Desafios da Internet: Maple Bear Natal faz trabalho de conscientização com estudantes

Foto: Divulgação

Respeito, protagonismo e empatia são alguns dos conceitos que estão sendo trabalhados com estudantes da Maple Bear Natal em um trabalho de conscientização relacionado aos “desafios da internet”: vídeos com brincadeiras perigosas entre estudantes que vêm se espalhando nas redes sociais e acendendo um alerta constante entre pais e educadores. Como de tempos em tempos, uma nova “moda” propaga práticas perigosas entre crianças e adolescentes, a ideia da escola é preparar os alunos para terem uma visão crítica e consciente sobre esses desafios.

“A gente vê a necessidade de fazer essa conscientização no sentido inverso, sem focar na parte negativa. Fazendo reflexões sobre o papel de ser protagonista, como eles podem fazer a diferença, como eles podem ser autores de boas ações”, explica a diretora pedagógica da escola, Ana Clara Costa. Segundo ela, a maioria dos alunos já tinha visto os vídeos e o tema surgiu de forma natural durante o trabalho. Os alunos do ensino fundamental II foram estimulados a escreverem um pequeno texto com sugestões de como podem ser protagonistas no mundo.

No ensino fundamental I, a conscientização tem sido focada no respeito ao próximo. Em conversas nas salas de aula, as crianças falaram do respeito ao colega, citam exemplos de ações respeitosas, de como é possível ajudar e ter empatia pelo outro. O resultado disso se transforma em desenhos, vídeos e fotos produzidos pelos estudantes.

“Esse trabalho coaduna com a nossa metodologia de ensino, que passa por questões como a vivência em comunidade, o respeito, a amizade. E eles receberam muito bem a mensagem, com um pensamento crítico sobre o assunto. Nós, enquanto escola, não podemos fechar os olhos para isso. É nosso papel levantar essa discussão e dar a abordagem correta”, finalizou Ana Clara Costa.

Cursinho do Diretório Central dos Estudantes da UFRN inicia matrículas para novas turmas de extensivo

O Cursinho do Diretório Central dos Estudantes da UFRN iniciará o processo de matrículas para as novas turmas de extensivo do período letivo 2020.1 na próxima segunda-feira (20), das 9h às 16h. As vagas ofertadas contemplam os três turnos, matutino, vespertino e noturno, e são limitadas e voltadas para todos os estudantes que concluíram ou estão concluindo o ensino médio e que desejam realizar as provas do Enem 2020.

Assim como no ano passado, este ano o período de matrículas será dividido em duas partes: nos dias 20 a 22 de janeiro, as matrículas serão voltadas para alunos oriundos de escola pública, das redes municipal ou estadual de ensino; e a partir do dia 23, as matrículas estarão abertas a toda a comunidade.

Os interessados em se matricular no preparatório devem se dirigir à secretaria do Cursinho do DCE, localizada no Setor I da UFRN, portando cópias e originais do RG, CPF, comprovante de residência e histórico escolar do ensino médio – este último, obrigatório apenas nos três primeiros dias de matrícula. A o valor da taxa de matrícula é de R$ 130,00 e já inclui a primeira mensalidade e o material didático. As demais mensalidades terão o valor de R$ 75,00.

Sobre o Cursinho do DCE

O projeto já existe há mais de 20 anos e usa a estrutura da UFRN para promover a democratização do ensino superior, oferecendo preparação para o ENEM com qualidade e baixo custo. Além disso, o Cursinho também é um espaço de aprendizado para vários estudantes da universidade, que atuam como professores e coordenadores no projeto.

Mais informações nos perfis do Instagram, do Facebook ou pelo telefone (84) 3215-3324.

Estudantes da Maple Bear Natal são convidados para competição internacional de Matemática na Tailândia, em 2020

Foto: Divulgação

A Maple Bear Natal foi convidada a compor a delegação brasileira que irá participar da International Talent Mathematics Contest 2020, na Tailândia. O convite veio depois dos excelentes resultados conquistados pela escola, que usa o método canadense de ensino, na última Olimpíada Internacional de Matemática Sem Fronteiras 2019, realizada em abril deste ano. Na ocasião, a Maple Bear Natal foi a única instituição do Rio Grande do Norte a conseguir medalha de ouro e prata.

A International Talent Mathematics Contest é uma competição baseada nos padrões internacionais de conhecimento e acontece no mês de fevereiro. Os resultados da Olimpíada Internacional de Matemática já tinham rendido à escola um convite para participar de outra competição internacional, a World Mathematics Invitational 2019, que aconteceu no Japão, no último mês de julho.

O desempenho dos alunos da Maple Bear Natal nas competições que envolvem a disciplina de matemática comprova a eficiência do método canadense de ensino utilizado pela escola. “Na nossa metodologia, o aprendizado dos estudantes acontece em todas as esferas: física, intelectual, emocional e social, com incentivo à experimentação, ao desafio intelectual, à descoberta e à solução de problemas. O ensino é integrado, com matérias que se complementam”, explica a diretora da unidade de Ensino Fundamental da Maple Bear Natal, Carolina Bezerra. Outro grande diferencial é o ensino bilíngue, inclusive em disciplinas como matemática e ciências.

A eficiência do método canadense de ensino também foi comprovada pelo resultado do último Pisa, o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes, divulgado no início de dezembro. O Pisa é aplicado para alunos de 15 anos e testa o aprendizado em matemática, ciências e leitura. A principal avaliação de educação básica no mundo mostrou que o desempenho dos estudantes canadenses em matemática recebeu nota 512, colocando o país entre os doze primeiros do ranking. Já os estudantes brasileiros atingiram a média 384, o que deixou o Brasil entre os dez piores resultados, de um total de 80 países avaliados. “O resultado dos nossos alunos em Matemática mostra como faz diferença utilizar a metodologia canandense de ensino”, reforça Carolina Bezerra.

Estudantes do IFRN são premiados em torneio de Matemática na China; resultado credencia equipe para Olimpíada Mundial na Tailândia e no Japão

João Arthur Barros, Klaus Reineger, Romana Galvão e Isabela Gomes estiveram sob coordenação do professor Dayvid Marques. Foto: Divulgação

“Quando nós voltarmos, traremos uma bagagem de conhecimentos que vai ampliar nossa forma de ver a matemática”. A frase da estudante Isabella Gomes não poderia ser mais acertada. Junto a Isabella, os alunos Romana Galvão, João Arthur Barros e Klaus Reiniger – além do professor Dayvid Marques – trazem na bagagem duas medalhas de prata, uma de bronze e uma menção honrosa (veja quadro no final da matéria), além de uma placa de honra ao mérito para a equipe da instituição, por terem participado do evento. De onde? Do 10° World Mathematics Team Championship (WMTC), torneio internacional para avaliação de conhecimentos matemáticos que aconteceu, entre 21 e 25 de novembro, em Pequim, na China. Os quatro estudantes frequentam cursos do Ensino Médio Integrado ao Técnico no Campus Natal-Central do Instituto Federal do Rio Grande do Norte.

Nadja Gomes, mãe da aluna Isabella, diz-se impressionada – além de feliz – com a premiação. “Algo que parecia impossível diante da grande quantidade de participantes, do cansaço que atingia a equipe e dos efeitos nocivos de uma situação conhecida como Jat Lag, que desestabilizou o relógio biológico de todos. Nessas situações, em comparação com as equipes asiáticas, os brasileiros estavam em tremenda desvantagem no momento da realização das provas. Eles estavam destruídos na hora das avaliações. Tinham acabado de chegar de uma longa viagem que durou 2 dias. Enfrentavam um fuso horário de 11 horas de diferença. Para eles era como competir durante toda a madrugada. Enquanto a gente aqui dormia, eles fizeram provas superdifíceis, com dor de cabeça, e disseram que estavam todos como se estivessem com uma virose”, complementou Nadja. Só haviam três equipes representando o Nordeste (Piauí, Pernambuco e Rio Grande do Norte), e apesar de ser uma das menores equipes a compor a delegação do Brasil, os alunos do IFRN obtiveram resultado proporcional espetacular, competindo no nível avançado. Na competição eram 1.055 “matematletas”, dos quais 164 estudantes brasileiros, de 22 escolas públicas e privadas.

WMTC

O World Mathematics Team Championship é uma iniciativa do China International Culture Exchange Centre (CICEC), junto ao ‘The World of Mathematics and Physics Journal’ e da Hope Cup Mathematics Competition (maior competição de Matemática da China). Podem participar estudantes de qualquer ano do Ensino Fundamental e do Ensino Médio.

Durante a competição, os estudantes são desafiados a resolver questões matemáticas em diferentes graus de dificuldade, com provas em grupos, de revezamento e individuais em três níveis: Junior, para menores de 12 anos, Intermediário, menores de 15 anos, e Avançado (menores de 20 anos).

A delegação brasileira foi escolhida a partir da Olimpíada Internacional Matemática Sem Fronteiras, competição criada pelo Ministério de Educação da França em 1989. No Brasil, os dois campeonatos são organizados com exclusividade pela Rede do Programa de Olimpíadas do Conhecimento (Rede POC), instituição de intercâmbio científico juvenil, cuja missão é promover a excelência na educação através do estímulo ao interesse pela Ciência, Tecnologia e Inovação.

Longa jornada

Para participar da World Mathematics Team Championship os estudantes enfrentaram uma verdadeira maratona, mesmo antes de começarem as disputas. Fizeram arrecadação coletiva, venderam camisetas e realizaram sorteio de brindes. Além disso, pais, familiares e amigos ajudaram a cobrir os quase R$ 60 mil necessários para os custos da empreitada. O IFRN, que enfrentou cortes em seu orçamento até meados de novembro, conseguiu assegurar valores para a inscrição no evento e ajuda de custo – para gastos com alimentação, por exemplo – no trajeto entre Natal e Pequim, estimado em quatro dias de viagem (ida e volta) com conexões em São Paulo e países da Europa.

Agora começa a longa viagem de volta. Os estudantes e o professor Dayvid chegarão a Natal somente na madrugada da próxima quinta-feira, dia 28. O retorno contudo, não é o fim das disputas para os “matematletas” do IFRN, pois a premiação na China os credenciou a um novo desafio em terras asiáticas: devido ao excelente desempenho proporcional da equipe, eles já estão habilitados a participarem da Olimpíada Mundial de Matemática da Tailândia ou para a Olimpíada Mundial de Matemática do Japão, ambas em 2020.

Premiação por ordem alfabética

Com informações do IFRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ivonete disse:

    parabéns a essa turminha fera 👏🏻👏🏻 agora rumo a medalha de ouro 🥇.

  2. Afonso disse:

    Tenho orgulho desses jovens pelo foco, determinação, orgulho pelo professor, por duas filhas fazerem parte da instituição. Menos política, Mais educação sempre.

  3. Gustavo. disse:

    Parabéns a todos envolvidos, principalmente aos alunos, a quem eu dou meus parabéns. Continuem assim, o nosso Brasil precisa de jovens assim como vocês.

  4. Avante Brasil disse:

    Parabéns aos jovens e aos professores.

  5. Diogo disse:

    A matemática venceu a balbúrdia.

Gravatas usadas por médicos ou estudantes de Medicina podem contribuir com a contaminação de bactérias resistentes aos antibióticos, diz estudo brasileiro

Gravatas usadas por médicos ou estudantes de Medicina podem contribuir com a contaminação de bactérias resistentes aos antibióticos. A constatação é resultado de uma nova pesquisa brasileira publicada na revista Arquivos Médicos, da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

O estudo é de autoria dos pesquisadores Fernando de Andrade Quintanilha Ribeiro, Alessandra Navarini e Marina Pelicice Marcato. Eles usaram swabs (cotonetes estéreis) para coletar amostras de microrganismos da superfície de gravatas e camisas de médicos de um hospital-escola de grande porte localizado em São Paulo. Eles realizaram o mesmo procedimento com estudantes de Direito de uma universidade que também fica na capital paulista.

Os cientistas analisaram a possibilidade de contaminação das peças em ambos os grupos, além de verificarem o perfil de sensibilidade de bactérias que não pertencem à microbiota normal – ou seja, que não são comuns em um organismo humano saudável.

Os resultados indicam que as gravatas usadas por médicos e alunos de Medicina eram mais contaminadas do que aquelas que pertenciam aos estudantes de Direito. Além disso, as bactérias encontradas eram patogênicas.

O pesquisadores alertam que os profissionais de saúde, mesmo que lavem as mãos corretamente, podem se recontaminar pelo contato com as gravatas. Isso é considerado perigoso, pois as bactérias poderiam colonizar novas áreas dos hospitais e ainda contaminar pacientes debilitados.

A pesquisa mostra que não houve diferença significativa na contaminação das camisas dos dois grupos. Isso é explicado, segundo o estudo, porque as camisas são normalmente higienizadas, enquanto as gravatas, não.

O mesmo ocorre com jalecos e aventais: as peças podem transportar bactérias, mas o costume de lavá-las com maior frequência reduz esse risco.

Galileu

Estudantes da rede estadual ganham prêmios na Olimpíada Brasileira de Matemática

FOTO: ASSECOM/SEEC

Alunos do sistema estadual de ensino do Rio Grande do Norte receberam, na tarde desta última sexta-feira (6), a premiação referente a edição 2018 da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas e Privadas (Obmep). O reconhecimento aconteceu durante a “Cerimônia Regional de Premiação”, evento promovido pela Coordenação Regional da Obmep, que aconteceu no Centro Municipal de Referência em Educação Aluízio Alves (Cemure), em Natal.

Na cerimônia, 450 estudantes foram premiados com medalhas de prata, bronze e menção honrosa. Desse número, 139 são alunos da rede estadual de ensino, oriundos de diversos municípios do RN, que receberam 2 medalhas de prata, 30 de bronze e 107 certificados de menção honrosa.

Para o estudante João Ricardo, 14 anos, o reconhecimento dado por meio da medalha significa uma conquista pessoal e coletiva. Residente do município de Olho-D’Agua dos Borges, localizado na região oeste do RN, e aluno da Escola Estadual 20 de Setembro, João Ricardo comenta que esta é a primeira vez que um estudante de seu município conquista medalha na olimpíada.

“Quando fiz a prova achei bastante complicada, mas fiquei confiante de que iria alcançar um bom resultado, pois vinha me preparando há algum tempo. Aí, quando saiu o resultado de que eu tinha ganhado a medalha, eu fiquei muito feliz, pois isso foi fruto do meu esforço. E essa conquista significa um orgulho muito grande para mim, pois estou representando não só a minha escola, mas a minha cidade inteira”, afirmou o aluno, medalhista de bronze.

Solenidade

Integraram a mesa de abertura do evento, o diretor da 1ª Diretoria Regional de Educação e Cultura (Direc), Joás Andrade, representando a Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer (SEEC); o coordenado regional da Obmep, Joaquim Elias de Freitas, o diretor-geral do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), José Arnóbio e o coordenador do Programa de Iniciação Científica Júnior (PIC-RN), José Keginaldo Bezerra.

Além destes, também participaram da mesa a diretora da 11ª Direc, Aldeíza Silva, representando todas as diretorias regionais do Estado, e as professoras Luizete Pereria e Maria da Guia Soares Afonso, representando, respectivamente, os secretários municipais de educação e os professores presentes.

Em seu discurso de abertura, o diretor da 1ª Direc, Joás Andrade, parabenizou os alunos pela conquista alcançada, ressalto o fato da Obmep tratar-se de ume exame rigoroso, que exige muito esforço tanto do aluno quanto do professor.

“Sabemos que concorrer em uma olimpíada de matemática, a nível nacional, não é nada fácil. Então, nesse momento o que interessa de fato não é a cor da medalha, mas o conhecimento que cada um adquiriu no decorrer desta jornada. Dessa forma, em nome do secretário de educação, o professor Getúlio Marques, eu parabenizo cada um e cada uma de vocês”, declarou o diretor congratulando os alunos e professores presentes.

Além dos estudantes, 23 escolas públicas do RN foram reconhecidas pelo seu desempenho na Obmep 2018. Desse número, 12 fazem parte da rede estadual de ensino e receberam, cada uma, premiação composta por um kit com material didático e um troféu. 17 professores da rede pública, dente estes 11 vinculados ao ensino estadual também foram premiados com material didático de apoio à formação em matemática.

Sobre a Obmep

Realizada anualmente desde 2005, a Obmep é promovida pelo Ministério da Educação (MEC) e desenvolvida pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa). Seu objetivo é estimular o interesse dos estudantes brasileiros pelo campo da matemática, ao mesmo tempo em que identifica talentos e incentiva seu ingresso em instituições de ensino superior. Além disso, a Obmep também contribui com o aperfeiçoamento de professores da rede pública de ensino, bem como promove a aproximação de escolas, universidades e institutos de pesquisa.

A nível regional a olimpíada recebe a colaboração da SEEC, que atua como parceria da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), instituição na qual é sediada a Coordenação Regional da Obmep.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gil disse:

    É tão raro acontecer, que quando acontece é notícia de jornal. Mais uma prova da qualidade sofrível da escola pública.

Estudantes da UFRN tem até sexta para solicitar trancamento de matrículas do período 2019.2

Reprodução/UFRN/Sigaa

Os estudantes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) têm até sexta-feira, 30, para solicitar o trancamento de matrículas em turmas para o período 2019.2, de acordo com o prazo estabelecido no calendário acadêmico da instituição. Conforme o regulamento dos cursos de graduação, o procedimento significa “a desvinculação voluntária do estudante da turma referente ao componente curricular em que se encontra matriculado”, concedido nas seis primeiras semanas do período letivo. Não podem ser trancadas as atividades coletivas que não preveem aulas, atividades de orientação individual e atividades autônomas.

O trancamento de matrícula é permitido apenas uma vez no mesmo componente curricular, seja em períodos consecutivos ou não. Para realizar a operação, o aluno deve acessar o Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa), na aba Ensino – Trancamento de matrícula – Trancar, com a possibilidade de selecionar uma ou mais matrículas. A efetivação ocorrerá sete dias após a solicitação, sendo facultado ao discente desistir do trancamento nesse período.

Com informações da UFRN

Ônibus com estudantes sai da pista ,capota na BR-304 no interior do RN e deixa feridos

Foto: Redes sociais

O portal G1-RN destaca na tarde desta sexta-feira(02), por volta das 15h, um acidente com ônibus com estudantes, que saiu da pista e capotou na BR-304, próximo à cidade de Pau dos Ferros, na Região Oeste do Rio Grande do Norte. Segundo informações repassadas pelo Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), não houve nenhuma vítima fatal e os jovens sofreram ferimentos leves .

Informações dão conta que os jovens retornavam de uma seletiva regional para os Jogos Escolares do Rio Grande do Norte (Jerns), que aconteceu na cidade de Riacho de Santana, e estavam a caminho de Pau dos Ferros.

A reportagem relata que um pneu do ônibus estourou, deixando o motorista sem controle do veículo, que saiu e virou na beira da estrada. Solidárias, algumas pessoas que trafegavam no local naquele momento pararam os veículos para ajudar os estudantes.

Os feridos foram levados para o Hospital Regional Doutor Cleodon Carlos de Andrade, em Pau dos Ferros.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Aracildo Jr disse:

    A BR mudou de lugar, tava com tantos buracos que resolveu ir para outra região!

  2. Arnaldo Franco disse:

    Parece que não é a cidade de Pau dos Ferros, mas um distrito ou um lugarejo chamado Pau dos Ferros.

  3. Pedro disse:

    BR 405.

  4. LKS disse:

    BR 304 não passa na região de Pau dos Ferros…..
    deve ser a BR 405….

  5. José Corcino disse:

    A BR 304 não liga Natal a Pau dos Ferros, a BR 405 liga Mossoró à Pau dos Ferros!!!!!

Prazo para participar da lista de espera do ProUni acaba hoje

Foto: Reprodução Internet

Termina hoje (16) o prazo para participar da lista de espera do Programa Universidade para Todos (ProUni). A adesão é feita na página do programa, pela internet. A relação dos candidatos em lista de espera será divulgada na quinta-feira (18).

Podem participar da lista de espera os candidatos que não foram selecionados na primeira opção de curso feita na hora da inscrição em nenhuma das duas chamadas regulares do programa. Além disso, podem participar aqueles que foram selecionados para a segunda opção, mas cuja turma não foi formada. Esses estudantes concorrem a vagas para a primeira opção de curso.

Devem concorrer a vagas para a segunda opção de curso aqueles cujas turmas da primeira opção não foram formadas ou as bolsas da primeira opção não foram disponibilizadas. Todos os candidatos participantes da lista terão que comparecer, entre os dias 19 e 22 de julho, às respectivas instituições para apresentar a documentação para comprovação das informações prestadas na inscrição.

A lista de espera será usada pelas instituições de ensino para preencher as vagas que, após a primeira e a segunda chamadas, permanecerem disponíveis.

ProUni

Ao todo, serão ofertadas para o segundo semestre deste ano 169.226 bolsas de estudos em instituições particulares de ensino superior, sendo 68.087 bolsas integrais, de 100% do valor da mensalidade, e 101.139 parciais, que cobrem 50% do valor da mensalidade.

As bolsas integrais são destinadas a estudantes com renda familiar bruta per capita de até 1,5 salário mínimo.

As bolsas parciais contemplam os candidatos que têm renda familiar bruta per capita de até 3 salários mínimos.

O ProUni é voltado para candidatos que não tenham diploma de curso superior e que tenham participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018.

Os estudantes precisam ter cursado o ensino médio completo em escola pública ou em instituição privada como bolsistas integrais.

É preciso ainda ter obtido nota mínima de 450 pontos na média aritmética das notas nas provas do Enem.

Também podem se inscrever no programa estudantes com deficiência e professores da rede pública.

Pesquisador da UFRN desenvolve aplicativo que facilita a vida dos alunos no Campus e serviços

Pesquisador é orientado pelo professor Marcelo Rique e por Patrícia Borba, coordenadora do MPGPI – Foto: Wallacy Medeiros

Como uma pesquisa científica realizada em uma universidade pode afetar a vida e o cotidiano das pessoas? No contexto atual, no qual se escutam tantos comentários críticos – por vezes até agressivos – que desvalorizam o ambiente acadêmico e a defesa de ideias preconceituosas, como a de que a universidade não é produtiva e não tem utilidade real para a sociedade, é importante tomar conhecimento sobre o desenvolvimento e o impacto das pesquisas realizadas na academia para não correr o risco de reproduzir opiniões de senso comum que podem não condizer com a realidade.

O servidor e mestrando Marcelo Cavalcanti é um dos muitos pesquisadores atuantes na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Ele trabalha na Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) da UFRN e está concluindo o Mestrado Profissional em Gestão de Processos Institucionais (MPGPI), um programa de pós-graduação da UFRN que tem como objetivo melhorar a qualificação e a capacitação dos servidores. Sobre o programa, a pró-reitora de Graduação, professora Maria das Vitórias Almeida, afirma que “os servidores que fazem o MPGPI voltam com melhor autoestima e motivação e uma percepção muito maior de como eles podem contribuir, pois, sendo um mestrado profissional, é aplicável.”

A partir de sua experiência na Prograd, Marcelo percebeu que poderia trabalhar em um projeto que melhorasse e ampliasse os serviços informacionais da universidade. “Estou aqui desde 2004, passei por várias áreas, e desde quando era aluno identificava a universidade como um ambiente extremamente complexo, cheio de oportunidades. A parte territorial também é grande e muitas vezes encontrar um setor é algo desafiador para o aluno. Como servidor, atendendo ao público todos os dias, identifiquei essa necessidade de uma maneira mais clara ainda”, explica Marcelo sobre como começou a pensar no seu projeto no MPGPI: o aplicativo Cognos.

O Cognos, nome escolhido por fazer referência à palavra do latim cognitionis, que significa conhecimento, é atualmente o protótipo de um aplicativo que tem o objetivo de facilitar a vida do aluno da UFRN. Segundo Marcelo, estão entre as principais funções ajudar a se localizar geograficamente no campus; apresentar os serviços existentes, como Restaurante Universitário, bibliotecas, auxílios e cursos de língua estrangeira; mostrar documentos importantes para o estudante, como regulamento, calendário, direitos e deveres do aluno; e facilitar o contato com os setores da instituição.

A pesquisa está na fase final, o que não significa que o aplicativo está finalizado, pois uma característica deste projeto é a integração de diferentes pesquisas para que o produto final seja de qualidade, como explica a professora Patrícia Borba, coordenadora do MPGPI e co-orientadora de Marcelo. “O Cognos começou com o Marcelo e hoje agrega outros alunos do mestrado com projetos correlatos. Tem o Felipe Rodrigues, que atua na Superintendência de Informática (Sinfo) e colabora na área da Tecnologia da Informação e no mapeamento dos serviços, e o Rafael Souza, que é secretário de coordenação e traz essa contribuição da ótica da secretaria de curso”.

Orientado pelo professor Marcelo Rique e também com a ajuda do professor João Guilherme Santa Rosa, Marcelo adotou uma perspectiva integradora e de um desenvolvimento colaborativo do seu projeto. Na etapa final, estava em andamento a escuta dos estudantes de graduação, cujas opiniões e feedbacks se tornam essenciais num processo como este de co-criação. Os perfis dos alunos ouvidos neste processo são estratégicos. “Se baseiam em dois critérios. Um é o temporal; o estudante que ingressa na universidade e o que está concluindo o curso têm diferentes necessidades informacionais. Há também os que são voltados para pesquisa ou para o empreendedorismo”, explica Marcelo.

De acordo com Marcelo, estudantes vão poder contribuir com atualização das informações do aplicativo – Foto: Wallacy Medeiros

Atualmente são distribuídas cartilhas e manuais do calouro no campus, que reúnem informações importantes e ajudam os alunos a se localizarem no campus, no entanto a vantagem de um aplicativo em relação ao papel é que as informações podem sempre ser atualizadas quando necessário sem que haja perda do material já produzido. Além disso, os próprios estudantes sempre vão poder contribuir com a atualização das informações disponíveis no aplicativo.

Para a professora Maria das Vitórias, o projeto de Marcelo é de extrema importância para a Prograd. “Vai disponibilizar um produto que facilita a vida do aluno dentro da UFRN, desde localizar uma sala de aula, entender um horário, a utilização do Sigaa, como saber de que maneira funciona um auxílio e quais são os serviços oferecidos pela universidade. Queremos também conectar com outras pesquisas de mestrados para alimentar essa plataforma; nós vemos um potencial muito grande nesse projeto. Essa pesquisa traz uma oportunidade de vivenciar a universidade, principalmente nos primeiros semestres, de uma forma mais rápida e em uma linguagem mais acessível”, afirma.

Com informações da UFRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Joaquim disse:

    E o desgoverno querendo cortas a verba das universidades.

  2. Antonio Barbosa Santos disse:

    Só tem alguma serventia para o público da UFRN. É isso mesmo produção?

    • joao disse:

      Sao os tais fins sociais da aplicacao de recurso publico.. mestrado deve ter custo justificavel. Entao se aplica apenas pra uso deles proprios.

SE LIGUE – GUIA DE RESPEITO: Ranking lista melhores países para estudantes, empreendedores e imigrantes qualificados

Estocolmo, capital da Suécia; país um dos países mais abertos da OCDE a imigrantes com alta. GETTY IMAGES

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) divulgou na quarta-feira (29/5) rankings dos países-membros da entidade mais atraentes para estudantes universitários, empreendedores ou imigrantes altamente qualificados.

Austrália, Canadá, Nova Zelândia, Suécia e Suíça estão entre as nações mais bem posicionadas nas listas, que levam em conta fatores como facilidade para obter vistos, qualidade de vida e perspectivas de carreira.

Já países como Estados Unidos, Grã-Bretanha e França têm desempenho oscilante, pontuando bem em alguns quesitos e deixando a desejar em outros.

Os rankings são integrados por 35 dos 36 países da OCDE – a Lituânia, última nação a ingressar no bloco, ficou de fora.

A OCDE é um fórum que promove políticas públicas, realiza estudos e auxilia no desenvolvimento de seus membros. A organização inclui boa parte dos países mais desenvolvidos do mundo e alguns emergentes, como México, Chile e Turquia.

O Brasil tem hoje o status de parceiro-chave da OCDE e pleiteia se tornar membro pleno do grupo. Confira os rankings completos abaixo.

Melhores países para imigrantes qualificados (com mestrado ou doutorado)

Sydney, na Austrália; país tem sociedade inclusiva e oferece boas perspectivas para profissionais qualificados. GETTY IMAGES

Quando a dificuldade de obter um visto não é levada em conta, os EUA lideram esse ranking graças a seu grande mercado de trabalho e à força de sua economia, além das condições fiscais vantajosas e da qualidade das oportunidades profissionais.

Mas o país perde posições por causa de seu alto índice de rejeição de vistos.

Por outro lado, Suécia, Suíça, Luxemburgo e Eslovênia têm sistemas migratórios mais abertos e pontuam bem nesse quesito.

Austrália e Nova Zelândia também estão entre os primeiros colocados, principalmente por terem sociedades inclusivas e boas perspectivas futuras para profissionais.

De forma geral, as nações no topo do ranking têm alto padrão de vida e forte demanda por trabalhadores qualificados.

1 – Austrália

2 – Suécia

3 – Suíça

4 – Nova Zelândia

5 – Canadá

6 – Irlanda

7 – EUA

8 – Holanda

9 – Eslovênia

10 – Noruega

11 – Luxemburgo

12 – Alemanha

13 – Dinamarca

14 – Islândia

15 – Estônia

16 – Reino Unido

17 – Áustria

18 – Finlândia

19 – Bélgica

20 – Eslováquia

21 – Portugal

22 – França

23 – Coreia do Sul

24 – República Tcheca

25 – Japão

26 – Hungria

27 – Espanha

28 – Letônia

29 – Chile

30 – Israel

31 – Polônia

32 – Itália

33 – Grécia

34 – México

35 – Turquia

Melhores países para imigrantes empreendedores

Toronto, no Canadá; país pontua bem quando se consideram facilidade para fazer negócios e regras burocráticas. GETTY IMAGES

Os cinco melhores países para imigrantes quem desejem empreender são diferentes dos mais atraentes para profissionais qualificados.

Canadá, Nova Zelândia, Irlanda e os EUA pontuam bem quando se leva em conta a facilidade para fazer negócios e as regras burocráticas. A Suíça, por sua vez, avança várias posições no ranking por ter os menores impostos para empresas de toda a OCDE.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bosco disse:

    Não sou petralha! Mas com a aprovação da reforma da previdência, o Brasil entra nessa lista.

  2. #Lula Na Cadeia sempre disse:

    Porque VENEZUELA e CUBA não estão nessa lista PTralhas??

BACANA – (FOTO): Estudantes da Rede Estadual no interior criam tabela periódica tátil e auxiliam aluna cega

FOTO: ASSECOM/RN

A inclusão por meio da educação, com atitudes que melhoram o acesso ao conhecimento. Foi com esse objetivo que duas alunas do Centro Estadual de Educação Profissional Maria Rodrigues Gonçalves, em Alto do Rodrigues, adaptaram, com ajuda dos seus professores, a tabela periódica para que uma estudante cega pudesse acompanhar as aulas de química.

A iniciativa surgiu quando as alunas do ensino médio Laine Sousa, do curso de Sistema de Energias Renováveis, junto com Aysla Ferreira, do curso de Informática, identificaram que a estudante Jéssica Dayane tinha necessidades educacionais especiais e não conseguia adquirir os conhecimentos apenas de forma empírica. “A ideia surgiu ano passado, quando eu observei a dificuldade da Jéssica em entender a tabela periódica e, a partir disso, busquei uma maneira de possibilitar a compreensão dela, pois sabemos que é de grande necessidade entender a tabela, pois é base de entendimento de outras disciplinas”, explica Laine.

A tabela desenvolvida pelas alunas utiliza recursos táteis que facilitam a compreensão dos elementos químicos de forma lúdica. Ela foi produzida com botões e algodão, diferenciando os 118 elementos químicos existentes.

A estudante Jéssica Dayane disse que a tabela vai contribuir muito para sua formação. “Eu fiquei muito feliz com a iniciativa, vai me ajudar muito”, explica. Além disso, Jéssica comemora por, finalmente, compreender de forma efetiva os conhecimentos adquiridos em sala de aula. “Através do tato eu consigo conhecer os elementos químicos e com isso eu posso entender melhor o assunto”, enfatiza a estudante.

Gestores da DIREC e do centro de educação participam do curso Práticas Pedagógicas para Inclusão da Pessoa com Deficiência Visual, promovido Centro de Apoio Pedagógico para Atendimento às Pessoas com Deficiência Visual (CAP) em parceria com a Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer do RN por meio da Subcoordenadoria de Educação Especial (SUESP).

Para Suely Lima, supervisora de Assessoria em Educação Especial e Diversidade da 6ª Diretoria Regional de Educação e Cultura (Macau), após a Jornada Pedagógica, as ações estão sendo melhor desenvolvidas. “Nessa visita foram dadas algumas dicas e sugestões de como trabalhar com recursos táteis”, enfatiza a supervisora.

Tabela Periódica

O ano de 2019 é marcado pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o ano internacional da tabela periódica, que foi desenvolvida há 150 anos atrás, quando o cientista russo Dmitri Mendeleev (1834-1907), criou a primeira tentativa de organização dos elementos químicos, que possui o formato semelhante ao atual. A organização dos elementos químicos na tabela facilita a compreensão de fenômenos que acontecem na natureza e contribuem para os avanços científicos até hoje.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bento disse:

    Trabalho puro, inocente, feito com o coração.
    Que belo exemplo.
    Criem um prêmio para um exemplo bonito como esse, vamos incentivar as boas praticas.
    Um dia desses algumas mentes sem criatividade queriam dar dinheiro para uma tal bolsa boga.

  2. Lourdes Siqueira disse:

    Matéria que dá gosto de ler. Parabéns aos envolvidos no projeto.
    Vamos otimizar nossa vida.
    Não viver em função do mal que foi feito ao país e torcer para que ele saia do fundo do poço.
    Parabéns BG pela sensibilidade.

  3. Renata disse:

    Parabéns meninas, vcs são 10.

  4. Severino Carnegie-Rockfeller disse:

    Lindo trabalho.

FOTOS: Manifestação em Brasília teve estudantes, militantes, balões da CUT, bandeiras do MST e até faixa de “Lula Livre”

Fotos: Reprodução/Redes sociais

Após a manifestação na Esplanada, estudantes da UnB e militantes esquerdistas se concentram na rodoviária de Brasília.

Há xingamentos ao presidente Jair Bolsonaro e provocações à Polícia Militar, que usa spray de pimenta para tentar dispersar o que sobrou do protesto.

Além de balões da CUT, bandeiras do MST e até faixa de “Lula Livre”.

O Antagonista

 

Após cortes orçamentários, pesquisadores, professores e estudantes da UFRN realizam protesto na tarde desta quarta nas imediações do Midway em defesa da ciência

Pesquisadores, professores e estudantes da UFRN, em parceria com a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e outras entidades de ensino do Estado, preparam mobilização em favor da ciência para o próximo dia 8 de maio. A atividade que acontece a partir das 16h na calçada do Midway Mall, acompanha uma série de manifestações em todo o país.

Os cortes orçamentários promovidos pelo governo federal, em particular o contingenciamento de 42% nos recursos de investimentos do Ministério da Ciência e 21% no Ministério da Educação, foram a gota de água para que a comunidade científica se mobilizasse.

Em Natal, a proposta está sendo organizada pelos representantes da SBPC, John Fontenele, secretário regional, e Sidarta Ribeiro, conselheiro, e pelo coordenador de Extensão do Instituto do Cérebro da UFRN, professor Eduardo Sequerra.

Além do protesto, o momento será marcado pela realização de aulas livres, mostras científicas e atividades artísticas. Os apoiadores poderão participar ainda de experimentos, como o do coração feito de papel e lâmpadas de led que se acende a partir de batimentos cardíacos.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Leandro disse:

    BOM DIA

    TODO ESSE ÓDIO CONTRA A UNIVERSIDADE PÚBLICA DEVE SER PORQUE NUNCA CONSEGUIRAM ENTRAR NA UFRN, OU CONSEGUIU ALGUMA BOLSA DE PESQUISA POR PURA INCAPACIDADE INTELECTUAL.

    CONTINUEM PAGANDO A MENSALIDADE DA SUA PARTICULAR EM DIA.

    E NÃO DESISTA DE ESTUDAR – UM DIA VOCÊ ENTRA NA UFRN.

    SUCESSO! rsrss

  2. Agora vai disse:

    A UFRN vive falando aos estudantes de Administração, nas disciplinas da área pública, que o dinheiro deve ser melhor gerido, deve ter eficiência e eficácia, que deve haver responsabilidade com o erário. Pronto, chegou a hora de por em prática tudo que ela ensina.

  3. Olavo de Carvalho disse:

    👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏

  4. Ivan disse:

    Em um dia útil??? Não deveriam estar pesquisando e produzindo ciência p/o nosso desenvolvimento??? KKKKKKKKK, ridídiculos…a mamata acabou inúteis!!!!

  5. Luladrão disse:

    O Brasil é o maior produtor de niveis superiores que não sabem de nada. O governo federal banca esses quase ingnorantes para nada. Não produzem o que foi investido. O PT transformou as Universidades Públicas e os IFS em redutos de esquerdistas filhinhos de papai, que estudaram es escolas particulares a vida toda. Os professores com raríssimas exceções fingem que dão aula e ficam enchendo a cabeça dos sem cérebro com teorias esquerdistas. Agora pergunte se algum deles quer ir morar nos paises socialistas ou comunistas?

  6. Sergio Nogueira disse:

    Porque, ao invés de protestar apenas pelos cortes, não protestam contra o uso de verba pública para mestrado e doutorado sobre orgias gays, estudos do ânus enquanto centro do universo, comportamentos sexuais bizarros, sobre "golpe", e afins?
    Se deixassem de gastar meu dinheiro com essas inutilidades sobraria para a verdadeira ciência. Supondo que produzem uma, claro.
    O instituto do cérebro, por exemplo, é um nada, envolvido em suspeitas graves, que recebe meu dinheiro para quê? Para um macaco nos EUA piscar o olho quando apertam um botão aqui?

  7. Manoel disse:

    Os argumento são ótimos, "conheço altos que mamam na boquinha", "só tem maconheiro" e blablabla. Para cada um desses aí, tem 9 que querem algo da vida, deixem de falar besteira. Concordo que o foco da nação deva ser o ensino básico, mas NÃO É cortando 30% SEM AVISO PRÉVIO, que as coisas se resolvem.
    Tirem as viseiras ideológicas e prestem atenção aos fatos. Não é por causa de um folote que faz perfomance nu nas "artes" que o doutorando em física de partículas tem que pagar o pato.

  8. Carlúcio disse:

    Toda a sociedade deve se mobilizar contra o desmonte do sistema educacional do país.

  9. paulo disse:

    Eu ainda não consigo entender o que muita gente vê de positivo em cortes de verbas às universidades?? Justificam todo seu ódio dizendo que na UFRN só tem maconheiro e etc.. isso pra mim é pura IGNORÂNCIA de povo sem argumento e ódio gratuito, o ódio se tornou maior que a razão… Esses comedia de classe média, que acham que são tudo empresários e seus filhos não irão nunca precisar de universidade pública?!, Pra mim, vivem matando cachorro a grito e acusando o proletariado de ter afundado o país, mal sabem eles que tb sãoo proletariado..

    • Netto disse:

      O proletariado tomou conhecimento de que é contribuinte e que seu dinheiro tá descendo pelo ralo.

  10. #Lula na cadeia disse:

    Porque esses cientistas nso fazem protesto no Domingo????ja sei porque DOMINGO TEM QUE DESCANSAR,e dia útil enforcam o dia útil de trabalho, jeito PTralha de ser

  11. eliete disse:

    Não vou trazer grama, mas informações. De 2011 a 2016, o Brasil foi o 13º maior produtor de publicações de pesquisa em nível mundial. Dados da Clarivaty analytics.

    • Luisinho disse:

      O que já seria um vexame. Isso é em volume de trabalhos ou de citações internacionais?

  12. Issoaquiaí disse:

    Canabis mudou o nome para ciência? Só se estão fazendo pesquisas para saber como a fumaça se dissipa. Vão trabalhar!

  13. Tamires disse:

    Já deveria ter cortado essa verba.

  14. Daniel disse:

    O que esses representantes devem fazer é se oranizar para redestribruir do orçamento atual, e saber que a farra do dinheiro publico acabou, vão trabalhar seus desocupados!!!

  15. Assis Alves disse:

    Engraçado, santo Lula e santa Dilma fizeram a mesma coisa, cortaram até mais….
    A esquerda, só lembra e vê o que lhes interessa, pimenta no olho alheio é colirio kkkk.

    • eliete disse:

      "O" é diferente de "A", não sei se vc consegue enxergar. Durante os governos Lula e Dilma, nenhuma universidade ou institutos federais correu risco de fechar as portas por falta de verbas. A pesquisa e a extensão estavam a mil, produzindo mestres e doutores e trabalhos, inclusive internacionais. Foram 18 universidades públicas criadas e mais de 300 institutos federais. Consegue ver alguma semelhança?

    • Luisinho disse:

      Muitas dessas criações foram meros desmembramentos.

  16. Moura disse:

    Só os frustrados de faculdade privada comentando, KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  17. joao disse:

    Dia de semana as 16?? So querem dinheiro dos impostos. Fazer "ciencia" com dinheiro do contribuinte deve ser muito bom.. ta pior que politico que gosta de fazer promessa com o dinheiro dos outros. Pq será que nenhuma empresa contrata esse povo pra fazer "ciencia"? so querem dinheiro publico? Explorar o contribuinte deve ser bom..

  18. Vbg disse:

    Eita! Ciência da UFRN! Só vai ter futuro Nobel! kkkkkkk

  19. Cigano Lulu disse:

    Estava escrito: a esquina da Bernardo Vieira com a Salgado Filho virou tábua de salvação para tudo nesta taba de Poti. E o shopping do "capitalista malvado" Flávio Rocha, quem diria, virou muro das lamentações da sindicalha revoltada…

  20. Tico disse:

    Falem baixo pq possivelmente esses mesmo alunos serão chefes de vcs , já que vcs BolsoMinios só servem pra ser funcionário assalariado e sem direitos.

    Se for ver um por um, são todos assalariados revoltados.

    • Netto disse:

      E vcs só servem para ser da nomenklatura.

    • Dalvo Coreolando disse:

      Verdade isso? Tem certeza Tico?
      Pelo menos é bem diferente do passado recente onde o Estado foi tomado de assalto pela corrupção, os recursos públicos desviado para financiar o populismo e países com ditadores e a produção virou conto de fadas com um exército de nomeados improdutivos.
      Como sempre, a esquerda falando de versões e produzindo coisa nenhuma

  21. Lampejao disse:

    EM DEFESA DE QUAL CIÊNCIA???…………KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  22. Netto disse:

    1- Saiu uma pesquisa rankeando o Brasil no último lugar de 44 países em termos de produção científica em humanas, por quantidade de citações internacionais (e não somos dos que menos gasta em educação). Imagine em médicas e engenharias; 2- Haverá performances? Deixem as crianças em casa, leitores; 3- Nossa, um coração de led que pisca, nossos cientistas devem estar estagiando em alguma escola primária na Coréia do Sul; 4- Protesto no Miduêi? Façam dentro da UFRN, milhares de natalenses deixarão os seus afazares para que teses sobre luta de classes ou sobre aquecedores solares continuem.

  23. daniel disse:

    Tem que cortar mesmo, o dinheiro tem que ser investido nas escolas fundamentais. Esse povo esquerdista so olha o umbigo deles… acabar com essa boquinha, pq eu conheço um bocado de gente que so faz sugar dessas instituição.

  24. Curioso disse:

    Sempre me pergunto quando há uma manifestação as pessoas vão reclamar no midway ou algum canto que atrapalhe a vida dos outros, seja indo para casa, seja indo buscar um filho na escola ou mesmo indo para um hospital de urgência ou outro motivo.

    Porque estas pessoas não vão protestar no local de trabalho da governadora, do prefeito, ou mesmo no local onde mora?

    Digo isso baseado não apenas neste protesto, mas em todos os outros.

  25. Nilvan Rodrigues da Silva disse:

    Dizer que a pessoa que trabalha com pesquisa científica, que trabalha com ciência e tecnologia são pessoas desocupadas e atrapalham o cidadão de bem é ser sem noção.
    Este Coiso foi quem tomou medidas que atrapalham os cidadãos de bem com os cortes orçamentários. Todo apoio a luta dos professores, alunos e da sociedade em geral.

  26. #Lula Na Cadeia disse:

    PQP oque o MIDWAY tem haver que essa merda ??? Um comércio que gera milhares de empregos e tributos, agora vem um monte de gente desocupada com cabelos sem lavar , e atrapalhar o cidadão de bem .

    • Marcos disse:

      Pq que quando foram o ano passado mostrar apoio ao Brasil na lavo jato entre tantos outros eventos, você não reclamou ?

    • Netto disse:

      Pq os protestos eram aos domingos.

    • Marcos disse:

      E ninguém trabalha no midway no domingo? Acho que o shopping é aberto e temos os mesmos direitos de ir e vir, independente se é na semana ou não.

    • Netto disse:

      Mesma coisa, né?

TJRN abre novas inscrições para estudantes de pós-graduação

O Núcleo Permanente de Avaliação e Gestão Documental, Memória, Informações e Dados Públicos do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte, abriu inscrições para o processo seletivo de estagiário de pós-graduação, nas áreas de Administração, Gestão Pública ou áreas correlatas, além de vaga disponível para o curso de História e Tecnologia da Informação ou áreas afins. A inscrição foi oficializada no Diário da Justiça Eletrônico dessa quinta-feira, 22, com base na Resolução n° 10/2017-TJRN e nas Portarias n°s 743/2018-TJRN e 751/2017-TJRN.

As vagas, segundo o edital, oferecem classificação até o 10º colocado, para efeito de cadastro reserva, a fim de suprir eventuais necessidades de substituição ou mesmo para o preenchimento de futuras vagas, desde que dentro do prazo de validade do processo seletivo.

Dentre os requisitos, os candidatos não podem ter vínculo profissional ou de estágio, não ser policial civil ou militar, conforme disposição no inciso I do artigo 14 da Resolução n°10/2017-TJ, de 22 de fevereiro de 2017, além de não ser titular de mandato eletivo federal, estadual, distrital ou municipal, conforme disposição no inciso II do artigo 14 da Resolução n°10/2017-TJ, de 22 de fevereiro de 2017. Os inscritos também deverão ter a matrícula e a frequência em instituição de ensino regulamentada pelo Ministério da Educação.

A jornada de estágio é de seis horas diárias e 30 horas semanais, com jornada diária exercida no período de 8h às 14h, 7h às 13h ou das 12h às 18h, sujeito à modificação, caso o aprovado resida ou estude em outra comarca, desde que mantidas as horas obrigatórias. Mais informações no https://diario.tjrn.jus.br/djonline/goto.jsf

Estudantes poderão renovar o Fies até o dia 23

Foto: Arquivo/Agência Brasil

Estudantes beneficiados pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) devem renovar os contratos até o dia 23 de novembro. O prazo, que terminaria hoje (16) foi prorrogado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Devem fazer o aditamento aqueles que contrataram o Fies até 31 de dezembro de 2017. Neste semestre, cerca de 890 mil contratos devem ser renovados, de acordo com o FNDE.

A renovação do contrato é feita pelo sistema SisFies. Segundo o FNDE, o prazo foi estendido para que nenhum estudante com contrato a ser renovado fique de fora. “Em virtude do feriado, decidimos dar mais prazo para que todos consigam concluir o processo de aditamento no sistema”, diz o presidente do FNDE, Silvio Pinheiro, em nota enviada pela autarquia.

O FNDE ressalta ainda na nota que é “fundamental que os alunos acessem o SisFies o quanto antes e não deixem para a última hora”.

Os contratos do Fies precisam ser renovados todo semestre. O pedido de aditamento é inicialmente feito pelas instituições de ensino para, depois, as informações serem validadas pelos estudantes no sistema.

Caso o aditamento tenha alguma alteração nas cláusulas do contrato, o estudante precisa levar a nova documentação ao agente financeiro, que é o Banco do Brasil ou a Caixa Econômica Federal, para finalizar a renovação. Já nos aditamentos simplificados, a renovação é formalizada a partir da validação do estudante no sistema.

Contratos de 2018

Os estudantes que aderiram ao Novo Fies e contrataram o financiamento em 2018 devem seguir o cronograma da Caixa, que é o Agente Operador do Novo Fies.. Segundo a Caixa, aproximadamente 50 mil estudantes assinaram contratos do Novo Fies no primeiro semestre de 2018. O prazo para esses estudantes vai até 30 de novembro. O aditamento é feito no site da Caixa. O novo Fies, lançado no ano passado, tem modalidades de acordo com a renda familiar.

A modalidade Fies têm juro zero para os candidatos com renda mensal familiar per capita de até três salários mínimos. Nesse caso, o financiamento mínimo é de 50% do curso, enquanto o limite máximo semestral é de R$ 42 mil e é bancado pelo governo.

A modalidade chamada de P-Fies é para candidatos com renda familiar per capita entre 3 e 5 salários mínimos. Nesse caso, o financiamento é feito por condições definidas pelo agente financeiro operador de crédito, que pode ser um banco privado ou fundos constitucionais e de desenvolvimento.

Agência Brasil