Educação

Eleição para reitor(a) e vice-reitor(a) da UERN será realizada nesta segunda-feira

Nesta segunda-feira, 10 de maio, a comunidade acadêmica da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern) escolhe os próximos gestores para o quadriênio 2021/2025. Será a primeira vez que a consulta para reitor(a) e vice-reitor(a) ocorrerá de forma on-line.

A votação será realizada pelo SIG-Eleição, das 8h às 22h, através desse link: https://sigaa.uern.br/sigeleicao/. Todos os 11.314 eleitores aptos – entre estudantes da graduação e pós-graduação, professores e técnicos administrativos – estão cadastrados no sistema e têm assegurado o direito ao voto. Seis candidatos (as) estão na disputa, sendo três para o cargo de reitor(a) e três para o cargo de vice-reitor(a).

O resultado da eleição será conhecido pouco tempo após a finalização do pleito. Caberá ao Conselho Universitário (Consuni) homologar o resultado e compor a lista tríplice que será entregue à governadora Fátima Bezerra, chanceler da Uern. Como ocorreu em outros anos, a cerimônia de posse deve ser realizada em setembro, na tradicional Assembleia Universitária.

Disputam o cargo de reitor(a):

➡ Prof. Dr. Adalberto Veronese da Costa
➡ Profa. Dra. Cicília Raquel Maia Leite
➡ Prof. Dr. Francisco Paulo da Silva

Disputam o cargo de vice-reitor(a):

➡ Prof. Dr. Francisco Dantas de Medeiros Neto
➡ Profa. Ma. Kelânia Freire Martins Mesquita
➡ Profa. Dra. Maria José da Conceição Souza Vidal

Como votar?

Para ter acesso ao SIG-Eleição, o eleitor que já validou sua senha deve acessar a plataforma no link https://sigaa.uern.br/sigeleicao/, inserir login e senha e já terá acesso à eleição a qual está apto. Clicando no link da eleição ele será direcionado à urna virtual.

Já os usuários que ainda não validaram a senha devem acessar o link https://sigadmin.uern.br/admin/public/recuperar_senha.jsf, informar o login (CPF, apenas números) e o e-mail cadastrado no sistema. Um e-mail automático será enviado com o link para a redefinição. O usuário deve então criar uma nova senha, confirmar e já poderá ter acesso à urna virtual através de login no Sig-Eleição (https://sigaa.uern.br/sigeleicao/). Esse processo estará disponível até às 22h do dia 10 de maio, quando se encerra a votação.

Durante todo o período da votação, uma equipe da Dinf também estará de plantão através do Google Chat para tirar dúvidas sobre a votação. O usuário deve estar logado no e-mail institucional (@uern.br ou @alu.uern.br) e iniciar uma conversa com sigs.dinf@uern.br. O suporte estará disponível das 8h às 22h.

 

 

Opinião dos leitores

  1. 9 dedos foi muito mala! injetou dinheiro com forças nas universidades, doutrinou: reitores, professores e alunos, a maioria dessa turma e de esquerda, fumador de maconha e por ai vai….

  2. Que Deus tenha piedade do RN, especialmente do ensino público estadual. Universidade que custa muito caro ao paupérrimo RN e que transformou-se em mais um antro de esquerdopatas preguiçosos. A propósito, faz quanto tempo que não há aula nessa instituição? Mas os pagadores de impostos do RN continuam arcando com seus altíssimos custos. Para que mesmo?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Estudante de educação física da UERN morre de Covid-19 aos 32 anos; instituição emite nota de pesar

O portal G1-RN noticia que após 15 dias internado, o estudante de educação física da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN) Tiago Fernandes do Nascimento morreu de Covid-19 nesta segunda (19).

A UERN decretou em luto oficial e a Faculdade de Educação Física (Faef) suspendeu as aulas desta segunda-feira.

Nota:

A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern) lamenta profundamente o falecimento do estudante do oitavo período período do curso de educação física do Campus Central, Tiago Fernandes do Nascimento.

Tiago lutou bravamente contra as complicações decorrentes da Covid-19, mas, nesta segunda-feira (19), não resistiu.

A Uern presta sua solidariedade aos familiares e amigos.

A universidade está em luto oficial e a Faculdade de Educação Física (Faef) suspendeu as aulas que seriam realizadas hoje.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

UERN emite nota à comunidade acadêmica

Nota à Comunidade Acadêmica

A Administração Central da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), a respeito do processo de consulta à comunidade para composição de lista tríplice para escolha de reitor e vice-reitor, considera importante trazer ao público os esclarecimentos seguintes, prezando pela informação correta, honesta e justa em relação ao que definiu o Conselho Universitário – CONSUNI, e repudia deturpações e falsas informações propagadas com o objetivo de confundir a comunidade e colocar em dúvida a lisura e seriedade do trabalho realizado pela equipe de gestão universitária da Uern.

Resolução 014/2020-CONSUNI, que estabelece normas complementares para a composição de lista tríplice para escolha de Reitor e Vice-reitor, Diretor e Vice-Diretor de Unidade Universitária e Chefe e Subchefe de Departamento Acadêmico, o Conselho Universitário define, no Art. 2º, § 1º que: “a consulta será conduzida pelo Consuni, através da Comissão Eleitoral designada especialmente para essa finalidade”. Tal apontamento faz-se necessário para reafirmar que não compete à Reitoria da Uern, mas sim à Comissão Eleitoral, a condução, acompanhamento e supervisão de todo o processo. Cabe à Administração Central prestar o apoio necessário e demandado pela comissão para o bom andamento dos trabalhos. Instituída, a comissão é autônoma e independente, devendo submissão de suas decisões, quando achar necessário, somente ao Consuni, órgão colegiado, representativo e instância máxima da universidade. Atribuir à gestão universitária medidas tomadas em relação à condução deste processo trata-se de ato de desinformação e postura repudiável.

Ainda conforme a Resolução 014/2020 – CONSUNI, em seu Art. 5º, a Comissão Eleitoral é nomeada pela reitoria e composta por sete membros, sendo 01 docente indicado pela Associação dos Docentes da Uern (Aduern), 01 técnico administrativo, indicado pelo Sindicato dos Técnicos-Administrativos da Uern (Sintauern), 01 discente indicado pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE), 02 conselheiros indicados pelo Consuni e 02 servidores da Fuern indicados pela Reitoria. Desta forma, no dia 07 de janeiro de 2021, foram nomeados para compor a comissão, por meio da Portaria 01/2021 – GR-UERN, os seguintes servidores: Patrícia Batista Barra (Aduern), Geovani Carlos de Andrade Filho (Sintauern), Antônio de Medeiros Pereira Filho (DCE), Álvaro Marcos Pereira Lima e Lucas Moreira Rosado (Consuni), e Armando Lúcio Ribeiro e Jônatas Marques de Andrade (Reitoria). Constituída a comissão, todas as decisões a respeito da consulta à comunidade passam a ser prerrogativas dela, não cabendo à Reitoria ingerência no trabalho desta equipe.

Por meio da Resolução 02/2021 – CONSUNI, o Conselho Universitário instituiu modelo de votação por meio de plataforma virtual na consulta para formação de lista tríplice para Reitor e Vice-Reitor. Da mesma forma, a Resolução 014/2020-CONSUNI, com as alterações dadas pela Resolução 02/2021-CONSUNI, garante que entre as competências da Comissão Eleitoral está “emitir instruções sobre a sistemática de votação” (Art.8º, V). Outra vez, esclareça-se: não coube, nem cabe, à Reitoria a determinação de modelo de votação, nem tampouco de instruções sobre a sistemática de votação, mas sim ao Conselho Universitário e à Comissão Eleitoral.

Com base nas prerrogativas expressas pelas Resoluções 014/2020 e 02/2021 do Consuni, a Comissão Eleitoral expediu a Instrução Normativa 001/2021 – CE/UERN, que “estabelece normas complementares referente ao processo de eleição para composição da lista tríplice para a escolha de Reitor(a) e Vice-Reitor(a) da UERN”. Em seu Art.6º, § 4º, a instrução define que: “Para efetivação de seu direito ao voto o eleitor deverá realizar cadastro prévio na plataforma Sigaa até a data limite de 12/04/2021”.

Em decisão liminar, referente ao Processo nº0806865-50.2021.8.20.5106, a juíza Adriana Santiago Bezerra, da 3ª Vara da Fazenda Pública de Mossoró, determinou a suspensão da exigência contida no Art.6º, §4º da referida Instrução Normativa, expedida pela Comissão Eleitoral. Para a magistrada, tal exigência “impõe restrição em desacordo com a Resolução nº 014/2020-CONSUNI”. A decisão impõe também que “seja assegurado o direito ao voto a todos os eleitores cujos nomes estiverem incluídos em lista publicada no Jouern, nos termos do Art.66, da Resolução nº 014/2020-CONSUNI, sendo que, na impossibilidade técnica de cumprimento, proceda com a suspensão do pleito até a habilitação na plataforma virtual de todos os eleitores aptos a votar”. Com base na decisão, mantida após negativa de recurso impetrada pela Uern junto ao Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, a Comissão Eleitoral suspendeu a eleição, marcada para a última quarta-feira (14/04).

Cumpre-nos esclarecer que, conforme assegurado pela Diretoria de Informatização (DINF/UERN), todos os eleitores cujos nomes estão incluídos na lista de aptos a votar, publicada no Jouern, já se encontram inseridos no Sigaa, em situação de pré-cadastro, restando a eles apenas a validação/confirmação de seus dados no sistema (cadastro), para geração de login e senha. A necessidade de geração de senha individual, por parte de cada usuário, é condição necessária para a garantia de segurança dos seus dados e do seu voto. Tal procedimento segue rotina padrão do sistema SigEleição, sendo semelhante em todos os processos realizados em diversas universidades e institutos federais brasileiros que utilizam este sistema para escolha de seus dirigentes. Para suporte e auxílio aos usuários que encontrem dificuldade durante a validação/confirmação de seu cadastro, a Uern colocou à disposição da comunidade – a pedido da Comissão Eleitoral – equipes de suporte técnico remoto de plantão, garantindo a solução do caso em sua totalidade em todos os atendimentos. Tal suporte continuará sendo oferecido, inclusive durante todo o dia de votação, caso a Comissão Eleitoral considere pertinente e demande tal necessidade.

Por fim, asseguramos que não há, em nenhum momento, qualquer ato expedido ou determinado pela Reitoria da Uern que limite ou coloque em risco a participação da comunidade acadêmica no processo democrático de escolha dos novos dirigentes da instituição. Atribuir à Reitoria a responsabilidade por medidas referentes à condução do processo de consulta em questão demonstra desconhecimento das normas institucionais vigentes, apresentadas anteriormente, ou simplesmente má-fé de quem busca macular a seriedade, compromisso e zelo que essa equipe de gestão tem com a administração da universidade. Ao tempo que reafirmamos a confiança na independência e lisura do trabalho feito pela Comissão Eleitoral e das decisões do Consuni, já estamos prestando as informações e esclarecimentos necessários à justiça, buscando uma solução rápida para o caso, de forma a garantir que o Conselho Universitário possa definir nova data de votação o mais breve possível. A democracia é valor inestimável, intimamente ligada a uma condição que se faz ainda mais urgente em nossos dias: a defesa da verdade.

Profª Fátima Raquel Rosado Morais
Reitora em exercício da UERN

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Procuradoria Geral do RN emite parecer pela permanência de servidores na UERN contratados sem concurso antes da promulgação da Constituição de 1988

A Procuradoria Geral do Estado do Rio Grande do Norte (PGE-RN) emitiu parecer favorável à permanência do vínculo empregatício de 15 servidores técnicos na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UERN), contratados sem concurso antes da promulgação da Constituição Federal de 1988. O documento é referente ao inquérito civil n° 04.23.2357.0000106/2019-84, instaurado pelo Ministério Público estadual (MPRN), e a partir desse parecer nenhuma medida administrativa pode ser tomada no sentido de exonerar esses servidores.

“Imagine o que é, a essa altura, esses servidores perderem o vínculo empregatício em uma conjuntura como essa que estamos vivendo. Podia ser um único servidor, mas ainda assim seria significativo. São sonhos, são histórias de luta, de vida, muita coisa”, disse a governadora Fátima Bezerra durante reunião realizada nesta semana com representantes da PGE, da UERN e do Sindicato dos Servidores Técnicos Administrativos da UERN.

O parecer em defesa da continuidade dos trabalhadores na instituição defende que a decisão do Supremo Tribunal Federal na Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 1241 não determinou a exoneração dos servidores que ingressaram antes da Constituição de 1988, conforme explicou o procurador geral do Estado do RN, Luiz Antônio Marinho. “Não há ilegalidade na contratação desses servidores e tampouco na permanência deles na UERN. Essa parcela estava na iminência de ser demitida, agora, por força de um inquérito instaurado pelo Ministério Público. A decisão do Supremo não alcançaria esses servidores, que embora não sejam estáveis, não é ilegal.”

“Temos convicção de que demos o entendimento mais adequado na interpretação da decisão do Supremo e que chancela a permanência desses servidores nos quadros pessoais da UERN. É uma questão de Justiça e é uma questão de Direito”, acrescentou Luiz Marinho, dizendo se tratar de um momento histórico e reconhecendo a importância do apelo da governadora, professora Fátima Bezerra, para tratar do caso com sensibilidade.

O presidente do Sindicato dos Servidores Técnicos Administrativos da UERN (Sintauern), Elineudo Melo, é um dos trabalhadores envolvidos na ação e participou do encontro representando o grupo. “Nós somos 15 pais e mães de famílias com quatro anos restantes para se aposentar, os demitidos talvez não teriam encontrado novas oportunidades no mercado de trabalho”, disse Elineudo, completando que os demitidos talvez não encontrassem novas oportunidades no mercado de trabalho. “A UERN pra nós é tudo. Eu comecei com 19 anos, foi meu primeiro emprego de carteira assinada, o primeiro emprego digno”, completou emocionado.

A reitora da UERN, Raquel Morais, também destacou a importância do momento. “Desde 2017 a UERN está nessa luta tentando garantir o entendimento que a universidade tem desde o começo de que essas pessoas não estão abarcadas pela ADI.” Segundo ela, o parecer corrobora a defesa que a universidade vem fazendo desde o início do caso. “São pessoas que estão há mais de 30 anos fazendo a diferença na nossa instituição”, pontuou.

SOBRE O PARECER

O procurador Marconi Medeiros Marques de Oliveira, que assinou o parecer, detalhou a situação: “tem sido frequente a prolação pelo Supremo Tribunal Federal de decisões declarando a inconstitucionalidade de leis estaduais que procuraram estabilizar a situação de servidores públicos que ingressaram no serviço público já na vigência da Constituição de 1988, o que, por óbvio, revela-se acertado, dada a necessidade de respeito ao princípio da igualdade, da eficiência e da impessoalidade na contratação da força de trabalho que o Estado necessita para prestar seus serviços, respeito este que só é alcançado por meio da realização de concursos públicos.”

Por outro lado, ele afirma que há uma gama de empregados que ingressaram no serviço público antes de promulgação da constituição, quando não havia a exigência de concurso para a contratação sob o vínculo celetista e os que já tinham cino anos no serviço público foram estabilizados pelo art. 19 do ADCT. “Quem tinha menos, não ganhou estabilidade, porém se encontra até hoje no serviço público trabalhando normalmente. Questiona-se se estes últimos foram alcançados pelas decisões do STF e devem ser exonerados automaticamente. No nosso entendimento, a resposta é negativa, pois o STF, em momento algum, declarou a nulidade das suas contratações, tendo sido apenas eliminada sua estabilidade, o que permite dizer que é discricionária a decisão sobre exonerar ou não tais servidores, não cabendo ao Ministério Público exigir coativamente sua demissão.”

Também participaram do anúncio do parecer favorável à permanência dos técnicos da UERN: os deputados estaduais George Soares, Isolda Dantas e Francisco Medeiros; a presidente da Associação dos Docentes da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Aduern), Patrícia Barra; e o secretário de Gestão de Projetos e coordenador do Governo Cidadão, Fernando Mineiro.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

UERN divulga lista de aprovados no Processo Seletivo de Vagas Ociosas

Foto: Divulgação

A Pró-Reitoria de Ensino de Graduação (PROEG) da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) publicou edital com o resultado do Processo Seletivo de Vagas Ociosas (PSVO) referente ao semestre letivo 2020.2. Os convocados devem realizar o Cadastro Institucional e a Matrícula Curricular entre os dias 4 e 5 de março.

Para efetivação dos dois procedimentos, o candidato deve digitalizar os documentos exigidos e enviá-los por email informando o nome completo e o respectivo curso e campus.

Confira o Edital Nº 009/2021 – PROEG/UERN, publicado no Jornal Oficial da Fundação Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (JOUERN) desta quarta-feira, 3, com a lista de convocados e as instruções para a realização das próximas etapas.

Com UERN

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Diretor do Campus de Natal é escolhido como candidato a vice-reitor da UERN

O professor Chico Dantas, diretor do Campus da UERN em Natal, foi o escolhido como companheiro de chapa da professora Cicília Maia, candidata à reitoria da UERN. A composição com a direção do Campus Natal potencializa a representatividade do projeto, já que a instituição é multicampi, presente em seis municípios, incluindo as duas maiores cidades do RN. A chapa tem o apoio do atual reitor Pedro Fernandes e da vice-reitora Fátima Raquel (atual reitora em exercício).

A campanha oficial só começa em março, mas as definições para a eleição já estão a todo vapor nos bastidores. Cicília e Chico contam com apoio da maioria dos diretores de faculdades e campi da instituição, além de estudantes, técnicos-administrativos e professores. A eleição para reitoria da Uern está marcada para 14 de abril.

Cicília Maia é chefe de gabinete da reitoria da Uern e já foi Pró-Reitora de Recursos Humanos e Assistência Estudantil, além de ter atuado por muito tempo na Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da universidade. Durante a pandemia do novo coronavírus, tem sido a principal auxiliar da reitora em exercício, Fátima Raquel, na condução e planejamento de ações da universidade.

Chico Dantas é professor do Departamento de Ciência da Computação e diretor do Campus da Uern, em Natal. Na direção do campus, tem realizado projetos com foco na promoção da qualidade de vida da comunidade acadêmica, e apresentado os resultados da universidade à classe política, recebendo no Campus vários deputados estaduais, federais e senadores convidados para um momento de interação com a comunidade acadêmica e conhecimento geral sobre a UERN.

Entre ntre os principais desafios da Uern para a próxima gestão está a conquista de sua autonomia financeira, assunto já tratado pela atual gestão da universidade com a governadora Fátima Bezerra, que assumiu compromisso com a instituição de implantar a autonomia ainda durante o mandato dela.

Opinião dos leitores

  1. O mundo todo mudou. Falta a UERN se livrar desse grupetos históricos que corroem a Instituição.
    Para transformar a UERN numa outra vem aí Paulo Silva (da FALA) e Kelânia Freire (da FANAT)

    A UERN será de fato uma Universidade.
    Uma outra UERN é possível

  2. Não apoio nem voto em candidato da atual gestão, que simplesmente não agrada a nenhum dos 3 segmentos! Votarei em Paulinho e em Kelânia, que serão candidatos.

  3. Melhor escolha impossível!!! Dois profissionais que valorizam e focam a educação. Me representam demais!!!

  4. Dois nomes de peso e de muita competência que não tenho dúvidas são a nossa melhor opção para os anos vindouros!!

  5. Dois profissionais altamente qualificados, enquanto docentes e gestores. A UERN só tem a ganhar com eles à frente.

  6. Pessoas competentes e que representam os três seguimentos da Universidade. Neste momento em que avançamos para a conquista da nossa autonomia, a experiência é indispensável para a concretização deste sonho. Avante Cicilia e Chico, avante UERN!

  7. Excelentes nomes !!! Profissionais altamente capacitados e com histórico de grande empenho em prol da UERN, além da vasta experiência administrativa acumulada por ambos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Governo autoriza formatura antecipada dos alunos de Odontologia da UERN

Foto: Formanda Helaynne Diniz em atuação no estágio supervisionado/acervo pessoal

A governadora Fátima Bezerra, chanceler da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN, publicou em edição extraordinária do Diário Oficial do Estado, desta terça-feira (22), o Decreto Estadual nº 30.301/2020 que autoriza a conclusão dos estudos dos discentes do curso de Odontologia da Universidade, que tenham integralizado o mínimo de 75% da carga horária do estágio curricular. A medida beneficiará 15 estudantes do curso que recentemente recebeu conceito 4 no Enade, sendo considerado um dos mais bem avaliados do país.

“Esta é mais uma das nossas ações concretas de enfrentamento à pandemia. Estamos possibilitando que uma nova leva de odontólogos, formados num dos melhores cursos do Brasil, esteja disponível a trabalhar em prol da saúde do povo potiguar, nesse momento tão difícil que estamos passando”, destaca a governadora. Os novos profissionais sairão para o mercado de trabalho com capacitação específica para cumprimento dos protocolos de atendimento, visando a prevenção à Covid-19.

O documento atual altera o Decreto nº 29.591/2020, que já contemplava a antecipação nos cursos de Medicina e Enfermagem da Instituição. O decreto atende ao disposto na Medida Provisória nº 934, de 1º de abril de 2020, e a Lei Federal nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020. Ambos dispõem sobre a flexibilização para conclusão antecipada dos cursos da área da saúde, como medida de reforço ao enfrentamento da situação de emergência na saúde pública decorrente do novo coronavírus (Covid-19).

“Em abril, quando autorizamos a colação de grau antecipada de 28 formandos em Medicina, possibilitamos o ingresso de profissionais para atuarem diretamente na linha de frente dessa batalha contra a covid, além de possibilitarmos o ingresso de novos médicos para suprirem a demanda dos lugares mais remotos do Rio Grande do Norte”, relembrou Fátima. Este ano, a UERN lançou uma nova turma de Enfermagem, sendo que eles já tinham cumprido toda a carga horária, de modo que não precisaram ser beneficiados com a medida emergencial.

A reitora em exercício, Fátima Raquel Morais, comemorou a inserção dos estudantes do curso de Odontologia no Decreto. “O decreto anterior já contemplava os estudantes de Medicina e de Enfermagem. Foi graças a ele que conseguimos entregar 28 médicos para o enfrentamento da Covid, e eles estão fazendo a diferença nas comunidades onde estão atuando. Agora a expectativa é conceder o grau a esses estudantes que não haviam sido contemplados no Decreto anterior, e que têm uma grande contribuição a dar nesta pandemia”, afirmou.

De acordo com o professor Glécio Clemente de Araújo Filho, coordenador do curso de Odontologia, a facilidade de contágio – que é a principal característica do novo coronavírus – exige que os profissionais da Saúde adotem novas metodologias de biossegurança. “Os novos odontólogos formados pela UERN sairão com essa capacitação extra e poderão contribuir no serviço público e privado como multiplicadores dos protocolos que aprenderam neste novo período”, justificou. Os protocolos incluem uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) diferenciados, já utilizados nos estágios supervisionados para efeito de conclusão, nos quais eles foram bastante elogiados pela desenvoltura.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

UERN receberá R$ 30 milhões em investimentos com recursos do Governo Bolsonaro para obras e melhorias físicas todos os campi da universidade

Foto: Robson Araújo / ASSECOM-RN

O Governo do Estado reuniu-se nessa quinta-feira (10) com gestores e representantes dos estudantes da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) para discutir situação do campus avançado de Caicó, que tem cursos de odontologia, enfermagem e filosofia.

A governadora Fátima Bezerra relatou o trabalho junto ao Ministério da Educação (MEC) para conseguir a liberação de R$ 30 milhões a serem investidos na UERN. A matéria sobre esse assunto você encontra aqui https://shar.es/ao2djl.

“A UERN é uma das instituições mais importantes do nosso estado do Rio Grande do Norte. A boa notícia é que saímos de lá com o compromisso da liberação dos 30 milhões de reais. A verba vai começar a ser disponibilizada ainda em dezembro. O ministro da educação (Milton Ribeiro) e o presidente do FNDE  garantiram que até março e abril de 2021 todo esse recurso estará disponibilizado para o nosso RN. Nosso compromisso com a educação não é no discurso, é na prática”, pontuou Fátima Bezerra.

Os estudantes apresentaram uma lista com reivindicações como manutenção em prédios, salas de aulas e laboratórios, reformas estruturais, aquisição de materiais e pavimentação. A administração da UERN já deu início a parte dessas ações, aprontando as licitações e organizando os investimentos, em parte com os recursos conquistados pelo Governo junto ao MEC.

O montante destinado à UERN é, em parte, de uma emenda orçamentária de quando a governadora Fátima Bezerra ainda integrava a bancada federal como senadora. Os investimentos beneficiam com obras e melhorias físicas todos os campi da universidade: Mossoró, Natal, Assu, Caicó, Mossoró, Patu e Pau dos Ferros.

Ainda em maio de 2019, o Governo do Estado assegurou o repasse de R$ 3 milhões para a complementação da emenda que tinha sido contingenciada. O contingenciamento significa que a verba foi congelada por um período e depois pode ser desbloqueada.

Parte desses recursos será destinada a Caicó, com investimentos na rede elétrica e no bloco de salas que representam cerca de R$ 2,3 milhões.

Fátima Raquel Morais, reitora em exercício, colocou que “ao longo desses 7 anos aqui na UERN, nunca tivemos tanto diálogo, tanta parceria, e tanta vontade de fazer a universidade avançar. Ao longo dos últimos anos, antes da gestão da governadora, nosso orçamento de investimento, via de regra, era zerado. Sem isso não podíamos fazer nada”.

Logo após, a assessora da infraestrutura da UERN, Bruna Medeiros, fez uma apresentação de todos os pontos pautados pelos alunos do campus de Caicó e do relatório com o planejamento de ações para o Campus elaborado pela gestão.

CAMPUS CAICÓ

O Curso de Odontologia da UERN em Caicó está entre os melhores do país. Recebeu Conceito 4 no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) e Conceito 5 no Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observados e Esperado (IDD)

O curso se destaca pela qualidade na formação dos profissionais e prestação de serviço à população, através dos seus projetos de extensão e clínicas odontológicas. O curso de Enfermagem do campus Caicó obteve nota 3, também considerada nota boa

Também estiveram presentes à reunião o vice-governador do Estado, Antenor Roberto, os secretários de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer, Getúlio Marques, e do Planejamento e das Finanças, Aldemir Freire; o secretário-adjunto da Infraestrutura, Haroldo Azevedo; a secretária-adjunta do Gabinete Civil, Socorro Batista; os professores da UERN Cicília Maia e Esdras Marchezan, e os alunos Jandeson Dantas, Lucas Dantas Pereira, Bruna Aquino de Morais, Pablo de Castro Santos.

Opinião dos leitores

  1. Hô Véio Bom da gota serena é o Presidente Bolsonaro.
    Nem parece com o ladrão do Lula. Bolsonaro é honesto, eficiente e Trabalhador.

  2. MEU CARO …DO GOVERNO NÃO..DA NAÇÃO …O DINHEIRO É DO POVO….E MAIS DO QUE OBRIGAÇÃO RETORNAR

  3. Vocês leram a matéria toda ou só a chamada? A parte da matéria que fala que parte do recurso era de uma emenda que tinha sido contigênciada pelo Governo Federal e a fala da Reitora destacando o empenho do Governo Estadual em buscar recursos para UERN vocês não leram?

  4. Nem se fosse Lula estaria mandando tanto dinheiro para companheira Fátima, agora pq será que ela só faz criticar o Governo Bolsonaro? Quando merecer aplausos tem que dar Fatinha.

  5. E FATÃO VAI DIZER QUE É CONQUISTA DO GOVERNO DELA, SE NÃO FOSSE AJUDA DO GOVERNO FEDERAL ESTARIAMOS TODOS LASCADOS, PQ ELA SÓ SABE TAPAR BURACO,

  6. Eita Governo Bom este do Bolsonaro!!

    Os estados do Nordestao nunca antes neste país receberam tantos recursos do governo federal!!!

  7. Bolsonaro, o melhor "governador" que o RN já teve. Lamento, porém, que não se espera reconhecimento da comunidade universitária da UERN, sabidamente anti bolsonarista. Mas o presidente vem fazendo sua parte.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Após reitora apontar necessidade, Governo estuda possibilidade de concurso da UERN já em 2021

A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern) pretende realizar novo concurso público para servidores da instituição. O assunto foi discutido na sexta-feira (27), durante reunião entre a reitora em exercício da Uern, Profa. Fátima Raquel Morais, e a governadora do Estado, Fátima Bezerra. A reitora apresentou a necessidade à governadora e pediu que a demanda seja analisada pela equipe de governo, ainda este ano. Para realização do certame, é preciso autorização do governo.

“Já temos demanda para preenchimento de vagas tanto de docentes como de técnicos. A garantia de um novo concurso é fundamental para a continuidade do fortalecimento da nossa instituição. Caminhando tudo certo, seria muito bom termos nosso concurso já no próximo ano”, disse a reitora. “Importante as informações trazidas pela Uern sobre esta necessidade. Garanto que vou tratar o assunto com toda a atenção, e discutir com nossa equipe esta possibilidade”, afirmou a governadora.

Acompanhada da Chefe de Gabinete da reitoria, Profa. Cicília Maia, a reitora em exercício tratou também sobre a necessidade do avanço na discussão sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Salários dos servidores – assunto já discutido com o governo -, e sobre a concretização da autonomia financeira da Universidade. “Estas são pautas vitais para nossa comunidade, governadora, e temos como construir um momento importante e histórico para nossa instituição”, reforçou Fátima Raquel.

Sobre estas pautas, a governadora reafirmou o compromisso assumido anteriormente de buscar efetivá-las até o final do seu mandato. “Vamos instalar a comissão responsável pelo estudo destas pautas e avançar nestes pontos. Agora vamos oficializar a comissão”, disse a governadora.

O secretário estadual de planejamento, Aldemir Freire, também participou da reunião, que tratou também sobre as necessidades de reestruturação de infraestrutura nos campi da instituição. Ele garantiu o repasse das ordens bancárias de custeio da Universidade, medida importante para equalização das contas e encerramento do ano fiscal.

“Temos tido diálogo constante com a equipe de governo para sanar questões que exigem recursos financeiros para solução”, disse a reitora ao falar sobre necessidades mais urgentes.

Durante a reunião, a governadora falou sobre a entrega do novo prédio do Campus da UERN, em Natal. “Fizemos todo o esforço necessário, junto com a equipe da Uern, e vamos entregar esta importante obra”, afirmou.

Participaram também da reunião, o vice-governador, Antenor Roberto; a secretária adjunta do Gabinete Civil, Socorro Batista; a chefe de gabinete da Secretaria Estadual de Educação, Ana Morais; o assessor da Secretaria de Educação, Renato Bezerra; o Pró-Reitor de Planejamento e Finanças da Uern, Iata Anderson; o Assessor de Governança da Informação e Transparência da Uern, Esdras Marchezan, e a chefe da assessoria de obras da Uern, Bruna Medeiros.

Opinião dos leitores

  1. Nova Cruz precisa urgente de um campus da UERN, já que a UFRN abandonou a maior cidade do agreste potiguar. Governadora nem tchum pra educação.

    1. UFRN q abandonou tua cidade é federal.
      Coloca na conta do teu presidente.

    2. Concordo plenamente. É muito triste para os Novacruzvence não ter um núcleo de curso superior e não se perceber o empenho dos líderes que buscam apoio dessa gente a cada quatro anos, para a conquista na de Educação.

  2. Vai fazer o concurso em 2021 , para ocuparem os cargos em 2022, já na gestão do outro governador, pois essa só terá esse mandato.
    Rogério Marinho ou Styverson será o futuro governador do RN, vai ser peia na Fátima Bokus.

  3. Os Bolsominions que é a favor da privatização (menos Estado né) já nem fazem a inscrição por gentileza. Até pq é na área da Educação (Paulo Freire lembra)…faça não…coisa de esquerdista…deixa que a gente ocupa as vagas….

    1. Petistas e esquerda só ocupam cargos comissionados, aqueles indicados pela bajulação e subserviência aos mandamentos da cartilha esquerdopatas.

    2. Calígula, mente e seja feliz no seu mundo fantasioso.
      Vc mente tanto que Bolsonaro não quer deixar que os reitores sejam eleitos pq julga que só tem esquerdista ocupando cargos públicos e que vão eleger mais esquerdistas.

      Tenha vergonha de mentir homi.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

UERN convoca candidatos pretos, pardos e indígenas com ingresso no semestre 2020.2 para Procedimento de Heteroidentificação

Foto: Divulgação

A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – Uern, por meio da Pró-reitoria de Ensino de Graduação – Proeg, convoca os candidatos aprovados nas chamadas regular, segunda, terceira e quarta convocações do SiSU/UERN 2020, em cursos com início no semestre letivo 2020.2, da categoria Cota Social (pretos, pardos e indígenas), para realização de procedimentos que comprovem, de forma provisória, a respectiva condição alegada.

O processo de comprovação da condição alegada pelo candidato (como preto, pardo ou indígena) será realizado, exclusivamente, de forma virtual e terá caráter provisório.

Conforme as orientações do Edital, o candidato deve digitalizar todos os documentos exigidos, constantes no Anexo II, e enviá-los, identificados com o campus, curso e nome do candidato, para o endereço eletrônico processos.sisu@uern.br, no período de 23 a 27 de novembro.

A comprovação dos candidatos da categoria Cota Social (preto, pardo ou indígena) será realizada em duas etapas: Análise pela Comissão de Heteroidentificação da documentação enviada de forma virtual pelo candidato; e Confirmação presencial, por meio do Procedimento de Heteroidentificação, da condição alegada e apresentação dos documentos físicos exigidos para a Categoria. Após a análise documental (1ª etapa/provisória) será publicado edital contendo o resultado proferido pela Comissão de Heteroidentificação. Esse edital está previsto para o dia 11 de dezembro.

Após a comprovação provisória da condição de preto, pardo ou indígena será efetivado o Cadastro Institucional do candidato.

Veja:

➡ EDITAL
➡ ANEXO I – DOS CONVOCADOS PARA O PROCEDIMENTO DE HETEROIDENTIFICAÇÃO;
➡ ANEXO II – DO PERÍODO E DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA REALIZAÇÃO DO PROCEDIMENTO DE HETEROIDENTIFICAÇÃO;
➡ ANEXO III – DECLARAÇÃO PARA HETEROIDENTIFICAÇÃO VIRTUAL;
➡ ANEXO IV – DECLARAÇÃO DE ETNIA E DE VÍNCULO COM COMUNIDADE INDÍGENA.

Opinião dos leitores

  1. Que idiotice isso de cota por cor de pele ou etnia.

    Se for para ter cota, que seja por condição social.

  2. Tribunais raciais. Deram um nome bonito pra essa que foi uma prática nazista. Que mundo é esse, Senhor?!

  3. Concordo, sr. Chico. Isso, sim, é discriminação. É, também um equívoco. Entrada em qualquer instituição de ensino particularmente universidades, deve ser efetuada através de mérito intelectual. Jamais por origem étnica ou socialal. seja qual for.

    1. A argola de ferro na venta tá pesando né gado?
      Os açoites foram poucos? A moleira não tá dolorida o suficiente não?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Maioria dos cursos de saúde da UERN mantém conceitos 3 e 4 no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade)

Foto: Divulgação

A maioria dos cursos da área de saúde da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), avaliados na prova do Enade 2019, manteve os conceitos regular (3) e bom (4), conforme resultado divulgado nessa terça-feira (20) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (INEP/MEC). A prova foi aplicada em novembro do ano passado.

Na Uern, foram avaliadas turmas concluintes dos cursos de Medicina, Educação Física e Enfermagem (Campus Central), Odontologia e Enfermagem (Campus Caicó), e Enfermagem (Campus Pau dos Ferros). A nota divulgada ontem leva em consideração o desempenho dos alunos na prova teórica.

Os cursos de Odontologia e Enfermagem, dos campus Central e Pau dos Ferros mantiveram o conceito 4 (bom), também obtido na última avaliação dos cursos da área de saúde, em 2016. O curso de Enfermagem do Campus Caicó obteve nota 3 (regular), assim como o curso de Educação Física do Campus Central. O curso de Medicina, Campus Central, obteve nota 2.

A prova, de responsabilidade do Inep/MEC, avalia o rendimento dos concluintes dos cursos de graduação em relação aos conteúdos programáticos previstos nas diretrizes curriculares dos cursos, o desenvolvimento de competências e habilidades necessárias ao aprofundamento da formação geral e profissional, e o nível de atualização dos estudantes com relação à realidade brasileira e mundial. Das 8.368 instituições avaliadas apenas 511, o que corresponde a 6,1% do total, conseguiram a nota máxima: 5.

A assessora de avaliação institucional da Uern, Profa. Mayra Ribeiro, explica que o indicador é importante como referência para o trabalho de avaliação e melhoria das competências pedagógicas dos cursos. No próximo dia 28 a Assessoria de Avaliação Institucional (AAI/UERN) fará reunião com chefes de departamento e diretores de faculdades dos cursos avaliados para análise dos resultados e definição de estratégias para melhoria dos índices.

“No último resultado do Enade que obtivemos, em outubro do ano passado, referente aos cursos da área de Ciências Sociais Aplicadas, ampliamos a quantidade de cursos com nota máxima (5) e também com nota 4. Neste resultado agora conseguimos manter as notas 3 e 4 de alguns cursos, e vimos que em outros é preciso analisar e traçar estratégias conjuntas, com estudantes, departamentos e faculdades, para melhoria dos resultados. Isso é um processo contínuo que, somente com um trabalho de avaliação permanente, como temos feito na universidade, é possível ajustar e obter novos resultados”, explicou a professora.

Em outubro do ano passado, os cursos de Serviço Social (Campus Central), Direito (Campus Central e Campus Natal), e Publicidade e Propaganda (Campus Central) alcançaram o conceito 5 (muito bom) no Enade. Os cursos de Jornalismo (Campus Central) e Administração (Campus Pau dos Ferros) alcançaram a nota 4 (bom).

Este trabalho tem sido reconhecido pelo Conselho Estadual de Educação (CEE), órgão vinculado à Secretaria de Estado da Educação (SEEC), responsável pela avaliação e reconhecimento dos cursos de graduação da Uern. “Temos acompanhado o trabalho realizado pela universidade e visto que a avaliação institucional vem ocupando um espaço de protagonismo na instituição, e isso é responsável pelo reconhecimento, renovação de cursos, com cada vez mais resultados melhores para a instituição”, disse a presidente do Conselho, Profa. Leidiana Galvão Bacurau durante evento online realizado na noite desta terça-feira, pela AAI/Uern.

No total, a Uern conta com 4 cursos com conceito 5 (muito bom), 8 cursos com conceito 4 (bom) e 21 cursos com conceito 3 (regular).

A universidade tem apostado no fortalecimento da política de avaliação institucional para obter bons resultados nos indicadores avaliativos externos. Na avaliação do Índice Geral de Cursos (IGC), por exemplo, a universidade saiu de 2,54, em 2014, para 2,89, em 2018.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Egresso de Medicina da Uern é um dos vencedores de prêmio nacional de inovação em saúde

Foto: Divulgação

O egresso do curso de Medicina da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) Diego Ariel foi um dos 11 vencedores do prêmio Euro Inovação na Saúde, promovido por uma empresa farmacêutica multinacional. O ortopedista desenvolveu um projeto de uma mesa de tração ortopédica, um dispositivo portátil e de baixo custo que auxilia em vários procedimentos ortopédicos e traumatológicos.

Foram mais de 1.600 projetos inscritos na fase inicial. O egresso da Uern ficou entre os 11 vencedores na final, cujo resultado foi divulgado no último dia 24.

O grande vencedor, o médico cearense Edmar Maciel, recebeu um prêmio de 500 mil euros pelo projeto “A pele de tilápia: um novo biomaterial para tratamento de queimaduras, feridas, cirurgias ginecológicas e medicina regenerativa”. Os outros 10 finalistas foram premiados com 50 mil euros cada.

“Como egresso da Uern, fico bastante feliz em saber que mesmo com poucos recursos, a Universidade consegue formar bons profissionais e que, mesmo sem os insumos de universidades maiores, ainda conseguimos nos destacarmos na ciência nacional”, reconheceu o ortopedista.

As mesas de tração ortopédicas são usadas em diversos procedimentos cirúrgicos. No projeto, Diego Ariel criou um modelo de baixo custo, de fácil de transporte e manipulação e que facilita o ensino de técnicas operatórias que necessitem de tal dispositivo.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Comunidade acadêmica discute retomada das atividades presenciais na UERN

Um momento rico de debate em torno de soluções para o retorno das atividades acadêmicas na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), suspensas desde 31 de março devido à pandemia do Covid-19.

Nesta segunda-feira (01), diretores de Unidades Acadêmicas, representes do Fórum dos Chefes de Departamentos Acadêmicos, do Diretório Central dos Estudantes (DCE), Associação dos Docentes (ADUERN) e do Sindicato dos Técnicos Administrativos (SINTAUERN) discutiram com a equipe de gestão universitária e com a Comissão Especial de Consulta alternativas para a retomada de atividades acadêmicas na Instituição.

A Comissão de Consulta apresentou os estudos que estão sendo desenvolvidos para a retomada presencial das atividades, nas dimensões acadêmica, de infraestrutura e de tecnologia. De acordo com a reitora em exercício, Fátima Raquel Morais, o objetivo da comissão é apontar as necessidades e sugerir soluções para que Universidade esteja pronta para a retomada presencial, embora ainda não seja possível prever quando as atividades presenciais poderão voltar a acontecer.

“Não sabemos quando tudo isso vai acabar, mas sabemos que nada será como antes. Sabemos também que será uma retomada gradual, pois temos em nossa comunidade, professores, estudantes e técnicos com comorbidades, que não poderão voltar à rotina de trabalho presencial de imediato. Além disso, a UERN terá que disponibilizar álcool e outros insumos para o retorno das pessoas em seus ambientes. Tudo isso está sendo analisado cuidadosamente, discutido e deverá compor um documento para orientar a Universidade neste momento”, explicou a reitora em exercício.

Se por um lado a UERN traça estratégias para a retomada presencial, por outro, a Instituição estuda alternativas para a oferta de atividades neste momento de isolamento social. O pró-reitor de Ensino de Graduação, Wendson Dantas, apresentou uma proposta de oferta de componentes na modalidade de ensino remoto em semestre especial.

A ideia é utilizar meios digitais e/ou não digitais no processo de ensino-aprendizagem através da oferta de disciplinas de forma remota. A adesão tanto para professores quanto pra estudantes não é obrigatória, não havendo nenhum prejuízo para o estudante ou o professor que não se inscrever nesta modalidade. Os professores poderão ofertar até uma disciplina e os estudantes se inscrever em até dois componentes curriculares. A proposta deverá ser enviada nesta semana para apreciação do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE).

“Este modelo está sendo utilizado por outras Instituições de Ensino Superior do país. A vantagem para o estudante é que ele poderá cumprir neste período de isolamento social parte dos componentes acadêmicos do seu curso, e até disciplinas optativas. Outra vantagem é que, dependendo da adesão, irá contribuir para que as salas de aula estejam com menos estudantes no retorno da modalidade presencial, respeitando as orientações de distanciamento que precisarão ser adotadas neste novo momento”, argumentou o pró-reitor.

Para os estudantes que queiram aderir ao semestre especial e tenham dificuldades de acesso à internet, a Pró-Retoria de Assuntos Estudantis (PRAE) irá lançar, caso a proposta seja aprovada pelo CONSEPE, um edital para disponibilizar bolsas com o objetivo de garantir aos estudantes em condições de vulnerabilidade social, recursos para esse acesso à tecnologia.

Ainda no mês de junho, haverá uma nova reunião para avaliar o momento e traçar as estratégias para a retomada das atividades presenciais e acadêmicas na UERN.

Opinião dos leitores

  1. Fátima aproveita e fecha esse sangrador de dinheiro público, pois não é obrigação do RN manter universidade. Transfere todos os alunos para universidades privadas pagando uma bolsa e direciona os professores para a rede estadual de ensino. Fazendo isso vc vai ver a quantidade de recursos vai ficar no caixa.

    1. O cara defende fechamento de universidades e escola mas não dá um piu aos bilhoes doados aos empresários através de renúncias fiscais.

    2. Nossa mocinho nunca tinha ouvido uma pérola dessa. Investimento em educação seja ela q qualquer nível nunca foi e nunca será sangrado dos cofres públicos. Acredito q vc se equívoco e quis dizer de outras fontes, tais como contratos c terceiros, emendas parlamentares, entre outras tantas. Aí sim é uma sangria, melhor rever sua opinião. Muito feio.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Em reunião por videoconferência nesta terça, UERN suspende calendário universitário por tempo indeterminado

Foto: Reprodução/UERN

A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) suspendeu, por tempo indeterminado, o calendário universitário 2020, previsto para ter início no próximo dia 6 de abril. A decisão ocorreu durante reunião realizada por videoconferência, nesta terça-feira (31), conduzida pela reitora em exercício, Fátima Raquel e com participação de pró-reitores, diretores de unidades acadêmicas, representante do Fórum dos Chefes de Departamento, e o Diretório Central dos Estudantes.

A proposta da suspensão foi apresentada pela reitora em exercício, Fátima Raquel, na abertura da reunião, e endossada pelos participantes, que haviam feito consulta aos departamentos e categoria estudantil, que também se posicionaram pela suspensão do calendário.

A decisão levou em consideração o estado de pandemia do novo coronavírus e as orientações da Organização Mundial da Saúde e decretos federais e estaduais sobre as medidas de prevenção ao contágio pelo vírus, bem como a portaria da FUERN que estabeleceu orientações acadêmicas e administrativas quanto às medidas de proteção para o enfrentamento da pandemia.

Nesta segunda-feira (31), o Comitê de Enfrentamento ao Novo Coronavírus da UERN orientou a suspensão do calendário universitário, levando em consideração a expectativa do pico de contaminação no Brasil ser esperado para os meses de abril e maio, e a dificuldade de acesso às tecnologias educacionais por grande parte dos estudantes da UERN.

“Em todas as nossas decisões, nossa principal preocupação é com os nossos estudantes. Sabemos da realidade em que a maioria de nossos estudantes só têm acesso à internet pelo celular e um grande número mora em regiões de difícil acesso a uma rede de internet, o que inviabiliza a possibilidade de aulas online. Não sabemos quanto tempo essa pandemia vai durar, o que sabemos é que precisamos preservar nossa comunidade e dar condições para que nossos estudantes recebam uma educação superior de qualidade, que é o compromisso maior da UERN”, afirmou a reitora em exercício, Fátima Raquel.

O estudante Pedro Levi, da diretoria do DCE/UERN destacou a necessidade desta medida, levando em consideração também a dificuldade que os estudantes teriam numa possível retomada das atividades com uso de tecnologia educacionais à distância. “Pensando nisso o DCE já havia se posicionado contra o retorno das atividades, durante essa situação de pandemia, de forma que concordamos com o proposto pela gestão da universidade. Temos que pensar na manutenção da qualidade do ensino aos nossos estudantes e, neste momento, a medida mais prudente é a suspensão”, comentou.

Os diretores de unidades acadêmicas destacaram o posicionamento adotado por cada unidade, sendo que a maioria seguiu o entendimento da necessidade da suspensão do calendário.

Histórico

No dia 15 de março, a UERN suspendeu as atividades presenciais, como forma de prevenção à disseminação do novo coronavírus. Na época, a Instituição encerrava o semestre 2019.2, já havendo cumprido mais de 90% do semestre, restando somente o fechamento de notas e os casos em que havia pendências.

A suspensão do calendário será publicada através de Ad Referendum da Reitoria.

Opinião dos leitores

  1. Queria entender o motivo de muitos acharem essa medida um absurdo. A instituição está fazendo o que todas as outras – públicas e privadas – estão. O vírus, inclusive, ceifou a vida de um funcionário da Universidade. Vocês acham mesmo que eles vão se arriscar? Vocês se arriscariam? Um pouco de paz, fraternidade e solidariedade no coração não faz mal a ninguém.

  2. Pelo nível, nenhum dos comentaristas, "cidadãos de bem" devem ter pisado, um dia, em uma Universidade.

    1. Concordo! Para quem estudou na UERN e em qualquer universidade pública sabe o quão importante estas instituições são na vida de qualquer cidadão.
      Infelizmente, lemos comentários ridículos de pessoas que falam apenas pelo senso comum. Lamentável ??‍♀️

    1. Comentário 10 …acertou em cheio , só faltou na camiseta ; ladrao Lula livre

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

UERN diz que analisa requerimento de concluintes de medicina que pedem antecipação da colação para suporte a Saúde no combate ao coronavírus

A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), ciente do seu papel social e formativo, não tem medido esforços para contribuir com o controle da disseminação do novo coronavírus (COVID-19).

Desde o início da pandemia, a instituição tem seguido todos os protocolos do Ministério da Saúde, tendo sido a primeira Universidade no Rio Grande do Norte a suspender as atividades presenciais, a fim de evitar aglomeração de pessoas, principal forma de combate à disseminação do vírus.

Atualmente a Instituição possui 28 possíveis concluintes no curso de Medicina, que necessitam ainda integralizar conteúdos para que possam receber seus diplomas. Nesta segunda-feira (23), os estudantes do último período protocolaram o pedido de antecipação de colação de grau para que possam atuar como médicos diante da grave crise na saúde pública em decorrência da pandemia.

Veja mais: Com mais de 9000 horas cursadas, concluintes de medicina da UERN pedem antecipação da colação para suporte a Saúde no combate ao coronavírus

A UERN está analisando o caso, respeitando todas as instâncias necessárias. A universidade entende que, diante deste cenário, a inserção de novos médicos no sistema de saúde pública é uma medida essencial e urgente, assim como, para garantir a validade da formação dos nossos estudantes, é importante que toda e qualquer decisão esteja embasada legalmente.

Opinião dos leitores

  1. Conto do vigario! Nao vai nenhum… querem mesmo é fazer residência. Todo ano é isso. Bando de oportunistas!!!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Com mais de 9000 horas cursadas, concluintes de medicina da UERN pedem antecipação da colação para suporte a Saúde no combate ao coronavírus

Foto: Ilustrativa

Graduandos do curso de medicina Universidade Estadual do Rio Grande do Norte(UERN) solicitam oficialmente a antecipação de colação de grau, e consequente certificado de conclusão de curso pelo cumprimento de 93,39% de horas realizadas na grade curricular, que corresponde a 9050 horas.

O pedido extraordinário, também atendendo ao clamor social, acontece após o Ministério da Saúde informar nos últimos dias que o governo vai permitir a antecipação da formatura de estudantes de medicina para reforçar os hospitais no combate ao novo coronavírus.

O curso de medicina da UERN possui uma das maiores grades curriculares do país e ultrapassa, com folga, as 7.200 horas mínimas exigidas pelo Ministério da Educação(MEC) para conclusão do curso.

A lista com 28 nomes de graduados da UERN destaca em requerimento que dentro da grade curricular, resta pendente apenas carga horário de estágio supervisionado. O documento da comissão dos concluintes de medicina foi assinado no dia 21 de março.

Ação do Governo Federal

Em videoconferência com prefeitos de capitais e cidades de grande porte, Mandetta discutiu medidas para otimizar o enfrentamento da pandemia no país.

“Nós vamos antecipar, agora, os meninos do sexto ano [de medicina] que falta um mês, dois meses para se formar. Vamos acelerar. Esse meninos são jovens, eles não têm experiência, mas podem fazer uma parte do atendimento. Não para colocá-los no CTI, mas eles podem ajudar muito”, disse.

O ministro afirmou anda que o governo dará ordem para que hospitais treinem médicos residentes que hoje cumprem funções em outras áreas para atuarem em CTIs. Segundo ele, o país tem hoje cerca de 70 mil desses profissionais recém-formados que poderiam ser aproveitados no enfrentamento ao vírus.

Opinião dos leitores

  1. Não sou a favor.Temos centenas de profissionais a espera do revalida, porquê não os convocam?

  2. Existe hoje no Brasil, mais de 900 médicos formados no exterior esperando o revalida, profissionais capacitados. Sou a favor que esses médicos sejam convocados.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *