FOTO: Policial penal do RN é um dos presos em operação que apreendeu 200 kg de maconha em João Pessoa-PB

Foto: Polícia Militar da Paraíba/Divulgação

Um policial penal do Rio Grande do Norte é um dos dois homens presos nessa quarta-feira (16), em uma operação da Polícia Militar que apreendeu mais de 200 quilos de maconha em João Pessoa. De acordo com a polícia, a maior parte das drogas estava escondida em um galpão de uma oficina desativada. Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária do Rio Grande do Norte (Seap), que confirmou a prisão do servidor, além de responder às autoridades paraibanas criminalmente, ele será alvo de um processo administrativo disciplinar no RN. Todos os detalhes AQUI em repercussão do portal G1-RN.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Muda Brasil disse:

    Ah se fosse na Indonésia.

  2. Calígula disse:

    A Turma da esquerda e do Lula livre adora encobrir nomes e rostos da bandidagem.
    #Bolsonaro tem razão

    • O Rei da Rachadinha disse:

      Sua paixão pelo PT é compulsiva, 24 horas sem tirar da cabeça. A onde a ódio pode tb existir amor.

    • Emerson Fonseca disse:

      Paixão recolhida e pelo pseudônimo que escolheu já mostra o caráter que tem ou não 🤣

Câmara dos EUA aprova descriminalizar maconha em todo o país; texto vai ao Senado

Foto: Carlos Jasso/Reuters

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou nesta sexta-feira (4) a descriminalização da maconha em todo o país. O projeto, que ainda depende de votação no Senado para virar lei, também inclui a taxação de 5% na venda da droga para custear programas de assistência.

Com maioria democrata, a Câmara aprovou a proposta por 228 votos a favor e 164 contra. A expectativa é de que o texto encontre dificuldades para passar no Senado, onde o Partido Republicano detém a maioria dos assentos.

O democrata Jerry Nadler, que preside o Comitê Judiciário da Câmara, elogiou a proposta para descriminalizar a maconha em todo os EUA.

“Por muito tempo, tratamos maconha como um problema de justiça criminal em vez de uma questão de escolha pessoal e de saúde pública”, comentou o deputado.

Deputados republicanos questionaram a votação do tema em um momento de enfrentamento à Covid-19 — a doença causada pelo novo coronavírus tem matado quase 3 mil pessoas por dia.

O líder da minoria republicana na Câmara, Kevin McCarthy, ironizou as propostas apresentadas por democratas recentemente, que incluem a proibição de que pessoas mantenham em casa grandes felinos como tigres e leões.

“Com todos os desafios que os EUA enfrentam agora, nós republicanos pensamos que o pacote de socorro da pandemia deve ser votado. Porém, os democratas colocam gatos e maconha à frente”, criticou.

Em alguns estados americanos, o uso recreativo da maconha já é permitido pelas legislações locais. É o caso de Colorado e Washington, que aprovaram leis permitindo o consumo em 2012.

Neste ano, outros quatro estados aprovaram o uso recreativo da maconha em referendo organizado simultaneamente à eleição presidencial: Nova Jersey, Arizona, Dakota do Sul e Montana.

ONU reclassifica maconha para lista mais branda

A aprovação ocorreu um dia depois de a Comissão de Drogas Narcóticas das Nações Unidas reclassificar a maconha para uma categoria que inclui substâncias consideradas mais leves. Antes, o entorpecente ficava em um patamar considerado o mais grave, ao lado da heroína e outras drogas.

Essa decisão na ONU recebeu 27 votos a favor e 25 contra. Entre os que votaram favoravelmente à reclassificação da maconha, estão os Estados Unidos. O Brasil se posicionou contra.

Apesar de considerada histórica, a mudança não exige a nenhum país modificações em suas políticas nacionais sobre drogas. E, mesmo em um patamar mais brando, a ONU ainda recomenda o controle da maconha.

O uso recreativo da maconha é permitido em países como o Uruguai, o Canadá e a Geórgia, que recentemente aprovaram leis que retiram a penalização para quem consumir a substância ou que legalizam completamente o consumo da droga.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Snoopy Doggy disse:

    Que planta linda! E ainda é santa!

  2. Tarcísio Eimar disse:

    Agora é a hora de investir na cannabis sativa

  3. Luís disse:

    País cavando a sua cova.

  4. Roberto Fernandes disse:

    Se é para liberar a maconha, liberem todas as outras drogas, o mundo está realmente sem Deus, aguardem mais desgraças que já chegaram e as outras que estão por vir, leiam a Biblia e creiam em Jesus Cristo, só ELE é o caminho, a verdade e a vida, vem Senhor Jesus socorrei-nos destas trevas do maligno.

    • disse:

      A maconha é bem mais leve que o álcool, veja estatísticas sobre violência decorrente das duas, existem bem mais tragédias e problemas de saúde pelo consumo do álcool. Acontece que a indústria do álcool é bem mais rentável aí já viu. Hoje só o tráfico ganha com a proibição da maconha, apesar que toda esquina tem maconheiro. Agora liberar drogas pesadas seria uma tragédia.

    • ? disse:

      Vai dormir Roberto. Teu mau é sono.

    • Luís disse:

      Não dá para comparar. A escala de consumo entre maconha é álcool tem uma distância astronômica. E vez de liberar a maconha, seria melhor ir 'desmamando' do álcool. Como se fez com o cigarro.

ONU aprova retirada da maconha de lista de drogas mais perigosas

A ONU aprovou a retirada da maconha de lista de drogas mais perigosas – Istock/Getty Images

A Comissão para Narcóticos da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou nesta quarta-feira, 2, a retirada da maconha para uso medicinal da lista de drogas mais perigosas do mundo.

Composta por 53 Estados-membros, a comissão considerou uma série de recomendações feita pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para reclassificar a planta e seus derivados. Atualmente, a cannabis se encontra classificada como uma das drogas mais perigosas do mundo, ao lado da heroína.

Em 1961, o comitê estabeleceu uma lista com quatro tabelas de classificação, sendo a primeira para as drogas mais leves e a última para as mais pesadas. Uma segunda recomendação da OMS, que reclassificaria os derivados da cannabis, como o dronabinol e o THC, no nível mais baixo das tabelas, não ganhou apoio para ser aprovada.

O voto também ocorre ao mesmo tempo em que diversos países levam adiante a pauta para a legalização da cannabis e seus derivados, muitos deles para uso terapêutico. O México foi um dos últimos países a legalizar o uso recreativo. Nos Estados Unidos, eleitores aprovaram a discriminalização da cannabis em diversos estados.

Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Snoopy Doggy disse:

    Enquanto vocês ficam debatendo aí vou fumar um pra relaxar e dar umas risadas.
    kkkkkkkkk
    Vou dar um tapa na cara da sociedade!
    .kkkkkkkk

  2. Sergio disse:

    Menos perigosa que uma arma nas mãos de civis despreparados. Aí o estrago é grande…

    • bruno disse:

      Não tanto quanto na mão de um vagabundo, que tira a vida de um pai de família por um celular que ele batalhou o mês inteiro para comprar e mesmo assim não tem o direito de usa-lo na rua.

  3. Severino disse:

    Depois, os que falam em agendas globalistas são chamados de 'teóricos da conspiração'.
    Tudo para desestruturar as pessoas, para lhes tirar as responsablidades e delegar para o Estado (ou um supra-estado), desunir famílias, quebrar tradições, relativizar direitos (os lockdowns foram um trailer). Tudo com pretextos fofinhos e progressocas. Dividir para conquistar.

    • Calígula menininha do Pr. disse:

      Isso amigo desperto, precisamos denunciar essa agenda maçônico-globalista-comunista. Albert Pike já falava sobre isso antes da primeira guerra mundial…

  4. HELIÃO - Papagaio 🦜 De Pirata disse:

    Nunca foi, perigoso é quem não sabe usar

(FOTO). Homem em MG compra maconha e recebe tijolos: ‘Não existe mais traficante honesto’

Foto: MagaiverTV cortesia ao UOL

Uma transação “desonesta” entre dois traficantes resultou na prisão de um deles, durante uma operação integrada entre as Polícias Militar e Civil em quatro cidades do Sul de Minas. Ele teria comprado tijolo achando que seria maconha e acabou preso quando foi trocar a droga. Além desse traficante, outros três homens e uma mulher foram detidos.

Segundo a polícia, o homem de 35 anos, um dos articuladores do tráfico na região, teria pago R$ 1,5 mil por duas barras de maconha, mas na hora de receber o material foi surpreendido com tijolos comuns. Insatisfeito, o traficante não quis ficar no prejuízo e, nesse momento, acabou sendo preso.

“Durante a investigação, captamos a transação e o homem estava muito bravo com outro traficante, que vendeu o tijolo falso. Ele estava cobrando uma postura ética desse traficante, como quem diz assim: ‘Não existe mais traficante honesto hoje em dia'”, disse o delegado.

A ação faz parte de uma investigação que durou quase um ano nas cidades de Nova Resende, Guaxupé, Bom Jesus da Penha e Campo Belo. O trabalho contou com 20 policiais, entre militares e civis que além das quatro prisões, apreenderam 35 papelotes de cocaína e mais duas pedras da mesma droga, que ainda não tinham sido fracionadas, dois tabletes de maconha, uma balança de precisão, materiais usados para a embalagem de entorpecentes, R$ 3,6 mil em dinheiro, dois aparelhos celulares, oito pacotes de cigarro contrabandeado, além de um veículo.

O delegado Manoel Francisco Martins ressaltou ainda a importância da denúncia anônima que propiciou toda essa operação com objetivo de combater os crimes de violência doméstica, tráfico ilícito de drogas e roubo. Ele orienta que denúncia pode ser feita pelo 181 ou pelo 190 e é sigilosa. “É importantíssimo que a comunidade faça essas denúncias, pois contribuem muito com o trabalho policial”, concluiu.

UOL

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Espedito Júnior disse:

    kkkkk
    Consumidor lesado!
    Deveria ter entrado com reclamação no "PROCONha"!!!

  2. Calígula disse:

    Vixe Kkk Kkk Tá gostei. O governo deveria liberar a venda de tijolos como se fossem maconha.
    Só queria ver a cara dos viciados recebendo os tijolos kkkk

Argentina legaliza autocultivo de maconha para uso medicinal

O óleo de cannabis é usado para epilepsia e também como terapias paliativas para a dor em pessoas com câncer, fibromialgia e para aliviar os efeitos do Parkinson, entre outras doenças – iStockphoto/Getty Images

O governo da Argentina legalizou o autocultivo de maconha para uso medicinal e a venda de óleos terapêuticos nas farmácias, por meio de um decreto publicado nesta quinta-feira, 12, no Diário Oficial da União do país.

Trata-se de um novo regulamento que revisa uma lei aprovada em março de 2017 que autorizava o uso medicinal de óleos de cannabis, mas mantinha a proibição do cultivo da planta e da posse de sementes individualmente ou em grupos.

O decreto, que é assinado pelo presidente Alberto Fernández, visa permitir “o acesso oportuno, seguro, inclusivo e protetor para aqueles que precisam usar a cannabis como ferramenta terapêutica”, afirma o texto.

Com o decreto, é autorizada a venda em farmácias de óleos e cremes produzidos a partir da cannabis e do cultivo pessoal e em rede para usuários, pesquisadores e pacientes que se cadastrarem no Programa Nacional de Cannabis, criado pela lei mas que não estava operacional.

Pacientes e parentes de crianças com doenças graves que usam óleo de cannabis para melhorar sua qualidade de vida têm reivindicado o direito de cultivar para produzir seu próprio óleo específico, o que continuaram fazendo apesar de serem punidos por lei.

“Hoje choramos de alegria porque iniciamos essa luta pelos nossos filhos (…). Somos uma grande família lutando pelo mesmo direito, o direito à qualidade de vida. Vamos cultivar o nosso próprio remédio sem medo (…) Não somos criminosos”, comemorou o grupo “Mamá Cultiva” nas redes sociais.

O óleo de cannabis é usado para epilepsia e também como terapias paliativas para a dor em pessoas com câncer, fibromialgia e para aliviar os efeitos do Parkinson, entre outras doenças.

O novo regulamento autoriza não só a importação produtos medicinais de cannabis, o que já era permitido, embora apenas para epilepsias refratárias, mas também “adquirir especialidades medicinais elaboradas no país ou adquirir formulações magisteriais elaboradas em farmácias autorizadas”.

O Estado promoverá a produção pública de cannabis para uso medicinal e garantirá o acesso aos pacientes que não tenham cobertura para medicamentos pré-pagos ou ação social sindical.

O Uruguai foi o primeiro país em 2013 a aprovar uma lei que permite o cultivo de maconha para autoconsumo em casa, a formação de clubes de produtores para plantar em cooperativa e a compra em farmácias. Desde então, vários países latino-americanos avançaram em legislações semelhantes.

Veja, Com AFP

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Eduardo Lemos disse:

    A frente? De que ohm?da Venezuela? Seu nível intelectual é de praticante de vaquejada mesmo.

  2. Ricardo disse:

    Existem trocentas plantas medicinais.
    Só uma tem esses 'ideólogos' defendendo.
    Por que todo esse lobby?

    • Birigui disse:

      Simples. As outras não são proibidas nem são tão populares. Nas civilizações mais evoluídas já é ou está sendo liberada.

  3. PEDRO VERDADEIRO. disse:

    Menos no futebol……kkkkk deixa de ser paiaço (assim mesmo) muda para lá Para curtir a verdinha. Para vc aqui só bananas mesmo.

  4. Vaqueiro Açoitador disse:

    Argentina 🇦🇷 sempre a frente da república das bananas.

FOTO: Polícia Civil apreende mais de 19 mil papelotes de cocaína, além de maconha e “crack”, no Paço da Pátria, na Zona Leste de Natal

Foto: Divulgação/Polícia Civil

Policiais civis da Delegacia Especializada de Narcóticos de Natal realizaram, na manhã desta segunda-feira (19), após investigações, diligências no Paço da Pátria, na Zona Leste de Natal, que resultaram na apreensão de 19 mil porções de cocaína prontas para venda, 5,5kg de “crack”, 2kg de cocaína prensada e 20kg de cocaína misturada a insumos ainda a serem embalados para venda, além de balanças de precisão e rádio comunicadores.

Segundo as investigações, a droga, que estava guardada em um depósito no Paço da Pátria, pertence a uma facção criminosa, que abastecia diversos pontos de comercialização dos entorpecentes. Ao longo das diligências, ninguém foi preso. As investigações seguem sendo realizadas pelos policiais civis da DENARC Natal, com o objetivo da elucidação do crime e da prisão dos envolvidos.

A Polícia Civil solicita que a população continue enviando informações de forma anônima através do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Paulo disse:

    Pancada no tráfico! Parabéns aos Policiais Civis envolvidos.

  2. Antonio Turci disse:

    O local onde está a comunidade Paço da Pátria e Areal ilegalmente instalou-se, por Invasão, em espaço que pela lei pertence a "ÁREA DO PORTO ORGANIZADO DE NATAL". Infelizmente deixaram a bandidagem tomar conta. Os prefeitos e algumas de suas assistentes sociais sempre passaram as mãos nas cabeças dos invasores, protegendo-os como se fossem anjinhos do céu. O crime generalizou-se e "agora é tarde e Inês é morta". Queira Deus Batal não venha a se transformar num Rio de Janeiro, onde a bandidagem já assumiu o controle da metade da cidade.

  3. Leandro disse:

    Não sei que trabalho é esse!!?? pois o que eu vejo é a segurança pública cada vez pior. Os bandidos estão roubando até a fiação da Cosern da região do centro da cidade. Em Mãe Luíza a polícia não manda mais.

  4. PARABÉNS PC RN disse:

    A polícia civil do RN tem mostrado que quando se quer se faz, mesmo com dificuldade de efetivo, usando inteligência e integração.

    • PARABÉNS PC RN disse:

      A DENARC está fazendo com que o Paço da Pátria volte a ser do povo e não mais do crime.

FOTOS: PF apreende maconha em aparelho de som enviado pelos Correios e prende três suspeitos no RN

Fotos: Divulgação/PF

A Polícia Federal apreendeu na última segunda-feira, 28/09, na saída de uma agência postal em Natal, 4,84 kg de maconha prensada e prendeu em flagrante, uma artesã paraibana, 44 anos, uma autônoma, 30 anos e um vigilante, 29 anos, os dois últimos de Brasília/DF. O fato só hoje foi divulgado em virtude de desdobramentos da investigação.

A ação teve início quando a PF foi alertada pelos Correios de que uma encomenda suspeita, postada em Foz do Iguaçu/PR e com destinatário em Ponta Negra, havia sido retida para inspeção no centro de distribuição, durante o fluxo operacional.

Os policiais então se deslocaram até aquela unidade e ficaram aguardando que a encomenda fosse retirada. Na tarde daquele dia, uma mulher procurou e recebeu o objeto, mas na saída foi abordada juntamente com mais duas pessoas que a aguardavam em um automóvel.

Quando a encomenda foi aberta tratava-se de uma caixa de som, porém ao ser retirado o alto- falante, no seu interior, foram encontrados os tabletes da droga.

Os envolvidos receberam voz de prisão e seguiram para autuação na sede da PF, de onde, posteriormente, foram transferidos para o Sistema Prisional do RN, à disposição da Justiça.

O total de drogas apreendidas pela Polícia Federal no Rio Grande do Norte somente este ano já ultrapassa os 850 kg.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Paulo disse:

    Já me sinto mais seguro.

  2. Bóssonaro 4ever disse:

    Desmontou uma quadrilha mto bem articulada, aliás, um verdadeiro cartel de drogas, super logística e sistema quase infalível de distribuição da erva danada, super articulados, devem ter conexões na europa e eua já q utilizavam os correios, ora ora, altíssima periculosidade. Como cidadão de bem, membro da igreja (aos domingos), de famiglia (tutti buona gente), defensor da moral e dos bons costumes, parabenizo esse trabalho incrível de inteligência puliçiau.

  3. Lula é o maior ladrão do mundo disse:

    Isso é o que eu chamo de um som muito doido.

Rodrigo Maia se compromete a segurar o projeto de liberação do plantio de maconha

Foto: Rafael Carvalho | Divulgação

Rodrigo Maia se comprometeu com os deputados Sóstenes Cavalcante e Bia Kicis a não pautar o projeto que autoriza o plantio de maconha o Brasil sem antes conversar com a bancada conservadora, mais do que empenhada em enterrar a proposta. As informações foram de Lauro Jardim, em O Globo.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. João Macena disse:

    Há quê ponto chegamos. Discutir a liberação da maconha ou não. Em um país, que não tem uma política de saúde mental, discutir a liberação de uma droga, triste Brasil. João Macena.

  2. Francisco de Assis disse:

    A quem interessa a proibição? Quem lucra com a clandestinidade?

    • Manoel disse:

      E você acha mesmo que liberar vai resolver o problema do tráfico? Você deve saber do contrabando de cigarro né? A legalização do cigarro impede esse crime?

    • Fernando Henrique disse:

      Não, Manoel.
      A legalização do cigarro não impede o contrabando de cigarro.
      Assim como a legalização da venda de camisas de futebol, não impede o contrabando das mesmas.
      Assim como se a humanidade se livrasse só da sua ignorância, não estaria definitivamente livre da peste de falta de intelecto que nos assola.
      Não há medida singular que resolva questões complexas. Não é por isso que as boas decisões que contribuem parcialmente devam deixar de ser tomadas.

      No seu caso, como é caso de muito pouca complexidade, há uma simples medida que resolva… Nasça de novo.

    • Manoel C. disse:

      Engraçado os espectros políticos, cada um quer ter suas liberdades, mas cercear a dos outros. Querem liberar armas, mas não uso recreativo da maconha. Querem liberar aborto, mas não ensino em casa. No final, não se libera nada.
      Cada um com seus políticos e ideologias de estimação.

  3. Manoel disse:

    Melhor deixa com a milícia essa tarefa.

FOTO: PRF prende dois homens e apreende 72 quilos de maconha na Grande Natal

Foto: Divulgação/PRF

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu no final da noite dessa segunda-feira (8), mais de 72 quilos de maconha transportados em um caminhão boiadeiro. A ação aconteceu no km 280 da BR 304, em Macaíba, região metropolitana de Natal. Dois homens foram presos.

Policias rodoviários federais faziam fiscalização na rodovia quando deram ordem de parada ao condutor de um caminhão, que faz o transporte de animais vivos, mais conhecido como boiadeiro.

Próximo ao caminhão, seguia uma caminhonete Toro que também foi abordada. O caminhão era conduzido por um homem de 40 anos e a caminhonete por um jovem de 26 anos, ambos residentes na cidade de Quixeramobim/CE.

Durante a fiscalização, os dois motoristas demonstraram nervosismo e disseram que estavam vindo de Fortaleza/CE, com destino a cidade de João Pessoa/PB, onde iriam buscar um cavalo pertencente ao patrão. No decorrer da abordagem, a equipe constatou que os dois veículos andavam juntos e que a caminhonete, exercia a função de “batedor” do caminhão.

Em uma busca minuciosa aos veículos, os policiais encontraram, em um compartimento falso, entre a cabine e a carroceria do caminhão, vários sacos brancos contendo tabletes de maconha prensada. Após a contagem, foram contabilizados 69 pacotes, totalizando 72,77 kg da droga.

Diante do flagrante, os homens foram presos e encaminhados à Delegacia de Polícia Federal em Natal, onde foram autuados pelo crime de tráfico interestadual de drogas.

Anvisa aprova a venda do primeiro produto à base de maconha no país

FOTO: ISTOCK

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou o registro do primeiro produto à base de Cannabis no país.

O óleo composto por canabidiol poderá ser vendido em farmácias apenas com receita médica de controle especial do tipo B, cuja numeração é fornecida pela vigilância sanitária local. De cor azul, esse tipo de receita é geralmente indicada para psicotrópicos e deve ser renovada a cada 60 dias.

A autorização foi publicada nesta quarta-feira (22) no Diário Oficial da União.

Esse é o primeiro registro concedido pela agência desde que o órgão aprovou uma regulamentação que abre espaço para venda de produtos à base de Cannabis nesses locais, com base em alguns critérios. A agência criou uma nova categoria de produtos à base da planta, diferente da usada para medicamentos.

O produto é um fitofármaco à base de canabidiol, componente da Cannabis que tem efeito terapêutico para alguns quadros.

A concentração de THC, substância também alvo de estudos e conhecida por “dar barato”, é de menos de 0,2%.

A autorização da agência prevê que ele seja prescrito para casos em que não há outras alternativas de tratamento com resultado satisfatório. A lista de doenças não foi informada.

A fabricante é a empresa Prati-Donaduzzi, de acordo com os dados do registro. Ainda não há previsão de quando o produto deve ser ofertado no mercado e qual será o preço. ​

A Prati-Donaduzzi afirma que, por não ter estudos clínicos concluídos, o óleo não é um medicamento, mas um produto indicado para quadros específicos.

Atualmente, o país tem apenas um medicamento aprovado à base de Cannabis. Trata-se do Mevatyl, indicado para tratamento de espasmos em pacientes com esclerose múltipla. Ele tem uma concentração um pouco maior de THC em relação ao canabidiol, e tem custo de cerca de R$ 2.000.

A resolução que dá espaço à venda de produtos derivados da Cannabis no país que não entram na categoria de medicamentos foi aprovada em dezembro de 2019.

Na época, diretores da agência chegaram a analisar a possibilidade de dar aval ao cultivo da planta para pesquisa e produção de medicamentos, mas a proposta foi rejeitada por três votos a um.

Em contrapartida, diretores aprovaram uma regulamentação para oferta desses produtos para uso medicinal.

Desde então, empresas interessadas em desenvolver ou importar esses produtos para venda podem solicitar registro à agência, para venda mediante apresentação e retenção de receita. Sem aval para o plantio, no entanto, é necessário importar substratos de matéria-prima ou o produto finalizado.

O tipo de receita e indicação varia conforme o produto —aqueles com concentração de THC acima de 0,2% só podem ser prescritos a pacientes terminais ou que esgotaram alternativas de tratamento e com receita tipo A, igual à usada para morfina. A venda em farmácias de manipulação é proibida.

A embalagem desses produtos deve conter uma faixa de cor preta e alertas específicos, que variam conforme a concentração de THC.

Segundo a Anvisa, a análise do pedido da Prati-Donaduzzi durou 42 dias, tempo que envolveu a apresentação de dados pela empresa até a elaboração de parecer da equipe técnica.

Folha de SP

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Papa Jerry Moon disse:

    Cachaça mata mais e apesar disso ninguém fica com essa vergonha toda.

  2. Zé Ninguém disse:

    Vai aparecer o gado falando que a culpa é de Lula e do PT. Mas parece que sendo no mundo da Bozolandia, tudo pode, nada tem problema e a culpa não é do MICO. Cadê o MICO? Na terra do Galego Doido (USA) está tudo liberado. Pode andar armado e ainda com o baseado no bolso ou na mente. "Quem não tem colírio usa óculos escuro". KKKKKK.

  3. Tarcísio Eimar disse:

    Vai servir pra cura do corona

  4. Antonio Turci disse:

    VERGONHA VERGONHA VERGONHA VERGONHA VERGONHA VERGONHA VERGONHA. A juventude brasileira não merece isto. VERGONHA

  5. Claudercio disse:

    Isso é uma vergonha!

    • Tiba disse:

      Vc é médico, cientista ou especialista na area? se não for vai arrumar uma lavagem de roupa, queria ver uma familiar seu precisar tomar um medicamento desse de urgência e vc ser contra.

  6. Neco disse:

    Antes que os maconhistas (maconheiros ideológicos) apareçam:
    Tem zilhões de substâncias medicamentosas oriundas de derivados do petroleo.
    Quer beber petróleo?

Com pandemia do Covid-19, holandeses estão fazendo fila para estocar maconha

Os holandeses estão fazendo fila para estocar maconha. As coffee shops, por causa da pandemia de Covid-19, vão permanecer fechadas até 6 de abril.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antonio Turci disse:

    "Vixe"! Parte da UFRN vai colapsar.

  2. GLENIO FLORENCIO disse:

    com tantas coisas importantes na vida o ser humano se preocupando com tolices e prazeres que esse vicio maldito tem sobre essas mentes fracas .

  3. Zuza disse:

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK. O vício é realmente um troço na vida do indivíduo. E o exército de maconheiros intelectualoides do RN, já fizeram estoque???

    • Robervaldo disse:

      Eles já fumam maconha estragada, e agora é que esses esquerdopatas vão falar merda.

    • Dedé Varella de Taipu disse:

      Vixe, os intelectuais de esquerda do erre.ene vão quebrar as funerárias.

    • Minion alienado disse:

      Desespero maior é de quem fuma escondido e defende o moralismo.

STJ pressiona STF por julgamento que pode descriminalizar porte de maconha

Foto: Pixabay

Ministros do Superior Tribunal de Justiça não escondem o incômodo com o fato de o Supremo Tribunal Federal não decidir se vai descriminalizar ou não o porte de drogas para consumo próprio.

Dias Toffoli já pautou o julgamento, mas vem adiando a polêmica, que começou a ser analisada pelo plenário em 2015. A principal reclamação de integrantes das turmas criminais do STJ é que, diante da indefinição do STF, as instâncias inferiores seguem determinando prisões preventivas de pessoas flagradas com pequenas quantidades de drogas.

Ministros apontam um conflito com o entendimento do STJ, que tem derrubado centenas dessas decisões de juízes de primeira instância e substituindo a prisão por medidas cautelares, como monitoramento eletrônico. Em conversas, integrantes do STJ dizem que já mandaram diversos recados a colegas do Supremo sobre a importância de avançar com a questão diante da inércia do Legislativo.

No STF, a expectativa é a de que o plenário libere ao menos o porte de maconha para consumo pessoal, mas há ressalvas a colocar um critério para a distinção de quem porta, definindo quem seria usuário e quem seria traficante. Ministros afirmam reservadamente que essa atribuição caberia ao Congresso.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. LAMPIÃO disse:

    INCRIMINE-SE O TRÁFICO COM MAIS RIGOR, OSTENSIVIDADE E COM MAIS NÚCLEOS TÍPICOS.
    QUE SE INCRIMINE O USO COM PENA DE TRATAMENTO OBRIGATÓRIO.
    QUE SE PUNA COM RIGOR A MÍNIMA APOLOGIA.

  2. Marcelo disse:

    Legalize já!

Polícia civil do RN e PE prendem homem com 38 kg de maconha

Policiais civis da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (DEICOR) do Rio Grande do Norte, com apoio de policiais civis da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) de Pernambuco, deflagaram uma operação conjunta, nesta quarta-feira (05). A ação resultou na prisão de José Anderson Santana da Silva, conhecido como “Anderson Negão”, de 30 anos.

José Anderson foi preso no município de Cachoeirinha, localizado no interior de Pernambuco. Contra ele, existia um mandado de prisão em aberto pela suspeita da prática do crime de roubo. Durante a realização das diligências, foram apreendidos com o suspeito 38 quilos de maconha, o que ocasionou a prisão em flagrante pelo crime de tráfico de drogas.

Anderson Santana  foi encaminhado ao sistema prisional, onde ficará à disposição da Justiça.  A Polícia Civil pede para que a população continue enviando informações de forma anônima, através do Disque Denúncia 181 ou por meio dos números da DEICOR (84) 3232-2862 ou pelo aplicativo WhatsApp (84) 98135-6796.

VÍDEOS: Após perseguição, PRF apreende mais de 90 kg de maconha em Mossoró

A Polícia Rodoviária Federal apreendeu, no km 57 da BR-304, em Mossoró, às 19h30 desta quarta-feira (05), 91 kg de maconha.

Policias realizavam fiscalização em frente à Unidade Operacional, quando um Punto aproximou-se com velocidade acima da permitida para o local. Foi dada ordem de parada, mas o condutor não atendeu e empreendeu fuga.

Houve o acompanhamento tático e, depois de aproximadamente dois quilômetros, o motorista perdeu o controle de direção e saiu da pista. Os ocupantes conseguiram fugir pelo matagal e abandonaram o veículo.

Quando os policiais abriram a porta do carro, encontraram, sobre o banco traseiro, três pacotes grandes contendo 108 tabletes da droga.

O veículo tem placa da cidade de Campina Grande/PB e não possui registro de roubo. Foi encontrado ainda uma carteira de identidade de um homem de 30 anos, natural da cidade paraibana.

A ocorrência foi encaminhada para a Delegacia de Polícia Civil de Mossoró/RN.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fábio Cardoso disse:

    PARABÉNS PELO EXCELENTE TRABALHO DE COMBATE AO NARCOTRÁFICO! BRAVÍSSIMA PRF!

Estudo brasileiro contesta uso de maconha no tratamento de dependentes de cocaína

Foto: (OpenRangeStock/Getty Images)

Pesquisa brasileira publicada na revista Drug and Alcohol Dependence contesta o uso recreativo de maconha como estratégia de redução de danos para dependentes de crack e cocaína em reabilitação. Dados do artigo indicam que o consumo da erva piorou o quadro clínico dos pacientes em vez de amenizar, como esperado, a ansiedade e a fissura pela droga aspirada ou fumada em pedra (crack).

O estudo acompanhou um grupo de dependentes por seis meses após a alta da internação voluntária de um mês no Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (HC-USP). Os pesquisadores do Grupo Interdisciplinar de Estudos de Álcool e Drogas (GREA) e do Laboratório de Neuroimagem dos Transtornos Neuropsiquiátricos (LIM-21) da Faculdade de Medicina da USP constataram que a maconha prejudica as chamadas funções executivas do sistema nervoso central, relacionadas, entre outras atividades, com a capacidade de controlar impulsos.

“Nosso objetivo é garantir que políticas públicas para usuários de drogas sejam baseadas em evidências científicas. Quando as políticas de redução de danos foram implementadas no Brasil, para usuários de cocaína e crack, não havia comprovação de que seriam benéficas. Os resultados deste estudo descartam completamente essa estratégia para dependentes de cocaína”, disse Paulo Jannuzzi Cunha, autor do artigo.

O professor do Programa de Pós-Graduação em Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP e pesquisador do LIM-21 foi bolsista de pós-doutorado da FAPESP.

Foram incluídos na pesquisa 123 voluntários divididos em três grupos: dependentes de cocaína que fizeram uso recreativo da maconha (63 pessoas), dependentes de cocaína que não consumiram a erva (24) e grupo controle (36), composto por voluntários saudáveis e sem histórico de uso de drogas.

Um mês após receberem alta, 77% dos dependentes de cocaína que fumaram maconha mantiveram a abstinência. Já entre aqueles que não fizeram uso de maconha, 70% não tiveram recaídas.

Mas três meses após a internação a situação se inverteu e a estratégia de redução de danos mostrou-se pouco efetiva. Entre os que não fumaram maconha, 44% permaneceram sem recaídas, enquanto só 35% dos que fizeram uso recreativo da maconha mantiveram-se abstinentes. Ao fim dos seis meses de acompanhamento, permaneceram sem recaídas 24% e 19% dos voluntários, respectivamente, mostrando que os pacientes que usavam maconha acabaram recaindo mais no longo prazo.

“Os resultados desbancam a hipótese de que o uso recreativo de maconha evitaria recaídas e ajudaria na recuperação de dependentes de cocaína. Um quarto daqueles que não fumaram maconha conseguiu controlar o impulso de usar cocaína, enquanto só um quinto não teve recaída entre os que supostamente se beneficiariam da estratégia de redução de danos. O uso pregresso de maconha não traz melhoras de prognóstico no longo prazo, o estudo até sugere o contrário”, disse o psiquiatra Hercílio Pereira de Oliveira Júnior, primeiro autor do artigo.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. PA disse:

    E o estudo sobre beber perfume para curar o alcoolismo, deu em quê?

  2. Raimundo disse:

    É o mesmo que dar cerveja ao dependente de cachaça

  3. Papa Jerry Moon disse:

    Pode não ser bom para tratamento de viciados em cocaina mas é efetiva no tratamento de diversos males. Desconhecer isso é ignorância e preconceito. Cachaça é mil vezes mais perigoso.

  4. Zanoni disse:

    Com a palavra o defensor da liberação da maconha, Doutor Sidarta Ribeiro, professor da gloriosa UFRN- Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

    • Minion alienado disse:

      Rapaz, você entende muiiiiito de pesquisa científica 😂 Generaliza sem conhecer os argumentos.

VÍDEO: Em entrevista ao Roda Viva, na TV Cultura, professor e diretor do Instituto do Cérebro da UFRN defende legalização de drogas e diz que maconha é “remédio incrível”

No Roda Viva, da TV Cultura, Daniela Lima recebeu o neurocientista Sidarta Ribeiro, diretor do Instituto do Cérebro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte(UFRN). Na ocasião, defendeu a legalização das drogas e disse que a “maconha é um remédio incrível”. Confira íntegra do programa que foi ar nessa segunda-feira(06). Trecho polêmico a partir de 13 minutos e 30 segundos.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Boi da Cara Preta disse:

    Eita É agora ? partxyu quebrada.. vamos se curar kkkkkkk

  2. Leo disse:

    Além desse comentário sobre essa droga, o blog deveria ter enfatizado o monte de baboseira que esse cientista falou , muita coisa destruindo o governo federal , acredito que ele ta muito nervoso pois as torneiras estão mais vigiada hj em dia, antes a corrupção corria froxa!!

  3. Leo disse:

    Sem sombra de dúvidas a "Canabis" para uso medicinal é sim um medicamento comprovado que salva inúmeras vidas e vem trazendo melhor qualidade de vida para outras inúmeras, o que acontece é que tem uma falta de conhecimento e o uso disso por pessoas que defendem o uso recreativo que não tem nada haver. Conheço o efeito das duas por isso defendo com conhecimento o uso medicinal é condeno o uso recreativo.

  4. François Cevert disse:

    Os minions piram quando unem educação, ciência e desenvolvimento.
    Pra eles professores, cientistas, universidades são os responsáveis pela balbúrdia do país.
    Fonte: Grupos de what's app da Igreja 'não sei que lá' do Reino de Deus, ou do grupo 'vazamentos da República de curitiba.
    Uma mensagem de paz: Fora da educação não há salvação.

  5. Zanoni disse:

    Mais um viciado defendendo a causa do vício. Por falar nisso, os surtos psicóticos aumentaram 30% em decorrência do uso diário da maconha. MACONHEIRO VOCÊ É PATROCINADOR DO TRÁFICO DE DROGAS E DAS MAZELAS GERADAS PELO TRÁFICO.

  6. Tales disse:

    Defender legalizar é por que gosta da baga; agora como remédio é fato verídico que ajuda em várias doenças, principalmente no autismo.

  7. Darwin disse:

    Maconheiro safado

  8. Jose Lucio de Azevedo disse:

    Tem o aspecto e um "maconheiro"