Decisão do Banco Central injetará R$ 49 bilhões na economia a partir de março

Foto: © Marcello Casal Jr./Agência Brasil

O Banco Central reduziu a alíquota do recolhimento compulsório sobre recursos a prazo de 31% para 25%, informou a autoridade monetária nesta quinta-feira. A redução da alíquota representa uma liberação de R$ 49 bilhões, com efeito a partir de 16 de março.

Os compulsórios são a parcela dos depósitos que os bancos são obrigados a manter no BC. Na prática, a redução da alíquota significa que as instituições financeiras terão mais dinheiro para emprestar aos seus clientes.

Após o anúncio, o dólar abriu em alta e bateu recorde das cotações máximas em pregão, a R$ 4,3871. Investidores também estão de olho no exterior e nos efeitos do coronavírus.

A medida anunciada pelo BC faz parte da Agenda BC#, no pilar competitividade, no âmbito da ação “redução estrutural dos recolhimentos compulsórios”, diz a nota.

O diretor de política monetária do BC, Bruno Serra, dará entrevista coletiva nesta quinta-feira, às 10h30, para detalhar a medida.

Segundo a nota, além de reduzir a alíquota de compulsório, o BC aumentou a parcela dos recolhimentos compulsórios considerados no LCR (Indicador de Liquidez de Curto Prazo).

Isso significa uma redução estimada em mais R$ 86 bilhões na necessidade de as instituições carregarem outros ativos líquidos de alta qualidade necessários para o cumprimento do LCR.

Reserva mínima

A crise financeira internacional de 2008 evidenciou que o risco de liquidez, notadamente nos sistemas financeiros das economias avançadas, não estava devidamente mitigado, segundo o BC.

Como aperfeiçoamento das regras prudenciais, foi introduzido o indicador de Liquidez de Curto Prazo (LCR), que passou a ser adotado no Brasil em outubro de 2015.

O LCR determina que as instituições devem manter uma reserva mínima de ativos líquidos para absorverem choques em cenários de estresse de liquidez.

Investimentos:Mesmo com juro baixo, há títulos do Tesouro que ainda valem a pena. Saiba quais são

“Os recolhimentos compulsórios podem, por sua vez, servir como mecanismo de incentivo à redistribuição de liquidez no sistema e de suporte à estabilidade financeira, como ocorreu ao longo da última década”, diz a nota.

O BC ressalta que as medidas “são consistentes com as regras prudenciais internacionalmente recomendadas e a manutenção da estabilidade financeira do Sistema Financeiro Nacional, apenas mitigando sobreposições entre os instrumentos”. conteudo_bc

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. FAZ DE CONTAS disse:

    Tira-se do Bolsa Família para investir na Bolsa de Valores.
    Os empresários, representado por Rogério Marinho, e Banqueiros, representados pelo próprio Guedes, agradecem.

  2. Everton disse:

    Mentiroso o título!! Libera dinheiro p os banqueiros e não na economia, o q é muito diferente!

Emparn confirma chuvas em todas as regiões do Estado para março, abril e maio, com até 533 milímetros

Foto: Sandro Menezes/ASSECOM/RN

A Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN – Emparn confirmou na manhã desta quarta-feira, 19, a previsão de chuvas acima da média histórica para o trimestre de março, abril e maio próximos. De acordo com o meteorologista Gilmar Bistrot, os padrões climáticos indicam a ocorrência de chuvas distribuídas em todas as regiões do Estado, sendo 479 milímetros na região Oeste, 376 na região Central, 342 na região Agreste e 533 milímetros na região Leste. Em todo o ano de 2019 a média de chuvas foi de 840 milímetros.

“A previsão climática, a partir das condições observadas desde janeiro deste ano indicam chuvas normais ou acima da média histórica para o Rio Grande do Norte”, afirma o meteorologista. Ele explica que explica que “as análises consideram parâmetros de temperatura na superfície dos oceanos, ventos e pressão atmosférica”. Segundo Bistrot há aquecimento no Atlântico Sul e temperatura baixa no Pacífico e isto favorece ocorrências de chuvas no Nordeste brasileiro nos próximos três meses. “Hoje há essa tendência”, reforçou.

A conclusão apresentada pela Emparn resulta das análises também de meteorologistas dos principais centros de previsão climática da região Nordeste que promoveram em Parnamirim, nesta terça-feira, 18, a III Reunião de Análise Climática para o Semiárido Nordestino – Etapa Rio Grande do Norte.

Os especialistas fizeram o balanço dos primeiros meses do ano, análises de modelos meteorológicos, condições atuais dos oceanos e elaboração de boletins para o período.

A governadora Fátima Bezerra participou da apresentação do boletim de análise e previsão climática, ocorrido no auditório da Governadoria, e avaliou o quadro como animador. Ela registrou que o Governo do RN tomou providências em apoio ao homem do campo como a distribuição de sementes no período certo para aproveitar o período das chuvas. “Inclusive”, destacou Fátima Bezerra, “este ano entregamos também sementes crioulas, que são adaptadas às condições de clima e solo de cada região do Estado, oferecendo assistência técnica pela Emater e apoio à agricultura familiar”.

O RN é o primeiro Estado no Brasil a implantar o sistema de aquisição e distribuição de sementes crioulas. Este ano foram investidos R$ 600 mil na compra de grãos produzidos pela agricultura familiar. “São produtos certificados pelo Mapa, de qualidade e com germinação garantida. E já estamos trabalhando para ampliar as compras para R$ 2 milhões em 2021, mais do que triplicando o investimento deste ano”, informou a Governadora.

A presença de técnicos da Paraíba, Bahia, Alagoas, Pernambuco e do Distrito Federal no RN para tratar do clima mostra que temos uma “integração regional dos estados que enfrentam as intempéries da seca e do semiárido. Isto é muito bom e produtivo por que estamos somando conhecimento e buscando soluções efetivas”.

O secretário de Estado do Desenvolvimento Rural e da Agricultura Familiar – SEDRAF, Alexandre Oliveira, disse que a ocorrência de chuvas regulares “beneficia o agricultor e a produção com garantia de colheita do milho e feijão principalmente, por que assegura a alimentação animal e humana, o que tem forte impacto econômico e social, mantendo as famílias produtivas. Temos no Rio Grande do Norte 60 mil cisternas e, com as chuvas, elas serão abastecidas, irão garantir o consumo humano, a segurança alimentar e a produção de forragem para as criações”.

César Oliveira, diretor geral da Emater, afirma que a chuva é insumo indispensável para as ações no campo. A ocorrência de precipitações regulares anima os agricultores e movimenta a economia principalmente para os pequenos e médios produtores”.

Também participaram da apresentação do relatório o coordenador da Defesa Civil estadual, tenente-coronel Marcos Carvalho, diretor do Instituto de Gestão das Águas do Estado do RN  – Igarn, Mário Manso, e meteorologistas dos estados que participaram da III Reunião de Análise Climática para o Semiárido Nordestino.

BENÇÃO: Após encontro no RN, meteorologistas anunciam que sertão vai ter bom período chuvoso nos meses de março, abril e maio

Foto: Arquivo/Emparn

Foi anunciado no fim da manhã desta quarta-feira(19), no auditório da Governadoria, o resultado da III Reunião de Análise Climática para o Semiárido Nordestino- Etapa Rio Grande do Norte. Os meteorologistas anunciaram que o sertão vai ter um bom período chuvoso nos meses de março, abril e maio, os principais da quadra chuvosa nordestina.

O evento contou com a presença da Governadora Fátima Bezerra, reuniu especialistas, autoridades, imprensa e sociedade em geral.

A reunião aconteceu ontem (18) na sede da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN) e reuniu meteorologistas dos principais centros de previsão climática do país que em conjunto analisaram as condições dos parâmetros globais como sistemas meteorológicos, temperatura da superfície do mar, vento e pressão atmosférica.

Disponíveis em Natal 340 novas vagas de cursos profissionalizantes em março; veja tabela com oportunidades

Foto: Arquivo

A Prefeitura do Natal, através da Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social (Semtas), disponibilizará 340 novas vagas para os Cursos de Qualificação Profissional Gratuitos para o mês de março. As inscrições serão realizadas no dia 18 de fevereiro (terça-feira), a partir das 8h30, encerrando às 16h30. Entre os cursos que serão oferecidos, estão: Recepcionista, Camareira, Libras, Inglês Básico e Português Básico para o Mundo do Trabalho.

As vagas são destinadas a pessoas que se encontram em situação de desemprego e jovens (a partir de 15 anos). Somente no ano de 2019, a Prefeitura ofereceu um total de 5.533 vagas do Programa de Qualificação Técnica, Tecnológica, Social e Profissional Continuada, e a expectativa é de que a procura da população em relação aos cursos aumente este ano.

Os cursos possuem carga horária de 60h, 100h, 160h e 200h. Os mesmos serão ofertados nos Centros Público de Emprego, Trabalho e Renda e nos Centros de Referência de Qualificação Profissional para o Trabalho. As aulas terão início no dia 02 de março. Nos cursos de Rotinas Administrativas e Recepcionista, as aulas irão até metade do mês de maio.

As inscrições poderão ser realizadas nos mesmos locais onde os cursos serão ofertados. Para se inscrever, os interessados deverão se apresentar com a seguinte documentação: Cópia do RG e originais, CPF, PIS, NIS, carteira de trabalho, comprovante de residência, comprovante de escolaridade, comprovação de conhecimentos técnicos quando o curso exigir. Confira aqui a tabela com os locais de inscrições, cursos oferecidos, turnos, períodos dos cursos, quantidades de vagas oferecidas para cada curso e pré-requisitos:

Aumento do desemprego formal em março “não frustra”, e é “movimento natural da sazonalidade”, diz secretário

O secretário de Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Dalcolmo, durante divulgação de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). FOTO: Fabio Rodrigues Pozzebom/Arquivo Agência Brasil

O aumento do desemprego formal em março é, segundo técnicos do governo, uma postergação das demissões que costumam ocorrer no mês de fevereiro. De acordo com o secretário de Trabalho da Secretaria Especial da Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia, Bruno Dalcolmo, trata-se de um “movimento natural da sazonalidade”, em função das contratações de fim de ano.

“Ao que parece, os empresários seguraram mais os trabalhadores, até pelo carnaval, que foi no mês de março”, disse.

Números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quarta-feira (24) apontam que o mercado formal de trabalho apresentou um saldo negativo de 43.196 empregos com carteira assinada em março de 2019. O saldo é resultante de um total de 1.216.177 admissões e de 1.304.373 demissões no período.

O resultado negativo não frustrou as expectativas do secretário. “Não frustra porque é um movimento natural da sazonalidade. Mês passado tivemos um volume de contratações muito acima das expectativas, inclusive do mercado. Com isso, na média entre os dois meses, o crescimento do número de postos gerados está em linha com o que se esperava”, disse Dalcolmo durante a coletiva na qual foram apresentados os números.

Em fevereiro, o saldo do número de vagas formais havia ficado positivo, com 173.139 admissões (1.453.284 admissões e 1.280.145 demissões). Com isso, no acumulado do bimestre (fevereiro/março), o saldo está em 129.943.

A expectativa do secretário é que, com o crescimento da economia, “que ainda não é forte mas tende a se acelerar ao longo do ano” – e com a aprovação reforma da Previdência -, a situação melhore nos próximos meses.

Segundo o secretário, abril costuma ser um mês “bastante positivo” devido às contratações para o Dia das Mães.

Perguntado sobre o peso que a reforma trabalhista já em vigor teve para o cenário atual, Dalcomo disse que “o emprego não se cria de maneira espontânea” e que é preciso que a economia esteja ajustada e volte a crescer para que o mercado de trabalho consiga reagir.

“A modernização trabalhista tem apresentado números muito positivos em termos de segurança jurídica, de redução do volume de ações judiciais da indústria. Houve uma queda de 35% da utilização de maneira muito pouco correta da Justiça do Trabalho”, argumentou.

Dalcomo teceu elogios às regras da nova legislação trabalhista que possibilitam contratações para trabalhos intermitentes. Segundo ele, no comparativo entre os meses de março de 2019 e março de 2018 houve aumento de 50% na utilização dos contratos intermitentes.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Elvys disse:

    É o fresco eh….

  2. Ceará-Mundão disse:

    Nenhuma explicação irá convencer aqueles que sempre torcem contra o Brasil e a favor dos seus próprios interesses. Mas, o Brasil está no caminho certo e se os parlamentares de oposição deixarem de molecagem e aprovarem as reformas de que o país precisa, entraremos num longo período de progresso.

    • Zé Raimundo disse:

      E o velho Ceará Bundão cantarolando a mesma ladainha repetindo sempre as mesmas palavras de ordem. Será que a falta de inovação é por incapacidade de inovar ou por falta de argumentos?

    • Ceará-Mundão disse:

      Vc prefere repetir as ladainhas da sua turma. Tipo "não é reforma, é o fim da sua aposentadoria", "Lula livre", "é gópi", essas baboseiras que vcs repetem como papagaios. Prefiro repetir a verdade, "cumpanhero". Pode ser que vc aprenda algo com essa repetição. É como adestrar um cão, entende? A propósito, tenha um pouco de civilidade. Sua mamãe não lhe ensinou bons modos?

    • Ceará-Mundão disse:

      Vc já ouviu falar em Lenin, "cumpanhero"?

    • Sensato disse:

      Nenhuma explicação irá convencer aqueles que sempre fecham os olhos para os reais problemas do Brasil e só pensam em favor do interesse de poucos. O Brasil está no caminho errado e se os parlamentares de oposição deixarem de defender o povo do malefício dessas reformas que o país não precisa, jamais entraremos resguardados num longo período de garantia de direitos e dignidade.

    • Netto disse:

      Insensato é continuar se fazendo as mesmas coisas, se esperando resultados diferentes. Reformas já.

    • Ceará-Mundão disse:

      Segundo sua opinião, Sensato (péssima escolha de pseudônimo), nós já vivemos um "longo período de garantia de direitos e dignidade". Vc certamente achou isso do período nebuloso em que o Brasil foi (des) governado pelo PT. E o resultado nós vimos e ainda estamos vendo por toda parte. São pessoas como vc que só pensam "no interesse de poucos" (no próprio e no da sua turma). E foi exatamente por isso que o povo brasileiro resolveu expulsá-los do poder. Conforme-se, aceite a realidade e torça pelo Brasil. Ao menos dessa vez, tá?

Economia brasileira fecha 43 mil empregos formais em março

A economia brasileira fechou 43.196 empregos com carteira assinada em março deste ano, segundo números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quarta-feira (24) pelo Ministério da Economia.

O saldo é a diferença entre as contratações (1.216.177) e as de demissões (1.304.373) no período.

Esse foi o primeiro resultado negativo em três meses. A última vez que o Brasil havia registrado demissões foi em dezembro do ano passado, com o fechamento de 341.621 postos com carteira assinada.

O resultado surpreendeu os analistas do mercado financeiro, que estimavam nova abertura de vagas no mês passado.

Esse também foi o pior saldo para meses de março desde 2017, quando 62.624 trabalhadores foram demitidos. No mesmo mês do ano passado, foram registradas 56.151 contratações.

Após três anos seguidos de demissões, a economia brasileira voltou a gerar empregos com carteira assinada em 2018, quando foram abertas 529.554 vagas formais, de acordo com dados oficiais.

Secretário vê ‘movimento natural’

O secretário de Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Dalcolmo, afirmou que o fechamento de vagas em março é um “movimento natural de mercado”.

Ele notou que, em fevereiro, a abertura de 173 mil vagas formais veio acima das expectativas do mercado, ocorrendo um ajuste no mês seguinte. Dalcolmo avaliou que as empresas atrasaram as demissões de fevereiro para março.

Para o subsecretário-substituto de Políticas Públicas e Relações do Trabalho, Mário Magalhães, os números do emprego formal mostram que a “economia não decolou”.

“Continua em um ritmo lento, em um certo compasso de espera em alguns setores. Tem a ver com a conjuntura, com a reforma da Previdência. Há uma expectativa do mercado que está em suspenso. Mas os resultados de março não significam que a economia entrou em processo de estagnação ou retração”, acrescentou ele.

Primeiro trimestre

Os números oficiais do governo mostram também que, nos três primeiros meses deste ano, foram criados 179.543 empregos com carteira assinada.

Já nos últimos 12 meses, segundo o Ministério do Trabalho, foi registrada a criação de 472.117 postos de trabalho formais.

Com o resultado de março, o estoque de empregos estava, no final daquele mês, em 38.590 milhões de vagas, contra 38.118 milhões no mesmo mês de 2018.

Por setores

Os números do governo revelam que, em março, houve fechamento de vagas em cinco dos oito setores da economia.

O maior número de empregos criados aconteceu no setor de serviços. Já o comércio foi o setor que mais demitiu.

Indústria de Transformação: -3.080
Serviços: +4.572
Agropecuária: -9.545
Construção Civil: -7.781
Extrativa Mineral: +528
Comércio: -28.803
Administração Pública: +1.575
Serviços Industriais de Utilidade Pública: -662

Dados regionais

Segundo o governo, houve fechamento de vagas formais, ou seja, com carteira assinada, em todas as regiões do país em março deste ano.

Sudeste: -10.673
Sul: -1.748
Centro-Oeste: -1.706
Norte: -5.341
Nordeste: -23.728

O governo informou ainda que, das 27 unidades federativas, 19 tiveram saldo negativo (fechamento de empregos formais) em março deste ano.

Os maiores saldos positivos de emprego ocorreram em Minas Gerais (+5.163), Goiás (+2.712) e Bahia (+2.569 vagas).

Os maiores volumes de demissões foram registrados em Alagoas (-9.636), São Paulo (-8.007) e Rio de Janeiro (-6.986).

Trabalho intermitente e parcial

Segundo o Ministério do Trabalho, foram realizadas 10.328 admissões e 4.287 desligamentos na modalidade de trabalho intermitente em março deste ano. O trabalho intermitente ocorre esporadicamente, em dias alternados ou por algumas horas, e é remunerado por período trabalhado.

Como o total de admissões nessa modalidade foi maior que o de demissões, houve um saldo positivo de 6.041 empregos no período.

Foram registradas ainda, no mês passado, 7.085 admissões em regime de trabalho parcial e 4.956 desligamentos, gerando saldo positivo de 2.129 empregos. As novas modalidades de trabalho parcial, definidas pela reforma trabalhista, incluem contratações de até 26 horas semanais com restrições na hora extra ou até 30 horas por semana sem hora extra.

Ocorreram, ainda, 18.777 desligamentos mediante acordo entre empregador e empregado, modelo de negociação também introduzido com a reforma trabalhista.

Queda do salário médio de admissão

O governo também informou que o salário médio de admissão foi de R$ 1.571,58 em março. Em termos reais (após a correção pela inflação), houve queda de 0,51%, ou R$ 8,1, no salário de admissão, na comparação com o mesmo mês de 2018.

Em relação a fevereiro de 2019, porém, houve uma alta real de 0,12%, ou de R$ 1,92, no salário médio de admissão, informou o Ministério da Economia.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carlos disse:

    A verdade!
    Jan + 34 mil
    Fev + 173 mil
    Mar – 43 mil
    SALDO DO GOVERNO BOLSONARO
    POSITIVO DE 164 MIL EMPREGOS

  2. Carlos disse:

    Vale para o Blogueiro e para vocês que ficam escrevendo besteiras por aí!!!!
    Antes de chegar a qualquer conclusão, raciocinem, pensem, COLOQUE TICO PARA FALAR COM TECO A FIM DE NÃO FICAREM PAGANDO MICO! Boa semana a todos

  3. maria disse:

    Tenho 25 anos de mercado no Rio Grande do Norte , trabalho com vendas para empresas, conheço quase todos os maiores empresários desse estado. Ninguém está esperando a reforma da previdência para investir, abrir POSTOS de trabalho. O que realmente cria emprego é demanda e salário….. O governo sabe disso. O resto é MENTIRA!!! Se houvesse demanda para meus produtos abriria as vagas que fossem necessárias, independente da previdência. O argumento da reforma da previdência é o mesmo da reforma trabalhista. Tudo mentira.

    • Netto disse:

      O que gera empregos é facilidade de se economizar e de se empreender.

    • Ceará-Mundão disse:

      A única mentira evidente por aqui é o seu comentário, Da. Maria. De tão absurdo, nem dá prá comentar. Vade retro.

  4. Pedro disse:

    Rumo a atual situação da Argentina.
    Lamentáve,l mas segue o jogo

  5. Keyla disse:

    Ninguém pergunta ao Rogério Marinho para onde foram os 6 milhões de empregos que a reforma trabalhista ia gerar?
    Como pôde ser observado com a reforma da previdência, ele é realmente muito bom com esses cálculos, deve ser por isso que mantém em sigilo!

    • Marcos disse:

      Disse tudo, se aprovarem essa reforma da previdência, irá aparecer outra coisa para poder gerar os empregos. Ou seja, fala muito e os empregos, nada.

    • Ceará-Mundão disse:

      Aprenda a somar e subtrair e calcule os saldos apresentados no artigo. Melhor, LEIA o artigo. Não que isso vá fazer diferença pois, de gente como vc já sabemos a opinião: SEMPRE por seus próprios interesses e objetivando a volta da sua turma ao poder. Vcs são anti Brasil.

    • Keyla disse:

      Amiguinho, quem não sabe fazer uma conta simples é você! Você está se vangloriando por menos de 600 mil vagas de empregos geradas, a promessa foi de 6 MILHÕES!!! Lembre-se, essa reforma trabalhista passou com casca e tudo, até mesmo com a aprovação de trabalho insalubre pra gestantes. Onde estão os 6 milhões???

    • Ceará-Mundão disse:

      Tem um artigo lá na frente onde o Secretário do Trabalho comenta essa sua questão. Leia, ao menos. Mas empregis foram criados após 2018, sucedendo três anos de queda. Isso é fato.

  6. Ceará-Mundão disse:

    Embora o saldo ainda seja positivo, precisamos das reformas propostas pelo governo Bolsonaro para que a economia do país deslanche. E a oposição não quer isso. Torce pelo pior, pensando em eventuais benefícios eleitorais. Para essa gente, só o poder e suas "boquinhas" importam. Para eles, o Brasil que se f…

    • Marcos disse:

      Ah ta kkkkkkk. A reforma trabalhista iria criar milhões de empregos, não dependia da reforma da previdência. A pergunta é, por que não gerou ?

    • Ceará-Mundão disse:

      Gerou, "cumpanhero". Veja o saldo nos últimos 12 meses e no último trimestre. Veja que os empregos começaram a surgir em 2018, após TRES anos seguidos de queda. Informações estão no artigo, que seu fanatismo lhe impede até de ler. Pelo menos seja honesto e não comente.

  7. Cidadão Indignado disse:

    Com a palavra o deputado do mal que foi o principal articulador dessa aberração chamada reforma trabalhista. Onde estão os empregos que RM prometeu? Deveria ser processado por estelionato.

  8. Cidadão Indignado disse:

    É a maldita reforma trabalhista dando resultados. Falta só a amaldiçoada reforma da previdência pra esse País virar um caos de vez. Vamos monitorar os políticos do RN que votarão a favor dessa aberração. Vamos dar o troco já nas eleições do ano que vem. Acorda Brasil!

    • Ceará-Mundão disse:

      Não force a barra. Ao contrário, não fosse a reforma trabalhista a coisa ainda estaria pior. Só que não é o único fator nem sequer o mais importante a considerar. Diga aos parlamentares da oposição para deixarem de molecagem e aprovarem as reformas do governo Bolsonaro, principalmente a previdenciária, que veremos a economia brasileira "bombar". Mas, vcs da oposição não querem isso. Torcem contra o Brasil. Torcem pelo pior, pensando que isso irá lhes ajudar a voltar ao poder. Esse é o nosso grande problema.

    • IBMendonca disse:

      Ceará-Mundão, não sei se esse é teu nome, mude teu discurso…tu só faz falar que a oposição tem que aprovar as reformas do governo Bolsonaro para a economia do país "bombar". Tu não tem garantia nenhuma disso. Isso também foi prometido pelo então deputado Rogério Marinho na época da reforma trabalhista e até agora o que foi visto foi exatamente o contrário, ou você não lembra disso???
      Pelos cálculos do então governo Temer, a reforma trabalhista geraria milhares de empregos já nos primeiros 2 anos…até agora nada!
      Pelos cálculos do então governo Bolsonaro, a reforma da previdência irá gerar uma economia de 1 trilhão em 10 anos….mas quem garante que isso ocorrerá mesmo??? Todo o memorial de cálculo da reforma da previdência foi declarado sigiloso, por que será????
      O governo deveria era parar de sacar dinheiro da previdência através da DRU, entre outras coisas que podia cortar!!!!

    • Netto disse:

      Acorde vc. A previdenciária e urgente. Quase ninguém no RN se aposenta por tempo de contribuição, tudo sendo custeado por impostos de todos. A trabalhista só fez dar uma tolhida nas ações irresponsáveis. Quase nada se tem gerado de intermitentes por aqui. E se a idéia era baratear a mão-de-obra, a reforma deveria estar promovendo uma onda de contratações de intermitentes e temporários.

    • Ceará-Mundão disse:

      Claro que é pseudônimo. Ou vc acha que alguém tem esse nome. E não se muda a realidade. Tem que aprovar a reforma sim. E dela depende o futuro do Brasil e do RN. Vc é que precisa adquirir juízo e consciência da realidade e largar dessa infantilidade de ser contra tudo que parte do governo Bolsonaro. Só lembrando que o presidiário Lula, qdo. presidente, fez DUAS reformas da Previdência (2003 e 2005) e a louca ensacadora de vento enviou proposta ao Congresso em janeiro de 2016. Fatos concretos. Vire o disco vc, rapaz, e ao menos finja ser brasileiro.

    • Ceará-Mundão disse:

      A propósito, os cálculos serão mostrados agora, no momento apropriado. Quanto à DRU, lembre que os governos do PT foram seus fortes defensores. Assim como fizeram (Lula em 2003 e 2005) e propuseram (Dilma em janeiro de 2016) reformas previdenciárias. Fatos concretos. Sem mimimi.

    • IBMendonca disse:

      Tu é muito explosivo Ceará-Mundão.
      O constante uso do argumento ad hominem não é bom para diálogos argumentativos.
      Perde credibilidade…fica a dica e boa sorte!!!

    • Netto disse:

      Pois, é a DRU foi criada em 2000 no em 20%. O PT a manteve, reeditando-a, de sorte a prorrogar até 2015. Aí Temer conseguiu do Congresso prorrogá-la e majorá-la para 30%. Mas como sabemos, se for 20% pode (é lindo, fofo, progressistas, cute-cute…).; 30% é coisa de gente que quer mandar pobre para a câmara de gás.

    • Ceará-Mundão disse:

      Meus comentários não tentam "mudar" ninguém, IBM. Muito menos alguém claramente de esquerda, como vc, que NUNCA admitirá a realidade. O povo brasileiro não quer mais a esquerda, meu caro, e por isso elegeu Bolsonaro. Infelizmente, o RN foi na contramão e pagará o preço da escolha equivocada, embora eu sinceramente torça pelo contrário (mas não creia nisso). Apenas não suporto mentiras e injustiças (estão fazendo isso com o Bolsonaro desde a eleição) e não sei torcer contra meu pais. Não sou suicida, talquei?

Abril começa com chuvas, após inverno ficar acima da média em março; veja situação de reservatórios, e municípios mais “banhados” do início do ano até o momento

Foto: Canindé Soares

A gerência de meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária (Emparn) divulgou o relatório das chuvas no mês de março no Rio Grande do Norte concluindo que o volume fechou 4% acima da média histórica, além de um bom volume, também houve uma boa distribuição espacial e temporal das chuvas em quase todo o Estado. Destaque para a Região Oeste que, em média, encerrou o mês que costuma ser o mais chuvoso, com valores que superaram os 200 milímetros. Em todo o Estado, a região Oeste foi a mais castigada com os anos seguidos de seca.

Segundo o meteorologista Gilmar Bristot, as chuvas abaixo de 100 mm concentraram-se basicamente na mesorregião Agreste, onde costuma chover com mais intensidade a partir de abril. O maior índice acumulado foi registrado no município de Martins com 425,4mm. De acordo com a análise pluviométrica (disponível na página da Emparn na Internet), “a média climatológica utilizada no estudo refere-se aos postos pluviométricos com mais de 30 anos de dados, no período de 1963 a 2007”.

Na Mesorregião Oeste, o volume médio previsto para março era de 197,5 mm e choveu 218,9 milímetros, 10,8% acima do esperado. Na Central, 5,1% a mais, e no Agreste, 13% acima do previsto. Para a região Leste estavam sendo esperados 166,9 mm e choveu 151,7, queda de (-9,1), segundo a Emparn. No Litoral Leste e na região Agreste o período chuvoso começa em abril.

Os dados atualizados, da empresa de pesquisa, mostram ainda que 11 municípios já atingiram volume de chuva em que o inverno é considerado normal. É o caso de Janduís, no Médio Oeste. De 01 de janeiro até 02 de abril, o acumulado no município é de 758,7 milímetros.

A faixa de “inverno normal” varia de município para município. A de Janduís vai de 602,3mm até 885,9mm. Acima desse volume o ano é considerado “chuvoso”. Se ultrapassar os 1.115,7, a condição é de “muito chuvoso”.

RESERVATÓRIOS

Com a intensificação das chuvas nos últimos dias, os três maiores reservatórios do RN começaram a tomar água. Entre 29 de março e 03 de abril, entraram na Barragem Armando Ribeiro 35,7 milhões de metros cúbicos; na Santa Cruz de Apodi 3,7 milhões e na Umari (Upanema), 18,3 milhões. Quatro reservatórios de pequeno porte, monitorados pelo governo, atingiram os 100% de capacidade. São eles: Encanto, Pataxó, Riacho de Cruz II e Beldroega.

Os reservatórios abastecidos pelas duas grandes bacias hidrográficas no semiárido, Piranhas/Açu e Apodi/Mossoró, acumulam, neste início de abril, 1 bilhão de metros cúbicos de água, ou 1 trilhão de litros.

Para as próximas semanas, os mapas meteorológicos mostram boa concentração de chuvas sobre o Nordeste brasileiro atingindo também o Rio Grande do Norte. Nos dois períodos observa-se a presença da Zona de Convergência Intertropical atuando sobre a região Nordeste e com previsão de que ocorram chuvas acumuladas acima de 150 mm nos próximos 15 dias.

ACUMULADO DE CHUVAS (01 de janeiro a 03 de abril de 2019)

Martins 856,1

Janduís 758,7

João Dias 676,8

Timbaúba dos Batistas 665,0

Baraúna 654,2

Extremoz 612,8

Rodolfo Fernandes 606,8

Campo Grande 598,4

Natal (Ufrn) 592,7

Serra Negra do Norte 580,2

Paraú 576,7

Major Sales 571,9

Tenente Ananias 571,3

São Vicente 564,0

 

Mês de março no RN fecha com volume de chuvas 4% acima da média; previsão de mais “água” nos próximos 15 dias

FOTO: ASSECOM/EMPARN

A gerência de meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN), divulga o relatório das chuvas no mês de março no RN concluindo que o volume fechou 4% acima da média histórica. Foi verificada uma boa distribuição espacial e temporal das chuvas em quase todo o Estado, com destaque para a Região Oeste que, em média, encerrou o mês com  valores que superaram os 200 milímetros (mm)

Segundo o meteorologista Gilmar Bristot, chuvas abaixo de 100mm concentraram-se basicamente na mesorregião Agreste. O maior índice acumulado foi registrado no município de Martins com 425,4mm. De acordo com a análise pluviométrica (disponível na página da EMPARN na Internet), “a média climatológica utilizada no estudo refere=se aos postos pluviométricos com mais de 30 anos de dados, no período de 1963 a 2007. Os mapas metrológicos mostram que houve predominância de desvios percentuais em grande parte das regiões Oeste, Seridó e Vale do Assú.

PREVISÃO

A análise da meteorologia da EMPARN diz que “as atuais condições oceânicas/atmosféricas mostra a presença do Fenômeno El Nino fraco no Oceano Pacífico, com tendência de apresentar uma diminuição  na sua intensidade nos próximos meses”.  Destaca ainda que “esse comportamento associado às boas condições apresentadas pelo Oceano Atlântico, onde a bacia Norte deste oceano está mais fria do que a bacia Sul, favorecem para que as chuvas durante os meses de abril e maio de 2019 ocorram de forma normal na região Nordeste”.

Para as próxima semanas, os mapas meteorológicos mostram uma boa concentração de chuvas sobre o Nordeste brasileiro atingindo também o Rio Grande do Norte. Nos dois períodos observa-se a presença do sistema meteorológico Zona de Convergência Intertropical atuando sobre a região Nordeste e com previsão de que ocorram chuvas acumuladas acima de 150mm, para os próximos 15 dias.

Emparn destaca mais chuvas pelo Estado, principalmente, no interior, entre esta quarta e sexta; confira previsão

Reprodução: Emparn

Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte(Emparn), neste caminhada para o fim de março, destaca novas pancadas de chuvas em toda as regiões do estado, especialmente, no interior. Instabilidades associadas a presença da Zona de Convergência Intertropical são as responsáveis pelo registro pluviométrico.

Segunda e terça registraram chuvas no interior do RN; veja boletim pluviométrico em municípios

Boletim Pluviométrico da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte(Emparn) registrou entre segunda-feira(18) e terça-feira(19) os maiores volumes de chuvas em Portalegre(15 milímetros), Currais Novos(26,7 milímetros), Equador(23,6 milímetros), Bento Fernandes(29 milímetros), São Paulo do Potengi(28 milímetros) e Bom Jesus(25,5 milímetros).

OESTE POTIGUAR

Portalegre(Particular) 15,0
Paraná(Emater) 9,5
Lucrécia(Emater) 9,0
Tenente Ananias(Emater-st Mororo) 8,5
Rafael Godeiro(Emater) 5,4
Jose Da Penha(Emater) 5,1
Umarizal(Fazenda Camponesa(partic)) 5,0
Baraúna(Emater) 4,8
Francisco Dantas(Emater) 4,0
Patu(Particular) 4,0
Areia Branca(Emater) 3,1
Coronel João Pessoa(Emater) 2,2
Água Nova(Prefeitura) 1,5
Martins(Particular) 0,5

CENTRAL POTIGUAR

Currais Novos(Sec Meio Amb. Ex Cersel) 26,7
Equador(Particular) 23,6
Florânia(Sitio Jucuri) 8,7
Parelhas(Emater) 6,5
São Jose Do Serido(Associacao Usuarios Agua) 5,5
São Bento Do Norte(Prefeitura) 5,0
Cerro Cora(Emater) 2,7
Jardim De Angicos(Emater) 2,5
Santana Do Serido(Emater) 2,4
São Vicente(Emater(ex-particular)) 1,8
Acari(Particular) 1,5
Jardim Do Serido(Emater/passagem) 1,5
Pedro Avelino(Particular) 0,4

AGRESTE POTIGUAR

Bento Fernandes(Riacho Dos Paus-part.) 29,0
São Paulo Do Potengi(Emater) 28,0
Bom Jesus(Particular) 25,4
Santa Maria(Sind.trab.rurais) 17,0
Ielmo Marinho(Prefeitura) 14,0
Coronel Ezequiel(Particular) 6,0
Rui Barbosa(Emater) 5,3
Boa Saúde(Emater) 5,1
Monte Das Gameleiras(Emater) 5,0
Sitio Novo(Prefeitura) 5,0
Parazinho(Emater – Ex-particular) 4,1

LESTE POTIGUAR

Montanhas(Prefeitura) 6,2
Ceará-Mirim 5,0
Espírito Santo(Prefeitura) 3,6
Natal 1,8

TRT-RN: Prazo para saque de alvarás em papel termina agora em março

Com a implantação do Alvará Eletrônico pelo Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (TRT-RN), no último dia 7 de fevereiro, todos os valores pagos pelas Varas do Trabalho do Rio Grande do Norte, por meio de alvará, são depositados diretamente na conta dos beneficiados.
“Esse sistema, implantado em parceria com o Banco do Brasil, garante rapidez e segurança para advogados, empresas, trabalhadores e peritos quanto ao recebimento dos valores a que têm direito”, destaca o presidente do TRT-RN, desembargador Bento Herculano Duarte Neto.

Com a emissão dos alvarás judiciais por meio eletrônico, os alvarás em papel, já emitidos e enviados ao Banco do Brasil, perderão a validade em 30 dias após o início da operação do Alvará Eletrônico, segundo Provimento editado pelo TRT-RN.

“O prazo termina agora em março e é bom que aquelas pessoas que têm alvarás em papel, no caso do Banco do Brasil, procurem as agências do banco para sacar seus alvarás”, orienta o presidente do TRT-RN.

Com o Alvará Eletrônico, a ordem de pagamento do alvará emitida pelo juiz da Vara será depositada de imediato nas contas indicadas, em procedimento similar a um internet banking.

Confira o Provimento na íntegra: https://goo.gl/3xMNDc

Para acessar o Alvará Eletrônico entre no site do TRT-RN (www.trt21.jus.br) e siga o caminho: Serviços->Guia de Depósitos Judiciais e Recursais->Banco do Brasil (PJe).

Fonte: Ascom – TRT/21ª Região

Obra de túnel sob as avenidas Capitão Mor Gouveia e São José ficará pronta em março e promete fim dos alagamentos em áreas de Candelária e Lagoa Nova e Dix Sept Rosado

A Semov deve finalizar em março deste ano as obras do túnel sob as avenidas Capitão Mor Gouveia e São José, em Lagoa Nova. De acordo com o secretário Tomaz Neto, os serviços acabarão com pontos de alagamento em três bairros das regiões Sul e Oeste.

A obra, tocada pela empresa EIT, faz parte do chamado lote 01 das obras de mobilidade urbana, que compreendiam serviços em diversos pontos daquela região. “Esse túnel, no valor de R$ 8 milhões, é parte integrante do lote 01 das obras de mobilidade, que tiveram um custo final de R$ 119 milhões, com 57 milhões já executados e faltando 62 milhões”, explicou Tomaz Neto.

Fim dos alagamentos

Ainda de acordo com o secretário de Obras, com o término da obra, diversos pontos de alagamento dos bairros de Candelária e Lagoa Nova, na zona Sul, e Dix Sept Rosado, na região Oeste, terão fim. “Acabaremos, de vez, com aqueles problemas que enfrentamos em temporadas de chuvas. Com casas tomadas pela água e população com receio de perder seus utensílios domésticos. Com a obra, as águas irão para as lagoas do Centro Administrativo”, finalizou Tomaz Neto.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Reiouse disse:

    Março de que ano?

  2. FELIX disse:

    BOA NOITE, ESTA OBRA VEM SE ARRASTANDO HÁ TEMPO.

SINE-RN disponibiliza nesta terça 877 vagas de emprego; Natal, região metropolitana, Mossoró e outras cidades

O Sistema Nacional de Emprego (SINE) no RN disponibiliza para esta terça-feira (25), 877 vagas de emprego para Natal, região metropolitana, Mossoró e região. Faça uma busca aqui  e veja se existe uma vaga adequada ao seu perfil.  Caso você encontre uma oportunidade, e não seja ainda cadastrado(a) no SINE, procure o quanto antes uma Unidade do SINE Estadual mais próxima de sua casa. Não se esqueça de levar Carteira Profissional de Trabalho, Nº do PIS, RG, CPF e os comprovantes de residência e escolaridade.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. paulo kasinsk disse:

    Completando"Tenho pena da minha amiga", claro.

  2. paulo kasinsk disse:

    Como se escreve mal neste país, meu caro editor. Todo dia, de hora em hora, a cada minuto assistimos o assassínio da língua portuguesa. Emprego até que tem, e eu não sei como é que as empresas se viram na hora de contratar, porque o despreparo é mais do que comum. O constrangimento é geral, mesmo num simples e-mail de uma ou duas linhas. Alguns executivos estão correndo atrás, fazendo cursos, para não ter que pagar mico perante sua diretoria; imagine a parte aqui embaixo. Para onde você se vira, meu estimado, está lá o maltrato com a nossa língua. As aberrações são tantas que já chegou às redações do jornalismo. A publicidade, coitada, essa é uma das que mais sofrem. São erros grosseiros, verdadeiros crimes de lesa-pátria. Um texto bem ou mal escrito diz muito sobre o seu autor; tenho uma amiga que largou um paquera pelo meio do caminho porque o cidadão soltou um "menas". 'Kasinsk, brochei!'. Até hoje tenho da minha amiga..

SINE-RN disponibiliza 1.066 vagas de emprego; Grupo Pão de Açúcar com 250 oportunidades de imediato

O Sistema Nacional de Emprego (SINE) no RN disponibiliza para esta quinta-feira (20), 1.066 vagas de emprego para Natal, região metropolitana, Mossoró e região. Faça uma busca aqui e veja se existe uma vaga adequada ao seu perfil.  Caso você encontre uma oportunidade, e não seja ainda cadastrado(a) no SINE, procure o quanto antes uma Unidade do SINE Estadual mais próxima de sua casa. Não se esqueça de levar Carteira Profissional de Trabalho, Nº do PIS, RG, CPF e os comprovantes de residência e escolaridade.

Bancos aumentam juros de cheque especial e empréstimo pessoal em março

Os juros cobrados pelos bancos no cheque especial e no empréstimo pessoal voltaram a subir em março em relação ao mês anterior, de acordo com pesquisa realizada pela Fundação Procon-SP. Na comparação com o levantamento de fevereiro, a taxa média cobrada do cheque especial passou de 8,66% ao mês para 8,81%. Já a taxa média mensal de empréstimo pessoal subiu de 5,44% ao mês para 5,46% no mesmo período.

Das sete instituições financeiras que fazem parte da coleta, três elevaram suas taxas de empréstimo pessoal (Bradesco, Caixa Econômica e HSBC) e cinco aumentaram as taxas de cheque especial (Bradesco, Caixa Econômica, HSBC, Itaú e Santander).

Em relação ao empréstimo pessoal, a maior alta verificada foi no Banco HSBC, que elevou a taxa de 5,77% ao mês para 5,87%. Já no caso do cheque especial, o maior avanço foi verificado no Banco Bradesco, que alterou de 9,03% ao mês para 9,44%.

Conforme a entidade, os dados usados no levantamento se referem a taxas máximas prefixadas para clientes (pessoa física) não preferenciais, independente do canal de contratação. Para o cheque especial foi considerado o período de 30 dias. Já para o empréstimo pessoal, o prazo de contrato é de 12 meses.

Estadão

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Júlio Dalcin disse:

    São os verdadeiros agiotas.