Finanças

NÃO É BEM O QUE MUITOS PENSAM: Entenda o que acontece com a dívida após 5 anos

Foto: Getty Images

É quase um consenso popular que uma dívida perde a validade após cinco anos sem pagamento. Apesar disso constar na lei brasileira, não funciona bem assim.

O CNN Brasil Business conversou com David Guedes, advogado e assessor jurídico do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), para entender como é o processo de envelhecimento de um débito.

O especialista explica que o artigo 206 do Código Civil é quem disciplina as regras para a prescrição de uma dívida e que isso varia conforme o tipo de débito.

Mas ele alerta que não quer dizer que, após determinado período, o compromisso vai sumir e a empresa não vai poder cobrar o devedor. Esses períodos são usados como referência para a retirada do cadastro dos serviços de proteção ao crédito, como Serasa e SPC.

Ele ainda lembra que, caso o consumidor queira voltar a se relacionar com o credor, vai ser preciso pagar a dívida, que continua ativa e, na maioria das vezes, acumulando juros.

Tire suas dúvidas sobre o tema:

Todas as dívidas prescrevem depois de 5 anos?

A lei que trata sobre a prescrição dá um prazo padrão de dez anos, mas regulamenta alguns vencimentos menores: um ano para hospedagens, três anos para aluguéis e cinco anos para dívidas relacionadas à compra de produtos e contratação de serviços.

As empresas podem cobrar depois da prescrição?

Sim, elas podem. Embora a legislação garanta a exclusão do título dos birôs de crédito, a dívida permanece ativa até que seja completamente quitada. De modo geral, o produto ou serviço prestado ainda pode ser cobrado pela empresa, seguindo todas as normas do CDC (Código de Defesa do Consumidor).

A dívida do cartão de crédito prescreveu, posso pedir outro?

Se for de outra administradora, sim. David Guedes afirma que a inadimplência implica, por exemplo, em uma eventual retomada do relacionamento com a instituição financeira. No caso do cartão de crédito, caso o cliente solicite um produto administrado pela empresa onde se tem dívida, não vai conseguir.

Meu score vai subir depois dos cinco anos?

Depende. A pontuação é formada pelo histórico financeiro do consumidor. Assim, quanto mais tempo uma dívida ficar pendente, menor vai ser o score. Passados os cinco anos, quando a cobrança sumir dos órgãos de crédito, pode ser que a pontuação sofra algum aumento, mas o histórico inadimplente ainda vai ser considerado.

Já passaram cinco anos e meu nome continua negativado, o que fazer?

O advogado orienta que a primeira ação é notificar a empresa credora e de crédito para que elas retirem os dados, conforme prevê a lei. Na negativa da resolução, o consumidor pode até entrar com uma ação judicial.

“Se houver alguma dificuldade, a pessoa pode obter ajuda dos órgãos de proteção ao consumidor, como o Procon. E se isso ocasionar algum dano, também é possível procurar o judiciário. Caso o valor envolvido seja de até 20 salários mínimos, é possível recorrer sem auxílio de um advogado, por meio do Juizado Especial Cível”, diz.

CNN Brasil

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Entenda como ficam processos de Lula após rejeição de denúncia no caso do sítio

Foto: Lula Marques/Agência PT

Com a decisão da juíza Pollyanna Kelly Alves, substituta da 12ª Vara da Justiça Federal em Brasília, de rejeitar a denúncia contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no processo do caso do sítio de Atibaia (SP) , a investigação sobre o caso volta à estaca zero.

Em junho, o ex-ministro da Justiça do governo do presidente Jair Bolsonaro e ex-juiz Sergio Moro foi considerado parcial pelo Supremo Tribunal Federal (STF) nos casos envolvendo Lula e, com base nisso, a magistrada rejeitou pedido do procurador da República Frederico Paiva para que fosse reiniciada a ação penal contra o petista. Em sua decisão, a juíza apontou que as provas apresentadas haviam se tornado nulas.

Com a conclusão do STF sobre a parcialidade de Moro, o caso do tríplex no Guarujá também teve anuladas as provas e os depoimentos colhidos com a autorização do ex-juiz

Entenda como ficam os processos de Lula:

O que acontece com o caso de Atibaia?

Além de rejeitar a denúncia voltando o processo para a estaca zero, a juíza Pollyanna Kelly Alves extinguiu a punibilidade de Lula e dos demais envolvidos com mais de 70 anos, conforme antecipou a colunista Bela Megale. A magistrada afirma que os crimes estão prescritos para quem tem mais de 70 anos, como o dono da Odebrecht, Emílio Odebrecht, o ex-executivo da Odebrecht Alexandrino Alencar, ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro, entre outros.

Eles chegaram a ser condenados na segunda instância, mas a ato caiu após o ministro do STF Edson Fachin, anular, em março, todas as condenações da 13a Vara Federal de Curitiba. Com isso, o caso sítio e outros foram enviados para a Justiça de Brasília

Como está o processo do caso do tríplex no Guarujá?

O STF concluiu que Moro estava em condição suspeita de julgar Lula no caso do tríplex. Por isso, todas as decisões proferidas pelo então juiz do caso serão anuladas, incluindo as provas e os depoimentos colhidos sob a supervisão de Moro. Desta forma, elas não poderão ser usadas em um novo julgamento do caso pela Justiça Federal do Distrito Federal. Com a parcialidade de Moro confirmada pelo STF, a Justiça do DF deverá colher novas provas e novos depoimentos.

Por que os processos foram enviados ao DF?

Antes de julgar Moro suspeito, o STF já havia decidido que a Justiça Federal do Paraná não tinha competência para julgar as ações envolvendo o ex-presidente, porque não foi possível estabelecer relação comprovada entre os casos e os desvios de recursos da Petrobras, investigados pela Lava-Jato do Paraná. O critério para manter processos no Judiciário daquele estado é a ligação entre eles e as suspeitas de corrupção na empresa estatal.

Com isso, a Corte decidiu, em abril, que os processos de Lula na Lava-Jato que tramitaram na Justiça Federal do Paraná fossem enviados para o Distrito Federal. Assim, além do caso do tríplex do Guarujá, foram transferidas as ações sobre o sítio de Atibaia e as duas que envolvem a sede do Instituto Lula e doações feitas à instituição.

Como ficam os demais processos julgados em Curitiba?

Após a conclusão do STF sobre a parcialidade de Moro no caso do tríplex, o ministro do STF Gilmar Mendes ampliou os efeitos da decisão que declarou o ex-juiz Sergio Moro suspeito ao julgar o processo do triplex de Guarujá para os outros dois processos em que atuou contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na 13ª Vara Federal de Curitiba.

A extensão concedida pelo ministro do STF atingiu os processos do sítio de Atibaia e o da doação de um imóvel para o Instituto Lula.

Pode haver recurso na decisão do STF pela suspeição de Moro?

Há apenas um tipo de recurso que pode ser impetrado após a decisão de ontem do STF: os embargos de declaração. No entanto, dificilmente a conclusão do julgamento será anulada com esse tipo de recurso, visto que ele tem função específica de esclarecer alguma contradição ou omissão ocorrida na decisão.

Desta forma, a decisão da Corte de julgar a atuação de Moro como suspeita no processo é vista como definitiva.

Quais são as outras ações contra o ex-presidente?

Atualmente, Lula responde a outras duas ações que também tramitam na Justiça Federal do Distrito Federal. Apesar de ter sido absolvido na Operação Zelotes da acusação de favorecer montadoras por meio de uma Medida Provisória, o petista é investigado em outro caso na operação por supostas irregularidades na compra de caças suecos Gripen para a Aeronáutica. Já na ação penal a partir da Operação Janus, o ex-presidente é acusado pelo Ministério Público Federal de atuar como lobista da Odebrecht em países da América Latina e da África, onde a empresa tem projetos bilionários financiados pelo BNDES.

Lula volta a ser ficha limpa?

Sim. Como os processos em que havia sido condenado em segunda instância foram anulados, Lula volta a ter sua elegibilidade permitida pela Lei da Ficha Limpa, que impede a participação eleitoral apenas de condenados por órgão colegiado (com mais de um juiz).

O ex-presidente ainda pode ser impedido de concorrer à Presidência no ano que vem?

Caso uma nova denúncia seja apresentada contra Lua e julgada em primeira instância, e depois confirmada em segunda instância, antes do período de registro de candidaturas das eleições de 2022, Lula pode ficar inelegível novamente ao ser enquadrado pela Lei da Ficha Limpa.

Com O Globo

 

Opinião dos leitores

  1. Nunca uma instituição envergonhou tanto o povo brasileiro como o STF. Tornar o maior ladrão que esse país já teve inocente e elegível é o maior dos absurdos que poderia acontecer em uma democracia como a nossa. O próximo passo será cassar a chapa do atual presidente e eleger o Luladrão, podem esperar.

  2. A solução pro nosso povo eu vou dá
    Negócio bom assim ninguém nunca viu
    ‘Tá tudo pronto aqui é só vim pegar
    A solução é alugar o Brasil
    Nós não vamo paga nada
    Nós não vamo paga nada
    É tudo free
    Tá na hora agora é free
    Vamo embora
    Dá lugar pros gringo entrar
    Esse imóvel tá pra alugar ah ah ah ah

  3. A ironia é o STF falar de parcialidade kkkkkkkkk Eita Brasil véi esculhambado. Esse é um país feito pra bandido.

  4. Infelizmente o crime compensou. E o cara deixa de ser criminoso por ter mais de 70 anos ? Tal como um menor, comete crime e não tem qualquer punição. Motivo pelo qual o Brasil vai de mal a pior. Esperar o que de um povo corrupto que elege políticos corruptos. Político corrupto nomeia Desembargadores e Ministros corruptos. Esperar o que ??? “político, por mais ladrão que seja, é melhor do que um concursado” Lula disse.

  5. Uma justiça dessa qualidade, ainda vem Fábio Faria defender que todos tem que dá um passo atrás.
    Kkkk
    Pra quê??
    Pra da certo pra eles como sempre.
    Dia 07 todos os brasileiros na rua.
    Vamos defender o país das mãos desses abutres.

  6. Moro, parcial e os outros juízes que julgaram o caso em outras instancias e até aumentaram as penas também foram, querem enfiar esses corrupto safado de goela abaixo nos brasileiros, tô fora.

  7. Tá muito divertido ver esse chororô do gado aqui😂😂😂😂😂
    Melhor já ir se acostumando, gadaiada🐮🐮🐮
    Vai dar LULA no primeiro turno
    😂😂😂😂

  8. So faltam devolver os bilhoes de dolares do roubo para os tais inocentes. Ja que o dinheiro desviado nao é considerado prova, nem nenhum documento encontrado tambem, porque o tal juiz foi considerado parcial. Como alguem pode ser considerado parcial no julgamento vendo o dinheiro desviado??? So no Brasil mesmo… kkkkkk

  9. Isso é uma esculhambação.!! Onde ja se viu um cabra “disroubar?: A juiza vai mandar devolver toda grana que os larapios confessaram ter desviado e entregaram de volta para o estado? Isso é revoltante!!!

    1. Ou seja Lula Presidente e ponto final 2, agora o gado devia colocar o dedo no ânus e rasgar!!! chorrraaaaa

    2. Isso é o que uma minoria, inclusive com a participação de alguns da justiça, querem que aconteça, mais daí de querer para acontecer kkkkkkk, tem muita coisa para rolar.

    3. só uma aviso a gadoligula, quem gosta de brinca com o dedo naquele canto e uma turminha da esquerda. kkk

  10. Lula candidato, indicado e apoiado pelo STF, onde seus Ministros foram colocado por ele ou pelos seus comparsas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Vacina contra Covid aplicada perto do glúteo em SC repercute; entenda

Foto: Laura Braz/Arquivo pessoal

A foto de uma moradora de Joinville, no Norte catarinense, recebendo a vacina contra a Covid-19 no músculo do ventroglúteo, próximo ao glúteo, chamou a atenção nas redes sociais, já que muitos municípios têm aplicado o imunizante no braço. Laura Braz, de 25 anos, foi vacinada com a primeira dose na sexta-feira (20) (veja mais abaixo).

A gerente de Vigilância em Saúde de Joinville, Fabiana Almeida, afirmou que outros imunizantes já são aplicados dessa forma no município. “Como já é rotina de outras vacinas, nós optamos pelo ventroglúteo”, disse.

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive), porém, afirmou que não há diferença na eficácia da vacina ou posterior dor no local entre os dois músculos.

O G1 aguardava, até a publicação desta notícia, resposta do Ministério da Saúde sobre qual local de aplicação da vacina contra Covid-19 é recomendado.

Sem diferença

A explicação da gerente de Vigilância em Saúde de Joinville, de aplicação da vacina conforme já é feito no município, está de acordo com as orientações da Dive. “O estado já orienta que seja feita [a imunização contra a Covid] como as vacinas de rotina”, disse a gerente de Imunização da Diretoria de Vigilância Epidemiológica, Arieli Fialho.

O ventroglúteo pode ser uma primeira opção.

“Esse músculo é maior, é livre de nervos. Desde que o profissional da saúde tenha capacitação para delimitar esse músculo, é uma opção”, afirmou Fialho.

Ela também disse, porém, que as bulas das vacinas falam mais do deltoide, que fica no braço. “A vacinação é intramuscular. Geralmente as bulas vêm com orientação de deltoide, mas não significa que não possa ser feita em outros músculos”, afirmou.

Não há um levantamento para saber quantos municípios catarinenses optam por braço ou ventroglúteo. “Acredito que a maioria seja deltoide. Como estão fazendo muito drive-thru, é um músculo de mais fácil acesso”, disse Fialho. Segundo ela, alguns pontos em Florianópolis também aplicam a vacina no ventroglúteo.

A gerente de Imunização da Dive também afirmou que não há estudos sobre diferenças de efeito colateral entre os dois músculos.

“Pode ter dor no local de qualquer maneira. Pode dar as mesmas reações, como dor e vermelhidão”, declarou.

“Não tem problema deltoide ou ventroglúteo, desde que o profissional de saúde tenha capacidade para delimitar o músculo. Não vai diminuir a eficácia”, resumiu.

Repercussão

A doutoranda Laura Braz ficou surpresa com a repercussão nas redes da foto da vacina.

“Estamos isolados em casa, eu e meus pais, todo mundo trabalhando de casa. A vacina era muito aguardada. Meus pais já tomaram as duas doses, a minha foi a primeira, na sexta. Meus pais já tinham tomado [a vacina] no quadril, não foi surpresa nenhuma. Já tinha tomada outras vacinas perto do glúteo. Não estou entendendo a repercussão, é algo totalmente comum”, disse.

Como esperava muito pela vacina, ela quis fazer a foto. “Registrei, não tive constrangimento nenhum. É algo bem comum para mim. Não ia perder. Pessoal tava estranhando ser perto do glúteo. Resolvi postar por brincadeira e saiu do controle. Agora não paro de receber mensagens”, contou.

Ela acredita que repercussão possa trazer algo positivo. “Se servir como incentivo para o pessoal se vacinar, já está bom. Até para o pessoal de Joinville perder a vergonha de postar, não tem nada de mais. Às vezes publicar, pode incentivar as outras pessoas”, resumiu.

Vacinação e Covid-19 em Joinville

Em Joinville, 331.045 pessoas receberam a primeira dose contra a Covid-19, de acordo com dados da manhã desta segunda (23) da Secretaria de Estado da Saúde. Esse número corresponde a 55,39% da população da cidade, que é a maior de Santa Catarina.

Receberam também a segunda dose 136.240 pessoas, o equivalente a 22,8% da população.

Moram em Joinville 597.658, de acordo com estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em Santa Catarina, 4.429.485 receberam a primeira dose, o que corresponde a 61,08% da população. Também receberam a segunda 1.954.140 pessoas, o equivalente a 26,94% da população do estado.

Moram em Santa Catarina 7.252.502 pessoas, conforme estimativa do IBGE.

G1

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

FOTO E VÍDEO: Entenda a situação do Afeganistão após o Talibã assumir o controle de Cabul

Foto: Sayed Khodaiberdi Sadat – 16.ago.2021/Anadolu Agency via Getty Images

O Talibã se aproximou de solidificar o controle do Afeganistão no domingo (15), incluindo a entrada no palácio presidencial em Cabul, horas depois que o ex-presidente Ashraf Ghani fugiu do país.

A situação em rápida evolução causou confusão e preocupação enquanto os Estados Unidos e governos em todo o mundo monitoram o amargo fim de quase duas décadas de guerra.

Aqui está o que você precisa saber sobre o que aconteceu no fim de semana e como chegamos ao estágio atual no país:

Qual a situação no momento?

O palácio presidencial em Cabul agora foi entregue ao Talibã após ter sido desocupado poucas horas antes por funcionários do governo apoiado pelos EUA.

O grupo islâmico reivindicou o palácio com três funcionários do governo afegão presentes, de acordo com a emissora Al Jazeera, que transmitiu os eventos ao vivo.

Um funcionário de segurança do Talibã disse que havia uma “transferência pacífica de instalações do governo em andamento em todo o país”.

Outro falou brevemente em inglês para dizer que havia sido anteriormente detido pelos EUA em Guantánamo, uma alegação que a CNN não pode verificar de forma independente.

O presidente afegão fugiu. Ghani deixou o país no domingo para o Tajiquistão, disseram duas fontes à CNN.

O ministro da defesa interino do Afeganistão, general Bismillah Mohammadi, criticou a fuga do presidente em breve tuíte no domingo, escrevendo: “Eles amarraram nossas mãos nas costas e venderam a pátria, maldito homem rico e sua gangue”.

A embaixada dos EUA foi esvaziada. No início do domingo, duas fontes familiarizadas com a situação disseram à CNN que o plano era retirar todos os funcionários do país da embaixada em Cabul nas próximas 72 horas.

Horas depois, porém, a maior parte do pessoal da embaixada dos EUA foi transferida para o aeroporto de Cabul, de onde embarcaram em voos para fora do país. A bandeira dos EUA não está mais sobre o prédio.

Governos estrangeiros também se movimentaram. O aeroporto se tornou o foco de muita atenção internacional à medida que governos trabalham para retirar seus cidadãos do país.

Após relatos de tiros no aeroporto, a embaixada dos EUA instruiu todos os cidadãos norte-americanos que ainda estavam no país a se abrigarem no local.

“A situação da segurança em Cabul está mudando rapidamente, inclusive no aeroporto”, disse um alerta de segurança. “Há relatos de que o aeroporto pegou fogo; portanto, estamos instruindo os norte-cidadãos americanos a se abrigarem no local.”

Como chegamos a esse ponto?

A retirada das tropas dos Estados Unidos do país abriu caminho para o Talibã enfrentar e derrotar as forças de segurança afegãs.

Muitas das principais cidades caíram com pouca ou nenhuma resistência, incluindo a cidade-chave de Jalalabad, que o grupo assumiu o controle no domingo (15).

Funcionários do governo de Joe Biden admitiram erro de cálculo. A rápida queda das forças nacionais e do governo do Afeganistão foi um choque para o presidente e para membros seniores de sua administração, que há uma semana acreditavam que poderia levar meses até que o governo civil em Cabul caísse.

Agora, as autoridades estão reconhecem abertamente que estão surpresas com o que aconteceu.

“O fato é que vimos que aquela força não foi capaz de defender o país”, disse o secretário de Estado, Antony Blinken, ao “State of the Union”, da CNN, com Jake Tapper, referindo-se às forças de segurança nacional do Afeganistão.

“E isso aconteceu mais rapidamente do que prevíamos.”

Quais os próximos passos?

O país enfrenta agora o retorno do Talibã ao poder, o que, se for como foi nos anos 1990, significaria uma deterioração das liberdades civis, especialmente para mulheres e meninas cujas liberdades foram ampliadas no governo civil.

Grupos terroristas também podem se reconstituir em breve. Em um briefing para senadores na manhã de domingo, o presidente do Estado-Maior Conjunto, general Mark Milley, disse que grupos terroristas como a Al-Qaeda poderiam se reestruturar no Afeganistão antes dos dois anos que as autoridades de defesa haviam estimado anteriormente para o Congresso por causa da recente e rápida tomada do país pelo Talibã, segundo um assessor do Senado que ouviu os comentários.

A situação pode resultar em uma crescente ameaça de terrorismo, justamente quando se aproxima o 20º aniversário do 11 de setembro de 2001, os ataques da Al-Qaeda ao World Trade Center, em Nova York.

Tropas norte-americanas adicionais foram para o Afeganistão. O secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, aprovou no domingo o envio de mais 1.000 soldados ao país, disse um oficial de defesa à CNN, elevando para 6.000 o número de soldados norte-americanos que estarão no país em breve. Sua principal missão é proteger o aeroporto de Cabul.

Os próximos passos ainda estão sendo debatidos. Estão em andamento discussões entre os principais conselheiros da Casa Branca sobre como Biden deve lidar com o agravamento da crise, disseram autoridades no domingo.

Nenhuma decisão final ainda foi tomada sobre se o presidente retornará a Washington de Camp David, o retiro presidencial onde estava de férias.

O Conselho de Segurança da ONU se reunirá nesta segunda-feira (16). O secretário-geral da ONU, António Guterres, deverá informar o Conselho sobre a situação e fazer consultas privadas na sequência.

Em comentários na sexta-feira (13), Guterres pediu ao Talibã que parasse sua ofensiva no Afeganistão e não respondeu diretamente quando questionado sobre o que diria àqueles que sentem que o país foi abandonado pela comunidade internacional.

Espere o escrutínio do Congresso dos EUA. Alguns legisladores já exigem mais informações do governo sobre como sua inteligência pode ter avaliado mal a situação no local, ou por que planos de contingência mais robustos para a retirada de norte-americanos e seus aliados não estavam em vigor.

CNN Brasil

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Entenda como enxaguantes bucais podem ajudar a impedir a infecção e a transmissão do coronavírus

Foto: Freepik.com

Um estudo feito por cientistas de vários países demonstrou que enxaguantes bucais que contêm cloreto de cetilpiridínio podem ser úteis na redução da transmissão e infecção pela Covid-19. O trabalho ainda não foi revisado por pares.

Segundo os pesquisadores, os experimentos in vitro demonstraram que os enxaguantes bucais com cloreto de cetilpiridínio foram capazes de inibir o Sars-CoV-2 em 99,99%, mesmo com a presença de saliva humana, fator que poderia alterar a capacidade antiviral da substância. Os mesmos resultados foram encontrados em testes feitos com as variantes Alfa (B.1.1.7), Beta (B.1.351) e Gama (P.1, a prevalente no Brasil) do coronavírus.

É possível encontrar enxaguantes bucais com cloreto de cetilpiridínio em mercados e farmácias brasileiras.

A boca humana possui uma enzima chamada de ACE2, que funciona como um receptor primário do coronavírus. Por isso, a cavidade oral pode atuar como um grande reservatório de Sars-CoV-2. Estudos mostram que a saliva de pessoas infectadas com o vírus é altamente contaminada, sendo um potencial vetor de transmissão da Covid-19 por meio de gotículas e aerossóis que são expelidas ao falar e tossir.

O uso do enxaguante bucal com cloreto de cetilpiridínio ajudaria a diminuir a quantidade de coronavírus na saliva, reduzindo o risco de contaminação. Além disso, o acúmulo de placas bacterianas na boca devido à má higienização pode provocar uma infecção gengival, que facilita a entrada de diversos vírus, inclusive o Sars-CoV-2. Enxaguantes bucais também contribuem para a diminuição das placas bacterianas.

Várias organizações de saúde aconselharam o uso de enxaguantes bucais durante procedimentos odontológicos como uma medida para inibir a transmissão do coronavírus. Ingredientes bioativos presentes nos enxaguantes, incluindo cloreto de dequalínio, cloreto de benzalcônio, cloreto de cetilpiridínio e clorexidina, inibem os patógenos por atrai-los e quebrarem seu envelope lipídico (capinha de gordura que envolve os vírus).

Efeito ‘neutralizante’ ocorre em 30 segundos

No ensaio, os cientistas deixaram o coronavírus exposto ao enxaguante bucal por 30 segundos. Eles testaram diferentes formulações, incluindo cloreto de cetilpiridínio com sabor, cloreto de cetilpiridínio sem sabor e digluconato de clorexidina com sabor. Como controles positivo e negativo, eles usaram etanol 70% e água, respectivamente.

Os resultados do ensaio revelaram que ambas as formulações de enxaguante bucal contendo cloreto de cetilpiridínio foram capazes de inibir o Sars-CoV-2 em 99,99%. A quantidade de vírus após 30 segundos ficou abaixo do limite de detecção. Isto ocorreu inclusive com as variantes do vírus que foram incluídas na análise. Em contraste, a solução contendo digluconato de clorexidina mostrou eficácia significativamente menor na inibição do coronavírus.

O Globo

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Entenda a faloplastia, cirurgia de aumento do pênis, que ganhou repercussão com procedimento de cantor sertanejo

Foto: Reprodução/Instagram

Tiago, dupla sertaneja de Hugo, se submeteu a uma faloplastia, cirurgia de aumento peniano, na semana passada. Em conversa com o G1, 48 horas após acordar da anestesia geral, o cantor garantiu:

“Foi muito de boa, muito tranquilo. É como se eu não tivesse feito nada. A gente só entende que fez, porque realmente ela traz um resultado visível. É um negócio bem louco.”

“Está muito recente ainda para falar: ‘está tudo certo’. Mas você fala: ‘caramba, é possível mesmo’. Na cabeça dos homens, eu te confesso, acho que ninguém tem essa noção, só quem faz mesmo.” Leia o depoimento completo do cantor mais abaixo.

Mas o que é a faloplastia?

Faloplastia é uma cirurgia que “basicamente consiste no aumento do comprimento do pênis e no aumento de seu diâmetro”, explica o cirurgião plástico Cláudio Eduardo Pereira de Souza, responsável pelo procedimento em Tiago. Como toda cirurgia, o procedimento tem riscos, deve ser feito em ambiente seguro, por um médico com registro profissional ativo e após a realização de exames.

Ao G1, Cláudio explicou que a operação conta com três etapas. Todas acontecem ao longo da mesma cirurgia, que dura cerca de duas horas. São elas:

lipoaspiração na região pubiana com intuito de coleta de gordura;

liberação do ligamento suspensor do pênis para obtenção do ganho do comprimento;

utilização da gordura previamente lipoaspirada para enxertar ao redor do pênis para se ganhar o diâmetro.

Como resultado, o paciente pode obter entre 2 e 5 centímetros no comprimento e em torno de 30% em relação ao diâmetro.

“Cada paciente é um paciente. As medidas de ganho variam. Tudo depende do quanto de pênis o paciente teria embutido, podemos dizer assim”, explica Cláudio.

O cirurgião afirma que o procedimento é indicado para quem tem micropênis e também para quem tem pênis normal, mas o considera pequeno.

“Existem alguns casos de pacientes com pênis grande e que desejam fazer esse tipo de cirurgia. Geralmente são os atores pornôs, que vivem ali daquela imagem do pênis grande. Mas para o público geral, para melhor entendimento, é indicada para aquele paciente acima de 18 anos, com vida sexualmente ativa, e que deseja ter um pênis maior.”

Sobre os riscos, Cláudio afirma que são os de qualquer cirurgia, por isso o paciente passa por uma bateria de exames antes. Segundo o médico, a faloplastia é uma cirurgia de médio porte, por isso “os riscos são bem controlados e são pequenos”. Na sua avaliação, “dificilmente ocorre alguma questão de intercorrência”.

Seguindo determinação do Conselho Federal de Medicina, que proíbe a divulgação de valores, o cirurgião não cita o custo da cirurgia.

Por que fazer a cirurgia?

Dois dias após a cirurgia, Tiago afirmou que só sentia uma leve dor abdominal. O cantor explicou que já retomou algumas atividades – como dirigir e fazer alguns trabalhos musicais.

Mas ele afirmou que, seguindo o protocolo pós-cirúrgico, só deve retomar atividades de esforço físico em trinta dias. E isso inclui relações sexuais. Ao falar sobre o tema, o cantor sertanejo garantiu que isso não influenciou em sua decisão pela faloplastia.

“Eu não fiz pensando nisso, e não fiz por namorada alguma, por alguém. Eu fiz isso por mim, pela minha curiosidade, pelo desejo que eu tive a partir do momento que vi que era possível uma coisa dessas”, explicou.

“Pra mim, Tiago, inicialmente foi de curiosidade, porque eu nunca tive problemas nas minhas intimidades. Mas eu, me conhecendo, falei: ‘Caramba, velho, se tiver essa possibilidade de dar um tapinha aí, acho que ia ser legal. Um golinho a mais, não ia ser ruim, não’.”

Após contar publicamente seus planos para a cirurgia, ele recebeu diversas mensagens de homens que manifestaram o desejo em realizar o procedimento e se abriram sobre seus dramas pessoais. O cantor relembrou até relatos que recebeu sobre problemas conjugais e tentativas de suicídio.

“Quando comecei a conversar sobre isso, percebi que é um problema na vida de muita gente. Tem gente que tira a própria vida por conta disso. Tem homens com depressão. Tem casais que vivem consequências grandiosas, ruins.”

“É um assunto muito sério. Aí fui entender a grandiosidade que é isso.”

Medos da cirurgia

Tiago conta que, apesar de alguns relatos de que poderia perder a sensibilidade na região, não teve medo de que isso acontecesse.

“Essa cirurgia que eu fiz é uma cirurgia que não interfere em nada na sensibilidade, na questão funcional. Você não chega a entrar nesse campo, nesse risco. É uma coisa estética”, explicou.

O único medo de Tiago foi em relação a anestesia geral. “Obviamente eu me concentrei uns 5 minutinhos antes e conversei com Deus para que ajudasse que tudo desse certo e tal, porque anestesia geral a gente sabe que você pode não voltar.”

Com G1

 

Opinião dos leitores

  1. Vixe e tem isso? O meu já é gg Kkkķ
    Aqui tem uns que gosta de embutir pênis dos outros kkkkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Entenda diferença entre doenças como Covid-19, gripe e rinite

Foto: Fábio Vieira – 21.ago.2020 / Estadão Conteúdo

A chegada do frio é motivo de alerta em relação às doenças respiratórias. O espalhamento dos vírus causadores das infecções é favorecido pela queda de temperatura durante o outono e o inverno. Além disso, a mudança no comportamento das pessoas, que passam a ficar mais tempo confinadas em espaços fechados, facilita a transmissão de doenças como a Covid-19, a gripe comum e os resfriados.

O tempo seco prejudica as vias aéreas, dificulta a respiração, causa desconforto e aumenta o número de casos dessas infecções. As doenças respiratórias podem apresentar um conjunto de sintomas muito parecido. Alguns sinais podem ajudar a diferenciar as doenças.

No caso da gripe, os sintomas são mais intensos, duradouros, e a febre é alta, diferentemente dos resfriados, que são mais curtos e com sintomas mais brandos. A rinite provoca espirros em salva, ou seja, são muitos e em sequência, além de acontecer geralmente em crises que podem se repetir após 4 a 6 horas. Já a Covid-19 apresenta quadros bastante variáveis de uma pessoa para outra, quando presentes, a perda do olfato e paladar podem ser duradouras.

Entenda as principais diferenças entre a Covid-19, a gripe comum, o resfriado e a rinite.

Os diferentes sintomas da Covid-19

Causada pelo vírus SARS-CoV-2, a Covid-19 pode provocar uma grande variedade de manifestações clínicas. O Ministério da Saúde classifica os casos em cinco níveis, de acordo com a severidade: assintomáticos, leves, moderados, graves e críticos.

Os casos leves apresentam sintomas como tosse, dor de garganta ou coriza, que podem vir acompanhados ou não de perda do olfato e do paladar, diarreia, dor abdominal, febre, calafrios, dor muscular, fadiga e dor de cabeça.

Já os casos moderados podem incluir, além dos sintomas leves, tosse e febre persistentes e sinais de piora progressiva de outros sintomas relacionados à doença, como cansaço intenso, falta de apetite e diarreia. Nesse estágio, os pacientes podem apresentar pneumonia sem sinais de gravidade.

O desenvolvimento da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) é considerado pelo Ministério da Saúde um caso grave da Covid-19. A SRAG é uma complicação da Síndrome Gripal (SG), que apresenta sintomas como falta de ar ou desconforto respiratório, pressão persistente no tórax e saturação de oxigênio menor que 95% – a queda acentuada da saturação pode indicar redução da oferta de oxigênio no organismo.

Fase mais grave da doença, os casos críticos apresentam sintomas como a sepse (resposta inflamatória que se espalha pelo organismo), desconforto respiratório agudo, insuficiência respiratória ou pneumonia graves. Os pacientes podem precisar de suporte respiratório e internação em unidades de terapia intensiva (UTIs).

Gripe, resfriado e rinite alérgica

A gripe comum é causada por um tipo diferente de vírus, o influenza, que apresenta diversos subtipos, sendo um dos mais conhecidos o A (H1N1), responsável pela pandemia de 2009. Como as epidemias sazonais acontecem em várias regiões do mundo, a doença se espalha predominantemente no inverno.

Os principais sintomas são febre alta, tosse, garganta inflamada, dores de cabeça, no corpo e nas articulações, diminuição do olfato e do paladar, calafrios e fadiga. A duração dos sintomas é de cerca de 5 a 7 dias.

Diferentemente da gripe, os resfriados são causados principalmente pelo rinovírus, também tendo como causa os vírus parainfluenza e o vírus sincicial respiratório. Os sintomas são parecidos com os da gripe, porém mais brandos e com uma duração menor, em torno de 2 a 4 dias.

Os primeiros sinais podem ser coceira no nariz e irritação na garganta, seguidos de tosse, congestão nasal, coriza, dor no corpo e dor de garganta leve. Nesses casos, a febre é menos comum e pode acontecer em temperaturas baixas.

A rinite é a inflamação da mucosa nasal, podendo acontecer nas formas aguda, crônica, infecciosa e alérgica. Os casos agudos, em sua maioria, são causados por vírus.

Os casos crônicos e recorrentes geralmente são fruto da rinite alérgica, aquela relacionada à exposição a substâncias que provocam a reação alérgica no indivíduo – sendo as mais comuns os ácaros presentes na poeira, pólen, fungos, urina e saliva de animais como cães e gatos.

Os sintomas mais comuns são inchaço da mucosa com obstrução nasal, coriza, espirros seguidos e coceira no nariz, garganta e nos olhos.

Cuidado e tratamento

Em geral, os cuidados com as doenças respiratórias envolvem repouso e ingestão de líquidos. O tratamento disponível é direcionado ao alívio dos sintomas, incluindo medicamentos analgésicos e antitérmicos, que aliviam a dor e a febre.

Em relação à gripe especificamente, em alguns casos, pode ser indicada sob prescrição médica a utilização de medicamentos antivirais, como o oseltamivir.

Para a Covid-19, não existem medicamentos específicos comprovados cientificamente para a prevenção da doença. A vacinação é uma das melhores formas de proteção tanto para a Covid-19 como para a gripe.

Risco maior tem relação com o comportamento no frio

A microbiologista Natalia Pasternak explica que o comportamento das pessoas durante o frio é o fator decisivo para o aumento na transmissão das doenças respiratórias. “O frio é uma época em que as pessoas se aglomeram mais, ficam menos ao ar livre e mais tempo em locais fechados. Além de utilizar mais transporte público do que caminhadas ao ar livre, provocando aglomerações em ônibus e metrô, que favorecem a propagação de qualquer vírus respiratório”, comenta.

Segundo a pesquisadora, o ressecamento das mucosas nasais aumenta a sensibilidade e torna mais propícia a entrada de vírus respiratórios no organismo. No entanto, ela ressalta que, em relação ao novo coronavírus, não foram observadas diferenças significativas na transmissão quando comparados os períodos de frio e calor.

“No caso do coronavírus, assim como no da gripe, a aglomeração é o fator mais impactante para a transmissão. Vimos uma diferença pequena no aumento de casos no inverno em diferentes locais do mundo. Infelizmente, é um vírus que se espalha muito bem no verão também. Passamos pelo período de mais calor no Brasil e estamos no pico da doença, com o maior índice do número de casos, de hospitalizações e de mortes”, destaca Natalia.

A microbiologista enfatiza que os cuidados devem ser reforçados e que as medidas de proteção são comuns para a maior parte das doenças respiratórias. “É preciso manter o distanciamento físico e social, evitar aglomerações, principalmente em locais fechados e sem ventilação, como bares e restaurantes. Devemos aproveitar o fato de que o Brasil não tenha um inverno rigoroso, que impeça a circulação em espaços abertos, e continuar priorizando atividades ao ar livre, como caminhadas”, orienta.

Quando procurar o serviço de saúde?

O infectologista da Fiocruz Pernambuco e professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Paulo Sergio Ramos de Araújo explica que a semelhança entre os sintomas das diferentes doenças respiratórias torna difícil o diagnóstico da Covid-19. O pesquisador recomenda que, diante do aparecimento de sintomas, as pessoas busquem atendimento médico para esclarecimento.

“Na presença de qualquer sintoma relacionado às vias aéreas, como coriza, tosse, dor de garganta, febre, de forma isolada ou associada, o indivíduo deve buscar atendimento médico ou serviço de atenção básica da saúde, para receber orientações sobre a necessidade de testagem para a Covid-19 e prosseguir com as medidas de isolamento, caso seja indicado”, afirma.

Segundo Araújo, a testagem é fundamental para a redução no número de novos casos. “Quanto mais diagnósticos fizermos e quanto mais isolarmos as pessoas infectadas, melhores as chances de controle da pandemia até que consigamos vacinar um percentual de pelo menos 80% da população”, analisa.

CNN Brasil

 

Opinião dos leitores

  1. Essa CNN é uma PRAGA COMUNISTA! 24 horas sacaneando o Governo Bolsonaro! E dizer que NÃO existe tratamento precoce pra evitar o quadro da Covid piorar, aí é um CRIME!!!

  2. Pq não dizem que na nova cepa P1 os sintomas são diferentes? Espirros, dor de cabeça e garganta arranhando.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Instagram testa nova função de contagem de curtidas; entenda

Foto: Reprodução/Alessandro Paluzzi

O Instagram está testando uma nova forma de ocultar o número de curtidas das publicações. A rede social pode permitir que o usuário decida se quer esconder as curtidas das publicações ou se prefere mostrar os números nos posts. A descoberta foi feita pelo desenvolvedor mobile italiano Alessandro Paluzzi, que publicou as imagens do experimento no Twitter nesta quarta-feira (13). Vale lembrar que a plataforma deixou de mostrar esses dados no Brasil em 2019.

Segundo as imagens reveladas pelo desenvolvedor, seria possível ocultar ou exibir a quantidade de curtidas em fotos e vídeos específicos já publicados no feed do usuário. Para isso, basta apenas acessar as configurações do post. Também seria permitido determinar que um novo post não mostre a contagem, por meio da seção de “configurações avançadas” durante a criação da publicação. Sendo assim, a nova postagem já seria publicada sem mostrar os números.

Globo, via Techtudo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Segurança

VÍDEO: Entenda o que muda nas regras do WhatsApp e por que isso é controverso

A notícia viralizou e gerou reação em todo mundo – incluindo do homem mais rico do mundo, Elon Musk: o WhatsApp vai compartilhar seus dados com o Facebook, que é seu dono. E não aceita não como resposta.

Mas será que é isso mesmo? E o que significa? Neste vídeo, o repórter Ricardo Senra explica o que de fato ocorreu e mostra que, na verdade, esse compartilhamento já existe há muito tempo e para muita gente.

BBC

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Entenda por que a Indonésia vacinará contra o coronavírus primeiro a população ativa e não os idosos

Foto: Thomas Peter – 24.set.2019/Reuters

A Indonésia se prepara para iniciar a vacinação em massa contra o novo coronavírus e seu plano é priorizar a imunização de adultos em idade produtiva em relação aos idosos, com o objetivo de alcançar a imunidade de rebanho rapidamente e recuperar a economia do país.

Vários países como Estados Unidos e o Reino Unido, que já iniciaram a vacinação, estão priorizando os idosos, que são mais vulneráveis às doenças respiratórias. Por isso, o plano da Indonésia será observado de perto por muitas nações.

Veja o que especialistas dizem sobre os méritos e riscos da abordagem da Indonésia, segundo a qual os adultos em idade produtiva serão vacinados após os trabalhadores de saúde e funcionários públicos da linha de frente no combate à pandemia.

Por que focar em pessoas com 18 a 59 anos primeiro?

A Indonésia, que planeja iniciar inoculações em massa com a Coronavac – vacina desenvolvida pela chinesa Sinovac Biotech e testada no Brasil pelo Instituto Butantan –, diz que ainda não tem dados suficientes sobre a eficácia da vacina em idosos, já que os testes clínicos em andamento no país envolvem pessoas de 18 a 59 anos.

“Não estamos contrariando a tendência”, disse Siti Nadia Tarmizi, uma autoridade sênior do ministério da Saúde do país, acrescentando que as autoridades aguardariam recomendações dos reguladores de medicamentos indonésios para decidir sobre os planos de vacinação para idosos.

Enquanto o Reino Unido e os Estados Unidos começaram a vacinação com o imunizante desenvolvido pela Pfizer e seu parceiro BioNTech que mostrou que funciona bem em pessoas de todas as idades, a Indonésia tem acesso até agora apenas à vacina da Sinovac.

O país do Sudeste Asiático tem acordo para receber 125,5 milhões de doses da Coronavac e um primeiro lote de 3 milhões de doses já está no país.

O envio da vacina da Pfizer para o país deve começar a partir do terceiro trimestre, enquanto a vacina desenvolvida pela AstraZeneca e pela Universidade de Oxford começará a ser distribuída no segundo trimestre.

“Não acho que alguém possa ser muito dogmático sobre qual é a abordagem certa”, disse Peter Collignon, professor de doenças infecciosas da Australian National University, acrescentando que a estratégia da Indonésia pode retardar a propagação da doença, embora possa não afetar os dados de mortalidade.

“A Indonésia fazer diferente dos EUA e da Europa tem valor, porque nos dirá se veremos um efeito maior na Indonésia do que na Europa ou nos EUA, por causa da estratégia que eles estão fazendo”, completou.

O professor Dale Fisher, da Escola de Medicina Yong Loo Lin da Universidade Nacional de Cingapura, disse entender a lógica da abordagem da Indonésia.

“Os adultos jovens que trabalham são geralmente mais ativos, mais sociais e viajam mais, então essa estratégia deve diminuir a transmissão na comunidade mais rápido do que vacinar indivíduos mais velhos”, disse ele.

“É claro que as pessoas mais velhas correm mais risco de doenças graves e de morrer, portanto, vaciná-las tem uma justificativa alternativa. Vejo mérito em ambas as estratégias.”

Essa estratégia ajudará a alcançar a imunidade de rebanho mais rápido?

Ao vacinar grupos socialmente e economicamente mais ativos primeiro, os funcionários do governo indonésio esperam que o país possa alcançar rapidamente a imunidade coletiva.

Budi Gunadi Sadikin, ministro da Saúde da Indonésia, disse que o país precisa vacinar 181,5 milhões de pessoas, ou cerca de 67% de sua população, para atingir a imunidade coletiva.

Ele também afirmou que são necessárias quase 427 milhões de doses de vacinas, assumindo um regime de imunização em duas doses e 15% de taxa de desperdício.

Alguns especialistas estão céticos sobre como alcançar a imunidade coletiva, pois mais pesquisas precisam ser feitas para determinar se as pessoas vacinadas podem transmitir o vírus ou não.

“Pode haver o risco de as pessoas ainda serem capazes de espalhar a doença para outras”, disse Hasbullah Thabrany, chefe da Associação Econômica de Saúde da Indonésia.

Esse plano ajudará na recuperação econômica da Indonésia?

Economistas argumentaram que um programa de vacinação bem-sucedido, cobrindo cerca de 100 milhões de pessoas, ajudará a impulsionar a economia, pois é mais provável que elas retomem atividades econômicas, como gastos e produção.

Faisal Rachman, economista do Banco Mandiri, disse que a faixa etária de 18 a 59 anos tem necessidades de consumo maiores do que os outros grupos.

“Eles poderiam acelerar a recuperação econômica mais rapidamente porque o consumo das famílias contribui com mais de 50% para a economia da Indonésia”, disse ele, alertando que o aumento dos casos de Covid-19 no país também pode reduzir a confiança das pessoas.

A pandemia empurrou a Indonésia, a maior economia do Sudeste Asiático, para sua primeira recessão em mais de duas décadas no ano passado, com o governo estimando uma contração de até 2,2%.

CNN Brasil

 

Opinião dos leitores

  1. É um pior do que o outro. É imbecis demais. E os da terra plana? E os que usam um smartphone pra contestar a ciência? Kkkkkkkkkk, melhor rir da ignorância.

  2. E agora José!? O que diz a ciência, e a cambada da OMS o que vão falar, ou esse bando de idiotas não tem coragem, falam mal e se metem no Brasil porque tem uma emprensa que quanto pior melhor, afinal as tetas do recursos públicos secou.

    1. Não adianta te expor a opinião da ciência ou da OMS porque você simplesmente não entenderá. É tempo perdido explicar aos inimigos da ciência o que é óbvio. Estamos mesmo vivendo a era do empoderamento dos imbecis.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Entenda como funciona a apuração da eleição americana

Foto: Mark Makela / AFP

A eleição americana não é uma eleição nacional, mas um conjunto de eleições estaduais. Por isso, os americanos acompanham a apuração estado por estado, numa verdadeira corrida para ver qual dos dois candidatos soma primeiro os 270 votos necessários para vencer no Colégio Eleitoral.

Como os estados têm prazos diferentes para proclamar, após a contagem de todos os votos, quem venceu localmente — e portanto como seus delegados votarão no Colégio Eleitoral —, são os principais veículos de comunicação americanos que tentam antecipar os resultados de cada uma das 50 unidades da federação ainda na noite da eleição. A partir dos números da apuração, eles fazem projeções e podem declarar um vencedor em determinado estado quando avaliam que tendência verificada na contagem dos votos é irreversível.

Ou seja, o que aparece na tela da TV ou do computador para quem acompanha a apuração na noite da eleição não são os resultados oficiais, mas essas projeções. O Colégio Eleitoral em si só vai se reunir neste ano em 14 de dezembro, quando se espera que as autoridades de cada estado já tenham proclamado um vencedor localmente.

Nos estados em que a eleição é muito apertada — e especialmente neste ano em que já há mais de 61 milhões de votos enviados pelo correio, parte dos quais pode chegar depois desta terça — esse método informal de apuração pode dar margem a erros e mal-entendidos.

Neste ano, o Twitter, por exemplo, informou que vai se basear nas projeções feitas por sete meios de comunicação: ABC News, Associated Press, CNN, CBS News, Decision Desk HQ, Fox News e NBC News. Caso algum outro veículo anuncie o resultado antes destes, o tuíte virá com um alerta.

Comentaristas e âncoras da Fox News, rede de TV conservadora e incluída na lista, vêm dizendo nos últimos dias que o resultado será muito mais apertado do que mostram as pesquisas, o que pode criar uma sensação de insegurança ainda maior. Além disso, o presidente Donald Trump lançou suspeitas sobre a lisura do voto postal e já afirmou que vai pôr advogados em campo para contestar a contagem de cédulas que chegarem após o encerramento da votação.

Nos estados que começaram a contagem dos votos antecipados antes desta terça-feira, como a Flórida e o Arizona, há maior probabilidade de haver a previsão de um vencedor ainda na noite de hoje e madrugada de amanhã. Em outros estados-chave, como Pensilvânia e Wisconsin, a apuração pode demorar bem mais, já que a contagem de todos os votos só começa hoje à noite.

Muitos especialistas alertam que seria arriscado tirar conclusões de resultados iniciais nos estados em que a disputa entre Trump e seu rival democrata Joe Biden estiver muito apertada, porque a tendência pode mudar no meio da apuração. Eleitores de Trump, por exemplo, se dizem mais propensos a votar presencialmente, e estes votos são contados mais rapidamente do que os enviados pelo correio.

As urnas começam a fechar às 20h desta terça (horário no Brasil) quando Geórgia, Indiana, Kentucky, Carolina do Sul, Vermont e Virgínia iniciam oficialmente a contagem. Depois, às 20h30, vêm Carolina do Norte, Ohio e Virgínia Ocidental. Todos esses estados devem apresentar os resultados rapidamente.

A apuração começa a esquentar às 21h, quando fecham as urnas em Alabama, Connecticut, Delaware, Washington DC, Flórida, Illinois, Maine, Maryland, Massachusetts, Mississippi, Missouri, New Hampshire, Nova Jersey, Oklahoma, Pensilvânia, Rhode Island, Dakota do Sul e Tennessee.

Nesse grupo estão dois estados decisivos: Flórida e Pensilvânia. Se Biden não vencer na Flórida nem surpreender em algum estado de tradição republicana, como a Geórgia ou o Texas, o pleito deverá ser decidido na Pensilvânia, onde se espera uma apuração lenta.

O Globo

 

Opinião dos leitores

  1. E os inventores da Internet, do GPS, criadores do Windows, do Google não usam urna eletrônica, porque será?

    1. Porque Maria Fofoca? Ele é presidente do Brasil, o presidente dos Estados Unidos não tem nada a ver conosco, se você soubesse geografia não rincharia tanto.

    2. É inocência ou Burrice? Quando se trata de EUA, qualque decisão ou resultado tem capacidade de impactar na economia e geopolítica mundial, ou vc acha que a bolsa disparou pq os economistas estão com tédio? Se tanto faz para o Brasil o resultado o que justifica tamanho temor do governo com uma possível Vitória do Biden.

  2. Deu agora na Fox que o Galegão do topete, vai ganhar disparado. Hô Galegão arroxado e duro é o Véio Donald Trump.
    É Véio duro lá e cá, a esquerda caviar e soberba piram com os dos Véios duros e arroxados.

    1. Concordo com a frase: "burrice não tem limite". Até que ponto chega alguns seres humanos desprezíveis! Quanta ignorância, quanta debialidade mental, quanta falta de caráter e inteligência. Esse mundo está repleto de "lixo humano".

    2. O que causa espanto e indignação é ver o grau de intolerância, o ódio a quém pensa diferente que esses esquerdopatas destilam. Vejam o nível dos comentários dessa gente. O cara desfiou um monte de impropérios sem qualquer fundamento contra o Calígula, apenas por divergir da sua postagem. Essa gente é doente, fanática. Pessoas muito perigosas.

    3. Intolerância e ódio são adjetivos que impregnam, hoje, tanto a esquerda como a direita, ñ se faça de inocente e desentendido. Para mim, tanto faz, e trocar tolete por bosta.

    4. Pelos termos que usa, dá prá saber qual é o seu "lado". Seu comentário apenas reforça minha convicção sobre o tipo de gente que compõe a "esquerdalha": gente perigosa e imprópria para o convívio civilizado. Impossível dialogar com tais tipos.

    5. Direita honesta, impressionante como vcs são binários e limitados. Para vcs só existem dois mundos, os que apoiam Bolsonaro, ou os que apoiam Lula. Desculpe me dizer, mas nem todo mundo é bitolado e vive nesse mundo em que se limita a direita e a esquerda.

    6. "gente perigosa e imprópria para o convívio civilizado. Impossível dialogar com tais tipos." Certeiro, se estiver falando de si mesmo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Entenda como se espalha a nova variante do coronavírus

Profissional de saúde cuida de paciente com Covid-19 em hospital de Liège, na Bélgica. Foto: Yves Herman/R|euters

O estudo liderado por Emma Hodcrof, geneticista da Universidade de Basileia (Suíça), mostra como uma variante do coronavírus, identificada pelo acrônimo 20A.EU1, está se espalhando com a seguna onda da Covid-19 na Europa. Nos últimos dois meses, a nova cepa representou cerca de 90% das novas infecções na Espanha, por exempço, de acordo com a pesquisa realizada por sete pesquisadores com o apoio de instituições científicas do setor público suíço e espanhol.

A nova cepa é responsável por 40% a 70% dos novos casos na Suíça, Irlanda e Reino Unido em setembro. Também é prevalente na Noruega, Letônia, Holanda e França. Os cientistas não falaram sobre outros países europeus porque poucas sequências genéticas recentes estão disponíveis.

O estudo, que ainda não foi publicado em periódico revisado por pares, sugere que pessoas que voltaram de férias na Espanha desempenharam um papel fundamental na transmissão do vírus pela Europa. Essa é uma possibilidade que levanta indagações sobre se a segunda onda que está varrendo o continente poderia ter sido reduzida com uma melhor triagem em aeroportos e outros centros de transporte.

— A partir da disseminação da 20A.EU1, parece claro que as medidas (de prevenção contra o coronavírus) em vigor muitas vezes não eram suficientes para interromper a transmissão das variantes introduzidas neste verão — afirmou Emma Hodcroft.

Cada variante do vírus tem sua própria assinatura genética, por isso ela pode ser rastreada até o local de origem. As equipes científicas na Suíça e na Espanha estão examinando o comportamento da nova cepa para determinar se ela pode ser mais letal ou infecciosa do que outras. Mas nenhuma conclusão sobre o tema foi publicada no estudo.

Evolução natural

De acordo com o jornal britânico, Emma Hodcroft enfatizou que não há “nenhuma evidência de que a propagação (rápida) da variante se deva a uma mutação que aumente a transmissão ou impacte o resultado clínico”. Mas ressaltou que a 20A.EU1 era diferente de qualquer versão do Sars-Cov-2 que ela havia encontrado antes. Os cientistas observaram seis diferenças na nova cepa em relação às demais.

— Não vi nenhuma variante com esse tipo de dinâmica desde que comecei a observar sequências genômicas de coronavírus na Europa — disse Hodcroft ao Financial Times.

Os cientistas estão trabalhando com laboratórios de virologia para descobrir se a 20A.EU1 carrega uma mutação específica na proteína spike (espícula), que o vírus usa para entrar nas células humanas, capaz de alterar seu comportamento.

As mutações são mudanças nas “letras” do código genético do vírus, que podem se agrupar em novas variantes e cepas. Já havia sido identificada uma mutação no Sars-Cov-2, chamada D614G, que cientistas acreditam tornar o vírus mais infeccioso.

— Precisamos de mais estudos para encontrar mutações que atingiram alta frequência na população e, em seguida, fazer a engenharia reversa para ver se elas tornam o vírus mais transmissível — disse ao jornal britânico Joseph Fauver, epidemiologista genético da Universidade de Yale que não esteve envolvido na pesquisa.

Para Maurício Lacerda, professor da virologia da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, não há motivos para se preocupar com a descoberta:

— Isso não é nada mais do que a evolução natural de uma epidemia viral. Os vírus são os que mais sofrem mutações, principalmente os de RNA, como os coronavírus.

Para os especialistas, a falta ou a má implementação de medidas de controle provoca muito mais impacto na propagação do vírus do que a genética do microrganismo.

— A Europa está pagando um preço alto pela liberação das fronteiras durante o verão europeu. Nós do Brasil devemos aprender com a experiência da Europa, pois o nosso verão está chegando — alerta Lacerda.

Extra – O Globo

Opinião dos leitores

  1. Próximo ao Carnaval vão dizer que tá tudo bem. Aí depois da festa de momo restringe tudo novamente.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Covid persistente: saiba quem está mais propenso a sofrer com o problema

Depois de ter ficado doente em março, Vicky Bourne ainda apresenta alguns sintomas em outubro. Foto: Vicky Bourne /BBC NEWS BRASIL

A idade avançada e uma ampla gama de sintomas iniciais aumentam o risco da chamada “covid prolongada”, segundo cientistas.

Estudo do King’s College London, no Reino Unido, estima que uma em cada 20 pessoas fique doente por pelo menos oito semanas. A pesquisa mostra que ser do sexo feminino, ter excesso de peso e a asma aumentam o risco.

O objetivo dos pesquisadores é desenvolver um sinal de alerta que possa identificar os pacientes que precisam de cuidados extras.

As descobertas vêm de uma análise de pessoas que inserem seus sintomas e resultados de testes no aplicativo britânico Covid Symptom Study. Os dados do aplicativo são compartilhados diariamente com pesquisadores do King’s College London e do serviço público de saúde do Reino Unido, NHS.

Cientistas analisaram os dados em busca de padrões que pudessem prever quem teria uma doença de longa duração.

Os resultados, que devem ser publicados online, mostram que por muito tempo a covid persistente pode afetar qualquer pessoa, mas algumas características aumentam os riscos.

O que aumenta o risco?

“Ter mais de cinco sintomas diferentes na primeira semana foi um dos principais fatores de risco identificados”, explicou Claire Steves, do King’s College London, à BBC News.

Covid-19 é mais do que apenas uma tosse, e o vírus que a causa pode afetar órgãos por todo o corpo.

Uma pessoa que teve tosse, fadiga, dor de cabeça e diarreia e perdeu o olfato (que são todos sintomas potenciais) correria maior risco do que alguém que teve apenas tosse.

O risco também aumenta com a idade, especialmente acima dos 50 anos, assim como ser do sexo feminino.

“Vimos nos primeiros dados que os homens correm muito mais risco de doenças muito graves e, infelizmente, de morrer por covid, e parece que as mulheres correm mais risco de ter covid persistente”, diz Steves.

Nenhuma condição pré-existente foi associada à covid persistente, exceto asma e doenças pulmonares.

Como é a covid persistente?

Os sintomas precisos da covid prolongada variam de um paciente para outro, mas a fadiga é comum.

Vicky Bourne, de 48 anos, começou com febre e uma “tosse patética” em março, que se tornou “absolutamente apavorante” quando ela teve dificuldade para respirar e precisou receber oxigênio por um paramédico.

Ela não foi internada no hospital, mas ainda está (em outubro) vivendo com covid persistente.

A saúde de Vicky está melhorando, mas sua visão mudou e ela ainda tem “ondas” de doenças mais graves. Até uma tarefa como levar o cachorro para passear exige tanto dela que ela não consegue falar ao mesmo tempo.

“Minhas juntas estão estranhas, quase artríticas e, estranhamente, duas semanas atrás perdi o paladar e o olfato novamente, simplesmente desapareceram completamente”, disse à BBC. “É quase como se houvesse uma inflamação em meu corpo que fica oscilando e não consegue se livrar dela, então simplesmente surge e depois vai, aí volta e vai embora…”

Vicky não está sozinha. O estudo traz as seguintes estimativas:

Uma em cada sete pessoas fica doente por pelo menos quatro semanas Uma em cada 20 pessoas fica doente por pelo menos oito semanas Uma em cada 45 pessoas fica doente por pelo menos 12 semanas

Os pesquisadores do King’s College London criaram um código de computador para identificar, desde o início de uma infecção por coronavírus, quem está sob risco da covid prolongada.

Ele não é perfeito — identifica corretamente 69% das pessoas que desenvolverão covid persistente, mas também consegue apontar que cerca de um quarto das pessoas que se recuperariam rapidamente também desenvolverão covid persistente.

“Achamos que isso será muito importante, porque então poderíamos identificar essas pessoas, talvez dar-lhes estratégias preventivas, mas também, crucialmente, acompanhá-las e garantir que recebam a reabilitação de que precisam”, disse Steves.

O professor Tim Spector, que lidera o Covid Symptom Study, disse: “É importante que, além de nos preocuparmos com o excesso de mortes, também levemos em consideração aqueles que serão afetados pela covid persistente se não controlarmos a pandemia logo.”

O secretário de saúde britânico Matt Hancock disse que os achados do estudo de sintomas da covid são um alerta inclusive para os mais jovens.

“Os resultados do Covid Symptom Study são claros e devem ser um lembrete forte para o público, inclusive para os jovens, de que a covid-19 é indiscriminada e pode ter efeitos de longo prazo e potencialmente devastadores.”

O governo britânico lançou um novo vídeo com o objetivo de aumentar a conscientização sobre os sintomas prolongados da covid. E o NHS, sistema público de saúde, anunciou um pacote de 10 milhões de libras (R$ 73 milhões) para tratamento de covid prolongada na Inglaterra.

BBC Brasil

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trânsito

Entenda o que vai mudar no Código de Trânsito Brasileiro

Foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press

A Câmara aprovou, nessa terça-feira, o projeto de lei nº 3267/19, que altera diversos pontos do Código de Trânsito Brasileiro, apresentado ao Congresso pessoalmente pelo presidente Jair Bolsonaro em novembro do ano passado. Após receber o aval dos deputados, que incluíram no texto oito das 12 emendas sugeridas pelo Senado, o PL está pronto, agora, para a sanção presidencial. As novas regras começarão a valer 180 dias após serem publicadas no Diário Oficial da União (DOU).

Uma das principais mudanças na legislação é o aumento da validade da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), que passa a ser de 10 anos para condutores com até 50 anos de idade. Atualmente, é preciso refazer os exames a cada cinco anos. A renovação a cada três, hoje obrigatória para motoristas acima de 65 anos, passa a ser exigida apenas a quem tem mais de 70. Para pessoas entre 50 e 70 anos, a exigência é a cada cinco anos.

O texto também diminui o nível de exigência para suspensão da CNH. Quando as medidas entrarem em vigor, ficará mais difícil suspender a carteira de um motorista. Bolsonaro queria uma flexibilização ainda maior. Ao apresentar o projeto, propôs que a carteira só pudesse ser cassada se o motorista tivesse 40 pontos acumulados em multas; e não 20, como é hoje. O texto final aumenta o limite para 40 pontos, mas apenas se o motorista não tiver nenhuma infração gravíssima registrada nos últimos 12 meses.

O Congresso definiu uma cobrança gradativa: se o condutor tiver apenas uma infração gravíssima, a carteira será suspensa quando completar 30 pontos. Se tiver duas ou mais infrações desse tipo, bastará ter 20 pontos. Motoristas profissionais só terão a carteira suspensa com 40 pontos, independentemente da gravidade da infração. Outra mudança prevista no texto é a possibilidade de converter uma multa leve ou média em advertência, caso o condutor não tenha cometido outra infração nos últimos 12 meses.

Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas considerou a aprovação “um grande avanço para a sociedade”. “As mudanças são decorrentes da necessidade de atualização na legislação, que amanhã (hoje) completará 23 anos. São medidas com caráter educativo e menos punitivo, que irão contribuir para a redução de acidentes e mortes no trânsito”, disse em nota enviada à imprensa.

Pena de reclusão

Uma das oito emendas do Senado incluídas pelo relator na Câmara, deputado Juscelino Filho (DEM-MA), proíbe que a pena de reclusão seja substituída por penas alternativas no caso de morte ou lesão corporal provocada por motorista bêbado ou sob efeito de drogas. No parecer, o relator classifica essa mudança como “a mais importante aprovada pelo Senado”.

A inclusão desse ponto na lei é necessária para garantir a pena de reclusão. Isso porque o Código Penal permite a conversão da pena em caso de crime culposo, como é classificado o homicídio de trânsito, para penas alternativas, como cumprimento de serviços comunitários. O PL assegura que a pena a motoristas embriagados ou sob efeito de drogas será de reclusão.

O Código Penal prevê cinco a oito anos de reclusão, no caso de morte, e dois a cinco anos, se o ato resultar em lesão corporal grave ou gravíssima. “Esperamos que a mudança possa, de fato, representar um avanço no sentido de punir aqueles que insistem nessa postura e provocam acidentes de trânsito ao sentar-se ao volante de um veículo e dirigir sob o efeito de álcool ou drogas”, diz Juscelino Filho, no parecer.

O texto também garante a obrigatoriedade do uso de cadeirinhas nos carros por crianças de até 10 anos ou que ainda não atingiram 1,45 metro de altura, em vez de sete anos e meio, idade proposta no texto original. Além disso, uma das emendas inclui a obrigação de que a cadeirinha seja adequada ao peso e à altura da criança. Os parlamentares rejeitaram a tentativa do governo de suavizar a punição para quem deixasse de usar o dispositivo e mantiveram a pena de multa, por infração gravíssima, nesses casos. O projeto original previa apenas advertência por escrito.

Principais mudanças no CTB

Aumento do número de pontos para suspensão, por multas, da CNH

Obrigatoriedade do uso de cadeirinha para transportar crianças de até 10 anos ou que ainda não atingiram 1,45m de altura

Regras para a circulação de motocicletas entre os veículos quando o trânsito estiver parado ou lento

Pena de reclusão não pode ser substituída por outra em casos de lesão corporal e homicídio causados por motorista embriagado

Exigência de exames de aptidão física e mental por médicos e psicólogos peritos examinadores

Validade da CNH

O projeto muda o prazo para refazer os exames:

10 anos para condutores com menos de 50 anos

5 anos para condutores com idade igual ou superior a 50 anos e inferior a 70 anos

3 anos para condutores com 70 anos ou mais.

Suspensão da CNH

A carteira será recolhida se, no prazo de 12 meses, o motorista tiver multas que somam:

40 pontos, para quem não tiver infração gravíssima

30 pontos, para quem possuir uma gravíssima

20 pontos, para quem tiver duas ou mais infrações do tipo

Correio Braziliense

 

Opinião dos leitores

  1. Não entendi. Me expliquem. Meu Neto de 10 anos é da minha altura, ele vai precisar usar cadeirinha? Porque diz: Obrigatoriedade do uso de cadeirinha para transportar crianças de até 10 anos ou que ainda não atingiram 1,45m de altura. E se ela com 8/9 tiver atingido 1,45m pode andar sem cadeirinha? Nao entendi. Quem entende da lei me ajude.kkkkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Entenda a descoberta que pode indicar sinal de vida em Vênus

Imagem: buradaki/Getty Images/iStockphoto

Os indícios de que possa haver algum tipo de vida em Vênus vieram de um composto químico bem específico: a fosfina. Composta de fósforo e três hidrogênios, a molécula foi encontrada cerca de 50 km acima do solo de Vênus, uma região bastante diferente do ambiente extremamente hostil do planeta.

Isso levou um time internacional de astrônomos a anunciar a detecção de evidências de que pode haver vida fora da Terra. O estudo foi publicado na revista Nature Astronomy e divulgado em uma transmissão da Royal Astronomical Society no YouTube, apontando para uma possível atividade microbiana na atmosfera de Vênus.

Mas calma, a impressionante descoberta não significa que vamos ter que aprender uma língua extraterrestre para nos comunicar. O local em que ela foi encontrada, contudo, pode abrigar algum tipo de vida.

“Essa zona onde a fosfina foi encontrada é uma de temperatura baixa, em torno de 50º C. É mais fácil pensar que um organismo vivo sobreviveria a essa condição. Até temos seres que vivem em altas temperatura e pressão (na Terra), mas tão alto (como em Vênus), é muito complicado. As condições na superfície são bastante extremas”, explica Diana Paula Andrade, astroquímica e professora do Observatório do Valongo.

Quais organismos produzem a fosfina?

A superfície de Vênus e bastante acidentada, com temperaturas beirando os 470º C, alta concentração de dióxido de carbono (97%), nuvens de ácido sulfúrico, chuva ácida e ventos de até 724 km/h. Quais seres vivos seriam capazes de sobreviver a tais condições?

“Os organismos que estariam lá (em Vênus) seriam os chamados organismos extremófilos, ou seja, capazes de lidar com ambientes extremos. São bactérias, fungos e arqueias, organismos que encontramos nos mais variados ambientes extremos na Terra”, sugere Douglas Galante, astrobiólogo e pesquisador do Cnpem (Centro Nacional de Pesquisa em Energias e Materiais).

Na Terra, condições tão extremas como Vênus podem ser encontradas em ambientes como do fundo dos oceanos até o alto da estratosfera, como explica Galante. “Encontramos organismos extremófilos também no reator de Chernobyl ou ainda nos desertos”, lembra.

Contudo, Galante ressalta que não quer dizer que esse mesmo organismo que vive no deserto terrestre vai viver na superfície de Vênus, mas que “é possível que tenham uma estrutura muito parecida”.

Pão e vinho

A fosfina é um hidreto de fósforo, ou seja, uma molécula composta de três fósforos e hidrogênio. Sua formação se dá, segundo Andrade, a partir de seres bióticos, que não precisam do oxigênio para viver. Ela também pode ser formada a partir da natureza por seres abióticos – ou seja, pode ser uma versão que não precisa de vida para isso.

Cientistas apontam que na Terra a fosfina é produzida em regiões com ausência de oxigênio como pântanos, lama e matéria orgânica em degradação. “A formação da fosfina ainda está sendo estudada. Uma coisa que sabemos com certeza é que microorganismos anaeróbicos a metabolizam na ausência de oxigênio”, aponta Galante.

Encontrar organismos que produzem a fosfina não é tão complicado assim em nosso planeta. De acordo com Douglas Galante, podemos encontrá-los em um alimento que consumimos quase que diariamente: o pão.

“Existe uma levedura, a mesma que faz a fermentação do pão ou do açúcar para produzir álcool, que produz fosfina dentro do vinho, capaz de azedar e estragar a bebida. São microorganismos que metabolizam na ausência de oxigênio”, explica o astrobiólogo.

Importância para estudos

Sendo assim, mesmo que a Nasa (agência espacial norte-americana) decida enviar uma sonda para Vênus, provavelmente não vamos encontrar um alienígena como os dos filmes dando um tchau para a câmera. Contudo, a descoberta divulgada hoje não é em vão e deve desencadear uma série de estudos.

“Certamente não veremos um alienígena como no imaginário popular. Mas, mesmo que fossem apenas microorganismos, seria muito empolgante encontrar vida fora da Terra. Esse trabalho não mostra com certeza que existe vida, mas mostra que a fosfina está lá e que ainda não conhecemos nenhuma explicação para essa fosfina em Vênus que não seja pela vida”, ressalta Galante.

A professora do Observatório do Valongo é ainda mais cautelosa. Ela relembra outras descobertas parecidas e que causaram alvoroço na comunidade científica.

“Estou um pouco pessimista em relação a essa coisa, acho um pouco sensacionalista. Pode ser vida microbiótica, mas pode não ser. Pode existir uma outra explicação que os cientistas ainda não descobriram. Isso já aconteceu outras vezes, como no caso de Titã (satélite de Saturno). A presença de fosfina na atmosfera do planeta vizinho não é, necessariamente, sinal de vida”, encerra.

UOL

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Cidadãos brasileiros continuam proibidos de viajar aos Estados Unidos; entenda

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Após o governo dos Estados Unidos anunciar a suspensão das restrições de voos oriundos do Brasil e de outros países, a embaixada norte-americana esclareceu, em nota publicada ontem (12), que seguem mantidas as exigências anteriores para quem deseja entrar no país.

Na prática, só podem embarcar em um voo para os EUA cidadãos do próprio país, residentes permanentes legais (portadores de green card), familiares imediatos de cidadãos norte-americanos e residentes permanentes legais e categorias específicas. Cidadãos brasileiros que não se enquadrem nas exceções continuam tendo entrada vedada em território estadunidense.

“O comunicado do CDC [Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA] e a publicação do DHS [Departamento de Segurança Nacional dos EUA] não alteram quem é permitido entrar nos Estados Unidos sob proclamação presidencial. As novas medidas serão implementadas no dia 14 de setembro de 2020 e incluirão, entre elas, a interrupção de triagem de saúde aos que chegam de certos países, incluindo o Brasil. O CDC continua recomendando que os viajantes internacionais entrem em quarentena por 14 dias quando viajam de áreas de alto risco”, diz nota da Embaixada dos EUA no Brasil.

Restrições de voo suspensas

Ontem (12), o governo dos EUA anunciou a suspensão da restrição dos voos saídos do Brasil, da China (excluindo as regiões administrativas de Hong Kong e Macau), Irã, região Schengen da Europa, Reino Unido (excluindo territórios estrangeiros fora da Europa) e Irlanda do Norte. A região Schengen da Europa é composta por Alemanha, Áustria, Bélgica, República Checa, Dinamarca, Estônia, Grécia, Espanha, França, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Liechtenstein, Hungria, Malta, Países Baixos, Polônia, Portugal, Eslovênia, Eslováquia, Finlândia, Islândia, Noruega, Suécia e Suíça.

A medida entra em vigor a partir desta segunda-feira (14).

Agência Brasil

Opinião dos leitores

    1. Já sei que seu sonho de viagem é ir para
      Venezuela, Cuba ou Coréia do Norte.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *