Diversos

Em três meses, Corpo de Bombeiros atendeu 133 ocorrências no RN envolvendo quedas de árvores; Natal a maioria

FOTO: CBM/ASSECOM

De janeiro a março de 2021, o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio Grande do Norte (CBMRN) atendeu 133 ocorrências envolvendo árvores em todo o RN. Para esse tipo de atendimento, os militares são acionados para vistoriar as mais antigas, cortar aquelas com risco de desabar e remover as que já haviam caído.

Durante o período chuvoso a quantidade de ocorrências de árvores que oferecem algum risco de cair sobre as casas, nas instalações elétricas ou nas ruas aumentam significativamente, o que requer um cuidado redobrado da população. Por isso, ao constatar que uma árvore pode cair, a pessoa deve imediatamente acionar o Corpo de Bombeiros Militar, por meio do 193. “O mais indicado a ser feito, com a chegada do inverno, é a poda (remover galhos inúteis), pois ela se faz necessária para evitar incidentes. O objetivo principal das podas é evitar os riscos de queda das árvores. A poda é um serviço essencial para que as árvores possam se desenvolver no ambiente urbano”, disse o Major Daniel Farias, comandante do 1° Grupamento de Incêndio.

Ainda de acordo com ele, é preciso que a população entenda que o CBMRN só atende ocorrências em que realmente a árvore ofereça um perigo iminente para a sociedade. Caso contrário a prefeitura municipal deve ser acionada. “Se a árvore já estiver caída, obstruindo vias e causando riscos a integridade física de pessoas, os bombeiros eliminam o risco, ficando, nos dois casos, a responsabilidade da limpeza do local pelo órgão municipal competente. Já nos casos em que envolva energia elétrica, também é necessário a presença da empresa de fornecimento elétrico”, completou.

Dados do primeiro trimestre de 2021 por unidades

Natal – 109

Pau dos Ferros – 13

Mossoró – 10

Caicó – 1

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

A incrível descoberta de centenas de milhões de árvores no deserto do Saara; entenda o que significa e a importância

O Saara e o Sahel têm muito mais árvores do que se pensava — Foto: Martin Brandt/BBC

Quando se pensa no Saara, o maior deserto não polar do mundo, muitas vezes se imagina uma gigantesca planície de areia que parece se estender até o infinito.

Mas um novo estudo mostra que o Saara esconde algo inesperado: centenas de milhões de árvores.

Não agrupadas em uma floresta, mas árvores solitárias.

Um grupo internacional de pesquisadores conseguiu contar essas árvores uma a uma em uma área de 1,3 milhão de quilômetros quadrados no noroeste da África.

A região, que atravessa países como Argélia, Mauritânia, Senegal e Mali, inclui partes do Saara Ocidental e também o Sahel, o cinturão de savana tropical semiárida ao sul do deserto.

O trabalho, publicado na revista “Nature”, concluiu que há “um número inesperadamente grande de árvores” nesta área.

Mais especificamente, cerca de 1,8 bilhão foram registradas, um número muito maior do que o esperado.

O principal autor do estudo, Martin Brandt, da Universidade de Copenhagen, na Dinamarca, disse à BBC News Mundo que embora “a maioria esteja no Sahel, existem centenas de milhões no próprio Saara”.

Neste mapa, é possível ver o número de árvores por hectare na área estudada — Foto: Martin Brandt/BBC

“Há em média uma árvore por hectare no hiperárido Saara. Não parece muito, mas acho que é mais do que se poderia imaginar”, disse ele.

Além disso, ele esclareceu que a área pesquisada representa apenas 20% do Saara e do Sahel, “então a contagem total de árvores é muito maior”.

Como foi a contagem

O grupo de cientistas, que incluiu especialistas da Nasa (agência espacial americana), do Centro Nacional de Pesquisa Científica (CNRS) da França e do Centro de Monitoramento Ecológico de Dakar, no Senegal, entre outros, fez o trabalho acessando imagens de satélites de alta resolução normalmente reservadas para uso militar ou industrial.

Eles usaram mais de 11 mil imagens da região, registradas por quatro satélites da empresa privada Digital Globe, que pertence à Agência Nacional de Inteligência dos Estados Unidos, que faz parte do Departamento de Defesa do país.

Para encontrar as árvores, eles usaram um tipo de inteligência artificial conhecido como aprendizado profundo, no qual um computador é ensinado a fazer algo. Nesse caso, a identificar árvores.

Para não confundir uma árvore com um arbusto, os especialistas decidiram contar apenas as copas com área superior a três metros quadrados.

Brandt disse à BBC Mundo como treinou o sistema para identificar árvores com precisão.

“Eu cataloguei manualmente a área da copa de quase 90 mil árvores”, observou ele.

“Eu registrei muitas porque o nível de detalhe nas imagens é muito alto e as árvores não parecem iguais, e queríamos uma medida relativamente precisa das áreas de suas copas”, explicou.

Os pesquisadores também usaram o Google Maps para verificar a presença de árvores em áreas povoadas da área estudada — Foto: Compton Tucker/BBC

O trabalho mostrou que, em média, as copas tinham cerca de 12 m².

Os pesquisadores estimaram que, se as árvores com copas menores que 3 m² ou arbustos menores forem incluídas, a vegetação total nesta área desértica seria 20% maior.

O que isso significa

Brandt observou que essa descoberta traz pouco alento quando se considera o enorme problema do desmatamento que tanto preocupa os ecologistas e que foi agravado nos últimos anos por grandes incêndios florestais em lugares como Grécia, Austrália, Estados Unidos e América do Sul.

“Árvores em zonas áridas sempre estiveram lá. Saber seu número e localização é importante, mas não é equivalente ao plantio de novas árvores”, disse ele.

Ele também explicou que as árvores no deserto desempenham um papel menor do que as árvores nas selvas e florestas na absorção de dióxido de carbono da atmosfera.

No entanto, ele enfatizou que, em áreas semiáridas e subúmidas, elas “são um considerável consumidor de carbono”.

Além disso, ele destacou a importância dessas árvores para as pessoas que vivem nessas regiões.

“Elas são fundamentais para a subsistência, fertilizam o solo, proporcionam maior produtividade e fornecem sombra e abrigo para humanos e animais. Geram renda e são fundamentais para a nutrição”, afirmou.

Os especialistas acreditam que o sistema de rastreamento pode servir como base para encontrar árvores em outros ecossistemas.

No entanto, eles alertam que ainda não existem condições para contar todas as árvores do planeta.

“Devemos criar modelos mais robustos que possam ser usados ​​em uma variedade de diferentes sistemas de satélite com diferentes resoluções espaciais”, disse Brandt.

“Além disso, se for aplicado a florestas, muitas vezes é difícil identificar árvores individuais. Se é difícil para nossos olhos, também será difícil para o modelo.”

G1, via BBC

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Com 57 ocorrências na Grande Natal nos últimos 50 dias, Corpo de Bombeiros orienta sobre quedas de árvores durante o período chuvoso

Foto: CBM/Assecom

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio Grande do Norte (CBMRN) já atendeu em toda Grande Natal 57 ocorrências relacionadas a árvores somente nos últimos 50 dias. Diariamente, o CBMRN é acionado para vistoriar as mais antigas, cortar aquelas com risco de desabar e remover as que já haviam caído.

Durante o período chuvoso a quantidade de ocorrências de árvores que oferecem algum risco de cair sobre as casas ou nas ruas aumentam significativamente, o que requer um cuidado redobrado da população. Por isso, ao constatar que uma árvore pode cair, a pessoa deve imediatamente acionar o Corpo de Bombeiros através do 193.

“Para se ter uma árvore saudável é preciso cuidar, cortar e hidratar. A recomendação é que antes da época de chuvas a poda (remover galhos inúteis) seja feita, pois ela se faz necessária para evitar incidentes. A poda é um serviço importantíssimo para que as árvores possam se desenvolver no ambiente urbano sem causar riscos para a população”, disse o Comandante do GBS (Grupamento de Busca e Salvamento) do CBMRN, major Roberto Oliveira.

Além disso, é preciso que a população entenda que a corporação só atende ocorrências em que realmente a árvore ofereça um perigo iminente. Caso contrário a prefeitura municipal deve ser acionada.

DADOS DE JANEIRO ATÉ O DIA 20 DE MAIO

149 atendimentos realizados em toda Grande Natal.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Segurança

Bombeiros alertam para risco de quedas de árvores diante de chuvas, e destacam 59 ocorrências diversas nos primeiros 40 dias deste ano em Natal e região

Foto: Divulgação

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio Grande do Norte (CBMRN) já atendeu 59 ocorrências relacionadas a árvores somente nos primeiros 40 dias deste ano em Natal e região metropolitana. Os militares são acionados para vistoriar as mais antigas, cortar aquelas com risco de desabar e remover as que já haviam caído.

Segundo o Corpo de Bombeiros, é nessa época do ano que aumenta consideravelmente a quantidade de ocorrências de árvores que oferecem algum risco de cair sobre as casas ou nas ruas, o que requer um cuidado redobrado. Por isso, ao constatar que uma árvore pode cair, a pessoa deve de forma imediata acionar a corporação através do 193.

“O mais indicado a ser feito, com a chegada do inverno, é a poda (remover galhos inúteis), pois ela se faz necessária para evitar incidentes. O objetivo principal das podas é evitar os riscos de queda das árvores. A poda é um serviço essencial para que as árvores possam se desenvolver no ambiente urbano”, disse o capitão Rafael Barreto, comandante da Sessão Independente de Defesa Ambiental (SIDAM).

Ainda segundo o capitão, é preciso que a população entenda que o CBMRN só atende ocorrências em que realmente a árvore ofereça um perigo iminente para a sociedade. Caso contrário a prefeitura municipal deve ser acionada. “Se a árvore já estiver caída, obstruindo vias e causando riscos a integridade física de pessoas, os bombeiros eliminam o risco, ficando, nos dois casos, a responsabilidade da limpeza do local pelo órgão municipal competente. Já nos casos em que envolva energia elétrica, também é necessário a presença da empresa de fornecimento elétrico”, finalizou.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trânsito

Avenida Câmara Cascudo e Largo Junqueira Aires em Natal serão interditados nesta quinta para poda de árvores

Foto: Arquivo

A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur) executará nesta quinta-feira (30), a poda sustentável das árvores localizadas na Av. Câmara Cascudo e no Largo Junqueira Aires, em Cidade Alta. A ação faz parte do cronograma de manejo arbóreo do órgão e conta com o apoio da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU). A expectativa é que o trabalho seja concluído no mesmo dia.

A poda será realizada das 5h às 15h. Para garantir a seguridade dos pedestres e motoristas que trafegam no local, além de evitar interferir o mínimo possível no trânsito no local, uma equipe da STTU irá interditar o trânsito, além de orientar os cidadãos que precisarem trafegar pela área.

Opinião dos leitores

  1. Parabéns ao competente Secretário Adjunto de Operações, Josenildo. Uma das poucas reservas morais da semsur. Uma pena que é tão desprestigiado na secretaria. Mas, continue não fazendo parte de "panelinha". Assim, bomba não vai explodir na sua mão.

  2. E aquilo é avenida? Aquele beco histórico da Cidade alta é Rua Câmara Cascudo. Se for confirmada como avenida, só em Natal mesmo. Sei não,viu?

  3. E aquilo é avenida? Aquele beco histórico da Cidade alta, é Rua Câmara Cascudo. Me desculpem, mas, avenida deste tamanho e largura, se for confirmada, só em Natal mesmo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

FOTO: Protesto contra derrubada de árvores na Capitão Mor Gouveia

 

Canindé SoaresFoto: Canindé Soares

Manifestantes contrários à derrubada das árvores na Avenida Capitão Mor Gouveia realizam um protesto desde o início da manhã desta quinta-feira (2) em frente à rodoviária de Natal, no bairro de Cidade da Esperança.

O grupo vem distribuindo mudas de árvores aos motoristas que passam pelo local e pretende também ficar em frente ao Ceasa até o fim do dia.

Para o andamento das obras de mobilidade urbana no local, a Secretaria de Obras Públicas de Natal (Semopi) garante que para árvore derrubada serão replantadas três, num total de 570 árvores replantadas.

Opinião dos leitores

  1. Essa derrubada de arvores nao significa nada, diante do que estava antes projetado para esse mesmo espaço. alguem lembra que a adminsitraçao anterior queria desapropriar as casas, ou seja, queria derrubar as pessoas que moram nesse trecho? Essa soluçao para derrubar as arvores significa que a troca foi muito mais inteligente … ao inves de retirar as pessoas para poder alargar a avenida, retirar o canteiro central e as árvores que estao instaladas nelas.
    Afinal de contas, essas arvores nao sao exemplares de arvores em perigo de extinçao … E as pessoas poderaro continuar morando no mesmo lugar de sempre.
    Feliz Ano Novo.!!!

  2. Sabemos que o corte destas árvores são para diminuir o fluxo de ambulantes, ,pastoradores de carros e flanelinhas que buscam na sombra delas o seu descanso do trabalho, sem contar os cheira colas, mendigos e traficantes que é comum no local, e é uma visão que a prefeitura não quer passar ao turistas que irão visitar nossa cidade para os jogos da copa

  3. Junte a desocupção com a falta de senso que ridículo que dá nessa chanchada. São os chamados ecochatos.

  4. Meia dúzia de gatos pingados trazendo transtornos a população, todos sabem que aquelas arvores alí plantadas são impróprias para o local, suas raízes são extensas e elevam o asfalto, transformando a via em verdadeiro tobongã.
    É só exigir que sejam plantadas em outros locais próximos, outras mudas em número equivalente ou superior.
    Um pouquinho de bom senso não faz mal a ninguém.

    1. Nunca mais reclame do calor de Natal e jamais ouse usufruir da sombra de uma árvore. Afinal, vc e esses natalenses de mente pequena gostam mesmo é de asfalto… E viva nossa selva de pedra, o transporte individual e as obras condenadas à tornaram-se obsoletas em poucos anos

    2. Sugiro ao DCB (que pensa que é um não natalense de mente grande) que vá morar no Amazonas. Lá ele encontrará um motivo real para preservar árvores que valem a pena serem preservadas. E não meras algarobas, que só danificam o asfalto.

    3. Caro RJP, quer dizer que apenas as árvores da Amazônia devem ser preservadas? As árvores da Mata Atlântica não são importantes? Nem seus benefícios para a cidade? Ok, continuemos construindo pistas. Quer quantos anos para esse projeto da Mor Gouveia tornar-se inútil? Sugiro que o senhor vá morar em outra cidade; tens mais amor por seu carro do que por Natal.

  5. Essa história de replantarem o triplo de árvores derrubadas não convence a ninguém!!! Foi essa desculpa q deram quando fizeram a reforma na Av, Berbardo Vieira, derrubando centenas de árvores; pergunta se hj plantaram alguma muda de árvore lá? Um verdadeiro crime ambiental e nada até hj foi feito!!! Agora chegou a vez da Av. Capitão-Mor Gouveia, e aposto q ficará do mesmo jeito, caso cortem as árvores que ainda restam por lá!!!

  6. Meu deus! Distribuir ávores tudo bem, agora ser contra quando a prefeitura diz q serão replantadas tres para cada derrubada já é terrorismo!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Site de buscas planta árvores a cada 6 mil pesquisas

Inspirado no Google, a Greenvana criou o projeto “Clicou, plantou”, com o site Greengle. A ideia é fazer com que os altos números de buscas na internet sejam convertidos em árvores. A cada 6 mil buscas, uma muda é plantada. Um marcador na página inicial mostra o quanto falta para a próxima árvore.

Segundo o projeto, “se 5% da população brasileira usasse diariamente o Greengle para suas pesquisas na internet mais de 600 mil árvores seriam plantadas todos os anos, o equivalente a521 campos do Maracanã”. O site utiliza a ferramenta Google Pesquisa Personalizada. “Os resultados das pesquisas do Greengle são os mesmos que os do Google, ou seja, você tem a mesma qualidade na sua busca”.

As árvores são plantadas por instituições como o Instituto Ipê, o Projeto Mata Ciliar e a Iniciativa Verde. “Ao final de cada mês vamos divulgar qual será a instituição escolhida para plantar as árvores e asseguramos que sempre será selecionada uma organização confiável e comprometida com o meio ambiente”. É possível acessar os comprovantes dos plantios.

Fonte: Super Interessante

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

558 árvores podem cair e causar acidentes em Natal e cidades vizinhas

Corpo de Bombeiros do RN (CBMN) fez um levantamento e registrou que 564 árvores no estado têm risco iminente de cair causando acidentes.

558 dessas árvores estão Região Metropolitana de Natal, 20 no Oeste, 12 no Seridó e 4 no Alto Oeste.

Em janeiro 2012, já foram registrados 38 acidentes desta natureza na Grande Natal.

A última ocorrência, acontecida na manhã da última sexta-feira (3), por volta das 8h, uma árvore localizada no canteiro central da avenida Rodrigues Alves, no bairro Tirol, em Natal, caiu e atingiu três carros que estavam estacionados e feriu uma pessoa. Segundo do Corpo de Bombeiros, a queda foi conseqüência da idade da arvore, que estava velha e apresentava rachaduras no tronco.

Os veículos envolvidos no acidente foram um Corsa Classic, uma caminhonete modelo Tucson e um Fiat Uno da empresa Cabo Telecom. O impacto da queda feriu ainda o funcionário da Cabo, que estava dentro do carro no momento em que o tronco caiu. A vítima sofreu um corte na cabeça socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clima

Acidentes em tempestades ou temporais causados por quedas de árvores. A responsabilidade é do Estado:

Consultor Jurídico:

Quem teve seu carro ou casa danificada pela queda de árvores, provocadas pelo temporal e rajadas de ventos que chegaram a 68 km na última terça-feira (7/6), na capital paulista e em várias cidades do Estado, pode reclamar o ressarcimento dos prejuízos causados. Se não obtiver sucesso na negociação, a chance de vitória na Justiça é grande.

A jurisprudência do Tribunal de Justiça de São Paulo é quase pacífica no sentido da responsabilidade subjetiva do poder público (estado e municípios) e do dever deste indenizar pelos prejuízos. Este ano, mais de uma dezena de decisões da corte paulista confirmaram condenações aplicadas contra a Administração em primeira instância por conta de acidentes com a queda de árvores provocadas por chuvas e vendavais.

Só na última terça-feira, o temporal que caiu derrubou mais de 260 árvores na capital paulista. De acordo com o Corpo de Bombeiros, das 18h50 às 22h30, 225 árvores caíram por causa da chuva e das fortes ventanias. Da meia-noite até o início da manhã da quarta-feira foram registradas mais 41 quedas. Uma pessoa morreu, na esquina da alameda Glete com a avenida Rio Branco, no centro da Cidades. A morte foi provocada por uma árvore que caiu.

Outros temporais
Márcio Alexandre ganhou o direito de receber R$ 15 mil da concessionária Rodovias Integradas do Oeste. No ano passado, durante um temporal, uma árvore caiu em cima de seu carro, enquanto ele dirigia o veículo na rodovia Castelo Branco, na altura do município de Botucatu. A 3ª Câmara de Direito Público entendeu que a concessionária de serviço público foi negligente ao manter a árvore em área de risco. (mais…)

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *