UFRN arrecada cabelos e lenços nesta segunda-feira

Foto: Cícero Oliveira/ Divulgação/UFRN

Nesta segunda-feira, 21, a UFRN, por meio da Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Progesp), promove a arrecadação de cabelos e lenços dentro da programação do Mês do Servidor 2019 – Amor à Universidade Pública. A campanha será realizada na antiga Galeria Conviv’art, localizada no Centro de Convivência Djalma Marinho, Campus Central UFRN, entre 9h e 16h.

Para participar da ação, o único critério é ter um cabelo que esteja seco e limpo e cujo comprimento permita a retirada de pelo menos 25 centímetros. Menores de idade também podem participar, desde que estejam acompanhados de responsáveis. Na mesma ocasião, os organizadores recebem lenços de todos os tipos, que serão usados por mulheres em tratamento de câncer. Quem já tem cabelo cortado em casa e quiser doar é só comparecer ao local citado, contanto que o cabelo possua no mínimo 25 centímetros e esteja seco e limpo.

No ano passado, a campanha arrecadou cerca de 140 cabelos e 116 lenços. Jéssica Martins é membro da comissão organizadora do Mês do Servidor e fala da ação como uma ocasião para “melhorar a autoestima das mulheres que estão lutando contra o câncer”. Ela comenta que quem enfrenta essa doença passa por uma carga psicológica muito forte, por isso a importância de receber esse tipo de apoio.

Dúvidas podem ser esclarecidas pelo telefone (84) 3342-2330, ramal 375.

Com informações da UFRN

Leilão de petróleo da ANP arrecada R$ 8,9 bilhões em bônus e bate novo recorde

Bento Albuquerque, ministro de Minas e Energia (esq) e Decio Oddone, diretor-geral da ANP, comentam o resultado do leilão — Foto: Carlos Brito/G1

A Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) levou a leilão nesta quinta-feira (10), 36 blocos exploratórios de petróleo e gás. Foram arrecadados R$ 8,915 bilhões em bônus de assinatura, um novo recorde nas recentes rodadas de concessões. O investimento mínimo previsto para os blocos é de R$ 1,579 bilhão.

“Sempre achamos que seria um leilão exitoso e superamos as expectativas. Tivemos o recorde de bônus em leilão de concessões”, afirmou ao final do leilão o diretor-geral da ANP, Decio Oddone.

Apesar do bom resultado, apenas 12 dos blocos ofertados foram arrematados (veja a lista de resultados mais abaixo). As áreas, ofertadas sob regime de concessão, estão nas bacias sedimentares marítimas de Pernambuco-Paraíba, Jacuípe, Camamu-Almada, Campos e Santos.

Segundo a ANP, o ágio total do leilão ficou em 390,06%. Se todos os 36 blocos tivessem sido arrematados pelo valor mínimo, a arrecadação de bônus teria ficado em R$ 3,216 bilhões.

Blocos sem oferta

Nenhum dos blocos nas bacias localizadas no litoral nordestino recebeu ofertas. A concessão dos blocos no litoral da Bahia era contestada por ambientalistas, diante da possibilidade de riscos para o parque marinho de Abrolhos. O leilão desta quinta chegou a ser alvo de protestos no início da manhã.

Outros 9 blocos da bacia de Santos também não tiveram compradores.

Dezessete empresas se inscreveram para participar dessa rodada de licitações, a 16ª do setor e a primeira do calendário de grandes leilões de óleo e gás do governo Jair Bolsonaro. Dessas, apenas 2 – Petrobras e Enauta – são brasileiras. As demais 15 são todas estrangeiras sendo que, dentre elas, somente a Petronas ainda não possui contrato de exploração e produção no Brasil.

Leia matéria completa do G1 aqui.

Artesanato Potiguar arrecada R$ 187 mil na Fenearte 2019

Fotos: Anderson Santos

A vigésima edição da Feira Nacional de Negócios de Artesanato (Fenearte), realizada em Recife-PE, gerou uma receita de R$ 187 mil para os artesãos norte-rio-grandense que participaram do estande do Governo do RN na feira. Segundo levantamento do Programa do Artesanato do Rio Grande do Norte (Proarte), foram vendidas 2.945 peças e outras 190 peças foram encomendadas, com destaque para os produtos de fibra de sisal e o bordado seridoense.

A caravana – composta por 6 artesãos individuais e 2 associações – comercializou sete tipologias: bordado, esculturas em pedra ônix, couro, cerâmica, fibra, renda de bilro e cartonagem. Os produtos foram expostos para mais de 300 mil pessoas que movimentaram os 12 dias da feira. O RN, nesse sentido, aumentou em 19% o total de vendas em comparação com a edição de 2018 e se destacou entre os estados do Nordeste.

Para Domingos Sávio, assessor técnico do Proarte, a diferença da técnica dos produtos fabricados no RN foi o grande destaque dessa edição. “Apesar da concorrência direta com os estados do Ceará e de Pernambuco, nosso bordado do Seridó é diferente. Nossa pedra ônix amarela é única no Brasil. A nossa cerâmica é bem peculiar. Nossa fibra fez toda a diferença, chegando a vender todo o estoque apenas em um dia. É nesses aspectos que pontuamos positivamente”, disse.

O retorno não só financeiro, mas também cultural, reforça a importância da viabilidade da participação dos artesãos nas feiras de artesanato do Brasil. O escoamento dos produtos aliado à diversidade das técnicas e ao rigor das produções comprova a qualidade do artesanato como fonte sustentável, agregando valor a toda uma cadeia produtiva que encontra, na arte, sua fonte de renda.

Com os resultados alcançados, de um lado, na Fenearte, e, de outro, na Fiart (R$ 661 mil na edição 2019, realizada no Centro de Convenções de Natal), as expectativas são as melhores para o segundo semestre de 2019. Mais duas grandes e importantes feiras estão programadas para ocorrerem no território potiguar: a Feira de Artesanato dos Municípios do Seridó (Famuse) e a Multifeira Brasil Mostra Brasil, que ocorrerá entre 06 e 15 de setembro, na Arena das Dunas.

Em Natal, Festival de Samba arrecada mais de 700 kg de alimentos para doação


FOTOS: AURINO NETO / CICLO FILMES / DIVULGAÇÃO

Três instituições cadastradas no Programa Mesa Brasil do SESC foram beneficiadas com arrecadação dos dois dias de evento na Arena das Dunas.

A primeira edição do Festival de Samba Ribeira Boêmia foi um sucesso de público, crítica e arrecadação. Em dois dias de evento na Arena das Dunas, mais de 2 mil pessoas compareceram para prestigiar 19 atrações locais e nacionais. Com o sistema de meia-entrada social e graças a uma parceria com o programa Mesa Brasil do SESC, foram arrecadados 720 kg de alimentos não-perecíveis.

Três instituições cadastradas no programa de segurança alimentar e nutricional foram beneficiadas. A Sociedade Professor Heitor Carrilho, que desenvolve um trabalho em prol das pessoas com deficiência, recebeu 300 kg; o Instituto Terapêutico Nova Aliança, que trata dependentes químicos, ficou com 270 kg e à Aldeias Infantis SOS Brasil, organização humanitária pela infância, foram destinados 150 kg.

“Tivemos o privilégio de participar do Mesa Brasil do Sesc, em parceria com a Fecomércio, para receber parte da arrecadação do Festival de Samba Ribeira Boêmia. Nossa demanda por alimento é muito alta. Por isso, a gente agradece essa parceria que já dura quase 15 anos”, disse Murilo Vieira do Amaral, coordenador do Instituto Nova Aliança.

No sistema de “ingresso solidário”, o espectador se compromete a levar 1kg de alimento não-perecível no dia do show para garantir o direito de comprar o ingresso com valor de meia-entrada.

O Festival

Na sexta-feira (29), se apresentaram os grupos potiguares Batuque de Um Povo e Samba Preto no Branco, com seus respectivos convidados. Na sequência, os anfitriões da Roda de Samba do Ribeira Boêmia, receberam Didi Assis, Renata Jambeiro e Diogo Nogueira. Atração mais esperada do evento, o cantor carioca levou o público ao delírio com sucessos como Pé na Areia e Clareou.

Com a mesma empolgação, começou o segundo dia de Festival, no sábado (30). As atrações locais foram Quarteto Linha e Família Além do Normal, também com convidados especiais. o Ribeira Boêmia fez seu show logo em seguida, acompanhando Josy Ribeiro, Reinaldo – o Principe do Pagode e Leandro Lehart. O vocalista do Art Popular proporcionou uma viagem no tempo com os hits Temporal e Fricote.

“Foi uma experiência única fazer esse festival. Conseguimos reunir em Natal talentos locais e artistas que não pisavam aqui há muito tempo ou até que nunca tinham vindo à cidade. É hora de agradecer a todos que acreditaram no nosso projeto”, comemorou Leonardo Galvão, um dos produtores da festa.

O Festival de Samba Ribeira Boêmia teve patrocínio da Prefeitura do Natal, pelo Programa Djalma Maranhão, e da Unimed Natal. Apoiaram o evento: ART&C, Guria Produtora, O Boticário, Consultor Express, Cachaça Papary e Agência Comunicato.