Prefeitura expõe projeto de engorda de Ponta Negra em audiência pública

Foto: Reprodução

Nesta quarta-feira (18), o titular da Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semov),Tomaz Neto, participou de audiência pública na Câmara Municipal para debater as obras de enrocamento e engorda da praia de Ponta Negra, representando a Prefeitura do Natal.

Proposta pela vereadora Ana Paula (PL), a reunião contou com a participação de moradores e comerciantes da Vila de Ponta Negra, Idema, Semsur, Semurb, Aeronáutica e líderes comunitários do bairro de Ponta Negra. Na audiência, o secretário informou sobre a proposta da engorda e sua importância para a vida útil daquela região. “Fizemos vários estudos ao longo dos anos e descobrimos que a melhor alternativa para a praia é a engorda, que dará uma maior segurança para todos e nos dará uma faixa de praia de mais 30 metros, possibilitando os esportes náuticos e protegendo a nossa praia de futuras erosões”, explicou Tomaz Neto.

A obra da engorda, que será feita logo depois dos serviços de enrocamento restante (e que deverão iniciar até o mês de dezembro), iniciarão em 2020. “Estamos em contato com os técnicos do Idema para a liberação dos serviços (2 km de enrocamento). Depois disso, iremos passar para a etapa da engorda, no próximo ano. Todo esse processo engloba R$ 56 milhões de reais, numa parceria entre o Governo Federal e a gestão municipal”, ressaltou o secretário de Obras.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Silva disse:

    De novo??
    Bumba meu boi era garrote, quanto tocaram nesse assunto pela primeira vez.

  2. Almir Dionisio disse:

    Aqui em Natal tudo é o contrário, fazem as obras no período de alta estação.
    A orla urbana de Natal é uma vergonha para os potiguares – a mais feia do Nordeste, quiçá do BRASIL.
    Sujeira e ………

  3. ALEX DE MESQUITA disse:

    PARABÉNS A PREFEITURA!!!
    SÓ FALTA AGORA ALGUNS AMBIENTALISTAS BOTAREM AREIA

    • joaozinho da escola disse:

      Homi… se eles pelo menos colocassem a areia, ja ajudava na economia da obra. Mas nem nisso ajudam. So colocam dificuldades pra serem do contra.

Namorar engorda, afirmam psicólogos

Combinando a dieta. Opções escolhidas são similares com as das pessoas mais próximasFoto: Fábio Seixo

 

Pessoas que escolhem pratos não saudáveis do menu podem influenciar as escolhas alimentares do amigo (a) ou parceiro (a). É o que diz estudo da Universidade de Birmingham, na Inglaterra. A pesquisa envolveu 100 voluntárias do sexo feminino. Elas deveriam fazer uma escolha entre frutas e legumes ou batatas fritas, doces e salsichas.

A experiência mostrou que as opções escolhidas combinam frequentemente com as das pessoas mais próximas. A influência existe mesmo quando a voluntária se encontra em uma dieta. O resultado, dizem os pesquisadores, ajuda a explicar o porquê de algumas pessoas se queixarem de engordar quando estão em um relacionamento. A resposta seria a vontade de agradar o companheiro (a).

— Há muitas provas que apontam para a ideia de que seus amigos e parceiros podem te engordar — diz o psicólogo Eric Robinson, autor do estudo. — Saber disso pode ajudar as pessoas a terem mais cuidado com o que comem. Uma dica é olhar para o menu e tentar fazer o pedido antes de quem está junto.

O Globo

Namorar engorda mesmo e estudos comprovam, diz médico

A publicitária Paula Egas perdeu 7 kg nas últimas dez semanas. Com a ajuda do noivo Renato, que é cozinheiro profissional, ela adotou um novo cardápio, com refeições mais leves, usando cereais integrais, comendo de três em três horas.

Mas nem sempre foi assim. No primeiro ano de namoro, a paulistana, que hoje mora em Curitiba, ganhou 15 kg. “Ele me conquistou pelo estômago”, brinca. No começo do namoro, há três anos, ela pesava 80 kg. Chegou a 105 kg, antes da dieta atual, e está com 98 kg no momento.

Paula engordou 15 kg apenas no primeiro ano de namoro com Renato, e agora tenta voltar ao peso inicial (Foto: Arquivo pessoal)

O caso de Paula é mais um relato de um problema comum que ocorre com pessoas após o início de um relacionamento estável. O ganho de peso nessas situações não é apenas um mito: é confirmado por estudos, segundo Adriano Segal, psiquiatra ligado à Associação Brasileira para Estudos da Obesidade e Síndrome Metabólica (Abeso).

“A alimentação no namoro já muda. São mais programas para restaurantes, programas mais caseiros, digamos”, aponta o médico.

O especialista afirma que, embora aconteça também entre as mulheres, o ganho de peso na relação é mais comum nos homens.

Segal indica alguns fatores para explicar o que acontece. Em primeiro lugar, os solteiros costumam ter uma preocupação maior com a forma por uma questão de aparência – eles querem se manter atraentes.

Entre os casados há um segundo fator: eles são, em média, mais velhos do que os solteiros, e essa diferença de idade já explica, em parte, a dificuldade de manter a forma. A partir do segundo filho, as mulheres e seus maridos apresentam tendência ainda maior de ganhar peso.

Em terceiro lugar, Segal aponta uma questão que atinge os homens solteiros e que moram sozinhos. Muitas vezes, eles não sabem cozinhar. Fora de casa, eles acabam fazendo menos refeições. Esta alimentação, embora não seja a mais saudável, tende a engordar menos.

Dicas para o casal
A relação a dois pode servir também como uma ajuda para recuperar a boa forma. “Especialmente se eles estiverem em uma boa relação, se cuidar estimula o outro a se cuidar também”, diz o psiquiatra.

A perda de peso passa por mudanças na alimentação e pela atividade física, e o casal pode se ajudar no processo. Na hora de jantar, Segal aconselha que os dois alterem o cardápio.

“Você não precisa comer a velha comida francesa toda vez que sai, pode comer algo mais saudável”, afirma. Em vez de fondue, que é muito gorduroso, o casal pode optar pela comida japonesa, por exemplo. Além disso, é preciso maneirar na bebida. O vinho é saudável quando se bebe apenas uma taça, mas o abuso leva ao ganho de peso.

É o que acontece com Paula e Renato. “Dieta não é fácil mesmo, mas com a ajuda do noivo, tudo está ficando mais fácil de levar. O apoio dele e a ajuda com o preparo dos alimentos são o que mais me estimula”, diz a publicitária.

Com o novo cardápio que Renato faz em casa, na versão “light”, os dois estão perdendo peso. Paula diz que o noivo não tem o hábito de se pesar, mas que a aliança frouxa no dedo é um sinal da evolução.

As atividades físicas — que Paula e Renato não fazem por falta de dinheiro para pagar a academia, segundo ela — podem ser feitas em conjunto ou não, mas os dois deveriam praticar esportes, sugere o médico.

“As atividades de lazer podem ser em conjunto. Que seja uma caminhada, uma pedalada”, indica Segal. “Mas não há uma necessidade de fazer tudo junto. Sempre é bom ter um nível de individualidade”, pondera.

A individualidade só não vale para uma atividade específica, que não pode ser ignorada. “O sexo conta, sim, enquanto exercício físico. Uma noitada boa pode queimar muitas calorias”, afirma o médico.

Tadeu Meniconi*Do G1, em São Paulo