Comunidade acadêmica discute retomada das atividades presenciais na UERN

Um momento rico de debate em torno de soluções para o retorno das atividades acadêmicas na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), suspensas desde 31 de março devido à pandemia do Covid-19.

Nesta segunda-feira (01), diretores de Unidades Acadêmicas, representes do Fórum dos Chefes de Departamentos Acadêmicos, do Diretório Central dos Estudantes (DCE), Associação dos Docentes (ADUERN) e do Sindicato dos Técnicos Administrativos (SINTAUERN) discutiram com a equipe de gestão universitária e com a Comissão Especial de Consulta alternativas para a retomada de atividades acadêmicas na Instituição.

A Comissão de Consulta apresentou os estudos que estão sendo desenvolvidos para a retomada presencial das atividades, nas dimensões acadêmica, de infraestrutura e de tecnologia. De acordo com a reitora em exercício, Fátima Raquel Morais, o objetivo da comissão é apontar as necessidades e sugerir soluções para que Universidade esteja pronta para a retomada presencial, embora ainda não seja possível prever quando as atividades presenciais poderão voltar a acontecer.

“Não sabemos quando tudo isso vai acabar, mas sabemos que nada será como antes. Sabemos também que será uma retomada gradual, pois temos em nossa comunidade, professores, estudantes e técnicos com comorbidades, que não poderão voltar à rotina de trabalho presencial de imediato. Além disso, a UERN terá que disponibilizar álcool e outros insumos para o retorno das pessoas em seus ambientes. Tudo isso está sendo analisado cuidadosamente, discutido e deverá compor um documento para orientar a Universidade neste momento”, explicou a reitora em exercício.

Se por um lado a UERN traça estratégias para a retomada presencial, por outro, a Instituição estuda alternativas para a oferta de atividades neste momento de isolamento social. O pró-reitor de Ensino de Graduação, Wendson Dantas, apresentou uma proposta de oferta de componentes na modalidade de ensino remoto em semestre especial.

A ideia é utilizar meios digitais e/ou não digitais no processo de ensino-aprendizagem através da oferta de disciplinas de forma remota. A adesão tanto para professores quanto pra estudantes não é obrigatória, não havendo nenhum prejuízo para o estudante ou o professor que não se inscrever nesta modalidade. Os professores poderão ofertar até uma disciplina e os estudantes se inscrever em até dois componentes curriculares. A proposta deverá ser enviada nesta semana para apreciação do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE).

“Este modelo está sendo utilizado por outras Instituições de Ensino Superior do país. A vantagem para o estudante é que ele poderá cumprir neste período de isolamento social parte dos componentes acadêmicos do seu curso, e até disciplinas optativas. Outra vantagem é que, dependendo da adesão, irá contribuir para que as salas de aula estejam com menos estudantes no retorno da modalidade presencial, respeitando as orientações de distanciamento que precisarão ser adotadas neste novo momento”, argumentou o pró-reitor.

Para os estudantes que queiram aderir ao semestre especial e tenham dificuldades de acesso à internet, a Pró-Retoria de Assuntos Estudantis (PRAE) irá lançar, caso a proposta seja aprovada pelo CONSEPE, um edital para disponibilizar bolsas com o objetivo de garantir aos estudantes em condições de vulnerabilidade social, recursos para esse acesso à tecnologia.

Ainda no mês de junho, haverá uma nova reunião para avaliar o momento e traçar as estratégias para a retomada das atividades presenciais e acadêmicas na UERN.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Giles disse:

    Fátima aproveita e fecha esse sangrador de dinheiro público, pois não é obrigação do RN manter universidade. Transfere todos os alunos para universidades privadas pagando uma bolsa e direciona os professores para a rede estadual de ensino. Fazendo isso vc vai ver a quantidade de recursos vai ficar no caixa.

    • Manoel disse:

      O cara defende fechamento de universidades e escola mas não dá um piu aos bilhoes doados aos empresários através de renúncias fiscais.

    • Marlene Coan disse:

      Nossa mocinho nunca tinha ouvido uma pérola dessa. Investimento em educação seja ela q qualquer nível nunca foi e nunca será sangrado dos cofres públicos. Acredito q vc se equívoco e quis dizer de outras fontes, tais como contratos c terceiros, emendas parlamentares, entre outras tantas. Aí sim é uma sangria, melhor rever sua opinião. Muito feio.

Em reunião por videoconferência nesta terça, UERN suspende calendário universitário por tempo indeterminado

Foto: Reprodução/UERN

A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) suspendeu, por tempo indeterminado, o calendário universitário 2020, previsto para ter início no próximo dia 6 de abril. A decisão ocorreu durante reunião realizada por videoconferência, nesta terça-feira (31), conduzida pela reitora em exercício, Fátima Raquel e com participação de pró-reitores, diretores de unidades acadêmicas, representante do Fórum dos Chefes de Departamento, e o Diretório Central dos Estudantes.

A proposta da suspensão foi apresentada pela reitora em exercício, Fátima Raquel, na abertura da reunião, e endossada pelos participantes, que haviam feito consulta aos departamentos e categoria estudantil, que também se posicionaram pela suspensão do calendário.

A decisão levou em consideração o estado de pandemia do novo coronavírus e as orientações da Organização Mundial da Saúde e decretos federais e estaduais sobre as medidas de prevenção ao contágio pelo vírus, bem como a portaria da FUERN que estabeleceu orientações acadêmicas e administrativas quanto às medidas de proteção para o enfrentamento da pandemia.

Nesta segunda-feira (31), o Comitê de Enfrentamento ao Novo Coronavírus da UERN orientou a suspensão do calendário universitário, levando em consideração a expectativa do pico de contaminação no Brasil ser esperado para os meses de abril e maio, e a dificuldade de acesso às tecnologias educacionais por grande parte dos estudantes da UERN.

“Em todas as nossas decisões, nossa principal preocupação é com os nossos estudantes. Sabemos da realidade em que a maioria de nossos estudantes só têm acesso à internet pelo celular e um grande número mora em regiões de difícil acesso a uma rede de internet, o que inviabiliza a possibilidade de aulas online. Não sabemos quanto tempo essa pandemia vai durar, o que sabemos é que precisamos preservar nossa comunidade e dar condições para que nossos estudantes recebam uma educação superior de qualidade, que é o compromisso maior da UERN”, afirmou a reitora em exercício, Fátima Raquel.

O estudante Pedro Levi, da diretoria do DCE/UERN destacou a necessidade desta medida, levando em consideração também a dificuldade que os estudantes teriam numa possível retomada das atividades com uso de tecnologia educacionais à distância. “Pensando nisso o DCE já havia se posicionado contra o retorno das atividades, durante essa situação de pandemia, de forma que concordamos com o proposto pela gestão da universidade. Temos que pensar na manutenção da qualidade do ensino aos nossos estudantes e, neste momento, a medida mais prudente é a suspensão”, comentou.

Os diretores de unidades acadêmicas destacaram o posicionamento adotado por cada unidade, sendo que a maioria seguiu o entendimento da necessidade da suspensão do calendário.

Histórico

No dia 15 de março, a UERN suspendeu as atividades presenciais, como forma de prevenção à disseminação do novo coronavírus. Na época, a Instituição encerrava o semestre 2019.2, já havendo cumprido mais de 90% do semestre, restando somente o fechamento de notas e os casos em que havia pendências.

A suspensão do calendário será publicada através de Ad Referendum da Reitoria.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Victo disse:

    Queria entender o motivo de muitos acharem essa medida um absurdo. A instituição está fazendo o que todas as outras – públicas e privadas – estão. O vírus, inclusive, ceifou a vida de um funcionário da Universidade. Vocês acham mesmo que eles vão se arriscar? Vocês se arriscariam? Um pouco de paz, fraternidade e solidariedade no coração não faz mal a ninguém.

  2. Almino Afonso disse:

    Pelo nível, nenhum dos comentaristas, "cidadãos de bem" devem ter pisado, um dia, em uma Universidade.

    • Paula disse:

      Concordo! Para quem estudou na UERN e em qualquer universidade pública sabe o quão importante estas instituições são na vida de qualquer cidadão.
      Infelizmente, lemos comentários ridículos de pessoas que falam apenas pelo senso comum. Lamentável 🤦🏼‍♀️

  3. Ivan disse:

    Pensem num ralo de dinheiro público…

  4. Eugênio Neco disse:

    Deveriam suspender o pagamento também.

  5. Mito disse:

    Deveriam aproveitar e acabar de vez com esse elefante branco que não serve para nada. Fimda uern!

  6. Charles disse:

    Essa é a Universidade que mais para no mundo. Só Jesus na causa aí

  7. Alan disse:

    A cara já é de preguiça!!!

    • Vergonha disse:

      Comentário 10 …acertou em cheio , só faltou na camiseta ; ladrao Lula livre

  8. Marco polo disse:

    Povo preguiçoso…

UERN diz que analisa requerimento de concluintes de medicina que pedem antecipação da colação para suporte a Saúde no combate ao coronavírus

A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), ciente do seu papel social e formativo, não tem medido esforços para contribuir com o controle da disseminação do novo coronavírus (COVID-19).

Desde o início da pandemia, a instituição tem seguido todos os protocolos do Ministério da Saúde, tendo sido a primeira Universidade no Rio Grande do Norte a suspender as atividades presenciais, a fim de evitar aglomeração de pessoas, principal forma de combate à disseminação do vírus.

Atualmente a Instituição possui 28 possíveis concluintes no curso de Medicina, que necessitam ainda integralizar conteúdos para que possam receber seus diplomas. Nesta segunda-feira (23), os estudantes do último período protocolaram o pedido de antecipação de colação de grau para que possam atuar como médicos diante da grave crise na saúde pública em decorrência da pandemia.

Veja mais: Com mais de 9000 horas cursadas, concluintes de medicina da UERN pedem antecipação da colação para suporte a Saúde no combate ao coronavírus

A UERN está analisando o caso, respeitando todas as instâncias necessárias. A universidade entende que, diante deste cenário, a inserção de novos médicos no sistema de saúde pública é uma medida essencial e urgente, assim como, para garantir a validade da formação dos nossos estudantes, é importante que toda e qualquer decisão esteja embasada legalmente.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cabo Silva disse:

    Conto do vigario! Nao vai nenhum… querem mesmo é fazer residência. Todo ano é isso. Bando de oportunistas!!!

  2. Arruda disse:

    É gopi é gopi é gopi é gopi é gopi é gopi.
    Dalhe MITO!!

Com mais de 9000 horas cursadas, concluintes de medicina da UERN pedem antecipação da colação para suporte a Saúde no combate ao coronavírus

Foto: Ilustrativa

Graduandos do curso de medicina Universidade Estadual do Rio Grande do Norte(UERN) solicitam oficialmente a antecipação de colação de grau, e consequente certificado de conclusão de curso pelo cumprimento de 93,39% de horas realizadas na grade curricular, que corresponde a 9050 horas.

O pedido extraordinário, também atendendo ao clamor social, acontece após o Ministério da Saúde informar nos últimos dias que o governo vai permitir a antecipação da formatura de estudantes de medicina para reforçar os hospitais no combate ao novo coronavírus.

O curso de medicina da UERN possui uma das maiores grades curriculares do país e ultrapassa, com folga, as 7.200 horas mínimas exigidas pelo Ministério da Educação(MEC) para conclusão do curso.

A lista com 28 nomes de graduados da UERN destaca em requerimento que dentro da grade curricular, resta pendente apenas carga horário de estágio supervisionado. O documento da comissão dos concluintes de medicina foi assinado no dia 21 de março.

Ação do Governo Federal

Em videoconferência com prefeitos de capitais e cidades de grande porte, Mandetta discutiu medidas para otimizar o enfrentamento da pandemia no país.

“Nós vamos antecipar, agora, os meninos do sexto ano [de medicina] que falta um mês, dois meses para se formar. Vamos acelerar. Esse meninos são jovens, eles não têm experiência, mas podem fazer uma parte do atendimento. Não para colocá-los no CTI, mas eles podem ajudar muito”, disse.

O ministro afirmou anda que o governo dará ordem para que hospitais treinem médicos residentes que hoje cumprem funções em outras áreas para atuarem em CTIs. Segundo ele, o país tem hoje cerca de 70 mil desses profissionais recém-formados que poderiam ser aproveitados no enfrentamento ao vírus.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marlete Belarmino disse:

    Não sou a favor.Temos centenas de profissionais a espera do revalida, porquê não os convocam?

  2. Marlete Belarmino disse:

    Existe hoje no Brasil, mais de 900 médicos formados no exterior esperando o revalida, profissionais capacitados. Sou a favor que esses médicos sejam convocados.

  3. Ricardo lúcido disse:

    Que Deus proteja esses novos médicos e os pacientes .

  4. Fernando disse:

    Pois é, cadê aqueles que querem a privatização da Universidade do Estado?

  5. JBBatista. disse:

    Quero ver a galera que fala mal da UERN

UERN: Governo investe R$ 23 milhões em todos os campi

Fotos: Elisa Elsie

As instalações da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) terão todas as suas unidades ampliadas e equipadas. Neste sentido a governadora Fátima Bezerra, acompanhada do vice governador Antenor Roberto e do secretário de Estado da Infraestrutura Gustavo Coelho, se reuniu nesta segunda-feira, 17, com o reitor Pedro Fernandes, a chefe de gabinete da reitoria, Cicília Maia, o diretor da UERN em Natal, Francisco Dantas, com a pró-Reitora de Planejamento, Orçamento e Finanças, Denise Vasconcelos, e com o responsável pela construtora HB Engenharia, vencedora da licitação para execução dos serviços, Hélio Nelson.

“Estamos fazendo investimentos de R$ 23 milhões, sendo R$ 20 milhões destinados através de emenda parlamentar da bancada federal ainda em 2018, e R$ 3 milhões do Governo do Estado. Vamos ampliar a UERN, construir novas salas de aula, bibliotecas, anfiteatro, auditório, centro de convivência, banheiros, instalar redes de internet, postos de vigilância, enfim, dotar os campi da nossa universidade estadual de estrutura de qualidade para oferecer melhor ensino”, afirmou Fátima Bezerra.

Nos próximos dias a governadora vai assinar a ordem de serviço, no valor de R$ 680 mil para o início das obras em Natal. A previsão é que sejam concluídas até o final do primeiro semestre. “Precisamos dar agilidade aos serviços para concluir o campus de Natal, obra iniciada há mais de dez anos. Temos a educação como prioridade por que ela transforma vidas e promove o desenvolvimento. Além disso o campus na zona norte de Natal, quando em pleno funcionamento, terá impacto altamente positivo para aquela região da cidade e para sua população”, enfatizou.

Hoje a UERN tem 12 mil alunos, 944 docentes e 664 técnicos administrativos nas unidades de Natal, Mossoró, Assu, Pau dos Ferros, Caicó e Patu. Com a ampliação o campus da UERN em Natal, por exemplo, passará dos atuais 1.200 alunos para 3.800 alunos. Os cinco cursos de graduação hoje oferecidos serão ampliados para 13.

O professor Francisco Dantas explica que o campus em Natal vai receber reforma nas instalações físicas, rede lógica, acessibilidade e abastecimento de água, e elevador. Também serão adquiridos mobiliário e equipamentos.

O reitor Pedro Fernandes disse que os projetos estão concluídos e em fase de liberação pelo FNDE – Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Ele registrou “o total apoio do Governo do Estado e o empenho das secretarias de Estado da Infraestrutura e do Planejamento para atender à crescente demanda dos alunos e da sociedade norte-rio-grandense”.

O QUE SERÁ FEITO

– Em Assu e Patu serão construídos, em cada campus, um novo bloco de salas e uma área de convivência;

– Em Mossoró, onde fica a administração central e o maior contingente de alunos (7 mil), serão oito obras no campus central: biblioteca, anfiteatro, auditório, centro de convivência, banheiros e rede coletora, cerca e posto de vigilância, pavimentação de vias e reforma da Associação Cultural e Esportiva Universitária (ACEU);

– O campus de Caicó ganhará um novo bloco de salas e auditório;

– Em Pau dos Ferros será construída uma quadra de esportes coberta, com vestiário e cerca, e adquirido novo micro-ônibus;

– Uma nova rede elétrica de média tensão e subestações serão instaladas em Pau dos Ferros, Patu, Mossoró, Caicó e Assu;

– O campus de Natal terá novos equipamentos e material permanente.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    Governo do Bozo entra com R$ 20 milhões nessa parada e o governo da Fatão GD com míseros R$ 3 milhões: pense num equilíbrio (distante) de forças!

  2. LEANDRO disse:

    Lamentável.,…mas as Universidades são um puchadinho do governo do PT……….tem que investir é no ensino básico e principalmente no fundamental, que é o coração da educação…..

  3. Joao disse:

    Se a Emenda parlamentar é de 2018 esse governo petista não tem mérito de nada ! Ainda não deu um passo além de pagar salários. Pobre RN

  4. Fátima disse:

    Até entendo as críticas de vcs sobre a UERN com certeza tiveram dinheiro para pagar uma particular , ou até mesmo comprar um diploma , mais esqueci que grande parte da população , aqueles que trabalha e dá duro pra sustentar esses filhinhos de Papai não tem dinheiro pra pagar uma faculdade ou comprar um diploma

    • Ceará-Mundão disse:

      As universidades públicas brasileiras são instrumentos da desigualdade social. Frequentadas por alunos que tiveram acesso a bons colégios, a cursinhos preparatórios, com condições, portanto, de pagar por seus estudos, custam muito dinheiro ao Poder Público, em detrimento do ensino básico e fundamental (o "cobertor" é curto, os recursos são limitados). Além disso, sua produção científica é pífia, muito aquém do esperado e não condizente com seu altíssimo custo para o país. Para finalizar, o ensino superior não é atribuição dos estados, muito menos deveria ser custeado por um estado pobre, com grandes dificuldades financeiras para manter até mesmo os serviços públicos essenciais, como é o caso do RN.

  5. joaozinho da escola disse:

    MP pede ir atrás que tem coisa errada aí !!!

  6. Raimundo disse:

    Não é função do estado investir em universidades, essa é um elefante branco para alunos de outros estados usarem! Vende logo isso

    • JBBatista. disse:

      Vá se informar e deixe de falar de besteira, quantos alunos do RN tem em outros estados estudando hoje o Enem com o Sizu mudaram essa realidade. vc deve estudar no zap e faz provas numa mesa de bar.

  7. Fernando disse:

    A UERN é do ESTADO, não projeto de governo A ou de B!

  8. Fernando disse:

    Parecem que só enxergam esquerda e direita, o Brasil é mais que isso! Vão estudar e deixar de tá falando besteiras!

    • joaozinho da escola disse:

      Se o Estado investisse em educacao fundamental o que gasta com a UERN, teria um monte de doutores em educacao aqui…

  9. Fernando disse:

    Tá cheio de doutores e gestores da educação aqui nesses comentários! Vão lá em Pau dos Ferros e vejam a diferença que a UERN faz!

    • Tertu disse:

      São tão alfabetizados que dizem : lula é inocente. Precisa mais o que? Kkkkkkk

  10. Antenado disse:

    Investimento federal quase que na totalidade. Mais uma mentira

  11. joaozinho da escola disse:

    Um elefante branco…. ou melhor, ta gastando com um elefante vermelho. E a educacao fundamental???? que é a unica obrigacao do Estado?

  12. Guga disse:

    É uma inversão. Deveria investir mais no e si o fundamental e básico

Comissão vai avaliar 730 candidatos que fizeram declaração para cotas étnico-raciais na UERN

O portal G1-RN destaca nesta segunda-feira(10) que uma comissão formada na Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN) vai avaliar as características físicas de 730 candidatos que se declararam negros, pardos ou indígenas para conseguir ingressar na instituição por meio das cotas étnico-raciais – usadas pela primeira vez na instituição em 2020. O sistema foi alvo de polêmica nas redes sociais, por causa de uma candidata que se auto-declarou, mas era considerada branca por outras pessoas. A reportagem esclarece que ainda não cabe nenhum tipo de investigação sobre as autodeclarações, porque nenhum dos candidatos têm vínculo formal com a instituição e todos ainda vão passar pela comissão de heteroidentificação antes da fase de matrículas. Caso o grupo considere que o candidato autodeclarado parto ou negro não se encaixa no fenótipo, ele perderá a vaga.

Usadas pela primeira vez na UERN, as cotas ético-raciais são previstas pela lei Lei nº 10.480/2019, sancionada pela governadora Fátima Bezerra (PT) em 31 de janeiro de 2019. Até então, a instituição contava apenas com as cotas sociais, que representam 50% das vagas oferecidas. Leia detalhes em matéria na íntegra aqui.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. HUGO disse:

    Concordo Zanoni deveria haver somente o critério da renda familiar.

  2. Antonio Turci disse:

    O sistema para acesso a uma Instituição Superior de Ensino deve, salvo melhor juízo, ser mediante uma avaliação meritocrática (vestibular, por exemplo). Jamais pela cor da pele, origem escolar, classe social, etc. Cota, inclusive, é um atestado de incapacidade para conquistar uma vaga no ensino superior. O saber é o que deveria contar, jamais origem étnica. Coisas deste pobre Brasil!!!!!

    • Ariston disse:

      Concordo com você, Antonio Turci.

    • Zanoni disse:

      Deveria ser unicamente pela renda. Negros da classe média e ricos estão entrando nas vagas que poderiam ser para pessoas mais precisadas.

Prazo de inscrição em Lista de Espera do SiSU 2020 vai até o dia 4 de fevereiro, lembra UERN

A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, por meio da Pró-Reitoria de Ensino de Graduação (PROEG/UERN), lembra aos candidatos inscritos no Sistema de Seleção Unificada (SiSU 2020), que o prazo de inscrição na Lista de Espera vai até 4 de fevereiro, pelo site do SiSU: sisu.mec.gov.br.

Na UERN, as vagas não preenchidas na Chamada Regular do SiSU 2020 serão ofertadas em edital de Segunda Chamada, previsto para ser publicado no dia 20 de março de 2020. Os candidatos devem fazer o acompanhamento das chamadas ao longo do ano, pelo site: uern.br/sisu.

CADASTRO – O prazo do Cadastro Institucional dos convocados na Chamada Regular do SiSU está aberto e segue nesta sexta-feira (31) e nos dias 5, 6 e 7 de fevereiro. Os horários e endereços para realização do Cadastro Institucional podem ser consultados no ANEXO III do Edital de Convocação, já a relação de documentos está no Anexo II.

O candidato aprovado na cota de Pessoa com Deficiência deverá submeter-se a uma perícia realizada por Junta Multiprofissional constituída por profissionais nomeados pela UERN. A perícia será realizada no período de 5 a 18 de fevereiro, às 18h, na Faculdade de Ciências da Saúde (FACS/UERN).

Jovem é aprovada em Medicina na UERN durante tratamento de câncer e quer ser oncologista

Liliany Mirelly Bezerra Alves, 21 anos, passou em Medicina durante tratamento de câncer — Foto: Cedida

Mais uma bela reportagem no portal G1-RN nesta quinta-feira(30), destaca uma história envolvendo a aprovação no Sisu de uma nova universitária no estado, coincidentemente,  no curso de Medicina.

Trata-se de uma potiguar de 21 anos, apta a cursar Medicina da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN), em meio a aprovação no curso durante um tratamento contra o câncer. Agora, o sonho dela é poder se especializar em oncologia para poder ajudar pacientes que enfrentarem a mesma doença que ela enfrentou nos últimos três anos.

Veja mais: Reportagem conta superação de filha de diarista aprovada em medicina na UFRN

O sonho da jovem, que vive em Mossoró, vem de muito tempo, da infância. Em 2014, no último ano do Ensino Médio, Liliany começou a fazer provas para tentar entrar no curso e, continuou estudando mesmo sem conseguir na primeira tentativa. No entanto, em 2016, aos 18 anos, descobriu uma Leucemia Linfoide Aguda (câncer no sangue), que suspendeu temporariamente a realização do sonho. Era preciso se dedicar primeiro à saúde. De acordo com ela, foram três anos de quimioterapias, cirurgia e várias transfusões de sangue. O tratamento ocorreu no Hospital do Câncer em Mossoró. Agora ela está em remissão e precisa passar por avaliação médica a cada três meses. Perto do final do tratamento, no meio de 2019, o médico permitiu o retorno dela ao cursinho preparatório para o Enem.

Leia reportagem aqui.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bento disse:

    Parabéns
    Deus no comando.
    Não escolhe os capacitados
    Capacita os escolhidos.

  2. Tutu disse:

    Parabéns Liliany, tenho certeza que você será uma ótima médica, quando tudo parece terminar Deus faz o recomeço em nossa vidas. Saúde e parabéns novamente.

UERN abre seleção com oferta de 20 vagas para Residência Médica

Nesta quinta-feira, 2, a coordenação da Comissão de Residência Médica da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (COREME/UERN) publicou Edital para seleção de candidatos para Residência Médica, num projeto em parceria com a Prefeitura de Mossoró/RN.

No total, são oferecidas 20 vagas, sendo 16 para o Programa de Residência em Medicina de Família e Comunidade e quatro para o Programa de Residência em Ginecologia e Obstetrícia, ambos apresentando carga horária de 2.880 horas anuais, tendo como pré-requisito a graduação em Medicina e com início em 2020.

Como diferença, os programas apresentam a duração: o primeiro ocorrerá por dois anos e o segundo, por três anos.

Para se inscrever, os candidatos devem preencher um formulário oficial da seleção, assinar e enviar para o e-mail [email protected], no período de 13 de janeiro, a partir das 8h, até a meia-noite de 27 de janeiro. O formulário vai ser disponibilizado quando da abertura das inscrições.

Mais informações no endereço eletrônico da Residência Médica AQUI.

Edital de seleção AQUI.

Acesse o conteúdo programático AQUI.

Com informações da UERN

Curso de Jornalismo da UERN é o melhor entre as faculdades públicas do Brasil

Estudantes do curso atuam em atividade prática do projeto TV COM. Foto: Divulgação

O curso de Jornalismo da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) apresentou o segundo melhor desempenho do País entre os cursos de Jornalismo de universidades públicas e privadas, conforme os Indicadores de Qualidade da Educação Superior 2018 divulgados na semana passada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP/MEC).

Com um Conceito Preliminar de Curso (CPC) contínuo de 4,08, e nota 5 (máxima), o curso da UERN obteve a maior nota do País entre os cursos de universidades públicas. Entre universidades públicas e privadas, o desempenho da UERN foi o segundo melhor, atrás apenas do curso de Jornalismo da UNISINOS, de Porto Alegre/RS. No total, 282 instituições de ensino foram avaliadas. Este é o melhor resultado obtido pelo curso da UERN desde o início da avaliação do ENADE.

O curso de Jornalismo da UERN atende a estudantes do Rio Grande do Norte e estados vizinhos, sendo referência na formação de profissionais em todo o Estado. A maioria dos professores do curso é formada por docentes doutores e com regime de dedicação exclusiva, com forte atuação no campo da pesquisa científica e extensão, além do ensino. Em seu histórico, o curso já obteve diversas premiações com seus estudantes. Nascida como habilitação do curso de Comunicação Social, a graduação passou a ser um bacharelado independente, atendendo ao previsto nas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs).

O Conceito Preliminar de Curso (CPC) é um indicador de qualidade que avalia os cursos de graduação. Seu cálculo e divulgação ocorrem no ano seguinte ao da realização do Enade, com base na avaliação de desempenho de estudantes, no valor agregado pelo processo formativo e em insumos referentes às condições de oferta – corpo docente, infraestrutura e recursos didático-pedagógicos.

Para o chefe do Departamento de Comunicação Social, Jefferson Garrido, o resultado é extremamente positivo e reflete a qualidade da formação ofertada pela Universidade e a dedicação e empenho dos estudantes, assim como de todo corpo docente e técnico que integram o curso. “Aumenta nosso compromisso de buscar também fortalecer os nossos cursos e torná-los ainda mais fortes. Tudo isso buscando a melhoria da qualidade do ensino entregue aos nossos alunos”, comentou.

O resultado completo está disponível AQUI.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Thalia disse:

    Como o curso pode ser tão bom se nossos jornalistas, com raríssimas exceções são pra lá de medíocres??

    • Pai da Thalia disse:

      que bobagem cê falou aí! que loucura! isso aí que cê disse é tudo bobagem!

  2. Igor disse:

    Já disse aqui mil vezes!!!!!!! O RN falido não tem condições de manter universidade. Isso fica para o governo federal e a iniciativa privada. O governo não consegue pagar os funcionários, imagina bancar uma universidade apinhada de marajás e com turmas de 10 alunos.

  3. Carlão disse:

    Uou.

UERN assina quatro novos convênios com instituições internacionais

A Fundação Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (FUERN) segue expandindo sua política de internacionalização. Nesta terça-feira (10), o presidente da FUERN, reitor Pedro Fernandes Ribeiro Neto, assinou quatro novos convênios com três universidades e uma federação internacionais.

Na oportunidade foram assinados os seguintes convênios:

Convênio de cooperação internacional com a Universidad Marcelino Champagnat, do Peru;
Convênio com a Universidad Nacional de Rosario, da Argentina;
Acordo de cooperação com a Universidade Tcheca de Ciências da Vida, da República Tcheca;
Convênio de intercâmbio com a International Federation of Medical Students (IFMSA – Brazil LC – UERN).

A IFMSA Brazil LC UERN estava representada pela sua presidente local, Beatriz Rodrigues, e pelo diretor de intercâmbio, Pedro Afonso, ambos estudantes do curso de Medicina da UERN. Beatriz apresentou algumas ações desenvolvidas pela Fundação em Mossoró, especialmente no que diz respeito à pesquisa e extensão, e explicou como se dará o convênio, voltado para os estudantes de Medicina.

A professora Ana Lúcia Aguiar também estava presente. Ela representou a Universidad Marcelino Champagnat, e compartilhou algumas experiências já desenvolvidas entre as duas instituições.

Diretor de Internacionalização da UERN, Pedro Adrião destacou o crescimento da política de internacionalização da Universidade no último ano. Segundo o diretor, o número de convênios da UERN com instituições internacionais passou agora a ser de 21 convênios.

O reitor Pedro Fernandes parabenizou o esforço da Diretoria de Internacionalização (Daint) e destacou a importância de uma visão mais ampla da educação. “Temos aqui dois alunos de medicina, que não estão estudando para ser médicos para a UERN ou para Mossoró ou para o Rio Grande do Norte, mas para o mundo. E a educação precisa acompanhar todo esse movimento, estar em uma plataforma única. Esses convênios possibilitam isso, e para nós é uma alegria muito grande ver o crescimento da internacionalização da nossa Instituição. É a consolidação e a concretização de um trabalho iniciado lá atrás”, afirmou o reitor.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ilo disse:

    Isso é igual a pobre querendo andar de BMW. E o RN falido, tem condições de sustentar uma universidade? Nunca.

UERN realiza II Caminhada Espaços Sagrados do Centro Histórico de Natal, nesta sexta

Nesta sexta-feira, 15 de novembro, feriado de Proclamação da República, o curso de Ciências da Religião, do Campus da UERN em Natal, vai realizar a II Caminhada Espaços Sagrados do Centro Histórico de Natal. Com saída da Praça das Mães, em frente à Capitania das Artes, às 8h, até o Cemitério do Alecrim, com previsão de chegada às 12h.

No trajeto, 15 pontos que marcam a influência de algumas religiões, como catolicismo, protestantismo e judaísmo na história de Natal:

1- Praça das Mães;
2- Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos;
3- Palacete da Viúva Machado;
4- Igreja Presbiteriana;
5- Sinagoga;
6 – Igreja Internacional da Graça de Deus;
7 – Catedral Metropolitana
8 – Federação Espírita Brasileira (Não será visitada, apenas citada);
9 – Praça Padre João Maria
10 – Irmandade Bom Jesus dos Passos;
11- Igreja Matriz de Nossa Senhora da Apresentação;
12 – Praça André de Albuquerque;
13 – Grande Oriente do Brasil
14 – Igreja do Galo;
15- Santa Cruz da Bica;
16- Cemitério do Alecrim.

“O objetivo da ação é realizar o percurso em áreas públicas do Centro Histórico de Natal conhecendo a história de monumentos, instituições, personagens e práticas ligadas ao repertório religioso da cidade. Diante de cada um dos pontos do roteiro, os participantes receberão informações repassadas por nosso guia, o Prof. Rodson Ricardo”, explica a coordenadora da ação, Profa. Irene van den Berg.

O ponto alto da caminhada é o passeio pelas ruas do Cemitério do Alecrim, onde repousam vários personagens da história não só de Natal, mas do Rio Grande do Norte, como Padre João Maria, Januário Cicco, Pedro Velho e João Câmara, além da área reservada ao cemitério judaico, o mausoléu da maçonaria, o túmulo dos aviadores britânicos que aqui faleceram durante II Grande Guerra.

A caminhada é uma atividade resultante de ações de ensino, pesquisa e extensão dos cursos de graduação e especialização em Ciências da Religião da UERN em Natal. A inscrição é obrigatória para os interessados em receber certificado de participação no evento e pode ser feita pelo link:

RECOMENDAÇÕES:

1. USAR ROUPAS LEVES E TÊNIS
2. NÃO TRAJAR ROUPAS CURTAS EM VIRTUDE DA POSSIBILIDADE DE ACESSO A ESPAÇOS RELIGIOSOS
3. LEVAR ÁGUA E LANCHES RÁPIDOS PARA CONSUMO NO PERCURSO
4. USAR PROTEÇÃO SOLAR

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antonio Turci disse:

    A UFRN deveres prestigiar, também, o Erimitério do Santo Lenho em Macaíba. Obra fantástica do Mons. José Mário, ex- Capelão da UFRN.

Aumenta número de cursos da UERN com conceito máximo

Foi divulgado nessa quinta-feira (3) o resultado do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE) referente ao ano de 2018, dos cursos da área de Ciências Sociais Aplicadas, de acordo com os ciclos avaliativos do Exame.

A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) teve um aumento significativo no número de cursos com conceito máximo, passando de 1 curso no Enade 2015 com conceito 5, para 4 cursos em 2018. Além de Serviço Social, que manteve o conceito máximo, agora os cursos de Direito Mossoró, Direito Natal e Publicidade e Propaganda também atingiram conceito 5 no Exame.

Outros cursos também melhoraram o desempenho, como Jornalismo, que recebeu conceito 4, contra conceito 3 em 2015, e Administração do Campus de Pau dos Ferros, que também recebeu conceito 4, contra o conceito 2 recebido em 2015.

De acordo com a assessora de avaliação institucional da UERN, Prof. Mayra Ribeiro, houve uma melhora significativa no desempenho dos estudantes avaliados. Esse aumento deve-se ao empenho e compromisso de estudantes, professores, técnicos administrativos, coordenadores de cursos e chefes de departamentos, somado à reitoria da instituição. “Em função de um trabalho conjunto entre a Universidade, coordenadores de cursos e estudantes, obtivemos esse ótimo resultado. Parabéns a todos que se envolveram neste processo”.

Ainda segundo a avaliadora, esses resultados serão discutidos com os departamentos envolvidos, para que possam manter ou melhorar o desempenho no Exame na próxima avaliação desses cursos, prevista para 2021.

O Enade avalia o rendimento dos concluintes dos cursos de graduação em relação aos conteúdos programáticos previstos nas diretrizes curriculares dos cursos, o desenvolvimento de competências e habilidades necessárias ao aprofundamento da formação geral e profissional, e o nível de atualização dos estudantes com relação à realidade brasileira e mundial.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Márcia disse:

    UERN, patrimônio do RN. Merece todo incentivo, investimento e respeito!

Projeto da UERN em Natal vai empoderar meninas para seguirem carreiras nas ciências

Ainda há vagas, então interessadas podem ir neste sábado (03) assistir à palestra de abertura e fazer inscrição no projeto

Neste sábado (03), começa no Campus Natal da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, o projeto de extensão Maria Bonita nas Ciências, pensado para incentivar meninas do ensino médio de escolas públicas da zona Norte da capital a ingressar em graduações nas áreas de ciências, principalmente em cursos voltados para tecnologia, como os oferecidos pela UERN em Natal: Ciência da Computação e Ciência & Tecnologia.

A ideia do projeto não é recente. Desde 2011, a Sociedade Brasileira de Computação incentiva essas iniciativas durante seus congressos nacionais anuais com o evento Women in Information Technology (WIT), no qual as participantes discutem assuntos relacionados a questões de gênero na área da Tecnologia de Informação (TI) no Brasil – histórias de sucesso, políticas de incentivo e formas de engajamento e atração de jovens, especialmente mulheres, para as carreiras associadas à TI.

A abertura do projeto será com uma palestra sobre “Ser mulher na contemporaneidade: a dor e a delícia de ser o que é”, ministrada pela vereadora em Natal, Maria Divaneide Basílio, que doutora em Ciências Sociais pela UFRN, às 9h, no Campus de Natal, localizado na Av. Dr. João Medeiros Filho, 3419, Potengi.

A coordenadora do projeto, professora Glaucia Melissa Medeiros Campos contou que visitou três escolas da zona Norte de Natal com ensino médio: Escola Estadual Dulce Wanderley, na Redinha; Escola Estadual Peregrino Júnior, no Conjunto Santa Catarina, e Escola Estadual Professor Josino Macedo, no Potengi, reunindo cerca de 60 meninas interessadas em participar das aulas e oficinas, que ocorrerão todos os sábados até novembro. Ainda há vagas, então interessadas podem ir neste sábado (03) assistir à palestra de abertura e fazer inscrição no projeto.

Nas atividades semanais, as participantes assistirão palestras e mesas redondas temáticas com profissionais de diversas áreas das Ciências, além de exibição de filmes sobre histórias de sucesso de mulheres nas ciências. O projeto também vai oferecer cursos de programação; fotografia e sobre como ganhar dinheiro utilizando redes sociais; bem como sobre redação de textos argumentativos. “Queremos empoderar, incentivar, fazer com que elas se sintam capazes e despertar o interesse delas, além de oferecer conhecimentos básicos para o futuro”, explica a coordenadora.

As meninas serão incentivadas a seguir carreira nas áreas da Ciência, Tecnologia e Matemática (conhecido como STEM, da sigla em inglês para science, technology, engineering and mathematics), sendo que o projeto tem como maior ênfase os cursos direcionados para Informática.

Segundo a professora Glaucia, iniciativas como o Maria Bonita nas Ciências são necessárias porque existem muitas dificuldades peculiares às mulheres nas carreiras das áreas tecnológicas. “A associação entre tecnologia e masculinidade distancia as meninas da Informática desde cedo, quando lhes são oferecidas bonecas e casinhas, e aos meninos carros com controle remoto e videogames. As mulheres sofrem preconceitos de amigos, colegas de sala e de trabalho ao fazer escolhas atreladas ao universo masculino, sendo que algumas delas ainda tem a sua sexualidade questionada. A sociedade pensa e define o conceito de mulher ou homem de acordo com o desenvolvimento de suas habilidades e competências. De acordo com essa percepção, a mulher tem uma habilidade mais natural para atividades que exigem atenção e afeto, mas não racionalidade, ao contrário dos homens. Muitas mulheres desistem da graduação por serem as únicas dentro da turma. As conversas e o machismo típico da nossa sociedade bombardeiam diariamente essas mulheres com mensagens que atacam a autoestima. Dentro das empresas, as mulheres sofrem com salários mais baixos, mesmo exercendo atividades semelhantes as de seus colegas. Também existem relatos de mulheres que sofrem assédio sexual”, elenca.

Para mais informações veja o Instagram: @maria.bonita.nas.ciencias

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    O "Maria Bonita" no título desse programa soa como componente brega do folclore mossoroense. Aliás, Mossoró nunca resolveu seu dilema sheakspeariano: não sabe se celebra a resistência de seu povo ou homenagea o banditismo "heróico" do bando de Lampião.

  2. Gil disse:

    Tem que fechar essa UERN. Esse órgão custa uma fortuna para a combalida economia do RN. O Estado tem que investir em escola fundamental. Governo federal, se quiser, banque ampliação universidade.

  3. Carlos disse:

    “Empoderar” que besteira. Vai INCENTIVAR, ESTIMULAR…

Direito no Campus de Natal da UERN ficou entre seis cursos que mais aprovaram no 28º Exame Unificado da OAB em todo Brasil

Com 80% de aprovação, curso do Campus de Natal da UERN aprovou muito mais que todos os outros oferecidos no Estado, entre Instituições de Ensino Superior públicas e privadas

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) divulgou, nessa quinta-feira (18), os resultados do 28º Exame Unificado da Ordem. Dos 134.791 inscritos em todo país, 32.335 foram aprovados. Significando índice nacional de 24% de aprovação.

Bem acima disso, com 80% de aprovação, o curso de Direito do Campus da UERN em Natal ficou entre os seis que mais aprovaram em todo Brasil, percentualmente empatado com o curso do Campus Central da USP e o da Universidade Federal de Goiás, em Goiânia.

O exame da Ordem é necessário para que os formados em direito possam exercer a profissão de advogado. A OAB não faz ranking de Instituições de Ensino Superior por índice de aprovação, mas o site Poder360 fez um levantamento, considerando os cursos de IES públicas e privadas espalhados por todo Brasil, que tiveram mais de 10 inscritos no Exame realizado no início deste ano.

Com 80% de aprovação, o curso de direito da UERN em Natal foi o que mais aprovou, ficando bem à frente dos demais do Rio Grande do Norte. “A UERN sempre ficou bem posicionada, mas agora o resultado é de excelência nacional. Estamos muito felizes por esse feito histórico e inédito de conquistar posição entre os seis cursos que mais aprovaram em todo Brasil, bem a frente de todos os outros cursos de Direito do Estado”, comemorou o coordenador do Departamento de Direito do Campus de Natal da UERN, Prof. Dr. Carlos Sérgio Gurgel da Silva.

“Esse resultado se deve, claro, ao mérito de cada aluno, mas também à qualificação do nosso corpo docente. O curso de Direito do Campus de Natal tem 88,88% de professores mestres e doutores (14 doutores e 10 mestres. Desses 10 mestres, sete são doutorandos), que além do ensino, atuam e envolvem seus alunos em pesquisa e extensão. Além disso, diversificamos nossas formas de avaliações, testando os alunos com provas objetivas, subjetivas, práticas e atividades simuladas, fazendo com que eles alcancem desempenho cada vez maior. Além do resultado que comemoramos hoje, esse sucesso se revela de muitas formas. Temos ex-aluno diplomata, atuando junto a OMC, com sede em Genebra, na Suíça, temos bons índices de aprovação de nossos egressos em concursos públicos para carreiras jurídicas, bem como outros profissionais bem sucedidos”, acrescentou o coordenador.

“O nosso corpo de servidores é excelente. Ver a UERN Natal entre as seis universidades brasileiras que mais aprovam na OAB nos alegra e materializa o resultado de um trabalho que vem sendo feito com maestria”, comemorou o diretor do Campus de Natal da UERN, Prof. Dr. Chico Dantas.

O 29º Exame Unificado da Ordem está em curso e haverá mais um até o fim do ano.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    E olha que é uma universidade ancestralmente deficitária do ponto de vista econômico-administrativo, além de mantida por um estado cuja realidade fiscal é um horror. Por isso mesmo que prevalece a tese de privatização ou federalização da UERN.

  2. Safira disse:

    Se fosse notícia ruim teriam aqui dezenas de comentários criticando. Mas como é positivo pra Universidade e pro Estado…
    Onde estão os elogios pelo que estamos fazendo bem?
    Parabéns a UERN e seus profissionais pelo brilhante trabalho.

  3. Escritor disse:

    E a UNP?

UERN oferece 2.424 vagas no SiSU 2019

As inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (SiSU) 2019 começaram nessa terça-feira, 22 de janeiro, pelo site do SiSU (http://sisu.mec.gov.br).

A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) oferta 2.424 vagas, distribuídas nos cursos presenciais de graduação para o primeiro e o segundo semestres letivos de 2019. Para saber mais detalhes sobre os cursos e o termo de adesão da UERN ao SiSU, clique AQUI.

Os candidatos poderão se inscrever no SiSU no período de 22 de janeiro até as 23h59, do dia 25 de janeiro de 2019, observando o horário oficial de Brasília (DF).

Conforme cronograma nacional do SiSU, no dia 28 de janeiro será disponibilizado o resultado da chamada regular. Na UERN, o edital com a convocação dos candidatos aprovados na chamada regular, com as respectivas datas de matrícula, será publicado no dia 29 de janeiro de 2018.

Os candidatos que não forem aprovados na chamada regular poderão participar da lista de espera até 4 de fevereiro, observado nas novas regras do SiSU: O candidato selecionado na chamada regular, em 1ª ou 2ª opção, não poderá participar da lista de espera. Já o candidato não selecionado na chamada regular poderá escolher, para a lista de espera, a 1ª ou 2ª opção informada no período de inscrição.