Estudo sugere risco ao reduzir 10 dias de quarentena para infectados

FOTO: ALISSA ECKERT, MS; DAN HIGGINS, MAM/CDC/REUTERS

Resultados de uma pesquisa conduzida no Instituto de Medicina Tropical da Universidade de São Paulo (IMT-USP) sugerem que pode ser arriscado reduzir de 14 para dez dias o tempo de quarentena indicado para casos leves e moderados de COVID-19, como recomendou em outubro o Centro de Controle de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos.

No estudo, apoiado pela FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), os pesquisadores do IMT-USP trabalharam com 29 amostras de secreção nasofaríngea de pacientes com diagnóstico confirmado por teste de RT-PCR. O material foi coletado em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) de Araraquara no décimo dia após o início dos sintomas e, em laboratório, inoculado em culturas de células.

Em 25% dos casos, o vírus presente nas amostras se mostrou capaz de infectar as células e de se replicar in vitro. Em teoria, portanto, pessoas que tivessem contato com gotículas de saliva expelidas por 25% desses pacientes no período em que o material foi coletado ainda poderiam ser contaminadas. Os dados completos da pesquisa foram divulgados na plataforma medRxiv, em artigo ainda sem revisão por pares.

“Recomenda-se que os infectados com sintomas leves permaneçam totalmente isolados em casa, sem contato com ninguém, durante todo o período de quarentena. E há uma grande pressão para reduzir o tempo de isolamento – tanto por fatores econômicos como psicológicos. Mas, se o objetivo da quarentena é mitigar o risco de transmissão do vírus, 25% [de pacientes com vírus viável] é uma proporção muito alta”, avalia Camila Romano, coordenadora da investigação.

Como explica a pesquisadora, a quarentena de 14 dias foi estabelecida ainda no início da pandemia com base no tempo médio que leva, após o início dos sintomas, para o SARS-CoV-2 deixar de ser detectado no teste de RT-PCR. Em geral, esses primeiros estudos foram feitos com indivíduos com doença moderada ou grave, que precisaram ser hospitalizados.

“Partiu-se do princípio de que quando a carga viral é tão baixa a ponto de ser indetectável nesse tipo de exame – considerado padrão-ouro para o diagnóstico da COVID-19 – o risco de transmissão torna-se muito pequeno. Naquela época nem sequer havia testes suficientes para diagnosticar todos os casos suspeitos e menos ainda para liberar os pacientes com sintomas leves da quarentena. Então estabeleceu-se como padrão o período de 14 dias para infectados não hospitalizados”, explica Romano.

Estudos posteriores mostraram ser possível detectar o RNA viral nas vias respiratórias pelo teste de RT-PCR por um período até superior a 14 dias. Contudo, segundo esses mesmos trabalhos, após o oitavo ou nono dia de sintomas dificilmente se conseguia isolar em pacientes com quadros leves ou moderados o vírus ainda viável, ou seja, com a capacidade de se replicar em células.

Desse modo, em meados de 2020, o CDC passou a rever as recomendações referentes ao período de quarentena. Para pessoas expostas ao SARS-CoV-2 sem diagnóstico confirmado por teste molecular, estipulou-se que um isolamento de dez dias seria suficiente para reduzir o risco de transmissão para 1%. Para casos confirmados com sintomas leves ou moderados, o isolamento poderia ser interrompido dez dias após o início dos sintomas, considerando a resolução da febre por pelo menos 24 horas. Este período, entretanto, deveria ser estendido em caso de COVID-19 grave, em pacientes com algum tipo de comprometimento imunológico ou caso o infectado ainda estivesse manifestando sintomas.

“No Brasil, a regra ainda é a quarentena de 14 dias, embora alguns municípios estejam cogitando reduzir para dez dias. Em países como a Suíça, infectados com sintomas leves são liberados do isolamento após sete dias apenas”, conta Romano à Agência FAPESP. “À medida que mais estudos vêm sendo feitos em populações diferentes e com metodologias mais sensíveis, percebemos que ainda é muito cedo para ‘bater o martelo’ sobre o tempo ideal de quarentena. Estamos vendo países sendo atingidos por novas ondas da doença e cada vez menos o isolamento de 14 dias é seguido. É importante levar em conta os dados mais recentes ao repensar políticas de isolamento”, defende a pesquisadora.

Metodologia

O estudo descrito no artigo é parte de um projeto ainda em andamento, cujo objetivo é avaliar a transmissão domiciliar do SARS-CoV-2 na cidade de Araraquara. A cidade decretou lockdown no dia 15 de fevereiro, depois que foi detectada em pacientes locais a nova variante brasileira do vírus, conhecida como P1.

Graças a uma parceria com os gestores municipais, os pesquisadores do IMT-USP conseguiram contatar pacientes com sintomas leves que tiveram o diagnóstico de COVID-19 confirmado por RT-PCR em uma UBS local e não foram hospitalizados.

Foram convidadas para participar 53 pessoas com idades entre 17 e 60 anos que testaram positivo no décimo dia de sintomas. Somente 29 das 53 amostras coletadas continham material suficiente e bem conservado e puderam ser utilizadas nos experimentos.

Em um laboratório com nível 3 de biossegurança (NB3) sediado no IMT-USP, as amostras selecionadas foram incubadas com linhagens de células Vero – originárias de rim de macaco –, modelo mais usado em estudos sobre coronavírus.

“O experimento consiste em oferecer para o vírus um ambiente adequado para ele se replicar. Inoculamos a secreção nasofaríngea coletada dos pacientes nas culturas celulares e acompanhamos durante quatro ou cinco dias”, conta Romano.

Esse intervalo, segundo a pesquisadora, é suficiente para observar se o contato com o vírus provoca um efeito citopático, ou seja, se as células em cultura começam a morrer. A variação da carga viral nas linhagens foi quantificada pela mesma técnica de RT-PCR usada no diagnóstico.

Em 25% dos casos avaliados observou-se um efeito citopático significativo, acompanhado de aumento na carga viral.

“Claro que um experimento feito em laboratório não reproduz com perfeição o que ocorre na natureza. Mas nossos resultados são um indício de que pode haver partículas virais viáveis nas secreções de pacientes no décimo dia de sintomas”, afirma Romano.

Atualmente, o grupo realiza novos ensaios com o objetivo de descobrir como varia, em um mesmo paciente, a dinâmica do risco de transmissão. Amostras estão sendo coletadas diariamente, entre o nono e o 14o dia de sintomas. Esse material será inoculado em culturas celulares para ver em que medida a proporção de amostras com vírus viável diminui com o passar dos dias.

Segundo Romano, os resultados obtidos até agora reforçam a importância de manter a quarentena de 14 dias. “O isolamento, de modo geral, precisa ser intensificado neste momento. Caso contrário, o avanço lento da vacinação exercerá uma pressão seletiva sobre o vírus e favorecerá a emergência de variantes resistentes. Diminuir o isolamento neste momento é extremamente perigoso”, alerta.

O artigo Discontinuation of isolation for persons with COVID-19: Is 10 days really safe? pode ser lido em: www.medrxiv.org/content/10.1101/2021.01.29.21250753v1.full.pdf.

R7, via Agência Fapesp

Por falta de seringa, Japão pode desperdiçar milhões de doses de vacina da Pfizer

Foto: KAZUHIRO NOGI / AFP

Milhões de pessoas no Japão podem ficar sem vacina contra a Covid-19 porque o país comprou 144 milhões de doses da vacina Pfizer — o suficiente para 72 milhões de pessoas — mas não tem a sergina correta para a aplicação, segundo reportagem do Guardian.

As seringas padrão em uso no Japão não conseguem extrair a sexta dose de cada frasco fabricado pela farmacêutica norte-americana, segundo a ministra da Saúde, Norihisa Tamura.

Fatam seringas de baixo “espaço morto”, ou seja, que têm êmbolos estreitos capazes de puxar qualquer sobra de vacina, revela o jornal britânico. Sem elas, os vacinadores japoneses terão que usar seringas padrão que extraem apenas cinco doses por frasco. Dessa forma, além do despedício, haveria vacina suficiente para 60 milhões de pessoas. O Japão tem, aproximadamente, 127 milhões de habitantes.

“As seringas usadas no Japão podem tirar apenas cinco doses. Usaremos todas as seringas que temos que podem tirar seis doses, mas, é claro, não será suficiente à medida que mais injeções forem administradas”, disse Tamura, de acordo com a agência de notícias Kyod.

O governo japonês solicitou aos fabricantes de equipamentos médicos que aumentem a produção das seringas especializadas. Outros países que usam a vacina da Pfizer, como Estados Unidos e alguns da União Europeia, também relataram escassez desse tipo de material, o que significa que provavelmente haverá uma forte competição para garantir suprimentos adicionais rapidamente.

Segundo o Guardian, um funcionário do ministério da saúde japonês informou a uma agência de notícias local que: “quando o contrato foi feito, não tínhamos certeza de que um frasco poderia ser usado para seis doses. Não podemos negar que demoramos para confirmar isso”.

O Japão vai iniciar seu programa de vacinação contra a Covid-19 no dia 17 de fevereiro, alguns meses depois de várias nações desenvolvidas.

Os primeiros a serem vacinados serão entre 10 mil e 20 mil profissionais de saúde da linha de frente, seguidos por outros 3,7 milhões de trabalhadores de saúde a partir de meados de março. A imunização de 36 milhões de pessoas com 65 anos ou mais só deve começar no início de abril.

A Pfizer enviou, neste sábado, pedido de registro definitivo de sua vacina contra a Covid-19 no Brasil à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Caso a agência dê o aval à empresa, o imunizante, que a farmacêutica desenvolve com a alemã BioNTech, poderá ser distribuído amplamente e comercializado no país.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gustavo Sá disse:

    Mentira! Simples assim!

  2. Manoel F disse:

    Meus amigos se o problema do governo do MINTOmaníaco inepto fosse faltar seringa… Se lá no Japão talvez faltem seringas aqui quase não tínhamos nem vacina!

  3. Santos disse:

    Bolsomaristas são engraçados pra caramba.
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Mari disse:

      E vitoriosos!!!!

    • Manoel F disse:

      Kkkkkk. Virou partida de futebol? Cada qual escolhe seu político corrupto de estimação e torce até morrer ? Quando um time vence os outros tiram sarro? A que ponto o brasileiro chegou : ter político de estimação ! Logo no Brasil !

  4. Gustavo mafra disse:

    No Japão, primeiro mundo, pode.
    Se fosse no Brasil o presidente estaria sendo esculhampado pela esquerda maldita.

  5. Neto disse:

    Já pode começar a botar a culpa em Bolsonaro.

  6. Brasil disse:

    Irão dizer que é culpa do Bolsonaro

VÍDEO: Ivermectina reduz em 78% risco de morte por covid, destaca a Associação Médica do RN, ao apresentar resultados de diversos estudos

Em coletiva realiza nessa terça-feira(09), a Associação Médica do Rio Grande do Norte (AMRN) voltou a defender o uso da Ivermectina no tratamento profilático e precoce contra a Covid-19. A entidade apresentou os resultados de diversos estudos que referendam a medida(Assista vídeo acima a partir de 14 minutos e 30 segundos de vídeo). De acordo com os números apresentados, 265 cientistas estão trabalhando em 37 ensaios clínicos utilizando o fármaco. Ao todo, 10.509 pacientes participaram desses cenários, que apontaram benefícios e comprovaram a eficiência da droga, reduzindo em 78% o risco de morte nos grupos que utilizaram o medicamento. Os trabalhos que são revisados, atualizados e divulgados diariamente, podem ser acompanhados pelo site: www.c19study.com.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. ney sales disse:

    Infelizmente o loby das indústrias farmacêuticas é imenso e o dinheiro envolvido nas compras da vacina compra qualquer mídia ou "especialistas" para ocultar isso e, pior, difamar esses estudo. Com certeza não veremos essa apresentação em nenhuma grande mídia e ainda veremos matérias sobre estudos dizendo o contrário. O dinheiro vale mais do que a vida!

  2. Pedro Rodrigues disse:

    O bom é que o Brasil é o único país do mundo a usar ivermectina e cloroquina, e tem o 2o maior numero de mortes do mundo. Imagine se não tivesse eficácia!

    Uma coisa que essa pandemia mostrou, que muito médico mesmo no Brasil é mais fraco que caldo de bila.

  3. Glinaldo Clementino disse:

    Dr. Albert foi muito feliz em promover o tratamento precose inclusive incluindo Ivermectina, fomos beneficiados!
    Vi muita gente morrendo por não fazer o tratamento!

  4. E. costa disse:

    Se o mundo descobre isso, tudo tá resolvido.
    Deve ser Suassuna, A. Dickson e Cia….Kkkk
    Tem o povo mandando sonda para Marte e não descobriram isso!?
    Pense num povo sério!!

  5. CIÇO disse:

    Albert Dickson tem mérito sim pq foi dos poucos parlamentares médicos que teve a coragem de defender o tratamento precoce publicamente, mas o mérito do tratamento e pioneirismo é do Professor Doutor pesquisador Fernando Suassuna !

  6. Santos disse:

    Deve ser por isso que nunca se vendeu tanta Ivermectina, e que coincidentemente, os números de covid nos últimos dias obtiveram patamares iguais do início da pandemia.
    A diferença é que nos primeiros meses de 2020 a ivermectina era usado apenas pra tratamento de piolho.

  7. João Dantas disse:

    Parabéns Dr. Albert que desde do início estudou e defendeu. Suas lives salvaram muitas vidas.

  8. Lurdes disse:

    Meus parabéns aos médicos salvadores de vidas aqui no RN.
    Bravo !!!bravo !!bravo!!!

  9. Marcia disse:

    Parabéns Dr Albert dikson e Dr Carla dikson,os grandes incentivadores para o uso da ivermectina e a associação médica do rn

  10. Lucianobrito disse:

    Apareçam os negacionista que são contra o tratamento precoce. Os fica em casa desapareceram. Bolsonaro tem razão.

  11. Flávio disse:

    Parabéns aos Médicos que tem a sensatez, sensibilidade e conhecimento em prescrever e oportunizar aos seus pacientes um tratamento diante de uma situação emergencial, vcs fizeram e fazem a diferença entre tantos profissionais. Invés de choro e tristeza vcs nós deram esperança e alegrias. Olhem para seus jalecos e se orgulhem pela profissão que vcs abraçaram.
    Aos Médicos que apenas acreditam na ciência, e negaram aos seus pacientes a oportunidade de tratamento, resta a vcs o julguamento de suas consciências e as mortalhas dos mortos.

  12. Calígula disse:

    Parabéns Dr. Albert Dickson.

  13. Calígula disse:

    A pessoa que manda você acreditar na ciência é a que nega os cromossomos XX e XY.

  14. Silva disse:

    Vai ganhar o prêmio Nobel. Kkkkkkklkkkkk

  15. Orjane disse:

    Faz 5 meses que o Dr Albert Dickson abraçou essa causa e graças Deus os resultados estão em evidência

  16. Jessica Xavier disse:

    Feliz em ver o comprometimento desses profissionais da saúde com a população. Parabéns Dr. Albert Dickson e Dra. Carla Dickson que há mais de 05 meses vêm defendendo o uso da ivermectina ( remédio eficaz e acessível), salvando muitas vidas durante essa pandemia. Vamos vencer com a força de Deus.

  17. Adriano disse:

    Parabéns Dr Albert Dickson que foi o primeiro a levantar a bandeira da Ivermectina aqui no RN.

  18. Lourival Antunes disse:

    Parabéns aos medicos que trazem dados refutando a merck e o capitalismo desenfreado dos que não pensam em salvar vidas. Parabéns ao Dr Albert Dickson e Dra Carla DIckson que há 5 meses já relatava e defendia o uso profilático e precoce da ivermectina. E continuam defendendo. Homens e mulheres profissionais assim em meio a uma guerra se destacam por defender convicções. Agora mais arraigadas pelo cunho clínico e científico. Parabéns a associação médica do RN.

Lava Jato vê risco de ‘anulações em cadeia’ com uso de mensagens roubadas

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Procuradores da Lava Jato enviaram ofícios hoje ao STJ, à PGR e ao CNMP alertando para o “risco real de anulações em cadeia” de condenações da operação, com o uso das mensagens roubadas da força-tarefa.

“A divulgação dirigida das supostas mensagens no presente contexto, ilícitas e sem integridade aferida, para produzir falsas acusações sem base na realidade, faz parte, nos parece, de um evidente plano de comunicação para influenciar o julgamento da alegada suspeição do ex-juiz federal Sergio Moro e anular condenações bastante sólidas, já confirmadas inclusive pelo próprio Superior Tribunal de Justiça , gerando um risco real de anulações em cadeia que coloque por terra o relevante trabalho de todas as instâncias do Poder Judiciário na operação Lava Jato, que permitiu a responsabilização de centenas de criminosos e a recuperação de bilhões de reais”, diz o documento.

Os ofícios foram enviados na véspera do julgamento, na Segunda Turma do STF, da decisão de Ricardo Lewandowski que deu a Lula acesso a todo o material apreendido com hackers presos na Operação Spoofing, que desmantelou o esquema de invasão de celulares de autoridades.

Na semana passada, a defesa do ex-presidente começou a anexar no processo, que é público, partes dos diálogos. Um deles motivou o presidente do STJ, Humberto Martins, a pedir a Augusto Aras investigação sobre uma suposta tentativa dos procuradores de investigar informalmente ministros do tribunal.

Nos ofícios, os procuradores afirmam que é “absolutamente equivocada” a notícia sobre a investigação e que em todas as vezes em que foram encontrados indícios contra autoridades com foro, as autoridades competentes foram devidamente comunicadas.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sergio disse:

    Se o juiz fosse honesto, faria seu trabalho e condenaria com base nas provas, sem conluio. Mas preferiu os holofotes, a fama, o poder. Agora perdeu tudo, principalmente a credibilidade.

  2. João Juca Jr disse:

    O MECANISMO é muito forte, e os mega ladrões envolvidos nas investigações da Operação Lava Jato podem se livrar porque o Brasil é o país da impunidade. Esses canalhas, psicopatas ladrões de dinheiro público, são orientados pela fina flor do Garantismo Penal, defensores de bandidos do colarinho branco. Na Itália os corruptos mandaram matar dois juízes e oito policiais. Moro e Dallagnol que se cuidem.

  3. Antenado disse:

    Inversão de valores. Os bandidos sendo "inocentados" e os cumpridores da lei transformados em bandidos. Só no Brasil mesmo.

  4. olimpio disse:

    O Brasil perde perdão, só se for na cabeça dos militontos, dessa seita chamada PT.

  5. ZéGado disse:

    O mínimo que poderiam fazer, pedir desculpas a Lula.
    Mas o ❤️ do amigo e companheiro Lula não possui tamanho e o sobrenome dele é Perdão.
    A injustiça que fizeram com ele, com Dona Marisa, a morte do seu irmão, a morte do netinho Arthur e esse Homem suportou tudo isso, EU, não tenho dúvidas, Lula é INOCENTE!

    • Julio disse:

      Zé gado, qual é o tamanho do teu chifre ? Não entendeu nada da reportagem, deve ser um esquerdopata alienado / cego.

    • ZéGado disse:

      Está menor que a sua🤘! Você não consegue nem entrar em casa mais, a galhada não deixa. Engancha.

  6. Jodaly disse:

    Muitos erros e crimes!

  7. Carlos Alberto disse:

    Lula o BRASIL TE PEDE PERDAO

    • Dantas disse:

      Leia de novo a matéria.
      Tem um trecho aí que fala de recuperação de bilhões.
      *******Se devolveram é porque roubaram.********
      Não se engane, a quadrilha do Petista capitaneado por Lula, roubou e deixaram roubar
      Alguma dúvida?

  8. Jr disse:

    Se estão com esse receio é porque sabem que cometeram erros graves capazes de anular os processos.

  9. ZéGado disse:

    Com fé em Deus e Nsa. Sra. Santana, o castelo de areia da vaza-jato irá desMOROnar.

    • Brasil disse:

      Você comedor de MERDA , acha que o ladrao do maior roubo da história da humanidade Lula, é inocente??? Todo o dinheiro devolvido e recuperado é tudo MENTIRA??? Você só deve comer MERDA

Esquizofrenia é um dos principais fatores de risco para a Covid-19, diz estudo

Foto: Freepik/Reprodução

Pacientes que sofrem de esquizofrenia têm 2,7 vezes mais chances de morrer de Covid-19, segundo novo estudo publicado na revista JAMA Psychiatry. Com esses resultados, o diagnóstico do transtorno mental pode ser um dos agravantes mais relevantes para a progressão da infecção, atrás somente do fator idade.

Na pesquisa, cientistas analisaram dados de mais de 7.300 pacientes diagnosticados com Covid-19 e tratados em hospitais de Nova York, EUA. Os pacientes que não tinham nenhum diagnóstico de transtorno mental serviram de grupo de controle; já os restantes foram divididos em três grupos: aqueles com problemas no espectro da esquizofrenia, os com diagnóstico de algum transtorno de humor (como depressão ou transtorno bipolar) e, por fim, os pacientes com ansiedade.

Os dados dos voluntários foram ajustados de acordo com vários fatores conhecidos por influenciar na progressão de infecções por Covid-19: sexo, idade, raça e outras comorbidades (como diabetes, doenças cardíacas, câncer e doenças crônicas). Entre os pacientes com algum diagnóstico de transtorno mental, havia 75 pessoas com histórico de esquizofrenia, 564 tinham histórico de transtorno de humor, e 360 sofriam transtorno de ansiedade. Os grupos foram acompanhados por 45 dias.

Comparando os resultados clínicos dessas pessoas com os pacientes sem histórico de transtornos mentais, a equipe não encontrou diferença significativa causada pelos transtornos de humor ou de ansiedade. No entanto, eles verificaram que aqueles com esquizofrenia tinham cerca de 2,7 mais chances de morrer do que os pacientes do grupo controle.

É um número muito significativo – possivelmente o segundo fator mais impactante para a mortalidade da doença depois da idade, segundo os pesquisadores. Em termos de comparação, pacientes com idades entre 45 e 54 anos tinham 3,9 vezes mais chance de morrer de Covid-19 do que pacientes mais jovens, independente se tinham ou não transtornos mentais. A cada 10 anos de idade após os 54, esse risco dobrava. Já pacientes com problemas cardíacos ou diabetes tiveram um risco 1,65 e 1,28 vezes maior de morrer, respectivamente.

A esquizofrenia é um transtorno mental crônico que afeta cerca de 23 milhões de pessoas em todo o mundo, segundo a Organização Pan-Americana de Saúde. Ela é caracterizada por distorções no pensamento, percepção, emoções, linguagem, comportamento e podem incluir alucinações e/ou delírios.

O diagnóstico de esquizofrenia e outros transtornos psiquiátricos já havia sido associado com uma maior chance de contrair Covid-19 em estudos anteriores, mas nenhum outro trabalho havia analisado o impacto desses transtorno na letalidade da doença.

Não se sabe exatamente o que causa esse maior risco de morte em pacientes com esquizofrenia. Sabe-se que pessoas diagnosticadas com o transtorno possuem uma expectativa de vida menor (entre 10 e 20 anos a menos do que pessoas sem a condição), em geral. Mas isso geralmente é associado com outros fatores que comumente acompanham a esquizofrenia, como obesidade, doenças cardíacas ou o hábito de fumar. O estudo, no entanto, descobriu que mesmo ajustando esses fatores entre os pacientes, a esquizofrenia continuou sendo um fator de risco por si só.

Uma hipótese é que existam diferenças genéticas entre os pacientes com esquizofrenia que alteram a resposta imunológica de seus corpos, aumentando o risco de inflamações severas no sistema respiratório; estudos anteriores já demonstraram que há diferenças entre o sistema imunológico de pessoas com esquizofrenia, embora não se compreenda totalmente o fenômeno. Outra hipótese é que as medicações utilizadas nos tratamentos mais comuns de esquizofrenia possam ter um papel no fenômeno. Sabe-se que efeitos colaterais desses fármacos podem incluir ganho de peso e maior risco de desenvolver diabetes, por exemplo.

Mas essa é apenas uma hipótese – e os autores do novo estudo admitem que não incluíram dados sobre medicações em seu estudo, então não dá para concluir nada. Pacientes com esquizofrenia não devem abandonar seus tratamentos com base nisso, alertam os cientistas, mas devem considerar seguir os protocolos de proteção e distanciamento social com mais seriedade.

O estigma e o preconceito que essas pessoas enfrentam também pode estar ligado a cuidados de saúde menos adequados e a negligência da sociedade, que influenciam tanto em uma menor expectativa de vida quanto no tratamento da Covid-19.

A equipe espera que outros estudos sejam feitos para confirmar os resultados e tentar entender melhor o fenômeno. A pesquisa atual tem limitações reconhecidas: incluiu uma população relativamente pequena de pessoas com esquizofrenia e foi feita entre março e maio de 2020, quando Nova York enfrentava sua pior fase na pandemia e o sistema de saúde da cidade estava a beira do colapso, o que pode ter impactado nos resultados finais. Até novas informações, a comunidade médica deve estar atenta para a população de pessoas com transtornos mentais, já que parecem ser especialmente vulneráveis à Covid-19.

Super Interessante

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bem de vida disse:

    Vocês estão todos é lisos e doentes!!! Kkkkk kkk……

  2. Lourenço disse:

    Eu sou bem aposentado, trabalhei muito, por mérito da minha capacidade e esforço, sou de família Humilde, tenho todo o tempo e prazer do mundo de ler e comentar as baboseiras de vcs e suas em particular 😀😀😀😀😀😀😀😀😀😀😀😀😀

  3. Lourenço disse:

    Pior Zezinho do Gado é a incapacidade de vcs agirem como seres racionais 😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭 que Deus tenha piedade de vcs. Agora vc Desmaia e depois vai DeLira.

  4. ZéGado disse:

    Em alguns bovinos, o inchaço na venta por causa da argola é muito preocupante.

    • Tonho Marreta disse:

      Todos sabem que o gado tem chifre, usa argola, tem badalo no pescoço para ser vigiado e recebe o ferrão do dono. Coisa dos eleitores da esquerda, tanto que temos o ZéGado.
      Se essa matéria tem algum fundo de verdade, acho que os zumbis da esquerda poderiam pegar o covid, pois é melhor ficar com esquizofrenia que ser atestado como anencéfalo.

    • Adestrador de jumentos disse:

      Jumento faia em causa própria, o vagabundo chora até hoje a perda da BOQUINHA , chora pelo seu LADRAO DE ESTIMAÇÃO ,
      Estou adestrando jumentos, começo dando pão com mortadela e uma camisa vermelha , com dizeres de qualquer MERDA,

Estudo vê risco à fertilidade masculina após Covid-19; médicos pedem cautela

Foto: Shutterstock/CNN

Casos graves de Covid-19 podem afetar a qualidade do esperma de um homem, possivelmente afetando sua fertilidade, de acordo com um novo estudo publicado quinta-feira na revista Reproduction.

“Este relatório fornece a primeira evidência direta até o momento de que a infecção por Covid-19 prejudica a qualidade do sêmen e o potencial reprodutivo masculino”, disse o estudo.

No entanto, especialistas não envolvidos na pesquisa estão céticos sobre a conclusão do relatório e pediram cautela na generalização dos resultados da pesquisa.

“É preciso levantar uma nota forte de cautela na interpretação desses dados. Por exemplo, os autores afirmam que seus dados demonstram que ‘a infecção por Covid-19 causa prejuízos significativos da função reprodutiva masculina’, embora apenas mostrem realmente uma associação,” disse Allan Pacey, professor de andrologia da Universidade de Sheffield em South Yorkshire, no Reino Unido, por e-mail.

“Estar doente por causa de qualquer vírus, como a gripe, pode diminuir temporariamente sua contagem de esperma (às vezes para zero) por algumas semanas ou meses. Isso torna difícil descobrir o quanto das reduções observadas neste estudo foram específicas para Covid-19, em vez do que apenas por estar doente “, disse a Dra. Channa Jayasena, consultora em endocrinologia reprodutiva e andrologia do Imperial College London, por e-mail.

Além disso, “é importante notar que não há evidências do vírus da Covid-19 no sêmen e que não há evidências de que o vírus possa ser transmitido via sêmen”, disse Alison Murdoch, que dirige o Newcastle Fertility Centre no International Centre for Life, Newcastle University, no Reino Unido, por e-mail.

Pequeno estudo com 84 homens

O estudo comparou 105 homens férteis sem Covid-19 com 84 homens férteis que testaram positivo para o novo coronavírus. Os pesquisadores, então, analisaram o sêmen dos participantes em intervalos de 10 dias por 60 dias.

Em comparação com homens saudáveis ??sem o novo coronavírus, o estudo encontrou um aumento significativo na inflamação e estresse oxidativo em células de esperma pertencentes a homens com Covid-19. A concentração, mobilidade e forma de seus espermatozoides também foram afetadas negativamente pelo vírus.

As diferenças aumentaram com a gravidade da doença, concluiu o estudo.

“Esses efeitos sobre as células espermáticas estão associados à menor qualidade dos espermatozoides e redução do potencial de fertilidade. Embora esses efeitos tendam a melhorar com o tempo, eles permaneceram significativa e anormalmente maiores nos pacientes com Covid-19, e a magnitude dessas mudanças também foram relacionadas à doença severidade”, disse o pesquisador principal Behzad Hajizadeh Maleki, um estudante de doutorado na Justus Liebig University Giessen, em Hesse, Alemanha, em um comunicado.

Havia também níveis muito mais altos de atividade enzimática ACE2 em homens que tiveram Covid-19, descobriu o estudo.

A ACE2, ou enzima conversora de angiotensina 2, é a proteína que fornece o ponto de entrada para o novo coronavírus se conectar e infectar uma ampla gama de células humanas.

No entanto, não é surpreendente que a Covid-19 possa impactar o sistema reprodutivo masculino porque os receptores ACE2, que são os mesmos receptores que o vírus usa para obter acesso aos tecidos do pulmão, também são encontrados nos testículos, disse Pacey, que também é editor-chefe da revista Human Fertility.

Uma preocupação constante

“Desde o início da pandemia de Covid-19, tem havido uma preocupação compreensível (mas teórica) sobre se o coronavírus pode ter um impacto prejudicial na fertilidade dos homens que são infectados”, disse Pacey.

Depois de revisar cerca de 14 estudos publicados sobre o assunto, ele concluiu que “qualquer efeito mensurável do coronavírus na fertilidade masculina foi provavelmente apenas leve e temporário”.

Os achados do último estudo, acrescentou, podem ser devidos a outros fatores, como o uso de medicamentos para tratar o vírus, que os autores também reconheceram.

“Portanto, tudo que vejo neste conjunto de dados são possíveis diferenças na qualidade do esperma entre homens que estão doentes com doença febril e aqueles que estavam bem. Já sabemos que uma febre pode impactar na produção de esperma, independentemente do que causou isso”, disse Pacey.

Sheena Lewis, professora emérita da Queen’s University Belfast, na Irlanda, compartilhou impressões semelhantes por e-mail: “minha estranheza é que os homens com Covid-19 (no estudo) tinham peso corporal substancialmente maior e estavam em uma série de tratamentos terapêuticos”.

“Sabemos que a obesidade por si só reduz a qualidade do esperma. Os tratamentos contra Covid-19 também podem ter afetado a qualidade do esperma desses homens, em vez do próprio vírus”, disse Lewis.

“Assim, estudos de longo prazo são necessários antes que os testículos sejam considerados um órgão de alto risco específico para Covid-19”, disse Murdoch, de Newcastle.

CNN Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luna disse:

    Isso é bem a cara da mãe do vírus, redução de natalidade…..
    Uma herança genética dos asiáticos…

Covid-19: Mandetta diz que Brasil pode ter ‘megaepidemia’ caso variante do Amazonas se espalhe pelo país

Foto: Jorge William / Agência O Globo

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta alertou para o risco da variante brasileira do novo coronavírus, identificada em Manaus, provocar um agravamento do quadro epidemiologico no Brasil que, na sua avaliação, está “em progressão”. Mandetta também comentou o inquérito contra o atual ministro da pasta, Eduardo Pazuello, no Supremo Tribunal Federal (STF) e avaliou que o presidente Jair Bolsonaro poderá sofrer impeachment pela condução da pandemia da Covid. As declarações foram feitas em entrevista ao programa Manhattan Connection, da TV Cultura.

O ex-ministro, que deixou o governo em abril de 2020 após divergências públicas com o Bolsonaro acerca das medidas de prevenção contra a Covid-19, disse que a transferência de pacientes manauaras em razão do colapso hospitalar no Amazonas sem os devidos cuidados poderá fazer com que a variante se espalhe.

— O mundo inteiro está fechando os voos para o Brasil, e o país não só está aberto normalmente, como está retirando pacientes de Manaus e mandando para Goiás, Bahia, outros lugares, sem fazer os bloqueios de biossegurança. Provavelmente vamos plantar essa cepa em todos os territórios da federação, e daqui a 60 dias podemos ter uma megaepidemia — afirmou Mandetta.

A mutação brasileira, batizada E484, foi identificada no Rio de Janeiro e em variantes em Manaus, como a B.1.1.28, detectada em japoneses que estiveram no Amazonas. Ela altera o RDB, o ponto da proteína S em que o Sars-CoV-2 se liga às células humanas. As mudanças genéticas podem causar o chamado mecanismo de escape, ou seja, quando os anticorpos desenvolvidos contra o Sars-CoV-2, que atacam o RDB, perdem sua especificidade. Esse processo pode influenciar a eficácia de vacinas.

A variante já foi detectada em diferentes países, como Estados Unidos, Reino Unido e Alemanha, e em vários estados brasileiros. No Brasil, no entanto, o sequenciamento genético necessário para monitorar mutações do Sars-CoV-2 é um desafio, como mostrou reportagem do GLOBO neste mês.

Responsabilidade de Pazuello e Bolsonaro

Na entrevista, Mandetta também comparou sua gestão no início da epidemia brasileira com a do atual dirigente da Saúde, Eduardo Pazuello. O ex-ministro afirmou que o presidente Bolsonaro “minou completamente” os esforços de conscientizar a população acerca da necessidade de prevenir o contágio, na ausência de um tratamento comprovadamente eficaz contra a Covid-19, em boa parte alinhado com o então presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Ao mencionar erros da gestão Pazuello, Mandetta avalia que o general da ativa e atual ministro dificilmente escapará de punições no Judiciário.

— Vimos uma intervenção militar burra (no ministério) que culminou nessa burrice, no inquérito no STF, TCU, por conta de todos esses erros. Tomaram medidas não técnicas e pagarão um preço por isso — disse o ex-ministro.

Indagado sobre possíveis implicações para Bolsonaro, Mandetta declarou que o presidente dificilmente superará o passivo da pandemia:

— Acho que ele terá que ser julgado pelos órgãos competentes. Impeachment é no Congresso, (não se sabe) se eles terão maioria para isso, é um processo político. E chegará a hora em que ele terá que se entender com as consequências dos atos dele. Se não (for) pelo Juidiciário, a História reserva para ele um lugar infelizmente nada confortável na luta mundial pela vida. Ele ficou do lado do vírus. Ele fez parte da doença.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rodrigo disse:

    Este não deu uma dentro, falhou em todas as suas previsões e ele próprio descumpriu todas as suas próprias recomendações. Infelizmente é um grande falastrão mais preocupado em colher dividendos políticos.

  2. Tico de Adauto disse:

    Tá avisado. Depois não venha o governo chorar o leite condensado derramado.

  3. Gerson disse:

    Incrível um FDP desses ainda ter voz! É, sem sombra de dúvida, o responsável direto por milhares de mortes em nosso país! O pior disso tudo é que não foi por incompetência e sim por pura má fé! Esse, certamente, não dorme em
    Paz!

  4. Alex disse:

    Esse é o pior político que já vi, nunca vou esquecer esse cara " fique em casa e só vá para o hospital só quando tiver falta de ar, isso matou muita gente.

  5. Arito Ledo disse:

    Bambeta é uma resenha… antes que era o ministro falava e fazia tudo errado, hoje que estamos colocando as coisas no eixo, ele volta e com sua lorota tenta a atenção dos bocòs…

  6. Joao Bolsonaro disse:

    Mutretta e o pico?

  7. Bito disse:

    Olha quen deu holofotes pra ele! O Globo, é claro! Por isso que tá fechando as portas. Não adianta remar contra maré. Um desqualificado desses, não era nem pra ser lembrado. Mas como as organizações Globo não têm mais pra quem apelar, bora colocar assuntos de gente que é contrário ao governo.

  8. Sidney disse:

    Quem é esse rapaz mesmo hein ???????????????????.Poderia ter ficado caladinho onde estava,ninguém sentiu sua falta.

  9. Ivan disse:

    Mandeta, e o pico…será qnd???? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  10. acosta disse:

    Esse Mandeta Mutreta, matou muitas vidas , mentindo e dizendo fique em casa, só procure um posto médico qdo estiver sentindo falta de ar. Sabe o enredo do samba? O cara qdo procurava um hospital, era em estágio avançada, era entubado e morria. Aí agora vem com esse papo querendo aparecer. Só no Brasil mesmo pra dá holofotes a um criminoso e bandido dessa espécie. Pior espécie que já vi na minha vida, cara de pilantra, enquanto esbravejava pra popilação ficar em casa, ele estava sem máscaras, tomando sol em uma praia, como foi noticiados nos jornais, esse tipo de gente é que pediam pra nós ficarmos em casa, veja outro exemplo é Luaciano Hulk, passeando com a família toda como senão existisse pandemia….. gosto tanto de quem mente.

  11. Neco disse:

    Estaríamos no pior de dois mundo: mortes por milhão, na hipótese mais favorável, equivalente ao número atual E uma devastação social, econômica e psicológica maior. Sim, e gente esperando sufocar para ser atendida.

  12. Pixuleco disse:

    Grande Brasileiro , se o alesado da cloroquina tivesse houvemos duas orientações não estaríamos nessa situação .

  13. Junior Soares disse:

    Nao, não é. Ele apenas sabe mais que todos do governo. Esse alerta foi ligado desde quando era ministro. Mas pagaram pra ver

Empregado que não tomar vacina poderá ser demitido por justa causa, avaliam advogados; entenda em que situações

FOTO: MARCOS SANTOS/USP IMAGENS

Trabalhadores que se recusarem a tomar a vacina contra a covid-19 correm o risco de serem mandados embora por justa causa, afirmam advogados especializados em Direito do Trabalho ouvidos por esta coluna.

Com a aprovação para uso emergencial das vacinas contra a covid-19 pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) no domingo (17) e início do Plano Nacional de Imunização na segunda-feira (18), que irá permitir que todos os brasileiros possam se proteger da doença nos próximos meses, a recusa em se vacinar poderá custar o emprego de quem trabalha com carteira assinada.

Por enquanto, apenas os profissionais da saúde que estão da linha de frente de combate à pandemia provocada pelo novo coronavírus estão sendo imunizados, mas à medida que a vacina for sendo liberada para todos, os trabalhadores das demais áreas poderão ser cobrados pelas empresas para apresentar o comprovante de vacinação a fim de manter seus empregos.

A coluna ouviu a advogada Adriana Calvo, autora do Manual de Direito do Trabalho e membro da comissão de Direito do Trabalho da OAB/SP; a especialista em gestão de pessoas e compliance trabalhista Ana Gabriela Primon, sócia do escritório Granadeiro Guimarães Advogados e o professor do Departamento de Direito do Trabalho da USP, Antonio Rodrigues de Freitas Júnior.

Para os três advogados, a possibilidade de demissão é possível e até mesmo provável, uma vez que o STF (Supremo Tribunal Federal) julgou que, apesar de a vacinação não ser obrigatória, ela poderá implicar em punições para aqueles que se recusarem a tomar a vacina. A decisão foi tomada no julgamento das Ações Diretas de Inconstitucionalidade (ADIs 6586 e 6587) e de um Recurso Extraordinário com Agravo (ARE 1267879) que tratavam da vacinação contra a covid-19 e do direito de recusar a imunização em razão de convicções pessoais.

Empresa deve garantir ambiente de trabalho saudável

“Essa é uma questão bastante complexa e envolve uma discussão constitucional”, explica a advogada Ana Gabriela. “De um lado temos a liberdade do indivíduo e o princípio da legalidade, pelo qual ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei, e, por outro, há a questão da saúde pública e o dever legal do empregador de manter um ambiente de trabalho saudável.”

“Considerando que o STF já decidiu que a recusa pode implicar em aplicação de multa, impedimento de frequentar determinados lugares ou até usar o transporte público, por exemplo, é possível a aplicação da justa causa porque nesse caso a empresa deve priorizar o interesse coletivo”, diz Ana Gabriela.

Para o professor Freitas, “o espaço do estabelecimento da empresa é de uso compartilhado e contribuir para evitar a propagação da doença por meio de práticas cientificamente recomendadas, é medida de higiene do local de trabalho pela qual cabe ao empregador zelar, fixando normas e protocolos de observância obrigatória”.

A advogada Adriana Calvo completa. “Fica claro que se o município onde estiver sediada a empresa não editar nenhuma lei dizendo que a vacina é obrigatória, então caberá ao empregador decidir se ele vai torná-la obrigatória ou não com base no seu poder diretivo. Esse poder vem do artigo 157 da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), pelo qual o empregador tem o dever de zelar pela saúde e segurança no ambiente de trabalho.

“Como existe a possibilidade de o empregado que contrair covid-19 culpar a empregadora por acidente de trabalho trazendo repercussões econômicas muito grandes para a empresa, assim que a vacina estiver disponível, é provável que as empresas passem a exigir que seus empregados se imunizem.”

E os trabalhadores que estiverem em home office?

Já para o trabalhador que está em home office, ou seja, trabalha da sua casa e não comparece à empresa, os advogados entendem que, nesse caso, a empresa não pode obrigar a pessoa a se vacinar.

“Se o empregado trabalha em home office e não retornou à atividade presencial, não haveria nenhum fundamento para que o empregador exigisse a vacina desse empregado. O empregado está na sua casa, não traz nenhum risco para a empresa, é direito dele decidir se quer ser vacinado ou não”, diz Adriana Calvo.

Quem pode se negar a tomar a vacina e não ser demitido?

O professor Freitas entende que qualquer empregado pode ser demitido por justa causa, desde que fique demonstrado que há uma recusa infundada em tomar a vacina. Mas aqueles que tiverem uma recusa fundamentada não poderão ser obrigados. “Por exemplo: gestantes não podem ainda se submeter à vacina e portando podem se recusar. Por outro lado, a vacina também tem que estar disponível na localidade em número tal que sua aplicação seja possível”, diz.

O empregado que apresente também um atestado médico demonstrando que possui determinada condição de saúde que não permite se vacinar também não poderá ser obrigado, explica a advogada Adriana Calvo.

Mas basta não tomar a vacina para já ser mandado embora por justa causa?

Não é bem assim. Como a demissão por justa causa é uma punição que prejudica bastante o trabalhador, ela precisa ser aplicada de maneira proporcional à gravidade da falta, explica a Ana Gabriela. A sugestão da advogada é que a empresa faça uma gradação das penalidades.

“Primeiro, a empresa deveria aplicar uma advertência, em seguida, poderia aplicar uma suspensão do contrato de trabalho e, por fim, caso ainda houvesse a resistência do trabalhador, a demissão por justa causa.”

A advogada Adriana Calvo concorda que não deve haver uma justa causa imediata. “O ideal é primeiro dar uma advertência e um prazo de 30 dias para o empregado se vacinar e, caso ele não o fizer, então aplicar a justa causa.”

Tudo isso lembrando que a vacinação já tem de estar disponível para todos, pois já ficou decidido que as empresas não poderão comprar vacinas para imunizar seus empregados.

Ainda não há prazo para que a vacina esteja disponível para todos os brasileiros no Plano Nacional de Imunização.

O QUE É QUE EU FAÇO SOPHIA – R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. C. Bozo disse:

    Pelo mesmo raciocínio da reportagem seria motivo de justa causa para demissão/impeachment do Bozo.

  2. Tico de Adauto disse:

    Com esse desgoverno, talvez em 2023 tenhamos a vacina para todos.

  3. Diogo disse:

    Devemos avaliar o mesmo para aqueles funcionários que participaram do réveillon em Gostoso, Pipa, parrachos, espaço di Trento etc…
    Esses devem ser demitido por justa causa na mesma hora, colocou vários colaboradores em risco e demais pessoas próximas da família.

  4. C. Bozo disse:

    O problema é que não tem vacina. Serve cloroquina? Bozo não acredita em vacina e não foi atras. Agora se humilha perante o mundo para conseguir uma. Pelo mesmo raciocínio da reportagem seria motivo de justa causa para sua demissão/impeachment.

  5. Japiense disse:

    A vacina contra o coronavírus será igual a febre amarela: obrigatória para entrar ou viajar a determinados lugares.
    Vc não tem a obrigação de tomar, porém se não tomar não poderá ir. Ficará ilhado.

Ivermectina pode reduzir risco de morte por covid em até 75%, destaca jornal britânico; pesquisadores analisaram 18 estudos

FOTO: EDUARDO VALENTE/ISHOOT/ESTADÃO CONTEÚDO

A ivermectina, medicamento antiparasitário de baixo custo usado para tratar piolho, pulgas e carrapatos, pode reduzir o risco de morte da covid-19 em até 75%, de acordo com pesquisadores da Universidade de Liverpool, na Inglaterra. A informação foi publicada nesta quarta-feira (21) pelo jornal britânico Financial Times.

Os pesquisadores analisaram 18 estudos e concluíram que o remédio está associado à redução da inflamação provocada pela covid-19 e à eliminação mais rápida do Sars-Cov-2, o vírus que causa a doença. Em seis desses ensaios, o risco de morte foi reduzido em 75% em um grupo de pacientes com covid-19 moderada a grave.

O jornal britânico ressalta que o único antiviral com algum tipo de aprovação para tratar a covid-19 é o remdesivir. Esse medicamento, um antiviral usado no tratamento do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump, quando teve a doença, demonstrou benefícios na redução da chance de internação, mas nenhum efeito na diminuição de risco de mortalidade ou de carga viral – quantidade de vírus que circula na corrente sanguínea.

A ivermectina não é um antiviral, mas os resultados sugerem que o medicamento possa ter propriedades antivirais. Os pesquisadores ressaltam que os resultados são “encorajadores”, mas mais estudos são necessários para fornecer evidências robustas para justificar uma aprovação do remédio para o tratamento da covid-19.

“É um medicamento usado no mundo todo. A substância medicamentosa custa 12 centavos. O remédio custa US$ 3 (R$15,80) na Índia e US$ 960 (R$ 5.054) nos Estados Unidos ”, afirmou Andrew Hill, um dos pesquisadores do estudo, ao Financial Times.

Ele acrescentou que a invermectina, ao reduzir a carga viral, pode tornar mais difícil uma pessoa se infectar, assim como transmitir a doença. “Se as pessoas com teste positivo para covid-19 forem tratadas imediatamente com um medicamento que elimine o vírus rapidamente, isso pode torná-las menos infecciosas”, afirmou ao jornal. “Esta estratégia de ‘tratamento como prevenção’ funciona para o HIV e agora deve ser testada para a covid-19”, concluiu.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Mailson disse:

    Cara a coisa tá tão feia que até uma boa notícia como essa!! Remédio pra peste chinesa!! Ha quem desdenhe ou até mesmo não goste? Pqp onde vamos parar??

  2. Lupércio disse:

    E os laboratórios farmacêuticos ganhando rios de dinheiros com esses "estudos".

  3. Fernando Oliveira disse:

    Para quem tiver dúvidas em relação a matéria, pode ver o conteúdo original em:

    https://www.ft.com/content/e7cb76fc-da98-4a31-9c1f-926c58349c84
    https://www.researchsquare.com/article/rs-148845/v1

    A palavra agora com os especialistas.

    É fato que os números de morte no RN por número de casos é bem inferior ao estado de SP.

  4. Tom França disse:

    Alguém aí que é do contra ou do "quanto pior, melhor", conseguiu ler em bom português, que essa pesquisa foi feita por pesquisadores de uma universidade britânica? E que o jornal apenas veiculou os 18 estudos?

  5. Valter disse:

    Graças a invermectina é que o RN tem um dos menores número de mortes no país.

  6. ALUISIO disse:

    Simples: Compra e se achar que pegou ou esteve próximo de quem pegou, toma dois comprimidos, o único problema que poderá ter é acabar com alguns vermes e quem sabe salvar sua vida e de seus parentes.

  7. Neco disse:

    ALGUÉM MORREU EM VIRTUDE DO TRATAMENTO PRECOCE? Cadê a comporvação científica da relação de causalidade? Falta de comprovação científíca não é prova de infeficácia.
    Pode não ter havido tempo para ficar fazendo teste duplo-cego randomizado e estratififcado, revisado por pares. Remédios usados por indígenas funcionam e não foram avaliados por 'doutores'. Agora se tem a HCQ sendo usada por muitos profissionais de frente , com resultados empíricos animadores e fica essa campanha odiosa contra tudo o que se apresenta (ivermermectina, anita, azitromicina etc – lobby, politicagem hedionda… ). Como se uso precoce em si excluísse outros cuidados. Deve ser a única doença do mundo que não há praticamente nada o que se fazer em seus estágios iniciais. Nem mesmo é consenso que as pessoas, preventivamente, tomem mais sol e vitamina C para dar uma reforçada na imunidade (isso foge ao bom senso). Querem saber mais, leitura longa: https://truthabouthcq.com/

  8. Santos disse:

    Excelente notícia.

  9. Lucianobrito disse:

    Mais 7,5 milhões de brasileiro curado da covid no Brasil, O tratamento foi realizado com coca cola?

  10. Kiko disse:

    Olhem!!
    Nós o gado de Bolsonaro já sabe disso.
    Não é novidades pra nós, principalmente pra nós natalense onde médicos e autoridades liberaram e recomendaram o uso desse remédio.
    Pra nós, é so Vitória em nome de Jesus.
    Pra petezada, só derrota.
    Tem cido, uma atrás da outra.
    Hehehehe

    • Queiroz disse:

      "Tem cido".
      Putz!😳
      Aí nem MOBRAL resolve.
      🐮🐮🐮🐮🐮
      FORA BOLSONARO PILANTRA

  11. Lourenço disse:

    Ze´Gado gosta mesmo e do jumento, ele deixa a entender que se completam, Vixe!

  12. Manoel disse:

    Rapaz, isso de novo?
    A população de Natal e do Brasil está se entupindo desse remédio contra carrapato e as mortes só aumentam. Será q é tão difícil perceber que essa balela assim como a hidroxicloroquina não se sustentam?

  13. Arnaldo disse:

    A esquerda que moraram milhões para tira bolsonaro para roubar.

  14. Domic disse:

    Pesquisadores da Universidade de Liverpool… o Jornal apenas publicou

  15. Cidadão Indignado disse:

    Radicais da direita, da esquerda e do centro, bando de alienados. Doentes psicológicos!

  16. ZéGado disse:

    Pronto, jornal agora é revista científica!
    O gado pode se entupir de ivermectina, cloroquina, aftosa, etc.
    NÃO TEM ESTUDO CIENTÍFICO QUE COMPROVE A EFICÁCIA

    • Georgino Queiroz disse:

      Toma quem quer, se você adoecer fique em casa só vá para o hospital quando não tiver mais respirando babaca.

    • Priziaka disse:

      Rapaz, tu não trabalha não? É encostado onde, pra poder passar o dia bostejando asneiras e destilando ódio por aqui?

    • Georgino Queiroz disse:

      Sé adoecer fique em casa e só vá para o hospital quando não tiver mais respirando e não tome nada de medicação pois não existe nada que comprove a eficácia, babaca.

    • João Soares disse:

      Chora papai. Kkkkk
      Tome nao se adoecer viu, tome só 51 igual ao chefe do teu bando, que tu fica bonzinho. Kkkk

    • Ricardo Carvalho disse:

      Esse sujeito(a) é tão covarde que se esconde sob o manto do anonimato, certamente é um(a) esquerdista que tem um contracheque pra não fazer nada, passa o dia inteiro patrulhando as pessoas, típico(a) parasita devoto(a) do partido que virou bando.

    • Adalberto disse:

      Zé Ruela destilando ódio…

    • Victorino disse:

      Se fizer uma radiografia dos culhões do molusco de 9 dedos, sai a foto da dentadura desse imbecíl.

    • Ricardo disse:

      Vc lê trabalhos científicos direto na a fonte ou de lacradores da Globo e Folha?

    • Kaká disse:

      Fique em casa, só na hora de entubar, lembrando que tua entubação vai ser pelo fiofó, por onde tu gosta.

    • Rosana disse:

      Zé Gado esta com medinho de perder o emprego de distribuir ódio pelas redes sociais, ele acha que a Financial Times é a lixa que limpa a bunda dele.
      Se encherga

IMINÊNCIA DE MAIOR IMPACTO AMBIENTAL DO RN: Perícia revela redução significativa de volume na Lagoa do Bonfim e risco de extinção de outras lagoas da bacia

Foto: Reprodução

A Promotoria de Justiça da Comarca de Nísia Floresta, na Grande Natal, enviou ao Ministério Público do Rio Grande do Norte um relatório de 98 páginas, com uma perícia realizada na Lagoa do Bonfim, em que alerta a situação do local desde a instalação da Adutora Monsenhor Expedito, que resultou na redução significativa no seu volume, de forma que os períodos de inverno não estão suprindo a necessidade de reposição hídrica do sistema. Além da famosa lagoa, outros cinco na região estão sob ameaça real de esgotar sua capacidade.

Segundo o estudo fundamentado em imagens de satélite e dados de monitoramento, o volume retirado pela CAERN e a evaporação natural, o balanço hídrico lacustre se mantém negativo nos últimos anos, comprometendo a recuperação natural deste ecossistema. Os impactos ambientais diagnosticados se dão inicialmente com a possível extinção de Lagoas de menor porte que compõe o Complexo Lagunar Bonfim que é formado pelas Lagoas Redonda, Boa Água, Ferreira Grande, Carcará e Urubu, o que poderia representar o maior impacto ambiental no Rio Grande do Norte.

O sistema Lacustre do Bonfim constitui-se numa pequena bacia, com aproximadamente 60 km² de área, sendo enquadrada pelo Instituto de Desenvolvimento do RN-IDEC como uma das unidades de escoamento difuso da faixa litorânea leste do Rio Grande do Norte. Seus limites hidrográficos são as bacias dos Rios Trairi (S-SW) e Pirangi (N-NW), que a cercam quase inteiramente, contribuindo para que sua área de drenagem superficial seja bastante reduzida.

A perícia da Promotoria de Justiça da Comarca de Nísia Floresta ainda destaca que visto que o uso desordenado da água segue comprometendo o nível da Lagoa do Bonfim que hoje se encontra muito abaixo da cota permitida, que não permite esta esboçar sinais de recuperação, esse dano em si afeta todo o ecossistema que depende dessa água para sua sobrevivência.

A perícia, por fim, diz que não é possível afirmar dentro do escopo do estudo qual o volume e escala da captação clandestina realizada pelos moradores do entorno, sendo assim, na ausência de informações não há condições técnicas e dados que respaldam qualquer conclusão a respeito da diminuição do nível da lagoa devido a esta atividade.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luiz Guerra disse:

    Vemos, de temos em tempos, algumas publicações a respeito desse assunto, porém, não vemos medida alguma efetiva.
    Há uns que defendem dizendo que "água é vital". Óbvio. Não há o que discutir quanto a isso, mas de onde se tira e não se repõem, um dia acaba.
    Estão esperando que "São Pedro" envie mais chuvas? É certo que 2020 choveu acima da média, mesmo assim foi bem menos que em 2009. A média das chuvas, único "input" da lagoa, é sempre baixa. Não repõe a demanda.
    A única medida efetiva que sabemos é o racionamento. Isso, apenas, irá adiar a data de secar a nossa amada Lagoa do Bonfim.
    Vamos torcer pela transposição ou dessalinizacao.
    Lamentável.

  2. Mano disse:

    O sonho do Monsenhor Expedito foi buscar essa água pra matar a sede dos moradores dos municípios
    A CAERN com objetivo comercial ta fazendo uma farra, atendendo a
    balneários, lavajatos, condomínios recreativos, clubes e tantos outros
    Perdendo o sentido do sonho do Monsenhor

    • Carlos disse:

      A Caern acima de tudo tem um papel social, a grande maioria das cidades abastecidas com as águas da Lagoa do Bonfim, são deficitárias,
      dados do SNIS, não pagam os custos operacionais… Se o problema é a gestão da água, cabe aos consumidores fazer o uso racional dela.

  3. Potiguar raiz disse:

    Vamos ver se Fátima Bezerra vai querer o carimbo por ser no governo dela o Maior desastre ambiental do RN. Tem que ser feito algo urgente.

  4. Omar Salgado disse:

    A mesma catástrofe que está acontecendo com a Lagoa do Bonfim, aconteceu no Mar de Aral, na Rússia. Na verdade o mar era um lago, usaram a água para irrigação e ele morreu. Basta pesquisar no Google. A CAERN, além de não pagar um centavo pela água eu tira da Lagoa do Bonfim, mas cobrar dos coitados do interior, tem outras opções nas mãos mas não as usa, é claro. Essa adutora é um crime ambiental impressionante !!!

  5. José Filipe disse:

    Existe um Termo de Ajustamento de Conduta que a CAERN não está respeitando. Se não retirar uma quantidade menor de água, de fato, essas lagoas secaram e pode nunca mais voltar a ser o que era. Seria o maior crime ambiental da história do Rio Grande do Norte.

  6. Robson disse:

    A promotoria de Nisia Floresta foi a mesma que não tomou atitude alguma para evitar que a white party viesse a acontecer, né?!
    #DeusSalveANossaLagoaDoBonfim

  7. Calígula disse:

    Tem que privatizar a CAERN.

    • Pedro disse:

      Isso mesmo…

      Se privatizar, São Pedro mandará mais chuva, a evaporação natural da lagoa não existirá mais, as ligações clandestinas da Lagoa serão extintas e acima de tudo… A água ficará mais barata….

  8. Gustavo disse:

    E olhem que o Rio Grande do Norte já tem experiência em catástrofes ambientais envolvendo suas lagoas. Não muito longe dali ocorreu o maior desastre ambiental da história do RN, de que ninguém fala: a transformação da Lagoa de Guaraíras (ali entre Barreta e Tibau do Sul), a maior lagoa de água doce do Estado, em uma lagoa de água salobra e não potável, com a escavação do canal e dinamitação. A intenção foi "boa", como foi a da adutora Monsenhor Expedito agora, mas o resultado foi uma tragédia em um Estado árido com poucos reservatórios de água doce.

Justiça manda União transferir doentes em risco por crise no AM

Foto: Reuters

Um despacho da Justiça Federal determinou que a União transfira, imediatamente, todos os pacientes da rede pública de Manaus que possam morrer por conta da falta de oxigênio. O despacho, expedido nesta quinta (14), atende a um pedido dos Ministérios Públicos Federal e do Estado e Defensorias Públicas.

A capital amazonense enfrenta colapso no sistema de saúde porque, com aumento recorde de internações por Covid, passou a sofrer com falta de oxigênio. Nesta quinta, o governo estadual informou que 235 pacientes com Covid-19 começaram a ser transferidos para outros estados.

Até esta quinta (14), mais de 223 mil pessoas foram infectadas no Amazonas, e mais de 5,9 mil morreram com a doença. Conforme o boletim, há 1.581 pacientes internados com Covid no estado, sendo 518 em leitos de UTI.

A juíza federal Jaiza Maria Pinto Fraxe, da 1ª Vara Federal Cível de Manaus, intimou o Governo Federal e o Governo do Amazonas para que se manifestem sobre o pedido de tutela antecipada ingressado pelos órgãos de fiscalização no prazo de 24h.

O despacho afirma que, até que o pedido seja respondido, compete à União promover a transferência dos pacientes com iminência de perder a vida, “devendo encaminhá-los para outros estados com garantia de pagamento de TFD (tratamento fora domicílio), deixando no Amazonas apenas o quantitativo que possa ser atendido nos hospitais públicos com a reserva ainda existente”.

“Fica expressamente esclarecido que qualquer ação ou omissão criminosa de servidores públicos ou agentes políticos, proprietários ou acionistas de empresas fornecedoras de insumos (oxigênio) e que resulte em óbito levará à imediata apuração e responsabilização dos culpados, sujeitos ativos de ilícitos, sem prejuízo das ações de improbidade”, diz trecho do despacho.

Na resposta, deverá a União:

informar e anexar o seu respectivo planejamento para abastecimento da rede de saúde do estado do Amazonas com oxigênio, a fim de garantir o direito fundamental à vida durante a pandemia;

informar se verificou em outros estados cilindros de oxigênio gasoso em condições de serem transportados pela via aérea; sucessivamente, que se determine sua requisição, transporte e instalação, para suprir a demanda no estado do Amazonas, inclusive do interior e do Hospital Nilton Lins;

tudo o que couber sobre os demais pedidos contidos na inicial.

Na resposta, o Estado do Amazonas deverá esclarecer tudo o que couber sobre os pedidos formulados contra si, em especial o suporte para oferecer à União.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Oswaldo disse:

    Kkkkkk
    Oxente a decisão do STF não é contrária???
    Eita país escroto!

  2. riva disse:

    Em letras garrafais "FORA SARNEY!" "FORA COLLOR!" "FORA ITAMAR!" "FORA FHC!" "FORA…?" "FORA…?" "TCHAU QUERIDA!" E "LULA TÁ PRESO BABACA!" NÃO HAVERÁ CONDIÇÕES PARA O ESQUERDISMO OMITIR ISSO.

  3. Cesar Bomone disse:

    Esses ESQUERDOPATAS fanáticos fingem esquecer que o STF atribuiu a Prefeitos e Governadores as ações diretas contra a pandemia e agora querem responsabilizar o Presidente.
    Se houve falhas, são do Prefeito e do Governador que deixaram a situação chegar a esse ponto, até porque dinheiro para o combate da pandemia o PRESIDENTE não deixou faltar.
    Graças ao Presidente a situação não está pior, pois ele segue socorrendo a todos.

    • Paulo disse:

      Esse presidente é uma piada começou a pandemia e ele simplesmente não quis fazer nada e STF viu que ele eh um merda e deixou os governadores pelo menos tentar fazer algo já que ele até hoje não faz nada e nunca fez na vida pública nós últimos 30 anos

  4. Chicó disse:

    O presidente é proibido de agir pelo STF e, mesmo assim, querem culpá-lo pela incompetência do governador e do prefeito !!! Mais respeito a inteligência do povo !!!

  5. Aluísio Valença disse:

    Essa bosta de governo federal só funciona na base do empurrão, do esporro e ameaças litigiosas.
    Estamos lascados.

  6. Josias disse:

    Tá vendo??
    Por falta de governador e prefeito, vão jogar a responsabilidade pro governo federal.
    Imoral!!

  7. Brasil disse:

    Tem que colocar essa cinta no COLO dos irresponsáveis do TSE , que liberou as campanhas políticas, fiquem em casa , mas o DIABO DO PODER VALE MAIS QUE TUDO , agora a culpa é do BOLSONARO

  8. jose disse:

    Seria mais barato terem agido preventivamente. Esse é o resultado da falta de Presidente, falta de Governador e falta de Prefeito. Bando de incompetentes.

    • Soró disse:

      8 bilhões o véi dos culhões roxo mandou.
      Vá da parte no STF.
      Kkkkk

  9. Calígula disse:

    Os urubus togados decidiram que o Presidente não poderia combater o covid e deu poderes aos governadores e prefeitos , esses receberam uma bolada de dinheiro, oDinheiro sumiu e dizem que o Covid aumentou.
    Canalhas Mil vezes canalhas.

    • Raphael disse:

      Presidente combater a Covid??? HAHAHAHA HAHAHAHA HAHAHAHA HAHAHAHA HAHAHAHA HAHAHAHA HAHAHAHA que piada.

    • Gildo disse:

      Se o combate a peste dependesse do Genocida já teriam morrido mais de um milhão.

  10. Antenado disse:

    Corretíssimo. A necessidade exige. Mas descumpre o que o STF decidiu. Samba do crioulo doido.

  11. Calígula disse:

    E quanto aos Governador e secretário de saúde, qual a atitude do Magistrado?

Medicamentos contra artrite reduzem risco de morte pela Covid-19, revela estudo do Reino Unido

Foto: Yan Boechat/VEJA

Dois novos medicamentos se mostraram eficazes na redução da mortalidade pela Covid-19. Os anti-inflamatórios tocilizumabe e sarilumabe, normalmente utilizados no tratamento de artrite reumatoide, diminuíram em 8,5% o risco de morte em pacientes graves, internados com a doença. Além de salvar mais vidas, os tratamentos aceleram a recuperação dos pacientes e reduzem em cerca de uma semana o tempo na terapia intensiva.

O estudo, realizado por pesquisadores do Reino Unido, contou com a participação de 792 pacientes, de cinco países. Os pacientes foram divididos em três grupos: 397 pacientes receberam o tratamento padrão, 350 foram tratados com tocilizumabe e 45 com sarilumabe. O tratamento com esses medicamentos, administrados por infusão intravenosa, começou em menos de 24 horas após a entrada na UTI. Os pacientes foram monitorados por 21 dias.

Os resultados mostraram que entre os aqueles que receberam o tratamento padrão, a mortalidade foi de 35,8%, contra 28% nos pacientes que receberam, tocilizumabe e 22,2% nos tratados com sarilumabe. Isso representa um risco médio de mortalidade de 27,3% no tratamento com esses medicamentos, queda de 8,5% no risco absoluto de morte.

Saiba logo no início da manhã as notícias mais importantes sobre a pandemia do coronavirus e seus desdobramentos. Inscreva-se aqui para receber a nossa newsletter
De acordo com o estudo, publicado quinta-feira, 7, na plataforma medRxiv, ambos parecem funcionar igualmente bem e aumentam a quantidade de medicamentos capazes de reduzir a mortalidade pela Covid-19. Até o momento, apenas esteroides, como a dexametasona, haviam apresentado este efeito.

Os resultados foram vistos com surpresa pela comunidade científica, já que estudos anteriores com estes medicamentos mostraram pouco ou nenhum benefício em pacientes hospitalizadas por Covid-19. Segundo Anthony Gordon, professor no Imperial College London, e um dos coautores do estudo, as pesquisas anteriores incluíam um número menor de pacientes graves, o que pode ter impactado nos resultados.

Tanto o tocilizumabe quanto o sarilumabe são conhecidos como antagonistas do receptor da IL-6, que atenuam a reação exagerada do sistema imunológico, associada ao agravamento dos casos de Covid-19.

Embora ainda precise ser revisado por pares e publicado em uma revista científica, os resultados já começam a gerar frutos. O NHS, serviço de saúde do Reino Unindo, anunciou que começará a usar o tocilizumabe no tratamento de pacientes com coronavírus a partir desta sexta-feira, 8.

Veja

Por causa de pandemia, levantamento para checar índice de infestação de Aedes Aegypti é prejudicado em residências, e casos de dengue, chikungunya e zika no país podem aumentar

Foto: Estadão Conteúdo

“Neste ano atípico, agentes de saúde de milhares de cidades espalhadas pelo país não conseguiram realizar as vistorias periódicas em residências para checar o índice de infestação de Aedes, dado fundamental para subsidiar a definição de estratégias de políticas públicas para o enfrentamento das arboviroses”, explica Denise Valle, pesquisadora do Laboratório de Biologia Molecular de Flavivírus do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz).

Entre 29 de dezembro de 2019 e 12 de dezembro do ano passado (2020), foram notificados 979.764 casos prováveis de dengue no país. Nesse período, a região Centro-Oeste apresentou a maior incidência com 1.200 casos/100 mil habitantes, seguida das regiões Sul (934,1 casos/100 mil habitantes) e Sudeste (376,4 casos/100 mil habitantes). No período de janeiro a junho (SE 1 a SE 26), ocorreram 90,6% dos casos de dengue (887.767) no país.

A Fiocruz reforça, ainda, que às altas temperaturas do verão, aliadas à rapidez no desenvolvimento do mosquito, podem aumentar a propagação das doenças. Do ovo à fase adulta, o ciclo completo leva de 7 a 10 dias.

“Cada fêmea pode colocar até 1.500 ovos. É importante olhar a casa com ‘olhos de mosquito’, procurando todo e qualquer local que acumule água e possa ser usado para reprodução do vetor”, conclui a especialista, que destaca, também, a importância dos 10 minutos por semana, recomendados pelo Ministério da Saúde no combate ao vetor do Aedes, como recipientes e qualquer local que acumule água.

Também é necessário ficar atento a criadouros menos convencionais como calhas de chuva, ralos externos, vasilhas de animais, bandeiras de ar-condicionado e de geladeiras, vasos sanitários desativados ou pouco utilizados, entre outros.

CNN Brasil

Detran-RN notifica 100 condutores que podem ter o direito de dirigir suspenso

Foto: Arquivo/Detran-RN

O Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran) notificou por meio do Diário Oficial do Estado (DOE) desta quarta-feira (30), 100 condutores que devem ter o direito de dirigir suspenso por motivo de ter atingido 20 ou mais pontos relativos à infração de trânsito no período de 12 meses. A instauração do processo administrativo de suspensão do direito de dirigir com a relação nominal dos motoristas notificados pode ser conferida AQUI.

Agora os condutores notificados têm até o dia 29 de janeiro de 2021 para apresentar sua defesa no sentido de tentar reverter a punição. A notificação via DOE se fez necessária devido as várias tentativas de deixar o condutor ciente do fato por meio de remessa postal não alcançarem sucesso. Nesse caso, o condutor relacionado na instauração de processo administrativo que quiser apresentar justificativa tem que interpor a defesa encaminhando a mesma escrita à Direção-Geral do Detran, sendo o documento datado, assinado e acompanhado de documento de identificação civil contendo assinatura.

A defesa deve ser protocolada no setor de Impedimentos e Liberações do Detran Sede (Cidade da Esperança, Natal-RN), nas Circunscrições Regionais de Trânsito (Ciretrans) ou nas Centrais do Cidadão distribuídas no Estado. Pode ainda ser enviada pelo correio para o Detran/RN, no endereço: Avenida Perimetral Leste, 113, bairro de Cidade da Esperança, Natal/RN. Ao fim do prazo sem a apresentação da defesa por parte do condutor o processo será julgado à revelia.

O condutor julgado culpado por motivo de alcançar 20 pontos ou mais na CNH por registro de infrações fica impossibilitado de conduzir veículo automotor por um período de um mês a 12 meses. Se for constatado que houve reincidência no tempo de 12 meses a punição é ampliada de seis meses até 24 meses. Outro ponto é que o condutor deve passar por um curso de reciclagem.

Quando ocorre a suspensão do direito de dirigir a CNH do condutor infrator é retida, sendo somente devolvida após cumprida a penalidade e o curso de reciclagem. No caso específico do prazo da penalidade imposto pelo órgão de trânsito, o mesmo só começa a vigorar no momento em que a CNH do condutor for registrada pelo Detran/RN como retida.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rafael Bezerra disse:

    Porra! até aqui vi que a matéria fala de carteira CNH e não de carro comprado pela mamâe. e política nem foi citada na reportagem

  2. Paulo José disse:

    Tem muito Bolsonarista que vive querendo dar carteirada, dando uma de rico, mas o carro é 99% financiado no nome da MÃE

    • Mínion de Peixeira disse:

      Típico comentário ressentido.
      Sua mamãe não lhe pode dar um, foi?
      Tenho certeza que ela lhe ama, viu?

    • Calígula disse:

      Kkkkk o meu é financiaalienação ao banco Itaú e outro quitado, mas tudo no meu nome os financiamentos.
      Eu sou pobre, mais sou limpinho.

    • Paulo José disse:

      Ela me deu algo melhor que carro, ela me deu EDUCAÇÃO.
      Outra, não preciso que minha mãe me presenteie com carro, EU mesmo compro os meus.

  3. ZéGado disse:

    Se for investigar a fundo, 99% desses motoristas, fazem parte da boiada.

    • Neco disse:

      Conheço uns petralhas roxos (ou quase roxos) que vivem cometendo horrores ao volante.
      Gente bem arrogante.

    • Manoel disse:

      A imbecilidade no trânsito e em outras áreas da vida não tem partido nem lado direito , esquerdo ou de centro…

    • Mínion de Peixeira disse:

      Tem lado sim.
      Ande do lado direito,
      C num tá na Inglaterra.

COVID – FACILIDADE DE CONTAMINAÇÃO IMPRESSIONA: Especialista faz alerta para risco de praias cheias

Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo

O verão começa oficialmente nsta segunda-feira, e a estação que é a cara do Rio encontrará um cenário completamente diferente dos anteriores. Apesar da previsão de uma estação típica, com dias longos e quentes, como prevê o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), os próximos três meses marcam o verão da pandemia, com o fim da estação quase no mesmo dia em que se completa um ano da primeira morte por Covid-19 no estado. No último domingo da primavera, com termômetros na casa dos 38 graus, a cidade já teve um prenúncio de como deve ser o verão: além do calor, praias cheias, nenhum distanciamento nas areias, banhistas sem máscara e ausência de fiscalização.

O epidemiologista Roberto Medronho, professor da UFRJ que lidera estudos sobre a Covid-19, destaca que é a primeira vez em que o Rio irá encarar a Covid-19 no verão, época em que, com o calor, cariocas não costumam ficar em casa. Em nota técnica, ele e outros cientistas sugeriram nova proibição à permanência nas praias:

— Num período de festas de fim de ano, onde se fala tanto em fraternidade e solidariedade, a melhor forma de mostrarmos esses valores é ficando em casa. Tenho visto com muita preocupação famílias promovendo festas, pacotes de réveillon sendo vendidos em clubes.

Medronho compara o momento atual ao enfrentado na Europa durante a mesma estação, quando surgiu a segunda onda por lá. O epidemiologista diz ver muitas semelhanças entre os cenários:

— Estamos iniciando o verão, e, infelizmente, o que prevíamos está acontecendo: as pessoas estão se juntando em praias, bares, restaurantes e festas. Foi exatamente assim que a segunda onda chegou à Europa.

Por fim, o epidemiologista alerta para o risco de alto contágio numa situação como a de uma praia lotada.

— Se houver uma pessoa ali na faixa de areia com coronavírus, ela certamente contaminará todas as outras que estiverem ao seu redor, num perímetro de dois metros. Se a pessoa estiver falando alto ou cantando, como acontece também nas baladas, esse perímetro aumenta muito ainda. Infelizmente, essa virose não tem característica sazonal, a transmissibilidade é elevadíssima, independente da estação.

Multidão na areia

No dia em que o estado chegou a 24.473 vidas perdidas e 406.820 casos confirmados de coronavírus, e a média móvel, com alta de 34%, indicou aumento no contágio pelo sexto dia seguido, em contraste com o drama da pandemia, as areias da Zona Sul, ficaram cheias. Equipes do GLOBO percorreram toda a orla e não encontraram fiscais da prefeitura ou policiais militares tentando coibir aglomerações ou conscientizando banhistas da importância da normas sanitárias de prevenção à Covid-19.

No Arpoador, onde a faixa de areia é estreita, o distanciamento entre os banhistas neste domingo ficou quase impossível, com barracas quase coladas umas nas outras. Apenas alguns poucos banhistas conseguiam escapar da aglomeração, tomando sol na pedra. Apesar disso, duas viaturas do Batalhão de Rondas Especiais e Controle de Multidão (Recom), da Polícia Militar, estavam estacionadas no calçadão, mas os agentes não atuavam nas areias.

Em Copacabana, Ipanema e Leblon, o cenário era parecido, assim como no Leme. Foi lá que a aposentada Dorinha Silva, de 60 anos, escolheu para dar um passeio, após três meses sem ir à praia. Receosa, a moradora de Copacabana preferiu manter a distância da aglomeração: escolheu um espaço vazio na mureta, e não tirou a máscara.

— As pessoas não temem a doença. Eu prefiro ficar distante. Não tem mais fiscalização nenhuma, mas, se tivesse, faria diferença — diz.

No calçadão, o movimento era mais tímido que em outros fins de semana, mas, ainda assim, com um número considerável de frequentadores pedalando ou caminhando — muitos sem máscara.

No início do mês, a prefeitura do Rio voltou a proibir o estacionamento na orla nos fins de semana e feriados. A medida, no entanto, não evitou que a orla de Copacabana e Leme tivesse um número considerável de carros parados.

Na capital, onde a situação é mais delicada em relação à pressão por internações, a ocupação de leitos exclusivos para Covid-19 mostra com clareza a proporção do avanço da doença: na rede SUS, que inclui leitos municipais, estaduais e federais, 92% das vagas de UTI estavam lotadas neste domingo. Havia 273 pessoas infectadas aguardando transferência, sendo 175 delas, para terapia intensiva.

Segundo o Inmet, o verão deve ter temperaturas máximas dentro da média climatológica, entre 33 e 34 graus, mas valores superiores podem ocorrer eventualmente.

— O verão começará com tempo bom e temperatura elevada, com grande probabilidade de chuvas fortes e queda na temperatura no segundo dia do verão, devido uma frente fria que passará pelo litoral da Região Sudeste — prevê a meteorologista Marlene Leal, do Inmet.

Com as altas temperaturas, um dos desafios será se manter de máscara.

— O uso da máscara no verão vai se tornar mais incômodo, mas é extremamente necessário — alerta o vice-presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia, Alberto Chebabo, .

Chebabo também recomenda aumentar a frequência com que as máscaras são trocadas, já que a eficiência da barreira é prejudicada pela umidade. E a dermatologista Nandara Paiva lembra que, com o aumento da temperatura, o equipamento de proteção pode ainda causar acne e brotoejas. Os problemas, podem ser amenizados por produtos adequados.

A prefeitura informou que realizou fiscalização no fim de semana, aplicou 690 multas de trânsito e rebocou 539 veículos. A PM não se manifestou.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gustavo disse:

    Bota um político em um trio elétrico em cada praia que zera o risco de contaminação. O vírus tem pavor de evento político e some do local.

  2. Alex Lima disse:

    Geral "brincando" de roleta russa!

  3. Luciano disse:

    Sugiro fazermos comícios nas praias em todo o Brasil durante o verão, dessa forma não teremos perigo de contaminação, o ministério público vai brigar para liberar, Dr. Drauzio Varela vai fazer comercial dizendo que não tem perigo pedindo pras pessoas serem voluntárias nas praias, a esquerda vai ficar calada e o o povão vai se aglomerar e fazer a festa.

  4. riva disse:

    Há a facilidade de contaminação e a impossibilidade de ser atendido conforme os hipócritas "protocolos" de cuidados e demais blá blá, daqueles que são os "especialistas" no assunto. Tenho familiares com todas as características da infecção e quando chegaram no atendimento, por exemplo, no ginásio Nélio Dias, um "especialista" orientou que fossem para casa, pois no início de janeiro de 2021, irão se submeter à exames para saber qual a enfermidade. Resumo, a canalhice e o desprezo pela vida humana infeccionou a mente e os corações dos "especialistas".

  5. Paulo Eudes disse:

    Engraçado na campanha não tinha risco algum, agora que passou a falação da campanha não Pode nada.

    • Greg disse:

      Na campanha sempre teve risco, vc saiu atrás do trio elétrico?…eu não fui.

  6. Torcem Pra o Vírus disse:

    A fonte sendo qualquer coisa da Globo não dá, cara! Zero credibilidade.

    • Joao disse:

      Então para de assistir a globo e muda para papinha lá só tem notícias tranquilas. O problema e sua cegueira amigo.

    • Manoel disse:

      Fonte segura é o zap-zap do gabinete do ódio e da imbecilidade.

    • Insti Gado disse:

      Só confio nos blogs do Bozo. Em Olavo do Car(v)alho e no gabinete do ódio.

FOTOS: Garis denunciam descarte de lixo hospitalar em terreno baldio entre as avenidas da Integração e Jaguarari

Foto: Reprodução/InterTV Cabugi

Um completo absurdo em plena capital potiguar. Garis da Urbana denunciaram nessa quinta-feira(17) o descarte de lixo hospitalar em um terreno baldio, entre as avenidas da Integração e Jaguarari, no bairro de Nova Cidade. O material vai desde centenas de seringas, a agulhas e ampolas de medicamentos.

Um risco iminente não apenas de contaminação do solo, como de trabalhadores da área de limpeza ou de populares que passam pelo trecho. A área é usada como rota por motociclistas e carroceiros, entre os bairros de Candelária e Nova Cidade.

A Secretária de Saúde de Natal e a Urbana investigam o caso, e tentam, através de uma nota fiscal encontrada junto as seringas, o rastreamento da empresa responsável pelo descarte irregular. A Delegacia de Proteção ao Meio-Ambiente também foi acionada e apura o caso.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Geraldo osias dantas disse:

    Temos.que punir..os. Responsavel.por crime.multa.pesada.so asim.tem jeito.geraldo.dantas

  2. Augusto disse:

    Se investigar direito descobre a origem e aplica uma multa pesada, rapidinho resolve o problema.