Jornalismo

Por causa do "fuminho" os bardeneiros continuam na Reitoria da USP

Alheios à decisão judicial que fixou prazo de 24 horas para a desocupação do prédio da reitoria da USP, os alunos rebelados decidiram manter a invasão.

A deliberação foi aprovada, por aclamação, em assembléia realizada na noite desta quinta (3).

Com isso, os alunos-invasores mudaram de status. De rebeldes de uma causa precária –a saída da PM do campus— viraram protagonistas de uma ilegalidade.

No despacho em que determinou a desocupação da reitoria, a juíza Simone Gomes Rodrigues Casoretti foi cuidadosa.

Anotou que a reintegração de posse deveria “ser realizada sem violência, com toda a cautela necessária à situação.”

Escreveu que, em nome da  “boa convivência acadêmica”, representante da USP teria de negociar a saída com um porta-voz dos insurretos.

Porém, como que antevendo o pior, a magistrada também autorizou, se necessário, o recurso à “medida extrema”: o uso da força policial.

Quer dizer: se levarem às últimas consequências a decisão de não sair, a rapaziada será, por assim dizer, “saída”. Na marra.

Iniciada na semana passada, a encrenca da USP foi empurrada para a fronteira do paroxismo.

A Polícia Militar passou a frequentar o campus depois que um aluno foi assassinado ao deixar a escola de economia da USP, em maio.

Nessa época, a rapaziada pedia mais segurança. Algo que a polícia universitária não se mostrava capaz de prover. A USP firmou, então, um convênio com a PM.

A estudantada não esboçou reação. A porca só torceu o rabo depois que os policiais militares abordaram estudantes que fumavam maconha na universidade.

(mais…)

Opinião dos leitores

  1. Isso é um bando de estudantes sem futuro. Aqueles papangus que são contra o "capitalismo burguês". Coisa mais antiga, fora de moda. Esse povo tem é que arranjar uma lavagem de roupa pra ter o que fazer. E outra coisa : Maconha faz mal à saúde.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Estudantes não terão direito à meia entrada nos estádios da Copa de 2014

Se antes os atrasos na construção do Arena das Dunas e nas obras mobilidade urbana já irritavam os potiguares, a Lei Geral da Copa, encaminhada ao Congresso Nacional para votação, vai despertar ainda mais o descontentamento popular.

Segundo o artigo 32 da legislação, todos os preços dos ingressos serão estabelecidos pela FIFA. Contudo, não há referências sobre a questão da meia entrada para estudantes e sobre a venda de bebidas alcoólicas nos estádios da Copa.

Segundo o Ministério dos Esportes, o projeto de lei não trata da meia entrada para estudantes porque não existe lei federal que disponha sobre o assunto.

Pela mesma razão, o Planalto também desistiu de incluir artigo que proíbe a venda de bebidas alcoólicas nos estádios. Qualquer alteração terá de ser feita pela cidade-sede ou Estado da Copa, em entendimento com a Fifa.

(mais…)

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Denúncia

Sem comida, casa do Estudante de Caicó está na iminência de ser fechada

São 110 alunos que moram na casa, entre jovens, homens e mulheres, todos sem condições financeiras de arcar com as despesas de hospedagem, alimentação, para poder estudar em Caicó, mas que provavelmente devem voltar para as suas cidades de origem, ou arrumar uma nova maneira para sobreviver na principal cidade do Seridó.

Segundo o Presidente da Casa do Estudante, Rivaldo Dantas, a maioria dos moradores da casa não tem condição nem de se alimentar no Restaurante Popular, de tão carentes. E agora, estão na iminência de serem despejados, já que o Governo Estadual cortou todos os fornecimentos de alimentos, como pão, leite, carne e demais cereais, através da SETHAS, que não tem pagado os fornecedores.

caso a situação não seja resolvida, não teremos nenhum constrangimento em fechar nossas portas. Já hoje de manhã tomamos café com cuscuz seco. Reduziram pela metade o fornecimento de alimentos. E a tendência é de que hoje ninguém já consiga jantar”, lamentou. Rivaldo

Para se ter uma idéia, antes do corte, o Governo já vinha maltratando os estudantes, que para uma casa com 110 seres humanos, repassava 10 litros de leite mensais.

 

Imagine o rendimento escolar de um jovem que passa fome…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Estudantes invadem a DIRED em Mossoró. Só saem com a presença da Governadora

O  Comando de Mobilização Estudantil de Mossoró (C_O_M_E_M) ocupou agora há pouco o prédio da 12ª DIRED – Diretoria Regional de Educação do Governo do Estado. Através do twitter, professores da Rede Estadual de Ensino se solidarizam e prometem seguir para o acampamento.

Os estudantes são da UERN, UFERSA e escolas estaduais e particulares prometem entrar daqui a pouco com imagens ao vivo via Web. A polícia acabou de chegar ao local.

A Jornalista Ana Cadengue, conversou há pouco por telefone com uma das integrantes do Comando de Mobilização Estudantil de Mossoró (C_O_M_E_M), Geordânia, que disse que eles só desocupam o prédio da DIRED com a presença da governadora Rosalba Ciarlini. Os estudantes estão com barracas e vão acampar dentro do prédio até que a governadora Rosalba abra um canal de diálogo. Eles protestam contra o corte de mais de 30% no orçamento da UERN e lutam por uma educação de qualidade….

* Com informações da Jornalista Ana Cadengue

Opinião dos leitores

  1. Parabenizo aos professores pela iniciativa.Lamento que governo continue com tanto descaso para com nós educadores.Embora aposentada serei sempre professora e lamento tanto falta de respeito pela classe trabalhadora que forma pessoas que desconhece o valor o mesmo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Denúncia

Público ou Privado?

Um estacionamento no cruzamento da avenida Antônio Basílio com a José Gonçalves, em Lagoa Nova, vem chamando a atenção. O estacionamento está localizado num terreno do Governo do Estado, da Secretaria de Tributação. O movimento lá é diário e intenso.

Para completar, neste mesmo cruzamento, tem uma cigarreira onde foram jogados em sua frente alguns quilos de entulhos que atrapalham o campo de visão dos motoristas. Vários acidentes são relatados pelos moradores da área, que entraram em contato com o Blog do BG denunciando a situação.

Mas, a pergunta que não quer calar é: o estacionamento é público ou privado?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *