atual gestão do ministro Eduardo Pazuello.

O Globo

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

E AGORA, CIPRIANO? Justiça concede liminar suspendendo contrato de OSCIP denunciada por Fernando Lucena

No último dia 15 de outubro o desembargador Dilemando Mota, concedeu uma liminar suspendendo a contratação da OSCIP denunciada na câmara pelo vereador Fernando Lucena na sessão ordinária do dia (01). A medida atende a uma solicitação do sindicato dos condutores de ambulâncias, que atribuiu irregularidades no contrato que prejudicara os direitos dos trabalhadores, como descumprimento das convenções coletivas e precarização do serviço da categoria, dentre outras irregularidades.

Entre as noites da sexta-feira (09) e sábado (10/10/20), foi publicado no Diário Oficial do Estado, o contrato firmado pelo Secretário de Saúde do RN, Cipriano Maia e a OSCIP – INSTITUTO DE SAÚDE SANTA CLARA, que fica sediada na cidade de Candói (PR), denunciada pelo vereador Fernando Lucena, no valor de R$ 7.620.000,00, visando a prestação de serviços de natureza contínua de apoio administrativo a SESAP.

Veja abaixo documento:

Fotos: cedidas

Opinião dos leitores

  1. Dr. Barata Baygon é um completo fora de contexto, acho o vereador Fernando Lucena um coitado, nesse caso parece ter razão, a governadora dá cobertura a essas pilantras.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *